22.7.14

Capítulo 2

Furiosa. Demetria Jonas estava furiosa ao cubo! Como três pessoas poderiam viver naquela casa? Céus! Nem a empregada deu conta da bagunça e pediu demissão assim que viu a patroa. Primeiro tivera que reunir todos e destinar tarefas a cada um deles. Segundo, Demi tivera que ir ao supermercado assim que jogara fora toda aquela porcaria que Joe chamava de comida. Por Deus! Doritos, pizza e hambúrgueres não eram nada saudáveis. E quando era mais tarde, depois que aquela casa era digna de ser chamada de “Lar” e os seus filhos estavam bem alimentados, Demi finalmente realizara sua fantasia de estar aconchegada em sua cama quentinha e macia depois de tomar um banho de banheira de rainha.

   - Demi? – Joe a chamou. Finalmente depois de doze meses o lado esquerdo da cama estava preenchido. Mas do que adiantara ter a sua mulher deitada em sua cama sendo que a mesma estava te ignorando. – Está dormindo? – Perguntou. Demi nada respondeu. Respirou fundo e fechou os olhos o ignorando. Como iria aproximar-se dela? Demi estava deitada com as costas viradas para ele e ainda usara seu moletom! – Amor, não faz isso. – Disse tocando-a no braço. Ótimo, ela não o atacara. Bom sinal.. – Vem cá. – Abraçando-a por trás, Joe afastou os cabelos loiros e colou os lábios ao pescoço feminino o beijando carinhosamente. Estava com tantas saudades que não poderia esperar mais para tê-la.

   - Joseph, para. – A voz dela soou tão calma. Demi acendeu o abajur, virou-se para olhá-lo e Joe pudera perceber que ela estava muito chateada.

   - Demi, por favor. – Sussurrou olhando-a. – Até quando você vai me ignorar? – Perguntou chateado.

   - O que você faria se estivesse viajando e eu estivesse aqui em casa cuidando dos nossos filhos e quando chegasse tudo estivesse uma bagunça? – Demi sustentou o olhar dele até que o mesmo suspirou fundo e tombou a cabeça para trás. – Eu não ligo se a casa está de pernas para o ar, mas Joseph, o que você estava pensando quando comprou aquelas porcarias calóricas cheias de sódio? Você não se lembra da sua consulta no médico? – Há alguns meses Joe tivera uma gripe muito forte e quando consultou o médico, o mesmo o alertou em relação à pressão alta deixando Demi superpreocupada. – Fora as crianças. Por Deus! Você sabe que eles precisam de alimentos saudáveis, não dessa porcaria toda. – Joe entendia a preocupação de Demi e tinha que admitir que deixara se levar pelos pedidos calorosos dos filhos e acabou perdendo o controle da situação.

   - Eu sei que errei, ok? Mas não gosto de deixá-los passar vontade. – Demi não poderia deixar de agradecer por seus filhos serem abençoados de ter um pai tão dedicado como Joe. Entretanto ele vacilou feio.

   - Eu também não. Mas às vezes nós temos que ser duros. Você sabe. Nós já fomos adolescentes e sabemos que nessa fase tudo é motivo para festejar sem se preocupar com o amanhã. – De certo modo Demi estava certa.. Geralmente os adolescentes são inconscientes, claro que há exceções, mas infelizmente seus filhos não faziam parte deste grupo.

   - Eu sei. – Sussurrou completamente manhoso olhando-a. – Nós podemos namorar agora? – Demi riu vendo os lábios franzidos de Joe em um biquinho fofo.

   - Eu não disse que nós iríamos namorar. - Provocando-o, Demi livrou-se do cobertor e engatinhou para cima dele.

   - Eu estou com saudades. - Joe a segurou suavemente pela cintura adorando sentir as mãos femininas em seu peito. - Não ganho um beijinho? - Demi encostou os lábios nos dele em um beijo estalado demorado.

