31.7.14

Capítulo 4

O peito subia e descia mostrando o quão ofegante estavam. Demi ainda tinha os olhos fechados e os lábios entreabertos. Por Deus! Ela mal conseguia mover um músculo sequer, estava cansada e sentia-se como uma gelatina. Já Joseph, bem, Joe não conseguiu conter um sorriso. Ainda ofegando e fazendo um pequeno esforço ele conseguiu alcançar os lábios levemente inchados de Demi e os selar com os dele.
   - Meu Deus. - Demi sorriu ao abrir os olhos e fitar o teto. O arrepio percorreu todo o corpo e ela gemeu aflita. Tinha sido loucura o que eles tinham feito. Uma loucura extremamente prazerosa que tinha ultrapassado todo o limite do seu ser. - Ai meu Deus. - Disse agora rindo. Céus! Por mais cansada que ela estivesse, Demi sentia-se como não se sentia há meses. Estava tão feliz e completa.
   - O que foi? - Sorriu ao escutar o som da risada contagiante da amada. - Hum. - Joe ergueu-se para olhá-la, mordeu o lábio inferior ao vê-la nua e deslizou as mãos pelo corpo de Demi as repousando na cintura.
   - Eu estou tão feliz que estamos juntos. - Demi sorriu timidamente e levou a mão esquerda ao rosto de Joe para acariciá-lo. - Há quanto tempo nós não fazemos amor como fizemos hoje? - O sorriso de menino aqueceu-lhe o coração.
   - Eu confesso que estava cansado de rapidinhas no seu camarim. - Demi assentiu rindo. Quando se está em turnê o tempo é limitado, ainda mais quando a turnê é mundial e a pressão e expectativa de todos em uma pessoa, no caso ela, é grande demais.
   - Agora nós podemos aproveitar o nosso tempo juntos. - Demi o convidou para um beijo lento e intenso, que, quando fora para ser partido ela sussurrou que o amava ainda nos lábios do mesmo.
   - Eu também. - Não tinha coisa melhor do que amar e ser amada. O sentimento era tão inigualável que só aqueles que amavam de todo o coração sabia como era. O amor era tão grande e único que às vezes Demi pensara que poderia morrer de amor.
   - Me abraça? - Pediu com um sorriso atravessado nos lábios. Analisando-a com carinho e divertimento nos olhos Joe a abraçou por trás e sorriu ao sentir o pequeno, delicado e nu corpo da sua mulher roçar o seu. - Está cansado? - Sussurrou enquanto fingia desenhar cada pedaço da tatuagem do braço de Joe.
   - Não. E você? - Joe deitou a cabeça no ombro de Demi fitando os dedos dela deslizarem por sua pele tatuada.
   - Só um pouquinho. - As pálpebras fecharam-se automaticamente e Demi bocejou. - Nós temos que dormir. - Murmurou. Abrindo os olhos novamente, Demi os arregalou levemente ao fitar o relógio de LED. - Droga, são quatro da manhã Joe. - Choramingou. Daqui a duas horas ambos teriam que estar de pé para levar as crianças na escola e resolver o problema de Daniel. O sábado tinha sido estranhamente.. bom com direito a uma bela lasanha no almoço e eles assistiram filmes pelo resto do dia. Demi ainda não tinha conversado com o garoto sobre o que tinha ouvido as escondidas porque tinha prometido para Joe que não iria o fazer. Já no domingo o dia tinha sido muito "agitado"... Dan e Lizzie passaram o dia na casa de Denise, e bem.. Assim que os garotos saíram de casa pela manhã a maratona de sexo começou e teve um breve intervalo apenas para que pudessem repor as energias e buscar as crianças no fim da tarde. Então o dia seguiu entre cochilos e orgasmos até as quatro da manhã.
  - A culpa não é minha. - Demi revirou os olhos e logo os fechou. Joe desligou o abajur e voltou a abraçá-la. - Dorme bebê. - Demi virou-se para dar um leve selinho nos lábios dele e assim que ela voltou para a posição de origem o corpo relaxou e a maravilhosa sensação de adormecer a invadiu e ela finalmente dormiu.
A respiração quente de Joe batia atrás de sua orelha. Ia e vinha, quente e calma. Demi murmurou alguma coisa indecifrável e fechou os olhos novamente. Estava bem aquecida por conta de Joe, estava dormindo tranquilamente em sua cama macia e estava quase babando de felicidade no travesseiro. Mas porque tinha uma coisa quente e muito dura contra o traseiro? Por que ela tinha a sensação de estar sendo esmagada contra o colchão?
