16.5.14

Capítulo 38 - Parte 3/3

   - Joseph? - Demi não gostara nada de ver Joseph perto de Ashley. Envolveu a cintura do marido com os braços e beijou-lhes o pescoço. - Olá Wilmer. - Demi sorriu timidamente para Wilmer e olhou para Ashley fuzilando-a com os olhos. - Ashley. - Disse seca sustentando o olhar ameaçador de Ashley.
   - A festa está ótima. E o seu filho é lindo, Demi. - Wilmer entregou o pequeno para Joe e fitou Demetria com um sorriso amigável. - Bem, se não se importarem, nós vamos para pista de dança. - Wilmer envolveu a cintura de Ashley com os braços deixando-a totalmente impaciente. - Espero que se juntem a nós. - Sorriu amigavelmente e saiu puxando a loira pela mão.
   - Eu vou ignorar a sua cara de idiota ao olhar para aquela vadia. - Joe arregalou os olhos e olhou para Demi. Ela estava furiosa. - Aproxime-se dela meu amor, que você vai ficar ótimo dormindo no sofá. - Demi pegou Dan dos braços de Joe e antes de sair pisando duro, mordeu-lhes o lábio inferior.
   - Papa. - Dan olhou para Demi um tanto confuso. Por Joe não estava com eles?
   - Meu amor, seu pai é um cachorro. - Sorriu educadamente para uma senhora. - Dan agora não. - Demi sentou-se na mesa onde a família estava. Daniel queria mamar.
   - O que foi aquilo? - Miley perguntou devorando os tantos docinhos.
   - Nem me lembre, Miley. - Disse entredentes conforme Joe se aproximava dela. - Meu anjo, porque você não come um docinho junto com a tia Miley, mamãe não pode amamentá-lo agora. - Sorriu docemente para o pequeno que a olhava com os olhos marejados e pidões.
   - Miley, você pode ficar com Dan por alguns minutos? - Joe olhava diretamente para Demi sustentando o olhar ameaçador que ela lançara.
   - Vai com a tia Miley bebê. - Dan esboçou um sorriso quando Miley ofereceu um doce para ele. Simplesmente a amava apenas pelo fato dela lhes dar aquela coisa gostosa chamada chocolate. Demi levantou-se e sorriu para ele.
   - Vamos querida. - Joe enlaçou os dedos aos dela e saiu puxando-a para a pista de dança onde a maioria dos casais se divertiam. - Mãos nos meus ombros bebê. - Joe envolveu a cintura de Demi com os braços e ela o pescoço dele.
   - Não tente me distrair. - Sussurrou com a testa colada a dele movendo o corpo conforme a música calma soava. - Você não está jogando limpo. - Murmurou com um fio de voz totalmente envolvida por aquele homem que colara o corpo ao dela de uma forma tão sedutora que fazia-a arfar.
   - Não quero brigar. - Sussurrou capturando os lábios dela com os seus. - Você deveria saber que homens são idiotas. - Demi o abraçou com mais força e deixou que seus lábios apenas tocassem os dele. Estava tão envolvida, os olhos fechados, ofegava..
   - Eu sei que são. - Sussurrou.
   - Mas você também sabe que eu amo você, apenas você. - Joe apertou-a contra si possessivamente e selou os lábios aos dela. A cada toque o coração de Demi acelerava, as famosas borboletas tomavam conta de seu estômago, e as ondas de desejo corriam brutalmente em suas veias. - Eu estava com saudade de você. - Era engraçado como as coisas mudavam do nada. Ambos tinham um pequeno sorriso nos lábios e um brilho especial nos olhos.
   - Eu também. - Demi ofereceu-lhes um sorriso de orelha a orelha e o abraçou com força repousando a cabeça no peito de Joe.
   - Nós estamos bem? - Demi riu assentindo.
   - O que você acha de.. você sabe. - Demi desviou o olhar de Joe mordendo o lábio inferior para conter um sorriso.
   - De..? - Joe beijou a bochecha dela carinhosamente e ficou a observar corar ao poucos. - Demetria! - Disse rindo. - Ótima ideia. - Segundos depois Joe estava a puxando.
