28.6.16

Capítulo 17

Nova York era mesmo linda e tão apaixonante. Pela manhã o céu estava livre das nuvens escuras carregadas de chuva como tinha sido no início da semana, e como era de se esperar o sol brilhava no céu naquela manhã irradiando os seus raios luminosos por toda cidade. Os arranha-céus eram tão lindos e vistosos, eles davam a impressão de uma cidade futurística com todas aquelas enormes espécies de tevê passando inúmeras propagandas. Virando uma esquina ou outra, Joseph ainda fantasiado com a Time Square sorriu ao chegar ao GE Building, aquele lugar era simplesmente lindo e muitas pessoas falavam a respeito do maior observatório de Nova York. Diziam que dali de cima dava para ver a cidade de ponta a ponta. Sorrindo um pouco sem jeito, o rapaz pensou que ele poderia convidar Demi a visitar o observatório com ele, principalmente numa noite de céu estrelado. Seria fantástico mostrar a ela a constelação de Orion onde as suas três estrelas favoritas estavam localizadas. Caminhando mais um pouquinho o nervoso consumiu o rapaz, ele arrumou a camisa branca de botões ao corpo e respirou fundo pelo menos por três vezes. Lá estava o prédio onde Demi morava logo atrás do GE Building. Como a Gyllenhaal não funcionaria naquela manhã por conta das investigações da polícia a procura de provas do assassino de Jason Gyllenhaal, Joseph e Demi ficaram de procurar por um apartamento para o rapaz alugar. Ora, morar num hotel não era nada agradável, sem contar que pagar a diária era uma facada atrás da outra!

Um tanto atrapalhado Joseph se aproximou da bancada onde ficava o recepcionista e quando pediu para avisar que ele subiria ao apartamento quarenta e três do vigésimo quinto andar, o homem avisou que Demi já o esperava. Oh Deus! Só de pensar que ele a veria Joseph sorriu adentrando o elevador.

   - Espere! - A senhora carregando inúmeras sacolas impediu que a porta do elevador se fechasse já que os sensores detectaram matéria entre as portas. Joseph não soube como agir, mas preferiu dar um simples e tímido bom dia concentrando-se em fitar as próprias mãos torcendo para que o elevador chegasse logo ao andar de Demi. E quando chegou.. Deus! A mulher mais velha pediu para que ele a ajudasse com as sacolas e ele o fez, carregou-as até o apartamento que ficava no fim do corredor e em troca ganhou um animado obrigado. A mulher o lembrou da avó Clara que uma hora daquela já deveria ter colocado toda a fazenda no eixo.

   - Ela é uma boa vizinha, uma vez me trouxe um pedaço de torta. – Joseph sorriu tão sem jeito quando se virou e encontrou Demi o olhando com tanta admiração. Ah! Ela era tão linda! Ele adorava como ela ficava bonita e sexy vestida com camisas de botões, camisas xadrez, saias de secretárias e calças jeans coladas. Mas a mulher ficava simplesmente linda vestindo camisas de super heróis, shorts, sardas à mostra e o cabelo estava preso num coque casual. Ele nunca tinha visto uma mulher mais linda que aquela.

   - Ela me lembrou a minha avó. – Disse o rapaz tímido e sem conseguir olhar para Demi. Ele queria poder abraçá-la e beijá-la na boca com muita paixão. – Com licença. – Demi riu de toda aquela postura de Joseph. Ele era tão tímido e educado todo o tempo.

   - Fique a vontade, você já é de casa. – Ela disse fechando a porta e logo quando se virou sorriu de orelha a orelha ao ver Joe agachado e brincando com a pequena Lucy, a cadelinha de pelos marrons e olhos cor de mel que eles tinham adotado. – Ela estava morrendo de saudades. – Disse Demi se juntando ao rapaz.

   - Eu também senti muito a falta dela. – Joseph encheu a pequena de carinhos e a aninhou nos braços recebendo inúmeras lambidas e o rabinho que não parava de mexer fazia cócegas em seus braços. – Você precisa de alguma coisa? Ainda tem ração? – Joe perguntou a Demi a seguindo em direção à cozinha com Lucy nos braços.

   - Está tudo bem, Joe. – Disse Demi sorrindo ao vê-lo todo preocupado. – Estou cuidando da Lucy, não é menina? – Demi se curvou e a encheu de beijinhos ainda nos braços de Joe que estava com tanta vontade de puxar Demi para os braços e beijá-la. – Eu vou sentir falta dela, você não deveria levá-la. – Disse Demi com um biquinho tão fofo o olhando.

   - Você pode visitá-la. – Disse Joe esboçando um sorriso de conforto a Demi que revirou os olhos e mostrou língua para ele claramente brincando.

   - Não será a mesma coisa. – Murmurou manhosa e o coração de Joe acelerou quando Demi se curvou novamente em seus braços para mimar a pequena que se animou toda retribuindo o carinho com lambidas. – Com quem eu vou dormir abraçadinha? – Demi pegou a pequena dos braços de Joe e quase a esmagou em seus braços de tanto carinho. – Você é tão linda! – Feliz com todo o carinho que recebia a pequenina latiu e abanou o rabo quando Demi a ergueu pelo corpinho para olhá-la. Os pelos de Lucy eram marrons como terra molhada e tinham um brilho cor de mel e eram ondulados. Os olhinhos tão inocentes e cor de mel sempre sorriam quando ela recebia carinho de Joe ou de Demi. – Ela deveria ficar comigo. – Resmungou para Joe que riu de toda a manha que Demi fazia.

   - Hum.. Ela pode ser nossa, o que você acha? – Perguntou o rapaz e Demi assentiu adorando a ideia. – Um dia ela fica com você e outro dia comigo, só assim a gente não vai sentir falta da Lucy.

   - Acho que ela ficaria confusa. Seria tão bom se tivesse um apartamento disponível aqui no prédio. – As bochechas de Joseph coraram, mas ele assentiu cabisbaixo. Seria simplesmente incrível se ele morasse no mesmo prédio que Demi, porém no fundo o rapaz tinha medo de onde aquela paixão avassaladora que ele nutria por Demi o levaria até porque Demi estava com Jake.

   - Nós vamos encontrar uma solução. – Disse o rapaz e o silêncio prevaleceu por algum tempo na cozinha até que Demi se sentou à mesa assim como Joe.

   - Comprei pão integral e leite desnatado. Você gosta? – Demi colocou a pequena Lucy no chão e focou toda a sua atenção num Joseph corado e completamente surpreso. – Tenho queijo também. É de um tipo que você pode comer. – Demi sorriu um tanto envergonhada e antes de buscar pelo queijo na geladeira lavou as mãos. – É que toda vez que você vem aqui só tenho frutas e pipoca sem sal para oferecer. – Joseph riu assim como ela, porém quando as risadas cessaram o silêncio voltou para perturbá-los.

   - Obrigado por.. por comprar pão integral e queijo. – O rapaz disse olhando para os olhos de Demi quebrando silêncio entre eles. – Por me ajudar na empresa, por me ajudar com o apartamento e a me enturmar com o pessoal. – Disse sem desviar o olhar do dela e Demi sorriu cabisbaixa. – Isso é muito importante para mim. – Joe não esperava que uma pessoa como Demi entrasse em sua vida. Ela era tão boa, tinha o coração tão grande e gostava de verdade de quem ele era, Joe podia sentir que ela gostava. A forma como Demi o tratava com tanto carinho, toda a paciência que ela tinha com ele mesmo quando a timidez o tomava e ele ficava todo nervoso gaguejando. E na empresa? Demi o apresentou aos poucos aos colegas de trabalho e ele estava começando a se enturmar com o pessoal, principalmente com Ed que era um bom amigo. E agora Demi lhe ajudaria a procurar um apartamento para morar e estava cuidando da sua pequenina enquanto ele morava num hotel.

   - Não agradeça. – Disse Demi cobrindo a mão dele com a dela. – Joseph, eu jamais vou ser grata o suficiente por você ter me salvado daquele homem. – Ela disse o olhando nos olhos. – Ele iria ferir a minha alma como o homem que me gerou fez com a minha mãe, mas você foi tão corajoso e não deixou que.. Jamais serei grata o suficiente e.. – Demi desviou o olhar do de Joseph para que ela não desabasse em choro. Era tão doloroso pensar que ela veio ao mundo por conta de um ato tão cruel. – Mas eu não sou sua amiga só porque você me salvou. – Disse voltando a olhá-lo nos olhos. – Eu apenas gosto muito de você, do seu jeito tímido e fofo. Você é incrível Joe, e você precisa enxergar isso. – Joseph sorriu enlaçando os dedos mais aos de Demi.

   - Eu também gosto muito de você Demi. – O que eram aqueles impulsos que aconteciam com ela? Demi sorriu e se curvou para conseguir alcançar os lábios de Joseph com os seus. Então ela o beijou deliciando-se do gosto suave da boca dele gostando cada vez mais daquele beijo calmo e suave que ao mesmo tempo transmitia tantas sensações diferentes. Toda vez que o beijava Demi sentia um sentimento avassalador crescer aos poucos em seu interior até tomá-la por completo.

Mesmo confusa com o que sentia por Joe, Demi se levantou sem partir o beijo e não hesitou com a ideia de se sentar no colo de Joseph para continuar a beijá-lo como o coração pedia que ela fizesse. Já o rapaz estava surpreso, mas não aguentava mais esperar para que Demi o beijasse como ela sempre fazia. Era tão bom! Joe a abraçou contra o corpo adentrando os cabelos da nuca dela com os dedos e permitiu que Demi aprofundasse mais o beijo tocando a língua dele com a dela.

Estavam tão sedentos um pelo outro que tentavam se fundir através daquele abraço apertado e do beijo avassalador que trocaram, Demi chegou a gemer nos lábios do rapaz apenas por sentir as mãos de Joseph em sua cintura a segurando com firmeza. Era demais para ela. Aquele homem era incrível e tão lindo. Ela o tocou como sempre quis apertando os músculos dos braços fortes de Joe completamente excitada por estar com o corpo colado no dele, espalmou o peito e dali mesmo subiu as mãos para os cabelos da nuca do rapaz os puxando até que ela ouviu o suspiro de Joe.

Por mais que Joe já tinha recebido alguns beijos de Demi, ainda era um pouco estranho e ele não sabia ao certo como aquilo funcionava, mas tentava corresponder aos carinhos que recebia com toda a paixão que nutria por aquela linda mulher e o instinto o guiava na maioria das vezes, tanto que Joe a apertou mais contra ele e espalmou as mãos nas costas de Demi e as repousou a cada lado da cintura a apertando ali. Demi estava o matando aos pouquinhos, aquele calor estranho estava tomando conta de todo o corpo de Joe que se sentia desesperado para trocar mais beijos com ela. Joe queria fazer tantas coisas com aquela mulher, coisa que nem ele mesmo sabia, mas que pareciam tão tentadoras. Porém Joe era inocente e tímido demais para pensar em coisas que ultrapassassem os beijos que ele poderia trocar com Demi. Uma coisa era certa: ele só queria estar com ela e que tudo acontecesse com ela.

Demi deixou um gemido escapar sentindo os carinhos que Joe fazia em seu corpo apenas com as mãos. Ela simplesmente adorava o jeito que ele a segurava toda vez que eles se beijavam. Joe era tão protetor e o fato dele ser tímido a excitava de uma forma absurda!  Segundos depois Demi partiu o beijo um tanto atordoada e confusa. O que ela estava fazendo com aquele rapaz? Demi umedeceu o lábio inferior e fitou os olhos de Joseph sem saber ao certo o que deveria dizer a ele. Ela deveria? Deus! Ela estava sentada no colo dele e o atacava como uma selvagem faminta..

   - Demi.. – Joe resolveu quebrar o silêncio entre eles levando a mão ao rosto dela. – Você é tão linda. – A voz soou tão baixa e tímida, mas ele finalmente foi corajoso o suficiente para dizer aquelas palavras a ela. – E.. e eu gosto muito de quando você me beija. – Por mais que ele se sentia a vontade com Demi e a timidez dificilmente o atacava quando eles estavam juntos, Joseph corou. E foi tão fofo que Demi sorriu de orelha a orelha acariciando o rosto do rapaz com as mãos mesmo estando completamente nervosa.

