28.3.15

Capítulo 54 - Parte 2/2

Serra Nevada, Califórnia - USA 01:00PM

A vista da Califórnia à dez mil pés tirara o fôlego e acelerara corações. Aquela obra prima era perfeita! Simplesmente perfeita desde a vista urbana majestosa construída pelo homem a natureza exuberante. Quando o modesto monomotor se aproximava do Vale Yosemite a linda vista encantava ainda mais a todos. Os desfiladeiros de granito, as lindas cascatas e a incrível biodiversidade era com certeza o lugar que Elizabeth tinha imaginado. A cabana também não ficara para trás, estava situada em uma elevação, e como Lizzie apostara, era tão confortável e quentinha. O lugar perfeito! A beleza rústica com um toque moderno e luxuoso. O primeiro cômodo era a sala principal com uma enorme lareira de pedra, o chão era de pátina branca e as paredes eram troncos largos de madeira na horizontal e uma delas era completamente de vidro deixando-os sem fôlego com a vista fascinante da cordilheira. Os móveis eram na maioria das vezes de cor clara quase branca misturada a cor marrom e eram muito confortáveis. Há poucos metros da lareira havia o sofá cheio de almofadas de cor clara e outras com sutis estampas onde Daniel aproveitou para cochilar.. Mas o tapete branco peludo que ficava no retângulo que os outros dois sofás formavam com o sofá principal parecia ser mais confortável que os próprios sofás. O corredor esquerdo levava a enorme cozinha que Lizzie tinha certeza que a mãe teria prazer de cozinhar apenas pela beleza do local. Bem, a cozinha era como o molde de qualquer outra cozinha americana: havia a "ilha" retangular de vértices arredondados, praticamente as quatro paredes brancas gelo eram cercadas por armários impecáveis de madeira clara, os eletrodomésticos eram de cor prata.. Havia apenas dois quartos já que, segundo a senhora James, a cabana tinha sido construída apenas para casais.. A suíte principal era de tirar o fôlego, simplesmente confortável e tão quentinha toda em detalhes de madeira e piso de pátina branca. A cama era macia e tinha espaço suficiente para ao menos quatro pessoas dormirem tranquilamente, o closet era simples, mas Lizzie tinha certeza que era o espaço suficiente para os pertences dos pais..

Los Angeles, Califórnia - USA 03:40PM


Preocupado definia Joe. Passara praticamente todo o tempo que estava no trabalho pensando em como Demi estava, ligara diversas vezes, mas ela acabara irritada e desligara o telefone. Ah diabos! Enviara a papelada de moda para o departamento financeiro e vice versa. O dia estava simplesmente péssimo!

   - Joseph? - A voz de Sara o desconcentrou da planilha que ele acidentalmente fechara perdendo todo o trabalho feito.

   - Oi Sara. - Suspirou frustrado descansando os braços sobre o apoio da cadeira. - Se for sobre os documentos errados.. Desculpe, eu só estava distraído. - Murmurou folgando o laço da gravata.. Demi deveria estar muito chateada com o quão chato ele estava sendo.. caso contrário não apertaria tanto o nó.

  - Tudo bem Joseph. - Disse se sentando na cadeira em frente a dele.

   - Estamos no horário do café da tarde? - Perguntou estranhando a visita de Sara. Geralmente ela o visitara no escritório para convidá-lo para o café da tarde ou para fofocar sobre as estagiárias que sempre faziam coisas erradas.

   - Nós já tomamos café hoje Joe! - Disse Sara franzindo o cenho e Joe forçou a memória..

   - É sério? - Perguntou de cenho franzido e só depois a lembrança do café desastroso voltou a mente. Ah! Ele tinha derramado sem querer café sobre a toalha branquinha da mesa. - Oh. Sim, nós tomamos café. - Disse enquanto verificava a hora no celular, faltava pouco para ele poder ir para a gravadora ficar com Demi. Será que ela estava bem?

   - Eu tenho um assunto confidencial para tratar com você. - Disse o deixando curioso. - Posso confiar? - Joe assentiu fixando os olhos nos dela. - Eu e os demais acionistas da empresa estamos pensando em levar o NYT para mais uma cidade. - Joe tornou a franzir o cenho e assentiu. - Grass Valley. - A risada dele instantânea a deixou nervosa.. Céus! Como iria enganá-lo.

   - Vocês querem um prédio da NYT no meio do nada? É isso? - Perguntou ainda rindo.

   - Qual o problema? Segundo pesquisas a população precisa de um bom jornal que leve todas as informações sobre o país e afins para casa, é um direito humano e obrigação nossa. - Joe arqueou as sobrancelhas e Sara engoliu seco. - Então, nós precisamos de um funcionário de confiança para estudar o local, você sabe.. O melhor prédio, se precisamos reformá-lo ou até mesmo construir.. Está por sua responsabilidade. - Joe assentiu a contra gosto. Droga! Ele gostava de trabalhar em seu escritório, não fora dele.. principalmente em outras cidades.. fora que ele ficaria longe de Demi e as crianças, aquela definitivamente era a pior parte. - Você viaja hoje às seis e meia da tarde e amanhã se encontrará com o guia para levá-lo a lugares candidatos. - Joe arregalou os olhos ao ver Sara levantar-se deixando um envelope sobre a mesa e um chaveiro.

   - Sara! - Disse espantado. - Não tem como ser outro dia? - Oh não! Ele não ficaria um minuto sequer longe de Demi, ainda mais que ela estava tão enjoada e manhosa.

   - Literalmente não Jonas! - Disse escorada no batente da porta já pronta para correr do escritório de Joe sabendo que ele iria surtar. - Você é o cara, duas passagens e a sua hospedagem já está reservada. Aproveita o ar puro das montanhas, respira fundo e faz o que você faz de melhor meu chapa... - O sorriso sugestivo dela o deixara confuso.. - Leve Demi como sua acompanhante.. E não se esqueça que você é o melhor! - Que conversa louca era aquela? Joe ficou a encarar a porta.. Será que ele tinha cochilado e aquele era um sonho maluco? Estranho.. Muito estranho..

   - Au! - Grunhiu assim que se beliscou.. Oh não, não era um sonho.. Como ele explicaria aquilo para Demi? Depois que recuperara o trabalho perdido no computador, Joe verificou a papelada sobre a mesa e suspirou fundo. Teria que trabalhar em casa, ou melhor, no lugar onde ele ficaria hospedado! Por mais que Sara mudara o seu horário de saída, ainda ficava trabalho para trás e ele sempre tinha trabalhar um pouco mais para conseguir conclui-lo na data certa..

Com a cabeça em Demi, Joe trancou o escritório e correu ao ver o elevador chegar no seu andar.  Ele estava com pressa oras! Será como a sua pequena estava? Ignorando os olhares maliciosos das mulheres que sempre o assediavam, Joe adentrou o elevador engolindo seco e olhando apenas para frente e não para aquele bando de tarada que o cercava dentro daquele pequeno e abafado elevador.. mas assim que as portas correram para se fechar os olhos arregalaram ao ver uma loira junto com Sara.. Miley? Deus! Ele tinha certeza que era a cunhada, iria até gritá-la, só assim quem sabe aquele tanto de mulher o deixava.. Mas as portas tinham se fechado.. Deveria ser apenas ilusão óptica, até porque o que Miley faria naquele prédio e ainda por cima conversando com Sara? Não olhe para os lados.. Não olhe.. Dizia para si mesmo. E assim que o elevador chegou ao andar zero, no caso o térreo, Joe sentiu uma mão em seu traseiro e suou frio caminhando, lê-se correndo, a passos largados para fora daquele prédio. Se elas soubessem o que Demi faria caso soubesse que ele estava sendo assediado..

À esquerda.. Não! Droga! Virara à direita. Tudo bem, ele tinha que reformular os afazeres. Primeiro buscaria as crianças na escola que ficara a mão esquerda, não à direita e depois iria para a gravadora buscar Demi, levaria-os para casa e convenceria a sua pequena, manhosa e brava menina a viajar com ele a negócios.. Por que aquele dia estava tão estranho? A fila de carros andava tão devagar.. Aliás, mal saia do lugar. Joe verificou a hora no relógio de pulso.. Ainda tinha vinte minutos.. Batucara no volante, e só ai ele checou se o que tinha comprado no seu horário de almoço estava no porta luvas. Ah, estava.. E o sorriso sapeca estava em seus lábios ao ver a calcinha de Demi próxima a pequena caixinha de papel branca.. Aquela calcinha estava no porta luvas desde a sua última e quente travessura numa rua escura, ele estacionara debaixo de uma árvore onde eles quase foram flagrados.. Mas tinha sido tão bom.. E graças a Deus os amortecedores e as molas eram resistentes... E o que é bom nunca dura pouco.. A buzina ensurdecedora de uma caminhonete de rodas enormes o assustou e assim que olhou para frente viu que o pequeno engarrafamento já não existia mais e que o velho bigodudo mostrava o dedo do meio para ele. Ah Los Angeles! Cada figura!

O tempo estava passando mais rápido que o devido? Joe arregalou os olhos ao olhar para o relógio assim que estacionou na vaga livre do estacionamento da escola. Ele tinha demorado tanto e as suas crianças deveriam estar famintas e preocupadas! Maldito engarrafamento. Será que eles já tinham saído? Então resolveu perguntar para os seguranças, que disseram que ainda faltava cinco minutos para o horário de saída. Aliviado, Joe resolveu esperar no carro, os cinco minutos foram tão agonizantes.. E assim que era cinco horas em ponto e o movimento de alunos e carros começou, Joe ligou para Elizabeth para dizer que já os esperava.. Porém a menina não atendeu.. aliás, a ligação não fora completa. Estranho.. Tentara ligar para Daniel e o mesmo aconteceu.. Que dia mais louco! Joe disse a si mesmo que a bateria do celular deles havia acabado e que eles logo apareciam.. Bem, dez minutos.. quinze minutos.. vinte minutos.. E o desespero começou a dominá-lo.

