27.5.16

Capítulo 15

O final de semana passou tão rápido que Joseph mal percebeu até porque o rapaz não parava de suspirar e pensar na mulher de sardinhas e do sorriso mais lindo que ele já tinha visto.. Deus! Ele estava apaixonado, literalmente apaixonado. A textura macia dos lábios de Demi moldados nos dele era uma memória viva e que não o abandonava por nenhum minuto. Como um simples roçar de lábios podia mexer tanto com os sentimentos de uma pessoa? Joseph fechou os olhos e sorriu de orelha a orelha ao relembrar a cena. Ele estava penteando os cabelos para ir trabalhar na Gyllenhaal naquela manhã de segunda-feira, e como sempre o rapaz estava tão adiantado. O relógio de prata marcava seis e quarenta da manhã e Joseph entraria as oito. Ser pontual nunca era ruim, e naquele caso só o deixava mais ansioso. Ele veria Demi. Passaria toda a manhã a pouquíssimos metros dela. Como seria? Joseph mal conseguiu pregar os olhos durante toda a noite pensando na amada e em como ela estaria. Ele já sentia saudades. A tarde de sábado tinha sido divertida, Demi era uma mulher engraçada e muito inteligente e o fez rir de coisas tão simples enquanto assistiam à televisão. Ela não tocou no assunto do beijo e ele achou melhor também não tocar, o clima entre eles naquela tarde era tão descontraído e como os bons amigos que eram eles não estragariam aquele vínculo especial que tinha por um beijo que aconteceu por acidente..

Respirando fundo Joseph se olhou no espelho analisando minuciosamente o visual. Será que era apropriado? Ele estava vestido com a melhor roupa social que tinha e até uma gravata estava enrolada em seu pescoço o sufocando, porém era elegante. A camisa social cinza ficava bem moldada no torso masculino, a gravata era de um cinza escuro e Joseph resolveu deixar o paletó na cabeceira de uma cadeira para não amassá-lo. Ele estava bonito e um pouco diferente. Aliás, Joseph se sentia diferente depois do beijo que recebeu de Demi. Quando o celular vibrou o sorriso de Joe foi de orelha a orelha ao ler a mensagem de Rose, ele respondeu a prima e terminou de arrumar o cabelo em frente ao espelho.


Estava acontecendo.. Deus! Estava acontecendo! O café da manhã no hotel tinha sido básico e Joe se alimentou sentado a uma mesa distante dos demais hospedados, uma senhora até tentou conversar com ele enquanto o rapaz preparava o prato na mesa posta com os alimentos para o café da manhã, porém a única coisa que Joseph conseguiu fazer foi balançar a cabeça assentindo e esboçando um leve sorriso tímido. Depois das garotas que estavam no hall do hotel lançarem olhares quentes em direção a ele, bem, Joseph não esperava que ele fosse passar por aquele constrangimento enquanto caminhava na rua. Céus! Ele gostaria de entender porque as mulheres sempre ficavam selvagens na presença dele, o que havia de errado? Ele nem se achava bonito.. Caminhando mais um pouco Joseph finalmente chegou ao prédio da Gyllenhaal, o coração quase rasgou o peito e o sorriso se alargou nos lábios do rapaz. Ele estava tão feliz de finalmente conseguir um emprego, de estar sendo independente depois de uma vida inteirinha debaixo da asa da avó.

   - Bom dia Joseph. – A voz de Selena o assustou, mas o rapaz não se atrapalhou e muito menos corou ao olhar para Selena.

   - Bom dia. – O sorriso dele em direção a Selena foi discreto, porém as bochechas coraram com o abraço que ele recebeu da melhor amiga de Demi.

   - Sel, por que você não me esperou? O zíper da minha bolsa quebrou. – Demi ficou completamente sem reação ao encontrar Joseph ao lado de Selena. O movimento dos carros e pessoas daquela rua sumiu e nada parecia existir além daquele homem lindo. Demi fitou os olhos dele e as bochechas coraram quando Joseph sorriu para ela e então a voz de Selena a despertou daquele transe maluco. – Bom dia Joe. – O apelido soava tão bem na voz dela e apesar de toda aquela atração matadora que um sentia pelo outro, Demi deu alguns passos em direção a Joseph e o abraçou carinhosamente e o beijou na bochecha com toda a gratidão que tinha. Ela jamais se esqueceria que foi aquele rapaz tímido e fofo que a salvou de ter a vida arruinado por um monstro.

   - Bom dia Demi. – Selena nunca tinha visto aquele olhar sonhador de Demi, aquele sorriso verdadeiro e Deus! Desde quando a sua melhor amiga ficava corada? Aquela não era a Demi que Sel conhecia, não mesmo. E ela tinha certeza que Joseph e Demi eram feitos um para o outro. – Como você está? – Joseph pensou em fazer carinho na bochecha dela com a ponta de seus dedos, mas ele apenas colocou a mecha dos cabelos castanhos que estava fora do lugar atrás da orelha.

   - Estou bem. E você? – Demi perguntou tagarela como sempre se desfazendo do abraço de Joseph para olhá-lo. – Você está muito bonito! Não acha Sel? – O rapaz corou quando Selena assentiu o olhando e foi ai que Demi se lembrou de que Joe era tímido. Mas Deus! Ela tinha que comentar, Joseph era um homem lindo tanto por dentro quanto por fora.

   - Estou bem.. – Joe respondeu olhando para Demi. Ela também estava linda, incrivelmente linda vestida com calças jeans, uma blusinha com pequenos desenhos de florzinhas e um blazer preto. – Você tamb..ém está muito bonita. – Ele disse um pouco atrapalhado e corado, porém estava satisfeito por ter coragem de confessar como aquela mulher maravilhosa estava linda naquela manhã nova-iorquina.

Segundos depois das bochechas coradas e dos elogios sinceros, Joseph, Demi e Selena adentraram ao prédio da Gyllenhaal. Sel e Demi conversavam e Joseph apenas escutava a conversa das amigas sem saber ao certo se deveria ou não participar da conversa, mas acabou que Selena o encaixou a conversa e aos poucos o rapaz relaxava esquecendo que aquele era o seu primeiro dia de trabalho na empresa de seus sonhos.

   - O elevador está quebrado. – A cara de Demi não foi das melhores, e Selena acabou rindo puxando a amiga em direção ao jogo de escadas que levava para os andares superiores do prédio.

   - Você vai gostar do pessoal do seu departamento, Joe. – Comentou Selena. As duas amigas estavam na frente de Joseph e elas conversavam sobre o departamento de redes que ficava no mesmo andar do departamento de Designer.

   - As meninas vão enlouquecer. – Demi o olhou sobre o ombro esboçando um sorriso divertido e Joseph sorriu um tanto sem jeito desviando o olhar do dela. As mulheres poderiam até agir daquela forma estranha e selvagem quando ele estava por perto, porém Joseph tinha certeza que ele só teria olhos para Demi. Ele a olhou e sorriu observando como ela ficava linda sorrindo e descontraída diferente da Demi daquela noite sombria que chorava de medo enquanto aquele brutamonte tentava violá-la. Tornando a olhá-la Joe franziu o cenho pensando em como Demi tinha curvas bonitas e graciosas, ele olhou para Selena que era esbelta e tornou a olhar para Demi e todas as curvas exuberantes dela. Pare de olhá-la! Se repreendeu mentalmente ao fitar o traseiro bonito da mulher a sua frente. Ele nunca tinha feito aquilo e muito menos sentido aquele calor surpresa lhe invadir o corpo, a sensação não era ruim, porém Joseph se sentiu estúpido por olhar acidentalmente para o traseiro de Demi.

   - Está nervoso? – O jogo de escadas finalmente tinha acabado e pelo que Joe percebeu eles haviam chegado ao departamento onde ele trabalharia.

   - Estou. – O rapaz sorriu para Demi e a seguiu para dentro do departamento. Aquele lugar era enorme! Simplesmente enorme e lotado de pessoas. Havia portas com placas com o nome dos donos dos escritórios e havia divisórias de mini escritórios onde o número de empregados era maior. A decoração do local era sofisticada e tão luxuosa que Joe rezou para que ele não se atrapalhasse e quebrasse alguma daquelas peças que pareciam tão caras. Era bem típico dele se atrapalhar quando uma mulher resolvia se aproximar demais ou simplesmente conversar com ele. E aquilo seria um problema julgando pela quantidade de pessoas do sexo feminino.. Elas olhavam para ele! As bochechas do rapaz esquentaram e logo estavam avermelhadas. Para onde ele deveria olhar? Demi que estava ao lado de Joe revirou os olhos para as colegas de trabalho e puxou Joseph em direção ao seu escritório.

   - Respira fundo, ok? – Demi disse ao rapaz destrancando o escritório. – Você está bem? – Perguntou assim que fechou a porta. – Joe, está tudo bem, não precisa ser tímido comigo. – Ela disse na tentativa de encorajar o rapaz a se aproximar da mesa onde ela arrumava os papeis e o notebook.

   - Tudo bem. – Murmurou Joe se aproximando e Demi puxou uma cadeira para que ele pudesse se sentar.

   - Esse é o seu primeiro emprego, certo? – Ela perguntou e o rapaz assentiu sem olhá-la. – Você é um rapaz muito inteligente, não tem um porque para sentir vergonha, não há nada de errado com você, ok? – Demi sentia que deveria dizer aquelas palavras para Joe, ela não podia deixar de observar como ele ficava todo sem jeito no meio de muita gente, era como se Joe se sentisse inferior aos demais. – O mercado de trabalho é uma verdadeira cadeia alimentar e você tem que ser forte e esperto, não deixe ninguém pisar em você e não pise em ninguém, e às vezes você tem que ser um pouco ousado, entende? Nada de timidez ou vergonha, mostrar que você é inseguro vai atrapalhar muito, as pessoas não confiarão em você. – Demi o olhou ainda cabisbaixo e se sentou na cadeira ao lado da que Joe estava. – Ei, olha para mim. – Ela pediu levando a mão a dele. – Você é um homem incrível Joe, seja quem você realmente é e não sinta vergonha por isso. – Joseph finalmente a olhou e sorriu. O coração dele batia tão rápido, ele gostava tanto de ter a atenção de Demi e gostava ainda mais de se sentir vivo e disposto a quebrar aquela vergonha e nervoso que sempre o atrapalhou durante toda a vida.

   - Eu vou tentar, prometo. – A masculina voz soou tão firme que Demi sorriu completamente feliz por Joe.

   - Vou estar aqui para você. – Demi enlaçou os dedos aos dele e fez um breve carinho na mão do rapaz fitando aquela conexão. Ela se sentia confortável com Joe, gostava de ter a mão dele cobrindo a dela lhe passando tanta segurança. – Ignore as meninas, elas são taradas por bonitões como você. – Dessa vez as bochechas dos dois coraram e eles acabaram rindo para descontrair o clima.

   - Eu sempre fico nervoso quando uma mulher está por perto. – Ele confessou baixinho e Demi o olhou atentamente. – Não consigo agir naturalmente. – Joe riu envergonhado quando Demi arqueou as sobrancelhas o olhando. – Você é uma exceção, você é.. – As bochechas dele estavam coradas e Demi estava terrivelmente curiosa para saber o que Joe tinha a dizer. – É especial para mim. Às vezes sinto vergonha, mas você é como a vovó e a Rose, me sinto confortável e sei que posso ser eu mesmo quando nós estamos juntos.  – Demi sorriu e o abraçou. Ele não tinha gaguejado e tinha dito que ela era especial.

   - Você também é especial para mim. – Ela o olhou nos olhos e sorriu assim como Joe. Eles se olharam por algum tempo, respiraram fundo por alguns segundos e logo o olhar de Joe caiu sobre a boca bonita de Demi assim como o olhar dela capturou os lábios dele. Demi sentiu exatamente o momento em que o coração de Joe acelerou e então ela fez o que o coração mandava: encostou os lábios nos de Joe sentindo borboletas no estomago, o coração quase sair pela boca e as pernas amolecerem mesmo estando sentada.

   - Demi.. – Joe a olhou assim que abriu os olhos e os lábios dela estavam longe dos dele. O que ele diria? Joe não sabia, não quando os olhos marrons de Demi estavam tão próximos fitando os dele. Ele continuou a fitá-la nos olhos, levou a mão ao rosto de Demi e o acariciou como tanto desejava até que os lábios dela cobriram os dele novamente. Dessa vez Joe a puxou para ele e a apertou contra o corpo enquanto entreabria os lábios permitindo que Demi pressionasse delicadamente a língua na dele. A sensação era tão incrível e Joe não queria soltá-la de jeito nenhum, mas não teve saída quando a batida à porta soou pela sala os assustando.

   - Já estou indo. – Lançando um breve olhar a Joe, Demi se levantou e se apressou em abrir a porta do escritório.

   - Como sempre maravilhosa. – Jake era todo charmoso e adorava cortejá-la, e foi o que ele fez se curvando para lhe beijar a mão lançando o seu olhar mais sedutor. – Você está simplesmente linda Demi. – As bochechas de Demi coraram e ela olhou um tanto sem jeito para Joseph sentado na cadeira cabisbaixo. O que diabos ela estava fazendo com aquele rapaz? Jake já estava em sua vida, e ela não deveria enganar a Joseph o beijando e lançando aqueles olhares intensos para o rapaz.

   - Nós só estávamos conversando. – Disse assim que Jake flagrou Joseph e automaticamente enrijeceu. – É o primeiro dia dele, ele estava nervoso. – Jake assentiu de cenho franzido, adentrou o escritório de Demi e se aproximou de Joe estendendo a mão para o rapaz. – Bom dia rapaz. – Demi até poderia acreditar no sorriso estampado nos lábios de Jake, porém não era o suficiente para convencer a Joseph que aquele homem era uma boa pessoa. Por pura educação Joe se levantou e apertou a mão de Jake sem ousar em desviar o olhar frio que ele lhe lançava o examinando.

   - Eu já estava de saída. – Joe não se deixou intimidar, as palavras de Demi foram tão especiais para o rapaz e o ajudou a perder aquele medo bobo de ser quem ele realmente era. – Obrigado Demi. – Parado em frente a ela, Joe a olhou tão intensamente, se curvou e depositou um beijo carinhoso na testa de Demi antes de sair daquele escritório a deixando de pernas bamba sobre o olhar furioso de Jake.

***

Ninguém esperava pela mudança absurda do clima. Era por volta de sete da noite e o vento uivava pelas ruas de Manhattan, as folhas das árvores lutavam para não se desprender de seus galhos e bem, se manter aquecido era uma tarefa difícil, porém uma coisa era certa: A chuva estava por vir. Agarrando-se ao sobretudo, Demi sorriu como uma menina ao olhar para o rapaz ao seu lado. Joseph estava tão encolhido na jaqueta de couro que era de partir o coração, Demi queria compartilhar o sobretudo com o rapaz, mas a peça não abrigaria os dois e fora que ela estava envergonhada por ter beijado o seu herói favorito quando mais cedo. Joseph tinha ficado tão vermelho de vergonha naquele dia no Central Park, mas naquela manhã ele até a chamou pelo nome antes dela juntar os lábios aos dele novamente. Não deveria enganá-lo, não deveria fazer o coração de Joe bater mais rápido por ela assim como o seu coração batia mais forte por ele.. Havia Jake quem Demi gostava muito e queria ter um futuro. Abaixando a cabeça, Demi franziu o cenho, mas riu ao olhar para o lado e encontrar Joseph fazendo careta e tentando se aquecer como podia. Talvez a ideia de procurar por um apartamento do rapaz àquela hora da noite não tinha sido boa. Mas a culpa era do clima! Ninguém imaginava que o vento fosse tão cruel anunciando a chuva que cairia mais tarde.

   - Eu deveria ter falado com o síndico do meu prédio na sexta, o apartamento livre foi alugado no sábado. – Disse Demi se aproximando mais de Joseph. – Nós já andamos por boa parte dessa área de Manhattan e nada. – Murmurou cansada quando percebeu que era a segunda vez que eles passavam pelo mesmo lugar. – Ah não Joseph! Nós estamos rodeando o mesmo quarteirão pela segunda vez. – O jeito que ela disse e franziu o cenho foi motivo para a risada de Joseph.

   - Eu acho que é a terceira. – Demi parou por um instante, fitou a frente de uma barbearia e revirou os olhos com vontade e logo fuzilou Joe com os olhos. – O que foi? – Ele perguntou rindo e Demi quase suspirou admirada com a beleza do rapaz.

   - Você sabia? – Ela perguntou chateada, mas acabou rindo e dando um leve empurrão no rapaz. – Eu deveria suspeitar que um nerd fã de HQ me obrigaria a rodear o mesmo quarteirão três vezes, que tola que eu sou. – Arrumando os óculos de grau ao rosto, Joe esboçou um sorriso de menino e abaixou a cabeça.

   - Você também é nerd. – Ele disse a olhando com tanta paixão, mas logo desviou o olhar do de Demi para fitar os próprios pés. – E também gosta de HQ. – Demi mordeu o lábio inferior e riu.

   - Eu não sou nerd. – Disse e Joe arqueou as sobrancelhas a fazendo rir. – Tudo bem, quando eu era adolescente talvez.. Sempre gostei de quadrinhos de super-heróis, jogos de videogame, livros e séries, na verdade sempre gostei de um pouco de tudo. – Demi sorriu colocando uma mecha do cabelo atrás da orelha e Joe quase colidiu contra um poste ao flagrá-la morder o lábio inferior. Diabos! De repente o frio havia passado e era um calor estranho que o dominava. – Lia HQ, frequentava baladas, lia livros melosos de romance, namorava bastante.. Enfim, aproveitei o máximo da minha adolescência com a Sel, nós fazíamos tudo juntas, estudamos na mesma faculdade, dividimos o mesmo apartamento. – Demi sorriu ao se lembrar da adolescência. Tinha sido uma fase boa.. tirando as decepções amorosas, todas as mancadas de Dianna e a morte de Amélia. – E você? O que fez na sua adolescência? – Perguntou o olhando. Joe parecia tão pensativo caminhando ao lado dela.

   - Eu não tinha coragem de dizer uma palavra para os meus colegas de turma e eu não podia comer doces no halloween. Não tive amigos quando pequeno, aliás, a vovó era uma boa amiga, ela sempre me levava para os cultos da igreja e às vezes a gente caminhava na fazenda admirando o por do sol. Quando a Rose cresceu ela e o Derick conseguiram quebrar as minhas barreiras e nos tornamos melhores amigos, sinto falta deles. – Ele disse minutos mais tarde quando já se aproximavam de virar a rua dando mais uma volta no quarteirão. – Não fui a baladas e nunca tive uma namorada. No início da faculdade não foi nada fácil, mas depois eu me acostumei a ser sozinho, porém o meu maior desafio foi substituir os professores de matemática da escola da região. – Demi o olhava com certa surpresa e Joe podia jurar até uma pitada de espanto no rosto da amada. E não era para menos! Ela tinha sido a primeira! Demi iria ter um surto interno! Como um homem como Joseph nunca havia namorado.. Ops! Ele disse que nunca teve uma namorada, isso não queria dizer que ele nunca namorou. Gritou Demi para si mesma. Ah droga! Será que ela tinha sido a primeira mulher a beijá-lo? A pergunta se repetia com frequência a deixando atordoada.

   - Você deu aulas de matemática? – Perguntou atrapalhada com as próprias palavras e Joe assentiu.

   - Trabalhei com geometria, passei sufoco com os alunos por conta da timidez, mas era um pouco divertido. – Sufoco era pouco. Quando Joe era mais novo a timidez era tão grande que o rapaz não conseguia formular frases com sentido, ele começava a tremer quando escrevia no quadro e o coração quase saia pela boca quando um aluno perguntava algo sobre a matéria.

   - Aposto que as meninas tiravam bastante proveito. – Demi forçou um sorriso um tanto sem jeito e adentrou os bolsos do sobretudo com as mãos se encolhendo e se aquecendo à peça quente e confortável.

   - Algumas.. – Ele disse corado. – Sempre fui muito tímido para essas coisas. – Os dois hesitaram em se olhar, preferiram pôr-se cabisbaixo enquanto caminhavam pelo quarteirão. Tudo culpa dos beijos que trocaram, mas era tão difícil resistir àquela atração. Demi simplesmente queria beijar os lábios macios de Joseph, ela gostava daquela sensação incrível que era estar nos braços dele. Ela nunca havia se sentido daquela forma nos braços de nenhum homem. Já Joseph amava ter Demi aninhada em seus braços e parecia tão certo, ele queria abraçá-la o tempo todo a protegendo de todo o mal e beijá-la por incontáveis minutos com toda a paixão e o carinho que ele nutria por aquela mulher.

   - Gostou do seu primeiro dia na Gyllenhaal? – Demi perguntou observando o movimento da rua. Aquela região de Manhattan costumava ser movimentada a noite, porém a rua que eles caminhavam estava tão vazia que Demi se aproximou um pouco mais de Joseph sentindo o medo de alguém lhe fazer mal a preencher.

   - Gostei. – Ele disse baixinho e Demi sorriu mordendo o lábio inferior. – Obrigado por me ajudar.. – A voz dele soou falha e o rosto de Demi esquentou. – Foi muito importante para mim, acho que eu não teria conseguido sem você. – Como ela queria abraçá-lo apertado contra o corpo e beijá-lo como se não existisse o amanhã! Demi o olhou brevemente e sorriu apaixonada também suspirando fundo.

   - Você.. você não tem que ter vergonha Joe, você é incrível. – Ele não ficou vermelho como Demi esperava que ficaria, apenas sorriu arrumando os óculos de grau ao rosto. – Está muito bom aqui, mas eu estou ficando enjoada de rodear o quarteirão. – Os dois riram e foi ai que Demi olhou para o lado e viu uma placa de aluga escondida atrás de uma folha de coqueiro. – O que você acha? Está alugando. – O lugar era bem mais simples que o prédio onde Demi morava e deveria ter no mínimo dez andares, a localização era boa, o prédio ficava na rua que levava ao prédio onde Demi morava e era ainda mais perto da Gyllenhaal.

   - Parece bom. – Comentou Joe analisando o local. Era simples e parecia ser perfeito para ele que tinha acabado de arrumar um emprego e iniciado a vida independente de adulto. – Mas está fechado.

   - Está tarde, acho melhor a gente passar aqui amanhã cedo. – Joseph assentiu. Estava realmente tarde, o céu estava carregado de nuvens roxas e as ruas estavam vazias.

   - E parece que vai chover. – Ele disse fitando o céu. – Vamos? Vou te deixar em casa. – O coração de Demi quase saiu pela boca quando Joe lhe tocou o ombro direito com a mão, ele parecia distraído fitando o céu que nem percebeu o que fazia.

   - Tudo bem. – Demi pensou em protestar e dizer que poderia ir para casa sozinha como ela fez no dia da pizzaria, porém infelizmente não era seguro andar sozinha àquela hora da noite, e Joe a fazia se sentir segura. – Se não tivesse tantas nuvens no céu eu te levaria no meu lugar especial. – Levá-lo ao Top of The Rock seria tão perfeito e tão gratificante ver o sorriso de Joe enquanto eles admiravam toda a Nova York a sua volta e o céu tão estrelado.

   - Você tem um lugar especial? – Perguntou Joe um tanto curioso a olhando e Demi assentiu. – Onde é? – A risada gostosa dela o fez rir também, Joe arqueou as sobrancelhas quando Demi também arqueou as dela e esboçou o seu sorriso de menino enquanto ele olhava para aquela mulher linda.

   - É surpresa, mas prometo te levar lá quando não estiver prestes a chover. – Joe assentiu e se aproximou mais de Demi quando eles cruzaram uma rua completamente deserta. A luz do poste piscava vez ou outra, havia um carro de vidros quebrados e um beco completamente escuro. Passando o braço sobre os ombros dela, Joe a trouxe mais para si apressando o passo quando a luz do poste piscou e o barulho de algo caindo os assustou. – Deve ser apenas gatos. – Sussurrou Demi completamente assustada e em estado de pânico. Aquele beco a lembrava da noite em que aquele homem nojento tentou violentá-la.

   - Não vou deixar ninguém te machucar. – Joe sussurrou de volta tentando protegê-la da melhor forma que podia. O rapaz estava com tanto medo de alguém tentar machucar a sua menina, ele jamais se perdoaria.. Abraçando Demi com mais força, Joe franziu o cenho sentindo o coração encher-se de medo quando o barulho ficou mais constante e se aproximava mais deixando a escuridão do beco. Demi também estava assustada e sentia as pernas tão moles que não tinha forças para correr.. Até que ela o viu. A surpresa foi tão grande e ela sentia a tensão ser dissipada pelas extremidades do seu corpo e o alivio preenchê-la por completo.

   - É um filhote. – Disse tão surpresa quanto Joe. Era uma pequena bolinha de pelos marrons determinada a puxar um saco com todas as suas forças. Demi e Joe observaram fascinados o filhote se enfiar dentro do saco e logo sair sacudindo a cabeça. As tentativas do pequeno continuaram, uma hora ele mordia o saco, outra se enfiava dentro até que conseguiu trazer ao cimento da calçada um pouco de ração.

   - Ei pequeno. – Joe não pensou duas vezes antes de se aproximar do pobre cachorrinho faminto o ajudando com o saco de ração, ele era tão pequenino e deveria ter por volta de seus dois meses de vida. Sem hesitar Joe acariciou a cabeça do pequenino concentrando o carinho nas orelhinhas caídas do filhote e Demi que observava tudo sorriu completamente animada se aproximando de Joe e do pequeno.

   - Ele está tão faminto. – Comentou ao ver o filhote devorar os grãos de ração desesperadamente. – Está tão frio, será que ele está sozinho? – Joe olhou para o beco escuro e silencioso e deduziu que o pequeno era o único ali.

   - Eu acho que sim. – Disse o rapaz tornando a acariciar o pequeno filhote. Deus! Joe sempre quis ter um cachorro, porém Clara nunca permitiu que o neto criasse um. – Vou levá-lo comigo. – Era a oportunidade perfeita! Joe sorriu observando o filhote comer e se deliciar do carinho que recebia. Seria tão bom ter um cachorro e ele não ficaria tão sozinho.

   - Para o hotel? – Demi tomou coragem e levou a mão às costas do pequeno para acariciá-lo. Era outra apaixonada por cães, porém não podia tê-los já que quando era adolescente Dianna nunca permitiu e agora ela morava em um apartamento onde animais eram proibidos.

   - É temporário. – Joe checou a ração que o filhote devorava e franziu o cenho ao perceber que o alimento estava misturado a terra e cacos de vidro. Porque diabos as pessoas não doavam o resto de rações a pequenos filhotes como aquele ao jogá-la no lixo? Pegando o pequeno na palma de sua mão, Joe se levantou assim como Demi e riu da tentativa frustrada do pequeno de mordê-lo e se soltar do seu abraço. – Vou ficar com el.. ela. – Era uma menina. Joe a analisou e sorriu ao fitar os olhos cor de mel da pequenina.

   - Você não pode levá-la para o hotel. – Disse Demi sorrindo enquanto acariciava a cadelinha já aninhada nos braços de Joe. – Você pode deixá-la comigo. – Joe olhou da pequena a Demi.

   - Você tem certeza? Não tem problema? – Disse o rapaz começando a caminhar ao lado de Demi. Por mais que era apenas aquela pequena menina no beco escuro, aquela rua ainda era muito assustadora.

   - Bem.. Ela vai ter que ficar escondida, mas acho que ninguém descobrirá.. Eu não tenho amizade com os meus vizinhos. – Comentou aliviada assim que saíram daquela rua mal iluminada e cruzaram com a rua do prédio onde Demi morava.

   - É arriscado, não quero que tenha problemas por minha culpa. – Joe aninhou mais a cachorrinha dos braços a protegendo do vento frio.

   - Não tem problema Joe. O apartamento é meu. – Demi pegou a pequena dos braços de Joe assim que eles chegaram a calçada do prédio. – Mas você vai ter que me ajudar a cuidar dela. – Joe assentiu observando Demi guardar a pequenina no bolso interno do sobretudo para que ninguém a visse. – Não é melhor chamar um táxi? – A rua estava deserta, o céu completamente roxo e o hotel onde Joe estava hospedado ficava um pouco longe para qualquer pessoa caminhar sozinha a uma hora daquela.

   - Está tudo bem. – Joe a olhou e sorriu sem jeito. – Obrigado por me ajudar Demi, foi muito bom caminhar e conversar com você. – Ele não soube ao certo para onde olhar, mas sabia que se fitasse os olhos de Demi a tomaria em seus braços e a beijaria com fervor.


   - Nós podemos fazer isso mais vezes. – Disse Demi fitando os botões da camisa que Joe vestia. – Também gostei de caminhar e conversar com você. – Ela disse olhando para o rosto bonito do rosto do rapaz. – Tenha cuidado Joseph. – Quando ele finalmente a olhou nos olhos o sentimento que a invadiu foi tão forte e assustador que Demi pôs-se na ponta dos pés, enlaçou o pescoço de Joe com braços adentrando o cabelo da nuca dele com os dedos e beijou os lábios dele com tanta paixão sentindo os braços de Joseph rodearem sua cintura colando o corpo dela ao dele. – Por favor, tenha cuidado. – Disse ainda nos lábios dele e Joe assentiu roçando os lábios aos de Demi antes de partir.  


Continua.. Oi! Como vocês estão? Tô bem! Então.. Desculpem, desculpem e desculpem! Eu odeio ficar essa quantidade absurda de dias sem postar, é tão chato, mas eu estou tão sem ideias, sem saber associar as coisas.. Como faço? Toda vez que eu sento para escrever não sai nada, as ideias estão fugindo de mim. Alguém tem alguma sugestão? O que vocês esperam da fanfic? Eu não vou desistir de escrever, mas está difícil.. Obrigada pela paciência de vocês, eu espero estar errada sobre achar que está ficando chato o que eu estou escrevendo, mas se estiver por favor comentem a respeito, eu vou pensar mais sobre a fanfic, tentar colocar mais emoção e mais tretas. Novamente desculpem pela demora, resposta aos comentários AQUI e AQUI! Até o próximo capítulo meninas, abraço. 

15.5.16

Capítulo 14

O calor emanava do peito largo para as palmas das pequenas mãos femininas. O silêncio era absoluto no quarto iluminado apenas pela luz cintilante do abajur sobre o criado-mudo ao lado da cama. O lençol branco embrulhava o colchão macio do qual o corpo de Demi era obrigado a se afundar. O jantar tinha sido maravilhoso, cozinharam juntos e degustaram a luz de velas da melhor comida japonesa que tinham conseguido preparar. A noite tinha sido divertida e apesar da pouca conversa os olhares que trocaram eram intensos demais, logo os lábios estavam colados e os corpos roçados. Era tudo que Demi previa para aquela noite com Jake, boa comida, boa conversa e uma boa transa, entretanto estava sendo insuportável. Simplesmente insuportável. O corpo estava presente e sendo devorado pelos lábios de Jake, mas a cabeça estava em outro lugar e em outra pessoa. Brigar com Selena era definitivamente a pior coisa que poderia acontecer, e elas tinham brigado, oh sim.. Selena era cabeça dura demais, queria dominá-la e decidir por ela!

   - Selena? Parece que você viu um fantasma. – A voz de Ed soou preocupada enquanto o rapaz segurava gentilmente Selena pelos ombros. – Você está bem meu amor? – Ed tornou a perguntar e Demi desviou a atenção do balcão de sobremesas para fitar a amiga pálida e um tanto atordoada.

   - Dem.. Por favor, não vá jantar com o Jake essa noite. – Selena disse fitando os olhos dela com os seus marrons carregados de suplica e medo, porém Demi franziu o cenho e respirou fundo para não começar uma briga dentro da padaria cheia de clientes. – Vamos lá para casa, nós podemos fazer alguma coisa juntas. – Ela não podia desmarcar com Jake, a essa altura do campeonato o rapaz já deveria estar ansioso para a noite que eles teriam e Demi não podia negar que estava ansiosa, pois estava e muito.

   - Sel, nós podemos marcar alguma coisa amanhã, eu já tenho compromisso hoje à noite. – Demi até esboçou um sorriso fraco para Selena em um pedido de desculpas, mas fazer o que? Ela queria muito estar com Jake nas próximas horas, escutar a risada dele e fitar os olhos azuis intensos.

   - Deus, Dem! Você vai continuar saindo com aquele cara? Você mal o conhece e já.. – Selena atropelava as próprias palavras, estava nervosa e gesticulava as mãos. Demi olhou da amiga para Ed e franziu o cenho e novamente respirou fundo para não explodir. – Você não pode sair com ele Demetria, ele.. ele.. Eu não vou permitir. – Selena não sabia o que dizer a Demi, não sabia se contava a ela que tinha acabado de topar com Jake e Dianna saindo de um Café que por sinal era vizinho da padaria. O que Demi iria pensar? Que ela estava ficando louca oras! E que tudo era mentira.

   - Você não manda em mim Selena! Não manda! Eu sou madura o suficiente para saber com quem eu devo ou não sair, não preciso da sua opinião. – Era tarde demais e todos olhavam exclusivamente para ela. Todos. Demi ofegava e não deixava de fitar os olhos de Selena por nada desse mundo, mas a vontade de sumir foi maior e ela o fez, saiu daquela padaria a passos largos e caminhou furiosamente por alguns minutos, até que se acalmou e concluiu o resto do caminho até o apartamento onde morava.

   - Ei princesa.. – A voz masculina soou baixa e quente contra o ouvido, as mãos de Jake encheram-se com os seios médios e bonitos e logo estavam na cintura feminina a segurando para que ele se afundasse mais no corpo dela. Demi tentou se concentrar, deslizou as mãos pelas costas largas de Jake e enlaçou mais as pernas ao corpo dele o ajudando a se mover da forma que podia. Ronronou o nome dele e o beijou no maxilar logo escondendo o rosto ali. Ela não aguentava mais.. Não mesmo. Seria a segunda vez que ela o faria naquela noite e estava extremamente envergonhada de ter que apelar para aquela opção, mas era a única saída, Jake estava empolgado demais para ela simplesmente lhe jogar um balde com água fria. Puxando os cabelos da nuca dele, Demi franziu o cenho e fez a melhor encenação de sua vida ao gemer o nome do rapaz e relaxar o corpo contra o colchão em mais um falso orgasmo. Deus! Ela teria que o fazer, caso contrário Jake continuaria com aquilo pensando que ela estava gostando... Oh Deus! Que vergonha, Demi fechou os olhos e abraçou o corpo forte de Jake enquanto ele chegava ao limite chamando por ela. – Eu já volto. – Demi aceitou o beijo que ele depositou nos lábios dela e ergueu-se para vê-lo caminhar em direção ao banheiro para descartar o preservativo.

   - Meu Deus! – Resmungou Demi se curvando para alcançar o sutiã jogado no chão ao lado da cama. – Droga Selena! – Só Deus sabia como ela estava frustrada! Aquilo nunca tinha acontecido, não mesmo... Fingir um orgasmo? Aliás, dois orgasmos? As bochechas de Demi coraram e ela buscou pela camisa xadrez que Jake vestia antes deles.. Um.. Transar. – Droga! – Resmungou novamente vestindo a calcinha e se deitou na cama. Que diabos estava acontecendo? Demi franziu o cenho ao fitar o teto do quarto. Ela ainda não acreditava que estava brigada com Selena e que tinha fingido dois orgasmos.

   - Você está simplesmente linda. – Jake franziu o cenho e se deitou sobre ela a beijando na boca e deslizando as mãos pelo corpo feminino. – Está linda baixinha. – Ele disse a puxando para que Demi pudesse se deitar no peito dele e quando ela o fez os dedos do rapaz deslizaram para o couro cabeludo para acariciá-lo e enroscar os dedos nas mechas longas e castanhas. – O que foi? – Demi nunca ficava quieta e tagarelava tanto que às vezes deixava qualquer homem tonto, porém ela estava quieta, Jake deslizava a ponta dos dedos pelo rosto dela e a via suspirar vez ou outra.

   - Foi um longo dia. – Demi forçou um breve sorriso para o rapaz e fechou os olhos tentando relaxar. A que ponto ela tinha chegado?

   - Você está tão quietinha, aconteceu alguma coisa? – Jake perguntou observando Demi minuciosamente. Deus! Encontrar Selena estava definitivamente fora de cogitação! Ainda mais quando ele estava acompanhado por Dianna! Ele já não gostava muito da melhor amiga de Demi, Jake sabia que Selena era esperta e não demoraria muito para descobrir...

   - A Sel.. – Jake enrijeceu e arregalou os olhos, sorte era que Demi não o olhava. – Nós brigamos de novo. Eu estou cansada dela achar que sabe de tudo sobre os meus relacionamentos, eu não sou boba e não vou deixar que ninguém me machuque. – As bochechas de Demi acabaram coradas, mas ela não queria esconder de Jake a situação que vivia com a melhor amiga por causa dele.

   - Hum.. Você é uma mulher linda e que pode tomar as próprias decisões. – Jake disse deslizando a mão pelo corpo dela. – Talvez a Selena esteja chateada porque você passa mais tempo comigo que com ela, ciúme mexe com a cabeça das pessoas, gatinha. – Demi franziu o cenho pensando na questão. Às vezes era notável o ciúme de Selena, mas não era algo exagerado ou que levasse a discussão de mais cedo. – Ou talvez.. Eu não sei, não quero tirar conclusões sem ao menos conhecê-la. – Ele disse pensativo a puxando para ele.

   - Talvez? – Demi apoiou os cotovelos sobre o peito do rapaz e o fitou nos olhos esperando que Jake concluísse a frase, mas ele só a puxava para se deitar sobre ele e a acariciava.

   - Eu não sei.. – Jake a surpreendeu quando se virou de vez a imprensando contra o colchão. – Você está saindo comigo.. Entende? Desculpe gatinha, não quero julgar a sua amiga, mas talvez ela queira estar no seu lugar. – Demi levou as mãos ao peito de Jake e o espalmou para empurrá-lo gentilmente para que ela pudesse se erguer e respirar fundo. Não era possível, Selena estava com Ed e ela jamais faria isso.

   - A Sel está com o Ed, Jake. – Selena estava com Ed e o amava. Demi se lembrou da conversa com Sel no escritório quando era mais cedo, a amiga tinha até chorado e compartilhado toda a história de Ed com ela, Selena estava apaixonada, pois se não estivesse os olhos dela não brilhariam e ela jamais deixaria que Ed se aproximasse cada vez mais derrubando todas as suas barreiras. Demi conhecia muito bem a amiga que tinha e sabia que Selena não era como ela para ceder e se apaixonar tão facilmente.

   - Tudo vai se resolver, aposto que amanhã mesmo vocês vão se acertar. – Demi sorriu imaginando a cena, ela já estava morrendo de saudade da amiga e se sentia estúpida por repelir Selena. – Hum.. Que tal se a gente namorar mais um pouquinho? – Os olhos marrons se arregalaram e Demi engoliu em seco quando Jake se deitou na cama e a puxou para cima dele começando a despi-la e distribuir beijos pelo tórax e pescoço.

   - Jake.. Eu estou cansada. – Demi disse um tanto sem jeito. A última coisa que ela queria no momento era transar. Deus! O que estava acontecendo com ela? Jake estava deitado na cama nu. O peito largo, os braços fortes, os olhos azuis e o sorriso mais sexy que ela já tinha visto. Não era possível! Ele a agradava até lá em baixo.. Oh Deus! A agradava e muito. Era o sonho de toda mulher. – Vamos dormir? Nós podemos.. hum.. namorar amanhã. – Será que as bochechas coradas e a vergonha de Joe eram contagiosas? Ultimamente Demi estava corando e em algumas situações sentia vergonha. Não era nada normal para ela corar e sentir vergonha.

   - Eu vou cobrar. – Demi fitou a mão de Jake acariciá-la no íntimo mesmo protegido pela calcinha e logo fitou os olhos azuis do rapaz queimando de desejo e algo a mais. – Ei linda, obrigado pela noite maravilhosa. – Ela não esperava por aquelas palavras e nem pelo beijo carinhoso que recebeu na testa. – Você é muito especial para mim e eu quero que as coisas realmente aconteçam entre a gente. – O coração de menina disparou com tanta precisão que Demi pensou que ele poderia sair por sua boca, um sorriso surgiu nos lábios dela e como era de se esperar Demi se aninhou ao peito do rapaz suspirando apaixonada. Era tão bom ouvir aquelas palavras, alguém no mundo se importava com ela de verdade.

   - Você também é especial para mim. – Demi o olhou nos olhos e sorriu tímida quando ele sorriu para ela. – Boa noite. – A luz do abajur foi desligada e Jake a abraçou com tanta ganância, Demi apenas ficou quieta nos braços do rapaz tentando se concentrar para dormir, porém tudo estava tão bagunçado, os pensamentos queriam devorá-la viva. E a maioria deles envolvia Joseph e aquele sorriso lindo e tímido que só pertencia a ele e Selena. Alguns minutos se passaram e o sono não veio, bem pelo contrário, os olhos marrons de Demi estavam atentos a tudo a sua volta e a cabeça a mil elaborando várias teorias que provavelmente jamais aconteceriam. Impaciente, Demi desfez com muito cuidado o abraço de Jake e sorriu ao fitá-lo dormir tranquilamente. Ah! Ele era tão lindo. Demi beijou a bochecha do rapaz e saiu do quarto na ponta dos pés depois de pegar o celular na bolsa, talvez um copo com água a ajudaria a relaxar e finalmente dormir. A cozinha não ficava muito longe do quarto do rapaz, e foi diretamente para lá que Demi caminhou e buscou por um copo no armário com muito receio por estar mexendo nas coisas de Jake.

   - Sel, Sel.. – O celular estava em suas mãos, só bastava uma ligação e ela revolveria tudo. Demi levou o copo a pia e recostou-se no balcão da cozinha. Era apenas Selena a sua melhor amiga e irmã postiça. O coração quase saiu pela boca quando ela finalmente tocou no botão verde na tela do celular e então o número de Selena estava sendo discado. – Sel? – A voz saiu baixa e tímida, mas Demi estava tão feliz por a amiga ter atendido no primeiro toque.

   - Oi Dem. – Selena disse firme esperando pelo o que a amiga tinha a dizer.

   - Não consigo dormir. – Disse Demi sentindo o corpo relaxar só pelo fato de estar falando com Selena. – Me desculpa por mais cedo? Eu não quero brigar com você. – Ela disse depois de muitas respirações fundas.

   - Só não quero que você se machuque. Por favor Dem, se afaste dele. – Era tudo que Selena podia dizer a Demi, pois se contasse que encontrou o rapaz com Dianna haveria consequências, Jake era um homem perigoso e que escondia muito.. Caso contrário não a ameaçaria como tinha feito. – Por favor, me escute Dem. – Ela disse com o coração saltando ainda mais rápido no peito. – Você está no apartamento dele?

   - Estou, nós jantamos. Sel.. Eu gosto dele. – Disse Demi sem querer discutir novamente com Selena. – Não quero mais falar sobre isso, nós vamos acabar brigando de novo, e eu não queria ficar longe de você.

   - Dem.. – Selena pensou no que diria, talvez ela não conseguisse convencer a amiga que Jake era um  canalha, mas tinha outra saída. – Tudo bem, não vamos mais falar sobre isso, porém se acontecer alguma coisa anormal me conte por favor. – Era melhor estar por dentro de tudo que acontecia a ter Demi afastada e a ignorando.

   - Não vai acontecer nada de anormal. – Disse Demi rindo e Selena engoliu em seco e rezou para que realmente não acontecesse nada.. – Eu te amo muito e muito Sel, amanhã eu vou passar o dia com o Joe, você poderia se juntar a nós para mais um episódio do Batman.

   - Eu também te amo muito e muito! Ah Dem! É sério? Só você para me fazer assistir desenho animado. – As duas acabaram rindo e conversando sobre tantas coisas, Demi estava radiante por ter Selena de volta depois de algumas horas que elas estavam brigadas.

   - Demi? – A mão de Jake em seu ombro quase a matou do coração. Demi se despediu de Selena e sorriu um tanto sem jeito ao olhar para Jake. Ele ficava tão lindo com os cabelos bagunçados e com cara de sono. – Está sem sono baixinha? – Ele perguntou a puxando para um beijo carinhoso.

   - Um pouco. – Demi sorriu de orelha a orelha e o beijou na bochecha. – Nós podemos assistir alguma coisa? Isso me ajuda a dormir. – Jake a abraçou contra o peito e esboçou um sorriso tão sonolento como resposta.

   - Três horas da manhã. – Ele disse acariciando o rosto dela com uma mão. – Trabalho amanhã cedo.  – Demi revirou os olhos e o puxou em direção a sala, o deitou no sofá e caminhou em direção a televisão de Jake. – O que você vai fazer? – O rapaz perguntou um pouco tenso quando Demi ligou o notebook dele que estava com o vídeo conectado a TV. Deus.. Demi jamais poderia encontrar determinados arquivos.. Sorte era que a tela inicial era a área de trabalho e Demi abriu apenas o navegador e digitou algo habilmente no Google. – Ah não Dem! – O sorriso de menina dela era tão feliz, Demi abriu o episódio que havia parado e correu para se deitar com Jake.

   - Juro que você vai gostar. – Ela disse sorrindo encantada ao ver a abertura do desenho animado do Batman. – Eu e o Joe paramos nesse episódio. – Ela comentou se aninhando mais a Jake que franziu o cenho ao ouvir o nome do rapaz.

   - Ele era o Joseph da lista do meu avô. – Disse o rapaz de cenho franzido e Demi o olhou com curiosidade. – Você o entrevistou. Ele é bom? – Demi olhou para a TV e logo para os olhos azuis de Jake fixos a ela.

   - O melhor que eu já conheci. – Ela disse desviando o olhar do de Jake e sentindo o coração acelerar ao se lembrar dos olhos verdes de Joe. – Não o escolhi por motivos pessoais e por ele ter me salvado.. Ele é realmente bom. – Jake assentiu a beijando na testa e Demi tornou a se aninhar no peito do rapaz dedicando toda a sua atenção às aventuras do seu herói favorito. – Ele é incrível, não acha? – Demi se ergueu e suspirou frustrada ao encontrar Jake dormindo tão profundamente. Infelizmente nem todos os caras eram iguais a Joseph.


***

Quando o dia amanheceu foi uma luta para Demi acordar, estava tão bom dormir abraçada a Jake no sofá da sala, mas acabou que o rapaz a acordou e juntos eles se arrumaram para ir trabalhar. Na Gyllenhaal o expediente tinha começado cedo, por volta de sete e meia da manhã. Sentada a cadeira giratória Selena não conseguia se concentrar no que fazia. A cabeça do lápis estava toda mordida e a página das financias dos futuros projetos da empresa estava intacta. Há horas ela tentava ler o mesmo parágrafo, porém não conseguia, não quando sua mente estava sobrecarregada de preocupação. Demi e Eden. A irmã de Ed só piorava a cada dia que se passava. E a situação seria desastrosa daqui alguns dias já que o médico alertou a família que Sophia partiria em menos de um mês. Era triste e doloroso, Selena se sentia tão impotente por presenciar Ed cair aos pouquinhos sem que ela pudesse fazer alguma coisa. O rapaz estava acabado, porém não podia se deixar vencer já que os filhos de Sophia  dependiam dele. E céus! Demetria iria matá-la qualquer dia com todos aqueles namorados loucos que ela arrumava. A cena veio à tona e Selena empalideceu.

   - Desculpe, eu estava distraí.. – Selena arregalou os olhos ao ver de quem se tratava. O coração acelerou a mil por hora, a vontade era de correr o mais rápido possível, porém as pernas estavam moles como gelatina por conta do nervoso e da surpresa.

   - Se eu fosse você, eu ficaria calado e não diria um a para a Demi, caso contrário.. Você não ficará nenhum pouco feliz com o que acontecerá com o Ed, senhorita Gomez. – A voz soou grave e tão ameaçadora que era de dar calafrios, os olhos azuis tão frios e calculistas. Selena olhou de Jake a Dianna, a mãe de Demi, ao lado do rapaz fingindo que não a conhecia. Ela não podia acreditar que estava acontecendo de novo.

Ele havia a ameaçado. Céus! Selena vivia um verdadeiro dilema interno entre contar a verdade para Demi e proteger Ed. Mas o que ela poderia fazer? Ed estava numa situação tão delicada, duas crianças e uma mulher em fase terminal de câncer dependiam dele e perder o emprego ou Deus sabe lá o que estava completamente fora de cogitação. E o jeito que Jake a olhou e praticamente rosnou aquelas palavras era assustador, ele não estava brincando. Era um homem perigoso e não hesitaria em machucá-la, Selena tinha certeza que ele não hesitaria. Sem contar que Demi estava nas mãos daquele canalha o que a deixava ainda mais perturbada. Se levantando, Sel olhou para as outras mesas ao seu redor e respirou fundo ao ver Ed debruçado sobre a mesa aparentando estar tão cansado.

    - Ed? – Disse Selena um pouco baixo para não distrair os seus colegas de trabalho. – Você está bem. – Puxando uma cadeira, Sel se sentou ao lado do rapaz e o abraçou da forma que podia.

   - Só estou cansado, linda. – Mesmo desabando Ed sorriu para ela e retribuiu o abraço. – Eles me ligaram de madrugada, ela está piorando Sel. – Franzindo o cenho e sentindo o coração partir em mil pedaços Selena beijou o rosto do rapaz e envolveu os dedos nos dele tentando passar força e segurança a Ed.

   - Eu sinto muito, sinto muito mesmo. – Ela disse respirando fundo para não chorar. – Eu vou estar aqui com você, ok? – Ed assentiu encostando a testa a dela e eles ficaram juntos por tantos minutos.

   - Obrigado, ok? – Os lábios dele roçaram os dela com tanto carinho e amor que Selena o beijou de volta na mesma proporção.

   - Eu vou buscar um pouco de café, volto num segundo. – Para descontrair o clima Selena distribuiu beijinhos pelo rosto de Ed e disse que o amava antes de caminhar em direção a máquina de café expresso que ficava num corredor longe dali. Selena estava tão distraída pensando em Ed enquanto esperava a máquina processar o pedido do café que não percebeu quando Jake se aproximou a fuzilando com os olhos.

   - Muito bem, você ficou caladinha. – Por que diabos a voz dele estava tão intimamente próxima? Selena arregalou os olhos em susto e só não gritou porque arrumaria uma tremenda confusão. – E eu espero que continue, Gomez. – Selena o olhou com tanto nojo. Por que diabos Jake a analisava de cima a baixo com aqueles olhos azuis nojentos? – A Demi é uma delícia, mas você.. – Ela estava definitivamente boquiaberta e não acreditava no que tinha ouvido. Era uma brincadeira? Uma brincadeira de muito mau gosto.

   - Você não ousaria. – Ela disse de cenho franzido o cenho buscando pelo café quente na máquina.. Ora, se Jake tentasse alguma coisa ela não pensaria duas vezes antes de queimar a pele rosada dele com café quente. – E é melhor você deixar a Dem em paz. – A risada cínica dele a deixou completamente irritada e por um pouco Selena não avançou sobre o rapaz para esbofeteá-lo e ensiná-lo que ninguém brincava com os sentimentos de Demi.

   - Você vai fazer o que Selena? Vai contar que você me viu saindo de um café com a Dianna? – Jake arqueou as sobrancelhas se encostando a maquina de café. – Você tem como provar? Eu sinceramente acho que as chances da Demi acreditar em você são quase nulas.. Ela está chateada por você ser um pé no saco e não deixá-la em paz, francamente, por que você perde o seu tempo? – Quando Jake a tocou no ombro e rapidamente subiu a mão para acariciá-la no rosto Selena o empurrou e arremessou o café quente que levaria para Ed no rapaz sem se importar se ele era ou não o seu chefe.

   - É melhor você não me tocar. – Rosnou Selena pronta para atacá-lo novamente se fosse preciso.

   - Você vai se arrepender de ter feito isso. – O sorriso convencido no rosto dele a deixou tão irritada que Selena virou as costas e caminhou furiosamente de volta para a sala principal do departamento. Era só o que faltava para enlouquecê-la de vez! Jake era um saco e tinha surgido na vida delas só para causar discórdia.

   - Por que você está com tanta pressa? – Selena a perguntou assim que avistou Demi trancando o escritório. Ela respirou fundo algumas vezes para se acalmar caso contrário Demi a encheria de perguntas.

   - Quero ir para casa, Sel. – Murmurou Demi guardando as chaves dentro da bolsa. Depois de uma manhã cheia Demi dava graças a Deus que finalmente o turno dela havia acabado.– Estou com saudade da minha cama, e mais tarde o Joe vai me visitar. – O sorriso de Selena foi tão espontâneo e parecia tão feliz que Demi franziu o cenho. Tudo isso por que ela havia citado Joe?

   - Vocês ficam tão bem juntos! – Disse Selena para a surpresa de Demi.

   - Nós já conversamos sobre isso, Sel. – Demi conferiu a hora no celular e arrumou a bolsa debaixo do braço pronta para partir. – Eu tenho que ir, estou te esperando mais tarde, ok? – Selena assentiu e recebeu o abraço de Demi de bom grado e com um pequeno sorriso nos lábios que morreu assim que Sel avistou Jake no final do corredor a olhando minuciosamente. – Amo você. – As duas trocaram olhares confidentes e sorrisos tímidos. Selena não precisou dizer que a amava, apenas pela forma que ela sorriu e olhou  para Demi dizia tudo.

Ansiosa, Demi sorriu enquanto caminhava pelas ruas de Nova York, ela estava tão ansiosa para que o final da tarde chegasse logo e Joe finalmente batesse a sua porta com aquele sorriso lindo e aquele jeito tímido que só pertencia a ele. Entusiasmada, Demi aproveitou para comprar alimentos integrais quando avistou um supermercado no caminho e depois das compras ela caminhou para o apartamento às pressas para preparar o almoço e organizar a pequena bagunça.

   - Na ordem, droga! – Resmungou. Sentada no tapete da sala Demi arrumava os DVD’s que tinha em ordem alfabética assim como os filmes no notebook. Seria tão divertido ficar com Joe. Quando o macarrão de forno com queijo começou a cheirar o timer soou escandaloso como sempre e Demi partiu para a cozinha para almoçar. Estava faminta e não se arrependeu da quantidade de macarrão que colocou no prato. Deus! Ela estava muito faminta! Sentada ao banco da bancada da cozinha Demi se sentiu tão sozinha, não tinha um pai, a mãe era um caso perdido... Havia Selena, porém Sel tinha a própria vida para cuidar, seria egoísmo pedir que a amiga passasse todo o dia com ela. Mas era tão ruim ser sozinha!  Sempre sobrava comida, sempre sobrava lugares a mesa e com quem dividir milhares de coisas. Por um momento Demi imaginou uma criança correndo pelo apartamento e sorriu. Deveria ser bom ter filhos e alguém para amar, ela nunca iria se sentir sozinha, e talvez até desse um irmãozinho ou irmãzinha para o seu bebê. Uma família! O sorriso se alargou nos lábios de Demi e ela fantasiou o sonho de ser amada durante todo o almoço.

A hora parecia que não iria passar nunca. O dia lá fora estava bonito e Demi estava muito entediada e ansiosa, por isso revolvera calçar o tênis de corrida, a calça de malhar preta e a camisa larga. Iria correr no Central Park como sempre fazia quando precisava distrair a mente, uma volta a ajudaria bastante a relaxar. Demi prendeu o cabelo num rabo de cavalo e alongou-se em frente ao espelho do closet. Correr sempre a ajudava a relaxar e foi isso que aconteceu quando Demi pôs os pés nas calçadas de Nova York rumo ao Central Park que não ficava longe dali.

***

O céu estava bonito, limpo e com o sol brilhando intensamente. Não era à toa que estava quente e muitas pessoas abusavam do sorvete. Joseph era uma daquelas pessoas, por sorte ele havia encontrado sorvete diet em um quiosque nas proximidades do Central Park perto do restaurante onde havia almoçado e aproveitou para comprar pipoca de um senhor para que pudesse alimentar os pombos enquanto descansava num banco. Aquele lugar era definitivamente lindo! Tão natural e trazia uma sensação de paz tão grande. Joseph obversou a beleza das árvores e dos arranha-céus de Manhattan, era como um sonho e os olhos do rapaz brilhavam enquanto ele sorria sozinho para a paisagem.

   - Oh Deus! – Ele tinha um sorvete de casquinha em mãos! E o sol estava castigando, o clima estava abafado. O resultado foi uma completa bagunça, o sorvete derreteu lambuzando a mão do rapaz e alguns pingos atingiram em cheio a camisa branca de algodão. O único guardanapo que ele tinha estava encharcado de sorvete! Que vergonha! As bochechas coraram quando ele se levantou e duas garotas passaram e lançaram sorrisos e olhares para ele. Por as mulheres sempre faziam aquilo com ele? O rubor espalhou pelas bochechas de Joseph e a bagunça da camisa só piorou, pois a bola de sorvete praticamente se jogou da casquinha em direção a camisa branca e agora a calça escura. Diabos! Por ele tinha que ser tão atrapalhado? Frustrado e envergonhado, Joseph repousou o saco de pipoca sobre o banco e tentou pegar a bola de sorvete caída na grama com a casquinha para que pudesse jogá-la no lixo. Poucos tomariam aquela atitude, mas o rapaz tinha consciência que o Central Park era uma área pública e sujá-la mesmo que acidentalmente não era correto. Tudo bem, as mãos estavam grudentas e uma verdadeira bagunça de sorvete derretido, mas estava valendo. Joseph se levantou sem muito cuidado e bem.. O rapaz era desastrado oras! Ele só não esperava que algo ou alguém se focasse contra ele como tinha acontecido, acabou que ele caiu para um lado e a pessoa por outro. Ótimo! Agora tinha mais uma pessoa suja de sorvete naquela linda e ensolarada tarde nova-iorquina de sábado.

   - Vo..você es..tá bem? – Além de tonto e de gaguejar, os óculos acabaram caindo não permitindo que ele enxergasse perfeitamente.

   - Joseph? – Demi tirou o fone de ouvido e olhou para o rapaz sentado na grama a procura dos óculos. Foi inevitável o sorriso de orelha a orelha que surgiu nos lábios dela, o coração chegou a acelerar ainda mais rápido. – Joe, sou eu, Demi. – Buscando pelos óculos dele, Demi os limpou na camisa e os colocou no rosto do rapaz sem deixar de perceber como ele era lindo.

   - Demi? – Abrindo os olhos, Joseph respirou fundo ao fitar os olhos de Demi tão próximos dos seus. Ele podia diminuir aquela distância entre eles e selar os lábios aos dela, mas faltava tanta coragem.. – Você machucou? – Ele perguntou sem gaguejar, a voz firme e calma. Joe a olhou rapidamente procurando por algum ferimento, pois o choque entre eles tinha sido tão rápido e violento.

   - Eu estou bem. – Ela sorriu um tanto sem jeito e se levantou fazendo careta. Ora! Ela tinha caído sentada. – Eu estava distraída ouvindo música, isso sempre acontece. – Acontecia geralmente quando ela estava nervosa ou ansiosa, então as caminhadas ajudavam, porém Demi ficava tão distraída em pensamentos que acabava esbarrando em alguém. – Você está todo sujo de sorvete. – Disse ao vê-lo se levantar e ficar todo sem jeito com o comentário dela. – Vamos procurar água e alguns guardanapos. – Demi comprou uma garrafa pequena de água mineral e pediu alguns guardanapos ao dono do carrinho sobre o olhar de Joe. Ela era tão graciosa, tão inteligente e simpática. Joseph estava encantado e até sorria enquanto a via conversar sobre o clima de Nova York e rir da ansiedade das crianças por mais sorvete.

   - Obrigado Demi. – Joe podia até ser tímido, porém não era mal educado. Demi havia o livrado de todo aquele grude do sorvete lhe lavando as mãos e com os guardanapos ela limpou a camisa que ele vestia.

   - É o suficiente para não ser atacado por moscas e abelhas. – Ela disse concentrada no que fazia. – Estava passeando? – Perguntou para descontrair o clima entre eles já que Joe estava um pouco tenso, deveria ser pela proximidade dela. – Tem sorvete aqui... – Os corações aceleraram.. Demi estava na ponta dos pés e limpava o queixo de Joseph com um guardanapo úmido e acidentalmente o olhar dela encontrou o dele e nenhum dos dois sabiam o que fazer.. Apenas se olhavam com tanta intensidade como se estivessem conectados por algo tão forte e violento, tão grande e devastador. Os dedos dela finalmente entraram em contato com a pele macia do rosto de Joseph que a pinicava por conta da recém barba feita, Demi não sabia o que estava acontecendo, mas ela se sentia tão atraída por Joseph, era como se ele fosse um imã que a puxava e a envolvia com tanta força que ela não conseguia pensar em outra coisa a não ser os olhos intensos e verdes dele, na boca bonita e em adentrar os cabelos da nuca enquanto ela selava os lábios aos dele no mais puro beijo.

Por toda a vida Joseph pensou que enfartaria quando chegasse naquele momento. Ele sabia o que estava para acontecer e ansiava para que acontecesse... Se tinha uma coisa que ele tinha certeza era que queria beijar aquela mulher, Deus! Como ele queria beijá-la! Como ele queria envolver o corpo dela com os seus braços e beijá-la com paixão, beijá-la até que ambos ofegassem. O guardanapo não era mais uma barreira para que ele sentisse o toque de Demi em seu rosto, o toque que antes era cuidadoso agora era um leve e tímido carinho. E os olhos dela? Ele nunca havia fitado olhos tão marrons e tão doces, nunca tinha visto cílios tão femininos, sardas tão delicadas e lábios tão perfeitos. Reaja a ela seu bobo! Joseph não sabia de onde vinha aquela voz, mas foi o suficiente para que ele tomasse coragem e levasse timidamente à mão a cintura de Demi. E ela respondeu! Deus! O coração do rapaz quase rasgou o peito de tanta fúria quando a mão livre de Demi acariciou o músculo do braço direito dele permanecendo ali e o carinho que ela fazia em seu rosto ficou mais intenso, o olhar se alternava entre os olhos e os lábios dele. Joseph fez o mesmo, ora fitava os olhos dela ora fitava os lábios, ele levou a outra mão à cintura de Demi e discretamente colou o corpo ao dela.

Ambos estavam nervosos, era de se perceber. O coração de Joseph batia tão rápido que Demi esboçou um pequeno sorriso e aproximou mais o rosto do dele na melhor forma que podia. O rapaz a correspondeu se curvando e então Demi o surpreendeu encostando os lábios nos dele. A vontade de Joseph era de sorrir, mas ele estava tão feliz por ter os lábios de Demi colados nos dele que ele fechou os olhos e apreciou aquele momento. O seu primeiro beijo estava acontecendo com a mulher que ele tanto gostava, com a mulher que ele estava apaixonado.

O que estava acontecendo Demi não sabia e não se permitia pensar, pois se o fizesse não estaria nos braços de Joseph se sentindo tão viva e completa. Aos poucos ela descolou os lábios dos dele e fitou a face bonita, acariciou o rosto e adentrou os cabelos macios, lisos e escuros com os dedos acariciando as mechas. Ele era lindo, simplesmente lindo e ela quase desfaleceu nos braços dele quando Joseph abriu os olhos mostrando a ela aquela infinidade verde. O que diria? Ela não sabia, apenas tornou a fechar os olhos e encostou os lábios entreabertos aos de Joseph para beijá-lo como ela necessitava. E ele o fez. Sim, Joseph entreabriu os lábios dele para encaixá-los aos de Demi, apertou mais os braços no corpo dela o trazendo mais para ele enquanto ela o beijava devagar. A magia que envolvia o casal morreu quando uma bola atingiu a cabeça de Joseph. Foi ai que os dois voltaram ao mundo real e perceberam o que faziam. Céus! Demi estava vermelha e boquiaberta, já Joseph tinha os olhos arregalados e sentia que teria um aquele de nervoso e timidez a qualquer instante. – A gente só estava jogando e.. Você machucou? – Joe fitou o adolescente e balançou a cabeça negando, pois caso ele abrisse a boca para falar faria uma confusão com as palavras. – Desculpa. – Demi estava tão sem jeito quanto Joseph, mas ainda sim ela forçou um sorriso para o rapaz que se apressou em pegar a bola e voltar para o grupo de amigos. Deus! Que situação!

   - Vo..você está bem? – Demi perguntou revirando mentalmente os olhos para ela mesma. Que droga! Desde quando ela gaguejava? – Não machucou? – Perguntou engolindo em seco ao olhá-lo brevemente. O que tinha acontecido com a sua parte racional nos últimos cinco minutos? Deus! Ela não poderia colocar a amizade com Joseph em risco e não poderia estragar a relação com Jake.

   - Es..es..estou bem. – Disse Joseph todo sem jeito, gaguejando e fitando o chão. Diabos!

   - É.. Você já almoçou? – Demi perguntou sem olhá-lo enquanto eles caminhavam em silencio e sem rumo.

   - Eu.. Eu fui ao hospital tomar insulina. – Disse o rapaz tão baixinho que se Demi não estivesse próxima a ele não escutaria. – Almocei aqui perto. – Ao menos Joseph não estava gaguejando. Demi sorriu e pensou se tocaria no assunto do beijo ou deixaria como se nada tivesse acontecido, e a segunda opção a agradou, ela estava tão sem jeito quanto Joseph já que foi ela quem o beijou.

   - Está ansioso para a segunda-feira? – Demi arriscou olhá-lo e sorriu sem jeito quando encontrou o olhar de Joseph sobre ela. Bem, ela não se arrependia de ter o beijado.. Nenhuma mulher no mundo se arrependeria de beijar um homem tão lindo e doce como Joseph.

   - Contando os minutos. – O que estava acontecendo entre eles? Joseph sorriu cabisbaixo e feliz por não ter gaguejado, já Demi porque adorava ter Joseph por perto, além de ser fofo e uma graça, Joe a fazia se sentir segura.

   - Eu acho que eu fico por aqui. – Ela disse assim que eles chegaram em frente a rua que levava para o GE Building. – Te vejo mais tarde, certo? – Perguntou com tanta ansiedade, as bochechas estavam coradas e Demi não teve coragem de olhá-lo nos olhos.

   - Certo. – Apesar de tímidos, os dois sorriram verdadeiramente sentindo o coração acelerar no peito.

   - Tudo bem. – Demi mordeu o lábio inferior e colocou a mecha da franja atrás da orelha esquerda.

   - Tudo bem. – A risada dela soou tão menina. O sorriso de Joseph foi tão apaixonado quando Demi finalmente o olhou nos olhos e o abraçou como ela sempre fazia como se ele fosse o ursinho de pelúcia favorito de uma garotinha assustada numa noite de tempestade.

   - Tchau Joseph. – Demi não sabia o que fazer, estava nos braços dele e gostava disso, gostava ainda mais de ter os braços de Joe a apertando compra o peito. Fitando o teto composto pelas folhas e galhos das árvores, Demi fechou os olhos e respirou fundo adorando sentir o cheiro do leve perfume masculino do rapaz. – Até mais tarde. – De onde veio a coragem Demi não sabia, mas ela tinha selado a bochecha de Joseph com um beijo carinhoso antes de partir a todo vapor.


   - Até mais tarde Demi. – Ele sorriu quando Demi olhou para trás e logo voltou a caminhar. Um beijo. Ele havia ganhado um beijo da mulher que ele estava apaixonado.

Continua.. Oi, tudo bem? Eu estou bem graças a Deus! E ai? O que acharam do capítulo? O Jake atacando a Selena, o Jake enfiando minhocas na cabeça da Demi.. E bem, o "quase" beijo Jemi! Eu não sei se me precipitei, mas do nada me veio essa ideia e eu pensei "por que não?" E aconteceu.. O que vocês acham? Não foi um senhor beijo, porém mostra a atração e os sentimentos dos dois personagens... Como vocês acham que eles vão agir a partir de agora? Vão ignorar o que aconteceu ou dar continuidade? Um, eu fico por aqui.. Só queria comentar a questão da demora para postar, tudo bem, é chato e todo mundo fica ansioso, porém não é um ponto ruim porque ÀS VEZES eu não consigo desenvolver nada em dois dias, o word fica vazio e eu fico pensando por horas e horas no que escrever, mas não sai nada.. O tempo ajuda a escrever nessa situação porque aos poucos eu vou elaborando a história. Sobre a maratona, eu vou tentar fazer, mas tenho que elaborar melhor, ok? Obrigada pelos comentários, muito obrigada mesmo, estou muito feliz por vocês estarem gostando. Um abraço e resposta aos comentários no próximo capítulo.

7.5.16

Capítulo 13

Os olhos capturavam as intermináveis letras negras com muita atenção. O ambiente estava calmo, sem nenhum barulho para perturbá-la ou lhe desviar a atenção. Os raios de sol atravessavam o vidro da janela e iluminavam todo o escritório feminino e bem arrumado naquele fim de manhã de sexta-feira. Na cadeira de couro Demi estava sentada há horas concentradíssima, bem, ao menos ela tentava. Vez ou outra enquanto lia, a risada de Joseph soava em sua mente de uma forma tão real, o sorriso tímido e verdadeiro dele, os olhos verdes cheios de vida. Novamente Demi sorriu ao se lembrar do amigo e da noite passada que eles tinham passado juntos. Foi tão divertido convidar Joe, como Demi o chamava, para jantar e fazer maratona de desenhos animados, claro que os dois riram e conversaram mais que assistiram, porém tinha sido muito divertido e tão bom. Anotando alguma informação no bloco de notas, Demi adentrou o cabelo com os dedos e sorriu novamente se lembrando de Joseph. Ele tinha passado na entrevista de emprego e trabalharia na empresa, na verdade não era necessário uma entrevista já que era a vontade de Jason ter o tímido Joseph no seu time de funcionários e Jake jamais o recusaria uma vez que os comentários de Demi a respeito do rapaz tinham sido excelentes e atendiam todos os requisitos da empresa. Alguns minutos se passaram e Demi continuou a pensar no amigo, só que dessa vez ela trabalhava no computador e era engraçado como o verde tinha tomado conta de seu projeto, o mesmo verde dos olhos de Joseph..

   - Joseph, Joseph.. – O sorriso se alargou nos lábios de Demi, porém ele sumiu quando ela mordeu o lábio inferior e colocou um mexa do cabelo atrás da orelha. Estar com Joe era tão diferente, ele era um homem muito especial e de um coração tão grande. A sensação de estar com ele era tão boa, Demi se sentia segura na presença do rapaz e sentia uma felicidade tão imensa que não era capaz de ser medida. – Pode entrar. – Ela disse assim que duas leves batidas soaram quebrando a sua linha de raciocínio.

   - Bom dia princesa. – Demi sorriu desviando o olhar do computador para o homem que adentrava o seu escritório. Jake era definitivamente lindo! – Senti saudades. – O sorriso de Jake resultou num sorriso nos lábios de Demi, o rapaz se aproximou mais e se curvou para tomar os lábios de Demi num beijo suave.

   - Bom dia Jake. – Envolvida, Demi acabou por se levantar para enlaçar o corpo de Jake com os seus braços e deixar que ele a beijasse mais uma vez. – Estamos no trabalho. – Ela disse nos lábios dele e depositou um beijo estalado na bochecha de Jake.

   - Eu sei, mas não tem como resistir à mulher mais linda desse prédio. – Demi sorriu sem jeito espalmando o peito dele e lhe arrumando a gravata preta no terno impecável. – Ei, olha para mim. – Ele pediu. Demi estava corada, definitivamente corada e cabisbaixa com um pequeno sorriso nos lábios. – Eu estava no refeitório há pouco tempo, os rapazes estavam loucos comentando sobre você. – Ele disse segurando sutilmente o queixo de Demi para lhe erguer o rosto. – E eles têm razão, você está mais linda que o normal. – Demi não disse nada além de “obrigada”. Realmente havia percebido todos os olhares masculinos quando colocou os pés nas ruas de Nova York naquela manhã. Ela estava como sempre: Saia preta um pouco acima dos joelhos, camisa branca e sapatos negros de salto. Os cabelos estavam soltos, médios castanhos e brilhantes caindo pelos ombros e pelas costas. A maquiagem era tão suave quanto ela, delineado nos olhos, uma pequena quantidade de blush nas bochechas e um leve batom nos lábios. A única coisa que mudava era como Demi se sentia. À noite com Joseph tinha sido simplesmente maravilhosa e ela se sentia feliz e incrível desde então.

   - Jake, não me olha assim. – A risada dele a fez corar mais um tom. Jake selou a bochecha dela com um beijo e a abraçou novamente.

   - Que tal essa noite. – Ele disse fitando olhos dela e Demi fitou os dele. – Eu e você no meu apartamento, a gente pode cozinhar abraçadinhos, assistir um filme legal e namorar pelo resto da noite, acho você acha? – Demi sorriu fitando os olhos do rapaz, envolveu as mechas de cabelo da nuca dele com os dedos e assentiu sorrindo.

   - É uma ideia perfeita. – Demi selou os lábios aos dele num leve selinho. – Eu tenho que voltar para a minha pilha de documentos e terminar os meus projetos se não o meu chefe ficará bravo comigo. – Jake sorriu galanteador e encheu o pescoço de Demi com beijinhos quentes. – Jake, não. – Ela resmungou quando ele a puxou em direção ao sofá.

   - Só mais um beijo. – Jake se sentou no sofá e a puxou para o colo. – Ei linda, vem. – Demi revirou os olhos e se acomodou no colo do rapaz o deixando beijá-la com vontade e deslizar uma mão por suas coxas. Queria beijá-lo e fazer outras coisas com ele, mas Demi odiava o fato de Jake beijá-la no escritório. Deus! Eles estavam trabalhando e não tinha nada de profissional no que estavam fazendo naquele sofá.

   - Dem, eu tenho uma coisa para te.. – Não, Selena nunca batia à porta do escritório de Demi porque realmente nunca foi preciso. Assustada e envergonhada, Demi saiu do colo de Jake e se levantou assim como o rapaz. – Contar.. Depois eu volto. – Selena estava tão vermelha quanto Demi! Elas nunca ficavam coradas, nunca!

   - Está tudo bem. – Jake se pronunciou quebrando o clima tenso. – Eu só vim dizer que os nossos novos funcionários começaram na segunda-feira, mas que hoje nós vamos recebê-los para mostrar a empresa depois do almoço. – Demi assentiu fitando os olhos de Jake, recebeu o selinho que ele lhe deu nos lábios e engoliu em seco quando a porta do escritório se fechou.

   - Desculpe Dem, eu não sabia que você estava com o Jake. – Disse Selena um tanto sem jeito e Demi assentiu incomodada arrumando a roupa no corpo.

   - Ah! Ele praticamente invadiu o meu escritório e me beijou. – Resmungou Demi caminhando para a sua cadeira macia de onde nunca deveria ter saído. – Está tudo bem? – Demi perguntou ao observar Selena. Ela conhecia muito bem aquele olhar longe e aquele cenho franzido. – Sel, o que aconteceu? – Demi perguntou preocupada se levantando para abraçar a amiga.

   - Eu estou preocupada. – Murmurou Selena se aninhando aos braços de Demi. – Com o Ed. – Demi respirou fundo e levou Selena para o sofá onde elas poderiam ficar mais confortáveis.

   - O que tem o Ed, Sel? – Os dedos de Demi correram pelo couro cabeludo de Selena para tentar acalmá-la. – Vocês brigaram? – Ela perguntou ao ver uma lágrima rolar pelo rosto de Selena.

   - Não, não é isso. – Selena fitou os olhos marrons de Demi e se agarrou mais a ela sentindo o coração acelerar ainda mais. – Eu gosto tanto dele, Dem. Tanto. – Demi sorriu. Finalmente Selena tinha confessado que gostava do rapaz. – Eu estou tão preocupada, ele desabafou comigo. A irmã dele foi internada ontem à noite, eles descobriram vários tumores espalhados, ela vai morrer em questão de dias Dem. – Demi engoliu em seco e franziu o cenho ao ver as lágrimas rolarem pelo rosto de Selena, ela definitivamente odiava aquelas situações, porque que tinha que doer tanto?

   - Sel.. – Demi a chamou derramando as suas primeiras lágrimas.

   - Ele está acabado Dem, mas ele precisa ser forte para cuidar dos filhos dela, o pai os abandonou a mais ou menos um ano. – Disse Selena com pesar. – Os pais deles morreram, o Ed tem apenas a irmã, mas ela está partindo. – Demi abraçou Selena com força e deixou que as lágrimas tomassem conta dela. Por que a vida tinha que ser tão injusta? Ed era uma pessoa tão radiante, ele fazia todos sorrirem e tinha uma solução para tudo. Era uma pessoa que jamais deveria sofrer. – Eu o amo Dem, o amo com todas as minhas forças. Quero ajudá-lo a superar, mas como?

   - Esteja com ele. O Ed é um bom rapaz Sel, ele jamais vai te machucar. – Disse Demi limpando as lágrimas que rolavam pelo rosto da amiga. – E eu vou estar aqui para você, sempre. – O abraço que elas trocaram foi tão especial e verdadeiro, aquela conexão que só elas tinham vibrando no peito. – Eu te amo para sempre. – Em meio as lágrimas um sorriso nasceu nos lábios das duas que tornaram a se abraçar calorosamente até que caíram deitadas no sofá.

   - Eu também te amo muito Dem! – Selena selou a bochecha de Demi com um beijo carinhoso e se a aninhou ainda mais a amiga. – Eu sinto a sua falta, você me trocou pelo Joseph e pelo Jake. – Resmungou Selena e Demi riu flagrando a cara de ciúme que Sel fez.

    - E você me trocou pelo Ed. – Brincou, mas no fundo Demi sabia que era verdade, pois os últimos dias se resumiam apenas a Joseph e Jake. – Desculpe, eu só não sei o que fazer. Eu não consigo resistir ao Jake e aqueles lindos olhos azuis, e eu adoro passar o meu tempo com o Joseph, ele é tão engraçado. Ontem nós passamos boa parte do nosso tempo conversando e rindo. – Selena sorriu ao flagrar o jeito que Demi falava sobre Joseph, os olhos marrons dela brilharam, um sorriso estava estampado nos lábios avermelhados e Sel sentiu como o coração de Demi bateu um pouco mais rápido já que as duas ainda estavam abraçadas.

   - Dem, você nunca pensou na possibilidade de você e o Joseph.. – Não deu tempo de Selena terminar a frase já que Demi se levantou bruscamente de cenho franzido.

   - Não Sel, ele é apenas o meu amigo. – Disse indiferente e Selena arqueou as sobrancelhas sabendo que Demi escondia alguma coisa. – Tudo bem, ele é lindo, inteligente e             todos aqueles músculos.. Deus! Ele é muito bonito, mas é muito tímido e inexperiente. E tem o Jake, Selena. Eu gosto muito dele, ele é um homem maduro e muito experiente. – Demi revirou os olhos para a careta de Selena, ela já havia percebido que Sel não gostava de Jake e não fazia nenhum esforço para esconder isso.

   - O Joseph seria o cunhado perfeito. – Disse e Demi sorriu a abraçando apertado. – Você poderia ensinar para ele tudo que um homem precisa saber.. Se é que me entende. – Demi arqueou as sobrancelhas e gargalhou gostosamente.

   - Não viaja Sel. – Disse se levantando. – Eu acho que você poderia trazer as suas coisas para o meu escritório e a gente poderia voltar a trabalhar, daqui a pouco eu vou ter que interromper as minhas atividades para receber os novos funcionários, e o Joe é um deles. – Demi calçou os sapatos de salto e se espreguiçou esboçando um sorriso ao se lembrar de Joe e da noite deles.

   - Tudo bem, mas você tem certeza mesmo que não quer esquecer o Jake e investir no Joe? – Insistiu Selena se levantando e Demi murmurou um palavrão e revirou os olhos. – Vamos Dem, seria tão legal. O Joe é tão fofo, ele tem a sua idade, gosta de Batman e todas aquelas coisas de nerd que você gosta. – Selena sabia que a amiga iria surtar, mas ela não conseguia gostar de Jake de forma alguma. – Ele é gostoso, moreno e de olhos verdes! – Disse e Demi acabou rindo para descontrair o clima. – O seu tipo preferido. Imagina só quando ele te puxar pela cintura com aquelas mãos másculas lindas e te envolver nos braços. – Demi gargalhou quando Selena o fez simulando a situação, mas mesmo assim ela não deixou de pensar em como seria se Joe realmente a puxasse pela cintura com aquelas mãos bonitas masculinas e a envolvesse com aqueles braços morenos fortes maravilhosos.

   - E agora o que ele faria? – Perguntou entrando na brincadeira da amiga. Demi até levou as mãos a nuca de Selena e enroscou os dedos nas mechas de cabelo daquela região.

   - Ele faria carinho na sua bochecha e chamaria o seu nome com a voz rouca de desejo te olhando daquele jeito intenso. – Demi riu do jeito que Selena a olhou. Por que ela estava pensando em tudo que a amiga dizia? Nos olhos de Joe fitando os dela com tanto desejo, nos lábios bonitos deles sedentos pelos dela.. No corpo forte envolvendo o dela. – Vocês fariam um casal tão lindo.

   - Não seja boba, Sel! Ele gaguejaria o meu nome. – Selena revirou os olhos quando Demi se afastou, era óbvio que ela estava abalada e não tinha coragem de assumir da mesma forma que Sel demorou mais de meses para finalmente assumir que amava o Ed. – O Jake faz tudo isso e coisas bem melhores entre quatro paredes. – Demi fitou os olhos de Selena que respirou fundo finalmente cedendo ao final daquele assunto.

   - Sinceramente Dem, eu não gosto dele. – Era melhor ser sincera. Selena fitou os olhos de Demi sabendo que já era tarde demais, ela já gostava do rapaz e não desistiria dele por nada que ela dissesse. – Ele é estranho, surgiu do nada.. Eu não sei, tem alguma coisa que não encaixa. Eu consigo sentir Dem, não estou brincando, eu sei que ele vai te machucar. – Demi respirou fundo, fechou os olhos e contou mentalmente até dez. Era como Jake dizia, Selena não poderia protegê-la para sempre, ou melhor, ela não precisava de proteção, era uma adulta e sabia caminhar sozinha.

   - Sel, por favor. – Selena entendeu o recado, se elas continuassem com aquele assunto acabariam brigando.

   - Vou buscar as minhas coisas.

***

Como parar de tremer e de sorrir? O sentimento era tão radiante que Joseph sempre se flagrava sorrindo. Ele estava tão feliz e nada era capaz de medir o tamanho daquela felicidade. Ele trabalharia na Gyllenhaal! Na empresa dos seus sonhos! Pensar no prédio enorme e na quantidade de pessoas assustou o rapaz com aquele frio na barriga e o típico nervoso, porém Joseph sorriu mais uma vez olhando a foto dos pais em suas mãos. Lá ele encontrava a força que precisava para vencer a timidez e continuar lutando pelos seus sonhos. Alguns minutos correram e Joseph se perguntou o porquê da vida ser tão dura com ele. O coração apertou no peito e os olhos marejaram ao fitar o rosto de sua mãe e logo o de seu pai. Porque que eles tinham que ter partido tão cedo e o deixado com um vazio imenso no peito? Por que aquele maldito motorista embriagado tinha que bater o caminhão logo no carro dos seus pais? E por que, por que ele não tinha partido nos braços de sua mãe? Joseph limpou uma lágrima que molhou o seu rosto e resolveu que seria melhor guardar aquela foto antes que a tristeza o tomasse. Eram tantas teorias que já se passaram na cabeça do rapaz. Ele sempre pensava que deveria ter morrido naquele acidente junto com os pais ou quem sabe eles não deveriam ter saído de casa naquele dia. A segunda opção era definitivamente a melhor, Joe sempre sorria triste ao pensar na casa onde ele viveu com os pais quando ainda era bebê, aquele lugar era tão grande e acolheria perfeitamente ele e muitos irmãozinhos e irmãzinhas e quem sabe até um cachorro, na verdade dois. Seria tão perfeito e ele seria o homem mais feliz do mundo se a cada final de tarde texano sua mãe o acolhesse num abraço apertado e o olhasse com muito amor e carinho com os mesmos olhos verdes que ele tinha, seu pai chegaria do trabalho na fazenda e se juntaria ao abraço dizendo que também o amava, e bem, os seus irmãos brigariam com ele por ter toda a atenção dos pais, mas eles acabariam rindo e terminando o dia felizes. Mas Antônio e Juliana estavam mortos há vinte e um anos.

   - Respira! Você vai conseguir. – Ele disse para si mesmo em frente ao espelho. Para conseguir se arrumar Joe demorou mais tempo que o normal, vestia calça de cor clara, camisa social branca e um suéter verde esmeralda por cima da camisa, aquela peça era uma das suas preferidas já que ela pertencia ao seu pai. Por fim os cabelos negros estavam perfeitamente penteados de lado como os cabelos de um menino comportado e os óculos de grau geek estavam lá arrumados ao rosto. – Droga.. – Murmurou ao fitar a sombra da barba. Havia exatos dois dias que ele havia se barbeado, era para ele ter feito a barba na noite passada, porém Joseph chegou do apartamento de Demi tão feliz e animado que se esqueceu de que tinha a barba para fazer. – Você vai se atrasar! – Ele disse para si mesmo ao fitar a hora no relógio do celular, faltavam vinte minutos para as duas da tarde e ele iria a pé para a Gyllenhaal.

Nervoso, Joseph pegou o celular sobre a cama e saiu às pressas do hotel. Nova York como sempre estava um arraso de tão linda, as ruas movimentadas com direito a um pequeno engarrafamento, pessoas caminhando para todos os lados, música tocando e os milhares de telões enchiam os olhos de Joseph com propagandas, videoclipes e milhares de coisas. Aliás, Joseph estava se aproximando da Times Square, não tinha como não ter barulho e muitas pessoas exóticas. O lugar impressionou o rapaz que sorriu fitando tudo maravilhado. Ele estava tão feliz por estar ali, por ter um emprego e por ter Demi em sua vida. Estava conseguindo ser independente e aos poucos e com muito trabalho Joseph sabia que ele iria conseguir se enturmar com o pessoal.

   - Rose? – O sorriso de Joseph foi de orelha a orelha. Ele havia acabado de atender ao celular que tocava com o nome da prima na tela.

   - Joseph? Céus! Que barulho! Onde você está?

   - Estou saindo da Times Square. – O rapaz disse se sentindo ainda mais feliz por estar falando com Rose. Ele sentia tanta falta dela e em meio à confusão desde que ele chegou a NY, Joseph acabou falando apenas com a avó. – Estou indo para empresa, eu fui contratado. – Ele disse animado e riu ao ouvir alguém falar alguma coisa com Rose, deveria ser Clara ou Derik.

   - A vovó disse! Pensei que você não iria me contar. – Resmungou a menina e Joe riu imaginando a careta chateada de Rose. – Aqui está tão ruim sem você. Sinto a sua falta.

­   - Aconteceram tantas coisas, desculpe por não contar. – Disse o rapaz se sentindo culpado, ele havia comemorado com Demi na noite passada e ligado para a avó para avisar que continuaria em Nova York. – Eu também sinto a sua falta, você iria gostar tanto de Nova York. Quero que você venha me visitar. – Joseph já estava com o plano de procurar por um apartamento para alugar, um lugar pequeno e aconchegante de preferência.

   - Que tipo de coisa? Promete que você vai me contar tudo? – Joe sorriu e adentrou a mão livre ao bolso da calça.

   - Pequena, é uma longa história, mas eu juro que eu vou te contar detalhe por detalhe. – Ele disse tendo a certeza que Rose estava sorrindo assim como ele estava. – Eu estou chegando na empresa, prometo ligar mais tarde, também quero saber o que aconteceu com você.

   - É melhor você ligar mesmo! Não tenho muito para contar, só sinto a sua falta.

   - Prometo que vou ligar, também sinto a sua falta e te amo muito! – Joseph se despediu da prima um tanto emocionado e de repente se sentiu deslocado naquela cidade enorme. Conversar com Rose o deixou cheio de saudades e com vontade de voltar para casa, mas os pensamentos sumiram da cabeça do rapaz quando ele avistou o enorme arranha-céu da Gyllenhaal. Deus! Ele iria trabalhar ali! Com borboletas no estomago e uma ansiedade absurda Joseph adentrou ao prédio já que eram duas da tarde em ponto. Ele foi recebido pela recepcionista que o entregou um crachá e o encaminhou para o segundo andar. Completamente nervoso, Joseph saiu do elevador e assim que adentrou o departamento Jake e Demi surgiram de um corredor. Deus! Ela estava simplesmente maravilhosa! O rapaz não conseguiu dar um passo a mais, ficou parado onde estava! Os olhos verdes brilharam ao vê-la tão linda e delicada, os cabelos médios e castanhos soltos caiam divinamente pelos ombros, os olhos castanhos sempre doces e brilhantes. Joseph a olhou atentamente admirando a beleza feminina e as curvas apaixonantes do corpo dela como um homem admira uma mulher, ele a olhou e gostou de sentir aquela felicidade enorme que o invadia quando Demi estava por perto e bem.. O calor estranho percorrendo o seu corpo não era ruim, só um pouco assustador. Ele a olhou até que Demi flagrou o olhar dele e sorriu o incentivando a se aproximar do grupo já reunido.

   - Bom dia. Sejam bem vindos a Gyllenhaal Enterprise. – A voz de Jake não agradou Joseph. Infelizmente aquele homem estranho era o seu chefe e aparentemente o namorado de Demi. O pensamento o deixou desanimado, Demi era comprometida. E ainda por cima com aquele homem. Jake disse tantas coisas referentes à empresa e como era bom recebê-los como os novos funcionários, ele era muito educado, Joe tinha que confessar, bem, até que Jake cumprimentou a todos com um aperto de mão e quando foi a vez dele..

   - Joseph? – O cenho franzido... A feição não era das melhores enquanto Jake analisava o rapaz tímido que havia salvado Demi de ser agredida sexualmente. – Estou surpreso. – Ele disse quebrando o clima estranho com um leve sorriso. – Seja bem vindo. – Concluiu em uma pose profissional e Joseph sorriu um tanto sem graça e preferiu não dizer nada. Jake falou por mais alguns minutos e os levou para conhecer vários setores, o lugar era realmente imenso!

   - Ei, você está bonito. – Joseph se assustou, mas sorriu ao ver que era apenas Demi logo atrás dele. – Estou muito feliz que você fará parte da nossa equipe. – Demi o surpreendeu com um breve abraço apertado, sorte era que os dois eram os últimos do grupo guiado por Jake para o tour na empresa.

   - Obrigado, você tam..bém está bonita. – Ele disse corado e Demi riu das bochechas coradas do rapaz. Joe estava tão lindo e aquele suéter combinava perfeitamente com os olhos sonhadores dele.

   - Obrigada. – Demi esboçou um sorriso sapeca e surpreendeu o rapaz com um beijo na bochecha que o deixou ainda mais corado e sem jeito.

   - Demi? Algum problema? – A voz de Jake soou tão fria que o coração de Demi disparou contra o peito, não muito diferente do de Joseph.. Sorte era que Jake estava sozinho e pelo visto ele havia voltado para buscá-la já que ela e Joseph eram os únicos do grupo naquele corredor. – Nós estamos esperando por você querida, é o seu departamento. – Demi engoliu em seco e apressou o passo. O que estava acontecendo com ela e a história de ser profissional? Jake tinha a beijado naquela manhã e se ela deixasse ele faria outras coisas.. Agora ele havia a flagrado beijando a bochecha de Joseph!

   - Desculpe.. eu só.. – Disse baixinho apenas para Jake e ele negou balançando a cabeça e se curvou para dar um leve selinho nos lábios dela.

   - Está tudo bem querida. – Jake sorriu para ela e arrumou uma mecha do cabelo marrom de Demi atrás da orelha. – Todos estão ansiosos para conhecer o seu departamento. – Demi assentiu e olhou para trás esperando que Joseph se juntasse a ela, porém ele estava a poucos metros de onde ela estava e corado.

   - Vamos Joe, não quero começar sem você. – O sorriso de menina repôs as forças do rapaz que assentiu esboçando um leve sorriso, porém quando Demi virou as costas Joseph capturou o olhar frio de Jake o analisando sem qualquer rastro de felicidade que ele demonstrou ter segundos atrás enquanto falava com Demi.

Os próximos minutos foram simplesmente uma mistura de tudo. Joseph queria sorrir de orelha a orelha enquanto Demi falava pacientemente sobre como funcionava o departamento de Designer, ele não queria tirar os olhos dela por nada encantado com a beleza dela, porém Jake estava ao lado do rapaz, o peito estufado, os olhos azuis tão frios vez ou outra o fuzilando. A presença de Jake não o agradava de jeito nenhum, o que não era muito bom já que Jake era o seu chefe.

   - Você foi simplesmente fantástica. – A tour pela Gyllenhaal já havia terminado e aquela fala não saiu da boca de Joe elogiando Demi que caminhou o mais rápido possível para perto dos homens mais bonitos que ela já tinha visto. – Simplesmente fantástica princesa. – Demi franziu o cenho quando Jake a envolveu nos braços e a beijou na testa, já Joe abaixou a cabeça um tanto sem jeito e pensou em sair de fininho, mas ele sabia que se caso ele virasse as costas Demi o chamaria.

   - Jake! – Era a primeira vez que ela o repreendia, Jake poderia ser o dono da Gyllenhaal e eles poderiam estar saindo, porém Demi ainda era uma Designer de muito crédito e ética. – Obrigada. – Ela agradeceu ao elogio se soltando dos braços de Jake que não parecia nenhum pouco feliz.

   - Estarei na minha sala caso precise de alguma coisa. – Jake disse ajeitando o paletó no corpo e lançando um olhar duro a Joseph. – É um prazer tê-lo conosco. – Por educação Joe apertou a mão que Jake lhe estendeu.

   - Desculpe, às vezes ele é muito.. – Demi começou a dizer fitando Jake caminhar pelo corredor. – Difícil. – Concluiu sem saber ao certo como definir Jake. Ele era um homem bom e a tratava com tanto carinho, porém às vezes não sabia ser discreto e as pessoas já estavam comentando sobre o caso que ela tinha com o chefe. Aquilo não era nada bom aos olhos de Demi, pois poderia prejudicar o seu futuro na empresa.

   - Eu entendo. – Joseph sorriu envergonhado depois de olhá-la e encontrar o olhar de Demi sobre ele. – Eu.. eu acho que já vou. – Disse verificando a hora no relógio. – Não quero te atrapalhar.

   - Você nunca atrapalha Joe. – Demi sorriu e pôs-se a caminhar junto com o rapaz em direção ao hall da empresa. – O que você vai fazer no final de semana? – Demi perguntou curiosa como sempre e o frio se instalou na barriga do rapaz.

   - N..não sei. – Ele disse envergonhado como sempre.

   - Quer ir para o meu apartamento? Nós podemos terminar de assistir essa temporada de Batman. – Ela disse um pouco sem jeito. Ora! Não havia problema algum em Joseph passar algum tempo com ela, eles tinham gostos em comum e adoravam assistir os desenhos animados do Batman.

   - Essa noite? – Joe perguntou a olhando e como sempre desviou o olhar do dela e sorriu cabisbaixo.

   - Droga.. Essa noite eu não posso. – Disse Demi ao se lembrar de que jantaria com Jake. – Mas amanhã é sábado, tenho que trabalhar só no turno da manhã e o resto do dia é livre. – Joe assentiu e parou de caminhar quando já estavam do lado de fora do prédio.

   - Nós combinamos o horário. – O movimento nas ruas era caótico e já era noite, provavelmente seis da tarde já que havia várias pessoas saindo do prédio da Gyllenhaal e dos demais.

   - Nós combinamos. – Demi sorriu sem jeito, mas riu. Por que ele era tão tímido? Ela gostaria de quebrar aquelas barreiras e fazê-lo mostrar ao mundo o rapaz brilhante e incrível que ele era. – Tchau Joe. – Sem pensar duas vezes Demi o envolveu num abraço apertado e cheio de carinho, Joe sorriu retribuindo ao abraço depois de alguns segundos parado pensando se deveria ou não abraçá-la. – Por favor, se você precisar de alguma coisa entre em contato. – Por que o olhar dele era tão intenso? Demi sentiu as bochechas corarem e uma leve falta de ar tomá-la enquanto ela ora fitava os olhos verdes e intensos de Joe ora fitava os lábios bonitos dele. De todas as vezes que Demi esteve com ele, aquela era a vez que Joe estava mais bonito e tão fofo. O pensamento de correr os dedos pelo rosto dele sentindo os pelinhos negros da barba que crescia lhe pinicar a pele era tão tentador que por um pouco Demi o fez, porém faltou coragem e bem, ela colocaria toda a amizade deles em jogo.

   - Você não quer que eu te leve para casa? – Joe perguntou de cenho franzido ao pensar no perigo que era Nova York à noite.

   - Está tudo bem. A Sel vai me deixar em casa. – Ela disse esboçando um sorriso em agradecimento e partindo o abraço. Céus! Joe era tão fofo! – Obrigada.

  - Tudo bem. Por favor, tenha cuidado. – A voz dele não soou tímida e muito menos falha. Era a voz de um homem protetor e que parecia tão preocupado com o fato dela andar sozinha pelas ruas de Nova York. – Se você também precisar de alguma coisa entre em contato. – Demi sorriu e o beijou na bochecha, um beijo demorado e no canto esquerdo da boca. Diabos! A própria Demi arregalou os olhos e corou bruscamente. O que ela estava fazendo? Joe era apenas o seu amigo e amigos não trocam aquele tipo de carinho.

   - Tchau Joseph. – Agora quem estava tímida era Demi. Ela não queria estragar uma amizade como aquela, não era todo dia que uma mulher encontrava um rapaz como Joe. – Idiota. – Murmurou para si mesma caminhando para dentro da empresa. Céus! Tomara que Joseph não ficasse chateado com a forma impulsiva que ela agia. – O que custava apertar a mão dele Demetria? – Resmungou adentrando o elevador. Joe era tímido e beijá-lo o deixava vermelho e sem graça, mas mesmo assim ela o fazia toda vez que iria se despedir do rapaz.

   - Ei princesa. – Assim que o elevador chegou ao departamento de Designer as portas se abriram e Demi deu de cara com Jake que sorriu para ela. – Tenho um compromisso agora.. Passo para te pegar mais tarde, ok? – Demi assentiu e deixou que Jake a beijasse antes de partir.

Jake, Joseph.. Oh Deus! Demi franziu o cenho enquanto caminhava ao pensar nos dois. Eles eram tão apaixonantes, ela tinha que confessar que estava começando a ficar balançada pelo jeito tímido e carinhoso de Joe. Ele era tão fofo e bonito como um Deus grego. Então havia Jake com aqueles lindos olhos azuis e a forma selvagem e apaixonada que ele fazia amor com ela. Não pense em besteira. Disse para si mesma e acabou por esbarrar em alguém enquanto caminhava completamente fora de si pensando em Jake e Joseph.

   - Nós estávamos te procurando. – Demi balançou a cabeça um tanto atordoada. Como se já não bastasse a beleza estonteante de Jake e Joseph.. Lá estava Ed! Jesus! Ele era simplesmente lindo! Alto, forte, moreno claro e de olhos verdes. Ainda bem que Selena já tinha laçado o rapaz.

   - O que foi Dem? – Selena perguntou ao analisar a amiga. – Está tudo bem? – Mesmo que o clima estivesse estranho entre elas por conta da conversa de mais cedo Selena ainda se preocupava muito com a amiga.

   - É só a beleza estonteante do seu namorado. – Demi brincou e envolveu Ed num abraço apertado. – Tudo vai dar certo, ok? – Ela disse fitando os olhos de Ed ao se lembrar de tudo que Selena havia contado sobre a irmã do rapaz. – Nós estamos aqui.  – Demi sorriu para Selena que a olhou com tanto carinho e amor quando Ed envolveu Demi em um abraço apertado e derramou uma lágrima.

   - Dem, por que você não vai buscar as suas coisas? Nós vamos te esperar aqui. – Demi assentiu entendendo o recado de Sel e a deixou a sós com Ed. – Está tudo bem? – Perguntou a Ed enlaçando os dedos aos dele.

   - Está. – Disse o rapaz e Selena sorriu o abraçando da forma que conseguia já que a bolsa era grande e a atrapalhava. – Posso te beijar? – Ele era simplesmente maravilhoso. Sel assentiu depois de verificar se estavam realmente sozinhos, Ed envolveu o corpo dela com os braços, encostou a testa a dela e por alguns segundos eles se olharam criando aquela conexão especial que deixava Selena assustada. Confiar em homens era definitivamente uma questão muito complicada para Selena. O medo de se machucar era tão grande que Sel preferia sempre evitar se envolver com alguém como Demi se envolvia, a diferença entre as duas era que uma tinha cautela demais e a outra mergulhava de cabeça. Porém Ed era uma exceção e a cada dia se mostrava mais merecedor de confiança. Ele era um homem inteligente e sincero, e Demi tinha razão, ele nunca a machucaria.

   - Eu te amo Sel. – A voz firme soou contra os lábios dela e Selena sorriu e disse que também o amava. – Amo muito. – Ed sorriu e distribuiu tantos beijinhos pelo rosto de Selena, roçou o pescoço da amada com os seus beijos e gostou quando Selena o beijou de volta espalmando suas costas com as mãos até que os dedos adentraram as mechas curtas de cabelo da nuca.

Demi que acabara de sair de seu escritório carregando consigo a bolsa e algumas pastas sorriu ao fitar o casal. Selena e Ed ficavam tão bem juntos por mais melosos que pareciam.. – Ei! Parem com isso. – Ela disse brincalhona como sempre e sorriu sapeca quando Selena a olhou tão envergonhada quanto ela no episódio de mais cedo com o Jake. – Vamos? Nós podemos passar na Rocco’s, Sel? Quero comprar alguma coisa para levar para a casa do Jake hoje à noite. – Disse assim que adentraram ao elevador e Selena cerrou os olhos.

   - É claro. – Demi sentiu o coração pesar ao fitar os olhos de Selena. Ela simplesmente não gostava daquele olhar preocupado. Deus! Até quando seria daquele jeito? Não tinha necessidade de tamanha proteção, Jake não era uma ameaça! O clima no elevador só melhorou com os comentários de Ed e dentro do carro as músicas que tocavam no rádio as distraíram daquela situação chata.

   - Vocês não vão descer? – Demi perguntou procurando pela carteira na bolsa assim que Selena conseguiu encontrar uma vaga depois de muito rodar o quarteirão da padaria.

   - Vamos Sel, eu vou comprar algumas besteiras para as crianças. – Ed olhou Demi pelo retrovisor e Selena ao seu lado, era óbvio que as duas estavam chateadas uma com a outra, mas para ele era inaceitável amigas como elas agirem de tal forma. – Vamos amor. – Ele disse se curvando para depositar um selinho nos lábios de Selena e Demi revirou os olhos um tanto impaciente.

   - Vou ficar por aqui, não tem problema. – Disse Selena e Demi abriu a porta do carro e desceu o mais rápido possível. – Vá com a Dem. – Ed assentiu e saiu às pressas do carro já que Demi caminhava a todo vapor em direção da padaria a meio quarteirão de onde o carro estava estacionado. – Que eu estava enganada. – Resmungou Selena não gostando nenhum pouco da ideia de brigar com Demi, elas estavam tão bem antes de Jake, e Sel estava adorando a história de Demi desistir de arrumar um namorado.. Bem, até Jake surgir do além! Massageando as temporãs, Selena relaxou o corpo e respirou fundo. – A carteira. – Ed estava tão envolvido em beijá-la que acabou esquecendo a carteira no banco do carona ou ela caiu do bolso do rapaz quando ele saiu às pressas do carro. Selena travou o carro e fechou a bolsa assim que guardou a carteira de Ed, caminhou com um pouco de pressa olhando para as lojas e cafés daquele quarteirão e Deus! Ela esbarrou com tudo em alguém na porta de um Café perto da Rocco’s, desequilibrou-se por conta dos saltos, porém não caiu.

   - Desculpe, eu estava distraí.. – Selena arregalou os olhos ao ver de quem se tratava. O coração acelerou a mil por hora, a vontade era de correr o mais rápido possível, porém as pernas estavam moles como gelatina por conta do nervoso e da surpresa.

   - Se eu fosse você, eu ficaria calado e não diria um a para a Demi, caso contrário.. Você não ficará nenhum pouco feliz com o que acontecerá com o Ed, senhorita Gomez. – A voz soou grave e tão ameaçadora que era de dar calafrios, os olhos azuis tão frios e calculistas. Selena olhou de Jake a Dianna, a mãe de Demi, ao lado do rapaz fingindo que não a conhecia. Ela não podia acreditar que estava acontecendo de novo.



Continua... Oiiiiiii! Finalmente estou postando, eu estava ansiosa, graças a Deus hoje foi a minha última prova!! Como vocês estão? Eu estou melhor, obrigada pelo "melhoras" no post passado!! Eu disse que o Jake não prestava! E a Dianna estava aprontando também com todo aquela papo furado para cima da Demi.. Tadinha! Ela está tão lascada shbahsauhsa Pelo menos tem o Joseph que é um amor, mas ele também já está na mira do Jake. Gente, e agora? O que vai acontecer com a Sel? A Demi já não está muito boa com ela, imaginem só se ela contar que viu o Jake com a Dianna? A Demi certamente vai surtar achando que a Sel tá mentindo para afastá-la do canalha, shaushua tretas, que venham as tretas!  Resposta aos comentários AQUI