26.7.14

Capítulo 3 - Parte 1 / 2

A luz do sol adentrava as pequenas brechas das persianas longas da janela do quarto e da porta de vidro que dava acesso à varanda. O quarto iluminou-se num tom dourado tão impecável e ao mesmo tempo romântico. Remexendo-se na cama, Joe tateou-a procurando Demi para abraçá-la. Ou a noite passada tinha sido apenas um sonho? Analisando pelo fato dele estar completamente suado e ofegando por conta do sonho que tivera com Demi.. Ah não! Já tinha acontecido uma vez.. Será? Demi não estava na cama, e provavelmente não estaria no banheiro e no closet julgando pelo silêncio.. Respirando fundo, Joseph levou as mãos aos cabelos os penteando para trás. Não, não tinha sido um sonho.. Ele ainda podia sentir o corpo dela roçando o dele, as caricias, os beijos.. Depois de segundos relembrando cada detalhe sem hesitar em sorrir, Joe caminhou preguiçosamente para o banheiro. 

Terno preto e gravata vermelha vinho. As mãos espalmaram o peito estufado e subiram para o colarinho da camisa branca alinhando-o perfeitamente. O cabelo negro estava úmido e penteado para trás. Alguns passos e ele alcançou a poltrona do closet onde deixara a pasta. O dia mal tinha começado e os pensamentos relacionados ao trabalho já corriam por sua mente. A esperança de encontrar Demetria na cozinha fazia seu coração bater um pouquinho mais acelerado, se ele permitisse animar-se mais do que já estava certamente iria infartar. Joe estava tão ansioso e sentindo-se maravilhosamente bem só pelo fato dela estar em casa. Ao encostar a porta do quarto, os olhos de Joe encontraram com os do filho.


   - Bom dia. - Sorriu para o garoto que parecia muito sonolento.

   - Bom dia. - Daniel sorriu para o pai logo espreguiçando-se. Estava sem camisa e o típico cordão de prata fino com o pingente de plaquinha envolvia seu pescoço e caia um pouco assim do peito. Os cabelos lisos e escuros de fios grossos estavam jogados para trás, típico do charme de galã do garoto. - Mamãe está dormindo? - Perguntou ao pai.

   - Eu não sei, quando acordei ela não estava na cama. - Joe fitou os olhos verdes do garoto por segundos até que Dan apontou para o final do corredor.

   - Eu aposto que Lizzie está tramando alguma coisa, por isso que a mamãe não está no seu quarto. - Daniel cerrou os olhos ao olhar para a direção do quarto da irmã. - Você não vem? - Perguntou enquanto caminhava para o quarto de Lizzie.

   - Tudo bem. - Joe repousou a pasta na mesinha de pernas que mais pareciam finas pilastras e seguiu o garoto. "Não Daniel" Estava escrito de vermelho nas letras miúdas logo abaixo do nome de Lizzie. A porta do quarto da menina mais parecia a porta de um camarim.

   - Eu avisei. - Daniel cruzou os braços e sorriu como se tivesse desvendado o maior enigma do mundo. Demi estava deitada na cama de Lizzie embrulhada as cobertas da menina dormindo profundamente. - Lizzie a sequestrou. - Sussurrou para o pai e o mesmo revirou os olhos.

   - Se eu acordá-la nós estamos ferrados. - Joe sorriu como um menino teimoso e aproximou-se da cama.

   - Bom dia. - Lizzie acabara de sair do banheiro e parecia nem se importar com a invasão masculina. - Você fez o café da manhã? - Lizzie beijou a bochecha do pai carinhosamente como sempre fazia e esperou ansiosamente por um sim.

   - Hum.. Não. - Joe sorriu amarelo e a menina revirou os olhos. - Por que vocês não nos esperam lá na cozinha? Eu vou acordá-la. - Lizzie assentiu e saiu do quarto puxando o irmão. O dia mal tinha começado e eles já estavam prontos para discutir.. - Dem? - Joe acariciou o rosto de Demi e a beijou na testa. - Bebê, acorda. - Chamou-a distribuindo selinhos pelo rosto da mesma. - Demi, acorda. - Os lábios selaram os dela carinhosamente.

