25.8.16

Explicações e Respostas dos comentários do Capítulo 20 - Parte 2

Boa noite!! Tudo bem? Tô bem graças a Deus. Então, eu não fiz a minha típica nota final no Capítulo 11 por falta de tempo. Primeiramente, e mais uma vez, quero pedir desculpas pela demora para postar. Sabe, eu passei por uma situação muito tensa na semana que eu estava escrevendo o capítulo e isso me abalou de uma forma que eu fiquei muito chateada e triste por alguns dias, pegava para escrever e nada.. Até aula eu faltei. Ainda estou chateada, mas não tanto... Desculpem, sério, estava indo tudo tão bem com a minha ideia de escrever os capítulos e dividi-los.. Mas né :/ 
Obrigada pelos comentários, sério, fico muito feliz que vocês estejam gostando da história, isso é muito bom e eu fico animada lendo os comentários de vocês. Aqui está a respostas do Capítulo 20 - Parte 2  >>> LINK Até o próximo capítulo!!!

23.8.16

Capítulo 21

Alguns dias depois...

“Como as coisas estão?”

Joseph fitou a mensagem de Rose na tela do celular e rapidamente a respondeu dizendo que estava tudo bem. Será que Rose sabia quantas horas eram? Acordar junto com as galinhas não era a mesma coisa, ainda mais em um final de semana.. Não mesmo, quando Joseph morava com a avó na fazenda do Texas o rapaz estava de pé quando ainda estava escuro, mas em Nova York a história era outra.. Joe acordava às sete da manhã e conseguia tempo suficiente para se organizar até dá a hora de ir trabalhar. Agora acordar às cinco e meia da manhã com uma mensagem da prima era castigo, só podia ser.

“Você parece estar diferente. Está tudo bem mesmo?”

 Rose perguntou e Joe imaginou como ela o olharia e diria cautelosamente aquelas palavras. Quem ele queria enganar? Sentia saudades da prima.

“Ah não Joe! Você conheceu alguém e se esqueceu de mim?”

 Joe sorriu ao ler a mensagem. Rose sempre seria apaixonada por ele! “Não me esqueci de você. Você sempre será a minha princesinha.” Respondeu a mensagem antes que a prima o enchesse de perguntas como todas as mulheres faziam. E como previsto Rose enviou mais algumas mensagens perguntando milhares de coisas, mas não demorou quinze minutos para que a menina dissesse que Clara já estava de pé e que por sinal estava muito chateada com a falta de notícias dele e com a bagunça no celeiro, por isso Rose largou o celular e foi ajudar a avó antes que ganhasse uma senhora bronca como Joe costumava ganhar quando estava “brincando” no celular, como dizia Clara.


   - Bom dia dorminhoca. – Joe riu de como Lucy estava encolhida como uma bolinha de pelos marrons encostada a ele. A pequena era tão preguiçosa que não acordou com o chamado do dono. – Ei, bom dia! – Espreguiçando-se, Joe se sentou a cama com tanta preguiça quanto Lucy. Estava cedo demais para deixar a cama, mas o sono havia fugido! Flexionando os braços, dando um longo bocejo e tirando a blusa de moletom que o incomodava, Joe sorriu observando Lucy se aninhar a ele ainda de olhinhos fechados. – Está na hora de levantar. – Ele disse encantado com a beleza da pequenina. Às vezes Joe a olhava tão feliz por ter tido a sorte de encontrar um filhotinho tão especial como Lucy. – Uma tigela de leite se você levantar. Que tal? – Sugeriu a pegando e a abraçando carinhosamente contra o peito nu. Um homem bonito como Joe com uma cadelinha fofa como Lucy era uma tentação! Não era à toa que as mulheres iam à loucura quando Joseph resolvia passear no Central Park com a pequena Lucy em sua guia cor de rosa. Ele literalmente parava o trânsito e já tinha um pequeno fã clube..

Como o prometido Joe encheu a tigela de Lucy com leite morno e cereal para filhotes. E enquanto a pequenina se deliciava com o café da manhã ele esperava que a insulina começasse a fazer efeito para que então pudesse finalmente se alimentar.
Os dias tinham passado num piscar de olhos desde o aniversário de Selena. Joe cruzou os braços franzindo o cenho ao fitar a vista dos arranha-céus e do dia pela janela da cozinha. Foram dias terríveis. Só de pensar em como as coisas estavam entre ele e Demi doía o coração. Na verdade ele não tinha trocado nenhuma palavra com Demi desde a festa, e evitou encontrá-la na Gyllenhaal o máximo que pode. Mas se as coisas entre ele e Demi estavam ruins.. Bem... Demi e Selena não trocaram uma palavra mesmo se esbarrando nos corredores às vezes, o clima entre elas estava tão carregado e sombrio. Não tão sombrio como Ed estava.

A noite de vinte e dois de julho não foi apenas o palco do show inesquecível de Jake Gyllenhaal, não foi apenas a noite em que Joseph praticamente se declarou.. Não foi apenas a noite em que Selena foi jogada injustamente contra a melhor amiga que estava cega a ponto de não enxergar o canalha que estava a usando. Naquela noite, assim que Demi virou as costas com Jake apoiado em seu ombro, o celular de Ed tocou.

Joe podia se lembrar perfeitamente da cena. Selena estava enjoada e para que ela não se sujasse com o vomito ele a segurava gentilmente e domava os cabelos dela. O celular de Ed começou a tocar quando Selena finalmente se aninhou nos braços do namorado triste por tudo que tinha acontecido, ela tinha tentado alertar Demi do perigo que corria, mas no final da história ela tinha sido tachada como a vilã. O primeiro toque foi ignorado por Ed, mas quando veio o segundo e o terceiro o rapaz foi obrigado a atender o celular. Era de partir o coração só de lembrar de como Ed tinha perdido o chão e estava apavorado com a noticia que havia recebido. Sophia tinha partido naquela noite. Doeu tanto ver o amigo sofrer e chorar inconsolavelmente sem que ele ou alguém pudesse fazer nada. Joe respirou fundo engolindo em seco.

 Ele só sabia como conviver com a dor, não como consolar uma pessoa. As lembranças que tinha dos pais eram das histórias que Clara contava, das fitas VHDL e das pouquíssimas fotos borradas. “Eles te amavam muito”. Era sempre o que Clara dizia em todas as datas especiais. E Joe acreditava nas palavras da avó porque podia sentir de alguma forma todo o amor de seus pais. A situação com Ed foi difícil, mas Joe deu o máximo de si para ajudar o amigo e Selena.

   - Vamos assistir um pouco de TV? – Era melhor assistir a um canal qualquer a pensar em como estava sendo difícil conviver com aquela situação. – Vem Lucy.

O desenho animado o distraiu por algum tempo, Joe sempre ria das trapalhadas dos personagens como uma criança feliz. Ria de como Lucy era manhosa e fazia careta com as lambidas que recebia da pequenina em seu colo. Quarenta minutos se passaram desde a aplicação da insulina e então Joe se alimentou em pleno silencio na cozinha. Sentia falta dela. Sentia falta daquele sorriso apaixonante, da risada exagerada e de como Demi o beijava com tanta paixão. Só era insuportavelmente doloroso se lembrar de que ela tinha escolhido Jake. Justo Jake, aquele canalha que usava as pessoas na maior cara dura! Demi era uma boa pessoa e merecia alguém melhor, qualquer pessoa, exceto Jake! Joe franziu o cenho e cerrou o punho. Ah! Se ele pudesse iria socar o chefe e dizer coisas a ele.. Diria coisas até para Demi porque ela poderia ter o sorriso mais lindo de todo o mundo, poderia ser a mulher mais encantadora que ele já tinha visto, mas ela tinha o magoado de uma forma tão covarde. O coração estava machucado demais, a mente estava confusa... A fome foi embora e Joe caminhou diretamente para o banheiro do quarto para tomar um banho que certamente o ajudaria a relaxar.

