31.3.16

Capítulo 9


John F. Kennedy International Airport, Nova York - USA, 03:20AM


 No horário em que o avião de Austin pousou na pista de Nova York, Joseph sentiu um terrível frio localizado em sua barriga enquanto ele esperava que os passageiros a sua frente desse espaço para que ele passasse, mas não foi o que aconteceu, Joseph foi o último a sair do avião completamente desajeitado com a mochila que carregava e o enorme casaco de frio que Clara insistiu que ele levasse. A pouco menos de cinco horas ele se despedia da avó que não parava de falar um minuto sequer sobre os cuidados que ele deveria tomar na cidade grande, claro que ele levou uma bronca por avisar em cima da hora, Clara não queria deixá-lo partir, porém não queria ser egoísta a ponto de destruir o sonho do neto. Joseph já era um homem de vinte e dois anos, ele precisava aprender a viver sozinho.

Estava tarde e as ruas não pareciam oferecer nenhum tipo de segurança. Joseph arrumou os óculos de grau ao rosto e olhou para a esquerda logo para a direita. Para onde ele iria? Estava sozinho em Nova York! Pela primeira vez na vida, estava sozinho. Ficar no aeroporto naquela noite era uma possibilidade, mas onde ele dormiria? Os bancos pareciam tão desconfortáveis, sem contar que aquele lugar era tão movimentado, seria impossível passar a noite ali. Olhando para a esquerda, Joseph engoliu a vergonha e a timidez e caminhou até o pequeno grupo de taxistas que conversavam animadamente esperando por clientes.

   - B..boa noite. – Cumprimentou um tanto sem graça quando o grupo composto por dois homens e uma mulher, ambos já de idade, parou a conversa para focar nele. – Eu gostaria de uma corrida. – Disse segurando as alças da mochila com mais força e seguiu o senhor que se despediu dos colegas e caminhou até o táxi parado não muito longe dali.

   - Para onde nós vamos senhor? – O homem mais velho perguntou e Joseph não soube o que dizer, arrumou as mochilas no banco de trás já que não quis colocá-las no porta-malas.

   - Eu sou novo aqui. – Disse sem gaguejar, porém ainda tímido. – O senhor me recomenda algum hotel? – Completou colocando o cinto de segurança. – Eu não conheço ninguém e não tenho lugar para ficar.

  - Bem.. – O homem o fitou por alguns segundos antes de dar partida no carro. – Conheço um bom hotel em Manhattan, o preço é razoável e você tem direito ao café da manhã. – Joseph fitou os próprios dedos e cogitou a possibilidade.. Ele teria que ser esperto e não gastar muito dinheiro já que teria que procurar por algum lugar para morar, e viver num hotel não ajudaria muito visando todos os gastos que ele teria que fazer, porém o lugar era em Manhattan, onde também ficava o prédio da Gyllenhaal.

   - Tudo bem, obrigado. – Ele disse tentando ser o mais educado possível.

Conforme o táxi começava a se movimentar pelas ruas de Nova York um brilho especial assumia os olhos de Joseph, a cidade era tão bonita e diferente de todos os outros lugares que ele já esteve não que fossem muitos, mas Nova York era incomparável, mesmo àquela hora da madrugada ainda tinha gente nas ruas em bares e fast foods, e Jesus! A Time Square era fantástica! Joseph sorriu e arrumou os óculos ao rosto para fitar aquele tanto de painel aceso nos prédios enormes. Era tão bonito que as fotos não faziam jus àquela beleza.

   - Diga a Jane que foi o Ben quem a indicou, ela lhe fará um bom preço. – Joseph assentiu esboçando um pequeno sorriso e pagou a corrida quando o táxi parou em frente ao hotel. O prédio estava longe de ser enorme como os outros, mas tudo parecia muito bem organizado, pelo menos por fora. Respire fundo, disse a si mesmo assim que adentrou ao prédio e a recepcionista e o segurança olharam para ele o estudando.