   - Hum.. - Ronronou movendo-se preguiçosamente na cama. - Amor, vem cá. - Joe arregalou os olhos e riu quando Demi o puxou para que ele se deitasse com ela. - Me abraça? - Sussurrou manhosa.

   - Está na hora de levantar. - Cantarolou abraçando-a calorosamente. - Não dorme. - Joe beijou o topo da cabeça de Demi e a mesma encolheu-se contra o corpo dele.

   - Ah Joe. - Sussurrou de olhos fechados. - Eu estou com sono, amor. - Demi simplesmente era terrível para acordar, ainda mais quando era temporada de férias ou nos finais de semana. Era manhosa e birrenta, o insultava com palavrões "pesados" e quando ela finalmente se levantava, passava pelo menos oito horas do dia mal humorada.

   - Bebê, eu tenho que ir trabalhar. - Disse fazendo carinho nos cabelos dela.

   - Mas hoje é sábado. - Demi levantou-se para olhá-lo, mas logo aninhou-se ao peito dele. - Não vai. - Demi o abraçou como quem abraça um ursinho de pelúcia numa noite fria.

   - Demi.. Você sabe que as coisas não funcionam assim. - Demi mais do que ninguém sabia como era ter que seguir horários rígidos que mal permitia que ela respirasse..

   - Ligue para o seu chefe e diga que você está resfriado. - Murmurou manhosa. - Você não iria trabalhar o dia inteiro, iria? - Perguntou mais manhosa do que já estava.

   - Até as duas da tarde. - O olhar esperançoso de Demi não ajudava, os olhos chegaram a ganhar um brilho especial enquanto ela implorava fazendo biquinho. - Aliás, bom dia princesa. - Roubando um selinho, Joe riu ao ver as bochechas coradas de Demi e buscou o celular no bolso da calça.

   - Diga para Sara que se ela te liberar hoje, eu vou comprar um vibrador novo para ela. - Sara Matthew, recém-divorciada, era a chefe de Joe. Uma senhora simpática dona de cinquenta porcento das ações da NY Times, que adorava Demetria. Quando se encontravam as duas conversaram por horas e horas.

   - Demi! - Joe a repreendeu com o olhar, mas não deixou de rir. - Sara? Bom dia. Joseph Jonas.. - Enquanto Joe conversava com a chefe, Demi aproveitava para cochilar um pouquinho agarrada a ele.

   - Mãe? Vocês não vão tomar café? - Daniel perguntou da porta do quarto.

   - Nós já estamos indo. - Dan riu quando a mãe piscou para ele e logo voltou para cozinha.

   - Então? - Perguntou curiosa assim que Joe desligou o telefone.

   - Você deve um vibrador novinho em folha para Sara. - Demi sorriu de orelha a orelha e o abraçou calorosamente.

   - Eu estou com muitas ideias para o nosso final de semana. - Em questão de segundos Demetria estava de pé completamente animada. - Mas eu preciso me trocar e escovar os dentes. - Demi franziu o cenho em uma careta engraçada ao lembra-se que acabara de acordar. - Você pode descer para arrumar café para os garotos? - Perguntou tímida.

   - Claro que posso. - Joe levantou-se e sorriu ao olhar para baixo. Tão baixinha e amável. - Eu fiquei de enviar alguns arquivos para Sara, devo trabalhar mais tarde no escritório. - Comentou enquanto caminhavam pelo corredor.