“Podemos nos encontrar para o almoço?” A indecisão para enviar a mensagem durou alguns minutos, Joe apenas fitava as palavras daquela frase com uma profunda dúvida se deveria ou não convidar Mary para almoçar com ele. Ela estava sendo uma boa amiga e tinha ajudado bastante com Ed e Selena, era uma mulher doce e que gostava das mesmas coisas que ele. Mary era até tímida! E Joe estava começando a pensar em seguir o conselho de Demi, talvez ele devesse dar uma chance a Mary. Quando a mensagem foi enviada o coração de Joe disparou no peito, então ele resolveu que era melhor deixar o celular para se vestir.

   - Ei, você não pode comer o meu sapato. – Joe saiu do closet a tempo de impedir uma tragédia. Lucy, como todos filhotes, estava na fase de comer sapatos e tudo que ela pudesse mastigar. – Você tem os seus brinquedos Lucy. – Ele não alterou a voz, acariciou a cabeça da pequena e verificou se Mary havia respondido a mensagem.

“Nos encontramos onde?”

Joe sorriu feliz e se sentindo nervoso com aquela repentina coragem que ele estava em relação às mulheres. Será que era algo bom? Primeiro tinha sido Demi e agora era Mary, na verdade ele ainda estava completamente apaixonado por Demi e a queria mais que tudo, porém sabia que não podia forçá-la a ser dele.

Ficou combinado de encontrar Mary no Central Park as onze, e como ainda era cedo demais Joe decidiu que cumpriria com a palavra e levaria Lucy para dar uma volta no Central Park naquela manhã.

   - Seja uma boa menina, ok? – Agachado, Joe colocava a guia em Lucy com todo o cuidado para não machucá-la e para que a pequena não se soltasse e corresse dele como tinha acontecido algumas vezes. Lucy estava tão ansiosa e alegre que Joe riu a acariciando nas orelhinhas. Os olhos cor de mel da pequena brilhavam e a língua estava para fora da boca.

Como uma boa menina Lucy se comportou no corredor do prédio e se sentou quando eles estavam dentro elevador. Quando finalmente saíram na rua a pequena se espreguiçou e olhou para cima a procura dos olhos verdes de Joe para fitá-los com os seus cor de mel. – Eu não vou te pegar no colo por agora, quem sabe quando a gente estiver voltando para casa. – Tornando a se agachar Joe acariciou a cabeça de Lucy e em troca recebeu uma lambida feliz da pequena. O dia estava lindo e ensolarado. Joe caminhava sem pressa pela calçada da rua observando os prédios e os carros ao mesmo tempo em que apurava os sentidos para saber para onde Lucy caminhava já que ela poderia se meter numa encrenca com um cachorro maior ou com algum louco motorizado.

Estar em Nova York era tão bom. Joe se olhou numa vitrine e esboçou um pequeno sorriso para a sua própria imagem. Não era tão ruim. E apesar dos pesares, ele estava feliz com o emprego, o apartamento, a cadelinha e o coração partido. Ele só precisava crescer mais, se firmar no emprego, comprar um carro, uma casa. Quem sabe até arrumar uma namorada. Seria legal ter uma namorada. E pensar no assunto o fez pensar automaticamente em Demi. Ela seria a melhor namorada que um cara poderia desejar. Era uma mulher bonita e que adorava assistir aos desenhos do Batman. Eles formariam uma bela dupla. Só era uma pequena que as coisas eram bem diferentes...

   - Lucy? O que foi? – Joe estava de cenho franzido, estava andando normalmente quando de repente Lucy começou a tentar arrastá-lo com toda a sua força de filhote. – Lucy! – O coração dele quase saiu pela boca quando a guia soltou da coleira e Lucy atravessou a rua correndo em meio aos carros. – Oh meu Deus! – Murmurou atordoado esperando uma oportunidade para atravessar a rua e assim que o fez ele procurou Lucy olhando para todas as direções, e bem.. Ele não esperava que a pequena fosse correr para os braços dela. Não mesmo.

Agachada na calçada, Demi estava simplesmente linda vestida com um vestidinho soltinho e branco. Os cabelos castanhos brilhavam e estavam à mercê do vento que vez ou outra os moldavam. E o sorriso dela era capaz de acabar com a pior guerra, era fascinante e tão lindo. Joe estava completamente encantado e envolvido por aquela mulher, por alguns segundos ele não sabia nem mesmo quem ele era, não conseguiu mover nenhum músculo e muito menos pedir desculpas as pessoas que ele atrapalhava de passar.

   - Meu Deus! Eu senti tanta saudade de você! – Lucy não parava de balançar o rabinho, lambia Demi onde conseguia recebendo carinho de volta. – Senti muito sua falta, muita! – Era tão fofo como Demi brincava com Lucy a abraçando sem se importar se estava sujando o vestido branco e impecável agachada naquela calçada e com uma pequena cadelinha que tinha as patinhas frontais apoiadas em suas coxas. – Você está crescendo princesa. – Demi abraçou Lucy contra o peito e então foi ai que o olhar dela se encontrou com o dele. Joseph estava tão sério e tão vidrado fitando os olhos dela daquele jeito intenso e apaixonado. O olhar de Demi não era diferente, as pupilas estavam dilatadas e o marrom dos olhos dela havia ganhado um brilho especial. – Joseph. – O nome dele nunca havia soado tão bem naquela voz linda e delicada de mulher. Joe franziu o cenho se lembrando de tudo que tinha acontecido na festa de Selena e não ousou em esboçar um sorriso.

   - Oi Demi. – Ele disse ríspido como um homem mal humorado. Era tão diferente do Joe fofo e todo coradinho. Demi franziu o cenho se levantando com Lucy nos braços que a lambia e se aninhava cada vez mais a ela. – Ei, vem cá! – Demi franziu o cenho sem entender o que acontecia, para a cadelinha Joe tinha sorrisos e a típica voz suave.

   - Quero ficar com ela um pouco. – Disse Demi acariciando o pelo da pequena que não queria voltar para os braços de Joseph de jeito nenhum.

   - Não queremos te atrapalhar. – Disse seco sem olhá-la nos olhos. – E muito menos sujar o seu vestido. – Demi revirou os olhos e o olhou com muita atenção.

   - Qual o seu problema? – Perguntou sem rodeios. – Eu não estou entendendo o porquê de tanto mau humor, aconteceu alguma coisa? – Demi preferiu não alterar o tom de voz com Joseph, não iria retribuir nenhuma grosseria.

   - Ah?! Você não está entendendo? – Ela nunca tinha visto aquele sorriso cínico nos lábios de Joe e ele muito menos nunca tinha se sentido tão revoltado. – Eu não tenho nenhum problema Demi. – Disse o rapaz finalmente a olhando nos olhos. – Acho que a pergunta correta aqui é: qual o seu problema? – Joe a fitava enfurecido, ele tinha desejado confortá-la desde o aniversário de Selena e a vontade só aumentava conforme o decorrer da semana.

   - Você está sendo ridículo. – Demi murmurou odiando estar com Joe naquela situação.

   - Ridículo? Eu? Demi, pelo amor de Deus! – Ele disse um pouco alto demais atraindo olhares. – Sabe, eu não entendo como você preferiu acreditar naquela canalha a acreditar na sua melhor amiga. E eu estou sendo ridículo.. – Ironizou e Demi o olhou com raiva.