   - Nós estamos indo para onde? - Perguntou confusa. Pareciam estar sem rumo no meio de tanta gente.
   - Eu não faço ideia. - Estavam em uma festa, a festa de um ano do filho deles, que por sinal estava entupida de gente. Bebês, crianças, adolescentes, adultos e idosos. Um sorriso brilhante surgiu nos lábios de Joe e ele saiu puxando-a em direção a despensa, que, graças a Deus era um pequeno quarto onde eles guardavam coisas, já que aquela área fora programada justamente para eventos.
   - Joseph. - Demi o repreendeu. Não era tão simples como ele pensara, estavam cercados de pessoas que os observavam.
   - Calma. Aqui só tem garçons. - Joe olhou rapidamente a sua volta. - Nós só temos que ser rápidos e discretos. - Demi arregalou os olhos. Ele realmente era rápido, sendo assim, a empurrara rapidamente para dentro da despensa.
   - Aí! - Franziu o cenho. Estava escuro. - Aqui não tem luz? - Perguntou o procurando com as mãos.
   - Estou procurando. - Demi encolheu-se totalmente atenta. Joe só podia estar brincando, estava totalmente escuro e ela não conseguia ouvir nenhum passo se quer dele. Só a música abafada da festa.
   - Joe? - O chamou com certo receio. - Aqui é quente. - Murmurou quando ele finalmente acendeu a luz. Demi olhou para tudo atentamente. As duas paredes opostas a porta e a pequena janela eram duas prateleiras repletas de divisórias. O chão era de madeira e a luz era fraca. Tinha apenas uma cadeira de madeira escura fora as prateleiras cor de caramelo.
   - Quente. - Disse enquanto passava os trincos na porta. - Você está muito linda. - Joe tinha aquele sorriso galanteador de deixar qualquer mulher corada, conforme ele se aproximava dela naquele pequeno cômodo, o calor que Demi sentia só aumentava. - Minha esposa linda. - Demi arrepiou-se dos pés a cabeça quando os lábios dele tocaram seu pescoço dando-lhes um beijo quente. As mãos dele apertavam a cintura dela em uma pressão sutil, enquanto o corpo forte e másculo a imprensava contra a parede.
   - Joseph. - O nome dele soou como uma súplica. Demi respirou fundo sentindo a mão dele acariciar sua coxa correndo diretamente para dentro do vestido brincando com o interior da coxa com a ponta dos dedos. 
   - Hum.. - Sorriu maliciosamente. Joe beijou os lábios de Demi logo beijando todo o tórax atiçando os mamilos. Demi franziu o cenho quando o viu agachar diante de si, mas logo entendeu o que ele fazia.
Quando ele beijou a coxa nua, Demi sorriu e levou as mãos até os cabelos de Joe os puxando levemente, sabia que ele adorava quando ela brincava com seus cabelos. O rapaz deslizava as mãos pelas coxas e distribuía beijos quentes fazendo Demetria arrepiar-se brutalmente. Eram ágeis e precisas as mãos de Joe, mas as caricias dele não deixavam de ser delicadas só porque estavam as escondidas na festa de aniversário de um ano de Dan. Joe beijava cada pedaço da pele que era relevado conforme ele subia o vestido, e Demi não poderia estar mais ansiosa para senti-lo, a cada beijo e passada de mão, ela arrepiava-se mais e mais.
   - Vermelha? - Joe esboçou um sorriso de menino e olhou para Demi. Vermelho era chamativo demais para a pele alva de Demetria. Beijou-lhes a virilha logo enlaçando seus dedos aos lados da calcinha rendada de Demi descendo-a pelas coxas. Céus! Não tinha coisa melhor do que deslizar uma minúscula calcinha pelas coxas grossas de Demi. Joe guardou a peça no bolso e depositou um selinho na feminilidade de sua amada. Demi não hesitou em selar os lábios aos dele ferozmente enquanto seus dedos trêmulos revesavam em desabotoar a camisa e tirar o cinto. Demi livrou-se da camisa de Joe e correu as mãos pelas costas dele. - Cadeira bebê. - Joe a guiou até a cadeira em passos leves sem pressa alguma. Sentou-se, esboçou um sorriso para Demi, que a cada beijo e caricia corava mais de excitação e segurou-lhe as mãos ajudando-a sentar se em seu colo de modo que Demi estava com o corpo dele entre as pernas e de frente ao mesmo. - Abraça-me. - Sussurrou subindo as mãos pelas coxas de Demi erguendo o vestido até a cintura. Demi fechou os olhos e repousou as mãos nos ombros dele quando escutou o zíper descer e a leve pressão do botão da calça. Sentiu os lábios de Joe colados aos seus e o corpo sendo puxado contra o dele preenchendo toda a distância anteriormente existente. Mordeu o lábio inferior enquanto suas unhas estavam cravadas os ombros dele. Podia o sentir preenchendo sua intimidade gradualmente até pôr-se por completo. Aquele prazer chegara a ser insuportavelmente delicioso. Fazia-a arfar, perder toda a sanidade a cada movimento preciso de Joe. Ele estava tão rígido, porém a levava ao paraíso com movimentos sutis e gemidos abafados. Demi deitou a cabeça no ombro de Joe e afundou o corpo sobre ele dando reboladinhas que o deixava louco. Joe levou as mãos até o traseiro de Demetria e o apertou fazendo os dois gemerem alto com o contato tão profundo. Beijou-lhes os lábios e surpreendeu-a com movimentos rápidos, que mesmo estando escondidos pelo vestido, os mamilos estavam rígidos e os seios pulavam conforme o ritmo que faziam amor.
   Demi amava sentir os lábios de Joe aquecer-lhes a pele com beijos ardentes. Amava sentir a língua quente e precisa roçando em seus mamilos os atiçando. Amava ouvir os gemidos baixos de Joe. Amava como os braços dele a rodeava possessivamente. Amava poder aninhar-se ao peito dele enquanto faziam amor, ela sentia-se a mulher mais amada e protegida do mundo. Os gemidos dela eram tão prazerosos soando em seu ouvido, eles só serviam como combustível para Joe estoca-la mais ainda. E quando ele abaixou o busto do vestido.. Céus! Demi gemeu prontamente para explodir de prazer. Era inevitável não chupar, morder, e acariciar os seios. Adorava vê-los balançar com o seu vai e vem. Demi envolveu o pescoço de Joe com os braços e pôs-se a mover-se no ritmo delicioso dela. Fechou os olhos e rebolou lentamente dando uma volta completa de zero a trezentos e sessenta graus, ergueu a pélvis e o afundo em si repetidamente o fazendo gemer o nome dela. Espalmou o peito dele e repousou as mãos no peito enquanto cavalgava.
   - Olha para mim. - Pediu entre gemidos. Demi fixou os olhos aos dele enquanto seus corpos se mexiam por si mesmo, encontrando seu ritmo juntos. - Goza comigo. - Demi arregalou os olhos e corou bruscamente, mas não deixou de fitar os olhos dele. Joe a segurava pelas coxas, um pouco abaixo do traseiro, e bastou algumas investidas para que pudesse lhe enxergar a alma no fundos do olhos amarronzados da mulher que ele mais amava. Ela amoleceu em seus braços totalmente satisfeita. Era tão fantástico tê-la em seus braços, não tinha melhor satisfação do que vê-la ali, encolhida em seu peito sussurrando o nome dele e coisas sobre o amor, só restara a ele abraça-la protegendo-a com todo o amor que possuía por ela.
   - Eu não quero te soltar. - Murmurou apaixonada. Não tinha melhor coisa que fazer amor com aquele homem e ser acolhida no peito quente dele.
   - Eu também não. - Beijou a testa de Demi e levou a mão até os cabelos dela. - Quer ficar mais? - Perguntou com a voz aveludada mimando-a.
   - Se pudéssemos. - Suspirou frustrada. - Vamos? - Obrigou-se a dizer. Estava tão bom, mas todos já deveriam ter notado a ausência deles.