   - Boa noite. – Disse assim que se aproximou do balcão. – Eu gos..gostaria de um quarto, o Ben quem me indicou. – Respire fundo! Gritou mentalmente consigo mesmo desviando o olhar da moça da recepção que apenas assentiu e verificou se havia quartos disponíveis.

  - Quarto para solteiro? – O quarto era confortável e como já estava tarde demais, Joseph decidiu que ficaria hospedado naquele hotel até que começasse a trabalhar, então ele procuraria um apartamento para alugar ou quem sabe comprar já que ele tinha economizado uma quantia razoável que poderia dar de entrada no imóvel, o resto ele parcelaria.. Acomodado ao quarto que já tinha negociado com Jane, a amiga de Ben, Joseph tinha acabado de sair do banho com uma toalha enrolada a cintura, o cabelo negro estava uma bagunça molhada e o rapaz tentava secá-lo com a outra toalha a todo custo já que não gostava de dormir com o cabelo molhado.

Ainda não há pistas do assassino de Jason Gyllenhaal, mas o que as filmagens das câmeras de segurança do império do magnata indicam é que dois homens encapuzados invadiram o local pelas saídas de ar e invadiram a sala de Jason que ainda estava no prédio trabalhando. Infelizmente as câmeras da sala foram deslizadas e as do corredor não alcançam a entrada da sala do empresário. A polícia ainda investiga o caso, Jason Gyllenhaal foi assassinado ontem e sepultado essa tarde. Estamos aguardando por mais notícias, fiquem ligados.

Os olhos verdes de Joseph estavam arregalados e o coração disparado. Não pudia ser verdade.. Jason Gyllenhaal não podia estar morto!


Apartamento da Demi, Manhattan, Nova York – 12:00PM, USA

Duas semanas depois...

O tempo parecia literalmente voar. Nas duas últimas semanas desde a morte de Jason, Demi não tinha feito nada além de assistir filmes e séries deitada no sofá comendo besteiras junta com Selena. Nem mesmo nos noticiários ela colocava, Demi e Selena decidiram que seria bom passar um tempo se divertindo e se esquecendo de todos os problemas, mesmo que fosse por apenas alguns dias. A ideia estava fazendo bem principalmente para Demi que havia ficado tão sobrecarregada emocionalmente, mas os dias de descanso tinham acabado naquela manhã quando as duas receberam um email da empresa as convocando para uma reunião que aconteceria às duas da tarde.

   - Será que nós vamos ser despedidas? – Selena andava de um lado para o outro. A cabeleireira escura estava presa num coque e Sel vestia apenas calcinha e um camisão, não muito diferente de Demi.

   - Eu não faço ideia Sel. – Resmungou Demi bebericando o suco. – Eu estou tão nervosa. Nós deveríamos ligar para o Ed, ele deve saber o que está acontecendo. – Demi riu quando Selena a fuzilou com os olhos. Graças a ela, Ed quase havia conseguido um beijo de Selena na noite retrasada que o rapaz passou no apartamento de Demi para a maratona de filmes de terror.

   - Nada de Ed, Demetria! – Erguendo as mãos, Demi riu e levou o copo a pia. – É melhor a gente começar a arrumar. Eu não quero nem pensar em chegar atrasada nessa reunião. – Selena assentiu e terminou de almoçar conversando vez ou outra com Demi sobre assuntos aleatórios.



   - A minha mãe está com saudades. – Disse Selena agora deitada na cama de Demi trocando mensagens com a mãe e analisando os looks da amiga. – Uau! A sua bunda ficou maravilhosa nessa saia. – Demi riu ao se virar e analisar a saia moldada em seu corpo. Ela gostava da imagem refletida. Vestia saia lápis um pouco curta e camisa branca de botões. O cabelo estava como ela gostava: solto e penteado de lado destacando o rosto arredondado. Já a maquiagem era sutil.

   - Estou pronta. – Demi finalmente disse o que Selena tanto queria ouvir, já que ela tinha sido mais rápida que Demi e tinha se arrumado primeiro.