   - Ah Joe! - Demi hesitou ao entrar no quarto e virou-se para olhá-lo. - Amor, quando se trata de você eu sou completamente egoísta. Eu estou com tantas saudades de estar com você e com nossos bebês que não suporto a ideia de ficar um minuto sem vocês. - Demi observou o sorriso crescer nos lábios dele. - Eu sei que é pedir muito, mas você precisa de férias Joseph. Todos nós precisamos, você vai acabar explodindo. - Demi aproximou-se e deu um leve e rápido selinho nos lábios dele. - Cuide dos nossos pequenos. - Lançando-lhe um olhar divertido, Demi correu para o quarto e logo para o banheiro. Joe suspirou fundo e sorriu. É.. Era como ela o deixava. Bobo e cada vez mais apaixonado. Só então Joe despertou do transe ao escutar o grito de Elizabeth vindo cozinha. Céus! Era melhor ele descer antes que seus bebês se matassem.

   - Daniel! Idiota. - Joe surpreendeu-se, mas riu ao vê-los. Lizzie estava agarrada as costas do garoto. As pernas envolviam a cintura de Dan e o peito colado às costas. Ambos gargalhavam e pareciam se divertir juntos.

   - Lizzie, você é pesada. - Daniel riu da risada da irmã e a fez deslizar para o chão. - Meu Deus! Você está vermelha. - Dan estendeu a mão para ajudá-la a levantar-se. Ambos sorriam um para o outro. Estavam felizes e Joe sentiu o coração aquecer-se assim que Lizzie cochichou no ouvido do irmão e os dois gargalharam juntos. - Ei! Nós podemos buscar Buffy depois do almoço, o que você acha? - Sentando-se a mesa com a irmã, Daniel sorriu ao perceber que o pai os assistia.

   - O que você e a sra. Clarkson vão fazer com os filhotes? - Lizzie perguntou ao irmão. A sra. Clarkson acompanhara Daniel desde os primeiros passos e gostava bastante do garoto. Só não gostava muito de Demi, as duas trocavam farpas a cada palavra. Entretanto Demi mantinha a boa educação apenas por conta do filho. Lola, a golden retriever cor de champagne da sra. Clarkson era a parceira fiel de Buffy há anos.

   - Eu não sei. Acho que a mamãe não nos deixaria criar seis filhotes. - Daniel olhou para Joe e o mesmo assentiu. - Sra. Clarkson só quer um filhote, então eu tenho que encontrar um lar para os outros seis. - Seis filhotes. E Dan não fazia ideia do que fazer com eles.

   - Seis filhotes é muito. Imagina só ter que passear, alimentar e dar banho em seis filhotes travessos. - Comentou Joe enquanto tirava o paletó. - Vocês dois não teriam tempo. - Joe tinha razão. Por mais que os garotos pretendiam cuidar dos filhotes, o trabalho era duro e ainda tinha a escola. Escola.. E Daniel não estava nada bem na escola..

   - Você não iria trabalhar? - Perguntou Lizzie curiosa como sempre e Joe murmurou um "Humrum". - A mamãe ainda está dormindo? - Elizabeth assustou-se ao sentir a testa ser selada.

   - Estou aqui. - Demi sorriu para a garota. - Bom dia crianças. - Daniel a abraçou calorosamente antes mesmo que Lizzie tivesse a chance de fazê-lo. Ora, a menina estreitou os olhos e todo aquele clima descontraído entre eles evaporou.

   - Bom dia. - Demi sorriu ao fitar os olhos do seu menino. Dan era como o pai. Galã. - Você está linda. - Beijando-a carinhosamente na bochecha, Demi o abraçou e sorriu. Seu pequeno Daniel tinha crescido.

   - É melhor você vestir uma camisa, não quero que o meu bebê fique resfriado. - Como sempre Dan corou ao receber um beijo carinhoso na bochecha. Desde pequenino ele corava com todos os carinhos que recebia da mãe.

   - Bom dia mamãe. - Elizabeth mal esperou que Demi soltasse o irmão e abraçou-a. - Você está maravilhosamente linda. - Demi fez uma careta, mas riu. Ora, o cabelo estava preso num rabo de cavalo. Ela estava sem maquiagem e usava roupas simples. Nada mais que uma camisa da Nirvana e um short curtíssimo branco, e calçava sandálias pretas simples.