   - Você é muito carente Joseph. - Sussurrou mordendo o lábio inferior e logo aprofundando o beijo deixando as mãos dele vagar sem quaisquer restrições por seu corpo. Quem Demi queria enganar quando mais cedo estava emburrada e muito chateada? Era evidente que ela não iria conseguir manter distância dele por mais nenhum segundo. Joe era como um cachorrinho carente e manhoso, que, quanto mais carinho e atenção você dá, ele se aninha mais a você.

   - Isto é um sim Demetria? - Perguntou com um sorriso torto nos lábios deixando-a desnorteada.

   - Talvez um sim meu amor. - Provocando-o, Demi espalmou o peitou largo sorrindo de modo sedutor. Encaixou a boca ao pescoço dele o mordiscando até que alcançasse o lóbulo da orelha. Gemeu o nome dele o seduzindo e Joe foi a loucura apertando-a com gosto.

   - Diga sim. - Demi acariciou o rosto dele adorando sentir a áspera barba recém-feita contra a palma de sua mão. - Eu quero você. - O polegar e o indicador traçava seus lábios, Joe capturou o indicador entre seus dentes lançando a Demi um olhar provocante.

   - Não. - Sussurrou entre um sorriso charmoso. Joe sabia que ela estava o desafiando, ele conhecia aquele olhar delicioso cheio de desejo.

   - Demetria.. Demetria. - Entrando no jogo, Joe esboçou um sorriso galanteador e a agarrou com certa força contra o corpo quebrando toda a distância entre eles. - Você não tem jeito. - Os lábios tocaram-se brevemente quentes e macios. - Eu vou me enterrar em você a noite toda.. - Demi estremeceu ao sentir a respiração quente contra a orelha. - Quero sentir cada pedacinho do seu intimo me envolvendo.. - Joe evitou sorrir ao escutar a respiração pesada e sentir o corpo dela se aninhando mais ao dele. - Quero te escutar Dem, escutar você gemer para mim. - A essa altura Demi implorava silenciosamente para que ele cumprisse cada promessa. - Sua resposta ainda é não? - Joe encostou a testa na dela e ficou a fitar os olhos dela que refletiam os seus.
   - Nós vamos fazer amor a noite toda. - Demi selou a promessa unindo os lábios aos dele saboreando o gosto que tanto amava e travando uma guerra lenta e gostosa com a língua de Joe.

   - Nós vamos. - Sussurrou numa pequena pausa e voltou a beijá-la com ardor enquanto suas mãos apertava a cintura, acariciava as curvas da silhueta levando a blusa consigo. Sentir a pele macia e quente em suas mãos era mais um desejo realizado. 

Subindo as mãos mais um pouquinho, Joe deliciou-se ao sentir os seios macios e nus roçarem sua camisa com os mamilos enrugados lhe cutucando prontos para serem apreciados em seus lábios. - Linda. - Sussurrou ainda de olhos fechados com um pequeno sorriso nos lábios. Demi sorriu de orelha a orelha e deu um selinho estalado nos lábios dele. As mechas loiras caíram pela extensão das costas e algumas delas pelos ombros roçando os mamilos. Joe sorriu admirado, repousou as mãos na cintura dela e apreciou a vista da mulher que amava nua da cintura para cima até que a mesma corasse. - Ei! Você é linda. - Aquietando uma mecha teimosa atrás da orelha, Demi levou as mãos ao peito de Joe e curvou-se para beijá-lo brevemente.

   - Quieto. - Demi riu da careta, mas concentrou-se em tirar a camisa militar que ele vestia. O calor instalou-se em seu ventre e os dedos roçaram o peito largo. Demi respirou fundo sem saber para onde olhar. Ela adorava ser envolvia pelos braços fortes, adorava roçar os seios ao peito dele e adorava arranhá-lo no abdômen. - Tão forte. - Demi distribuiu selinhos pelo peito e acariciou os bíceps e todos aqueles "ícepes". - Joe.. - Choramingou. Em um segundo ela estava no comando, mas no outro já estava debaixo dele.