 

O prédio da Gyllenhaal estava mais cheio do que Demi esperava. Ao menos aos arredores do prédio a movimentação era absurda. Eram paparazzi, funcionários, fãs da empresa, que por sinal gritaram o nome de Demi quando ela chegou, e a polícia estava presente. Acenando e se sentindo como uma celebridade, Demi sorriu para um fotografo e adentrou o prédio encontrando Selena que não parecia nem um pouco feliz com Ed a sua cola.

   - Você está absurdamente linda! – Ed a cumprimentou com um beijo na bochecha e Demi deu de ombros quando Selena a fuzilou com os olhos. Qual era mesmo a dela? Ed estava fazendo de tudo para conquistá-la e tudo que Selena fazia era desprezá-lo, e agora ela estava com ciúme?

   - Obrigada Ed. Você também está lindo. – Demi sorriu para o rapaz e arrumou a gola da camisa social que ele vestia. – Não acha Sel? – Provocou e Selena deu de ombros. – Ela está na sua. – Cochichou para Ed quando Selena olhou para outra direção.

   - Faltam quinze minutos para a reunião começar garotas, vamos? – Durante todo o percurso até o andar onde seria realizada reunião, Demi gargalhava gostosamente das caretas de Selena que tentava ignorá-la e ignorar a Ed sem sucesso algum. Quando chegaram a sala o pessoal ainda estava arrumando a mesa e os outros recursos que o palestrante usaria, e apesar de estar se sentindo leve e renovada, Demi varreu a sala com os olhos e os mesmos marejaram quando ela se lembrou da primeira vez que esteve naquele ambiente. Era uma recém-formada e o próprio Jason Gyllenhaal a entrevistou sempre a sondando com aqueles olhos azuis espertos e inteligentes. E Deus! Demi havia ficado tão tensa, no começo embolou a fala, não soube explicar ao certo o que esperava do trabalho, mas Jason tinha enxergado potencial na menina, cancelou o resto das entrevistas e passou a tarde e um pedaço da noite a testando até que conseguiu ajudar Demi a revelar quem ela realmente era sem nervoso e tensão. Acabou que Demetria era uma das melhores funcionárias de toda a empresa.

   - Eu vou te matar. – Sussurrar simplesmente era mil vezes mais assustador que gritar. Demi arregalou os olhos e olhou para a Selena ao seu lado. – Desde quando você e o Eden são tão íntimos? – Demi revirou os olhos e flagrou Ed conversando com alguns colegas a certa distância de onde ela e Selena estavam sentadas.

   - Você não quer o cara, mas quer que ele fique o tempo todo implorando para ficar com você? – Demi arqueou as sobrancelhas e Selena semicerrou os olhos sem muita paciência. Felizmente ou infelizmente elas não puderam aprofundar naquele assunto porque a sala literalmente ficou cheia de um segundo para o outro com homens e mulheres que insistiam em sustentar um sorriso no rosto, mas que estavam tão tensos quanto Demi e Selena. E não era para menos já que a vida profissional de cada individuo daquela sala estava em jogo.

   - Essa conversa não acabou. – Disse Selena de mal humor e Demi mal a olhou, deu de ombros e focalizou o homem de costas que conversava com alguns diretores. Engraçado.. Demi poderia jurar que conhecia perfeitamente aquela cintura máscula, as costas largas e a cor e a textura do cabelo loiro escuro, mas Ed lhe roubou a atenção quando se sentou ao seu lado e perguntou se ela poderia ajudá-lo a chamar Selena para sair naquela noite.

   - Prometo tentar, eu só não sei se essa marrenta vai ceder. – Demi deu ênfase em marrenta e riu baixinho quando Selena a olhou de lado. Os próximos segundos foram os mais tensos daquele dia. Quando a porta foi fechada o silêncio na sala foi absoluto, e Demi automaticamente pôs-se cabisbaixo, mordeu o lábio inferior e colocou uma mecha do cabelo atrás da orelha.