   - Você está sendo um babaca ridículo Joseph! – Disse ofegando e Joe a fuzilou com os olhos. – O que você está pensando? Eu vi com os meus próprios olhos a Selena o agarrando. Ela estava implicando demais com ele, surtando a cada vez que ouvia o nome dele. E de repente ela o agarra e a culpa é dele? – Demi falava rápido demais atropelando as próprias palavras, ela não conseguia acreditar em Selena, mas também não conseguia acreditar em Jake. Apenas dizia aquilo porque odiava a situação que os amigos estavam a colocando como se ela fosse uma criança que precisava ser cercada de cuidados.

   - Você não é inocente Demi. – Ao menos ele não tinha a chamado de burra. Joe a olhou com aqueles olhos verdes intensos e respirou fundo. – O Jake está atuando tão bem, sempre mentindo e te enganando na maior cara dura. Como você consegue ficar com esse cara? Ele te colocou contra os seus amigos e você nem percebeu, continua sendo a bonequinha manipulável dele. – Joe a olhou de cima a baixo imaginando que Demi estava toda arrumada para sair com Jake.

   - O Jake não fez nada, ele é a vítima da história. – A risada de Joseph a irritou profundamente, Demi queria soltar Lucy para partir para cima de Joseph. - Eu sei que ele é um cara legal, mas não vou te julgar, a Selena te envenenou. – O riso acabou e Joe de repente ficou sério a olhando fixamente nos olhos.

   - Você vai se arrepender profundamente quando abrir os seus olhos e enxergar quem é o canalha que você está dormindo. – Joe umedeceu os lábios sentindo o coração contrair de dor ao se lembrar da luta de Sel e Ed. – A Sophia faleceu naquela noite assim que você virou as costas para a sua melhor amiga. Eu nunca vi alguém sofrer tanto como o Ed sofreu, como ele chorou e a Selena.. Deus! Ela estava tão desesperada tentando consolá-lo, ela precisava tanto de você naquela noite. – Demi engoliu em seco sem saber o que dizer para confrontá-lo, talvez ela não deveria dizer nada.. Ed deveria estar acabado e Selena tão triste com toda a situação. Havia uma semana. Sel não a perdoaria, não mesmo. Porque ela não tinha coragem de se perdoar, preferiu virar as costas para a melhor amiga e se afogar em seu mundo. Era tão egoísta. – Ela precisava de você Demi. – A voz de Joseph soou novamente naquelas palavras e Demi franziu o cenho para não chorar. – Mas você o preferiu. Sabe, ainda bem que você o escolheu a me escolher. Não quero amar alguém egoísta a ponto de fechar os olhos para todo o mundo e não enxergar o óbvio, o que está a sua frente. Obrigado por me avisar Demi, obrigado por quebrar o meu coração enquanto ainda era cedo. – Dessa vez foi inevitável reprimir as lágrimas, ela se sentia como um lixo e estar com Joseph ouvindo tudo o que ele tinha a dizer só piorava a cada segundo porque ele tinha razão. Ela tinha escolhido Jake sem nem mesmo amá-lo, sem nem mesmo estar apaixonada por ele. Era só uma aposta consigo mesma de que Jake era um cara legal. O coração não batia forte ao ouvir o nome dele, e ela apenas o aturava e preferia dar ouvidos a razão que dizia que era melhor ficar com Jake. E Selena? Como ela..? Era tão absurdo que Demi sentiu um nó se formar na cabeça como um aviso que não dava mais. Abandonar a melhor amiga por um homem? Poderia ser ele quem fosse, mas jamais se abandona uma amiga.

   - Demi? Vamos? – A voz de Dianna quebrou todo aquele clima tenso que seguia entre Joe e Demi. Ele a via chorar e se controlava para não limpar as lágrimas que rolavam pelo rosto bonito de Demi. – O que está acontecendo? – Dianna perguntou horrorizada com a situação e Demi entrou Lucy para Joe para que pudesse limpar as lágrimas e forçar um sorriso.

   - Não está acontecendo nada. – Disse respirando fundo e Joe olhou Dianna de cima a baixo. Estava vestida e arrumada como uma mulher rica, o nariz empinado e a arrogância eram sufocantes. Não era à toa que Demi estava arrumada como a filha de uma madame.


   - Cuidado Demi, as pessoas não são quem elas dizem ser. – Joe lançou um olhar frio a Dianna e logo ele olhou para Demi que parecia um pouquinho mais despedaçada por conta do tom de voz sem emoção que ele usava, o que ele faria? Queria beijá-la e consolá-la em seus braços, mas estava tão chateado com ela. Joe não disse mais nenhuma palavra, aninhou Lucy em seus braços que parecia assustada com a discussão das duas pessoas que ela mais amava e virou as costas para caminhar sem pressa alguma em direção ao Central Park. 


Continua... Já já posto um aviso para vcs com as respostas dos comentários, bj!

13.8.16

Capítulo 20 - Parte 2

Os brincos com pequenas pedras que imitavam brilhantes eram perfeitos para combinar com o vestido tubinho preto. Demi havia demorado em escolher a roupa que usaria naquela noite, na verdade a ideia de Joe e Mary era tão desanimadora que Demi queria poder inventar uma desculpa para não ir à festa, mas sabia que se não fosse Selena ficaria chateada. Talvez uma cólica surpresa.. Selena sabia que ela tinha cólicas monstruosas... Demi se sentou no puff em frente ao espelho do closet e suspirou. Ela não queria ir aquela festa. Não apenas por saber que Joseph estaria com outra mulher. Tinha sido um dia longo e tão cansativo. Dormir naquele repentino clima chuvoso era uma ideia tentadora. O moletom largo também era tentador... Eram quase sete e meia da noite e a festa já estava rolando há trinta minutos. Desanimadamente Demi fitou o celular na penteadeira e pensou em ligar para Selena para dizer que ela não iria. Foi ai que o nome da amiga surgiu na tela do celular.

Dem? Cadê você? Vem logo, preciso da minha melhor amiga comigo, tudo está tão chato sem você!

Esboçando um sorriso ao ler a mensagem Demi decidiu que não desapontaria Selena, seria divertido ficar grudada com Sel como nos velhos tempos. Ela só teria que ignorar Joseph e Mary, aquela sensação de desanimo e o sentimento ruim.

Mais vinte minutos se passaram enquanto Demi prendia o cabelo num coque despojado. Era uma luta para conseguir colocar os fios castanhos no lugar, os braços estavam doloridos de tanto tentar, mas no final o resultado era maravilhoso. A maquiagem não demorou muito para ficar pronta, Demi gostou da ideia de exibir as sardas naquela noite e foi o que ela fez. Maquiou os olhos e tingiu os lábios com um dos seus batons favoritos da Mac. Será que como Mary iria? Vestidos tubinho não pareciam fazer muito o estilo dela. Demi revirou os olhos tentando esquecer a imagem de Mary ao lado de Joe. Ela não deveria ficar chateada só porque Joe estava seguindo em frente.. Agr! E se ele a beijasse? Joseph e Mary se beijando.. Demi quase vomitou odiando aquela cena. Mas era uma possibilidade de acontecer... Joseph estava amiguíssimo de Ed e ela tinha certeza que o namorado da melhor amiga influenciaria Joe a beijar a menina da máquina de café. Droga!

Maldita hora para Joe e Ed se tornarem amigos! Até no salão eles foram juntos e pelo que Demi conhecia de Ed, ele transformaria Joe em um bad boy em menos de um mês.. Ao menos a aparência. O seu Joe era tão fofo todo tímido vestido em suéteres e camisas xadrez. Não.. Ele não era dela, era apenas um amigo! Demi agarrou o celular com força e digitou agilmente uma mensagem para Jake o convidando para ir à festa de Selena e ele respondeu prontamente dizendo que só iria se arrumar. Era melhor levar Jake a ficar segurando vela para Joseph.

Assim que terminou de se arrumar Jake enviou mensagem avisando que já estava na porta do prédio a esperando. Ao menos ele era pontual.

   - Boa noite Demi. – Demi se sentiu mal por pensar em Joe durante todo tempo quando ela tinha Jake. Como um homem poderia ser tão lindo? O sorriso sem jeito que surgiu nos lábios dela era o reflexo da beleza surreal de Jake. Ele estava completamente diferente daquele homem de negócios em um terno caro. O cabelo loiro escuro estava penteado de forma tão descontraída. Os olhos azuis tinham certo brilho e nos lábios de Jake um sorriso lindo. Um sorriso de fazer uma mulher ficar de pernas bambas. A camisa preta com xadrez azul se encaixava perfeitamente bem no tronco forte de Jake, os jeans eram escuros assim como o sapato.

   - Boa noite Jake. – O abraço que trocaram foi reconfortante para os dois que então sorriram ao se olharem e trocaram um beijo delicado.

   - Você está linda! – Jake sorriu para Demi ainda em seus braços. – Sou um cara de muita sorte. – Demi sorriu ao receber um beijo na testa aproveitando do abraço enquanto ele durou. Era bom estar nos braços de Jake. – Vamos? – Como um verdadeiro cavalheiro Jake abriu a porta do carro para Demi e logo o adentrou. – Animada para a noite? – Ele perguntou colocando o cinto de segurança.

   - Sinceramente.. Estou tão cansada que preferia ficar em casa. – Disse Demi se sentindo aliviada por estar sentada. O corpo implorava por descanso. – Só vou pela Selena.

   - Nós podemos ficar um pouco na festa, depois vamos para casa. – Demi riu do sorrisinho malicioso que Jake esboçou e enlaçou os dedos aos dele. – Para dormir é claro. – Disse ainda com aquele ar divertido. Lá fora ameaçava chover e estava um pouco frio, havia uma parte do céu onde o azul escuro era fascinante e já havia outra parte onde uma nuvem roxa cobria exatamente a área daquela região de Nova York. Demi observou o céu e os arranha-céus como sempre fazia encantada com a beleza deles. – Eu comprei bombons para a Srta. Gomez. – Disse Jake quebrando o silêncio. – Você acha que ela vai gostar? Eu não queria ir sem levar nada..

   - A Sel adora bombons. – Demi sorriu ao olhá-lo. – Você é definitivamente um fofo. – Mesmo sabendo que Jake estava dirigindo, Demi se curvou e o beijou na bochecha. – Você pode chamá-la de Selena, Srta. Gomez é tão formal. – Comentou ao perceber que toda vez que Jake se referia à Selena ele era extremamente formal.

   - Eu não sei.. Acho que ela não gosta muito de mim. – Demi sorriu amarelo. Ela não contaria para Jake que Selena surtava simplesmente ao ouvir o nome dele. – Melhor chamá-la de Srta. Gomez. – O charme que Jake fazia era capaz de cegar qualquer mulher apaixonada. A maneira como ele mentia era tão natural.. Quase um dom.

   - Está tudo bem, ok? – Aos arredores do Café Wha? o movimento de carro era uma loucura. Isso porque Selena queria uma comemoração mais sutil... – A Sel só quer me proteger. Acredite, o meu histórico de namorados é uma lástima... Ela só faz o que qualquer melhor amiga faria. – O carro já estava estacionado e infelizmente Demi acreditava no falso nervoso de Jake que se mostrava “receoso” com o fato de estar na festa de Selena.. Mas no fundo ele não via a hora de aprontar...

   - Tudo bem.. Ela é a sua melhor amiga. – Jake respirou fundo e sorriu para Demi logo depositando um selinho nos lábios dela. Ele fez questão de abrir a porta do carro e guiá-la para fora do veiculo segurando gentilmente a mão delicada feminina.

   - Vai ser divertido. – Demi tentou encorajá-lo assim que Jake buscou pelos bombons de Selena e travou o carro. – O pessoal é muito legal, você só precisa se enturmar com os rapazes. – Demi o abraçou de lado e em troca recebeu um beijo nos lábios. Um beijo que aos poucos foi ganhando força e que quando acabou ambos estavam ofegantes, mas com sorrisos nos lábios. Como todo casal, enlaçaram os dedos enquanto caminhavam trocando poucas palavras sobre como o tempo havia mudado de um dia para o outro. Demi só não esperava vê-lo... Os olhos marrons ganharam um brilho sem igual. Joseph. Ele estava definitivamente lindo! Quando ela pensou que Ed o transformaria em um bad boy, bem, o trabalho dele tinha sido completamente diferente. Era uma versão mais estilosa do Joe que ela conhecia. Ora! Ele estava completamente lindo vestindo uma bela jaqueta biker preta de couro sobre uma camisa branca de botões. A calça de brim era negra e os tênis brancos. O cabelo estava um pouco mais curto, estiloso sem perder aquele ar de arrumadinho.

Era só uma pena que aquele sorriso que Joe tinha nos lábios não era para ela... Joe abriu a porta do táxi e ajudou Mary a descer daquele jeito fofo que só pertencia a ele. Então lá estava novamente o sorriso que era capaz de fazer qualquer mulher se apaixonar. Mary até recebeu um beijo na bochecha! Demi estava tão vermelha e apertava tão forte a mão de Jake. O que diabos Joseph estava fazendo? Por que ele estava saindo com aquela garota toda engomadinha? Por acaso Selena tinha mudado o tema da festa para os anos 80 para Mary estar usando um vestidinho fofo de cetim branco com bolinhas pretas e Joseph uma jaqueta biker preta?

   - Demi? – Jake a chamou sem entender o porquê de Demi estar de cara fechada e praticamente esmagando os dedos dele com aquela delicada mão. – Demi? – Ele tornou a chamar agora um pouco mais alto e firme e Demi finalmente o olhou de cenho franzido. – Está tudo bem? – Perguntou aparentemente preocupado e Demi assentiu com cara de poucos amigos.

   - Vamos entrar? Aqui fora está frio. – Demi praticamente arrastou Jake para dentro do pub sem cumprimentar Joseph que ainda estava com Mary sorrindo de alguma coisa que ela dizia. Não fazia sentido cumprimentá-lo.. Não mesmo!

O pub não estava lotado como Demi tinha pensado, porém a quantidade de pessoas era considerável. O clima estava agradável, a luz baixa na pista de dança, a música pop num volume moderado e os garçons serviam as pessoas espalhadas pelo local. Não demorou muito para que Demi encontrasse Selena e a envolvesse num abraço apertado.

   - Feliz aniversário Sel! – Selena não hesitou em abraçar Demi calorosamente e se demorar no abraço da melhor amiga. Ela sorriu feliz, mas o sorriso se desfez ao olhar para a figura logo atrás de Demi: Jake. Diabos! O que ele estava fazendo ali? – Espero que você goste. – Demi entregou o embrulho de presente para Selena esboçando o seu melhor sorriso para a amiga. – Feliz aniversário.. De novo! Amo você! – Jake não estragaria a amizade que elas tinham, jamais! As duas riram e tornaram a se abraçar novamente demorando todo o tempo que tinham direito.

   - Também te amo Dem. – As duas trocaram aquele velho olhar confidente e então Demi sorriu para Jake o encorajando de cumprimentar Selena já que ele parecia tenso e constrangido.