   - Joseph. – Demi o chamou alguns segundos mais tarde e Joe a olhou com aqueles olhos verdes e intensos embaralhando todos os seus pensamentos. Como um homem poderia ser tão bonito como Joe era? Demi franziu o cenho ainda sentindo as mãos deles a segurando pela cintura com tanta firmeza. – Eu.. Eu não deveria te beijar. – Joseph engoliu em seco sentindo o coração se quebrar em milhares de pedaços. Ele estava completamente apaixonado por ela, nenhuma mulher nunca conseguiu penetrar as suas barreiras como Demi havia feito.

   - É o Jake, não é? – Perguntou com o resto de coragem que ainda tinha e Demi se levantou do colo do rapaz tão atordoada e confusa.

   - Desculpe por te colocar nessa situação. – Disse nervosa. – Eu e o Jake estamos.. nós não estamos namorando.. mas de alguma forma eu estou com ele, entende? – Demi umedeceu os lábios e se sentiu como a pior pessoa do mundo ao olhar para Joe e encontrá-lo cabisbaixo sem aquele sorriso tímido mais lindo do mundo. – Não quero enganá-lo e nem te enganar. Desculpe Joseph, eu não queria estragar a nossa amizade, mas.. – Joe a olhou e pensou em enchê-la de perguntas, mas ele não queria brigar com Demi, não queria que ela ficasse chateada por culpa dele.

   - Sempre vou estar aqui. – Ele disse e o coração de Demi derreteu ao olhá-lo. Ela estava tão enganada quando disse a Selena que Joseph era apenas um garoto. – Está tudo bem, ok? – Demi sorriu ao vê-lo sorrir e como sempre ela seguiu o impulso de abraçá-lo.

    - Acho que a gente pode se abraçar. – Demi não queria soltá-lo porque ela simplesmente adorava ter os braços de Joe a rodeando e sentir o cheiro limpo e do leve perfume masculino que ele usava. Parecia tão certo estar nos braços de Joe, era como encontrar a paz e todo o amor que Demi sempre procurou desde que era apenas uma criança. – Amigos? – Ela disse estendendo a mão para que ele pudesse apertar e Joe a apertou a olhando nos olhos daquela forma que a deixava de pernas bambas.

   - Amigos. – O sorriso dele foi a morte dela, Demi apertou a mão do rapaz sentindo o coração acelerar como se gritasse com ela: Você está indo pelo caminho errado! – Eu vou trocar de roupa, tudo bem? Fique a vontade, você já é de casa. – Joseph assentiu balançando a cabeça e então ele estava sozinho na cozinha com a pequena Lucy e o seu coração partido. Estava doendo. O rapaz suspirou e fechou os olhos relembrando cada beijo que ele recebeu de Demi e a forma que ela o olhou nos olhos assim que separava os lábios dos dele. Como ele conseguiria viver ao lado daquela mulher sem tocá-la? Sem beijá-la e mostrar a ela como ele estava apaixonado?

   - Amigos, pequena. – Disse a Lucy a pegando no colo e a pequena se aninhou em seu colo recebendo de bom grado o carinho que ele fazia no pelo marrom. Agora ele sabia como era estar apaixonado e doía a cada vez que a voz de Demi soava em sua mente dizendo que eles eram apenas amigos.

   - Estou pronta. – Não demorou vinte minutos e Demi surgiu na cozinha tão linda vestida com um típico vestido de verão que batia um pouco acima de seus joelhos. Joseph perdeu o fôlego, mas apenas engoliu em seco e se levantou com Lucy nos braços. – Seria bom se nós pudéssemos levá-la para dar uma volta. – Sugeriu Demi e o rapaz assentiu colocando a pequena no chão da sala de Demi.

   - Não temos uma guia, e eu não quero que você tenha problemas com o pessoal do prédio por minha culpa. – Disse vendo a pequenina brincar de rolar no tapete felpudo da sala de Demi.

   - Então outro dia a gente a leva para passear. – Demi fez um leve carinho em Lucy antes de sair do apartamento com Joe a sua cola. Ele estava mais calado que o normal depois do ocorrido da cozinha, e bem, se pudesse Demi voltaria atrás e o atacaria com mais beijos a palavras. Talvez ela o fizesse quando eles adentrassem o elevador.

   - Notícias da empresa? – Joe perguntou assim que adentraram o elevador. Ele estava em um intenso conflito interno pensando a respeito de Jake e o que ele tinha aprontado no dia passado com Selena. Mas não pareceu nem de longe certo queimar a fita de Jake apenas para que ele tivesse Demi em seus braços.

   - Bem.. – Demi agarrou mais a bolsa debaixo do braço e umedeceu os lábios. – O boato é que o FBI está à procura da gravação das câmeras de segurança do hall do escritório do Jason, mas elas simplesmente sumiram. Parece que o assassino invadiu o nosso sistema e copiou as informações mais importantes, apagou algumas gravações da nuvem e do sistema. – Joe franziu o cenho ao pensar na história. Deveria ser alguém muito bom para conseguir fazer tal coisa.

   - Roubar uma senha não é uma tarefa muito fácil, ainda mais de uma empresa. – Comentou o rapaz e Demi arqueou as sobrancelhas ao olhá-lo. – Ei.. Eu nunca fiz isso. – Disse e ela riu. – É tão estranho. Como o sistema não detectou um invasor? A Gyllenhaal é a maior empresa de tecnologia do mundo, não é possível. – Demi franziu o cenho pensando na questão. Joe tinha razão, a empresa tinha um sistema muito bem elaborado e não seria um hacker por melhor que ele era que conseguiria invadir tão facilmente uma rede monitorada e protegida como a deles.

   - Talvez ele não invadiu o sistema por outro computador.. – Disse pensando nos tantos episódios de séries criminais que já tinha assistido. – Talvez o assassino esteja dentro da empresa. Eram dois homens pelo o que a polícia conseguiu de algumas imagens do circuito. É tudo que nós sabemos, eu só queria que as coisas fossem diferentes para o Jason, ele não merecia morrer daquele jeito. – Joe a olhou e se sentiu tão triste apenas por Demi estar triste, e com muita coragem ele a envolveu num abraço apertado e a beijou na testa com todo o carinho e respeito que tinha por ela.

   - A polícia vai encontrar quem fez isso, ok? E eu sempre vou estar aqui com você para te ajudar e te proteger do que for preciso. – Ele era simplesmente especial. Demi se agarrou mais ao corpo de Joe se sentindo segura e completa e quando o elevador chegou ao térreo Demi segurou a mão de Joe enquanto eles caminhavam em silêncio para fora do prédio.

   - O que aconteceu com o Jason me assusta tanto. – Comentou sentindo os raios de sol aquecer sua pele clara. – É estranho trabalhar naquela empresa sabendo que o meu amigo morreu com um tiro na cabeça alguns andares acima do meu. Às vezes eu fico pensando nisso e não consigo dormir. O Jason nunca fez mal a ninguém, sabe? Ele era um homem bom e que ajudava as pessoas.

   - Alguma coisa aconteceu. Ninguém invadiria o sistema e o prédio sem a intenção de matá-lo. – Demi assentiu corada soltando a mão da de Joe. Malditas lojas cheias de espelhos! E o pior era que Selena tinha razão, eles formavam um casal bonito e bem.. Pelo reflexo do espelho realmente pareciam um casal andando pelas ruas de Manhattan de mãos dadas numa manhã bonita como aquela. – O Jake já trabalhava lá? – Joe perguntou um pouco sem jeito ao citar o nome do rapaz.

   - Não.. Na verdade ninguém sabia que o Jason tinha um neto. – Disse Demi olhando rapidamente para Joe. Por que estava sendo tão estranho falar sobre o Jake? – O Jason comentou comigo sobre o Jake na semana que ele morreu. Eu o conheci num pub na noite do dia dos pais.

   - Não é uma data fácil. – Comentou Joe pensando em Antônio e Demi assentiu sentindo o coração doer absurdamente ao pensar em como era o homem que a gerou.

   - Minha mãe me contou só agora. Depois de vinte e dois anos.. Não foi nada fácil, sempre sonhei em conhecer meu pai. – Joseph respirou fundo não gostando nada de como Demi parecia triste. – Pensei que nós poderíamos viver juntos como uma família, mas eu estava redondamente enganada. – Sem vergonha alguma Joe a abraçou de lado e forçou um sorriso para ela que apenas retribuiu o sorriso abraçando o rapaz da melhor forma que podia. – No dia que ela me contou era o dia dos pais, eu me senti como um lixo, fui para um pub e afundei na bebida. O Jake estava lá, ele me salvou de um idiota que queria me drogar e então nós.. nós dormimos juntos. – Demi não sabia ao certo o porquê de estar corada, e muito menos o porquê de estar contando para Joe que ela tinha dormido com Jake, mas de alguma forma ela sentia que Joe era um bom amigo e que nunca a julgaria. – Nós ficamos algumas vezes, então o Jason foi assassinado e eu descobri que o Jake era neto dele.

   - Ele te salvou? – Joe perguntou de cenho franzido e Demi revirou os olhos.

   - Você está andando muito com a Selena. Ela não suporta o Jake, eu não sei o que vocês viram de errado nele. – Demi riu quando Joe deu de ombros. Talvez ele deveria contar o que Jake aprontou com Selena e ele. – Bem, ele é muito sério, mas depois que você o conhece melhor ele é uma boa pessoa.

   - Estou começando a gostar dele só porque ele te salvou. – Demi sorriu um tanto sem jeito com a forma que Joe a olhou com aqueles lindos olhos verdes de tirar o fôlego e o juízo de qualquer mulher. – É horrível como alguns homens não respeitam as mulheres. Não consigo pensar em nada que justifique esse tipo de violência.

   - Eu também. – Demi agarrou-se mais ao abraço de Joe se sentindo tão protegida nos braços dele. – Eu odeio tudo isso, é tão confuso para mim, eu sou fruto dessa violência. – Joe franziu o cenho e esperou que eles chegassem ao outro lado da rua para poder olhar nos olhos de Demi como necessitava fazer.

   - Você é uma mulher incrível Demi, eu não sei nem da metade das coisas que você já passou, mas a partir de agora eu vou estar aqui para o que você precisar. – Joe retribuiu o abraço apertado de Demi adorando tê-la em seus braços.

   - Também vou estar aqui para você. – Os dois sorriam. Estavam perdidos um na beleza do outro. Joseph não conseguia fitar nada além dos olhos marrons de Demi assim como ela não conseguia pensar em toda a Nova York movimentada a sua volta. Não quando aqueles olhos verdes estavam a centímetros de distância dos seus. Era tão estranha aquela conexão. Demi só pensou nos lábios de Joseph contra os dela e foi o que aconteceu. O rapaz a segurou nos braços a trazendo contra o corpo e roçou os lábios nos dela de uma forma tão especial e mágica que nada mais importava. Era apenas ele e ela. Juntos. O beijo não durou, mas foi especial, tão especial que ambos estavam deslocados e sem saber o que tinha acabado de acontecer quando encostaram as testas e se olharam.

   - Eu..  – Joseph sorriu todo sem jeito, mas ele estava completamente feliz por Demi estar sorrindo para ele. Aquele era um bom sinal. – Bem.. – O rapaz corou e riu quando Demi arqueou as sobrancelhas. – O apartamento é.. é do outro lado da rua. – Ele não esperava por aquilo, não mesmo! Ela deu um selinho nos lábios dele e sorriu lindamente exclusivamente para ele. Será que era um sonho?

   - Você está me deixando sem graça. – Demi mordeu o lábio inferior e colocou uma mecha de cabelo atrás da orelha como sempre acontecia quando ela estava nervosa. – Você não precisa corar.. Não é a primeira vez que a gente.. – Demi riu um tanto nervosa, mas o olhou nos olhos sabendo que Joe estava fazendo um tremendo esforço para sustentar o olhar dela julgando pelo rosto corado dele. – Que a gente se beija. – Os dois se seguraram para não sorrir, mas sorriram de orelha a orelha. – Isso é meio louco porque eu e o Jake..

   - É, você e o Jake.. – O sorriso sumiu do rosto do rapaz, ele realmente não deveria se deixar levar pelo sorriso de Demi e pela forma que ela o beijava com tanta paixão. – Desculpe por te beijar. – Joseph apressou o passo e Demi estava sem saber o que fazer com a repentina mudança de humor do rapaz. Talvez ela merecesse mesmo um gelo de Joe, pois Demi sabia que não deveria despertar os sentimentos dele.. E beijá-lo não estava ajudando nada.

