11.8.14

Capítulo 8

Como era possível não sorrir? Demi digitou "Ele era a coisinha mais linda do mundo" habilmente e enviou a mensagem para Denise via whatsapp. Invertendo a posição que estava deitada, Demi não conseguia parar de sorrir. Na foto o pequenino forçava os bíceps, tinha os punhos cerrados e vestia apenas um macacão jeans claro. Os cabelos negros e lisos caiam na testa e Joe forçava um pequeno sorriso. Demi mordeu o lábio inferior e deslizou o dedo no ecrã do Iphone. Na segunda foto Joe deveria ter três ou quatro anos. Os cabelos negros e lisos eram cheios e Joe tinha um grande sorriso nos lábios enquanto olhava para a câmera. Demi guardou o celular no bolso e saiu do quarto às pressas.
   - Joe? - Chamou-o enquanto descia os degraus da escada. - Joseph? - Joe não estava na cozinha e pelo visto não estava na sala. Demi caminhou pelo corredor e verificou os dois pequenos estúdios, o dela e o dele. E nada de Joe. Mais para o final do corredor Demi virou para a esquerda e logo entrou no escritório de Joe. E mais uma vez nada de Joe. Caminhando pela casa, Demi conferiu a cozinha e as salas de jantar. Onde ele estava? Caminhando mais um pouquinho, Demi escutou um barulho vindo da sala, mas revirou os olhos ao ver os seis filhotes de Buffy aprontando na casa. Só restara a lavanderia. - Amor? - Chamou enquanto caminhava em direção à lavanderia. Demi abriu a porta e sorriu ao vê-lo em pé.
   - Vocês estão chegando? - Disse ao telefone. Demi aproximou-se dele e analisou o que ele fazia. - Nós vamos sair de casa às.. - Joe conferiu a hora no relógio de prata e sorriu para Demi. - Nós já estamos saindo.. Daqui a quinze minutos. - Joe murmurou um "Humrum" e logo desligou o telefone dizendo um "eu te amo". - Era Lizzie. - Disse enquanto guardava o telefone no bolso e conferiu a maquina de lavar.
   - O que você está lavando? - Demi franziu o cenho. Era praticamente impossível Joe ir à lavanderia.. Ou melhor.. Eles iam quando precisavam "fugir" de Dan e Lizzie e de suas confusões, na lavanderia ninguém iria interrompê-los...
   - São os meus uniformes de jogar bola. - Joe enterrou as mãos nos bolsos da calça e sorriu timidamente para Demi.
   - Você vai jogar hoje? - A semana passara como um piscar de olhos e já era sexta-feira, o dia que Joe jogava futebol e também o inicio do final de semana com a família.
   - Hoje é sexta. - Joe aproximou-se da esposa preenchendo toda a distância antes existente. - Eu adoraria que você se juntasse a nós. - Demi assentiu rindo. Ela em campo era uma completa tragédia e motivos para riso. Aliás, não era porque não sabia jogar, mas sim porque sempre acabava levando os mais estranhos tropeções e sempre que fazia um gol no meio de tantos marmanjos as comemorações com dancinhas eram sempre hilárias.
   - Oh não, sem zoações. - Envolvendo os braços ao pescoço dele, Demi o beijou nos lábios. - Está tudo pronto? - Perguntou o olhando.
   - Nossas coisas já estão no carro. - Roubou um selinho. - Nick levou os nossos bebês. - Demi fez biquinho, mas Joe logo o desfez.
   - Nós podemos ir? Eu tenho que ligar para Beth. - Joe riu da careta de Demi. A maior preocupação era Miley.. - Você sabe amor, Miley só vive falando besteiras e vai que.. - Assentindo, Joe desfez o abraço e a puxou pela mão.
   - Miley não falará nenhuma besteira, bebê. - Disse enquanto caminhavam pelo corredor. - Eu só estou preocupado com o tempo, pode chover a qualquer hora. - Demi revirou os olhos ao ver aquele tanto de filhote.. A casa estaria revirada quando voltassem no domingo. - E enquanto a isto.. bem, precisamos de uma empregada. - Joe tinha as chaves do carro em mãos e coçava os cabelos da nuca com esta observando Demi fuzilar os pobres e indefesos cães com os olhos.