   - Estão com fome? - Perguntou e os três assentiram. Então o café da manhã seguiu entre pequenas discussões de Lizzie e Dan, e bem.. Joe não tirava os olhos de certo traseiro.. Ele não perdia a oportunidade de apertá-la enquanto a mesma cozinhava atrás do balcão. E o melhor era que eles apenas com olhares provocantes.

   - Vocês têm planos para o final de semana? - Lizzie perguntou preguiçosamente deitada no sofá depois de deliciar-se com o magnífico café da manhã que a mãe preparou.
   - Eu o papai temos um compromisso muito importante com o videogame. - Dan e Joe fizeram um toque de mãos bem estranho e Demi os censurou com o olhar.

   - Eu tenho planos. - Demi sentou-se no sofá, já que antes estava deitada com Joe para contar o que planejava. - Nós podemos preparar o almoço juntos.. Hum.. Baralho ou uno depois do almoço? E nós podemos passar a tarde toda assistindo filmes juntos. - Demi olhou para Joe e o mesmo assentiu.

   - Eu estou dentro, e vocês? - Joe sorriu ao sentir os dedos da amada em seus cabelos os bagunçando como ela sempre fazia.

   - Por mim tudo bem, mas eu e Lizzie precisamos ir à casa da sra. Clarkson depois do almoço. - Dan riu ao observar a careta que a mãe fizera.

   - Bem, eu iria passar o final de semana com os meus livros. - Lizzie sorriu timidamente para a mãe e notou que a mesma tinha o mesmo sorriso tímido que ela. - Mas posso ler depois. - Lizzie não hesitou em sorriu ao fitá-los. Mesmo deitado no sofá, o pai tinha um braço envolvendo a cintura da mãe como se estivesse a protegendo. Quando eles se olhavam calorosamente, não deixavam de sorrir e trocar palavras carinhosas.

   - Lizzie, você está lendo cinquenta tons? Acho que era este o nome do livro que você estava carregando ontem. - Elizabeth arregalou os olhos e sentiu o rubor tomar conta por todo o rosto. Droga!

   - Não.. Não.. Eu não estou lendo. - Disse gaguejando. Joe estava sério e Demi com os olhos arregalados. - Idiota! - Lizzie estreitou os olhos ao fitar o irmão. Ela sabia que ele fazia para pirraçar. - Mãe, Daniel está expulso da escola! - Meu Deus! Joseph tombou a cabeça para trás e passou as mãos pelos cabelos. Dan arregalou os olhos e engoliu seco ao fitar a mãe. E Elizabeth, bem, Lizzie pareceu arrependida depois do feito.

   - Você está o que Daniel? - Demi respirou fundo para evitar ter um ataque do coração. Chegara ficar pálida de nervoso.

   - Mãe, eu posso explicar. - Antes mesmo que Daniel pudesse respirar, Demi levantou-se bruscamente. Ninguém ousou em mover um músculo, estavam assustados e surpresos.

   - Explicar? Como você me explica isto Daniel Henri Jonas! - Demi passou as mãos pelos cabelos e respirou fundo várias vezes. - Expulso, expulso.. - Murmurou andando de um lado para o outro freneticamente.

   - Demi, calma. - Joe sentou-se no sofá e massageou as têmporas. - Demetria! Calma. - Antes mesmo que Demi pudesse partir para cima do garoto, Joe laçou os braços a cintura da mesma impedindo-a.