   - Atende. - Murmurou. Demi também não atendia.. Onde eles estavam? Assim que discou o número de Nick, que também deveria estar na gravadora, Joe espiava pelo retrovisor a pick up.. E assim que o seu olhar se encontrou com o do motorista, o vidro da janela subiu rapidamente. Eric? Joe jurara que era o garoto! Nada estava fazendo sentido naquele dia..

   - Joseph? Você está ai? - A voz de Nick soou o despertando daquele transe.

   - Estou. Demi e as crianças estão na gravadora? - Perguntou e assustou-se quando a porta de trás foi aberta por Elizabeth.

   - Apenas Demi, as crianças não estão aqui. Está tudo bem? - Perguntou Nick preocupado.

   - Sim, era apenas bobeira minha. Avise Demi que estou a caminho para buscá-la, abraço bro. - E assim que ele encerrou a chamada virou-se para olhar para os filhos completamente aliviado. Se alguma coisa acontecesse a eles.. - Por que vocês demoraram tanto? - Perguntou preocupado.

   - Ah.. nós.. - Disseram juntos e Joe franziu o cenho ao olhar para Daniel. Ele estava pálido, os lábios chegavam estar sem cor.. - Hoje a aula acabou mais tarde. - Disse Elizabeth.

   - Tudo bem. - Disse aliviado. - Daniel, você está bem? - Perguntou e o garoto assentiu se abraçando. - Meu Deus! Você está gelado. - Disse assim que o tocou na testa. Oh, se ele soubesse que em Serra Nevada era tão frio não teria ido apenas com a camisa do uniforme da escola. - Está com muito frio? - Perguntou preocupado e o garoto assentiu prontamente.

   - Obrigada. - Disse Daniel trincando os dentes assim que o pai lhe entregou o paletó já aquecido.

   - Lizzie, não está com frio? - Perguntou para a menina enquanto dava ré no carro.

   - Não. - Disse a garota. Estranho.. Elizabeth estava enroscada numa varsity jacket azul.. E pelo que Joe se lembrava aquela blusa pertencia a Eric.

   - Como foi o almoço? - Perguntou enquanto guiava o carro pela rua reta e de olho em Daniel.

   - Legal.. Bem legal. - Disse a menina e Daniel espirrou. Até os olhos do garoto estavam irritados.

   - Depois nós podemos marcar, fiquei curioso para almoçar com vocês. - Disse rapidamente. - Você sabe que a sua mãe vai brigar com você. - Disse para Daniel, que apenas assentiu balançando a cabeça.

   - Eu se..i! - O espirro quase não o deixara completar a frase. - Nós podemos ir para casa? Eu quero tomar banho e comer. - Joe balançou a cabeça negativamente..

   - Vamos passar na gravadora para buscar Demi. - Disse e Dan choramingou já imaginando que ele receberia bronca durante todo o caminho.

   - Pai.. Ela vai brigar comigo. - Murmurou se abraçando. - E eu estou com muita fome. - Elizabeth respirou fundo e o abraçou de lado para ajudar a aquecer.

   - Ela odeia quando vocês estão doentes.. não posso fazer nada. - Murmurou e Daniel revirou os olhos.

   - Então nos dê dinheiro para comer na lanchonete da gravadora. - Joe assentiu rindo, Dan levaria uma bronca e ainda pensara em comer. Não demorou muito para eles chegassem a gravadora para o alivio de Joe, ele estava ansiando em vê-la, saber como ela estava e como tinha sido a sua tarde.. E o pior.. Contar que ele teria que viajar ainda naquele dia. Depois de dar cinquenta dólares para Daniel e Elizabeth, Joe surpreendeu-se ao vê-los devorar pastéis de frango.. É, o dia estava realmente muito diferente do comum.. Caminhara com as mãos nos bolsos da calça enquanto assoviava distraído, até que esbarrou-se com Nick e Miley aos beijos..

   - Será que... Droga, vocês não podem fazer isso em outro lugar? - Perguntou ao ver sem querer que Nick tinha as mãos no bumbum de Miley e o vestido não ajudava a esconder..

   - Hum.. Foi mal Joseph. - Disse Miley sorrindo maliciosamente e Joe apontou para o banheiro feminino e logo retomou caminho.

   - Demi? - Chamou assim que adentrou a sala. Pelo visto ela estava sentada na cadeira giratória encolhida e com uma manta a aquecendo, Demi estava de costas e tinha a cabeça escorada na parede. Oh meu Deus! O coração dele acelerou e o sorriso bobo surgiu do nada. Era a sua menina! Aproximando-se, o cheiro leve e feminino do perfume que lhe lembrava estar protegido em casa invadiu as suas narinas e ele derreteu ainda mais de paixão por ela. - Dem? - Chamou carinhosamente quando já estava ao lado de Demi.

   - I'm so lonely, so lonely, I'm Mr. Lonely, Mr. Lonely, I have nobody, I have nobody, For my own, for my own girl. - Cantarolava Demi. Mesmo que o coração estivesse partido, Joe teve que rir da cena. Demi escutava e cantarolava Mr. Lonely do Akon nos headphones no último volume, os lindos olhos marrons carregados de lágrimas e algumas delas até rolavam pelo lindo rosto. E o engraçado era, ela só cantava "I'm so lonely ,so lonely, I'm Mr. Lonely, Mr. Lonely".

   - Ei anjinho. - Chamou carinhosamente se agachando. - Meu anjinho. - Tornou a chamá-la a tocando nos joelhos e Demi o olhou um pouco assustada e tentou limpar as lágrimas, mas ele não deixou. - O que foi com você pequena? - Perguntou depois que limpara as lágrimas com beijos no rosto dela.

   - Eu não sei. - Joe riu e levantou-se a puxando para um abraço bem apertado. Ele conhecia perfeitamente aquela fase.. Fazia parte da gravidez, Demi sempre chorava pelos motivos mais bobos. - Você está rindo de mim porque? - Perguntou toda manhosa e ele riu fitando os olhos dela.

   - Eu não estou rindo de você. - Disse limpando as novas lágrimas delicadamente com a mão. - É que você não tem ideia de como está fofa e tão linda. - Disse admirado vez fitando os lábios vez fitando os olhos dela. - Vem cá. - Joe sentou-se na cadeira giratória onde Demi estava sentada e a puxou para o colo a aninhando em seu peito. - Me conta sobre o seu dia. - Pediu depois de dar um beijinho na testa dela e repousar a mão sobre a barriga onde estava o seu pequeno.

   - Ah, eu cochilei a manhã toda, almocei com Kevin e Dani, depois passei a tarde com as meninas escrevendo música.. - Oh meu Deus! Ela estava realmente manhosa e chorona, até o jeito que Demi falara era pura manha. - Depois eu dormi a tarde toda! Eu não sei como aconteceu, mas eu dormi no sofá e acordei não tem meia hora. - Murmurou levando a mão para enlaçar os dedos aos dele. - Nós estamos com tanta fome, queremos empadão de frango, amor. - Os olhos chegaram a brilhar! Demi e as suas vontades!

   - Seu desejo é uma ordem. - Sussurrou mordiscando o pescoço dela. - Como nosso pequeno está? - Perguntou acariciando a barriga em movimentos circulares sobre o tecido da camisa xadrez cor de rosa.

   - Ele está bem, mas está com fome e eu também. - Joe assentiu rindo.

   - Você é tão manhosa. - Disse acariciando o rosto dela e tudo que Demi disse foi que a culpa era dele. - Só vai ganhar empadão se me der um beijo. - Acabaram rindo juntos quando Demi o beijou na bochecha. - Dem.. - Chamou e em questão de segundos o calor da boca dela já se misturava ao seu, as línguas trocavam carícias e ela arriscara morder o lábio inferior dele algumas vezes.

   - Eu realmente quero tirar a sua camisa. - Sussurrou assim que correu os dedos pelo peito dele sobre a camisa social branca.

   - Eu também quero tirar a sua. - Disse com um sorriso sapeca nos lábios a apertando ousadamente o seio esquerdo.

   - Você vai comprar o meu empadão? - Perguntou toda manhosa o olhando nos olhos depois de dar um beijinho no bochecha dele.

   - Empadão de frango para você e você sem camisa para mim. - A piscadela safada dele a deixou corada, mas Demi acabou rindo sem jeito entrando na brincadeira. - Ou melhor.. apenas você como veio ao mundo. - Sussurrou e logo mordeu o lóbulo da orelha dela.

   - Eu também quero você do mesmo jeito.. - A boca dela foi de encontro a dele roçando-se para atiçá-lo ainda mais com aquele calor gostoso. Era tão bom poder apertá-la no bumbum bem encaixado na calça jeans apertada, tocá-la nos seios e segurá-la pela cintura. Por muito tempo Joe apenas relaxou na cadeira e aproveitou a boca dela brincando com a dele.

   - Vocês não podem fazer isso em outro lugar? - Ah! Ela tinha que dar o troco! Muito relutante Joe desgrudou os lábios dos de Demi para revirar os olhos para Miley.

   - Não estamos fazendo nada demais. - Disse abraçando Demi contra o peito enquanto fitava os olhos azuis brincalhões de Miley.

   - Claro que não.. - Disse rindo. - Isso não é nada.. imagine se estivessem realmente fazendo algo.. esse estúdio pegaria fogo. - O que pegara fogo era a face de Demi. Ah! Porque eles sempre tinham que ser flagrados? Aconteceria uma vez que estavam na gravadora e Miley, Nick e Kevin estavam por perto.

   - Miley só está pirraçando bebê. - Joe já sabia que ela estava toda vermelhinha encolhida a ele, particularmente ele achava a coisa mais fofa.. mas não entendia o porquê de Demi sempre ficar envergonhada por qualquer motivo.

   - Eu sei. - Sussurrou espiando Miley e Nick que conversavam sobre música enquanto olhavam alguma coisa no computador, e Demi aproveitou para roubar um beijo. - Onde estão as nossas crianças? - Perguntou e o sorriso alargou-se quando ele acariciou a barriga dela.

   - Uma está aqui protegida pela mamãe e as outras duas estão na lanchonete. - O sorriso dele a fez sorrir. Demi nunca imaginara quando ainda namorava Joe que ele seria um pai tão dedicado e babão, aquela era definitivamente a melhor parte de tê-lo como seu.

   - Está tarde, eles devem estar cansados. - Comentou brincando com os dedos nos dele.

   - Sim, Daniel queria ir direto para casa, ele disse que está faminto e quer tomar banho quente. - Joe comprimiu a boca só de pensar na bronca que Dan receberia da mãe.. Não era nada interessante receber broncas de Demi.

   - Então vamos? Você ainda tem que comprar o meu empadão e eu tenho que fazer o jantar. - Oh.. Como ele contaria para ela que precisava estar dentro de um avião em menos de três horas? Demi surtaria!

   - Sim, ainda tem o seu empadão. - Joe levantou-se e estendeu a mão para que ela a segurasse. - Nós já estamos indo. - Disse se aproximando de Miley e Nick.

   - Você pode vim amanhã pela manhã? Tem uma banda querendo fechar contrato. - Miley levou a mão à testa e Joe comprimiu os lábios numa linha.

   - Amanhã não vai dá.. - Limitou-se a dizer muitas palavras..

   - À tarde? Você pode? - Perguntou Nick de cenho franzido.

   - Também não. - Disse sem graça fitando o chão de louça branca.

   - Nem depois de amanhã? - Joe balançou a cabeça num gesto negativo e Nick mordeu o lábio inferior. - Poxa cara, assim não dá. Nós precisamos decidir isso juntos, mas você não tem tempo para nada. - Joe respirou fundo e fitou os olhos do irmão sabendo que ele estava chateado, droga! Ele odiava quando aquilo acontecia.. Nick havia o ajudado tanto.

   - Eu vou ter que viajar.. Hum.. Hoje. - Não olhe para Demi.. Droga! Ela apertava a mão dele com força. - Por isso não posso vim amanhã.. nem depois de amanhã. - Ele podia sentir o olhar dela o fuzilando.

   - Ah sim.. Tudo bem então, vou tentar remarcar a nossa reunião.. de novo. - Joe assentiu e despediu-se de Nick com um abraço apertado.

   - Tenha paciência com ela. - Sussurrou Miley quando Joe a abraçou.

   - Tudo bem.. Ela tem todo o direito de estar chateada.. Enfim, é uma longa história. - Disse rapidamente e Miley assentiu.. E ela já sabia de tudo. - Vamos Dem? - Chamou, mas a essa altura Demi já pegara a bolsa e abria a porta o deixando.

   - Boa sorte! - Disse Nick sem graça e Joe assentiu acenando rapidamente. 

   Praticamente correra atrás dela. Estava sendo pior do que ele tinha imaginado.. - Espere bebê. - O olhar dela assim que ele a segurou pelo braço causou-lhe arrepios. 

   - Bebê? - Murmurou emburrada. - Olha só, eu vou para casa com os meus filhos para não te atrasar na sua viagem. - Disse soltando a mão dele que abraçava o seu braço para caminhar determinada na direção do elevador.

   - Demi, qual é! Não seja infantil. - E não fale demais! Ele só estava piorando as coisas. - Eu não quis dizer isso.. eu iria te contar, só não achei que contar no estúdio seria apropriado. - O coração quase saiu pela boca assim que ele correu para conseguir adentar o elevador e assim que o fez as portas fecharam-se com tudo.. Ele quase ficaria imprensado!

   - E contar para Nick no estúdio era apropriado? - Disse sarcástica arqueando as sobrancelhas. A questão não era aquela, ele só não queria problemas com os irmãos.

   - Não faz isso, é apenas uma viagem de negócios, nada demais. - Disse se aproximando dela e Demi deu um passo para trás encontrando a parede gelada de metal ficando exatamente onde ele queria. Décimo quinto andar, até que o elevador chegasse ao térreo era o tempo suficiente para que ele desse bons beijos na boca dela. - Vamos, não fica chateada. - Ele estava próximo o suficiente para roubar um beijo e roubara aproveitando para apertá-la contra o corpo. - Vai ficar chateada? - Perguntou entre os beijinhos que dava no pescoço dela.. Um pequeno sorriso não era nada ruim. - Nós podemos ir.. - Antes mesmo que Joe pudesse completar a fala o celular vibrou no bolso e logo começar a tocar. Deveria ser Elizabeth, pensou Joe ao buscar o telefone no bolso das calças.. mas o nome no visor do celular era de outra pessoa.

   - Agora eu entendi tudo! - O que fazer? O nome de Alexia Miller estava no visor do seu telefone e Demi estava uma fera!

   - Demi! Não é nada disso que você está pensando. - Disse ainda indeciso se atenderia ou não a chamada.. Mas pela cara de Demi ele apenas guardou o celular no bolso o deixando tocar.

   - Típica desculpa esfarrapada! Você acha que eu sou alguma otária Joseph? Está por acaso tatuado na minha testa a palavra trouxa? - Ela estava entendendo tudo errado! 

   - Não é nada disso Demetria! - Disse nervoso. - Eu não sei porque ela está me ligando, mas não tem nada a ver com a viagem, entenda isso meu amor. - Demi respirou fundo preferindo ficar calada. Uma parte dela sabia que ele jamais a enganaria.. porém o outro lado não deixava que ela acreditasse no óbvio, Alexia estava claramente interessada em Joe e ela havia deixado bem claro. O jeito que ela o olhava, direcionava as palavras a ele como se Demi não existisse só provava mais uma vez que em um vacilo ela tentaria conquistá-lo. - Demi. - Chamou quebrando o silêncio e ela apenas olhou para um ponto qualquer sem que fosse os lindos olhos dele. - Não estou mentindo, você sabe que eu jamais o faria, principalmente com você. Eu estava cuidando da negociação da Srta. Miller com a empresa, não há nada a mais. - Era engraçado como os papeis estavam invertidos.. Antes era ele quem fazia um escândalo quando um homem a ligava ou até mesmo trocava poucas palavras com ela, e agora lá estavam eles, ela perto de explodir de ciúmes e ele tentando se explicar a todo custo.. Aquele sentimento era estranho e ruim de sentir. O coração apertava e o medo dominava, por isso que ele sempre fazia a besteira de brigar com ela. Agora Demi podia entender detalhe por detalhe de como era horrível sentir ciúme e até entendia o porquê de Joe agir desesperadamente.. Era o medo de perdê-la para outro alguém. Uau! Tudo fazia sentido. - Você não vai dizer nada? - Perguntou arriscando enlaçar os dedos aos dela.

   - Eu quero ir para casa. - Disse quando as portas do elevador se abriram.

   - Tudo bem, vamos para casa. - Demi não parecia estar tão brava como aparentava estar no elevador, caso estivesse ela não deixaria que ele enlaçasse os dedos aos dela e nem que a guiasse. Ela só estava calada e tão pensativa, às vezes Joe a flagrava o olhando enquanto ele dirigia e às vezes ela estava perdida nas ruas de Los Angeles as fitando como se estivesse em outra dimensão.

   - Ainda está com frio? - Perguntou Demi a Daniel. Joe havia acabado de estacionar o carro numa vaga no acostamento da rua onde ficava em frente a uma padaria e saíra com Lizzie atrás de um empadão para Demi.

   - O paletó do papai é bem quentinho. - Daniel estava resfriado e muito feliz por não ter levado uma bronca da mãe como tinha pensando que levaria.

   - Sua temperatura está normal. - Disse o tocando na testa. - Você estava bem quando foi para escola. - Disse preocupada.

   - Estava muito frio. - Murmurou o garoto fechando ainda mais no paletó do pai para aquecer-se. - Eu só estou espirrando um pouco, não é nada que um bom prato de sopa, um banho quente e o meu cobertor não resolva. - Demi sorriu assentindo, mas Daniel percebeu que ela estava distante, aliás, muito distante! Caso não estivesse ele já levaria uma senhora bronca. - Está tudo bem? - Arriscou a perguntou.

   - Acho que não, é só besteira minha e do seu pai. - Oh. Ele não esperava por aquela resposta. - Ele vai viajar hoje. - Daniel assentiu. Era parte do plano.

   - E você não vai com ele? - Perguntou.

   - Não. - O desespero quase tomou conta de si! Ele estava torcendo para Elizabeth voltar logo, ela era melhor em improvisar.. mas ele teria que dar um jeito.

   - Você poderia ir com ele, acho que seria divertido.. Tipo essas coisas de tirar um tempo para você mesma, respirar um ar novo, aproveitar para conhecer lugares novos. - Demi o olhou e só depois assentiu.

   - Você acha? - Perguntou começando a considerar a ideia.

   - Claro! Mamãe, você tem tempo livre, isso é raro. Daqui alguns meses o nosso pequeno vai nascer, você vai lançar um álbum novo e não terá tempo para nada. Sua vida se resumirá em palco e bebê. E eu, Lizzie e o papai vamos ser esquecidos. - Fazia sentido, ela tinha tempo de sobra e tinha que aproveitá-lo da melhor forma possível.

   - Mas eu tenho que cuidar de você. - Disse ao se lembrar do estado do garoto.

   - Mãe, eu já sou grande, sei me cuidar. - O coração de Demi apertou assim que ela o olhou e lembrou-se do seu pequenino que adorava estar nos braços dela sem largar do patinho de borracha amarelo. - É sério, você só precisa confiar em mim. - Depois de alguns segundos ela assentiu relutante, mas sabia que Dan precisava daquele voto de confiança. - Qualquer coisa eu ligo avisando, pode ser o nosso acordo? - Daniel sorriu e a abraçou calorosamente sem jeito naquele pequeno espaço que os separavam.

   - Pior que ele não me convidou. - Comentou ao lembrar que Joe nada dissera sobre vê-la.

   - Talvez ele ainda vai te convidar. - Daniel piscou para a mãe daquele jeito galanteador encerrando aquele assunto assim que o pai adentrou o carro junto com Elizabeth. - Espero que você tenha feito a sua parte. - Sussurrou para a menina e pelo jeito que Lizzie sorria tudo tinha dado certo.

  Trocaram poucas palavras durante o caminho, Demi satisfeita com o seu empadão quentinho, Joe dirigindo atentamente pensando no tanto de coisas que tinha para resolver do trabalho e da vida pessoal, e lá atrás, Daniel e Elizabeth trocaram mensagens com Selena e Miley no pequeno grupo que tinham criado passando todas as informações para as tias. Pelo visto agora só dependia de Joe e Demi uma vez que todo o plano já estava armado.

   - Como estava o empadão? - Perguntou Joe assim que adentrou o quarto. Acabou que Demi dividiu o empadão mesmo não gostando daquela ideia. Ora, ela era bem egoísta quando queria.

   - Maravilhoso. - Disse forçando um pequeno sorriso enquanto vasculhava o pequeno baú onde guardava medicamentos, termômetro e band-aids. - Acho que Daniel está com febre, estou preocupada com ele. - Joe sentou-se ao lado dela na beirada da cama.

   - Ele está no banho. - Disse levando a mão ao joelho dela. - Não fique preocupada, não faz bem para a sua saúde. - Arriscara olhá-lo, mas arrependeu-se ao fazê-lo porque sabia que não resistiria a aquele olhar intenso que a fazia queimar por dentro. - Eu estou cheio de trabalho e Sara acha que eu sou a pessoa perfeita para procurar um bom prédio em Grass Valley para montarmos um prédio lá. A cidade não treze mil habitantes, Dem. Eu não faço ideia do que fazer..  - Disse enquanto coçava a nuca. Só de pensar naquele tanto de documento para revisar Joe sentia o estômago dar um verdadeiro nó.

   - Posso ajudá-lo. - Disse ainda envolvida com os medicamentos. - Claro, se você quiser. - Joe tentou esconder o sorriso, mas não conseguiu. Seria ótimo se alguém o ajudasse a terminar todo aquele serviço acumulado, melhor ainda se esse alguém fosse Demi.

   - Está perfeito! - Disse animado fazendo com que ela o olhasse pela primeira vez. - Então você vem comigo? - Perguntou e ela franziu o cenho confusa. - Para Grass Valley? - Grass Valley estava no condado de Nevada algumas horas de Los Angeles..

   - E Daniel? - Perguntou preocupada. - Não posso deixar o meu bebê doente. - A consciência pesava de um lado e do outro.. Ela tinha combinado com Dan que daria uma chance a ele.. mas o seu lado preocupado de mãe estava gritando mais alto.

   - Demi, você sabe que ele já não é mais um bebê e que pode enfrentar um resfriado sozinho. - Sim, ela tinha noção daquele fato, só não o aceitava.

   - Mas.. - De repente aquela conversa com Daniel assim que ela voltou para casa veio em flashes.. A briga.. Tinha sido por conta de toda aquela proteção exagerada que eles brigaram. Precisava deixá-lo crescer, aliás, Daniel já tinha crescido, ela só precisava aceitar. - Tudo bem. - Disse depois de pensar muito.

   - Posso arrumar a minha mala? - Perguntou sem deixar de observá-la e Demi assentiu.

   - Acho que a minha mãe pode ficar com as crianças. - Só porque Daniel e Elizabeth sabiam se cuidar não significava que eles ficariam sem um adulto para orientá-los. Acabou que em meio das tantas perguntas de "Onde está o meu casaco" e outros pertences, que tinham sumido misteriosamente do closet, as malas ficaram prontas. 

Mesmo desconfiada da falta de roupas, Demi orientou as crianças sobre todos os cuidados que elas deveriam ter naquele pequeno tempo que eles ficariam fora, passaram na casa de Denise, já que Dianna estava tão resfriada quanto Daniel, e depois de muitos beijos, eles partiram para o aeroporto já que o único modo que Miley tinha conseguido para enviar Joe e Demi para Serra Nevada sem que eles suspeitassem tinha sido um voo comercial. 

   - Estranho, até o meu moletom sumiu. - Comentou enquanto caminhavam para a área de espera da chamada do voo.

   - Não está na roupa suja? - Perguntou Joe. Céus! Ele estava cheio de malas e mochilas, Demi até tentou ajudar, mas ele era tão orgulhoso.

   - Não, eu realmente não sei onde ele está. - Demi adorava viajar vestida com um bom e confortável moletom, era bom para relaxar, mas tivera que vestir calças jeans, calçar sandálias comuns e vestir a única peça de blusa de moletom que restara no closet.. A blusa de moletom de Joe. - Sumiram todos Joe! Tem alguma coisa estranha. - Disse intrigada.

   - Nós arrumamos as nossas coisas rápido demais, certamente esquecemos onde estão os moletons. - Disse assim que organizou todas as malas perto da cadeira onde se sentaria.

   - Joseph! Só se você esqueceu, porque eu sei onde está cada peça de roupa daquela casa e não faz sentido tudo sumir do nada. - Joe revirou os olhos e em troca recebeu um beliscão. - Até a minha manta sumiu. - Disse pensativa. - Quando nós saímos para levar as crianças na escola você fechou a porta do quarto? - Perguntou tentando se lembrar a todo custo.

   - Acho que ficou aberta, não sei. - Demi revirou os olhos e Joe arqueou as sobrancelhas. Será o que aconteceria se ele a beliscasse?

   - A porta estava fechada. Acho que nós fomos assaltados. - Disse ainda analisando os fatos.

   - É porque as suas jóias ainda estão nos bustos? - Perguntou de sobrancelhas arqueadas. Não fazia sentido alguém roubar roupas comuns enquanto as inúmeras e legitimas jóias de Demi brilhavam expostas. - Deixe de conversa. - Joe levantou-se e respirando fundo pegou mala por mala já que o número do voo fora anunciado. 

   - Nós fomos assaltados Joe. - Como ela era teimosa! Joe revirou os olhos e balançou a cabeça.

   - Nós não fomos assaltados Demi. - Discordou já cansado daquele assunto.

   - Nós fomos assaltados sim! - É, aquela seria uma longa viagem.

Continua.. Oi! A coisa vai começar a esquentar.. muito.. e está acabando, finalmente né? Acho que vocês já enjoaram dessa fanfic, mas vamos lá, falta bem pouco. Bem, muito obrigada pelos comentários e pelas visualizações! A qualquer hora eu apareço, beijos <3

23.3.15

Capítulo 54 - Parte 1/2

  - Você vai ficar bem? - Perguntou pela milésima vez.

  - É claro que vou, não se preocupe comigo. - Tentara o máximo possível transmitir confiança para ele apenas no jeito que o olhara. A noite não tinha sido nada fácil para Demi, ela estava com tanto sono, mas a fome a acordava vez ou outra. Ela estava completamente faminta! Mas o problema era: a comida a fazia vomitar horrores. Vomitara quando abrira a geladeira, pois o cheiro de determinados alimentos a enjoava, vomitara depois de comer uma duzia de morangos e frango frito, e pela manhã foi a vez do gosto da pasta de dente a deixar enjoada.

   - E você tem certeza que quer ficar na gravadora? - Deus! Porque Joe resolvera a interrogar logo agora? Estavam no carro em frente a gravadora. Era uma típica manhã californiana e como sempre Joe deixaria as crianças na escola e Demi aproveitara a carona para ir para a gravadora.

   - Joe, eu estou grávida, não doente. - Disse um pouco irritada. - Eu sou uma adulta! Só não quero ficar em casa o dia inteirinho ou ficar na casa da minha mãe sendo vigiada, eu quero fazer música, distrair a mente, rir um pouco. Não é nada demais. - Demi cruzou os braços como uma criança emburrada sobre o olhar preocupado de Joe e curioso das crianças.

   - Nós estamos prezando por sua saúde meu anjo. - Disse pela milésima vez. - Se estamos te vigiando é porque queremos o seu bem. - Ele arriscou fazer carinho no braço dela, mas Demi o olhou feio.. - Não faz assim pequena, se você quer ficar na gravadora, tudo bem, não há problemas, mas você tem que me avisar se ficar enjoada ou acontecer alguma coisa. - Com muita relutância ela assentiu ainda emburrada.

   - Eu já estou indo. - Disse para as crianças esboçando um pequeno sorriso. - Prestem bastante atenção na aula, nada de confusões, tudo bem? A mamãe ama vocês. - Dan recebeu um beijo na testa e logo Lizzie. - Até mais tarde Joe. - Tudo bem, ela estava brava com ele.

   - Acho que a mamãe está brava com o papai. - Disse Lizzie assim que Demi saiu do carro sobre os protestos de Joe, que logo foi atrás dela.

   - É, a coisa não está boa para ele. - Comentou Daniel ao ver o pai correr para alcançar a mãe, e quando ele alcançou a puxou para os braços e a beijou na boca depois de muita relutância da parte de Demi.

  - Eu já pensei no que vamos fazer, é uma ideia perfeita. - Daniel fechou os olhos e respirou fundo. Droga, ele não queria se meter na vida pessoal dos pais..

   - Elizabeth, não viaja na batatinha, ok? - Disse o garoto vendo o pai aproximar do carro. - Assunto encerrado. - Sussurrou assim que Joe abriu a porta.

   - Como ela está? - Perguntou Elizabeth quando Joe deu partida no carro.

   - Não foi uma noite fácil querida, ela vomitou muito, mas está bem. - Elizabeth assentiu aliviada e seguiram caminho para a escola ambos distraídos. - Mais tarde vou passar aqui para buscá-los para almoçarmos em família, tudo bem? - Daniel assentiu, mas Elizabeth o beliscou.

   - Poxa, hoje não vai dar, não é Dan? - Disse arqueando as sobrancelhas e o garoto engoliu seco assentindo. - Hoje nós vamos... hum.. almoçar aqui na escola com Eric, Jenny, Anne e Bryan.. Acho que a Susan e o Jason também vão.. Enfim, é um almoço de casal, casal de adolescentes! Nós fazemos isso todo mês para colocar a conversa em dia.. - Joe franziu o cenho.. Ele não se lembrava de Lizzie comentar sobre o almoço de casais.. E olha que a menina era muito tagarela.

   - Então nós vamos almoçar com vocês, vai ser divertido. - Disse assim que parou o carro em frente a escola.

   - Nada disso! - Joe franziu o cenho ao olhar para a menina e Daniel revirou os olhos. - Quer dizer, é um almoço só da galera, e você e a mamãe já são adultos.. Sem contar que ninguém almoçaria já que Susan e Jenny são fãs da mamãe, elas iriam fazer tantas perguntas, seria muito chato. - Disse forçando um sorrisinho. - Você pode aproveitar o seu tempo livre para almoçar com a mamãe e.. - Daniel revirou os olhos e tomou a frente da menina. Como Lizzie queria ajudar se mal sabia disfarçar?

   - Pai, olha, é o seguinte: nós não podemos almoçar com vocês. - Disse rápido e direto. - Até mais tarde, amo você. - Antes mesmo que Lizzie pudesse falar alguma coisa, Dan abriu a porta do carro e a puxou sem jeito por conta daquele tanto de livro que ela carregava para fora do carro junto consigo. - Tchau! A gente se vê em casa. - Acenou sorrindo.

    - Poxa, eu queria dar um beijinho no papai. - Disse a menina emburrada enquanto arrumava uma mecha teimosa do cabelo atrás da orelha.

   - Vou deixar uma coisa bem clara, se você não sabe aprontar direito, não apronte porque se a mamãe descobrir ela vai ficar uma fera e vai te xingar muito. Falo por experiência própria. - Oh sim! Demi era a melhor mãe do mundo, carinhosa, cuidadosa e amorosa.. Mas Dan tinha aprendido com o passar do tempo que quando ele queria fazer algo escondido, teria que fazer tudo perfeitamente bem porque um vacilo sequer colocaria todo o plano em jogo e as chances dele enfrentar a fúria da mãe eram enormes. - O papai até que dá para enganar, agora não arrisque a sua vida tentando enganar a mamãe. - Disse olhando para os lados. - Eu tenho aula agora, nós conversamos no intervalo. - Elizabeth revirou os olhos quando Dan virou as costas.

   - Daniel! - Gritou chamando a atenção dos outros estudantes que chegavam. - Dan, espera. - Disse correndo atrás do irmão tentando a todo custo não deixar os seus preciosos livros chocarem-se com o chão.

   - O que foi? - Dan franziu o cenho quando Elizabeth surgiu ao seu lado.

   - Nada de aula! - Disse a menina ofegando. - Nós vamos sair agora. - Dan arqueou as sobrancelhas e riu.

   - Sair para onde e como? - Perguntou ainda rindo.

   - Dan, é sério. - Disse tendo que olhar para cima para olhá-lo nos olhos. - Vem comigo. - Daniel não teve opção a não ser segui-la quando Lizzie deu um jeito de segurar os livros com a mão direita e puxá-lo pela mão para um dos banquinhos do jardim.

   - Lizzie, também é sério, eu quero muito assistir aula. - Disse assim que se sentou ao lado da menina. - Nós não podemos resolver isso mais tarde? - Perguntou sem jeito.

   - Pensa comigo. O papai e a mamãe pensam que nós estamos na escola.. É o tempo perfeito para nós resolvermos esse problema deles.. - Disse sem olhá-lo. - Ontem eu pesquisei na internet algumas coisas.. Eles precisam de um tempo só para eles como casal, entendeu? Não vai dar certo se a mamãe estiver sempre preocupada com a casa e com a gente.. Sem contar que o papai sempre chega cansado do trabalho.. É muito estressante para eles. É como se eles precisassem relaxar e esquecer tudo que aconteceu nesses últimos meses sem preocupação, stress ou obrigações. Eles precisam ficar sozinhos. - Dan franziu o cenho, correu os dedos pela barba e só depois assentiu.

   - Você está querendo dizer que eles precisam de férias? - Perguntou.

   - Quase isso.. - Disse a menina acenando e Dan tornou a franzir o cenho, mas quando olhou para a mesma direção que Lizzie viu que era apenas Eric. - Eles precisam ficar juntos e sozinhos, sem que a rotina ou a gente atrapalhe, entendeu? - Daniel assentiu e revirou os olhos quando Eric se aproximou e Lizzie praticamente se jogou nos braços dele para abraçá-lo e beijá-lo.

   - Eu não vou segurar vela. - Disse sem olhá-los.

   - Ei cara. - Dan trocou um breve toque de mãos com Eric.

   - Agora eu posso ir assistir aula? - Perguntou Daniel sem jeito quando Eric se sentou ao lado de Lizzie.

   - Ainda não. - Disse a menina. - Eu marquei com alguns proprietários para visitarmos algumas casas de férias esta manhã. - Daniel cobriu o rosto com as mãos.. Diabos!

   - Elizabeth! Você não tem nem dezoito anos! Como nós vamos visitar esses lugares? Sem carro, sem um adulto. Quem é o doido que vai querer alugar uma casa para uma pirralha? - Lizzie revirou os olhos e o acertou com um tapa no braço.

   - Daniel, por favor, eu vou dar um jeito. E o Eric vai emprestar o carro. - Eric arqueou as sobrancelhas ao olhar para a menina.. Diabos! Ele sabia que ela estava aprontando.. Lizzie não era tão manhosa via telefone.

   - Elizabeth. - Disse a repreendendo.

   - Amor, é só por algumas horas.. - Disse o olhando com aqueles lindos olhos cor de mel e enlaçando os dedos aos deles .

   - Daniel não tem carteira. - Murmurou o rapaz quando a menina o beijou no rosto.

   - Eric.. - Murmurou Elizabeth e Dan revirou os olhos. Como as mulheres eram manhosas!

   - Vamos fazer o seguinte, eu os levo, tudo bem? - Lizzie comprimiu a boca numa linha e olhou para o irmão.. Se já era vergonhoso compartilhar aquele assunto tão embaraçoso e que nem desrespeitava a ela com Daniel, imagina contar para Eric.. Oh droga!

   - Nós temos que pensar rápido.. Você se esqueceu que já estamos dentro da escola? Para conseguirmos sair vai ser uma luta. - Comentou Daniel espiando o pouco movimento de alunos adentrarem a escola.. Estava ficando tarde.

   - Tudo bem, nós aceitamos. - Disse Elizabeth depois de algum tempo em silêncio. - Como nós vamos sair? - Perguntou para o irmão.

   - Eu vou pular o muro dos fundos e você dá um jeito de sair com o Eric, inventa uma desculpa.. - Lizzie franziu o cenho quando Dan a entregou a mochila pesada. O que ele carregava ali? Cadernos e livros ou chumbo?

   - Por que você vai pular o muro? - Perguntou de cenho franzido.

   - Porque eles não vão me deixar sair. E pular o muro não dá tanto trabalho que inventar uma boa desculpa para sair desse.. lugar.. Vou esperar em frente ao carro. - Dito e certo! Para conseguir sair sem que fosse notada Lizzie teve que se agarrar a Eric e pagar vinte dólares para cada uma de suas colegas para que elas distraíssem os seguranças. Que sufoco! Por um pouco ela foi flagrada, sorte que os seguranças estava sem saber o que fazer com o escândalo que as meninas faziam.

   - Você vai me contar o que está acontecendo princesa? - Perguntou Eric passando o braço direito no alto de suas cotas para abraçá-la de lado enquanto caminhavam pelo estacionamento.

   - Meus pais precisam de um tempo.. - Sussurrou envergonhada e Eric arqueou as sobrancelhas.. - Eles precisam ficar juntos para fazer essas coisas de casais.. - Eric assentiu rindo. Ele ainda não tinha se esquecido do dia passado, de como Joe e Demi estavam sem jeito e descabelados tentando descobrir o porquê que Lizzie estava brava com Daniel.

   - E o que a senhorita está aprontando? - Perguntou de um jeito brincalhão que fez a menina suspirar aliviada e relaxar deixando a vergonha de lado.

   - Então.. Eles precisam ficar juntos, certo? - Lizzie revirou os olhos quando chegaram a vaga onde a pick up de Eric estava e encontraram Daniel de braços cruzados cochilando encostado na parte traseira da pick up onde tinha sombra da árvore. - Daniel! - Chamou assustando o menino.

   - Pensei que você estivesse assistindo aula, que demora! - Disse o garoto arrumando os cabelos pelo reflexo do vidro do carro vizinho. - Não demorou nem cinco minutos para pular o muro e vocês demoraram quase uma hora. - Elizabeth revirou os olhos e pegou a mochila pesada de Dan dos braços de Eric e jogou para o irmão.

   - Folgado! Você carrega chumbo ou livros? - A risadinha foi inevitável ao ver a careta de Daniel.

   - Talvez um pouco dos dois.. - Tornando a revirar os olhos Lizzie apontou para a porta traseira e adentrou a pick up para sentar-se no banco do carona. - Qual é o plano senhorita? - Perguntou Daniel depois de acomodado nos bancos de trás.

   - Então, como eu estava comentando.. - Disse assim que Eric deu partida. - Eles precisam ficar sozinhos.. Eu pesquisei ontem na internet alguns lugares, tipo casas de férias e hotéis.. Temos algumas visitas agendadas, o melhor lugar nós alugamos e despachamos o papai e mamãe para lá. - Era o plano perfeito, eles estariam juntos e sozinhos, nada poderia atrapalhá-los.

   - Primeiro.. Onde são esses lugares? Segundo, você tem noção de quanto é um aluguel? - Fitando os olhos verdes do irmão pelo retrovisor, Elizabeth preferiu ficar calada por um tempo.. Ela não tinha pensado naquela questão.

   - Para onde nós vamos bebê? - Perguntou Eric cobrindo a mão esquerda dela com a direita dele.. Pense, pense..

   - Agendei três visitas nos melhores lugares da Califórnia.. Hum.. Agora, sete e meia da manhã temos um horário com Ângela no Beverly Wilshire, depois nós vamos para Loews Hollywood Hotel às oito e meia, às nove nós vamos ao Hotel Bel-Air. - A maioria daqueles lugares Eric não fazia ideia de onde ficava, então pediu a Lizzie que programasse o GPS com as devidas coordenadas e então a busca por um lugar começou.

O Beverly Wilshire Hotel era tão.. Como Daniel havia dito: Parecia aqueles hotéis onde os presidentes se hospedam; o lugar era tão luxoso e brilhante.. Havia lustres de cristais.. Empregados bem alinhados em seus terninhos impecáveis.. Fora o primeiro lugar a ser descartado, pois ali Joe e Demi não teriam a merecida privacidade.. Acabaria sendo mais momentos frustrantes.. Se o Beverly Wilshire era tão luxuoso.. O Loews Hollywood Hotel só perdia em alguns detalhes.. O lugar era incrível e a suite que Elizabeth combinara de "analisar" era em um dos penúltimos andares.. e por mais incrível que aquele lugar fosse, ainda não era o que Lizzie tinha em mente.

   - É a humilde residência de um Lorde inglês ou um hotel? - Murmurou Daniel assim que chegaram ao Hotel Bel-Air e foram recebidos por um homem tão alinhando que o nariz chegara a apontar para cima.. E novamente o lugar era incrível, a natureza o cercava, havia campos de grama verde e uma variedade de flores pelas passarelas.. Lizzie chegara a ficar interessada, porém o local era tão extenso e tão luxuoso e cheio de regras quanto os últimos dois hotéis que tinham visitado.

   - Eu não sei o que fazer. - Agora, sentada no banco do passageiro, Elizabeth tinha a cabeça bem acomodada no apoio do banco macio e um belo hambúrguer, batatas fritas, coca-cola e um brinde do McDonald's no colo. Sim, a correria de ir de um hotel para o outro e visitar aqueles tantos andares escutando aquelas pessoas chatas falar e falar os deixaram famintos! E a sugestão de Daniel de comerem no McDonald's mesmo que fosse no estacionamento vazio por conta do horário tinha sido brilhante.

   - É melhor nós voltarmos para a escola e esquecer.. Eles vão se resolver. - Comentou Daniel depois de uma mordida e outra no enorme hambúrguer.

   - Amor? - Murmurou fitando os lindos olhos azuis de Eric que também fitavam os dela enquanto ele comia timidamente.

   - Você quer muito ajudá-los, certo? - Eric sorriu apaixonado para Lizzie enquanto limpava o queixo dela sujo de ketchup com um guardanapo.

   - Eles se amam muito.. Eu posso ver e sentir. Sabe, quando o papai olha todo bobo para a mamãe é a coisa mais fofa do mundo. Eu só quero ajudá-los, eles passaram praticamente três meses longe um do outro. - Daniel respirou fundo fechando os olhos.

   - Eles vão se resolver Lizzie, nós ao menos tentamos procurar algum lugar legal. Não é nossa culpa se o preço é muito salgado ou se no hotel é muito cheio. - Elizabeth mordeu o hambúrguer, observou o movimento dos poucos carros da rua e respirou fundo.

   - Nós deveríamos procurar mais, não é possível! Nós estamos na Califórnia, esse lugar é incrível! Tem tantos lugares.. Nós só precisamos procurar. - Daniel balançou a cabeça num gesto negativo. - Dan! Nós precisamos fazer isso por eles, a mamãe e o papai sempre realizam tudo que nós queremos sem medir esforços. Você se lembra do festival de jogos eletrônicos que o papai te levou no Japão? Da vez que nós viajamos para o Brasil? Ah! E aquela vez que a mamãe subornou o cassino quando nós fomos para Las Vegas só para nós podermos jogar? Isso é pouco perto das loucuras que eles já fizeram para realizar as nossas vontades, agora nós precisamos retribuir de alguma forma. - Daniel estava de olhos arregalados. Tudo bem, Elizabeth estava certa, mas não era tão simples..

   - Lizzie, olha, o papai tem um emprego bacana e a mamãe ganha o triplo do triplo da nossa mesada em um segundo. O que nós podemos fazer? Ainda temos sorte que o seu garotão nos trouxe e pagou o nosso lanche. - Disse apontando para Eric.

   - Você não tem economias? - Perguntou. A realidade era tão frustante.

   - Não.. Gastei tudo que tinha comprando casinhas online para os meus filhotes. - Droga! O que eles fariam?

   - Se eu pudesse ajudar.. mas.. - Elizabeth olhou nos olhos de Eric e sorriu timidamente antes de beijá-lo demoradamente na bochecha.

   - Você já está nos ajudando muito meu amor. - Disse enlaçando os dedos aos dele. - Vamos fazer assim.. Você tem tempo? - Perguntou a Eric.

   - Eu estou de folga hoje. - A piscadela dele a deixou corada.. Às vezes acontecia.. Eric era tão lindo que chegara a ser intimidante.

   - Tudo bem.. Eu vou pesquisar mais.. - Depois que terminaram a refeição Lizzie tinha o macbook no colo e pensava o que pesquisar no google. - Eu queria encontrar um lugar romântico.. Nada de hotéis e com muito fluxo de gente, quero que eles fiquem definitivamente sozinhos. - Eric assentiu e Daniel franziu o cenho.

   - E o trabalho do papai? - Perguntou.

   - Nós vamos ter que conversar com Sara.. Acho que ela pode liberá-lo por uma semana.. - Daniel assentiu.. Sara realmente os ajudaria.

   - Que tal uma casa na praia? - Sugeriu Eric.

   - Eu estava pensando em algo acolhedor, que eles se sentissem a vontade como se estivessem em casa. - Eric assentiu e minutos depois Lizzie pesquisava no google casas "acolhedoras".

   - Encontrou alguma coisa? - Perguntou Daniel repousando a cabeça no ombro da irmã e Lizzie apenas murmurou que não havia encontrado nada. - E agora? - Tornou a perguntar espiando Eric que quase dormia escorado no banco do motorista.

   - Ai meu Deus! - O quase grito de Elizabeth assustou Daniel e Eric, que quase pularam e arregalaram os olhos. Deus! A menina tinha ficado ao menos quinze minutos calada e do nada quase gritara.

   - O que foi Elizabeth? - Perguntou Daniel espreguiçando-se.

   - É perfeito! - Disse a menina encantada deixando Daniel e Eric curiosos.

   - Aí! - Resmungaram ao mesmo tempo assim que as cabeças se chocaram. - Calma ai cara. - Disse Daniel franzindo o cenho.

   - Sosseguem. - Murmurou Elizabeth. - Eu adorei esse lugar. É isolado, cercado pela natureza e parece bem acolhedor. - Disse encantada com a foto da cabana de madeira que parecia tão acolhedora.

   - Serra Nevada, Elizabeth! - Disse Daniel revirando os olhos. - Olha só o Yosemite lá atrás. - Disse o garoto observando a foto da cabana no Vale Yosemite. A vista das montanhas e da vegetação era fascinante! O céu tão azul e as nuvens tão brancas.

   - Mas.. é tão lindo. - Murmurou a menina frustrada. Lizzie sabia que aquela cabana era o lugar perfeito para que os pais pudessem ficar juntos sem que ninguém os atrapalhasse.

   - Está praticamente a seis horas de viagem de carro.. Não tem como nós irmos lá. - Lizzie assentiu derrotada. Ora! Ela não queria alugar nenhum hotel luxuoso e caro, queria apenas um lugar romântico onde os pais poderiam ter privacidade.. Aquela cabana no vale Yosemite era o lugar perfeito e mais lindo que Lizzie uma vez já tinha visto.

   - Droga! Mas.. é perfeito. - Disse apontando para a foto. - Você tem certeza que é seis horas de viagem de carro daqui para lá? - Perguntou para o irmão. 

   - Tenho. Você pode pesquisar no google para ele te dar um valor exato. - Do que adiantaria pesquisar? Droga, ela queria aquele lugar!

   - Olha só, é uma cabana que parece ser muito confortável, lá eles não vão ser perturbados. A vista é magnifica e super romântica, é perfeito! - Disse apontando para as montanhas do vale.

   - E está no oriente da Califórnia Lizzie, nós estamos no sul. - Elizabeth tombou a cabeça para trás frustrada. - Vamos procurar outro lugar. - Disse o garoto, mas Lizzie nada fez além de ampliar a foto. O céu escuro da noite estrelada deveria ser a coisa mais linda vista daquele deck de madeira. Lizzie acessou o site onde estava a foto e maravilhou-se com as fotos do interior da cabana, que, como ela havia pensado, era confortável e acolhedor, já por fora havia uma pequena plantação de macieiras, todas alinhadas perfeitamente.. A grama era perfeita e tão verde.. Deus! Era tão perfeito.

   - Eu não quero procurar outro lugar Dan.. É perfeito. - Tornou a dizer apontando para as fotos, e realmente era perfeito.

   - É realmente perfeito, mas como nós vamos checar se esse lugar é realmente perfeito como está na foto? Como nós vamos entrar em contato com o proprietário e quem vai alugar? Sem contar que nós precisamos de dinheiro e pensar numa forma de fazer o papai e a mamãe concordarem em ir para a Serra Nevada sem questionar. - Bem, aquela questão era mais complicada que Lizzie esperava..

   - O dinheiro.. Você pode pedir para a tia Miley. - Sugeriu a menina e Daniel arqueou as sobrancelhas.

   - Pedir a tia Miley? Elizabeth! Esse lugar é lindo e o preço para alugá-lo deve ser mais salgado que aqueles três hotéis juntos. - Disse estalando os dedos. - Ah! Você pedi para a tia Selena. - Lizzie revirou os olhos.

   - A tia Miley é a sua madrinha e nós podemos contar com ela quando o assunto é esse. - Disse um pouco envergonhada.

   - Tudo bem.. Vamos fazer um acordo. Nós dividimos o valor para nós dois, eu peço para a minha madrinha e você para a tia Selena. - Lizzie assentiu apertando o dedo mindinho de Daniel com o seu. Ela tinha certeza que poderia contar com as tias.

   - Então a parte financeira está praticamente resolvida. - Disse a menina buscando um bloquinho de notas na bolsa junto a uma caneta. - Agora nós precisamos saber como vamos chegar lá, o resto é mais fácil. - Disse enquanto anotava no bloquinho.

   - Bem.. Se de Los Angeles para a Serra Nevada são seis horas.. nós gastaríamos doze horas de viagem.. sem contar a visita ao local, então nós precisaríamos de quinze horas no máximo para ir, visitar a cabana e voltar para casa. - Murmurou Daniel e Lizzie assentiu contra gosto. - É muito tempo Lizzie, nós só temos até cinco e meia da tarde para resolver.. E já são nove da manhã. - Disse o garoto espiando a hora no relógio.

   - Droga.. Acho que não podemos fazer nada.. só porque esse lugar é perfeito! - O suspiro triste de Elizabeth partiu o coração de Eric, ele odiava vê-la triste.

   - Bem.. Tem um modo de reduzirmos o tempo de viagem. - Disse Eric depois de pensar muito recebendo os olhares interessados de Lizzie e Dan. - O meu avô tem um pequeno e modesto monomotor, ele tem uma pista de voo na fazenda e pilota desde que tinha a minha idade.. Acho que ele pode nos levar para a Serra Nevada.. Ele conhece muito aquela área.. - O sorriso de Elizabeth ia de orelha a orelha, ela envolvera o pescoço de Eric com os braços e logo o beijou nos lábios. 

   - Não vou segurar vela! - Disse Daniel quando o beijo começara a ganhar força.

   - Não mesmo, você vai ligar para a tia Miley. - Disse ofegando assim que afastara a boca da de Eric.

   - E você para a tia Selena. - Disse a contra gosto buscando o celular no bolso.

   - Vocês não precisam saber o valor primeiro? - Perguntou Eric de cenho franzido. - Sem contar que nós não sabemos se o lugar está ou não reservado, é melhor ligar primeiro para o proprietário antes de contar o que está acontecendo para Miley e Selena. - Elizabeth assentiu depois de um tempo e procurou a todo custo o número na página da internet onde estava o anúncio com as fotos da cabana. Depois de muitas tentativas a ligação foi aceita e a voz feminina de uma senhora simpática e tão esperta soou. Por Deus! Lizzie conversara por pelo menos vinte minutos planejando o horário que se encontrariam e debatendo vários detalhes.

   - Meu Deus! - Disse assim que desligou o telefone. - Ela quer nos encontrar em frente a cabana as doze e meia em ponto. - Será que daria tempo? A senhora Jame era tão exigente!

   - Acho que a nossa viagem será de uma hora, uma hora e meia.. no máximo duas horas. - Disse Eric dando partida no carro.

   - Ligou para tia Miley? - Perguntou Elizabeth enquanto colocava o cinto de segurança e Daniel negou. - Dan! Liga agora. - Contar para Miley o que estava acontecendo fora a coisa mais constrangedora possível, Daniel queria sumir de tão envergonhado que está.. mas ver Lizzie contar a história para Selena o deixara mais aliviado. Ao menos eles teriam a ajuda das tias.

   - Tem certeza que elas sabem o caminho? - Perguntou Eric assim que eles estacionaram em frente a enorme casa da fazenda. Elizabeth estava encantada, o lugar rústico era tão lindo cercado pela natureza.

   - Tia Miley disse que está a caminho, ela só buscaria a tia Selena no set. - Disse Daniel assim que eles saíram da pick up.

   - O que ela disse quando você falou que era segredo? - Perguntou Elizabeth tão enroscada a Eric.

   - Bem, ela pensou que eu estava brincando, mas prometeu segredo. - Disse o garoto observando tudo.

   - Espero, porque se a mamãe souber que nós não estamos na escola ela vai nos matar. - Lizzie sorriu quando Eric abriu a porta e deu passagem para ela. Ele era tão fofo! Ah, como ela queria beijá-lo..

   - Vó? - Chamou o garoto puxando Lizzie pela mão pelos largos corredores da casa. Tudo era tão lindo e bem organizado. As paredes brancas, as prateleiras de madeira escura e bem polida abrigava alguns livros, porta-retratos e bibelôs. De repente Lizzie viu-se nervosa. Ela iria conhecer os avós de Eric! Deus! Tomara que o cabelo não estivesse bagunçado e será que ela estava pálida? O som agradável da música country vinha do corredor, Lizzie olhou para trás para encontrar Daniel distraído olhando atentamente para tudo. Por que com os homens tudo parecia ser mais fácil? Eric também estava como Dan, tão tranquilo.. Deus! E os dois estavam lindos e não tinham aquela coisa de se preocupar com a aparência.. e com razão! Eles eram tão lindos, Daniel com os seus lindos e intensos olhos verdes e Eric com os seus olhos azuis cor de mar. - Tem alguém em casa? - Lizzie observou o sorriso dele e logo sentiu aperto da mão dele longe da sua. Eric abraçou calorosamente a senhora de cabelos brancos que mais parecia aquelas velhinhas bondosas de filme e a beijou na testa. - Bença vó. - Disse o garoto a beijando na mão. - Esta é Elizabeth, a minha namorada. Lizzie, esta é a vovó Maria. - Disse o garoto tão orgulhoso esboçando um sorriso lindo para Lizzie.

   - Meu Deus! A sua mãe tinha razão! E não é que ela é mais linda que eu imaginava? - Lizzie sentiu o rosto queimar de vergonha, mas retribuiu o abraço da avó de Eric.

   - É um prazer em conhecê-la. - Disse a menina educadamente ainda corada enquanto a avó de Eric a olhava admirada.

   -  O prazer é todo meu. - Disse Maria segurando as mãos de Lizzie. - Seja bem vinda, sinta-se como se estivesse em casa. - O sorriso verdadeiro aqueceu o coração de Lizzie. A família de Eric a tratava tão bem.. Aquilo era tão bom. Nunca pensara que um dia encontraria alguém como Eric que a amaria como ele amava.

   - Ah! Esse é Daniel, irmão de Lizzie. - Disse Eric tentando não rir ao ver Daniel todo sem jeito, e piorou quando o garoto foi abraçado calorosamente pela vovó Maria.

   - Sentem-se, vou servir o café da manhã. - Lizzie olhou a hora no relógio da cozinha e olhou para Eric.. Eles tinham que correr contra o tempo.

   - Nós.. humm.. Vocês querem tomar café? - Perguntou Eric envergonhado e Lizzie olhou feio para Daniel que apenas deu de ombros. - Nós precisamos falar com o vovô. - Disse rapidamente olhando o jardim pela janela de vidro da cozinha. - Acho que Miley chegou. - Lizzie assentiu e minutos depois a campainha soou. - O vovô está por aqui? - Perguntou em alto e bom som enquanto caminhava para a sala para abrir a porta.

   - O que vocês estão aprontando? - Perguntou Maria para Elizabeth enquanto oferecia biscoitos para Dan.

   - É uma longa história. - Disse a menina tímida e logo Miley, Selena e Eric adentraram a cozinha sem deixar de conversar por um minuto.

   - Eric, essa não é a moça que estava passando na TV ontem à noite? - Eric riu e assentiu enquanto a avó abraçava Selena calorosamente.

   - Vovó, essas são as tias de Lizzie e Dan. - Disse o garoto puxando Lizzie para o seu lado. Depois dos calorosos cumprimentos e muita conversa sobre o que estavam planejando, claro que Lizzie e nem Dan comentaram sobre as cenas que tinham visto.. apenas fizeram uma breve e rápida introdução de que os pais precisam de um tempo juntos e que eles queriam ajudá-los da melhor forma possível.

   - Onde está o vovô? - Perguntou Eric olhando a hora no relógio. Deus! Eles teriam que ser rápidos.

   - Está lá com aquelas máquinas velhas. - Resmungou Maria fazendo Miley e Selena rirem. - Vou falar com ele. Espere um minuto anjo. - O beijo carinhoso na testa de Lizzie chamou mais atenção que ele esperava.. Determinado, Eric pediu licença e passou pela porta da cozinha que levava até os fundos da casa. Caminhara pelo jardim bonito e logo avistara o enorme depósito branco de telhado vermelho onde o avô guardava o avião e as outras máquinas. 

   - Vô? - Chamou assim que abriu a porta pesada de madeira. - Vô? O senhor está ai? - Tornou a chamar e logo sorriu ao ver o avó agachado perto duma motocicleta a examinando. O depósito era o local de trabalho onde o avô de Eric passava grande parte do seu tempo fazendo o que mais gostava: Consertar máquinas e se divertir com elas. Havia uma mesa de madeira perto da parede de madeira onde algumas ferramentos estavam, logo um armário grande de madeira e no centro no depósito estava o avião monomotor impecável pronto para voo.

   - Ora, pensei que estivesse trabalhando com o seu pai. - Disse o senhor magro de cabelos brancos e um enorme bigode depois de um rápido e forte abraço no neto.

   - Estou de folga hoje. - Disse o rapaz esboçando um pequeno sorriso. - Está ocupado? - Perguntou olhando para a moto e logo para o avô.

   - O vizinho perguntou se eu poderia dar uma olhada nessa moto, acho que as rodas não estão bem fixas.. - Disse olhando para a moto e respirando fundo. - Quer me ajudar? - Perguntou olhando para o rapaz que olhava para a moto um tanto curioso.

   - Bem.. Na verdade eu preciso de um favor. - Eric coçou a nuca e sorriu sem jeito. - Um grande favor. - Disse ainda com aquele sorriso sem graça e o avô arqueou as sobrancelhas. - Será que o senhor, o melhor piloto da Califórnia, digo dos Estados Unidos pode nos levar para Serra Nevada? - Os olhos do avô arregalados ampliou ainda mais a ansiedade do rapaz.

   - Serra Nevada? Está a quase seis horas daqui. - Perguntou surpreso e Eric assentiu.

 - Por favor, é urgente.. - Eric apontou para o avião e cruzou os dedos..

   - Por que o senhor quer que eu te leve para Serra Nevada de avião? - Perguntou cruzando os braços.

   - Eu, Lizzie e Dan. - Corrigiu o rapaz sorrindo amarelo. - Lizzie, a minha namorada, precisa visitar uma cabana meio dia e meia de hoje.. Não daria tempo se nós fossemos de carro, demora quase seis horas. - Disse olhando para os olhos do avô que eram idênticos aos seus.

   - É tão urgente assim? - Perguntou o avô e Eric assentiu. Ah! Ele estava começando a ceder.. - Por que a sua namorada precisa visitar uma cabana? - Perguntou curioso e Eric começou a explicar sobre o plano de Lizzie e todos aqueles hotéis absurdamente caros que eles visitaram.

   - Eu quero ajudar de alguma forma vovô.. Eu não tenho nem o começo desse dinheiro.. - O suspiro do avô foi a confirmação que ele ajudaria.

   - Tudo bem.. Eu quero todas as coordenadas. - Eric assentiu sorrindo de orelha a orelha.

   - Obrigado vovô! - Disse o garoto animado. - Eu volto em um minuto. - Eric correu até a cozinha completamente animado. - O vovô vai nos levar. - Disse assim que abriu a porta e adentrou o cômodo pouco ofegante. Deus! O olhar e o sorriso de Elizabeth fizeram o seu dia. Ela era tão linda que às vezes Eric ficava assustado em pensar de como uma garota como Lizzie se apaixonaria por um simples rapaz como ele.

   - Vocês já sabem o que vão fazer? - Perguntou Selena, que logo sorriu e cutucou Miley para ver Elizabeth dar um inocente e rápido beijo nos lábios Eric. Eles eram tão fofos!

   - Nós precisamos visitar a cabana para saber se o lugar realmente vale a pena, negociar  e se der certo nós temos que comprar mantimentos, organizar a cabana e saber como vamos contar para a mamãe e para o papai que nós estamos os mandando para o meio do mato. - Elizabeth revirou os olhos ao olhar para o irmão.

   - Nós não vamos contar. - Disse pensativa. - Quero que seja uma surpresa. - Daniel arregalou os olhos e tombou a cabeça para trás.

   - Elizabeth! Como nós vamos mandar o papai e a mamãe para o outro lado do estado? É praticamente impossível. Quero só ver o que você vai fazer quando a mamãe te encher de porquês igual ela faz quando está curiosa. E você se esqueceu de um detalhe importante. Como nós vamos levá-los para Serra Nevada? Você realmente acha que o papai vai aceitar ser escoltado por um bando de seguranças sem tentar bater em alguém? Ainda mais se eles ousarem em tocar na mamãe.. ai a coisa vai ficar feia. - Lizze respirou fundo, adentrou os cabelos com a mão e ficou a fitar as flores da toalha da mesa.

   - Vocês pretendem mandá-los ainda hoje? - Perguntou Miley e Lizzie assentiu. - Tudo bem, ainda é manhã, é o tempo que eu tenho para preparar o meu piloto para levá-los até lá e contratar seguranças duas vezes maior que Joe.  - Lizzie assentiu sorrindo. Estava começando a dar certo.

   - Depois nós podemos organizar as malas deles, só vamos precisar da chave da casa. - Selena lançou um olhar malicioso para Miley.. Elizabeth e Daniel poderiam entender que os pais precisavam de um tempo apenas para eles.. mas não entendiam como aquilo realmente funcionava..

    -  Tudo bem.. O quarto deles não fica trancado. - Disse Lizzie entregando as chaves de Dan para Selena. - Acho que eles vão precisar de moletons, lá é frio.. - Comentou Elizabeth distraída e Miley riu.. Ela apostara que eles não precisariam de nenhuma peça de roupa e se aqueceriam juntos.

   - Nós precisamos falar com Sara, Lizzie. - Disse Daniel a olhando para Lizzie e a menina assentiu.

   - Quando nós voltarmos, primeiro nós temos que negociar a cabana. - Disse determinada.

   - Bem.. - Começou a dizer Selena enquanto buscava algo na bolsa. - meus cartões de crédito, vocês podem usá-los para pagar o aluguel e comprar mantimentos. - Lizzie assentiu dizendo obrigada e guardando o cartão na bolsa.

   - Então eu fico responsável por arrumar um jeito de mandá-los para Serra Nevada. - Disse Miley e Lizzie assentiu.

   - Acho que nós temos que ir. - Murmurou Eric olhando a hora.. O tempo estava passando..

   - Tudo bem, nós também vamos providenciar a nossa parte. - Disse Selena se levantando.

   - Isso é loucura. - Murmurou Daniel se levantando. Ele não acreditava que estava prestes a entrar num avião a caminho da Serra Nevada apenas por insistência de Elizabeth. 

   - É por uma boa causa. - Disse Miley abraçando Dan de lado enquanto eles caminhavam para fora da cozinha. - Pense só em tudo que eles passaram.. foram três meses de pura aflição, agora eles merecem um tempo juntos. - Disse e o garoto assentiu depois de muito pensar.

   - Aquilo é por uma boa causa. - Disse Daniel encantado ao ver o avião. O garoto chegara a sorrir bobo encantado. O plano de Elizabeth estava começando a ficar interessante...

Continua.. Oi! Como vocês estão? Eu estou esgotada, semana de provas, isso justifica o meu sumiço.. E ai? Vocês acham que a ideia da Lizzie vai dar certo? Até agora está tudo nos conformes.. Aah! Depois pesquisem sobre o Vale Yosemite, é completamente lindo! Espero que estejam gostando da fic, um abraço apertado em cada uma, obrigada pelos comentários! Até mais ;)