  - Bem.. Parabéns Srt.. Selena. – Demi continuou sorrindo para Jake que fazia o seu melhor teatro para enganá-la. Selena estava estática e não conseguia acreditar no quão cara de pau Jake poderia ser, ele não tinha vergonha de mentir tanto? Infelizmente para não estragar a festa e arriscar o clima com Demi, Sel forçou o seu melhor sorriso e agradeceu pelos bombons. Tudo por Demi.

   - Fiquem à vontade. – Demi estava feliz por ver um sorriso no rosto de Selena, não havia como ela se relacionar com Jake sem o apoio de Sel, não mesmo. – Eu vou receber os outros convidados. – Disse Selena saindo às pressas não suportando estar na presença de Jake. Ele era de dar calafrios!

   - Perdeu algum pedaço? – Perguntou Demi roubando um selinho de Jake. – Vamos beber alguma coisa? Eu estou com sede. – A atenção se dividia entre Jake e Joe. Demi não conseguia deixar de olhar para Joe e sentir o coração doer só de observar como ele tratava Mary com tanto carinho e atenção. Por outro lado ela se sentia terrivelmente culpada pelas curtas respostas a Jake, mas tentava se envolver no assunto para tirar Joe de sua mente.

Aos poucos as pessoas chegavam a festa de Selena e conforme o tempo se passava a música ficava mais alta e as luzes mais baixas e coloridas. Demi não era muito fã de bebidas alcoólicas, mas não recusou os coquetéis que lhe ofereciam. Bebeu e dançou boa parte do tempo colada a Jake trocando beijos quentes com ele, mas o pensamento estava em Joe e ela não deixava de olhá-lo como uma leoa faminta enquanto abraçava Jake. Joe estava sentado com Mary em uma mesa e eles pareciam tão íntimos conversando entre sussurros.. Infelizmente o álcool que corria no sangue de Demi já era o suficiente para fazê-la agir por impulso, e foi o que ela fez, puxou Jake para fora da pista de dança e cada passo que ela dava em direção a Joe era tão firme e confiante.

   - Joseph! – A voz mostrava uma alegria incomum, porém por mais que Demi agisse com mais liberdade, ela ainda era consciente de tudo que fazia. – Boa noite! – Disse um pouco alto demais por ter que falar praticamente gritando quando estava na pista de dança.

   - Boa noite Demi. – Joe estava com as bochechas coradas, não esperava que Demi o cumprimentaria já que ela tinha passado boa parte da festa o encarando com uma expressão indecifrável. Ele não tinha se aproximado porque não sabia se conseguiria controlar o impulso de puxá-la para os seus braços para beijá-la profundamente. – Você está linda. – Quando percebeu as palavras já tinham saído de sua boca e o sorriso que Demi esboçava era exclusivamente para ele.

   - Você também Joe. – Demi sorriu feliz quando Joe se levantou e a abraçou. Tinha coisa melhor que estar nos braços dele? Ela se sentia tão segura e com uma boa sensação de que tudo daria certo. Demi se agarrou ao abraço enquanto ele durou e sorriu de orelha a orelha quando Joe a olhou nos olhos também sorrindo.

   - Demi, essa é a Mary. Mary, essa é a Demi. – Ele tinha que apresentá-las. Mas não foi tão ruim como tinha imaginado. As garotas trocaram um olá e um breve abraço e então lá estava o problema o olhando com aqueles olhos azuis frios. Jake.

  - Jake. – Joe não gostava nem de ouvir aquele nome. Céus! Só de pensar nas coisas que Jake tinha feito com ele e Selena fazia o seu sangue ferver, mas pensar que Jake estava com Demi era de deixar qualquer um louco de raiva. Joe apertou a mão de Jake e apenas assentiu quando Jake disse o seu nome da mesma forma que ele tinha dito o dele.

   - Mary, esse é o Jake. – Demi estava tentando ser simpática com aquela doce garota da máquina de café, Mary realmente parecia ser adorável e era tão educada que por alguns minutos Demi se sentiu mal por julgá-la antes mesmo de conhecê-la melhor. Mas era apenas um sentimento, não queria dizer que ela queria Mary junto com Joe. Não mesmo, aliás, mulher nenhuma! – Jake, essa é a Mary. – Joe e Demi estavam envolvidos demais presos na tensão que os envolviam para perceber o olhar estranho que Jake lançou a Mary e a forma que ela sorriu um tanto familiar demais enquanto se cumprimentavam.

   - Vocês querem beber alguma coisa? – Jake perguntou. Demi e Mary assentiram e Jake pôs a sua mascara de boa pinta sorrindo para Joe sugerindo uma cerveja ou um copo de Whisky. – Não vai beber nada? – Tornou a perguntar e Joe franziu o cenho balançando a cabeça em negação. Ele não estava gostando nenhum pouco da pose de Jake.

   - Ele é diabético, não pode beber. – Demi não entendeu o porquê de Joe não contar de uma vez por todas que não podia beber por ser diabético, então preferiu contar para eliminar qualquer ideia de Joe de tomar alguma coisa com álcool.

   - Me ajuda com os copos? – Jake estava tentando se enturmar com Joe para ao menos agradar a Demi que não deixava de olhá-los os observando com aqueles lindos olhos marrons.

   - Está gostando da festa? – Demi perguntou a Mary olhando para os dois caras mais bonitos de toda a festa caminhando lado a lado. Joseph e Jake eram tão lindos que chegava ser intimidante.

   - Não sou muito de festa. – Disse Mary com a sua voz delicada de menina. – Mas está sendo divertido, e o Joe é um cara legal. – Demi assentiu engolindo em seco e finalmente fitou os olhos de Mary que estavam fixos a ela. – Fiquei surpresa quando ele me convidou. – Como não havia sinal de Joe e Jake, Demi preferiu se sentar a mesa junto com Mary e ouvir o que ela tinha a dizer a respeito de Joseph. – Pensei que vocês dois viriam juntos.

   - Não.. Não, nós somos apenas amigos. – Disse dando ênfase no “amigos” com certo desconforto.

   - Ele fala muito de você. – Demi preferiu fitar os próprios dedos a olhar para Mary. Era tão errado ela sentir ciúmes de Joe. – Sabe, eu fico pensando se isso não será um problema.. – Agora Mary tinha conseguido chamar a atenção de Demi que a olhou com curiosidade. – Você está com o Jake, certo? – Disse cruzando as pernas. E Demi assentiu olhando aos arredores a procura de Jake e Joe, mas tudo que ela via era pessoas dançando. – Você não deveria alimentar falsas esperanças, Demi. O Joe é um bom rapaz e merece alguém que irá amá-lo. – Demi engoliu em seco internamente chocada com a abordagem direta de Mary. Quem diria que aquela tímida garota fosse deixar as coisas tão claras.

   - Nós somos apenas amigos. – Como uma forma de conforto Mary segurava sua mão e tinha um sorriso de consolo nos lábios como aqueles “Não foi dessa vez”. –  Tenho certeza que ele vai encontrar uma mulher que o fará feliz. – Aquele sorrisinho nos lábios de Mary era tão irritante. Demi forçou um sorriso e olhou a sua volta dando graças a Deus que Joe e Jake se aproximavam inflexíveis um com o outro. – Vocês demoraram. – Disse assim que Jake lhe entregou um coquetel e depositou um selinho em seus lábios.

   - Você achou? – Jake enlaçou os dedos aos de Demi e deitou a cabeça no ombro dela. – Você está simplesmente linda Dem. – Disse no ouvido dela entre um beijo e outro que depositava no pescoço da mesma. Pelos próximos minutos Demi tentou administrar uma conversa saudável com Mary e Joe para preencher aquele silêncio constrangedor que tentava envolvê-los. Jake não colaborava muito, apenas a beijava e dizia frases aleatórias a ela esboçando aquele sorriso sedutor que a deixava de pernas bambas.