   - Joseph? - Murmurou. - Ah não Joe.  - Choramingou ao perceber que ele estava quase deitado por cima do seu corpo. - Joe? - Demi tentou ergue-se sem sucesso. Joe tinha uma perna entre as dela, a barraca armada contra seu traseiro, o peito colado as costas, os braços sobre os dela com as mãos perto da cabeça da mesma e a cabeça estava entre a curvinha do pescoço e o ombro. Céus! A barba dele fazia cócegas! - Joseph! - Demi tentou o empurrar e choramingou ao perceber que era impossível mover um monte de músculos. - Joe? Amor. - Choramingou afundando a cabeça no travesseiro. - Joseph, por favor, Joe! - Disse mais alto e Joe apenas murmurou um "Hum". - Não deite em cima de mim, eu sou apenas uma pobre mulher. - Choramingou tentando o empurrar.
   - O que foi? - Sussurrou ainda em sono.
   - Graças a Deus. Deita no outro lado. - Pediu pacientemente com a voz firme para despertá-lo. - Vai amor, deita. - Como um menino obediente Joe deitou-se ao lado dela e a puxou para o peito.
   - Demi, vá dormir. Quero que você esteja disposta amanhã. Nós vamos transar o dia inteirinho. - Demi revirou os olhos e aninhou-se ao peito dele. Era a única alternativa que lhe restara já que Joe tinha envolvido o corpo dela com os braços prendendo-a.
Bip! Bip! Bip! Bip! Bip! Bip dos infernos! Demi mal tinha entrado no segundo sono e o despertador tocara. Diabos!
   - Não senhor! - Disse em alto e bom som. Quando fora desligar o despertador dos infernos Joe a abraçou por trás. - É melhor você tirar esse pau da minha bunda Joseph! - Joe arregalou os olhos mesmo estando sonolento.
   - Foi sem querer. - Sussurrou corado e tímido. - Está na hora de levantar? - Joe ainda estava em estado de alerta.. Alguém estava uma fera e ele preferia não arriscar a vida.
   - Está. - A vontade de abraçá-la infelizmente era menor que o medo que ele sentia de ela o atacar. Demi parecia tão sonolenta e cansada que ele tinha vontade de aninhá-la no peito para que ela pudesse dormir tranquilamente segura em seus braços.
   - Bom dia Dem. - Joe surpreendeu-se quando ela o abraçou e o beijou na bochecha.
   - Bom dia. - Demi forçou um sorriu ainda com sono e o olhou. - Se você dormir em cima de mim eu juro que vou te bater. - Então ela sorriu de novo e o beijou no canto da boca.
   - Certo. - Joe riu fraco e espreguiçou-se. - Banho, café da manhã, escola, trabalho e? - Perguntou enquanto se levantava.
   - Eu pretendo dormir o dia inteiro. - Demi correu na frente dele e entrou no banheiro. - Eu preciso fazer xixi. - Sussurrou encostando a porta para que ele ainda não entrasse.
   - Pronto? - Perguntou segurando-se para não gargalhar e Demi murmurou um não. - Pronto? - Perguntou novamente e adentrou o banheiro quando ela murmurou "Aham".
   - Oi. - Disse enquanto lavava as mãos e Joe riu ao vê-la vermelha. - Idiota. - Murmurou colocando creme dental na escova de dente.
   - Porque você está corada? - Perguntou enquanto pegava a escova de dente. - Alternativa a: porque está nua? Alternativa b: porque eu sei que você estava fazendo xixi? Alternativa c: porque eu sou tão lindo que você fica corada? Ou alternativa d: Todas as alternativas anteriores. - Demi revirou os olhos e o xingou com a boca cheia de espuma.
   - Alternativa e: você é um idiota. - Disse exasperadamente atirando espuma de creme dental nos quatro pontos cardeais.
   - Bebê, seu bumbum é maravilhoso. - Disse olhando descaradamente para o traseiro de Demi. - Oh yeah! - Demi arregalou os olhos ao sentir os dedos dele estalar contra o traseiro.
   - Nós vamos nos atrasar e a culpa vai ser sua. - Demi guardou a escova de dente e assim que virou-se para caminhar para a ducha o acertou com um tapa no traseiro que o fez pular. - Gostoso. - Piscou para ele já debaixo da ducha. A água morna caía por todo o corpo levando consigo todo o cansaço. Tomar banho era uma das sete maravilhas do mundo.
   - Vou implorar para que Sara me dê alguns meses de férias. - Sussurrou para si mesmo enquanto adentrava o box. Os olhos estavam fechados e a espumava corria pelo corpo cheio de curvas.
   - Ei, você está aí. - Demi sorriu assim que abriu os olhos e o viu. - Vem cá. - Quando Joe deu mais um passo para frente Demi o beijou com ardor. As costas chocaram-se contra a parede revertida por cerâmica gelada e Demi gemeu nos lábios dele. - É apenas banho. - Os lábios dele cobriram a boca de Demi por diversas vezes enquanto a água morna caía sobre eles. E quando Demi percebeu que ele já estava ficando animadinho, ela resolveu cessar os beijos e banhar-se e banhá-lo.
(...)