   - Empregada.. Não. - Disse colocando o filhotinho branco que estava no sofá na cesta. - Olha aqui rapazinho, é melhor você cuidar dos seus bebês. - Advertiu Buffy, que choramingou ao levar a bronca. - Max está responsável por alimentá-los, mas se esta casa estiver revirada quando nós voltarmos, nós vamos ter uma conversinha. - Conteu-se para não gargalhar Joseph. Querendo ou não, e participando ou não, a casa estaria revirada quando eles voltassem e Buffy estaria muito encrencado.
   - Vamos bebê. - Puxando-a pela mão, Joe finalmente conseguiu quebrar aquela estranha conexão de olhares entre Buffy e Demi. - Não se preocupe, vou pedir um dos homens para limpar a sujeira deles. - Depois de trancar a porta de casa, Joe abriu a porta do carro para a esposa e a mesma adentrou o carro.
   - Eu os adoro, mas não consigo combater toda a sujeira deles sozinha. - Joe assentiu enquanto adentrava o carro. - É praticamente impossível. - Murmurou enquanto punha o cinto.
   - Nós precisamos de uma emprega Demetria. - Disse assim que ligou o carro.
   - Sem chance. - Demi o observou enquanto ele guiava o carro para fora da garagem. - Nós não podemos ter uma empregada por vários motivos. - Joe assentiu para que ela continuasse. Ele queria entendê-la e o motivo para que não pudessem ter uma empregada doméstica. - Uma mulher de idade não daria conta, uma mocinha tem que estudar. E bem, se você não se lembra, Daniel adora admirar as empregadas e agarrá-las. - Joe gargalhou tombando a cabeça para trás.
   - É completamente normal um homem querer agarrar uma mulher. - Disse ainda rindo. - Dan é um adolescente e é normal ele se sentir atraído pela mulherada. - Para Demi, Daniel ainda era o seu bebezinho e não um adolescente "atraído pela mulherada".
   - Não quero saber das aventuras de Daniel, mas naquela casa não terá empregadas. - Joe preferiu não discutir, era ela quem dava a palavra final.. - Nós somos quatro ao total. Não é possível que não conseguimos limpar a nossa própria bagunça. - A ideia de Dan com uma mulher a deixava louca de ciúme. Por Deus! Daniel era um garoto, o garotinho dela de quase dezessete anos, mas ainda sim o seu pequeno menino sorridente.
   - E quando você estiver em turnê? Não dou conta do trabalho e da bagunça de casa sozinho. - Demi observou os primeiros pingos de chuva no para-brisa e lembrou-se de quando estava longe de casa. Era insuportável estar sozinha mundo a fora. Eram tantos lugares, tantas pessoas diferentes.. E sempre pela madrugada, quando começava a chover e ela estava dentro de um ônibus no meio da estrada de uma cidade que ela mal conhecia, as lágrimas escorriam pelo rosto ao lembrar-se dos filhos e de Joe. A vida de celebridade, musicista, jurada e atriz até poderia trazer coisas boas, mas a deixava longe de quem ela mais amava.
   - Vamos mudar de assunto. - Assim que ligou o rádio, Civil War, dos Guns, encheu seus ouvidos e Demi relaxou no banco do carro afastando as más lembranças.
   - Está tudo bem? - Joe diminuiu a velocidade do carro e o guiou para o acostamento.
   - Está. - A chuva já caía com toda a força de uma tempestade e Demi encolheu-se no banco assustada com a mudança repentina do tempo.
   - Daqui a quarenta minutos nós chegamos. - Praticamente em todos os finais de semana a família se reunia na casa de praia dos pais de Demi ali mesmo em Los Angeles, e como Demi voltara de turnê completara uma semana, todos estavam animados para revê-la. - Abaixe o banco, pegue o travesseiro e a manta, você pode dormir enquanto dirijo. - Finalmente parando o carro no acostamento, Joe deu um jeito de alcançar o banco de trás para buscar o travesseiro e a manta para Demi, já que a mesma estava encolhida demais para fazê-lo. - Droga. - Sem querer o tênis tocou o aparelho de som do carro trocando a música, Joe bateu a cabeça no teto do carro e logo escorregou para o banco do motorista choramingando.