   - Joe! – Ela o chamou caminhando a passos largos em direção ao rapaz que já estava em pé em frente ao apartamento. – Eu não quero te magoar. – Disse assim que se aproximou.

   - Está tudo bem, ok? – O sorriso forçado dele não passou despercebido por Demi que preferiu ficar quieta enquanto eles adentravam o prédio. Por que ela tinha que estragar a amizade com Joe? Ele era um homem tão bom e completamente lindo, como as mulheres não conseguiam enxergá-lo? Demi o observou tímido conversar com o sindico do prédio com tanta educação. Ele ainda corava, porém não gaguejava como acontecia quando ela o conheceu. Era tão fofo e tão educado. Demi sorriu o olhando e o acompanhou para dentro do prédio junto com o sindico. – O que você acha? – A voz suave de Joe a despertou do transe e Demi observou a sala principal do apartamento. O lugar era um pouco menor que o apartamento de Demi, as paredes eram brancas e a luz que adentrava as janelas iluminava completamente o local.

   - Ótimo. Tem quantos cômodos? – Demi perguntou a Joe.

   - A maioria dos nossos inquilinos são casais. Temos uma suíte com closet, uma sala, um banheiro, uma cozinha e uma área de serviço. O apartamento é um pouco pequeno, mas é ideal para casais. – As bochechas de Demi coraram bruscamente assim como as de Joe.

   - Nós somos amigos. – Disse Joe um tanto sem jeito ao sindico que se desculpou os analisando de cenho franzido. Amigos.. Engraçado era que ela tinha dito aquelas palavras mais cedo e agora pareciam tão erradas. Demi seguiu Joe por todo apartamento sem deixar de olhá-lo observando como o rapaz era lindo a ponto de deixá-la desnorteada. Como ela iria sobreviver a ele? Demi assentiu quando Joe perguntou alguma coisa e suspirou quando ele voltou a conversar com o sindico sobre alguma coisa que envolvia animais no apartamento. Ah Deus! Que homem lindo, Demi mordeu o lábio inferior censurando os próprios pensamentos, mas o celular tocando na bolsa desviou toda a sua atenção de Joe.

Estou completamente louco de saudades de você. Por favor, diga que podemos nos encontrar hoje à noite no meu apartamento. Estou ansioso para escutar a sua risada e sentir o gosto dos seus lábios. Jake.

Demi engoliu em seco e não soube ao certo se deveria ou não responder a mensagem de Jake, mas preferiu não fazê-lo naquele momento. Ela se sentia péssima por ter beijado Joe ao mesmo tempo em que estava com Jake. Ela não era aquele tipo de mulher. Quando o celular vibrou novamente Demi choramingou de cenho franzido. Droga de consciência!

Onde diabos você se meteu Demetria? Estou na porta do seu prédio, você vai demorar?

Graças a Deus era Selena! Demi sorriu aliviada e agilmente enviou para Selena: Estou com o Joseph. Mas logo corrigiu a mensagem ao se lembrar de que Selena conseguia ser mil vezes mais pervertida que ela quando queria.

Nós estamos procurando um apartamento para ele alugar.

   - Eu acho que vou fechar contrato. – A voz de Joseph a assustou tanto que Demi chegou a levar a mão ao coração. – Está tudo bem? – O rapaz perguntou de cenho franzido e Demi assentiu guardando o celular na bolsa. – É permitido cães. Claro que a gente tem que seguir uma lista interminável de regras. E o lugar é bom, fica perto da empresa e do hospital. O que você acha? – Bem, era perto do apartamento dela. O que era melhor ainda.

   - É.. Nós podemos arrumar a decoração e comprar alguns moveis, esses são tão padrões. – Joe riu do comentário de Demi a imaginando toda suja de tinta ditando ordens por todo o apartamento enchendo as paredes brancas com cores vivas. Aliás, ela era uma designer e o apartamento dela era completamente decorado e confortável.

   - Uma coisa de cada vez. – Ele disse sorrindo ao fitar o rosto bonito dela. – A Lucy poderá ficar comigo. – Joseph riu da careta de Demi e desejou beijá-la, mas não o fez.

   - E comigo. Nós já conversamos sobre isso. – Demi cruzou os braços e Joe riu da careta dela. – O acordo é: um dia você fica com ela e no outro ela fica comigo. Nós vamos ser praticamente vizinhos.

   - E quando ela crescer? Nós não vamos conseguir escondê-la no bolso da sua jaqueta para sempre. – Droga, Joseph tinha razão! Sem contar que seria tão confuso para a pequena Lucy passar a noite em uma casa diferente. – Acho melhor você vim visitá-la todos os dias.

   - Acho que vou me mudar para cá. – Demi corou e engoliu em seco. – Digo, vou me mudar para esse prédio, deve ter um apartamento livre. – Ela disse toda sem jeito e Joe sorriu adorando a ideia.

   - É uma pena que eles só têm esse apartamento livre. Eu adoraria tê-la como vizinha. – Por que de repente ele parecia tão sedutor? Demi engoliu em seco e um pequeno gemido escapou por seus lábios quando seus pensamentos pervertidos afolharam em sua mente. Droga de homem lindo! Ainda bem que Joe não percebeu o comportamento anormal dela já que assinava os papeis que o sindico havia trago.

   - Está tudo limpo e o senhor já pode mudar. – Joe apertou a mão do sindico e sorriu completamente feliz observando o apartamento que era “dele”. Estava tudo dando certo, ele tinha um emprego, um cachorro e um apartamento. E bem, estava apaixonado por uma mulher completamente linda que já tinha o beijado tantas vezes. A vida de adulto até que estava sendo boa, claro, tirando o coração partido. Mas ele poderia conviver com aquela situação, ao menos Demi era sua amiga e gostava muito dele.

   - Estou muito feliz por você. – Ela jamais conseguiria domar todo aquele impulso de abraçar Joe, e foi o que ela fez, o envolveu num abraço caloroso e deu um beijo estalado na bochecha de Joe que sorriu para ela. – A gente vai poder fazer muitas coisas juntos, já disse que baixei a outra animação do Batman? A gente podia fazer uma maratona ou algo assim para comemorar. – Joe assentiu louco para beijá-la, mas não o fez se contentando com o fato de Demi ainda o abraçar. – Mas agora a gente tem que cuidar da sua mudança, acho que a Sel pode nos ajudar. – Demi esboçou um sorriso carregado de segundas intenções quando o celular começou a tocar e bem, era Selena. – Vou convencê-la, já volto. – Ela era tão espontânea e uma mistura louca de uma menina animada e uma mulher independente. Joe encostou o corpo na parede da sala e cruzou os braços observando Demi conversar animadamente com Selena escorada à janela da sala.

A vontade dele era de abraçá-la e plantar um beijo quente e apaixonado nos lábios dela, deslizar as mãos pelas pernas torneadas e seguir os seus instintos masculinos que gritavam por Demi.

   - A Sel está a caminho com o Ed, eles vão nos ajudar com o apartamento. – Aquela definitivamente foi a tarde mais divertida da vida de Joseph. Além de Rose e Derick, os amigos de Demi e a própria eram tão divertidos e o ajudaram tanto com a mudança. Passaram boa parte da tarde conversando e colocando tudo no lugar, quando já escurecia todos estavam famintos e como Joe não podia comer fast foods, as pizzas disponível nos catálogos de entrega e praticamente todas aquelas comidas calóricas, partiram para o supermercado para ajudar o rapaz com as compras.

   - Vocês já pensaram no que nós vamos cozinhar? – Perguntou Selena. Os quatro estavam no elevador. Os rapazes carregaram as compras e bem, Demi e Selena não paravam de tagarelar e rir como as boas amigas que eram.

   - O que você sugere Joe? – Demi sorriu para o rapaz abrindo a porta do apartamento já que o elevador já tinha chegado ao andar de Joe.

   - Hum.. Espinafre passado e arroz com abobrinha. – Joseph riu da careta de Demi assim que repousou as sacolas sobre a mesa da cozinha. – Estou brincando. Que tal lasanha com queijo e brócolis?

   - Bem, não parece tão.. ruim. – Demi riu mesmo corada e mostrou língua para Selena que a olhava daquele jeito que ela bem conhecia.

   - Parece delicioso. – Disse Selena. – Nós vamos cozinhar, não é Dem? – Demi assentiu desviando o olhar do de Joseph. Ela estava louca para trocar aqueles beijos estonteantes com ele. – O que você tem? – Selena perguntou de cenho franzido puxando Demi para longe de Joe e Ed.

   - Nada Sel. – Demi deu de ombros e as duas começaram a preparar a lasanha depois de buscar pela receita na internet. – Maneire no sal, o Joe é hipertenso. – Selena arqueou as sobrancelhas e Demi revirou os olhos verificando se o macarrão era suficiente para os quatro.

   - Ele é hipertenso e diabético? – Selena perguntou um pouco confusa e Demi assentiu. – Quantos anos ele tem?

   - Vinte e dois. – Disse Demi olhando rapidamente para Joe que conversava com Ed enquanto os dois colocavam um armário na parede.

   - Ele é uma gracinha. – Comentou Selena e Demi estreitou os olhos, mas não olhou para a amiga já que sabia que Selena começaria a deduzir coisas que não existiam. – Você percebeu como as meninas olhavam para ele no supermercado? A moça do caixa não tirou os olhos dele por um segundo sequer. – Demi fuzilou Selena com os olhos e quase despedaçou todo o queijo com as mãos.

    - Eu já te disse que você é a pessoa mais chata que eu conheço? – Murmurou emburrada e Selena sorriu abraçando a amiga por trás. – E eu já te disse que eu não curto garotas.

   - Eu também te amo. – Disse Selena sem soltá-la. –Vocês se beijaram de novo? – Demi revirou os olhos e respirou fundo. Não tinha como ela contar nada para Selena com Ed e Joseph a poucos metros delas.

   - Depois eu te conto, prometo. Agora é melhor você me ajudar a montar a lasanha que eu estou morrendo de fome.

   - Vocês transaram? – Selena perguntou baixinho e Demi arregalou os olhos.

   - Não! A lasanha Sel. – Para que diabos Demi tinha contado a Selena que ela tinha beijado Joseph no Central Park? Durante todo o tempo em que montaram a lasanha e a mesma foi ao forno Selena importunou Demi perguntando coisas que não tinham sentido algum. Imagina se ela contasse a Sel o que tinha acontecido na cozinha de seu apartamento pela manhã. Selena literalmente piraria quando Demi contasse que ela sentou no colo de Joe.. Talvez era melhor não incluir aquele detalhe..

   - O que vocês duas tanto cochicham? – Ed perguntou se aproximando da bancada da cozinha com Joe a sua cola.

   - Graças a Deus você apareceu. A Sel não para de me perturbar. – Disse Demi descascando as laranjas para preparar o suco já que ela tinha lido na internet que frutas cítricas eram aliadas contra a diabete.

   - Vocês duas são as melhores amigas mais estranhas que eu conheço. – Murmurou Ed e Selena revirou os olhos abraçando o rapaz de lado até que Ed a abraçou e a puxou para beijá-la na boca.

   - A gente não vai segurar vela. – Demi jogou um caroço de azeitona na amiga e revirou os olhos quando percebeu que não importava o que ela fizesse Selena não pararia de beijar Ed. – Vocês dois são nojentos. – Resmungou e o olhar encontrou com o de Joseph que arqueou as sobrancelhas e os dois riram. – Sel! Acho que a lasanha está pronta. – Murmurou envergonhada quando Selena e Ed partiram o beijo trocando olhares apaixonados. – Está com fome? – Perguntou a Joe se aproximando dele.

   - Faminto. E você? – O rapaz sorriu para ela daquela forma avassaladora e Demi assentiu corando. – A Lucy pode ficar com você essa noite, amanhã você a traz. – Demi assentiu a contra gosto. Seria tão ruim ficar sem Lucy, ela já estava acostumada a dormir com a pequenina e ser acordada com lambidas de bom dia.