   - Uau. Você tem talento. - Demi sorriu ao ver o resultado no espelho. - Bom trabalho querido. - Joe repousou o secador e a escova na penteadeira e curvou-se para beijar os lábios dela.
   - O que eu não faço por você? - Joe adentrou os dedos aos fios loiros de cabelo e os jogou para trás. - Está linda princesa. - Demi corou com o elogio e beijou-lhe o peito.
   - Pensei que você fosse trabalhar. - Disse enquanto ajeitava a roupa no espelho. Louboutin lady peed preto de sola vermelha, confere. Terninho preto confere. Maquiagem confere. E cabelo confere.
   - Não gosto da sua saia. - Disse de cara feia. - É muito curta e colada demais. - Oh sim.. A saia de Demi batia um pouco acima da metade das coxas.. Céus.. O bumbum..
   - Interessante. - Demi ajeitou o blazer e logo passou as mãos nos cabelos. - Está pronto? - Perguntou ajeitando a bolsa no antebraço.
   - Estou. - Joe pegou a pasta e emburrado a seguiu para fora do quarto. - Você ouviu o que eu disse sobre a sua saia? - Disse enquanto desciam as escadas. Rebola para direita.. Rebola para a esquerda. Maldita Demetria!
   - Amor, escuta bem o que eu vou dizer. - Demi virou-se ainda na metade da escada para olhá-lo. - Eu gosto da minha saia e vou usá-la independente de ser curta e colada demais. - Joe revirou os olhos quando Demi virou as costas e terminou de descer as escadas.
   - Eu gosto do seu traseiro, você é a minha menina e se algum cara resolver flertar com essa maravilha de bumbum, eu vou socá-lo. - Homens e suas infantilidades.
   - Qual a parte de "nós somos casados e eu te amo" que você não entendeu? - Disse adentrando a cozinha. - Bom dia crianças. - Demi esboçou um belo sorriso amoroso e acolhedor, e sentou-se a mesa entre Lizzie e Dan.
   - Qual a parte de "eu não quero que outro homem te olhe" que você não entendeu? - Joe sentou-se de frente a Demi.
   - DR. - Daniel revirou os olhos junto com Lizzie.
   - Lizzie, minha saia é curta? - Demi perguntou para a menina, mas ainda fuzilava Joe com os olhos.
   - Levante-se. - O barulho desgastante da cadeira arrastando-se pela cerâmica só faltou trincar os dentes. - É uma saia muito bacana. - Lizzie ajeitou o tecido no corpo da mãe e assentiu. - Nós podemos comprar uma para mim? É tão linda. - Demi jogou a cabeça para trás e gargalhou ao ver o marido boquiaberto.
   - Lizzie. - Choramingou Joe fitando os olhos cor de mel da menina. - Meu amor, você é o bebê do papai, não quero que você use esse micro pedaço de pano que a sua mãe chama de roupa. - Joe censurou Demi com o olhar e ela só não ergueu o dedo do meio porque estavam com os filhos. - Que falta de vergonha Demetria. - Joe balançou a cabeça negativamente e logo mordeu um pedaço de melão.
   - Nós podemos ir? Enquanto vocês discutem a hora passa e eu e Lizzie temos aula. - Demi levou o guardanapo aos lábios para limpá-los.
   - Estou esperando no carro. - Demi pegou as chaves do carro na bolsa e levantou-se. - Joseph! Qual o seu problema? - Disse assim que ele a imprensou contra a parede da sala.
   - Você. - Joe engoliu o pedaço do misto e Demi cerrou os olhos. - Vai tirar essa saia. - Disse a olhando nos olhos e Demi apenas o empurrou e seguiu caminho.
   - Eu vou pedir para Denise te dar umas boas palmadas. - Sussurrou quando ele a abraçou por trás. Os lábios dele colaram ao pescoço dela enquanto os braços do mesmo envolviam o corpo feminino. - Deixa de ser infantil, nós vamos nos atrasar. - Virou-se e cobriu a boca dele com a dela o sujando de batom vermelho. Sim, Joe era um homem engravatado vestido em seu terno preto caro com os lábios avermelhados.
   - Ah não! - Daniel revirou os olhos ao vê-los. O pai tinha as mãos no traseiro da mãe e a beijava ferozmente.
   - Vocês! - Elizabeth os chamou. - Estamos atrasados! Atrasados! E não queremos outro bebê. - Espalmando a mão no peito dele, Demi o empurrou, olhou rapidamente ofegante e corada para os filhos e correu para o carro.
   - Vamos, carro crianças.
(...)
   - Letra D.. Novembro.. Daniel Henri Jonas. - Demi revirou os olhos pela milésima vez desde que estivera na sala da senhora Truscott. A sala era ampla e bem organizada. Branco gelo nas paredes com detalhes azuis no gesso como detalhes. Os moveis eram brancos e impecáveis. A mesa da senhora Truscott era imensa e de vidro, e logo atrás dela a vista paranômica de Los Angeles da janela era magnifica. - Assinem aqui. - Truscott ajeitou os óculos meia lua e encarou Daniel sentado ao lado da mãe.