   - Não estão gostando da festa? – Selena estava animada e feliz. Ed a abraçava pela cintura e parecia tão contente quanto à namorada. Eles tinham combinado que nada estragaria aquela noite, nem mesmo a presença desagradável de Jake. – Demetria? Você está bem? – Sel sorriu para a amiga. Ela conhecia muito bem Demi para saber que ela jamais ficaria sentada durante uma festa. O lugar de Demi era na pista de dança.

   - Estou. – Demi mordeu o lábio inferior e também sorriu para Selena. Ela apostava que Sel recordava também de todas as loucuras que elas já tinham feito em festas como aquelas.. – Só acho que perdi o jeito. – Selena assentiu negativamente enquanto puxava Demi em direção à pista de dança.

   - A pista é nossa! – Disse Selena já movimentando o corpo no ritmo da música ao lado de Demi que parecia estar receosa com os olhares de Joseph, Mary e Jake, mas então ela respirou fundo e dançou como se não houvesse o amanhã. Dançou até que os pés estavam doloridos e o corpo exausto, porém ela não parou, vez ou outra sorria para Selena e tentava conversar com ela mesmo com a música estourando seus tímpanos.

   - Eu estou ficando velha. – Resmungou Demi assim que Selena a puxou para uma mesa a procura de uma bebida.

   - É o meu aniversário Dem. – As duas riram e tomaram um belo copo com água antes de partirem para os coquetéis. – Vamos dançar? – Demi riu quando Selena tropeçou nos próprios pés e ao invés de se chocar com o chão, Ed a envolveu num abraço apertado e protetor.

   - Acho que a Sel está um pouquinho tonta. – Comentou Demi sorrindo para Ed e logo para Selena. – Você não está bêbeda, está? – Perguntou se apoiando no ombro de Ed. Ora, Selena não estava bêbeda, só estava um pouco feliz demais, ela e Demi estavam.

   - Vocês duas não tem juízo. – Selena e Demi dançaram tanto chamando a atenção de todos, era de se admirar a conexão que elas tinham, até a forma que se olhavam era íntima e um mistério total para todos. Era como se elas conseguissem conversar apenas pelo olhar. Ed tentou levar a namorada até a mesa para que ela pudesse descansar, mas Selena o importunava com beijinhos provocantes o chamando para dançar com ela.

   - Dem? O que você está esperando? Arrume um par para você! – Certo, de tonta Selena não tinha nada! Ela conseguia se equilibrar perfeitamente sobre aqueles saltos quinze. Demi sorriu assistindo a amiga dançar com Ed movendo o corpo sem parar. Ed era um cara tão bom para Selena, Demi os olhou por alguns minutos completamente admirada e feliz por Selena e Ed.

   - Quer dançar comigo? – A voz rouca e grossa baixa contra o seu ouvido a assustou, mas quando Demi viu os braços envolverem sua cintura com firmeza ela soube que se tratava de Jake. E era realmente ele, Demi se virou e sorriu de orelha a orelha para o rapaz.

   - Eu adoraria! – Disse, ou melhor, praticamente gritou por conta do volume da música que conforme o tempo se passava ficava cada vez mais alto. Demi agarrou os cabelos da nuca de Jake colando o corpo ao dele num ritmo mais lento já que ela estava cansada demais para dançar como Selena dançava.  Foi inevitável não olhar para a direção onde Joseph e Mary estavam, só que eles não estavam sentados como fizeram durante toda a noite. De cenho franzido Demi procurou por Joseph por todo seu campo de visão, até que se surpreendeu ao vê-lo todo tímido guiando Mary em passos desajeitados. Como alguém poderia ser tão especial como ele era? Demi parou de se mover mesmo estando nos braços de Jake e suspirou ao olhar para Joseph. Ele era tão lindo e estava simplesmente o sonho de toda mulher todo arrumado e com aquele sorriso magnífico nos lábios. Era encantador assistir Joseph se esforçando para quebrar aquela timidez, ele estava se dedicando tanto. Demi se lembrou da primeira vez que o viu naquela pizzaria, ele era tão tímido que até para falar gaguejava. Agora lá estava ele sorrindo feliz tentando dançar, era só uma pena que não era com ela.

   - Você está bem? – A voz de Jake contra o seu ouvido a assustou e só ai Demi percebeu que estava perdida em Joseph.

   - Eu só preciso tomar um ar, tudo bem? – Ela olhou para Joseph e para os olhos azuis de Jake. A sensação de estar confusa entre dois homens maravilhosos era tão angustiante. Demi franziu o cenho e mordeu o lábio inferior. – Eu já volto. – Ela não esperou pela resposta de Jake, desvinculou-se dos braços do rapaz e enquanto caminhava em direção a escada que levava para os andares de cima do pub, Demi percebeu que Joseph a olhava, o sorriso não estava mais nos lábios dele, era apenas aquele olhar intenso que a deixava desnorteada.

Mesmo a música estando absurdamente alta, no terceiro andar o som era apenas um vago ruído. Era insuportável como os ouvidos estavam sensíveis e o vento gelado. Encolhendo-se, Demi se aproximou do muro de proteção se debruçando sobre ele. Estava molhando, aliás, boa parte daquela parte do pub estava molhada por conta da chuva devastadora de agora a pouco. Agora o céu estava limpo dos vestígios das nuvens roxas, o azul tão escuro cheio de pontinhos brilhantes era tão assustador e encantador. O céu não tinha fim e a intimidou tanto, ela era apenas um grão de areia dentro de tudo que existia. Tantas coisas passaram pela cabeça de Demi. Ser fruto de um estupro. A falta de carinho da mãe. A busca por um homem que a amaria. Jake e Joseph. Por que tudo estava tão confuso? Ela se sentia perdida no meio daquela bagunça, não conseguia enxergar nenhuma opção. Franzindo o cenho Demi decidiu que era melhor não ter uma crise de existência naquele momento, se ela fosse parar para pensar em tudo que estava acontecendo naquele momento iria enlouquecer. Alguns minutos se passaram e mesmo tentando controlar os pensamentos para não pensar no pior, Demi reviveu alguns momentos de angustia. Era melhor voltar para a festa e tomar alguma coisa para ajudá-la a distrair, virando-se, Demi sentiu o coração falhar ao ver Joseph abrindo a porta que dava acesso àquela área.

   - Oi. – Ele disse a olhando intensamente. Demi engoliu em seco. Tudo que ela menos precisava no momento era de estar sozinha com Joseph.

   - Oi. – Murmurou desviando o olhar dele para o céu escuro.

   - Você está bem? – Quando ela deu por si Joseph já estava perto demais, aparentemente preocupado a olhando com tanta atenção.

   - Só estou pensando. – Era a melhor resposta que tinha já que não queria mentir. Demi tornou a se aproximar do muro da proteção e repousando os braços nele fitou o céu na tentativa de não pensar em Joe e acalmar o coração que batia tão rápido contra o peito. – Eu vou ficar bem, pode descer. – Disse usando todo o seu autocontrole para não olhá-lo.

   - Demi. – O nome dela soava tão bem na voz macia dele. Demi fechou os olhos sentindo o toque da mão de Joseph em seu ombro, não demorou muito para que a pele se arrepiasse e o frio na barriga piorar drasticamente. – Olha para mim. – Ele pediu e ela não conseguiu dizer não. Virou-se sem saber de onde havia tirado forças, fitou os olhos verdes de Joseph e sentiu o corpo ser envolto pelos braços dele. – Eu odeio te ver triste. – Joe sabia que tinha alguma coisa de errado com Demi, ela estava estranha e tão distante. – Vamos, sorria. – Com muita coragem ele acariciou o rosto dela com a mão esquerda enquanto o braço direito envolvia possessivamente o corpo de Demi contra o dele. – Sorria Dem. – Demi sorriu ao ouvir o apelido carinhoso, sorriu com o carinho que Joseph fazia em sua bochecha e sorriu principalmente ao olhá-lo nos olhos. – Não fica triste, eu sempre vou estar aqui para você. – Era impossível não se apaixonar por ele. Demi assentiu se agarrando mais ao abraço sem ousar em desviar o olhar do dele, ela jamais o faria, conhecia aquele olhar intenso e se perdeu nele.

   - Joe.. – Demi o chamou tentando quebrar aquela conexão de alguma forma. Porém o que os envolviam era tão forte, tão vivo e avassalador. Ela não sabia como os dedos acariciavam os cabelos da nuca de Joseph, apenas o fazia completamente envolvida e louca para ser dele de todas as formas. – Joseph.. – Dessa vez os olhos dela estavam fechados, o corpo envolvido pelos braços fortes e a bochecha sendo roçada aos poucos pelos lábios de Joe em beijos tão inocentes e carinhosos. Era a forma dele de mostrar como estava completamente apaixonado por ela. Demi sorriu levando as pontas dos dedos para o rosto de Joe onde o acariciou sentindo os pelinhos da barba a arranhando. Se Joe já era o motivo para deixar as mulheres completamente excitadas, imagina quando aquela barba crescesse? O pensamento não a agradou, os beijos que ganhava eram tão quentes e desconcentrastes. Os lábios de Joseph tocaram até o torso dela o arranhando e distribuindo leves mordidas e beijos quentes quando subiram pelo pescoço. Joe apenas se deixava guiar pelo instinto e a vontade de ter Demi em seus braços, ele só não sabia que era tão bom no que fazia.

   - Você está tão linda Demi, tão linda. – Demi sorriu ao ver as bochechas levemente avermelhadas de Joe, beijou-as com tanto carinho e tirou os óculos de grau que ele usava. Ele continuava a olhando daquela forma pura e inocente, mas que ao mesmo tempo também era carregada de desejo. Quando Joe fechou os olhos Demi respirou fundo umedecendo o lábio inferior, ele queria um beijo e ela não sabia se era capaz de beijá-lo, não porque não queria.. Longe disso. Ela só não sabia se conseguiria parar.

   - Você também está lindo.. – A voz dela soou baixa, nervosa e os dedos tremiam levemente conforme ela aproximava o rosto do de Joe e desejava cada vez mais unir os lábios aos dele. – Muito lin.. – Demi não esperava que ele fosse avançar, mas Joe o fez iniciando um beijo de tirar o fôlego e deixar qualquer mulher excitada pela forma que ele a tocava com firmeza na cintura. O beijo era tão envolvente e apaixonado que se Demi permitisse aconteceria ali... – Joseph! – O nome dele saiu ofegante e precisou de algumas respiradas fundas para Demi recuperar o fôlego. – Eu.. eu estou com o Jake. – Ela disse quebrando todo o encanto e Joseph franziu o cenho impaciente. – E você está com a Mary.

   - Eu queria estar com você. – Demi perdeu o fôlego com o olhar de Joe. – Apenas com você.

   - Isso não é certo. – Murmurou Demi se soltando dos braços de Joe. – Eu não posso fazer isso e nem você. – Joe respirou fundo de olhos fechados. Por que Demi não conseguia enxergar o óbvio? Por que ela tinha que fazer aquela confusão de sentimentos com o coração dele?

   - Eu não estou com a Mary. – Disse se preparando mentalmente para dizer o que realmente importava. - E eu não quero ser só o seu amigo. – Demi fechou os olhos indecisa com o que deveria sentir. Uma parte dela estava radiante com a confissão de Joe, e a outra era pura culpa junto a pensamentos ruins.

   - Joe, isso não é certo. – Foi tudo que ela conseguiu dizer sem olhá-lo. Havia Jake, ela não podia simplesmente ficar com Joe sem se importar com os sentimentos dele. Era egoísmo demais.

   - E é certo você me beijar? – Disparou Joe com toda a coragem que tinha sentindo o coração bater mais rápido. – Você não pode me dizer uma coisa e fazer outra, eu não suporto mais isso! É tão confuso e machuca Demi, machuca tanto. – O coração dele estava partido em milhares de pedaços, a mente confusa e uma vozinha o chamava de trouxa e idiota por gostar tanto de uma mulher que só o beijava ocasionalmente enquanto estava com outro.

   - Eu não sou boa o suficiente para você Joe. – Disse Demi tentando não chorar na frente dele. Ela se sentia um lixo por machucá-lo, por dar falsas esperanças a ele. – Eu tenho certeza que você vai encontrar alguém que não vai bagunçar os seus sentimentos como eu faço, alguém que não vai te machucar como eu faço. Eu sou tão cheia de problemas, tão confusa. Você merece alguém especial como você é. – Joe queria dizer coisas a ela, queria dizer que ela era especial, que só precisava enxergar o problema e se livrar dele: Jake. Mas o coração estava machucado demais para que ele conseguisse sequer direcionar o olhar a Demi. Não tinha sido uma boa ideia confrontá-la, mas tinha sido melhor assim.

   - Eu.. eu vou descer. – Ele não gaguejou, apenas estava triste e com o coração partido. Naquele momento não havia espaço para ataques de timidez ou nervoso.

   - Joe. – Demi o chamou quando ele deu alguns passos para longe dela e assim que ele se virou para olhá-la com um fiapo de esperança nos olhos que se apagou ao perceber que ela não diria nada de muito importante. – Os seus óculos. – O silêncio entre eles era tão estranho e incomodo. Joe pegou os óculos da mão dela sem dizer uma palavra, ajustou-os ao rosto e começou a caminhar em direção a porta.

   - Você não vem? – Ele perguntou assim que abriu a porta e Demi assentiu. Estava ficando frio e Jake já deveria estar preocupado com o repentino sumiço dela. Por incrível que pareça Joe forçou um sorriso e Demi o retribuiu se sentindo menos desconfortável com a situação.

   - Joe. – Demi o chamou alguns degraus acima de onde Joe estava e ele a olhou nos olhos. – Dá uma chance para a Mary, ela parece gostar muito de você. – Era doloroso dizer aquelas palavras, principalmente quando ela morria de ciúmes de Mary com Joe, mas ela tinha feito uma escolha e Joe deveria fazer a dele.

Era inacreditável o que ele havia acabado de ouvir. Joe queria alterar o tom de voz com Demi e dizer que ele estava apaixonado por ela. E que só ela o faria feliz! Mas já tinha sido demais para uma noite só. Ele iria se recuperar dos golpes que tinha levado no coração e seria mais firme caso resolvesse falar com Demi novamente sobre o que eles “tinham”. Não iria desistir tão fácil porque sabia que ela valia a pena correr todos os riscos. Descendo mais alguns degraus a frente dela, Joe arregalou os olhos com o que viu. O sangue ferveu nas veias e ele tinha certeza que faria uma besteira.