   - O cheiro está maravilhoso. Obrigado por me ajudar com o apartamento. – Demi não esperava que Joe a beijasse na bochecha, mas corou quando ele o fez. Se ela virasse o rosto.. Oh Deus! Selena quebrou o clima entre os dois anunciando que a lasanha estava realmente pronta e foi engraçado como todos estavam eufóricos para comer a lasanha de brócolis e queijo até porque não tinham almoçado. – Está maravilhoso. – O rapaz comentou assim que experimentou a lasanha que Demi e Selena tinham preparado. Demi estava sentada ao seu lado e Selena e Ed a sua frente.

   - Realmente. Eu não esperava que lasanha de brócolis e queijo fosse tão gostosa. – Disse Demi e Sel e Ed assentiram. Como estavam famintos mal tiveram tempo para conversar até que o celular de Demi tocou quebrando o silêncio. – Com licença. – Disse educadamente buscando pelo celular na bancada da cozinha e Selena revirou os olhos aos ver que era Jake.

   - Eu não sei o que a Dem viu nesse cara, ele é um saco. – Disse mal humorada quando Demi caminhou às pressas em direção à sala. Joe preferiu ficar quieto. Ele sabia que não tinha como competir com Jake, sem contar que era completamente errado já que Demi o conheceu primeiro.

   - Eu tenho que ir. – Disse Demi adentrando a cozinha.

   - Algum problema? – Selena perguntou não gostando nada daquela história e Demi desviou o olhar de Joe para olhar para a amiga.

   - Eu vou sair com o Jake. – Disse um tanto sem graça e Selena revirou os olhos. – Dá para parar de implicar com ele? – Murmurou Demi um tanto sem jeito e Selena olhou para Ed. Como ela explicaria para Demi que o Jake era um canalha que tinha tentado agarrá-la? – Olha, eu já vou, ok? Não quero me atrasar. – Demi se despediu de Ed com um beijo na bochecha e se aproximou de Joseph.

   - Tenha cuidado. – O rapaz disse se levantando para abraçá-la. – Você pode me ligar caso aconteça alguma coisa. – Joe depositou um beijo na testa de Demi e a mesma assentiu retribuindo o carinho com um beijo na bochecha dele.

   - Você também. – Demi sorriu para o rapaz sentindo o coração acelerar, mas logo flagrou o olhar furioso de Selena sobre si. – Sel.. Eu não quero brigar com você.

   - Tudo bem. Eu vou te levar para casa. – Selena não estava nada feliz e não fazia nenhum esforço para esconder o quão chateada ela estava. – Volto mais tarde. – Disse a Ed e Joseph que assentiram.

   - Elas vão acabar brigando. – Comentou Ed bebericando o suco.

   - Não contei a ela. – Disse Joseph de cenho franzido. – A Selena também não contou. Será que ela vai acreditar quando souber? – Ed franziu o cenho e se ajeitou na cadeira. Era pouco provável que Demi acreditasse que Jake tentou agarrar Selena e ordenou que Joe limpasse o banheiro masculino da empresa.

   - Eu não sei. – Disse o rapaz respirando fundo. – Não quero a Selena metida nessa história, o Jake não é um cara confiável. Ele tentou agarrá-la e disse coisas nojentas a ela. – Joe arregalou os olhos e cerrou o punho só de pensar que Demi passaria a noite com aquele homem. – Eu e a Sel achamos que ele matou o Jason. O Jake tem uma pequena empresa de tecnologia que está falindo, é no interior do país. O sócio dele, Marcus, estava na empresa quando o FBI pediu para buscar por mais pistas a respeito do assassinato. Ele estava desesperado com a presença da polícia. Eles podem ter contratado algum hacker para invadir o sistema e excluir a gravação das câmeras.

   - Faz sentido. – Disse Joe pensando em tudo que tinha acontecido. – Eu não posso deixar a Demi ficar perto dele por mais nenhum segundo. – Ed assentiu massageando as têmporas. Aquele assunto deveria ser levado à polícia o mais rápido possível, o pior era que eles não tinham provas.

   - Ele não vai machucá-la. – Disse o rapaz se lembrando de tudo que Selena contou a respeito da mãe de Demi. – Você gosta dela? – O rapaz perguntou curioso ao olhar para Joe.

   - Eu..eu estou apaixonado por ela. – Admitir em voz alta era completamente diferente que guardar aquilo apenas para ele. – Ela é tão linda e.. – As bochechas de Joe coraram e Ed riu o observando atentamente.

   - E é uma mulher incrível. – Concluiu o rapaz e Joe assentiu. – Ela é de parar o trânsito, todos os meus amigos querem ficar com ela. A Dem é uma boa amiga e precisa de um homem para fazê-la feliz. Por que você não tenta? Aposto que ela está apaixonada por você, ela te olha de um jeito tão especial, você não percebe? – As bochechas de Joe coraram e ele negou balançando a cabeça sem conseguir olhar para Ed.
   - Ela está com o Jake. – Murmurou. – Eu sou apenas um cara cheio de problemas que acabou de sair de casa. Mal consigo ficar perto de uma mulher sem tremer ou gaguejar. – Ed arqueou as sobrancelhas e riu.

   - Você não tremeu e muito menos gaguejou quando a Dem beijou a sua bochecha. – Disse o rapaz bebericando o suco. – Você deveria tentar.

   - Nós concordamos em ser apenas amigos. – Disse Joseph sentindo o rosto corar de vergonha. – Ela me beijou no sábado passado e desde então nós.. nós estamos ficando. Mas hoje quando fui ao apartamento dela, ela me beijou e disse que era errado, que ela estava com o Jake e não queria me enganar.

   - Vocês...? – Joseph não entendeu ao certo o que Ed quis dizer, mas quando o rapaz arqueou as sobrancelhas Joseph corou bruscamente e quase tombou a mesa de tão nervoso que estava.

   - Eu..e..eu.. Nós.. Não.. A.. A gente não. – Joseph fechou os olhos e respirou fundo tentando controlar o nervoso. Era apenas uma pergunta simples e bastava dizer sim ou não. – Nã..ão.

   - Relaxa Joe, nós somos amigos, ok? – Ed disse sem zombar do nervoso de Joe. – Você já transou? – Ed perguntou para comprovar a sua teoria que Joe era realmente muito inocente quando se tratava de mulheres.

   - Eu.. – Joe olhou brevemente para Ed que fez um sinal para ele respirar fundo e foi o que ele fez. – Não. – Disse terrivelmente envergonhado e Ed se levantou para sentar ao lado do rapaz.

   - A Demi foi a primeira que você beijou? – Ed perguntou olhando para o rapaz.

   - Bem.. ela que me beijou. – Murmurou o rapaz e um sorriso alargou-se nos lábios de Ed.

   - Ela gosta de você. – Joseph franziu o cenho e pela primeira vez olhou para Ed. – Se ela não gostasse não te beijaria, e você vai perdê-la para o Jake? Por que você não diz a ela que está apaixonado? – Por que aquela ideia parecia ser missão suicida? Joe franziu o cenho e balançou a cabeça em negação.

   - Não tenho muito que fazer. Nós somos amigos, ela está com o Jake.

   - Seja sincero com ela, ok? A Demi só está com ele porque você não tomou nenhuma iniciativa. – Será? Joseph olhou para Ed e o mesmo assentiu. Tomar uma atitude. Era realmente o que ele precisava fazer.



Continua... Oi, tudo bem? Eu estou congelando e não paro de espirrar! Está muuuito frio! Então... então.. Desculpem pela demora para postar, desde o último capítulo tudo foi muito corrido para mim, final de semestre, provas finais, tensão. Sem contar as visitas que estavam aqui em casa. Enfim, eu também tive um pouquinho de dificuldade para escrever esse capítulo, tentei escrever antes das provas cabulosas, e nada saiu, mas no meu ponto de vista ficou bom, eu só consegui escrever mesmo ontem e hoje. E esse conselho do Ed? Será que se o Joe contar para a Demi que ele está apaixonado vai resolver alguma coisa? O Jake e a Dianna não estão quietos demais..? Estou livre da faculdade por enquanto, vou tentar escrever mais e postar para vocês. Realmente perdoem a demora, ok? Um abraço apertado e novamente.. desculpem a demora, odeio fazer isso com vocês, mas é melhor assim a parar de escrever. Obrigada pelos comentários, que eu ainda vou responder, e a paciência. Se agasalhem porque tá muuuuito frio, beijo!

15.6.16

Aviso

Oii! Passei para avisar que estou escrevendo o capítulo.. na verdade comecei a escrever hoje porque na semana passada e nessa eu tive muitas provas e trabalhos, ou seja, sem tempo para escrever. Mas agora que já estou mais folgada e comecei a escrever, só vou ter prova na terça e na quarta da semana que vem. Beijo e obrigada pela compreensão! 

6.6.16

Capítulo 16

A madrugada estava tão assustadora, fria e o céu de Nova York estava completamente roxo derramando uma chuva violentíssima com direito a clarões e o som estrondoso dos trovões partindo o céu em milhares de pedaços. O quarto estava completamente escuro e vez ou outra era iluminado pelo clarão dos raios. O barulho da chuva era reconfortante e criava um fundo perfeito para qualquer pessoa que teve o dia cansativo e estava ansiosa para dormir, claro que às vezes o som explosivo dos trovões era assustador. Na cama de casal Selena estava deitada usando apenas a lingerie, estava encolhida debaixo da coberta quente e com o braço de Ed a abraçando pela cintura. O rapaz estava calado, tinha os olhos inchados por conta do choro de mais cedo, os cabelos mesmo curtos estavam desgrenhados e o peito estava nu contra as costas de Selena. Ed sabia que não tinha muito tempo com a irmã, porém não queria canalizar todas as suas forças para a morte Sophia.

   - Sel, está tudo bem? – A voz de Ed soou rouca causando arrepios a Selena. O rapaz achava estranho como Selena estava quieta, sem contar como ela parecia preocupada e séria. Ed percebeu a preocupação da amada desde mais cedo quando Selena o recebeu com um sorriso forçado e pouco conversou enquanto eles jantavam com os pais da moça.

   - Só estou cansada. – Selena desfez do abraço dele em sua cintura e se levantou buscando pelo hobby de seda preta. Ela estava uma bagunça. Era Demi e Ed. Selena caminhou diretamente para a janela e observou a chuva violenta que caia lá fora. Há quanto tempo Nova York não via uma chuva como aquela? Selena se lembrou dos seus tempos de adolescente e de uma noite em específico.

Demetria deveria ser a menina mais bonita de todo o baile. Selena tinha certeza que era. A melhor amiga era uma graça e tão encantadora com aqueles olhos marrons doces, as sardas do rosto branco e rosado de lábios bonitos e bem desenhados. Demi era como uma irmã mais nova que sempre estava metida em confusões, mas Selena não a culpava, Demi só era tão inocente às vezes.. E sempre era carente! Deveria ser culpa da criação da menina, supôs Selena observando os garotos disputarem entre si para decidir quem dançaria com Demi naquele baile de primavera. Selena já tinha a alertado sobre Carlos, o rapaz do time, mas Demi mergulhou de cabeça no relacionamento com o rapaz e bem.. Ela o flagrou na cama com uma líder de torcida. Agora Demi dançava com Victor e distribuía sorrisos para o rapaz. Como ela poderia ser tão inocente? Questionou-se Selena bebericando o líquido cor de rosa de sua taça de plástico ignorando completamente os garotos lançando olhares sugestivos para ela. Jamais ela se enturmaria com eles! Nenhum daqueles bonitões tinha um pingo de caráter e a fama deles dizia tudo, mas era só dar um pouco de carinho a Demi que ela não sabia dizer não. Protetora como sempre, Selena observou a melhor amiga ser guiada por Victor em direção aos fundos do ginásio. Lá fora chovia horrores e a energia piscou causando um barulho ensurdecedor por conta dos gritos dos adolescentes bêbados e excitados. Ela tinha a perdido de vista! Droga! Selena sabia que Victor era mais velho e bem, ela e Demi estavam de penetras no baile dos formandos do último ano do colegial. O rapaz era mais experiente e Demi tinha apenas os seus quinze anos assim como ela.