   - Dan não tem problemas com notas. - Disse Demi franzindo o cenho antes de assinar a papelada. - Elas estão perfeitas. - Demi encarou a fileira de "A" e "B" e sorriu orgulhosa.
   - Mas o comportamento está F. - Joe assinou a papelada e estremeceu ao entregá-la. Aquela mulher deveria ser uma bruxa. - Nós temos regras Sra. Jonas, regras que devem ser seguidas e respeitadas. - Demi enlaçou os dedos aos do garoto e franziu o cenho. A mão de Daniel estava suada e gelada. - É proibido o uso de qualquer acessório como bonés, gorros, toucas, chapéus e outros. E também não permitimos qualquer instrumento musical na nossa instituição de ensino. Nosso objetivo é preparar os nossos alunos para a vida Sr. e Sra. Jonas. - Demi levou a mão ao queixo, a boca em uma linha e então ela cerrou os olhos.
   - Desculpe-me Truscott, mas há vários alunos por essa escola com bonés, toucas e toda essa merda. - Joe tombou a cabeça para trás e Daniel tentou não rir ao ver a cara da sra. Truscott. - Eu mesma vi com os meus próprios olhos um grupo de garotos carregando seus violões nas costas agora pouco. Eu só não entendo o porquê dessa palhaçada toda. Meu filho tem boas notas e não há reclamação dos professores, intrigante.. - Demi perdera totalmente a paciência. Aquela mulher por acaso pensara que ela era idiota? Nenhuma palavra corrupta fazia sentido.
   - Há regras... - Demi arqueou as sobrancelhas ao fitar a mulher tremer as mãos. - Perdão. - Uma moça serviu a pobre senhora com um pouco de água. - Por favor, vamos conversar civilizadamente. - Disse recompondo-se.
   - Bem, eu e Joseph temos compromisso. - Demi cruzou as pernas e a encarou com certo tédio. - Vou ser breve. - Disse enlaçando os dedos aos próprios. - Daniel não é esse rebelde que a senhora diz ser. Há alunos desta escola, que.. Como posso dizer.. São desagradáveis e preconceituosos com o meu menino. Daniel é um jovem como qualquer outro, ele foi criado e educado para ser um homem. Não um moleque cheio de propostas indecentes e maliciosas. Estamos resolvidas? - Sem saída, a diretora engoliu seco e assentiu relutante. - Ótimo. - Demi levantou-se numa pose perfeita e entrelaçou o braço ao de Joe assim que o mesmo levantou-se. - E reveja a organização das suas regras e dos modos dos seus alunos. - Sorrindo educadamente Demi virou-se e saiu da sala assim que Dan abriu a porta.
   - Mãe! Uau. - Daniel riu e a abraçou de lado. Uns olhavam admirados e outros cerravam os olhos transbordando de ódio e inveja. - Ei, vem cá. - Dan a envolveu com os braços num abraço apertado. - Obrigado por me defender. - Sussurrou.
   - É o meu dever. - Demi o beijou na testa e sorriu ao fitar os olhos verdes do filho. - Está na hora da sua aula bebê. - E mais uma vez o flashback do primeiro dia de aula de Daniel passou como um filme em sua cabeça.
   - Eu amo vocês. - Dan sussurrou para os pais antes de caminhar pelo corredor para ir para sala.
   - A velha é uma bruxa. - Joe sussurrou enquanto caminhavam abraçados de lado para o estacionamento da escola.
   - Eu sei. - Demi riu fraco e o olhou. - Você tem mesmo que ir trabalhar? - Disse assim que Joe abriu a porta do carro para ela.
   - Tenho. - Joe repousou a mão no joelho de Demi. - Tenho que cumprir meu horário, caso contrário adeus férias. - Oferecendo um sorriso de "eu sinto muito" Joe desceu mais a mão para a coxa nua de Demi.
   - É melhor você tirar essa mão mal-intencionada da minha coxa. - Repreendeu-o com o olhar. Era só escorregar mais um pouquinho.. Distraí-la com um beijo rápido nos lábios.. Chamá-la com a voz rouca e ele já estava com a mão dentro da calcinha rendada.
   - Eu e a minha pobre mãozinha não somos mal-intencionados. - Joe ofereceu um sorriso malicioso para Demi e escorregou a mão mais um pouquinho. - É isso o que dá usar roupas curtas. - Demi cerrou os olhos irritada. Aquele assunto sempre era motivo de briga. Ora, era ela quem decidia o que vestir e o que não vestir, não o marido que era ciumento e se desse brecha iria controlá-la.
   - Eu estou oficialmente em greve de sexo! - O carro morreu e Joe arregalou os olhos. - E liga essa porra, eu não estou disposta a ouvir uma orquestra de buzinas e palavrões! - Engolindo seco Joe ligou o carro. Ele estava bastante mal para quem teve uma maratona histórica de sexo no final de semana.