   - Machucou? - Joe deparou-se com olhos amarronzados da esposa perto dos seus, mas a luz cintilante do interior do carro fazia os olhos de Demi parecerem negros, os lábios maravilhosamente mais avermelhados e os cabelos mais loiros. Joe tentou puxá-la para o colo enquanto a beijava, mas Demi não permitiu. - Não, você não machucou. - Demi balançou a cabeça em negação quando ele tentou puxá-la para o colo novamente.
   - Vamos princesa, está tocando crazy, está chovendo e estamos na estrada sozinhos. - Deslizando os dedos pelas bochechas dela, Joe tentava seduzi-la ao som de Crazy do aerosmith..
   - Maluco. - Demi finalmente cedeu aos encantos dele. Com uma habilidade desconhecida por ela mesma, Demi surpreendeu-se ao perceber que já estava montada sobre ele. As costas encontravam o volante, ela tinha o corpo dele entre as pernas e as mãos estavam nos ombros dele. Demi só não acreditava que iriam fazer aquilo bem ali... - Joseph, espere. - Sussurrou entre o beijo voraz. O celular tocara, trazendo-a para a realidade. - Amor, só um minuto. - Disse o enchendo de selinhos.
   - Hum.. Vermelho. - Demi riu enquanto pegava a bolsa, Joe já tratara de livrar-se da jaqueta de couro preta e desabotoou a blusa de botões branca que ela vestia. - Por Deus, Dem.. - Antes que ele pudesse dizer algo impróprio ou até mesmo abocanhar um de seus seios, Demi levou o dedo indicador até os lábios dele e livrou-se das mãos dele no sutiã vermelho.
   - Estamos a caminho. - Disse ao telefone, era Danielle. - Não estou entendendo, a ligação está ruim. - Demi arregalou os olhos quando Joe desabotoou a calça jeans que ela vestia e tentara abaixá-la. - Dani? - Murmurou no telefone, mas a ligação cairá.
   - Está chovendo bebê, e o sinal aqui é horrível. - Demi jogou o Iphone no banco do passageiro. E antes de voltar aos amassos, olhou para trás e tudo que viu fora os pingos de chuva colidindo contra o para-brisa e a água escorrendo freneticamente junto com o vai e vem do limpador de para-brisa.
   - Eu sei. - Sussurrou. Além do espaço limitado junto com Joe no banco do motorista, Demi tentava não bater a cabeça no teto do carro. Joe a beijou trazendo-a de volta ao clima do amasso. Demi apenas deixou-se guiar enquanto ele a segurava pela cintura e a beijava na boca. Acariciando-o rapidamente no rosto, Demi desceu as mãos pelas laterais do pescoço logo desarrumando a gola da camisa gola polo cor-de-rosa. Espalmou o peito com as mãos e buscou um pouco de ar entre o beijo selvagem, descendo-as mais um pouco Demi finalmente encontrou o cós da calça que ele vestia e o traçou.. Ele estava pronto. O gemido escapou pelos lábios de Joe assim que Demi desceu o zíper da calça e o acariciou ainda envolvido no algodão da box preta. Erguendo-se para ajudá-la a livrar-se da calça, Joe arregalou os olhos assustado.
   - Aí.. - Choramingou e Demi franziu o cenho.
   - O que foi? - Perguntou afastando-se para olhá-lo. - Amor, calma. - Agora ela entendia porque ele estava pálido. - Calma, calma. - Sussurrou o beijando no rosto. Joe estava paralisado.. O zíper.. As bolas.. Ai meu Deus!
   - Demi.. - Choramingou desesperado. - Está doendo. - Os olhos dele estavam arregalados, a boca pálida assim como a face.
   - Mantenha calma, nós vamos resolver isto. - Completamente sem jeito, Demi moveu-se para o banco do passageiro enquanto tentava colocar as peças de roupa no devido lugar. - Joseph! Para com isso, nós vamos dar um jeito. - Homens! Eles pensam ser o significado de bravura, mas é só alguém ou alguma coisa os tocar com força entre as pernas que eles viram bebês chorões e indefesos.
   - Aí! - Demi arregalou os olhos. Deveria doer muito ou era drama..
   - No três eu vou descer o zíper, respira fundo. - Joe arregalou os olhos e o envolveu com as mãos.
   - Não, vai doer. - Choramingou fitando a esposa.