   - Boa tarde. – Aquela voz.. Demi ergueu a cabeça e as bochechas coraram bruscamente quando ela flagrou o homem da cintura máscula, das costas largas e do cabelo loiro escuro que tinha visto a poucos minutos se virar. Puta merda! Jake? Ainda sem acreditar Demi mordeu o lábio inferior com mais força quando Jake a olhou um tanto surpreso e esboçou um pequeno sorriso para ela. Oh droga! Agora todos olhavam para ela! Todos! – Meu nome é Jake Gyllenhaal, neto e o único herdeiro do meu falecido avô. – Jake estava nervoso, era de perceber e pelo que Demi conhecia do rapaz, ele aparentava estar mais magro e abatido. – Acredito que o meu avô não gostaria de ver tudo o que ele construir com muito esforço e dedicação desmoronar, é por isso que eu estou assumindo o controle da empresa a partir de hoje. – O alívio tomou conta de todos ali sentados, pois a possibilidade da empresa fechar era uma das principais notícias em todo jornal. A Gyllenhaal fechar significava milhares de pessoas desempregadas e muitos sonhos destruídos. Jake falou durantes horas e horas, o discurso abordava tantos pontos importantes que foram esclarecidos conforme a chuva de perguntas que os funcionários faziam, mas quando a reunião acabou todos estavam satisfeitos com a volta do funcionamento da empresa depois de duas semanas de tensão e expectativa.

   - Eu não acredito que você pegou o neto do Jason! – Não era para Selena estar brava? Demi olhou para os lados rezando para que ninguém tivesse ouvido o comentário da amiga e para que Jake estivesse envolvido com os assuntos da empresa o suficiente para não procurá-la na frente de todos.

   - Não quero uma frase a respeito desse assunto. – Disse Demi quando adentrou ao elevador que por pura sorte do destino estava vazio.

   - Demi! Ele é o seu Jake, não é? – Insistiu Selena e Demi assentiu a contra gosto, mas agradeceu a Deus quando o elevador encheu poucos andares a baixo. Agora tudo estava explicado! Não era à toa que ela olhava para os olhos de Jason e enxergava os de Jake. – Eu ainda não acredito. – Disse Selena agarrando o braço de Demi quando elas saíram do elevador.

   - Muito menos eu. – Resmungou Demi. – O Ed quer sair com você essa noite. – Disse Demi tentando mudar de assunto.

   - A resposta é não. – Selena respondeu rapidamente sem dar muita importância. – Foi tão fofo quando ele sorriu para você. – Oh Deus! Quando Selena colocava uma coisa na cabeça, Demi dificilmente conseguia fazê-la parar de falar sobre. – Tenho que confessar que você tem um ótimo gosto para homens, ele é tão lindo. – Revirando os olhos, Demi fitou a multidão de pessoas e puxou Selena para um canto quando viu que Ed acenava para elas pedindo para esperá-lo.

   - Ah não, você só pode estar de brincadeira comigo. – Resmungou Selena e Demi sorriu vitoriosa.

   - Selena Marie Gomez, não adianta mentir para mim, eu sei que você gosta dele. – Disse Demi a olhando nos olhos. – Você pode tentar quantas vezes quiser, mas eu sei que você está mentindo. – Era a mais pura verdade, Selena revirou os olhos e cruzou os braços quando Ed se aproximou com aquele sorriso bonito nos lábios.

   - Quer jantar comigo essa noite? – O rapaz perguntou de um jeito extremamente fofo e Demi sorriu tentando sair de fininho para deixá-los a sós, mas eles estavam cercados de milhares de pessoas.

  - Você pode vir conosco Demi? – Demi olhou para Selena e franziu o cenho, era um jantar para dois, e ela definitivamente não estava inclusa no pacote.. mas quando Demi flagrou o olhar esperançoso de Ed, ela assentiu. Ora, estava na hora de conversar seriamente com Selena a respeito de Ed.

   - Demi! – Ah não! Engolindo em seco, Demi olhou para trás e encontrou Jake todo charmoso com o paletó cinza dobrado no braço.

  - Jake. – Ela disse tentando parecer simpática e quando o rapaz esboçou um sorriso triste e pediu por um abraço, Demi não hesitou em abraçá-lo com força. – Eu sinto muito. – Disse quando eles desfizeram o abraço.

   - Infelizmente as coisas não acontecem como nós desejamos. – Demi assentiu com pesar. Aquela frase se encaixava perfeitamente na sua vida sentimental frustrada que ia de mal a pior.

   - Então.. Acho que tenho que ir. – O clima estava estranho entre os dois, e não era para menos já que todos os olhavam e alguns até tiravam suas “discretas” fotos com suas câmeras potentes.

   - Posso te ligar mais tarde? – Perguntou Jake coçando a nuca. – A gente pode marcar para sair, conversar um pouco. – Demi assentiu esboçando um pequeno sorriso e se despediu de Jake com um abraço apertado e um beijo na bochecha.

   - Você e o neto do Jason já se conheciam? – Ótimo! Agora havia Ed para perturbá-la com aquele assunto. Já não bastava Selena.. Não era à toa que os dois faziam um belo casal.

   - Se você começar, o único lugar que eu vou essa noite é para a minha cama.

***

Ser diabético e hipertenso era definitivamente uma droga. Os alimentos e as bebidas eram minuciosamente controlados, pois a depender da composição deles, Joseph estaria completamente em maus lençóis. Era cansativo sempre comer comidas saudáveis e integrais, das duas semanas que Joseph estava em Nova York, o rapaz tinha feito refeições à base de frutas, verduras e legumes, mas como ninguém é de ferro, Joseph optou por sair para comer em algum lugar diferente e claro, que estivesse dentro da sua condição financeira. Até o dia passado ele tinha decidido que iria voltar para o Texas e nunca mais sairia de lá, mas a notícia que a Gyllenhaal voltaria a funcionar animou o rapaz que decidiu permanecer em Nova York e no dia seguinte ele entraria em contato com a empresa para tentar resolver a sua situação. Agora, sentado a mesa da pizzaria apenas com a companhia de Deus, Joseph lia o cardápio e desejava secretamente poder pedir por uma pizza quatro queijos, ou uma daquelas que transbordavam de recheio e muito bacon. Mas as coisas não funcionam assim com ele. O rapaz suspirou e virou a folha do cardápio se deparando com todos aqueles sucos, milk-shakes, refrigerantes e cervejas. Droga! Ele nunca poderia ser um jovem normal de vinte e dois anos, ele era todo regrado e gaguejava quando as garotas resolviam falar com ele.

   - O suco de laranja sem açúcar e a pizza como o senhor pediu. – Cansado demais para gaguejar ou derrubar alguma coisa, Joseph apenas assentiu e colocou a nota de sua conta em um lugar da mesa onde não a perderia. Legumes, frutos do mar e presunto estavam no lugar da típica calabresa, do bacon e do queijo exagerado. Se bem que não era tão ruim, Joseph provou a primeira grafada do pedaço da pizza e gostou o sabor. Aquela deveria ser a primeira refeição saborosa e próxima do normal que ele fazia dentro de duas semanas.



   - Deus! Porque pizza de quatro queijos é tão gostosa? – Selena fez careta, mas riu buscando por um guardanapo para limpar o queixo de Demi sujo de molho de pizza. Estava ela, Demi e Ed na pizzaria que as duas amigas frequentavam há anos, e como Demi dizia, a pizza de quatro queijos era maravilhosa! Quatro queijos, napolitana, americana, pizza de bacon! Deus! Eram tantos sabores, mas ninguém se cansava de comer, era bem pelo contrário, e Selena já estava conformada com a falha no cronograma alimentar. Dieta.. Quem poderia pensar em dieta quando existe algo chamado pizza?

   - Você provou a de bacon? – Ed perguntou passando um braço pelo ombro de Selena que não disse nada e até deitou a cabeça no ombro do rapaz que sorriu para Demi.

   - Provei, são todas maravilhosas. Não é à toa que essa é a nossa pizzaria favorita, não é Sel? – Demi sorriu e se limpou com o guardanapo, procurou pelo celular dentro da bolsa e flagrou disfarçadamente Selena erguer a cabeça para fitar os olhos de Ed. – Eu tenho que ir ao banheiro. – Disse rapidamente se levantando e saindo dali para que Selena não inventasse de segui-la ou algo do tipo. Demi conferiu o visual no espelho e checou as mensagens do celular rapidamente antes de sair do banheiro. Oh Deus! Parecia que Selena e Ed estavam finalmente se entendendo, Demi sorriu consigo mesma ao fitar o quase casal trocando olhares, eles estavam tão próximos, Ed fazia carinho na bochecha de Selena e tudo que ela fazia era corar e sorrir tímida. – Oh meu Deus! Desculpe. – Caminhar focada no que acontecia na vida de seus amigos não era uma boa ideia, tanto que Demi acabou esbarrando em uma pessoa a sua frente.

   - Você.. você.. É, você se mach..chucou? – As bochechas de Joseph estavam coradas, o rapaz arrumou os óculos de grau ao rosto por pelo menos duas vezes. Ele estava tão nervoso com o olhar doce daquela mulher sobre ele, e quando ela sorriu, Deus! O chão partiu sobre os seus pés e ele engoliu em seco.

   - Eu estou bem. – Demi disse tentando esboçar o seu melhor sorriso para o rapaz atrapalhado a sua frente. – E você? Se machucou? – Ela perguntou e riu baixinho do jeito desastrado e envergonhado do rapaz, ele era até bonito, mas ninguém usava calça jeans colada e a barra da camisa xadrez de mangas dentro da calça!

   - Estou bem. – Joseph disse rapidamente e Demi sorriu de forma simpática seguindo caminho. Ele a olhou caminhar e conversar com um casal, era engraçado, o coração do rapaz acelerou de uma forma estranha.

   - Senhor? – A moça do caixa o chamou e Joseph pagou a conta depois de confundir as notas e deixar a carteira cair. Como alguém podia ser tão atrapalhado como ele era?

 Franzindo o cenho com o frio que fazia lá fora ao sair da pizzaria, Joseph adentrou os bolsos da calça com as mãos e começou a caminhar vez olhando para o céu borrado pelas nuvens negras e vez pensando em como conseguiria o seu emprego na Gyllenhaal depois dos últimos acontecimentos na empresa. Deveria ser tarde, supôs o rapaz ao entrar numa rua mal iluminada. A rua não tinha uma alma viva a não ser ele e uma mulher que andava alguns metros a sua frente. Olhando para os lados o rapaz apressou o passo não gostando da sensação ruim que o tomou e quando olhou para frente flagrou um homem abordar a moça que sem como se defender foi arrastada pelo homem para um beco escuro.


As lágrimas rolavam freneticamente pelo rosto de Demi. A lâmina afiada da faca estava contra o seu pescoço lhe causando arrepios, o homem a empurrava brutalmente para o beco escuro e sussurrava palavras maldosas em seu ouvido para assustá-la. Quando o homem a soltou, Demi pensou em fugir, mas estava com medo do pior. Na maior cara de pau o brutamontes lhe tomou a bolsa logo a vasculhando a procura de objetos valiosos. Então o pior aconteceu, o homem jogou a bolsa no chão depois de guardar alguns dólares e o celular de Demi no bolso, ele esboçou um sorriso malicioso se aproximando e conforme o fazia, Demi dava um passo para trás até que estava encurralada entre a parede e o homem. Ele cheirava álcool e cigarro, os lábios ásperos agrediram a pele macia do pescoço em beijos ásperos, a mão nojenta sondou o corpo o machucando e o violentando com apertões enquanto a outra envolvia os dois pulsos sem nenhuma dificuldade contra a parede grosseira que machucava as mãos delicadas. Lutar era perda de tempo, mas Demi era persistente e tentava a todo custo se soltar se debatendo contra o corpo do homem, ela conseguiu o acertar nas partes baixas e o homem sem nenhum equilíbrio cambaleou para o lado. Foi a oportunidade perfeita para Demi tentar fugir, mas ela acabou tropeçando nos próprios pés.

   - Você não vai fugir vadia. – O tapa contra o rosto não foi nada perto do orgulho ferido, novamente o homem partiu para cima dela, mas num piscar de olhos ele foi puxado bruscamente e acertado com um soco certeiro na face.

   - Ele tem uma faca! – Ela tentou avisar o homem que lutava com o agressor nojento, mas ambos estavam envolvidos demais trocando socos e ponta pés. Quem ganhava a luta? Demi não sabia, mas torcia para que fosse o seu herói. Até que um gemido ecoou pelo beco, os dois homens caíram e Demi não soube o que fazer, estava tão nervosa e achava que não conseguia se mover, até que quando percebeu estava agachada a beira do homem que tinha a livrado do pior. – Você está bem? Ele te machucou? – Ela perguntou tentando olhá-lo nos olhos, mas a pouca luz não ajudava.

   - N..não. – Não era hora para gaguejar! Joseph nunca havia trocado socos com nenhum homem, mas quando ele viu aquele covarde intimidar aquela pobre mulher que não tinha como se defender as coisas mudaram.. Jamais permitiria que nenhum homem tirasse proveito de nenhuma mulher! Aquilo era absurdo em sua cabeça, ele tinha apanhado muito, mas também tinha revidado da forma que podia.

   - Você está bem? – Demi tornou a perguntar preocupada. Joseph focou o rosto da mulher e o viu turvo até porque os seus óculos foram brutalmente quebrados e ele estava tonto.


   - Estou.. – Não, não estava, Demi arregalou os olhos quando o homem perdeu a consciência e apagou. Não pense no pior, ela dizia para si mesma enquanto verificava o pulso do homem.

Continua.. Desculpem pela demora para postar, semana corrida.. Enfim, ai está o capítulo, espero que vocês gostem.. O Joe e a Demi finalmente se conheceram. E agora? O que vocês acham que vai acontecer? O Joe vai conseguir o emprego na Gyllenhaal? E a Demi e o Jake? Eles vão ficar juntos? O que o Jake quis dizer com "Infelizmente as coisas não acontecem como nós desejamos."? Vocês acham que a Sel vai ficar com o Ed? E a Demi e o Joe? Gente, eu sei que essa fanfic é bem diferente da outra e que as coisas estão demorando para acontecer entre os personagens principais, mas vai acontecer, ok? Ainda estamos no capítulo 9! Tudo que aconteceu nesses nove capítulos será usado... Tem muito caroço nesse angú hahaha, comentem a opinião de vocês, por favor, é importante para mim, quem tiver sugestões também, fiquem a vontade! Então eu já vou, vou tentar escrever o capítulo 10 logo, odeio ficar esse tanto de dia sem postar, mas não tem como escrever com uma porrada de atividade e trabalho para fazer, sem contar que estou estudando pela manhã e à noite. Beijo e um abraço apertado! 

6 comentários:

  1. aaah posta maais, por favooor
    postaaa

    ResponderExcluir
  2. omg, primeira!
    cara, ta perfeito... estou amando, posta logo o proximo cap.

    ResponderExcluir
  3. Como você para bem ai, moça? Finalmente eles se conheceram \o/
    Acho que no começo Demi não vai se ver tendo um relacionamento com Joe, porque tipo, ela é mais experiente
    não está acostumada a ficar com homens timidos, igual o joe
    então acho que eles vão começar sendo amigos, demi vai ajudar ele na empresa, essas coisas...
    acho que o jake não quis matar o avó, talvez ele tenha planejado apenas rouba-lo e acabou matando ele
    gente que fanfic babado, posta logo, bjsss

    ResponderExcluir
  4. Acho que o Joe ja ta afim da Demi kkkk que fofos finalmente se conheceram. Adorando essa fic

    ResponderExcluir
  5. Finalmente se conheceram kkkkkkkkkkkkkk. Só assim pro Joe enfrentar alguem. Imagina qndo ele for lá na empresa, n demora p postar o próximo n por favooor

    ResponderExcluir
  6. adoreeeei
    eles são tão fofos kkkk adorei o jeito que se conheceram !!
    Selena é tão engraçada kkk..adorei
    posta logo
    beijos

    ResponderExcluir