   - Vamos. - Murmurou. Gemeram quando Joe, todo cuidadoso, retirou-se dela. Demi o achara tão fofo, ele a protegia e defendia sempre e sempre. - Você viu minha camisa? - Perguntou já de pé. Demi ajeitava o vestido no corpo e passava as mãos pelos cabelos os arrumando.
   - Ali. - Demi pegou a camisa caída no chão e aproximou-se dele. - Vista. - Disse autoritária como sempre. Joe vestiu a camisa e ficou a olhá-la sorrindo. Demi arrumou a gola da camisa e abotoou os botões, abotoou os pulsos, e quanto os botões finalmente acabaram ela beijou a bochecha dele carinhosamente e espalmou o peito. - Está lindo. - Sorriu.
   - Você também. - Joe curvou-se e depositou um selinho demorado nos lábios dela. - Vamos? - Demi respirou fundo. Assim que Joe abriu a porta Demi apertou a mão dele totalmente assustada. - Calma. - Sussurrou. Graças a Deus não tinha ninguém os vigiando, claro, tinha várias pessoas, mas Joe fora rápido o suficiente para que ninguém os flagrasse.
   - Dan. - Joe apenas assentiu e deixou que ela o guiasse pela multidão, tudo estava do mesmo jeito. As pessoas se divertiam dançando, comendo, bebendo, brincando.
   - Ei, olha sua mãe. - Dan parecia super irritado no colo de Dani, não por estar com ela, mas sim porque sua mãe estava desaparecida! - Ele está bravo. - Comentou o entregando para Demi.
   - Porque o anjinho da mamãe está bravo? - Dan fixou os olhos marejados aos dela, e em questão de segundos Demi o viu relaxar-se em seus braços mostrando seus dentinhos que estavam nascendo com o mais belo sorriso quando ela o beijou. - Tem alguém que está com muita fome. - Brincou correndo os dedos pela barriga dele, e o bebê riu.
   - Mama. - Disse completamente feliz por ela está com ele.
   - Vamos, fala para o papai ir lá na cozinha da sua casa e preparar uma bela mamadeira para você meu amor. - Demi beijou a bochecha de Dan e sorriu para Joe. - Vamos Joseph. - Disse impaciente e ele revirou os olhos.
   - Você é chata. - Joe curvou-se e beijou os lábios dela antes de sair pisando duro.
   - Onde está a Selena, Miley e a mamãe com a Anne? – Demi franziu o cenho ao não encontra-las na mesa, estava apenas Eddie, Denise e Paul, já que Kevin e Dani acabaram de sair.
   - Miley está na mesa de guloseimas, Selena sumiu com o namorado e sua mãe está correndo atrás de Anne. – Demi arqueou as sobrancelhas e riu ao ver a mãe tentando tirar a pequena Anne do pula pula. Anne com dois anos e três meses era uma pimenta. Corria, corria e corria. A menina não para quieta. Adorava brincar, e o maior medo da mãe: Anne era simpática demais, fazia amizade com todos e conversava com estranhos.
   - Demi? Meu Deus, isto é muito gostoso. – Demi arregalou os olhos ao vê-la. Alta e esguia, loira e enormes olhos azuis. A barriga de três meses já começara a aparecer. Miley esboçou um sorriso ao aproximar-se, acariciou os cabelos do pequeno Daniel que estava aninhado ao colo da mãe emburrado.
   - Já sei, é culpa no bebê. – Demi acariciou a barriga de Miley e ficou a fitá-la. Miley estava tão linda, os cabelos curtos e loiros batiam na altura do ombro, as feições alegres.
   - Acertou. Ultimamente ele tem me feito comer absurdos. - Demi lembrou-se da gravidez de Dan. Não fora nada fácil, tudo que ela comia voltava, perdera peso. Entretanto, no final do sétimo mês, começo do oitavo mês, Demi finalmente tinha ganhado o peso normal de uma mulher grávida saudável. - O que a sua cria tem? - Miley franziu o cenho ao ver o pequeno Daniel levar a mão até o seio da mãe.
