13.8.14

Capítulo 9

   - Nós poderíamos conversar? - Demi andava de uma lado para o outro furiosa. - Você está escutando? Nós podemos conversar Joseph? - Disse a beira de ter um ataque de nervos.
   - Conversar? - Desde que chegaram Joe estivera calado e quieto demais. - Conversar sobre o que? - A voz estava carregada de ironia, Demi o olhou e só não avançou sobre ele por que.. nem ela mesma sabia o porquê.
   - Por que você está agindo assim? - Aproximando-se dele, Demi agachou-se e repousou as mãos nos joelhos de Joe. - Eu não quero brigar. - Disse assim que ele a olhou nos olhos.
   - Ela é a minha menina, a minha bebê e eu não quero que nenhum marmanjo se aproxime dela. - Demi temeu este momento por uma vida inteira e ela sabia que um dia ele iria chegar.. Só não esperava que fosse agora.
   - Não vamos nos precipitar, foi apenas.. - Demi respirou fundo sem saber o que dizer.
   - Apenas? - Aquele olhar era intimidante, as feições sérias e a boca em uma linha reta. Ele realmente estava bravo. - Ele a beijou, Demi. Beijou a nossa menina. - Joe deixou o corpo cair para trás na cama e levou as mãos aos cabelos.
   - Joseph, por favor, não é a primeira vez que ela é beijada. - Murmurou deitando-se ao lado dele.
   - Por que diabos você está tão calma? - Joe levantou-se bruscamente assustando-a. - Ele vai raptá-la Demi! - Exclamou nervoso.
   - É apenas um passeio, não exagera. - Não poderia negar que Joe estava deixando-a assustada. E Demi não entendia o porquê do drama.
   - Demi! Ele é mais velho que ela. - Joe chutou a porta do banheiro e a bateu trancando-se. Demi saiu do quarto o mais rápido que conseguira, ainda não estava preparada para enfrentá-lo.. E quem sabe se ela pudesse conversar com Lizzie as coisas não ficariam mais claras.
   - Que cara é essa? - Disse Miley assim que Demi adentrou a cozinha. Todas as mulheres estavam reunidas com os seus pijamas e chás da noite.
   - Quer chá? - Perguntou Denise enquanto Demi se sentava entre Miley e Dani.
   - Mãe? - Elizabeth a abraçou por trás e Demi respirou fundo. - O que está acontecendo? - Perguntou inocentemente assim que a mãe virou-se para abraçá-la.
   - Seu pai. - Sussurrou e Lizzie enrijeceu-se. - Nós podemos conversar depois, tudo bem? - A menina assentiu calada. - Não está na hora de dormir? - Demi forçou um sorriso para a menina ajeitando os cabelos dela devidamente.
   - Quer assistir um filme? - Alena piscou para a tia percebendo que a prima estava tensa. Alena, ou Lena, era um pouco mais alta que Lizzie, a pele era clara como a do pai, os olhos eram castanho escuros e Lena tinha os cabelos achocolatados.
   - Nós podemos assistir, sei lá, um romance, comédia, terror, o que você quiser. - Anne entrelaçou o braço ao de Lizzie e sorriu para Demi que as observava.
   - Tudo bem. - Elizabeth mordeu o lábio inferior e murmurou boa noite antes de subir tagarelando com Anne e Lena.
   - Você se alimentou? - Perguntou Dianna olhando-a.
   - Sim, mãe. Eu me alimentei. - Demi deitou a cabeça no ombro de Miley e choramingou.
   - Ei, o que foi? - Miley abraçou a amiga de lado acolhendo-a. - Não diga que vocês brigaram. - Disse arrumando as mechas dos cabelos de Demi.
   - Nós não brigamos. - Murmurou e ergueu-se para bebericar o chá. - Eu não sei como conviver com o meu Joe ciumento. - Demi respirou fundo. Joe era a melhor coisa que tinha acontecido em toda a sua vida, ele lhe dera amor, carinho e dois presentes fantásticos. Mas também dera bastante dor de cabeça, principalmente quando o assunto era ciúmes.
   - Ele está com ciúme? - Perguntou Dani depois de bebericar um pouco do chá.
   - É uma história muito complicada. - Murmurou fitando o nada.