   - Vamos, esse menino aguenta. - Demi afastou as mãos dele com cuidado sobre o olhar amedrontado de Joe. - Um.. - Joe respirou fundo. - No três! - Traiçoeira! Ela desceu o zíper "no três" e Joe quase infartou de susto.
   - Demi, Demi, Dem.. - Joe choramingava puxando-a para o colo.
   - Joseph, já passou. - Demi o beijou no rosto e o abraçou. - Você não toma jeito. - Acertando-o com um senhor tapa no dedo, Demi praticamente pulou para o banco do passageiro. Em um minuto Joe tinha as bolas ferradas no zíper da calça e no minuto seguinte tentava acariciá-la...
   - Obrigado. - Agora Joe estava vermelho de vergonha.. Dera-se conta do drama desnecessário que fizera.
   - Ei, está tudo bem. - Demi curvou-se e o beijou na bochecha. - É melhor nós irmos, está chovendo e escuro. - Joe assentiu. Anoitecera rápido demais..
   - Sim, eu acho que estamos quase chegando. - Joe verificou o GPS e assentiu, em questão de poucos minutos chegariam a casa de praia. - Não tem graça. - Disse ao ver Demetria morder o lábio inferior para não rir enquanto ele dava partida no carro.
   - Tem sim. - Demi enterrou a cabeça no travesseiro para não gargalhar escandalosamente.
   - Chata. - Joe franziu o cenho ao escutar a gargalhada abafada de Demi. Mas de qualquer forma ele fizera um vexame por pouca coisa...
Com tamanha certeza Joe jamais tentaria fazer amor no carro novamente.. Estava traumatizado por conta de um maldito zíper e das gargalhadas de Demetria por todo o caminho. Céus! Tinha vontade de aquietá-la com uma palmada naquele traseiro enorme. Demi não parava de rir, chegara chorar deixando-o completamente irritado e nervoso. Em uma semana ele tinha levado uma panelada na cabeça e tivera as bolas presas ao zíper da calça, e tudo que Demi fazia era rir.
   - Você pode, por favor, parar? - Disse completamente irritado estacionando o carro bruscamente.
   - Joe, amor, desculpa. - Demi curvou-se para beijá-lo, mas acabou gargalhando com o rosto enterrado no pescoço dele.
   - Irritante. - Joe recebeu um selinho nos lábios quando ela finalmente parou de rir.
   - Não fica bravo. - Sussurrou entre os tantos selinhos que distribuía pelo rosto dele. - Eu te amo, e nós podemos fazer o que você quiser na cama. Não fica bravo. - Sussurrou espalmando o peito dele.
   - Promete? - Demi sorriu timidamente e selou os lábios aos dele.
   - Prometo. - Demi o beijou mais uma vez antes de sair do carro. A garagem tinha pelo menos cinco automóveis contando com os dele. A casa, lê-se mansão, era fantástica. Demi presenteara os pais assim que eles completaram trinta e oito anos de casados. A maioria das luzes do térreo estava acesa, Demi já podia ouvir as gargalhadas de Miley e Anne ainda do hall da casa. Seria o final de semana maravilhoso.
   - Encontre-me amanhã cedinho na praia. - Demi imprensou Joe contra a parede e o mesmo cerrou os olhos ao fitá-los.
   - Calado. - Sussurrou para que não os escutasse.
   - Na praia? - Elizabeth não desgrudava os olhos dos olhos azuis do rapaz. Joe analisou o sujeito de cima a baixo. Ele iria arrebentá-lo! O rapaz era pelo menos trinta centímetros mais alto que Lizzie, tinha a pele bronzeada típica dos surfistas da Califórnia, os cabelos loiros cortados como os de Daniel, e olhos azuis que deixavam as mulheres loucas.
   - Sim princesa, amanhã vou te raptar e nós vamos conhecer toda a região. - Joe estava boquiaberto. Pensara, como Lizzie poderia ser tão boba? Ela até riu.
   - Filho dum.. - Antes mesmo que o rapaz selasse os lábios aos de Lizzie, Demi empurrou Joe com toda a força contra a "parede", entretanto, assustou-se Demetria com tantos olhares.
   - Vocês são estranhos. - Disse Anne. Joe estava deitado no chão, e bem.. Demi estava de quatro sobre ele.
   - Demetria! - Joe tentou soltar-se, mas Demi o impediu. - Eu vou matá-lo! - Grunhiu erguendo-se com Demi nos braços. Ele estava terrivelmente furioso! Furioso!