   - Com licença. – Selena resolveu arriscar caminhar na direção que Victor arrastava Demi antes do apagão. O seu faro não falhava! Minutos depois do empurra- empurra Selena chegou aos fundos do ginásio e ficou atordoada com a quantidade de adolescente que estava fumando e se agarrando. Na extremidade direta do ginásio onde estava mais vazio Demi era esmagada contra a parede e Victor a beijava tão desjeitosamente correndo os beijos pelo tórax de Demi e a apertando na cintura. Selena pensou em virar as costas, mas não pode o fazer quando viu que Demi tentou empurrar o rapaz e ele a ignorou levando os beijos forçados para o pescoço. – Ei, solta ela. – Disse Selena assim que se aproximou de onde Demi estava. – Victor, solta ela seu idiota. – Selena não estava nenhum pouco feliz com o olhar de súplica que Demi lhe lançava, ela não deveria estar gostando nenhum pouco de ser atacada daquela forma.

   - Francamente. – O rapaz não gostou de forma alguma do jeito que Selena ordenou que ele soltasse Demi. Olhando-as de cima a baixo, Victor assentiu negativamente, fechou o zíper e abotoou o botão da calça jeans logo saindo as deixando a sós.

   - Você está bem? – Selena perguntou a Demi que parecia tão assustada com o que tinha acabado de acontecer.

   - Ele me disse coisas tão fofas e agora estava.. – Demi estava envergonhada, não era algo que costumava acontecer com muita frequência. Selena flagrou o olhar carente da amiga e o coração partiu em milhares de pedaços. Demi era tão carente de afeto, era tão inocente e confiava em todos que diziam palavras bonitas a ela e era isso que a colocava em cada cilada, sorte era que Selena sempre estava por perto para salvá-la antes que o pior acontecesse.

   - Eu vou ligar para a minha mãe, nós não deveríamos ter vindo. – Agarrando o braço de Selena, Demi se deixou ser conduzida pela amiga para longe daquele lugar estranho. Se não fosse por Selena..
  

   - Selena? – Ed enlaçou a cintura de Sel com os braços e a beijou carinhosamente no ombro repousando a cabeça ali. – O que está acontecendo? Você parece tão preocupada. - O rapaz disse dando leves beijinhos na região do pescoço da amada arrancando um leve sorriso de Selena.

   - Jesse, o que você acha do Jake? – Perguntou do nada e Ed franziu o cenho desfazendo o abraço para repousar um cotovelo no batente da janela enquanto a mão livre tratava de acariciar o rosto de Selena.

   - O neto do Jason? – Ed perguntou sem entender ao certo porque Selena estava pensando em Jake. – Bem.. – Começou a dizer quando Sel assentiu. – O Jake é.. eu não sei, ele surgiu do nada. – Selena assentiu, mas ainda não era a resposta que ela queria. – Ele está com a Demi, certo?

   - Eu não confio nele. – Disse Selena de cenho franzido. – Ele está a enganando. É uma longa história, mas o Jake não é o que parece.

   - Eu não estou entendendo. – Murmurou Ed coçando a nuca. – O Jake está traindo a Demi? – Perguntou. Era o mínimo que Jake poderia estar fazendo para Selena dizer que ele estava enganando a Demi.

   - É uma longa história. – Disse Selena sem saber ao certo se deveria contar ou não a Ed a história de Demi com a mãe problemática que queria vendê-la como um objeto sexual. Sem contar que Sel estava com tanto medo da reação de Ed quando ela contasse sobre a ameaça que Jake fizera. – A mãe da Demi é uma mulher gananciosa, egoísta e fria. – Disse pensando em como a amiga a olharia caso a escutasse falando daquela forma de Dianna. Mesmo que Demi sabia que era verdade, ela ficava apreensiva quando Selena dizia aquelas coisas. – Ela está envolvida com o Jake, juntos eles estão aprontando alguma coisa que eu ainda não sei. Quando a Demi descobrir ela vai ficar arrasada. – Disse com pesar e Ed franziu o cenho.

   - Como você sabe? – O rapaz perguntou fitando os olhos de Selena.

   - Eu os vi juntos. – Desviando o olhar do de Ed, Selena se encostou à parede e olhou pela janela. Os pingos grossos não paravam de cair e os raios eram assustadores. – A Dianna é.. – Começou a dizer enquanto fitava a chuva. Ela poderia confiar em Ed e sabia que Demi também podia. Não havia escolha, esconder a ameaça de Jake a deixava cada vez mais impotente e cheia de medo de que aquele homem ruim fizesse algo com Demi que ela não pudesse reverter. – A mãe da Demi é uma prostituta de luxo. – Ed arregalou os olhos e Selena sentiu o coração disparar no peito fitando a surpresa do rapaz. – Na verdade a avó e a mãe da Dem, mas a Amélia faleceu alguns anos atrás.. Bem, depois que ela faleceu a Dianna tentou colocar a Demi no mesmo caminho, mas não deu certo, a Demi descobriu e ficou tão revoltada, ela sempre foi diferente da mãe e da avó, ela tem o coração tão grande e acolhedor. Acredito que o Jake está pagando a Dianna para que ele possa dormir com a Demi. – Ed cerrou os punhos e franziu o cenho fitando a chuva lá fora. Era tão injusto, Demi era uma pessoa tão boa e não merecia passar por aquilo por conta da mãe sem miolos.

   - Eu não sei... A Demi fica com ele por vontade própria, não tem muito sentido. – Murmurou o rapaz depois de pensar um pouco a respeito do assunto e se lembrar de todas às vezes que Demi olhava para Jake de uma forma tão carinhosa.

   - Ele me ameaçou. – Disse Selena preenchendo o repentino silêncio entre eles. – Foi na segunda-feira quando nós fomos a Rocco’s. Você esqueceu a sua carteira e quando eu fui levá-la acabei esbarrando com ele e a Dianna. Eles estavam saindo de um café, algo assim.. Ele simplesmente me ameaçou, disse que se eu contasse para a Demi, eu não gostaria de saber o que aconteceria com você. – Selena o olhou de uma forma tão preocupada. Não se perdoaria se algo de ruim acontecesse a Ed e muito menos a Demi. – Eu estou com medo, já pedi tantas vezes para a Demi se afastar dele, mas ela simplesmente não me ouve. Nós acabamos brigando toda vez que tocamos no nome daquele cretino!

   - Sel, calma. – Ed a envolveu com os braços e a beijou carinhosamente na testa. – Olha para mim. – Pediu secando as lágrimas que molhavam o seu peito. Quando Selena o olhou ele se curvou e beijou os lábios dela da forma mais sincera que encontrou. – O Jake não vai fazer nada comigo e nós não vamos deixar que ele machuque a Demi, ok? Só temos que pensar em como vamos conseguir afastá-los. – Agarrando-se ao rapaz, Selena distribuiu beijinhos pelo peito de Ed e o abraçou com força deixando suas lágrimas rolarem.

   - Eu estou com tanto medo do que ele possa fazer. – Começou a dizer se lembrando das palavras nojentas de Jake. Deus! Ela não se arrependia nenhum pouco de ter atirado café quente no rapaz. – Eu consigo sentir que ele não é uma boa pessoa. – Ed assentiu ao se lembrar de como Jake era. Quando ele estava com Demi era uma pessoa, mas quando Demi não estava por perto Jake sempre estava quieto, era frio e não esboçava um sorriso.

   - Engraçado, o Jason nunca comentou nada a respeito da família. – Disse o rapaz puxando Selena para a cama. – A Demi sabe de alguma coisa? Ela e o Jason eram tão próximos. – Selena se aninhou ao peito do rapaz adorando sentir o calor masculino aquecê-la naquela noite de tempestade.

   - O Jason era um grande amigo para a Dem. – Comentou Selena se encolhendo mais a Ed quando o barulho dos trovões quase a matou de susto. – Alguns dias antes de ser assassinado ele comentou que ele tinha um neto, mas que a relação deles não estava muito boa, algo assim. – Em meio à escuridão e a luz da noite que invadia o quarto pela janela Ed procurou o olhar de Selena e quando o encontrou engoliu em seco.

   - Você acha que.. – Começou a dizer o rapaz sem saber ao certo o que pensar. Mas era uma possibilidade. – Que ele matou o Jason? – Selena enrijeceu ao ligar todos os pontos. Óbvio que ela não tinha provas concretas, mas Jake havia surgido do nada, era um homem perigoso e assumiu a posição do avô na empresa em tão pouco tempo. Ela não queria que julgá-lo, mas Jake era o seu principal suspeito.

***

Tomar um intenso e gelado banho de chuva não estava nos planos de Joseph, porém a chuva desabou em questão de poucos metros do hotel. Porém o rapaz não se importava de andar tarde da noite na rua deserta, não se importava se estava frio e definitivamente não se importava com toda a chuva que caia sobre sua cabeça. O sorriso não saia dos lábios de Joseph. Ele não parava de pensar em Demi e o quão bom era beijá-la! Ele poderia beijá-la durante toda a vida! Era uma mulher tão linda e encantadora, e ela tinha conquistado o coração do rapaz que só batia rápido por ela. Joe pensou em como Demi acolheu a pequena cachorrinha no bolso do sobretudo e sorriu. Ela era tão cuidadosa e ele tinha certeza que aquele ser inofensivo não poderia ter uma pessoa melhor para cuidar dele. Prevendo um futuro resfriado, Joe tomou banho quente e se enfiou debaixo das cobertas desejando que a noite passasse rápido para que ele pudesse ver Demi e rezando para que ele não ficasse resfriado, pois caso ficasse adeus história de beijar a boca daquela mulher linda. Pensando em Demi, Joe enviou uma mensagem desejando uma boa noite e logo fechou os olhos para se concentrar para dormir para que a manhã chegasse.

***
Um cachorro. Não, na verdade era uma cadelinha tão fofa. O moletom era grande demais, porém confortável e a aquecia. De cabelos presos, sardas à mostra e um sorriso apaixonado nos lábios Demi observava a pequena cadelinha brincar com os panos da caixa que serviria de cama por aquela noite. Ela queria ter Joseph por perto durante o banho na pequena, foi tão divertido e de partir o coração ao mesmo tempo. Mas a água estava tão morna e os pelos foram secados pelo secador. Na hora de alimentá-la também foi tão divertido, Demi gargalhou observando como a pequenina tinha sede pelo leite morno com algumas bolachas de leite. Agora as duas estavam no quarto prontas para dormir.

   - Ei, vai dormir. – Disse Demi franzido o cenho com a brincadeira boba da pequena. Filhotes tinham a mania de morder e rasgar tudo que podiam, e não era diferente com a cadelinha de pelos marrons. – Dormir! Amanhã eu tenho que acordar cedo. – Disse acariciando os pelos da pequena já que a caixa estava ao lado da cama. – Vou apagar a luz. – Caminhando de meias, Demi apagou a luz e voltou para cama onde se aninhou ao colchão debaixo da coberta quentinha. – Boa noite. – Disse a cadelinha fechando os olhos para dormir, porém ela não poderia fazê-lo, não quando o choro inofensivo daquele filhote soou baixinho. Com o coração partido Demi acendeu a luz do abajur e fitou a pequena sentada e a olhando. – O que foi anjinho? – Perguntou acariciando-lhe a cabeça e o choro ficou cada vez mais manhoso. – Eu estou aqui, pode dormir. – Demi pensou em se deitar e dormir, mas quando a cadelinha não parou de chorar a única solução foi trazê-la a cama consigo. – Você está com medo dos trovões? – Enroscada a ela, a pequena não chorou, apenas lhe tocou a mão com o focinho gelado e a lambeu ali. – Boa noite. – As duas adormeceram tão rapidamente encolhidas e acomodadas uma na outra enquanto a chuva caia brava lá fora. O sono foi tão tranquilo e gostoso que quando deu às sete e quarenta da manhã e o despertador já havia tocado várias vezes Demi não acordou. Céus! Até quando ela teria aquele problema para levantar cedo?  Ela já não era uma adolescente que dormia até às onze da manhã tinha anos! Era uma adulta independente que precisava acordar cedo para trabalho.