   - Está faminto. - Demi murmurou afastando as pequenas mãozinhas de seu seio. - Joe foi preparar uma mamadeira para ele, não posso amamentá-lo agora. - O coração partiu ao fitar os olhos verdes marejados, curvou-se e beijou a testa dele demoradamente. - Não quero que você fique chateado com a mamãe. - Os olhos dela estavam fixos aos dele. Era incrível como Demi tinha efeito sobre o pequeno, depois de um beijo na testa, e de sustentar o olhar dele, Dan aninhou-se a ela e sorriu. Aquele sorriso que ele só esboçava para ela.
   - Ele não parece mais bravo. - Miley sorriu os observando. Demi tinha um brilho nos  olhos que era encantador, era como se encontrasse a paz e o amor. Miley a admirava. - Lá vem Joseph, Selena e Ian. - Murmurou um tanto desinteressada.
   - O que foi? - Demi perguntou completamente preocupada ao ver os três pálidos.
   - Nada. - Selena apressou-se em dizer enquanto pegava a bolsa de mão e sentava-se na cadeira ao lado de Ian.
   - Estavam no nosso sofá. - Sussurrou quando curvou-se para entregar a mamadeira exagerada. - Transando. - Sussurrou nos lábios dela. O que aconteceria se eles fossem pegos como Selena e Ian tinham sido? Ainda mais na despensa em plena festa. Só de pensar Demi começara a perder cor. Céus! Ela não iria sair de casa pelo resto da vida.
   - Deus. - Murmurou olhando para Joe com os olhos arregalados. - Depois conversamos. - Demi sorriu timidamente tentando disfarçar enquanto alimentava o pequeno, que por sinal estava muito satisfeito com a mamadeira preparada pelo pai. Ele sugava avidamente enquanto era aquecido nos braços da mãe.
   - Posso tirar uma foto? - Demi e Joe olharam para trás e surpreenderam-se ao ver Nicholas sorrindo timidamente para eles. Joe aproximou-se de Demi e Dan, e Nick murmurou um "Pronto" depois que tirara a foto. -  Amor. - Chamou-a observando-a por trás da lente. - Anjo, olhe aqui. - Todos sorriram felizes por Miley e Nick. Miley olhou para ele e sorriu. - Amo você. - Demi sorriu incrivelmente feliz por Miley, Nick e o bebê. Depois daquela tensão para saber se Nick iria ou não gostar da gravidez, tudo estava perfeitamente bem entre eles. Demi ficara aliviada.
   - Você não acha que está na hora do parabéns? - Joe arrastou uma cadeira e sentou-se ao lado de Demi. - Ele está cansado, dormiu pouco à tarde. - Disse enquanto brincava com os sapatinhos do pequeno.
   - Eu estava pensando nisso. - Entrelaçou os dedos aos dele. - Mas não está cedo? - Demi olhou a sua volta. Depois do parabéns as pessoas costumavam ir embora.. E Dan poderia dormir.
   - Dez e meia. - Aquele era o melhor presente de todos. Joe não vivia sem o relógio que Demi o presenteara no aniversário de um ano de casados. - Está tarde amor. - Disse olhando para o pequeno que estava quase terminando a mamadeira.
   - Deixe-o terminar com a mamadeira. - Os olhos arregalaram-se quando três crianças, incluindo sua adorável irmãzinha, passaram correndo e gritando animadamente. Mais tarde, quando a única velinha branca estava acessa, Demi chorara como um bebê segurando Daniel enquanto todos cantavam parabéns. Joe a abraçava de lado e cantava animadamente. Demi curvou com Dan, que não parava de sorrir, e soprou a velinha.
   - Parabéns! - Demi o abraçou ternamente e sorriu para o bebê. Céus! Olhou pro bolo e depois para o pequeno. Dan estava com suas mãozinhas sujas de bolo e sorria todo feliz.
   - Oh. - Joe a abraçou de lado rindo do pequeno. - Enfiou a mão na massa filho. - Demi revirou os olhos. - Feliz aniversário. - A risada de Dan era música para seus ouvidos, ele adorava quando Joe o beijava, a barba fazia cócegas e ele ria gostosamente.