   - Calma? Você quer que eu fique calma? - Demi cravou as unhas aos pulsos de Joe o fazendo gemer de dor. - Você sabia dessa merda? Sabia Joseph? - Joe engoliu seco e assentiu. Ora. A coisa tinha ficado feia para ele. - Eu não acredito nisso. - Murmurou chateada. Eles tinham feito amor a noite toda, tinham conversado sobre os filhos e Joe não teve coragem de contar nada para ela? Franzindo o cenho, Demi soltou-se dos braços de Joe e subiu as escadas logo entrando no quarto. O que diabos estava acontecendo com Daniel? O garoto era excelente, tinha boas notas, mas em todas as escolas o comportamento "rebelde" era o mesmo. Seu pequeno menino sorridente. Demi deitou-se na cama ainda bagunçada e deixou cair as primeiras lágrimas. Tantas eram as lembranças. O primeiro dentinho, quando ele disse a primeira palavra, os primeiros passos, a confusão do primeiro corte de cabelo e o mais importante, o primeiro dia de aula.

Flashback On

   - Mama, não. - Daniel choramingou ao ver a colher cheia de sopinha. - Dan cheio mama. - Disse olhando para a mãe.

   - Mas você não comeu nada. - Demi espiou Lizzie no cercadinho e pegou o pequeno Daniel nos braços. - Meu amor, hoje é o seu primeiro dia na escola. Tem que comer para ficar forte. - Demi arrumou os cabelos do pequeno para o lado e logo a camisa branca de botões com o escudo da escola. - Você está tão lindo. - Os olhos marejaram e Demi o beijou na bochecha. Aos recém quatro anos completos Daniel era uma fofura. Os cabelos escuros e lisos penteados para o lado, os grandes olhos verdes e o sorriso que nunca saia dos lábios do pequeno.

   - Escola? - Perguntou o pequeno com os olhos fixos aos da mãe. - Mama, Dan quer ficar com Izzie no "dinho" e Uffy? Ele não podí fica sozinho mama. - "Dinho" era cercadinho. Daniel agora brincar de montar bloquinhos coloridos com a irmã no cercadinho. Os pequenos até que se entendiam.. Claro que às vezes eles brigavam por causa dos brinquedos, mas acabam juntos.

   - Mas você tem que ir para escola. - Demi deu um beijinho carinhoso na testa do pequeno e o abraçou. - Você está crescendo tão rápido. - Murmurou ainda com o pequeno nos braços.

   - Vamos? - Demi limpou a lágrima que escorria e assentiu. - Ei, é só a escola. - Joe curvou-se para pegar Lizzie no cercadinho e aproximou-se de Demi. - Não é bebê? Hoje é o dia de ir para escola. - Daniel não parecia muito interessado, na verdade ele estava assustado. Não era acostumado a ficar longe de casa e tinha medo do que essa tal de "escola" fosse.

   - Mama, Izzie omí. - A pequena choramingou erguendo os bracinhos para que a mãe pudesse pegá-la. Enquanto ajeitavam-se para ir até a garagem Dan e Lizzie travavam uma verdadeira guerra choramingando. - Omí mama, omí mama. - Dizia a pequena freneticamente.

   - Não seja dramática Beth. - Demi conferiu se o cinto da cadeirinha estava nos conformes e beijou o pequeno na testa antes de adentrar o carro novamente com Lizzie nos braços. - Não morde! - Demi cerrou os dentes ao sentir os lábios da pequena envolver o bico do seio carregado de leite. Se Daniel era um verdadeiro beberrão de leite nos tempos que mamava, Elizabeth conseguia ser mais beberrona ainda. A pequenina mamava o tempo inteirinho. Não tinha exceções. Dia, tarde e noite. Premiação e festas de família. Demi mal podia respirar. - Devagar pequena. - Sussurrou enquanto acariciava o rosto da filha. Lizzie tinha os fios castanho claros presos em um "coqueiro", as bochechas coradas que pediam para ser mordidas e apertadas, o sorriso era simpático e gostoso, e os olhos grandes e cor de mel, ou esverdeados, eram como os do pai. As perninhas eram gordinhas e Demi adorava mordê-las, o que fazia a pequena gargalhar. Lizzie era simpática e sorridente, contrário a Daniel, que era tímido e sorridente.

   - Ansioso? - Joe sorriu para o pequeno pelo retrovisor.

   - Um "poquinho", medo papa. - Demi riu da careta que o pequeno fizera. Ele estava bastante tenso por não saber o que o esperava.

   - Não morde Elizabeth! - Demi a repreendeu com o olhar, mas sorriu quando a pequena sorriu para ela ainda com o bico do seio na boca.

   - Chegamos. - Cantarolou Joe ao estacionar o carro.

   - Mama. - Dois múrmuros ao mesmo. Daniel porque estava aflito e Lizzie porque a mãe vestiu-se impedindo-a de mamar. - Izzie omí. - A pequena deitou a cabeça no ombro da mãe enquanto elas saiam do carro.

   - Mamãe sabe que você está com fome, mas nós temos que deixar o seu irmão na escola. Depois você pode mamar. - Daniel estremeceu ao escutar a mãe dizer que eles iriam "deixá-lo" na escola. Meus Deus! Aquilo não estava certo! O que ele tinha feito de errado? A família estava o abandonando?

   - Mama. - Dan correu atrás da mãe e envolveu a perna da mesma com o corpo. - Não mama. - Choramingou a olhando como se implorasse para que ela não o deixasse. - Dan ama você mama. - Disse rapidamente.

   - Joe, segure Lizzie. - Ótimo. Não bastava ter um marido ciumento, os dois filhos tinham que querer estar com ela o tempo todo. - Mamãe também te ama. - Pegando-o no colo, Demi distribuiu selinhos pelo rosto de Dan o acalmando. - Está tudo bem, é só a escola. Aqui é bem legal, tem várias crianças quem vão adorar brincar com você. - Assim que chegaram à recepção, Demi observou bem o lugar. Tudo era tão branco e ao mesmo tempo colorido. Era o lugar certo para o primeiro ano de Dan na escola.

   - Sr, e Sra. Jonas, boa tarde. - Disse uma jovem mulher vestida comportadamente em um terninho preto, até os cabelos estavam presos. - Este é o nosso querido Daniel? - A moça esboçou um sorriso simpático e Dan encolheu-se nos braços da mãe.

   - Ele está um pouco assustado. - Demi sorriu um pouco incomodada com o olhar intimidante de uma mesma funcionária da escola.

   - Está tudo bem. Você vai adorar seus coleguinhas. - Daniel franziu o cenho e enterrou o rosto no pescoço da mãe totalmente desinteressado. - Vamos para a sala? - Estava piorando. A moça o tocara nas costas.

   - Eu posso acompanhá-lo? - Demi perguntou educadamente. Ela sabia que Dan ficaria menos tenso se ela o acompanhasse até a sala e o colocasse na cadeirinha, e quem sabe até cantarolasse uma música para ele.

   - Perdão. Mas é não é adequado levá-lo para a sala, ele tem que fazer isto sozinho. - Demi olhou para Joe e logo para o pequeno.

   - Apenas hoje, ele está nervoso e eu posso ajudá-lo. - Demi esboçou um dos seus melhores sorrisos convincentes para que pudesse ajudar o pequeno. - Só hoje. - Choramingou e a moça respirou fundo.

   - Apenas hoje Sra. Jonas. - Demi sorriu de orelha a orelha e sussurrou alguma coisa para Dan.

   - Papai e Lizzie querem um beijo, Dan. - Dan beijou a bochecha do pai e a de Lizzie choramingando. Aquilo era uma droga! - Podemos ir? - A moça assentiu e Demi lançou um olhar ansioso para Joe. Contra vontade Daniel tivera que caminhar, ele segurava a mão da mãe e não queria soltá-la. Aquele lugar era imenso e lindo. A decoração era sofisticada, entretanto a natureza era presente. Tinha pequenos arbustos, grama e flores. O ambiente perfeito junto com a melhor educação infantil de LA.

   - A professora de Dan se chama Maria, ela está conosco há mais de vinte e cinco anos. - Demi assentiu. Nem ela tinha vinte e cinco anos, tinha vinte e três.. Assim que aproximaram-se da sala, Demi surpreendeu-se com o tanto de crianças. Uns pulavam, outros gargalhavam e tagarelavam sem parar. Daniel arregalou os olhos e olhou para a mãe.

   - Você tem muitos coleguinhas. - Demi sorriu o encorajando.

   - Boa tarde. - A mulher gordinha de cabelos vermelhos mais parecia uma joaninha dos anos oitenta. - Sou Maria, Sra. Jonas. - Demi adorou conhecê-la, dificilmente as pessoas, mesmo "profissionais", mantinham controle ao encontrar uma celebridade como ela.

   - Olá. - Sorriu educadamente. - Este é o seu novo aluno. - Demi piscou para Maria e a moça, e sussurrou no ouvi de Dan. - Diga oi.

   - Oi. - O pequeno murmurou sem olhá-las.

   - Diga seu nome meu amor. - Demi sorriu para as crianças que se aproximavam deles.

   - "Danhiéu Ri Jonas" - Daniel Henri Jonas. O pequeno não conseguia pronunciar "Daniel" perfeitamente e nem o "Henri".

   - Muito bem. - A professora o elogiou. - Vamos entrar? Nossa aula já vai começar. - Demi adentrou a sala sobre o olhar curioso de um bando de crianças. Uns surpreenderam-se. Outros, principalmente as meninas, sorriram ansiosamente sabendo quem ela era.

   - Seja um bom menino, mamãe ama você. - Demi o sentou na primeira cadeirinha na parede onde tinha um desenho de um dinossauro verde. Dan nunca estivera tão tímido. - Comporte-se. - Assim que ela virou o rosto, ele a beijou como sempre fazia. - Até mais tarde meu amor. - Demi levantou-se sobre o olhar do pequeno e sorriu o encorajando.

   - Não se preocupe, ele vai se acostumar. - Demi sorriu assentindo.

   - Espero que sim, há uma semana ele não parava de falar sobre a escola, e agora está tímido. - Demi observou o filho sentado na cadeirinha, os coleguinhas de Dan já se aproximavam e tentavam conversar com o mesmo. - Acho que é melhor eu ir, qualquer coisa me ligue. - Demi entregou a mochila completamente verde e preta, as cores do Max Steel de Dan para a professora e tornou a olhar para o pequeno. Ele estava tão bonitinho vestido na camisa branca de botões, a calça preta social e o tênis preto. - Até mais tarde. - Sentindo o coração partir ao sair da sala, Demi caminhou acompanhada da moça que a atendera até a recepção.

   - Mama! - Demi franziu o cenho e olhou para trás. - Mama. - O coração partiu-se e ela agachou-se para envolvê-lo com os braços. Tão pequeno o seu menino.

   - Não chora bebê. - Demi o beijou na bochecha e disse que tudo iria ficar bem.

FlashBack Off

Continua.. Oi! Primeiramente eu queria pedir desculpas pela demora para postar. Eu estava resolvendo coisas da faculdade.. É! Eu entrei para a faculdade e vou cursar engenharia da computação O.O E não tive muito tempo para escrever porque a matricula era só até sexta-feira e eu tive que correr atrás de muitas coisas junto com a minha mamãe. Bem, espero que vocês gostem do capítulo, eu disse que iria ter flashback :D
Calma gente, a história tem um objetivo e eu estou o trabalhando.. Vocês vão entender melhor o Dan na outra parte do capítulo.. Ele tem motivos para estar expulso da escola... Vou tentar postar ainda hoje para recompensá-las, ok? Beeeeijos e obrigado pelos comentários.
Ps: Eu tinha movido Wouldn't change a Thing para o rascunho, pois eu estava reescrevendo porque o que tem de escrito errado não é pouco shusa Mas como duas pessoas pediram eu voltei a postá-las.
DESCULPEM SE HOUVER ALGUM ERRO ORTOGRÁFICO, ESTOU POSTANDO PELO CELULAR!