   - O que? – Resmungou Demi sentindo algo pegajoso e quente em seu rosto. O sono estava tão bom que ela não conseguiu abrir os olhos e muito menos ter forças para se levantar, era bem pelo contrário, parecia que tinha um peso enorme que a impedia de levantar da cama. – Ei! – Demi acabou rindo ainda sonolenta. Ela tinha arriscado abrir os olhos e encontrou a pequenina a olhando com tanta curiosidade. – Bom dia! – Disse se erguendo e fazendo careta conforme a cachorrinha a cheirava e subia em seu corpo até que ela estava com o focinho a poucos centímetros do nariz de Demi. – Como foi a sua noite? Dormiu bem? – Demi perguntou envolvendo a pequena num breve abraço e em troca recebeu uma lambida e o rabinho não parava de balançar. – Vamos tomar café? Eu estou com fome. – Calçando os chinelos, Demi espreguiçou e respirou fundo antes de se levantar da cama levando consigo a cachorrinha em seus braços. Mas foi ai que ela viu a hora. Deus! Oito e dez! Ela estava muito, muito atrasada! Dividida entre alimentar a pequena e encarar a ducha morna, Demi resmungou um palavrão e correu para a cozinha para mornar leite e logo a pequena estava tomando o café da manhã enquanto ela corria para o banheiro para tomar um breve banho e escovar os dentes. – Eu dormi demais, obrigada por me acordar. – Disse assim que aquela coisinha fofa adentrou o closet e a olhou com os enormes olhos cor de mel com tanta curiosidade e admiração. Demi esboçou um breve sorriso e tratou de se vestir enquanto tagarelava com a cadelinha. A sorte era que as roupas estavam perfeitamente organizadas e que o cabelo era naturalmente bonito liso com algumas ondas que davam um movimento bonito a cabeleira castanha. Demi escolheu um look descontraído longe das roupas sociais que ela preferia usar. Dessa vez foi uma calça jeans colada, uma regata, uma camisa xadrez vermelho com preto e um tímido sapato de salto fechado. – Por favor, se comporte. – Disse caminhando em direção à cozinha com a pequena a sua cola. – Não faça bagunça, volto para casa na hora do almoço para saber como você está, ok? – A bolsa grande demais quase a impediu de se agachar para mimar a pequenina. Sabendo que estava atrasada não deu tempo de preparar um café da manhã bem elaborado, a única alternativa foi recorrer a uma bela maçã que lhe tirou todo o batom, porém estava uma maravilha deliciar aquela fruta caminhando pelas ruas de Nova York! Ela nunca cansaria de pensar em como era bom viver naquela cidade agitada e tão linda. Demi percorreu muitos quarteirões até chegar ao prédio gigantesco da Gyllenhaal. E quando ela adentrou aquele lugar os olhos ficaram tão atentos a todos os homens morenos.. Ela estava à procura dele e por alguns segundos Demi não gostou de como seu coração estava a traindo. Ela deveria estar ansiosa para encontrar Jake em algum corredor, não Joseph! Ora, aquele rapaz lindo com alma de menino era apenas o seu amigo. Revirando os olhos, Demi adentrou ao elevador junto com tantas pessoas, não haveria espaço para tanta gente! Quando finalmente a última pessoa estava acomodada ao seu lado e as portas se fecharam a viagem até o seu departamento seguiu tão cansativa cheia de paradas que Demi pensou que seria melhor ter subido de escada.

   - Bom dia Srta. Lovato. – A secretária a cumprimentou e Demi a cumprimentou de volta caminhando às pressas pelos corredores em direção ao seu escritório. O departamento já estava cheio e o pessoal trabalhava a todo vapor como sempre. Deus! Ela estava tão envergonhada por chegar atrasada, aquele lugar era praticamente comandado por ela e chegar atrasada não era nada bom para uma chefa. Tornando a revirar os olhos Demi afastou todos os pensamentos de atraso, Jake e Joseph de sua cabeça e destrancou o escritório logo o adentrando.

   - Dem? – Selena nunca batia à porta. Demi sorriu assim que a amiga adentrou ao escritório e a envolveu num abraço carinhoso. – Está tudo bem? – Selena era tão preocupada! Demi a fitou e sorriu assim como Selena sorriu para ela. Que sorte ela tinha de ter alguém tão especial como Sel em sua vida.

   - Eu estou bem, e você? – Perguntou desfazendo do abraço para guardar a bolsa e começar a organizar o notebook e as outras ferramentas que ela usaria para trabalhar.

   - Bem. – Disse Selena aliviada por ouvir aquelas palavras, pois desde que ela descobriu o lado verdadeiro de Jake era só preocupação que a consumia. – Fiquei preocupada com você ontem à noite. A tempestade estava assustadora. – Disse Selena se sentando a cadeira de rodinhas e a olhou.

   - Eu tive companhia. – Demi esboçou um pequeno sorriso malicioso ao fitar Selena que revirou os olhos. – Foi quente e selvagem. – Demi acabou gargalhando das caretas de Selena que certamente pensava que ela estava se referindo a Jake já que toda vez que ela contava sobre as suas aventuras com o bonitão ela as classificava como quente e selvagem. – Estou brincando. – Disse se sentando a cadeira que ficava ao lado da cadeira que Sel estava sentada. – Ontem à noite eu e o Joseph caminhamos a procurar de um apartamento para alugar. – Selena sorriu torcendo para que fosse o que ela pensava.. Demi e Joseph eram feitos um para o outro! E estava tão na cara que eles se gostavam, mas havia Jake para estragar tudo. – Quando a gente estava perto da minha casa encontramos um filhote de cachorro, o Joe queria levá-lo para o hotel, mas para evitar problemas para ele achei melhor ficar com o filhote, aliás, é uma menina adorável de pelos marrons e olhos cor de mel. – Deus! Eles eram perfeitos um para o outro. Concluiu Selena sorrindo de orelha a orelha fitando o jeito como Demi sorria e tinha um brilho especial nos olhos ao falar de Joe.

   - Foi só isso? – Sel perguntou analisando a amiga que abaixou a cabeça e corou. – Demetria! Desde quando você cora? – Perguntou rindo e Demi também riu envergonhada. Selena continuou a olhando com tanta atenção, ela nunca tinha visto Demi daquele jeito e parecia ser tão bom e perigoso ao mesmo tempo.

   - Sel.. – A voz soou tão baixinha. Demi estava tão envergonhada por não ter contado a Selena que tinha beijado Joseph. – Eu o beijei. – Disse como uma criança culpada e bem.. Selena sorriu de orelha a orelha. Tinha melhor notícia que aquela?

   - E como foi? – Perguntou curiosa e Demi mostrou língua deitando a cabeça no ombro da amiga.

   - Eu.. eu estava fora de mim. Na hora eu não conseguia pensar em mais nada que beijá-lo. E eu o fiz, o beijei no Central Park. Foi tão diferente de tudo que eu já tive, nenhum homem nunca me olhou como o Joseph me olhou e me abraçou naquela tarde. Ele foi tão fofo. – Selena sorriu correndo os dedos pelos cabelos da amiga. – Ontem ele estava tão nervoso para o primeiro dia de trabalho, nós conversamos muito e o beijei de novo. À noite foi a mesma coisa, ele me levou até a porta do prédio e nós trocamos um beijo tão.. – Demi e Joe! Deus! Selena estava radiante só de pensar em que a amiga terminaria tudo com Jake. – Eu não sei, foi especial.

   - Você vai terminar com o Jake, certo? – Perguntou Selena e Demi franziu o cenho se erguendo.

   - Não mesmo Sel. Por mais que eu goste muito da ideia de beijar o Joe, ele é apenas um amigo muito especial. – Todas as esperanças morreram e Selena pensou em debater com a amiga, mas sabia que elas acabariam brigando. – Eu também gosto muito do Jake e não acho certo ficar com ele e o Joseph ao mesmo tempo. – Selena assentiu a contra gosto.

   - Você fica melhor com o Joe. – Comentou dando de ombros assim que Demi a olhou de sobrancelhas arqueadas.

   - Ele é um garoto e um amigo que eu jamais quero perder. – Não era o que o coração de Demi dizia, ela queria que ele fosse muito mais que um amigo, porém tinha medo.

   - Ele não é um garoto. – Disse Selena. – Ele é um homem que tem o coração tão grande e acolhedor. Você deveria dar uma chance a ele. – Levantando-se, Sel beijou a testa de Demi e a deixou a sós. Não demorou muito para que ela avistasse Joseph rodeado de mulheres que não paravam de tagarelar no ouvido do rapaz. Selena franziu o cenho e riu de como Joseph estava tímido e vermelho. Talvez ele fosse apenas um garoto como Demi disse, pois caso Joseph fosse mais experiente e esperto como alguns homens ele com certeza tiraria vantagem do porte físico e da quantidade absurda de mulheres que se esfregavam a ele. – Meninas! Deixem o Joe em paz. – Disse assim que se aproximou da mesa do rapaz. – Vão trabalhar. – Selena se sentou a cadeira e observou as mulheres que atacavam Joseph lançarem olhares nada agradáveis a ela.

   - Obrigado. – Joe arrumou os óculos de grau ao rosto e respirou fundo se sentindo bem melhor ao lado de Selena. Por que diabos as mulheres faziam aquilo com ele? Simplesmente não dava para entender!

   - A Demi já chegou, porque você não vai falar com ela? – Ela não conseguiu disfarçar o sorriso feliz. Joseph era simplesmente perfeito para Demi! Sem contar que era um homem simplesmente lindo com aqueles olhos verdes fascinantes e todos aqueles músculos, mas o que fazia com que a beleza do rapaz fosse mais estonteante era a forma como Joe era educado, inteligente e bondoso.

   - Ela não está ocupada? – Perguntou o rapaz um pouco sem jeito e Selena balançou a cabeça negando. Tudo que ele mais queria fazer era adentrar o escritório de Demi e tomá-la nos braços para beijar a boca daquela mulher com tanto amor e carinho.

   - Eu tenho certeza que a Demi terá todo o tempo do mundo apenas para você. – Selena piscou para Joe que corou bruscamente. Selena sabia do que ele e Demi andavam fazendo nos últimos dias.

   - Srta. Gomez creio que a Srta. Lovato está muito ocupada no escritório dela trabalhando, agora eu me pergunto. – Selena engoliu em seco ao olhar para Jake que estava logo atrás a olhando daquele jeito estranho e frio. – A senhorita e o rapazinho deveriam estar fazendo o mesmo. – Jake era tão prepotente e arrogante, a forma que ele olhava para Selena com desprezo e indiferença incomodava tanto a Joseph que por um pouco ele não respondeu a mesma altura.

   - Ela só estava me ajudando. – Disse Joseph com toda a coragem que tinha e Jake arqueou as sobrancelhas ao olhá-lo.

   - Intrigante.. Acho que um analista de redes não tem nada em comum com Designers. – Disse Jake esboçando um sorriso sarcástico. – Estou começando a duvidar das anotações do meu avô sobre o brilhante menino Joseph do interior do Texas.. – Selena pensou em jogar café quente em Jake como ela tinha feito no outro dia, como alguém poderia ser tão chato como ele? – Bem, já que os dois amiguinhos não tem o que fazer eu não vou jogar o dinheiro suado do meu avô no lixo. Srta. Gomez, por favor, já que a senhorita gosta tanto de cafés, acho que não se importaria de servir café na reunião que começará.. hum.. em cinco minutos. – Deus! Ela o odiava! Sim, odiava aquele homem ridículo que a olhava com malicia e um sorriso nauseante! – Já você.. Nosso faxineiro está de licença, acho que não se importaria de limpar as privadas do banheiro masculino. – Joseph engoliu em seco e olhou para Selena que estava tão surpresa quanto ele. Limpar privadas? Servir café? Anos de faculdade para aquilo? Joseph iria argumentar, sim, ele iria, ele olhou para Selena como se perguntasse se ela concordava ou não e pelo olhar da amiga de Demi ele preferiu ficar quieto. Jake era o seu chefe e quem pagava o seu salário. Infelizmente ele teria que engolir aquele absurdo. – O que vocês estão esperando? Vamos ao trabalho. – Os dois se levantaram um tanto sem jeito e vontade, o engraçado era que o trabalho no departamento continuava como se nada como aquele absurdo estivesse acontecendo. Jake caminhava na frente e Selena e Joseph logo atrás trocando olhares carregados de medo do que aquele homem poderia fazer. Selena que não era boba enviou uma mensagem para Ed avisando o que havia acontecido e Ed leu a mensagem em questão de segundos e a olhou com tanta indignação. – Você sabe onde fica os banheiros masculinos, certo? Mais tarde vou conferir o seu trabalho Jonas. – Joseph virou o corredor à esquerda e então Selena estava sozinha com Jake e ela não podia negar por mais corajosa que era.. Ela estava com medo.

   - Vou descer as escadas. – Disse Selena assim que percebeu que Jake a guiava em direção ao elevador.

   - Meu escritório é no último andar. – Oh Deus! O coração de Selena quase saiu pela boca. Ela estava definitivamente ferrada e com tanto medo. O silêncio era tão sufocante, Selena não queria olhar para o lado porque sabia que Jake estava a olhando, ela podia sentir o olhar dele a queimando. Infelizmente o elevador chegou. E não havia ninguém daquele pequeno espaço! Adentrando ao elevador, Selena fechou os olhos apertando as pálpebras se controlando para não chorar, as portas estavam se fechando e não teria saída.

   - Espera! – A voz de Ed foi como a luz no final do túnel, em questão de segundos Selena colocou o braço entre as duas portas e o sensor impediu que as portas se fechassem a deixando com aquele monstro. – Eu também estou indo para o último andar. – Disse Ed ao ver no painel que o elevador iria para o andar da sala de Jake.

   - Algum assunto para tratar comigo? – Jake perguntou desconfiado olhando de Selena a Ed.

   - Preciso que o senhor olhe essa papelada. – Disse Ed ignorando completamente a presença de Selena para não estragar o plano que ele havia bolado. Jamais deixaria a sua menina com Jake, ele havia pesquisado na internet e não gostou nadinha das informações que conseguiu a respeito do neto de Jason.

   - Posso olhar agora, não há necessidade de subir conosco. – Disse Jake de cara feia e Ed arrumou os óculos de leitura ao rosto.

   - Claro que há. – Disse Ed exasperado e Jake arqueou as sobrancelhas. – Ora.. Preciso de um computador para te mostrar algo no.. no pen drive. – A começo Ed não sabia o que fazer e o sangue gelou nas veias quando ele tateou os bolsos e Deus! Ainda bem que o pen drive estava em seu bolso, agora ele só não sabia o que mostraria a Jake.

   - A sua abordagem desagradável não tem nada a ver com a Srta. Gomez, tem? – Perguntou Jake não gostando nada de ter Ed na sua cola.

   - Selena? – Ed franziu o cenho e só ai que ele olhou para o lado e encontrou a namorada tão aliviada por ele estar ali. – Olá Selena, como vai? – Ele a cumprimentou com um aperto de mão deixando Jake ainda mais intrigado. – Eu realmente preciso tratar de assuntos da financia com o senhor, depois da morte trágica do seu avô o departamento de Designer não passou pela revisão que acontece todo início de mês.

 Jake continuou desconfiado, porém Ed falava tanto sobre os assuntos da empresa com a finalidade de distrair aquele homem que ele acabou convencido que Ed estava no elevador para realmente tratar de assuntos da empresa. Não demorou muito para o elevador chegar ao último andar onde ficava a sala de Jake. Selena sentiu a tristeza invadi-la assim que ela pisou naquela sala. Era impossível não pensar em Jason e em como ele era simpático e gostava dela e de Demi, de como as coisas eram tão certas quando aquele homem bom ainda estava vivo. A sala estava diferente, a decoração simples e aconchegante agora era cara e sofisticada, até mesmo a secretária não era a mesma, e a mulher parecia tão assustada e estressada.

   - Selena, traga café. – Disse Jake assim que eles adentraram ao escritório. Selena lançou um rápido olhar a Ed e esboçou um pequeno sorriso para o rapaz que piscou para ela aproveitando que Jake estava de costas. Nem mesmo na própria casa Selena serviu café, ela mal sabia equilibrar uma bandeja sem que as xícaras e a garrafa de porcelana ameaçassem cair.

   - Você vai precisar de mais alguma coisa? – Perguntou Selena assim que serviu Jake e Ed sem que o café derramasse ou alguma xícara caísse.

   - Você servirá o café na reunião. – Disse Jake sem dar muita atenção a Selena. – Aliás Ed, nós teremos que discutir essa papelada mais tarde, não quero me atrasar para a reunião. – Ed estava aliviado por não ter que inventar algo para mostrar a Jake no computador, porém o rapaz não sabia o que faria para vigiar Selena já que ele não queria que ela ficasse a sós com Jake sobre hipótese alguma.

   - Tudo bem. – Disse Ed arrumando os papeis na pasta da forma mais lerda possível. – Por favor, qualquer coisa que precisar é só me chamar, estarei na minha mesa. – Ed disse mais para Selena do que para Jake. Céus! Ele seria obrigado a deixá-la com aquele homem nojento.

O coração de Selena quase saiu pela boca quando Ed fechou a porta do escritório de Jake lançando a ela um olhar preocupado. Ele não podia fazer nada, ninguém podia já que Jake era o chefe e eles apenas funcionários da empresa.

   - O que acha da gente brincar um pouquinho, Selena? – Ela iria morrer! Deus! Selena arregalou os olhos quando Jake se levantou e começou a caminhar em direção a ela. – O que foi? Perdeu a coragem? – Não tinha mais para onde correr, Selena sentiu a parede colada as suas costas e Jake estava a sua frente sorrindo para o desespero dela. – Gosto de como você é corajosa e tenta me desafiar, mas você é inteligente Gomez, sabe que se falar demais você vai parar no olho da rua junto com o seu namoradinho ridículo e aquele garoto virgem. – As mãos dele tocaram a cintura dela e Selena lutou para não derramar nenhuma lágrima quando os lábios de Jake alcançaram o seu tórax distribuindo beijos por aquela região. – Fico muito feliz por você não ter contado nada a Demi. – Disse o rapaz esfregando o corpo ao dela e Selena virou o rosto quando Jake tentou beijá-la na boca. – O que foi querida? Garanto que você vai gostar mais do que a Demi, prometo que eu não vou fazer nada contra sua vontade.

   - É melhor você me soltar Jake! – Disse Selena com raiva tentando se soltar dos braços de Jake, porém ele era mais forte e maior que ela.

   - Eu não quero a força, jamais. – Disse o rapaz afrouxando as mãos nos pulsos de Selena, porém não era o suficiente para ela se soltar. – Eu quero brincar com você e a Demi.. Seria tão gostoso ter as duas ao mesmo tempo, vamos, vocês são melhores amigas e já devem ter feito algo do tipo juntos. – Selena fitou os olhos azuis de Jake com tanto nojo, tentou empurrá-lo e se debateu quando Jake a beijou a força imobilizando o corpo dela com o dele.

   - Se nós fossemos depender de você.. – A voz que soou na sala foi tão grossa e fria. Em um minuto Jake agarrava Selena e no outro o rapaz estava completamente intimidado com a presença masculina. – Você só pensa com a cabeça de baixo! Arrumou aquela puta velha para sugar o nosso dinheiro, a secretária e agora essa? – Selena se sentiu ofendida, porém tão agradecida por aquele homem interromper Jake de agredi-la.

   - Marcus, eu só estava.. – Começou a dizer Jake completamente sem jeito e Selena franziu o cenho. Onde estava aquele homem poderoso que a colocou para servir café e colocou Joseph para limpar o banheiro masculino? O tal do Marcus caminhou até a cadeira que pertencia a Jason e se sentou nela. O homem era branco e alto, forte e de cabelos negros e não parecia nenhum pouco feliz.

   - Só estava pensando com a cabeça do seu pau! Francamente, é por isso que os nossos negócios não dão certo. – Selena preferiu ficar quieta já que Jake pareceu esquecer completamente de sua existência. – O FBI está lá em baixo! Eles já vão subir para investigar a cena do crime novamente e as câmeras de segurança. – Então o homem a olhou com os olhos negros e calculistas, a alma de Selena gelou de medo. – Despache essa pobre coitada Jake! Nós temos uma empresa para administrar e o assassino do seu avô para prender. – O nervoso que possuiu aqueles dois homens era tão forte que poderia ser sentido no ar, chegava a ser tateável. Selena foi arrastada por Jake até a saída do escritório, ele a colocou para fora sem um pingo de delicadeza e bateu a porta do escritório com tanta força.

   - Meu Deus! – Selena respirou fundo por diversas vezes, olhou para o lado encontrando a secretária de Jake tão tensa quanto ela, pobre mulher! Era uma pena que as duas não tinham a mesma sorte. Arrepiada da cabeça aos pés Selena caminhou em direção ao elevador e o chamou tantas vezes morrendo de medo que Jake a puxasse novamente para dentro do escritório e fizesse uma barbaridade com o seu corpo. – Ed! – Assim que as portas se abriram Selena literalmente se chocou a Ed que saiu de dentro daquele cubículo de metal com tanta raiva.
   - Você está bem? – Perguntou o rapaz tão preocupado a puxando para um abraço quando eles já estavam dentro do elevador. – Desculpe por te deixar com ele, nenhum emprego vale isso. – Ed a apertou nos braços e Selena chorou se agarrando cada vez mais ao homem que ela tanto amava. Ele iria salvá-la! Deus! O jeito como Ed parecia nervoso quando saiu do elevador era tão assustador, ele iria quebrar Jake em dois...

   - Ele não fez nada demais. – Disse entre as tantas lágrimas e Ed gemeu de raiva. Como ele poderia ser tão burro a ponto de deixar Selena com aquele homem?

   - Por favor, me perdoa por ser um burro. Eu não deveria ter saído daquela sala sem você. – Selena o beijou com tanto desespero, o abraçou com força e derramou lágrimas entre os beijos.

   - Eu não quero que você se envolva com isso. – Disse fitando os olhos verdes de Ed. – Eu tenho certeza que ele mat... – Ed franziu o cenho ao fitar a câmera do elevador e então tornou a beijar Selena não permitindo que ela concluísse aquela frase.

   - Nós estamos sendo vigiados. – Sussurrou o rapaz assim que beijou o lóbulo da orelha de Selena. – Há câmeras por toda a empresa, ele deve estar vigiando tudo e a todos. – Tornou a sussurrar tão baixinho que se Selena não tivesse uma boa audição ela não escutaria. Deus! Fazia tanto sentido. A filmagem das câmeras do escritório de Jason tinham misteriosamente sumido, a única coisa que a polícia sabia era que Jason havia sido morto por dois homens. Jake e Marcus. Deveria ser isso! Concluiu Selena ao se lembrar de como Marcus parecia nervoso com a visita do FBI e com a nova investigação que eles fariam.

   - Nós temos que contar para a Demi. – Ed assentiu e assim que eles chegaram ao departamento de Designer o rapaz limpou as lágrimas de Selena e a puxou para um local onde não estava sobre o ângulo da câmera.

   - Nenhuma palavra sobre esse assunto aqui dentro. – Sussurrou Ed. – Só use a rede de internet da empresa para o trabalho. Ele está nos monitorando. – Uma coisa era certa. Jake realmente estava os monitorando.


***

A sorte era que Joseph não era fresco. Não era a primeira e nem seria a última vez que ele limparia um banheiro, mas Deus! Ele já estava ficando tão cansado. Todos os homens que adentravam o espaço olhavam para o rapaz de cenho franzido, mas tudo que ele fazia era continuar com o trabalho sem se importar com os olhares que recebia. Quando a última privada estava limpa, Joe tirou as luvas e lavou as mãos com muito sabão. Apoiou as mãos na pedra da bancada da pia e viu dois Joseph no espelho. Ele estava tonto. Cansado e tonto. Não havia se alimentado pela manhã, não havia praticado exercícios físicos e não foi ao hospital tomar insulina como o médico receitou há vários anos atrás.

   - Joseph? – A voz estava longe, Joseph se apoiou mais a bancada da pia e respirou fundo tentando manter o controle. – Você está bem? – Era a voz de Ed, Joseph assentiu e respirou fundo mais uma vez. – Você está bem? – Ed tornou a perguntar completamente atento caso Joe desmaiasse ou algo do tipo, ele parecia tão fraco.

   - É só uma tontura. – Disse o rapaz com a voz falha e Ed olhou para o balde com água, o esfregão e as luvas.

   - O que você está fazendo aqui? – Perguntou de cenho franzido. Joseph havia sumido desde a hora que Jake inventou que Selena deveria servir o café em sua sala e agarrá-la.

   - O Jake.. Ele mandou limpar o banheiro. – Oh Deus! O ódio o consumiu, Ed cerrou os punhos pensando numa forma dolorosa de acabar com a raça daquele canalha.

   - Você não é um faxineiro. – Disse Ed se controlando para não pegar o elevador e bem..

   - Não me importo, desde que o meu trabalho seja honesto. – Joseph levou a mão à cabeça e pediu forças a Deus. Não era hora para a saúde prejudicá-lo. Semanas atrás ele estava numa cama de hospital depois de uma tontura como aquela, o trabalho no campo nunca foi um problema para ele, bem pelo contrário, Joe adorava montar a cavalo para guiar as vacas pelo pasto, ele gostava de correr com Rose e Derick e se jogar na cachoeira, gostava de carregar o feno e limpar o estábulo. Mais tarde Clara o enchia de cuidados e tanto amor, ela era a melhor referencia de pai e mãe que ele conhecia. – É só uma tontura. – Disse a Ed que o olhava de uma forma tão preocupada.

   - Deixe isso, estamos no horário de almoço. – Pobre Joseph! Ele tinha trabalhado naquele banheiro durante toda a manhã e de estomago vazio. – Você comeu alguma coisa hoje? – Perguntou Ed passando o braço pelo ombro de Joe para ajudá-lo a caminhar para fora daquele banheiro. O cheiro dos produtos de limpeza e a fome deveria ser uma sensação agonizante.

   - Não tive tempo. Não tomei insulina hoje, deve ser isso. – Pela primeira vez ele tinha se atrasado e para não chegar à empresa em cima da hora Joseph ignorou o café da manhã e a ida ao hospital. – A Selena está bem? O Jake disse que ela serviria café na reunião, eu não pude fazer nada, a culpa foi toda minha. – Disse ao se lembrar de Selena. Ele não gostou nada da forma que Jake a olhou, mas não havia nada que ele poderia fazer.

   - Ela está bem. – Ed se limitou a contar o que tinha acontecido, ele sabia que Jake acabaria sabendo, pois as câmeras estavam em todos os lugares. Chegou a certo momento que Joe dispensou educadamente a ajuda de Ed, não seria nada interessante se ele chegasse ao departamento com a ajuda do rapaz, Ed concordou com a condição que ele ficaria por perto caso Joe sentisse a tontura novamente.

   - Joe?! Onde diabos você estava? – Joe não esperava ser recebido daquela forma, Demi o abraçou calorosamente e o olhou nos olhos. Céus! Ela estava preocupada. – Eu te procurei durante toda a manhã. – Ela disse analisando o rapaz de cima a baixo para saber se ele realmente estava bem. – Onde você estava? – Tornou a perguntar e Joseph olhou para Selena que estava ao lado de Ed. Ele deveria contar que estava limpando o banheiro masculino a pedido de Jake?

   - Eu.. Eu estava limp.. – Antes mesmo que Joe terminasse a fala Jake surgiu do nada nenhum pouco feliz com a proximidade de Joseph e Demi.

   - Ei linda. – Jake deu um breve abraço em Demi e a segurou pela cintura de uma forma tão possessiva. – Não posso almoçar com você hoje, tudo bem? – Demi assentiu e recebeu um beijo de Jake que fez com ela se sentisse tão mal, pois Joseph estava ao seu lado presenciando tudo. Droga! Demi interrompeu o beijo e apenas forçou um sorriso para Jake. Ela não poderia fazer aquilo. Não mesmo, deveria escolher com quem ficaria, não dava para enganar a Jake e muito menos a Joseph. – Posso te esperar lá em casa hoje à noite? – Jake perguntou e ela corou bruscamente. Uma coisa era Selena saber da sua vida pessoal, outra completamente diferente era todo o departamento ter conhecimento do que acontecia entre ela e Jake.

   - Não vou poder. – Disse baixinho e Jake estreitou os olhos, mas logo forçou um sorriso e a beijou no topo da testa.

   - Nos vemos por ai. – Jake roubou um selinho de Demi e quando deu as costas a ela esboçou um sorriso sarcástico a Selena e a Joseph.

   - Então! – Disse Demi para descontrair o clima pesado que tinha se instalado entre eles. Ela sabia que Selena não gostava de Jake, só não sabia que Ed e Joseph compartilhavam da mesma opinião a respeito do rapaz. – Vamos almoçar? – Disse aos amigos e então ela recebeu aquele olhar de Selena que ela conhecia muito bem. Talvez Jake tivesse razão, Selena pensava que ela precisava de proteção e que era boba, elas não eram adolescentes! Não mais para que Selena a protegesse dos garotos que só queriam se aproveitar.

   - Nós vamos almoçar no hospital. – Disse Ed quebrando o clima tenso entre as amigas.

   - Tudo bem. Eu e o Joseph temos que almoçar no meu apartamento, a pequena está nos esperando. – Pela primeira vez naquela manhã Joseph sorriu feliz apenas por ver aquele lindo sorriso nos lábios de Demi.

   - Você não tem tomar insulina, Joseph? – Ed perguntou e Joe assentiu um tanto sem jeito.

   - Tudo bem, nós podemos ir ao hospital, depois vamos para casa almoçar. – Joe assentiu e foi à mesa buscar os seus pertences. O que ele diria para Demi? Contaria que Jake o colocou para limpar o banheiro masculino? Será que Demi acreditaria nele? O que ela faria? Sentindo que a tontura o dominaria novamente, Joe apressou o passo e alcançou Demi, Ed e Selena que conversavam a espera dele.

   - Está tudo bem? Você parece cansado. – Disse Demi assim que eles adentraram o elevador.

   - Só não me alimentei bem hoje. – Disse Joseph a olhando de uma forma tão apaixonada que não passou por despercebida por Selena e Ed. Ele adorava a forma que Demi o olhava toda preocupada. – Como você está? – Ele perguntou esboçando um sorriso tímido para ela.

   - Estou bem e cansada. – Demi o olhou e também sorriu da mesma forma apaixonada que Joe sorria para ela. – Assistiu algum episódio do Batman? – Demi riu e revirou os olhos quando Ed beijou Selena, ela se aproximou de Joseph e continuou a rir como uma menina quando via um casal se beijando.

   - Não tive muito tempo. – Joe levou a mão ao rosto de Demi para colocar uma mecha de cabelo atrás da orelha dela. – Eu estava pensando, será que nós podemos ir a aquele apartamento depois do almoço? Eu realmente preciso arrumar um lugar definitivo para morar. – Demi assentiu e quando o elevador chegou ao térreo. Selena decidiu que daria carona ao casal de amigos já que Demi insistiu que Joseph deveria tomar insulina.

   - Eu não gosto de hospital. – Comentou Demi com Joseph já que Selena e Ed caminhavam na frente de mãos dadas. – Me dá arrepios..

   - Estou acostumado com hospital. – Disse Joseph gostando de sentir a mão de Demi roçar vez ou outra a dele enquanto eles caminhavam em direção ao hall do hospital. Ele gostaria tanto de ter coragem para enlaçar os dedos aos dela e andar de mãos dadas como Ed andava com Selena, era só uma pena que Demi estava com Jake e ele não sabia ao certo se eles estavam ficando ou se eram namorados. Talvez ele devesse perguntar..

   - Me liga quando for para casa, posso te levar lá. – Disse Selena a Demi que assentiu e deu um abraço apertado na amiga.

   - Dê muito apoio para o Ed. – Disse Demi e Selena assentiu trocando um olhar confidente com a amiga.

   - Dem, cuida do Joe, ele gosta muito de você. – Demi não entendeu ao certo o que Selena quis dizer, ela apenas assentiu fitando Joe e Ed que conversavam. Ela sempre cuidaria dele, Joseph tinha conquistado o seu coração.

Como o atendimento não era de imediato Joseph e Demi ficaram na sala de espera sentados nas cadeiras acolchoadas assistindo à televisão que passava um programa qualquer. Porém tudo foi muito rápido, não demorou nem cinco minutos e os dois caminhavam pelo corredor do hospital em direção à sala que a enfermeira já esperava por Joseph.

   - Tenho que comprar uma caneta para aplicar insulina, é melhor e menos doloroso que a injeção. – Comentou Joseph com as bochechas levemente coradas e Demi riu o acompanhando pela sala. Ele tinha perdido a caneta quando ainda estava no Texas e não se atentou a comprar outra, por isso que tinha que ir ao hospital todos os dias tomar injeção de insulina.

   - Bom dia. – A diabos! Por que a enfermeira não era uma daquelas senhoras simpáticas? A moça deveria ter a idade de Demi, não tinha o atacado ainda, porém era constrangedor. – Sente-se. – Joe se sentou um tanto sem jeito e corado, ele deveria escolher um lugar onde a injeção seria aplicada e as únicas opções eram: coxa, bumbum, braço ou a região da barriga. Droga! Ele jamais deixaria alguém aplicar uma injeção no seu bumbum! Como vestia camisa social de mangas, Joseph resolveu que a melhor opção era o braço já que a última vez que ele tinha aplicado à injeção foi na barriga e não foi nada agradável à forma que a enfermeira olhou para todos os gominhos de seu abdômen.. bem, era muito estranho a forma como ele era olhado.

A respiração de Demi ficou mais pesada e o calor que invadiu o corpo dela era tão errado. Joseph desabotoava botão por botão da camisa sem olhá-la e muito menos olhar para a enfermeira que o olhava com tanto profissionalismo.. Até que o rapaz terminou com os botões e tirou a camisa social. Jesus! Demi mordeu o lábio inferior ao fitar os braços fortes dele. E.. Ela estava passando mal! Graças a Deus estava no hospital e ficaria por lá mesmo.. Joe vestia uma regata branca que ficava perfeitamente colada no torso dele. O peito era largo como ela já sabia e tinha uma leve camada de pelo na região central. Ele era todo moldado e bonito, tão tímido e fofo. Demi sorriu ao vê-lo todo sem jeito conforme a enfermeira aplicava a injeção no músculo forte do braço esquerdo.

   - Isso dói? – Demi perguntou assim que Joe vestiu a camisa e então ela se aproximou para ajudá-lo a abotoar os botões da camisa, já estavam no corredor do hospital já que outro paciente entraria na sala.

   - Quando eu era pequeno a vovó sempre tinha que me segurar. – Comentou o rapaz e Demi sorriu o imaginando pequeno. Um menininho tímido de lindos olhos verdes. – Estou acostumado, o ruim é não poder comer de tudo. – Deveria ser horrível não poder ingerir doces, refrigerantes e tantas outras coisas. Demi continuou a abotoar os botões da camisa de Joe e quando abotoou o botão abaixo do colarinho ela olhou para cima e encontrou os lindos olhos verdes de Joseph a fitando com tanta intensidade. Demi sorriu um tanto sem jeito, pôs-se na ponta dos dedos e selou os lábios nos dele num beijinho rápido e inocente.


   - Vamos? A nossa pequena está nos esperando. – Joseph assentiu sorrindo e eles caminharam conversando descontraídos a encontro de Selena. Era tão bom estar com Demi, Joe a olhou e sorriu ouvindo as histórias dela, vez ou outra ele roçava propositalmente a mão na dela e Demi fazia o mesmo aproveitando todo o tempo que ela tinha ao lado de Joseph.


Continua... Oiiii! Tudo bem com vocês? Eu estou bem também! Então, o que acharam do capítulo? O Jake é um saco! Tadinha da Selena, e o Joe? Esse tal de Marcus, a forma como ele disse das gravações das câmeras.. Será que tem alguma coisa de errado? O Jake estava começando a se revelar, e tem mais podre para ser revelado, é só uma questão de tempo... E a Demi? Até quando ela vai viver nessa fantasia? Ela não quer ficar com o Jake e o Joseph ao mesmo tempo, porém não consegue resistir ao Joseph. Até onde isso vai? E a Dianna? Será que ela vai aparecer com outra bomba? O que vocês acham que vai acontecer? Eu estou muito feliz com os comentários de vocês, SUPER obrigada pelas ideias. ps. algumas já estavam planejadas e aconteceram nessa capítulo ou ainda vão acontecer, mas tem outras que talvez dá para encaixar na fanfic, de qualquer forma eu não vou falar de qual ideia eu estou falando para não dá spoiler e ficar sem graça, MAS eu vou creditar vocês caso eu use a ideia, ok? respostas aos comentários AQUI. Obrigada pelos comentários!! Beijo!