Continua... É hoje que a Lizzie apanha de vara de goiaba, kkkkkk Brinks.. E essa entrada triunfal Jemi? Preparem-se para fortes e loucas emoções.. haha Beijos e obrigado pelos comentários!

10 comentários:

  1. Como vc para ae. Ta afim de ter o atestado de obito assinado ?
    Por favor vc necessitav fazer uma maratona ! Pra ontem ! Amei amei amei !

    POSTA LOGO !!!!

    ResponderExcluir
  2. sjshsdhhjhsjsjsjsjzj as bola do José ficaran presa no ziper jsjshsjshsjzjshs mds jsjdjsjsjsj que dor jdjsjsjsjs eu n consigo parar de rir jsjdjdjd mds jshsjs
    Eit porra é agora que o bixo fica feio pro lado da Lizzie, tenho até pena se fsse ela eu fugia e.e
    kkkkkk a parte das bolas foi ilárias kkk
    posta mais amandaaa <3

    ResponderExcluir
  3. aaaaaaaaaaaaaaaaaaaah amei,joe com o bigulin preso kkkkkkk,lizzie aprontando,joe com ciume da filha,que fofo hahahaha

    ResponderExcluir
  4. Kkk o acidente do joe la no carro kk foi muito engraçado... kkk
    To adorando tudooo
    Posta loggoooo
    Beijos...

    ResponderExcluir
  5. Kkkkkkkkk Scooorr kkkkkkkk mdss eu to #morta
    o Joe prender as bolas kkkkkk no ziper ai caralho eu to imaginando a cena vei hilarious e nao teve graca kkkkk mentira kkkk mais eu aqui esperando um hot e acontece isso, Joseph acabando com a minha alegria porra
    OMG Lizzie ta com peguete o Joe ja quer matar o garoto sem nem saber se o garoto e gay ou nao
    Eu ameei cara, principalmente essa cena kkkkkk ta perfeito ♥♥
    Posta Logo
    Xoxo

    ResponderExcluir
  6. Iiiiiih véi... Joe vai querer matar o guri ali... pai curuja dá nisso.
    MORRI de rir com o Joe e suas bolas presas kkkkkkkkkkkkkk e a Anne.. ela é uma fofa. falou apenas uma frase. mas falou bonito!

    ResponderExcluir
  7. To imaginado a cena, cara Kkkkkkkkkkk nossa que vergonha, o Joseph vai fazer a Lizzie pagar o maior mico

    ResponderExcluir
  8. como voce para ai menna esse capitulo foi mara kkkkk aiai jemi sao uma comedia kkkkkk e lize so dando uns bjinhos.....aiai to louca pelo proximo cpt posssssssta logo bjs

    ResponderExcluir
  9. posta logoooooo kkkkk muito engracado o joe com as bolas presas q pecado fazer isso com aquela beldade kkkk beijis mel*-*

    ResponderExcluir