16 comentários:

  1. Amei ! Chorando. Por favor posta mais pllz

    ResponderExcluir
  2. awnt <3 pequeno daniel
    caramba a demi ficou puta mesmo com o daniel
    posta logo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dan pequeno é tudo!
      Demi ficou né? Agora imagina se ele aprontar outra coisa? rçrçrç
      Beijos

      Excluir
  3. esse capitulo esta perfeito Amanda, infelizmente eu não posso comentar muito agora, estou com pressa, mas depois eu comento mais como eu sempre faço, só queria dizer que eu li e amei, o flashback me fez chorar e eu quero bater no Joe, a Demi esta certa de ficar com raiva dele, já que ele sabia sobre Dan e não contou... espero ansiosamente por mais <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado! Sem problema, eu te entendo.
      Prepara que vai ter mais flashback
      Realmente ele estava errado, mas o Dan pediu para não contar porque ele queria contar, mas a Lizzie é muito boca grande shuada
      Beijos

      Excluir
  4. O dan pequeno é um charme..... Nossa, o Dan e a Lizzie brigam demais, estranho até pra irmãos.... e a anne? Deve estar enorme ne? Ai posta logo, sério.... to ansiosa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dan é a coisa mais fofinha.
      Eles brigam, mas é típico de irmãos que disputam a atenção da mãe o tempo todo, fora o ciúme..
      Já já vou estrear a Anne, ela está uma "moçona". Beijos

      Excluir
  5. Mds nem sei o q dizer.. Primeiro quero pedir mil desculpas não ter comentado esses dias (ou meses)mil desculpas msm,é q deu ruim,minha mae quebrou meu cel,o dela ficou ruim e no q deu? fiquei sem net,mil desculpas..
    Eu to simplesmente morrida com esse capitulo,e esse flashback mds meu core não aguenta com tanta fofura ,Dan todo timido,ain mds dar vontade de morder as bochechas dele so de imaginar,e a Lizzie mds eu quero morder as pernocas dela.. *-*
    Esses dois kkkkk se fufu Dan e Joe mais ainda,Demi vai entrar em greve de sexo kkkkkk
    Nem sei o q dizer,serio ta tão perfeito *-*
    E o ultimo capitulo da temporada,mds menina eu entrei em êxtase,como vc consegue fazer isso?? As fics,os capitulos são tão perfeitos e eu não me canso de ler,vei sua fic é viciante vc posta um capitulo e eu ja quero mais,eu ja li essa msm fanfics umas 5 vezes,não me canso dela,e essa nova temporada então puta q pariu acho q vou morrer.. Não tenho palavras pra descrever essa fic,não sei nem mais o q dizer.. *-*
    Perfeição define,não tem como não amar <333
    Tá mt perfeito,por favor pelo amor de Deus posta logo antes q eu morra de ansiedade..
    Mais uma vez desculpas,vai ser dificil eu comentar,talvez eu só comente uma vez na semana,q é no final de semana q to na minha avó,espero q não fique chateada.. Mil desculpas
    Posta Logo amor
    Xoxo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sem problemas, as vezes acontece o mesmo comigo. Eu te entendo!
      Greve de sexo no futuro, no futuro hsuahsa
      Obrigado! Fico feliz que você esteja gostando da nova temporada, só eu que não estou gostando muito.. :/
      Beijos!!

      Excluir
  6. Amanda, vc ainda não me respondeu.
    Será que vc pode me passar o link do primeiro capítulo da primeira temporada? Aquela que a Demi ainda faz camp rock e tal..... n to achando o link aqui no blog

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Me responde, por favor

      Excluir
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    3. Aqui http://jemiley.blogspot.com.br/2013/02/wouldnt-change-thing-personagens-aviso.html?m=0

      Excluir
  7. A Demi ficou muito brava!! Adoro kkkkk
    Amei <3
    Continua...
    Fabíola Barboza :*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Demi é muito nescau radical kkkkk
      Mas o Dan tem bons motivos..
      Beijos!

      Excluir