   - Converse com ele, vocês sempre se resolvem. - Denise tinha razão, eles sempre se resolviam de uma forma ou de outra. Não era à-toa que estavam juntos há vinte anos.
   - Eu vou usar tampões de ouvido, mas não faça muito barulho! E não se esqueça da camisinha. - Murmurando um "boa noite", Demi revirou os olhos com o comentário de Miley e a cada passo ela se sentia mais determinada. Por um lado sabia que Joe tinha razão, mas por outro ela sabia que também tinha razão..
   - Joseph? - Disse assim que abriu a porta do quarto em uma brecha cautelosamente. - Joe? - A voz soou calma e Demi adentrou o quarto fechando a porta. A cama estava bagunçada, como se Joe estivesse deitado e o vento frio da noite adentrava o quarto. Lá estava ele, na varanda do quarto quieto observando o mar agitado.
   - Oi Demi. - Sussurrou assim que sentiu os braços dela rodearem sua cintura.
   - Não fica assim. - Sussurrou o abraçando de lado. - É normal. - Dizia por experiência própria. Quando Dan começou a interessar-se um pouco mais por garotas, Demi tivera um ataque de ciúmes e não aceitou muito bem o fato do seu menino ter crescido. Mas não tinha jeito, querendo ela ou não Daniel não deixaria de namorar só por um capricho da mãe. Aliás, Demi lembra-se de que na época que ela namorava, jamais seguira as regras impostas pelos pais e aprontara horrores.. Já ficara dias sem aparecer em casa. Sorte a dela que Daniel e Lizzie não eram tão danados como ela um dia fora.
   - Não quero falar sobre isto. - Demi preferiu não insistir, seria pior. Apoiou-se no parapeito da proteção da varanda e ficou a fitar as ondas quebrarem-se violentamente. A chuva ainda não passara, porém não era tão intensa como a tempestade de mais cedo. - Estou cansado Dem, eu vou dormir, tudo bem? - Depois de segundos Demi o olhou. Raramente escutara aquela frase, ou melhor, jurava ser a primeira vez que a escutava.
   - Vou me juntar a você. - O acompanhando, eles caminharam silenciosamente para dentro do quarto. Demi arrumava os cobertores enquanto Joe fechava a porta da varanda. - A cama está pronta. - Disse assim que percebeu que ele estava parado e quieto olhando-a.
   - Boa noite. - Nenhum um beijo, nenhuma caricia.. Nada, Joe apenas deitou-se no lado esquerdo da cama e virou as costas para ela.
   - Boa noite amor. - Demi não se deixou intimidar, puxou o travesseiro para perto dele e o abraçou por trás, e mais uma vez Joe nada fez.
Dormir estava fora de cogitação. Joe apenas tinha os olhos fechados e sentia o corpo de Demi agarrado ao seu enquanto pensara no que tinha acontecido mais cedo.. Por Deus! Ele chegara ficar enjoado, por pouco não colocou todo o jantar para fora.. Ninguém entendia? Ora, para ele era um absurdo. Lizzie era sua menina, uma menina de quinze anos, mas ainda sim a sua menininha que corria pela casa o chamando. Parecia que tinha sido num minuto atrás que ela deu os primeiros passos até ele e o chamou. Lizzie praticamente aprendeu a falar e andar ao mesmo tempo...
Flashback On
   - Um.. O que foi com você bebê? - Demi correu os dedos pela barriga da pequena Elizabeth. - Você vai engasgar. - Lizzie tinha o bico do peito na boca e um sorrisinho charmoso nos lábios. Ela olhava para a mãe e ria, e depois olhava para o lado e ria.. Tirando-a do peito, Demi ajudou a pequenina ficar de pé e a pôs para golfar. - Pensei que você estivesse com fome. - Demi limpou a boca da pequena com a manta e Lizzie riu. Elizabeth com suas bochechas cheinhas e grandes olhos castanho esverdeados às vezes conseguia ser mais sorridente que o pequeno Daniel. Lizzie era uma verdadeira espoleta, arrastava-se pela casa engatinhando atrás de Daniel para que pudesse brincar com ele. O fato de ainda não andar não a impedia de tentar se divertir com o irmão e o fiel Buffy.
   - Pa.. - Lizzie olhou para a mãe e tentou se soltar dos braços dela. E Demi revirou os olhos, Elizabeth tinha um ano e quatro meses e queria ser independente!
   - Dê um beijo na mamãe. - Lizzie deu um beijo babado na bochecha da mãe e assim que estava no chão, engatinhou ferozmente em direção a sala.
   - Izzie! Cuidado, você "achuca" e mama 'biga" comigo. - Demi observou Daniel em pé olhando para a irmã censurando-a com o olhar, mas quando ele a olhou arregalou os olhos verdes. - Uffy, mama! Uffy! - Dan apontava para Buffy e chegara tremer.. Ele estava sujo de terra! Sujo!
   - Daniel! Como nós vamos buscar o seu pai no aeroporto? - Demi aproximou-se do pequeno, e as lágrimas rolaram pelo rostinho dele.
   - Não mama. "julo", Uffy! - Demi revirou os olhos e agachou-se perto do pequeno.
   - Sua fantasia do Superman está suja de terra, Buffy estava na cozinha comigo e Beth, você estava aprontando Daniel! - O puxando pela mão, Demi já iria subindo as escadas quando se lembrou de que a pequena Elizabeth estava engatinhando pela casa.
Ela tinha certeza que era ele.. Olhando para os lados Lizzie sorriu de orelha a orelha ao ver o pai incentivando-a caminhar até ele. Não era tão difícil.. Ela só tinha que se apoiar no sofá.. Confere.. E caminhar. Um passinho, dois passinhos.
   - Vem meu anjo! - Joe agachou-se emocionado ao ver a sua menina dar os primeiros passinhos. Lizzie cambaleou, mas não desistiu e continuou a traçar sua trilha.
   - Papa. - Ela tinha conseguido! Estava nos braços do pai! - Papa. - Repetiu a primeira palavra.
   - Você conseguiu. - Joe a ergueu no ar e sorriu para a pequenina. - Conseguiu pequena. - Abraçando-a contra o corpo, Joe sorriu mais ainda ao ver Demi e Daniel parados os olhando. Ele não poderia estar mais orgulhoso da sua menininha, ela tinha conseguido.
Flashback Off
Deveria ser tarde e o sono não vinha. As tantas lembranças de Lizzie pequena dominava a mente, e depois, a cena da menina sendo beijada o deixava furioso. Joe esticou o braço até o criado mudo para conferir a hora no telefone. Cinco e quarenta da manhã. O quarto ainda estava escuro e Demi dormia o abraçando por trás. Afastando-a, Joe a ajeitou e cobriu-a com o cobertor e a beijou na testa. Demi que o perdoasse.. Mas Elizabeth não iria ficar mais um minuto junto daquele garoto.
Joe estava satisfeitíssimo com a camisa cavada preta, era melhor para mostrar o físico musculoso.. E era ótimo para espantar aquele moleque que estava de olho na sua pequena menina. Arrumando o boné na cabeça, Joe sorriu satisfeito com o próprio reflexo no espelho e saiu do closet. Demi estava deitada na diagonal da cama toda esparramada, o cobertor torcido no corpo e um braço estava para fora da cama. Às vezes Demi era tão.. exótica.. Depois de "consertar" Demi na cama, Joe finalmente saiu do quarto em missão oficial.. O cheiro do café o deixou zonzo de fome, aliás.. Não era só café.. Joe desceu as escadas o mais rápido que pode, estava faminto.
   - A senhora pode fazer bolo de chocolate? - Joe cerrou os olhos ao ver a cesta de piquenique sobre a mesa e Elizabeth dobrando uma toalha xadrez.
   - Claro que posso. - Dianna arregalou os olhos ao ver Joe nada feliz com a cesta de piquenique.
   - Bom dia. - A masculina voz soou grave e fria, e Lizzie virou-se para olhá-lo. - Você deveria estar dormindo. - Disse para a menina.
   - Lizzie está nos ajudando com o café da manhã. - Joe balançou a cabeça negativamente ao ver a mãe defender a menina. - Não é Lizzie? - Elizabeth apenas assentiu balançando a cabeça.
   - Estou com fome. - Disse sem rodeios sentando-se a mesa. - Uma cesta de piquenique? - Olhando diretamente para a menina, Joe tornou a cerrar os olhos intimidando-a.
   - Vai para sala Joseph! - Denise o acertou com o pano de prato. - Vai assistir futebol, desenho animado, qualquer coisa! - Joe arregalou os olhos quando a mãe o acertou de novo. - Quando o café estiver pronto eu te chamo, agora vai. - Maldição! Ele fora expulso da cozinha com um pano de prato! O que diabos aquelas mulheres tinham contra ele? Ora, ele era apenas um homem que queria proteger sua menina!
   - Vai com calma. - Joe cerrou os olhos e bufou irritado assim que esbarrou em Eddie. - Bom dia. - Eddie analisou a feição do rapaz e soube que os tantos comentários que Joe estava uma fera eram verdadeiros.
   - Bom dia. - Murmurou arrumando o boné. - Desculpe, eu fui expulso da cozinha. - Denise sempre o expulsava da cozinha até porque Joe só ia até a cozinha para causar discórdia. Dito e certo. Quando ele aparecia na cozinha as coisas ficavam uma bagunça, sem mencionar que ele adorava roubar Demi da cozinha... Era uma confusão.
   - Você quer conversar? - Eddie perguntou apoiando a mão no ombro de Joe.
   - De qualquer forma eu preciso desabafar. - Murmurou enquanto caminhavam para a sala de tevê.
   - Quem aprontou desta vez? Demetria, Daniel ou Elizabeth? - Pela primeira vez desde que chegara a casa de praia dos pais de Demi, Joe riu. Lizzie tinha conseguido acabar com sua paz..
   - Lizzie. - Disse sério. Caso Demi aprontasse, ele já teria se resolvido com ela pelo método tradicional.. - Eu não sei o que está acontecendo, mas Lizzie está de namoradinho. - Joe franziu o cenho irritado com a possibilidade de Lizzie estar namorando. Aquilo o irritava só de pensar.
   - Esse é o problema? - Eddie perguntou como se fosse a coisa mais simples do mundo e Joe assentiu intrigado com a tranquilidade na voz dele. - Você só percebeu agora? Eric e Lizzie, na linguagem jovial, estão ficando. - Joe arqueou as sobrancelhas e riu.
   - Quem diabos é Eric? E quem deu permissão para ele ficar com a minha filha? - De repente ele estava sério, centrado e de punhos cerrados.
   - Eric é o namoradinho de Lizzie, ele trabalha aqui ajudando o pai. - Joe tornou arquear as sobrancelhas, mas desta de surpresa e não ironia. - Ele é um bom rapaz e pelo visto gosta muito de Elizabeth. - Joe fitou um ponto qualquer não gostando nada daquela história
   - Não me importo se o individuo é filho do seu funcionário, se ele é filho do presidente ou de quem quer que seja. Elizabeth é uma menina, e meninas não namoram. - Estava claro para todos que o ciúme o cegava e o impedia de ver o obvio. E o obvio era: Lizzie já estava com o garoto, Joe querendo ou não.
   - Joseph, você começou a namorar a minha filha quando ela tinha dezesseis anos. - Joe engoliu seco, não esperava que Eddie fosse tocar naquele ponto. - Demi era uma menina e você a cortejou e a namorou sem a minha permissão. - Oh sim.. Nem a desaprovação de Eddie o fez desistir de Demi. - Vocês passavam dias sumidos sabe Deus o que estavam fazendo.. Joe, confesso que nunca apoiei o namoro de vocês, mas ninguém se importou com as minhas regras e muito menos com a minha opinião. E aos poucos o namoro adolescente se tornou firme e forte, até que você finalmente pediu a minha permissão para pedi-la em casamento. - Na época Joe quase tivera um infarto de tanto medo, mas enfrentou Eddie para tomar Demi para si. - Para mim você nunca quis compromisso com Demi, mas as coisas realmente mudaram quando eu percebi que você a amava. - Sim, ele a amava desde sempre e não se via viver sem Demi. - Pense na nossa conversa e estude o caso de Lizzie, nós não devemos deduzir conceitos quando se trata de pessoas. - Dizendo isto, Eddie levantou-se e o deixou sozinho e muito perturbado.

Continua... A coisa vai começar a esquentar... Eddie tem razão? E se ele soubesse das coisas que o Joe aprontava no apartamento com a Demi na primeira fanfic? hehe, Demi estaria viúva. Beijos e obrigado pelos comentários, até o próximo capítulo! 

9 comentários:

  1. Como vc para ae ! Mega ultra curiosa amanda isso eh msldade que vc ta fazendo so pode :@

    ResponderExcluir
  2. chego aqui e vejo dois capitulos fresquinhos que maravilha, desculpa a demora MAS amo demorar de ler pois sempre tem mais capitulos hsakbxsj enfim, Joe com ciumes é um amor foi fofo gostaria de dizer, a conversa com Eddie eu amei e espero que ele pense sobre isso, apesar de que Lizzie ainda é um bebezinho sim djhhdsh e ele com Demi? ele foi meio frio sinto que ele vai esquentar as coisas para se desculpar ou terá ou briga maior? AAAAH quero outro capitulo logo!!!
    Sam, xoxo

    ResponderExcluir
  3. Você descreve a Demi duma maneira tão, Demi que parece realidade.....
    Quem é a mulher misteriosa?
    Joseph ta um saco viu, deixa a menina se divertir um pouco e vai cuidar da mulher dele, que por sinal.... venceu o orgulho na hora de dormir pra esse ogro destratar ela ne hahahahaha Joseph meu lindo ♥

    ResponderExcluir
  4. Hehe kkk
    joe com ciúmes e tão fofo *--*
    super ansiosa pra saber o que o joe vai fazer...
    Posta logo viu diva linda
    beijos

    ResponderExcluir
  5. que capitulo tenso kkkkkk,joe lindo com ciumes

    ResponderExcluir
  6. ah q peninha do jose ele so quer protege a lizze....tudo bem q em certa parte ele exagera mais para protege la ta valendo... eu axo q a lizze deveria jogar limpo com ele e ela merece sim uns puxoes de orelha.....posta logo amei o cpt kkkkk bjs

    ResponderExcluir
  7. Meu Deus! Qual o feitiço que você joga na gente que a cada vez que eu leio um capitulo dessa fic eu me apaixono mais? Menina, isso é um caso sério! Hahahaha eu to amando, de verdade. Que tal uma maratona? Eu quero capitulos quentes... ��
    Um beijo grande e não demore, tenho abstinência de histórias boas assim.

    ResponderExcluir
  8. Oii Amanda!! me desculpe não ter comentado em algum capitulo ai, ou alguns, enfim, eu estava doente, mas fiquei muito animada quando eu vi que vc tinha postado...
    eu nem preciso dizer que eu amei, essa fic é totalmente PERFEITA!!! já lhe disse antes, mas tenho que dizer de novo, é a fic mais perfeita que eu já li, sério, vc escreve muito bem, muito bem mesmo, eu fico mais apaixonada por essa fic a cada capitulo <3
    bom, quanto ao capitulo... ao mesmo tempo que eu quero matar o Joe, pq eu acho que esse ciúme que ele tem com a Lizzie é muito ridículo, já que o mesmo fazia coisas piores com a Demi quando a mesma era quase da mesma idade que a Lizzie hashdajsd Eddie deu logo um "puxão de orelha" nele kkkkkkk tbm, eu acho bem fofo ele ainda vê a Lizzie como a garotinha dele, é fofo demais *---*
    quero ver o que Lizzie e Dan irão aprontar ao decorrer da fic kdajsndkjsad
    Beijooos e posta mais <3

    ResponderExcluir