   - Deixa. - Murmurou olhando-a intensamente. Quando a mão esquerda esperta de Joe adentrava a calça de moletom, Demi o impediu, mas quando ele fitou seus olhos ela cedeu. - Molhada. - Sussurrou. Demi contorceu-se quando as pontas dos dedos dele entreabriu os lábios do seu intimo e ficou a provocá-la movimentando-se preguiçosamente. - Humm.. - Joe envolveu o seio esquerdo com a mão deixando o mamilo entre os dedos para puxá-lo e abocanhou o seio direito avidamente. A língua quente rodeou o mamilo rígido e o chupou e o mordiscou. Os dedos roçando o intimo e a boca alternava-se de seio de segundo em segundo. Demi usou a mão esquerda para puxá-lo para um beijo e a direita ela a guiou até a mão dele dentro da calça de moletom tentando convencê-lo a acelerar os movimentos preguiçosos.

   - Ah não! - Murmurou frustrada. Demi tinha certeza que se ele movimentasse os dedos mais um pouquinho ela finalmente chegaria lá.. Mas tudo que Joe fez foi rir e deixar o intimo livre de seus dedos ousados. Ao fitar os olhos dele, Demi engoliu seco.. Aquele olhar cheio de desejo e uma pitada de malicia, ela sabia o que ele iria fazer. A pele alva das coxas grossas era revelada conforme as mãos de Joe traziam a calça junto com a calcinha cor de rosa cada vez mais para baixo.

   - Você é tão linda. - Demi não pôde evitar as bochechas rosadas, mas sorriu e o chamou para um breve beijo. A vista era maravilhosa. Começava com pés delicados de unhas pintadas de preto, pernas maravilhosas e excitantes com um belo par de coxas que guardavam o seu pequeno tesouro.. Demi não era uma modelo esbelta e magra. Ela era uma mulher cheia de curvas excitantes e delicadas. Não tinha seios grandes demais, eram proporcionais ao corpo dela. Por fim tinha um queixo que Joe adorava morder, uma boca que ele adorava beijar, olhos amarronzados ternos e doces e os cabelos tingidos de loiro. Ela era simplesmente linda e encantadora. - Abra para mim. - Demi fechou os olhos e respirou fundo. O coração batia cada vez mais desesperado enquanto ela afastava uma perna da outra demoradamente abrindo-se para ele. Ai meu Deus!

   - Ai meu Deus! - Murmurou com muita dificuldade para respirar. Primeiro ele deslizou as mãos dos joelhos até a virilha enquanto a apertava gostosamente. Segundo.. A língua quente e macia traçou a virilha de forma tão lenta que Demi choramingou baixinho. - Joseph.. - Ela gemeu quase chorando ao sentir os lábios dele tocando os lábios do seu intimo, a língua tocando sua apertura e rastejando até aquele pontinho mágico que a fez reprimir um grito. Joe ajudou-a acomodar as coxas em seus ombros largos sem perder o foco do que fazia. Os dedos de Demi adentrou os fios grossos e negros dos cabelos de Joe e os puxou levemente enquanto ela quase rasgava o lençol. Ele a circulava, a penetrava, a lambia e a deixava cada vez mais desesperada por mais. O calor que estava instalado no ventre estava cada vez mais concentrado e pronto para libertar-se. Por mais que Demetria implorasse, puxasse as mechas dos cabelos negros, pesasse as pernas o obrigando a fazer mais rápido, ele continuava lento e preguiçoso. Apertando as pálpebras e franzindo o cenho Demi controlou-se para não gritar e apenas sussurrou um longo "Joseph", o sussurro mais sofrido e gostoso de toda a sua vida.

   - Sim querida. - Joe lambeu os lábios e deitou-se sobre ela observando o vai e vem dos seios conforme Demi ofegava. - Está tudo bem? - Joe deslizou os dedos pelo rosto de Demi e a beijou na boca.

   - Eu não sinto minhas pernas. - O sorriso que ele exibiu era tão sedutor que Demi não deixou de corar.

   - Nós só estamos começando. - As mãos de Joe subiam e desciam pela silhueta do corpo feminino. - Sabe, foram os piores meses da minha vida. - Joe curvou-se e a beijou ternamente. Conforme se beijavam numa tentativa frustrada de matar toda a saudade, Demi deslizou as mãos pelas costas largas até que elas encontrassem o cós da calça que Joe usava. Joe arqueou o corpo a ajudando, não poderia esperar mais um segundo para tê-la. Demi riu quando sem querer puxou a box e acidentalmente a soltou fazendo Joe assustar-se com o elástico estalando em sua pele. Joe encaixou-se nela sem nem estar totalmente nu, aliás, a calça e a box pairavam no joelho e quando Demi percebeu que suas mãos não conseguiam chegar por conta do desespero de Joe para mover-se, resolveu usar os pés.

   - Joseph.. - Gemeu franzindo o cenho quando ele saiu e entrou preguiçosamente. As mãos dele apertando-a nas coxas fazendo-a abrir mais as pernas e envolvê-las um pouco abaixo do traseiro macio dele. Joe mergulhava e voltava, gemia, a beijava na boca e pressionava o peito contra os seios. Aumentava a velocidade das investidas gradualmente e os testículos chegaram a tocá-la na região intima quando ele a estocava. Demi choramingava gemendo pedindo mais, ela estava quase lá.. Só mais um pouco.. Os olhos arregalaram-se levemente e ela gemeu adorando sentir os jatos dele no seu interior. Mesmo chegando lá primeiro que ela, Joe concentrou-se em continuar a se mover até que a sua garota arqueasse o corpo e gemesse o nome dele.


(...)


Quem diria que aquela noite seria tão quente.. Ele a seduziu e ela cedeu já não aguentando mais um minuto sem tê-lo. Vestida com as roupas dele, aninhada ao peito dele, Demi dormia tranquilamente junto com ele. Ambos estavam esgotados. O dia tinha sido cansativo demais, e fazer amor na cama e na banheira é cansativo. Mas era também gratificante. Demi estava tão feliz que não deixou de fazer amor com Joe em seus sonhos. Seria parte do sonho a voz de Lizzie a chamando? Por Deus! Ela não queria abrir os olhos, não queria mover-se. Seu corpo gritava por descanso, mas o espirito prestativo de mãe lutava para atender a menina.

   - Hum.. - Murmurou franzindo o cenho e aninhando-se mais a Joe. Ele era quente e macio.. - O que foi? - Tornou a murmurar com toda a preguiça que tinha.

   - Mãe! - Elizabeth sussurrou cutucando-a freneticamente.

   - O que foi? - Lizzie precisou concentrar-se bastante para entender a fala embolada da mãe.
   - Mãe, acorda. - Sussurrou aflita.

   - Beth, o que foi? - Mesmo sentindo o corpo pesar para trás implorando por descanso, Demi ergueu-se para olhá-la.

   - Está doendo. - Murmurou aflita.

   - O que está doendo Elizabeth? - Demi respirou fundo e levantou-se deixando Joe sozinho na cama.

   - Cólica. - Demi arregalou os olhos levemente e tornou a respirar fundo. - Está doendo muito e muito. - A menina choramingou manhosa.

   - Vamos, eu vou cuidar de você. - Enquanto calçava as pantufas Demi aproveitou para olhar para o relógio digital. Um zero embaçado, o número três, dois pontinhos 
verde fluorescente piscando e logo o número dois junto com o nove. Droga! Ela precisava dos óculos de grau. - Porque você está vestindo este pijama? Quando nós estamos com cólica temos que nos agasalhar. - Demi revirou os olhos ao ver que a menina usava um mini short junto com uma regata branca. - Elizabeth! - Demi respirou fundo e contou de um até dez mentalmente. O quarto da menina estava tão gelado que mesmo vestindo o moletom de Joe, Demi sentiu-se como se estivesse pelada na Rússia.

   - Está doendo. - Choramingou a menina.

   - Vai tomar banho, eu vou separar o pijama e desligar o ar condicionado. - Na Califórnia a baixa temperatura era quase inexistente, o clima sempre era agradável. O quarto de Lizzie deveria estar a menos de dez graus Celsius. - Elizabeth, vai. - Demi encarou a menina, e a mesmo bufou irritada e entrou para o banheiro. Depois de separar o pijama e um par de meias, Demi aproveitou para organizar a estante de livros e guardar o violão no closet. O quarto de Lizzie era grande e completamente amarelo, a cor favorita da menina. Cadernos e livros perto da cama, carregador de celular no meio do cobertor junto dos ursinhos de pelúcia, notebook ligado e na mesinha da penteadeira tinha uma pequena pilha de livros junto das escovas de cabelo, a chapinha e o secador.

"Mamãe! Mamãe! Mamãe está dormindo no chão. Ela está adormecida há muito tempo. Eu escovo o  cabelo dela do jeito que ela gosta. Ela não acorda. Eu tento acordá-la. Mamãe! Minha barriga dói. É  fome. Ele não está aqui. Estou com sede. Na cozinha, eu puxo uma cadeira para a pia, e bebo água de lá. A água respinga no meu suéter azul." Demi franziu o cenho ao ler o pequeno trecho do livro que estava aberto em cima da pequena pilha.. " - Não, querida.  É pequeno.  Quando estiver dentro de você, eu vou te foder muito forte. - Eu praticamente entro em convulsão. Debruçando-se sobre mim, ele me beija mais uma vez em meus ombros."

   - Ah não! - Demi choramingou ao fechar o livro. Cinquenta Tons de Liberdade. Aquele livro era uma verdadeira febre entre os adolescentes.

   - O que foi? - Lizzie franziu o cenho assim que saiu do banheiro. A mãe estava tão pálida e parecia irritada.

   - Eu vou preparar chá de canela e nós duas vamos ter uma conversinha. - Demi cerrou os olhos ao fitar a menina e deu dois tapinhas no livro o carregando consigo logo saindo do quarto. Tudo bem. Demi sabia que a curiosidade sobre sexo nesta idade era insuportável.. Mas Cinquenta Tons já era demais! Quando era adolescente o máximo que fizera era ler a categoria de Sexo da Cosmo sobre orgasmos.

Depois de preparar o chá e a compressa, Demi subiu as escadas cautelosamente morrendo de preguiça, checou o quarto de Dan e sorriu ao vê-lo dormir. O quarto de Dan, contrário ao de Lizzie, era organizado. Mas alguns passos e Demi entrara no quarto da filha.

   - Oi. - Murmurou aproximando-se da menina. Demi repousou as canecas no criado-mudo, ligou o abajur e desligou a luz do quarto. - Vai melhorar. - Beijou a testa da filha, puxou o cobertor para baixo e repousou a compressa um pouco abaixo da barriga da mesma.

   - Não vai se deitar comigo? - Lizzie perguntou olhando para a mãe. Demi respirou fundo e pôs-se debaixo das cobertas. - Está brava? - Lizzie bebericou o chá e fitou os olhos da mãe.

   - Estou cansada bebê. – Cansada não era nem o começo. A viagem tinha sido cansativa, a organização da casa e a maratona no supermercado tinha sido estressante, e no final da noite ela tinha feito amor com Joe durante horas e horas. – Beth, você tem que se aquecer bastante quando estiver começando sentir cólica. Nada de roupas leves e ar condicionado. – Demi bebericou o chá e respirou fundo. – Você tomou algum remédio? – Perguntou. Há um ano Demi deixara sua pequena sozinha. As recomendações foram tantas. Demi sabia que Joe e Daniel não iriam dar à mínima quando a menina dissesse que estava com cólica ou algo do tipo. E Lizzie era tímida demais quando se tratava de tal assunto.

   - Não. – Choramingou contorcendo-se. – Está doendo. – Elizabeth tombou a cabeça para trás e tornou a choramingar.

   - Não pense na dor, relaxe e tente dormir. – Demi esticou o braço para colocar a caneca no criado-mudo e desligar o abajur.

   - Eu não estou com sono. – Murmurou.

   - Eu vou buscar um copo d’água e o remédio. – Elizabeth choramingou quando a mãe levantou-se da cama. Demi estava com tanto sono que pensara que iria desmaiar enquanto descia degrau por degrau da escada. Céus! E para subir? Estava tão cansada, tão cansada.. – Está melhor? – Perguntou quase dormindo em pé.

   - Não. – Lizzie tomou um pouco de água e logo o comprimido junto com o resto d’água. – Deita comigo. – Murmurou manhosa e Demi deitou-se com a menina depois de repousar os óculos de grau no criado-mudo.

   - Tudo bem, vamos conversar um pouco. – Demi lutava para manter-se acordada, e ela precisava distrair a menina, caso contrário Lizzie sofreria o resto da noite com a cólica. – Você está lendo Cinquenta Tons, Elizabeth? – Disse cautelosamente.

   - Não exatamente. – A menina aninhou-se ao peito da mãe. – Uma menina que eu conheci hoje na escola insistiu para que eu lesse, mas eu disse que não tinha o livro. Ela me emprestou o dela, mas eu só aceitei por educação. – Demi respirou fundo completamente aliviada.

   - Eu pensei que você estivesse lendo. – As bochechas das duas estavam coradas, até isto elas tinham em comum.

   - Posso te perguntar uma coisa? – Elizabeth parecia receosa demais e Demi não sabia se respondia sim ou não.

   - O que você quer saber? – Sussurrou temendo a pergunta.

   - Não fique brava. Nós somos amigas, certo? – Demi riu e assentiu. – Eu só estou perguntando por que estou curiosa para saber, e tipo, a senhora sabe com quem foi meu primeiro beijo e essas coisas. – Demi revirou os olhos com “a senhora”. – Você e o papai, você sabe mãe.. – Lizzie corou por alguns segundos e respirou fundo. – Ele foi o primeiro..?  - Demi arregalou os olhos envergonhada e murmurou um “sim”. Geralmente conversar sobre sexo com a filha era bastante embaraçoso, mas no fundo Demi sentia-se bem por ter tal intimidade com Lizzie. Era melhor ela orientar a sua pequena do que um estranho.

   - Tudo bem. Eu vou contar. – Disse depois do silêncio constrangedor entre as duas. – Seis meses de namoro, eu tinha dezessete anos e o seu pai vinte. Acabou acontecendo depois que nós brigamos por besteira. – Demi acariciava os cabelos da menina enquanto contava sobre o relacionamento com Joe. Eram tantas histórias, tantas confusões e felicidades. – Beth? – Chamou-a num sussurro. Ajeitando o cobertor no corpo da filha, Demi desligou o abajur, beijou a testa de Lizzie sussurrando “Boa noite” e logo adormeceu.




Continua... Oi ! Desculpem pela demora para postar, eu estava enrolada com algumas coisas do final de semana e não deu para escrever. Espero que vocês gostem do capitulo. Aviso garotas, no momento minha internet está horrível, eu estou pelo celular usando internet 3g O.O


Obrigado pelos comentários, eu gostaria de responder a cada uma de vocês. Mas como ta complicado, vou responder as principais perguntas aqui. A fic é Jemi absoluta, e como vocês sabem desde as outras temporadas a Demi é a minha personagem principal junto com o Joe. Tipo, eu comecei o capítulo passado com o Dan e a Lizzie para vocês ficarem mais por dentro da realidade da família Jonas, os garotos funcionam como as tretas e até nos momentos de reconciliação... É mais ou menos isto, no próximo post eu explico melhor, ok ? Mil desculpas por algum erro ortográfico, beeeeijos e não deixem de comentar!

15 comentários:

  1. Eu adorei a fic assim, sério.... tadinha da Demi, é explorada por todo lado kkkkk só falta o Dan ne, os filho da Miley tbm tao grande ne??? Adoro esse foco só em Jemi, mas a família deles ta ♥

    ResponderExcluir
  2. Ameeeeeei ! O buffy nao morreu nao neh !
    Posta assim q puder por favor !!

    ResponderExcluir
  3. To apaixonada por essa fic continua pfvr Bjs

    ResponderExcluir
  4. que capítulo mais lindoo
    demi e uma ótima mãe...
    jemiii tão safados <3 .
    posta logooo
    beijos

    ResponderExcluir
  5. que fofo esse momento mãe e filha,esse joe é tao sexy hahaha

    ResponderExcluir
  6. Boa noite Amanda!!
    Estou adorando a fic!! Tadinha da Lizzie!! Estou ansiosa pelo próximo cap!! Bju!!

    ResponderExcluir
  7. Demi pode tá caducando que nunca vai perder a vergonha e essa mania linda de ficar corada (amo)
    Bom amei o capítulo amei tudo :)
    Continua por favor!
    Fabíola Barboza :*

    ResponderExcluir
  8. Nem preciso dizer o quanto eu amei esse capitulo não é mesmo??? eu amo de coração essa fic, é a melhor fic do mundo, eu sou tão apaixonada por ela que eu nem sei explicar, eu fico boba lendo, imaginando como seria perfeito a Demi casada com o Joe e tendo realmente o Dan e a Lizzie *--*
    bom, voltando ao capitulo, eu achei muito fofo a parte de Lizzie e Demi, a Demi sempre uma mãe muito carinhosa. tadinha da Lizzie, cólica é uma coisa muito insuportável, mas ainda bem que Demi cuidou dela... falando em Lizzie, descarada, esse papo de que o livro é emprestado e que ela n esta lendo não colou pra mim, e quando ela perguntou a Demi sobre o Joe ter sido o primeiro dela eu pensei que ela já tinha dado hahahaha quero ver o que o Joe pensa sobre a filhinha dele estar lendo 50 tons :D ele vai pirar!!!
    falando em pirar, até eu iria querer matar o Joe, como é que ele passa meses se alimentando com os filhos de besteiras??? eles devem estar com o colesterol lá no céu, pelo menos levava para o restaurante, realmente a Demi faz falta dentro de casa, Joe ia matar os filhos hahahaha
    Ameeei o Hot, eles bem safados, pensei que eles iam dormir e não iam matar a saudade um do outro, do jeito que eles são dois safados aquilo é só um aquecimento hahaha e imagina se Lizzie entra bem na hora da coisa entrando??? fudeu, a coitada ia ficar traumatizada com a cena, Joe e Demi precisam trancar a porta antes de matarem a saudades desse jeito hahaha
    Beijoos Amanda, esse capitulo esta perfeito, assim como todos os outros, espero ansiosamente pelo próximo!! quero ver o que a Demi irá fazer quando descobrir que o Dan foi suspenso do colégio, vai arrancar a orelha dele kkkkk
    Posta logo <3

    ResponderExcluir
  9. Pode divulgar meu blog? jemihasmyheart.blogspot.com
    E POSTA LOGO PFVR :(

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gata quando vc vai postar no seu blog pq vc parou do nada :( ele e tao perfeito :/

      Excluir
  10. adoreiiiii !! mais eu queria ler sua finc desde o começo , e eu nao estou conseguindo !! será que tem como me dar o link da sua primeira finc?

    ResponderExcluir
  11. Amandita, eu fui reler a primeira temporada da sua história e fiquei confusa pq aparece sequência de wact, ta certo? N entendi.... pq nem tem sinopse e personagens, vc pode me passar o link do primeiro capítulo, da primeira temporada?

    ResponderExcluir
  12. amei amei amei :3
    gente que hot M-A-R-A-V-I-L-H-O-S-O
    a parte da lizzie e da demi huehue
    posta logo

    ResponderExcluir