O som da música estava alto, mas não tão alto quanto mais cedo. Os vizinhos deveriam ter reclamado do barulho que vinha do pub. Tudo estaria escuro se não fosse o jogo de luzes de laser, o globo de luz e todos aqueles pontinhos luminosos coloridos na escuridão. As pessoas ainda dançavam e pareciam mais animadas, deveria ser por conta das bebidas servidas pelos garçons que aparentavam estar cansados de tanto trabalhar. Em frente à escada em um canto mais reservado Joe podia ver o corpo forte de um homem que ele sabia que não era Ed, não mesmo! Ed não usava aquelas roupas, sem contar que ele não tocava Selena daquela forma desrespeitosa.. Jake! Ele atacava Selena sem um pingo de respeito distribuindo beijos pelo pescoço dela e apalpando as coxas ainda cobertas pelo vestido com as mãos. Já Selena não estava nenhum pouco sã, ela parecia zonza e com certeza achava que Jake era Ed.

Era uma pena que tudo tinha acontecido rápido demais. De repente Jake flagrou o olhar de Joseph e logo as pernas nuas de Demi alguns degraus acima. Foi o tempo suficiente para ele reverter toda a situação. Moveu o corpo de Selena para sua frente e começou a lutar contra Sel como se ELA estivesse o atacando e ele relutando.

   - Filho d... – Joe não conseguiu terminar a frase, não quando Demi terminou de descer a escada furiosamente.

   - Eu não acredito! – Ela estava surpresa, realmente surpresa com aquela situação! Como assim Selena estava agarrando Jake? Era o que parecia do seu ponto de vista já que Jake tentava empurrar Selena sem sucesso algum. – Selena? Qual o seu problema? – Demi a puxou pelo braço bruscamente finalmente a descolando do corpo de Jake, ela estava tão surpresa e decepcionada que não sabia o que diria para Selena, não sabia o que perguntar e não sabia se seria capaz de perdoá-la, mas não deu tempo de racionar muita coisa. A essa altura do campeonato Ed já estava em cima de Jake o atacando com todas as suas forças sem dar a mínima chance de Jake se defender. A confusão estava armada! As pessoas já se aproximavam curiosas para saber o que estava acontecendo, não havia mais música e as luzes estavam acesas.

   - Não me toca! – Ed gritou assim que dois seguranças o puxaram de cima de Jake, mas ele estava tão furioso que aqueles homens mal aguentavam controlá-lo. – Eu vou acabar com esse filho da puta! – Joe resolveu intervir segurando Ed quando ele conseguiu se soltar e já partia novamente para cima de Jake que estava escorado na parede um pouco machucado. – Se você tocar nela mais uma vez eu te mato! – As veias chegavam saltar no pescoço de Ed, ele estava tão nervoso que  a pele estava rosada. Demi estava tão assustada, não sabia o que pensar, mas estava chateada com a atitude de Ed. A culpa não era de Jake, não mesmo... Ela o olhou e se aproximou dele receosa, mas o fez.

   - Você está bem? – Perguntou o ajudando a ficar de pé da melhor forma que conseguiu já que Jake era um cara grande e forte.

   - Eu te disse que ela est..tava interessada. – Jake falava com certa dificuldade já que o lábio inferior estava cordado e sangrava. – Eu não tive c..culpa, tentei impedi-la. – Demi nada disse, ela tinha visto a cena, só não conseguia acreditar. O coração gritava escandalosamente com ela dizendo que a culpa não era de Selena, já a mente fazia questão de relembrava que era Selena quem abraçava Jake e ele a empurrava aparentemente não gostando nada daquela situação. – Dem, eu não tive culpa. – Demi franziu o cenho irritadíssima com os olhares que recebia conforme a multidão se abria para que ela pudesse passar com Jake. Sem contar o que havia acontecido com Joseph, ela estava uma pilha de nervosos! Cansada e estressada ao limite.

   - Com licença. – Disse ao segurança na saída do pub e quando finalmente saiu daquele espaço congestionado de pessoas o vento soprou gelado a fazendo arrepiar.

   - Eu não acredito! Você ainda está com esse lixo? – A surpresa foi tão grande por encontrar Selena, Ed e Joseph do lado de fora do pub que Demi arregalou os olhos assustada. – Francamente Demetria! Francamente! Eu esperava mais de você, mas você não consegue enxergar o óbvio? Esse traste estava agarrando a sua melhor amiga e você ainda o carrega como se ele fosse um santo! – Ed estava realmente nervoso. Ele nunca tinha usado aquele tom com Demi. – Qual o seu problema? Ele está te manipulando o tempo todo e só você não consegue enxergar! Vamos Demi, não é porque sua mãe é uma puta que nunca te deu amor que você tem que ser burra para gostar desse pedaço de merda! – Antes que Ed dissesse mais alguma besteira Selena o repreendeu com um olhar.

   - Para a sua informação foi ela quem o agarrou, foi ela quem estava implicando com ele o tempo todo. – Esbravejou Demi a plenos pulmões. – O que você faria Sel? Quando eu terminasse com ele você iria correndo pegar o que eu joguei fora? E eu pensei que você era a minha melhor amiga. – Demi a olhou com tanto desgosto que o coração de Selena se partiu em milhares de pedaços e os olhos marejavam.

   - Você está cega Demetria, eu tentei te alertar. – Foi tudo que Selena conseguiu dizer a olhando nos olhos antes que o enjoo a tomasse e se não fosse por Joe, Sel teria caído no chão enquanto vomitava.

   - Vamos embora. – Demi ignorou o que Jake havia dito enquanto eles caminhavam em direção ao carro. Ela estava tão chateada que não sabia o que pensar e em quem acreditar. – Demi? Está tudo bem? – Jake perguntou assim que chegaram onde o carro estava estacionado.

   - Eu vou voltar sozinha. – Disse ignorando o que ele dizia.

   - Dem? Qual é? Você está pensando que a culpa é minha? – Jake se apoiou próximo da porta do motorista do carro já que não conseguia ficar de pé.

   - Eu não sei, eu estou confusa. – Ela não deixou que ele segurasse a mão dela quando ele tentou e não o olhou nos olhos. Só conseguia pensar em tudo que tinha acontecido naquela noite.

   - Aquele idiota me dá uma surra porque aquela.. aquela.. A Selena me agarra e você acha que eu tenho culpa? – Demi cerrou os olhos ao olhá-lo. Se ele ousasse em dizer alguma coisa desagradável sobre Selena.. Que Deus lhe desse paciência. – Você acredita nela?

   - Ela é a minha melhor amiga. – A troca de olhares entre eles foi intensa, mas Demi não disse uma palavra a mais para Jake. Caminhou a passos firmes para longe dele e daquele pub. Estava cansada demais, devastada demais para se lembrar de que era mais de uma hora da manhã e não havia ninguém na rua. Ela não se importava, não mesmo! As lágrimas rolaram ferozmente pelo rosto e os soluços baixinhos eram de partir o coração de qualquer pessoa. Poxa! Ela só queria ser feliz e amada, ela era apenas uma mulher! Uma mulher que tinha batalhado desde sempre para conseguir ter uma vida digna.

A cada passo que dava Demi se distanciava do real destino, ela não queria ir para o apartamento passar o resto da noite sozinha. Quando percebeu onde estava levou a mão à porta para duas batidas suaves, então mais duas batidas quando a resposta demorou de vir.

   - Demetria? – Demi desabou em choro nos braços da mãe, ao menos nos braços de Dianna ela se sentia bem.

Continua... Oi! Tudo bem? Estou bem! Demorei para postar porque esse capítulo foi difícil para escrever, eu simplesmente travei que não conseguia encontrar nenhum caminho, então no decorrer dos dias as ideias surgiam aos pouquinhos e o capítulo nasceu. Mas espero que vocês gostem e perdoem a demora. Vou reforçar mais as tretas, principalmente a Semi e vamos trabalhar no Joseph né? Obrigada pelos comentários, que eu AINDA não respondi hahahha Muito obrigada mesmo, vou respondê-las! Comentem mais, beijos!!!