...

   - O que foi? - Demi arregalou os olhos assustada quando sentiu os dedos de Joe acariciar seu rosto. Estava perdida no tempo pensando em tantas coisas enquanto assistia as poucas pessoas se divertir na pista de dança, estava tarde.
   - Nada. - Forçou um sorriso e o observou sentar-se ao seu lado.
   - Venha. - Joe a puxou para o colo. - Como foi o seu dia? - Joe enlaçou a cintura de Demi com os braços enquanto ela repousava a cabeça em seu peito.
   - Cansativo. - Murmurou já de olhos fechados.
   - Entendo. - Tinha sido um dia cansativo e longo demais tanto que Dan já estava dormindo nos braços de Kevin. - Você comeu do bolo? - Perguntou tentando animá-la.
   - Não. - Joe suspirou fundo e a abraçou com mais força.
   - O que você comeu hoje? - Perguntou com certo receio. Às vezes Demi era como uma criança teimosa e birrenta difícil de domar, principalmente quando o assunto era comida.
   - Só o meu almoço. - Demi encolheu-se nos braços de Joe aspirando o perfume dele. Era tão bom está confortada em seus braços.
   - Demetria! - Repreendeu-a. - Venha. - Joe levantou-se rapidamente a fazendo murmurar um palavrão. - Sente-se aqui. - Demi o observou conversar com o garçom logo caminhado em direção a mesa do bolo enquanto o garçom caminha ao lado oposto totalmente impaciente. Minutos depois Joe aproximou-se dela com um prato repleto de bolo e doces.
   - Joe. - Demi arregalou os olhos quando Joe levou a colher de plástico cheia de bolo até sua boca. - Eu não sou uma criança. - Murmurou irritada.
   - Então não se comporte como uma. - Joe aproveitou que Demi estava com os lábios entreabertos e obrigou-a a comer. - Vamos, você tem que se alimentar. - Disse sustentando o olhar ameaçador dela.
   - Eu faço isso sozinha. - Demi revirou os olhos e começou a comer contra vontade. - Está gostoso. - Disse entredentes. Mas deveria admitir, amava bolo de chocolate.
   - Obrigado. - Demi olhou rapidamente para o garçom e para Joe. - Mandei preparar suco de laranja para a Sra. Demetria. - Demi bebericou o suco e sorriu para ele.
   - Demi! - Sentia-se idiota por se privar de coisas tão simples, aquele bolo estava fantástico.
   - Prefiro Demetria. - Joe alcançou um guardanapo e limpou-lhes o canto da boca.
   - Quero comer alguma coisa salgada. - Joe curvou-se e beijou-lhes os lábios completamente orgulhoso.
   - Vou providenciar. - Era tão satisfatório vê-la comer, mesmo que fosse em colheradas tímidas e receosas. - Foi tão ruim? - Sorriu divertido quando ela finalmente terminou.
   - Claro que não. - Demi curvou-se e o beijou. - Obrigado. - Sussurrou nos lábios dele.
   - Fico feliz. - Joe a segurou no colo e beijou-lhes os lábios mais uma vez. - Hum. Nós temos platéia. - Demi olhou sobre os ombros de Joe ao seu redor. Será que alguém presenciou a quase discussão sobre comida? Pensou intrigada. Deitou a cabeça no ombro de Joe e ficou a brincar com seus lábios no pescoço dele.
   - Nós estávamos a procurar de vocês. - Demi estava quase cochilando quando escutou a voz grave. Wilmer. - Já estamos indo. - Wilmer sorriu quando Demi levantou-se seguindo de Joe.
   - Nós ficamos felizes que tenha vindo. - Ofereceu-lhes um dos seus lindos e verdadeiros sorrisos. Wilmer era um bom amigo. - Espero que tenha se divertido. - Demi sorriu involuntariamente quando Joe envolveu sua cintura com os braços.
   - Onde está o pequeno Daniel? - Perguntou Wilmer o procurando com os olhos.
   - Ele acabou dormindo nos braços de Kevin. - Discretamente Joe apertou Demetria contra seu corpo. Aquela tensão feminina era fatal. Mulheres! Demi fitava Ashley de cima a baixo com os olhos assustadoramente ameaçadores, assim como Ashley a fitava com desprezo. Morena ou loira?
   - Ashley, nem reparei que estava ai. - Joe arregalou os olhos e a apertou com força. - Joseph. - Demi sorriu educadamente completamente incomodada por não conseguir respirar.
   - Azar o seu. - Murmurou impaciente. - Já você reparei de longe. Também, este vestido não realça suas partes... menores? - Demi semicerrou os olhos e respirou fundo enquanto Wilmer envolvia a cintura de Ashley impedindo-a de avançar.
   - Garotas, acalmem-se. - Wilmer olhou para Joe sem saber o que fazer. - Ashley, vamos. - Contra vontade, Ashley dava cada passou fuzilando Demetria.
   - É melhor você me soltar. - Joe a abraçou com mais força assustado com o que acabara de acontecer. - Solte-me Joseph! - Disse completamente irritada.
   - Prometa que não vai fazer nada. - Demi assentiu e aos poucos ele foi a soltando. - Demi! - Joe a gritou assim que a própria saiu correndo com seus sapatos de saltos perfeitamente.
   - Srta. Lovato! - Um dos seguranças tentava a segurar completamente sem jeito enquanto Demi partia para cima de Ashley pressa nos braços de Wilmer.
   - Você passou dos limites. - Gritou dando-lhes um tapa. - Solte-me Joseph! - Demi foi bruscamente puxada contra o corpo dele. Pelo menos as marcas de suas unhas estavam no rosto de Ashley. - Você acha que pode me ofender e sair ilesa? E o meu marido? Acha que pode jogar-se para cima dele? - Demi esforçou-se o máximo e acertou o rosto de Ashley com um tapa.
   - E quem você acha que é querida? Não passa de uma vadia drogada e imunda. - Joe envolveu Demi firmemente com os braços impedindo-a de atacar. - E o seu marido? - Gargalhou gostosamente. Demi tinha o coração acelerado e os olhos marejados. Doía mais que um tapa. - Ele adora ir para cama comigo.
   - Wilmer, tire-a daqui. - Os punhos estavam cerrados e ele só não a agredia porque não era um covarde. - Vem cá. - Joe a puxou antes que Demi pudesse fugir para algum canto daquela casa. Dera graças a Deus que ninguém tinha presenciado aquele pequeno show.
   - Joe. - Demi murmurou indefesa.
   - Não. - Envolveu a cintura de sua garota com os braços abraçando-a carinhosamente. - Não chore anjo. - Sussurrou. A voz calma só a fez desabar em lágrimas. O apertou com força e chorou. - Minha menininha linda, não chore. - Sentir os lábios deles nos seus era tudo que ela precisava. Sentia que tudo iria ficar bem se ele estivesse com ela. O coração acelerado pela adrenalina e pelo amor. Envolveu o pescoço de Joe com os braços e permitiu que ele aprofundasse o beijo imprensando-a contra a parede.
   - Joseph. - Separaram-se rapidamente, ofegantes e rosados. - Jovens! - Denise revirou os olhos e saiu pisando duro.
   - Você está bem? - Perguntou abraçando-a novamente.
   - Estou. - Murmurou agora voltando a realidade. Ah! Mais um de seus sonhos tinha sido realizado, e por mais que a palma de sua mão estivesse doendo, não se arrependia de nada.
   - Olhe pra mim. - Joe fitou os grandes olhos amarronzados. - Não vale a pena. Ela faz para implicar. - Disse calmamente acariciando o rosto de sua amada.
   - Eu sei, é que. - Hesitou em dizer. - Perdi o controle. - Sussurrou cabisbaixo.
   - Entendo. - Joe ergueu o rosto e plantou um beijo carinhoso em seus lábios. - Todos nós perdemos às vezes meu bebê. - Demi murmurou manhosa quando ele a envolveu com os braços em um abraço de urso. - Deixe-me ver esta maquiagem. - Demi revirou os olhos enquanto ele a limpava. Perder o controle não tinha sido tão ruim...
   - Nós podemos dançar? - Sorriu timidamente enquanto ele a puxava pela mão.
   - Você quer dançar? - Joe parou e olhou-a surpreso.
   - Sim, e com você. - Limitou-se a sorrir. - Uma música da minha banda preferida. - Joe arqueou as sobrancelhas fixou os olhos aos dela. - Fly with me. - Os olhos arregalaram-se e um sorriso radiante surgiu nos lábios dele.
Caminharam de mãos dadas sobre os tantos olhares curiosos. Demi com seu pequeno sorriso tímido nos lábios, e Joe radiante, e aliviado por tudo ter voltado ao normal em um piscar de olhos. Deixou-a na pista e caminhou em passos largos até o DJ. Quando voltou, encontrou-a totalmente deslocada e envergonhada. Sorriu e a envolveu com os braços. Estavam meios fora do ritmo da dança, mas sorriam enquanto seus corpos colados moviam-se lentamente enquanto sussurravam os versos da música.
- If it's you and me forever. - Arrepiou-se completamente, a voz rouca sussurrando em seu ouvido. - If it's you and me right now. - Demi sorriu e o beijou.
- I'd be alright. - Sorriu tão apaixonado ao escutá-la cantar. - Be alrig.. - Joe a calou com um beijo faminto. Oh Demetria! Ela o deixara cada vez mais surpreso. Uma hora agia como uma criança emburrada e noutra como uma boba apaixonada.
- Fly. - Riram e se abraçaram calorosamente já que tinham perdido boa parte da música trocando beijos. Joe estava tão feliz por vê-la sorrir e divertir-se com ele. Não queria imaginar o que iria acontecer se tivesse a deixado fugir de seus braços. - Fly with me.

Continua... Oi! Espero que gostem deste capítulo doido. Acho que ficou legal, pelo menos a Demi deu umas palmadas na Ashley. Bem, até o próximo capítulo anjos.
ps: A leitora Beatriz Mascarenhas perguntou em qual cidade da Bahia eu morava. Eu moro em vitória da conquista :) Beijos!!

9 comentários:

  1. Mordida
    Matada
    E falecida
    Adorei o capítulo
    Adoro quando a Ash apanha
    Safada mexendo com o homem alheio rum
    Beijos Amandinha

    ResponderExcluir
  2. Amanda vc divou muito nesse capitulo!!! ele esta perfeito, essa fic esta perfeita, divando a cada capitulo, sério <3
    Dan um amor como sempre, queria que ele já andasse mas vou ter que esperar né? :/
    Joe e Demi dois safados não podiam nem esperar acabar a festa para fazerem a festinha particular deles?? #Adoro!!!
    já quero outra festinha particular depois que a festa acabar kkkkkk
    o que foi essa briga da Demi com a Ashley??? pqp eu AMEEEI!! esperei isso a fic toda kkkkk Joe não era pra ter segurado Demi era pra ter deixado ela quebrar a cara daquela vadia da Ashley, mas ok, pelo menos Demi saiu ganhando. :)
    ps. só eu que percebi que Joe guardou a calcinha de Demi no bolso e não devolveu a ela?? (me ignorem se eu estiver errada kkkkk) eu pensei até que quando Demi estava brigando com Ashley sei lá, iriam ver até o útero dela já que ela estava sem calcinha né?? kkkkkkkkkkk
    Joe um pai bem prendado, fazendo a mamadeira de Dan *----*
    Selena safada transando no sofá da casa dos outros!!!!
    POSTA LOGO!! ESTA PERFEITO E POR FAVOR POSTA DA MINI-FIC :))
    BEIJOS <3

    ps. mds eu falo demais kkkkk

    ResponderExcluir
  3. Se eu fosse o Joe quando a vaca da Ashley chamou a Dems de drogada eu tinha soltado ela pra acabar com ela, essa ashley é uma vagabunda mesmo cara. Nossa que ódio dela.
    Jemi safadinhos na dispensa huuumm...
    Quero mais por favor
    Fabíola Barboza

    ResponderExcluir
  4. O cap está perfeito!! Eu amei!! Os tapas que a Demi deu na Ashley foram merecidos!! Eu achei muito bem dados!!!
    O Dan é lindo!! Bebê mais fofo do mundo!! Posta mais, por favor!! Amo a sua fic!! Ela é perfeita!! Bju!!

    ResponderExcluir
  5. Mdss q perfeito eu ameei <33
    Joe seu safado,na dispensa gente *-*
    Awnn Dan mds q lindo eu quero esse menini pr mim,Miley chamando o Dan de cria magina quando ela tiver ganhando beve: NICK A NOSSA CRIA TA NASCENDO kkkkk
    AHHH ADOREEI,ISSO MSM ARRASOU SEU UNS TAPAS NELA,ESTOU DIGITANDO COM OS PES E APLAUDINDO COM AS MAOS,DEMI BATEU NELA E EU TO : KLKJLJKSLMEYS,ISSO MSM GUARDA O Q E TEU E MOSTRA Q SE MECHER COM SEU HOMI A PORRADA COMI
    Eu ameei mds *-* bem feit pra ashley mecheu com.o homi dela e ainda falou da Dem ameei
    Se deve ter reparado q nao comentei nos capitulos anteriores das fics,mil desculpas por isso :( e q se save como e ficar com a net ruim,eu sempre leio pelo celular e na hora de comentar ssaporra nao pega,fica caindo e u fico puta pq nao posso comentar,hj consegui,mil desculpas
    Posta Logo
    Xoxo

    ResponderExcluir
  6. Caraca que capitulo mais ....... Bipolar
    kkkkkkkkkk
    amei amei amei
    adorei o barraco
    e o final mais lindo de todos
    posta logo

    ResponderExcluir
  7. perfeito u.u
    adorei divaa
    posta logoo
    beijos

    ResponderExcluir
  8. Estou sem palavras sobre esse capítulo, ele está simplesmente divo, perfeito e por ai vai.
    Dan é o bebê mais fofo que existe, mas também, ele é filho da Dems.
    Joe safadinho, nem teve a decência de esperar a festa de 1 ano do filho acabar.
    Miley sempre é doida e divertida, o filho ( a) vai ser muito danadinho(a)
    E por último, mas não menos importante, temos o tapa.
    Ele foi muito merecido, como aquela cadela teve a coragem de chamar a Dems de drogada, se fosse eu matava u.u
    Tava esperando esse capítulo a séculos e só tenho uma coisa para dizer a Ashley: só aceita, a Dems ganha de 1 mol a zero de vc querida.

    Obs. A gente mora perto kkkk


    Beijos
    Posta logo

    ResponderExcluir