Continua... AAh! Demi sambando até no Joe... Ainda tem coisa pela frente.. muita coisa.. Bem, depois de ser ameaçada de morte e várias outras coisas eu decide, por minha vida, continuar com a fanfic :p Vamos ver no que dá. Obrigado pelos comentários, obrigado mesmo! Beijos.
ps. Sexo a...? O.O Gente, eu não consigo escrever isso não.. É tão O.O e nojento ><


10 comentários:

  1. estou innn love, ohdsioahdioa ta perfeito amei amei amei

    ResponderExcluir
  2. É nojento mais em fic fica tão legal, sério..... vc ja tem quantos capítulos prontos? Poderia fazer uma maratona ne hahahaha

    ResponderExcluir
  3. Concordo com a Jemi Fics, maratona !
    Simplesmete AMEI ! Que capitulo ! Pode postar mais, to esperando !

    ResponderExcluir
  4. Ta doido esses dois kkkkkkk
    Demi você é tão diva que até sambou na cara da quela bruxa mal comida, essa é a minha garota u.u
    Que bom ver isso que você não vai parar de postar *-* sua fic é D+ !
    Bjux amandinha linda <3

    ResponderExcluir
  5. Kk simplesmente perfeitooo
    Arrasou u.u kkk demi u.u
    Posta logooo su diva linda
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Capítulo perfeitooooo !! Amei a Demi botando a diretora bruxa no seu devido lugar.

    ResponderExcluir
  7. Awn esse capitulo ficou tão fofo, tão perfeito!!!!! eu amei/amo esses momentos jemi <3
    quero bater nessa diretora mal comida, ainda bem que a Demi deu logo uma surra com as palavras nela, mas ela merecia uns tapas na cara... aposto que os meninos da escola devem ter ficado tudo com inveja de Dan por ter uma mãe tão gostosa como Demi e claro as meninas devem ter inveja da Lizzie por ela ter um pai gostoso que nem Joe hahaha
    Posta logo, Beijooos <3

    ResponderExcluir
  8. Ai que bom que vc resolveu continuar <3
    eu ia te matar se não continuasse rsrs
    Foi tão fofo esse capitulo <3
    Posta logo
    Ps: não entendi a ultima coisa que vc escreveu nas notas finais '-'

    ResponderExcluir
  9. Tem como você divulgar meu blog por favor? http://historiaslove.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir