1.3.16

Capítulo 5 - Jantar

 Dormir era tão bom, não era à toa que o sono era considerado uma das melhores coisas do mundo. Era recarregar a bateria para que o corpo pudesse trabalhar novamente. Apesar da cabeça pesada, dos olhos inchados e da mente confusa, Demi havia tido uma boa noite de sono. Apagou nos braços de Selena por toda a noite e os sonhos não foram ruins, porém também não foram bons. Na maioria das vezes os sonhos de Demi eram uma terrível confusão, nada que a deixasse com a pulga atrás da orelha. Agora estava acordada fitando a parede do quarto como se ela fosse a coisa mais interessante de todo o mundo. Os pensamentos pareciam congelados e absolutamente nada lhe passou pela cabeça enquanto fitava a parede, até que o barulho do relógio sobre a mesa despertou a sua atenção. O relógio sempre fazia barulho quando marcava uma hora inteira ou quando faltava meia hora para um próximo horário. Cinco e meia da manhã. Deveria ser a primeira vez que Demi acordava naquele horário, um verdadeiro milagre. Geralmente o despertador tocava às sete da manhã e Demi só se levantava as sete e quarenta e cinco. Mas lá estava ela acordada às cinco e meia da manhã. Faltava uma hora e meia para o despertador começar perturbá-la. Agora uma hora e vinte e nove minutos.. Demi fechou os olhos e tentou dormir, mas não conseguiu, não quando Selena respirou fundo e ela tomou um susto ao perceber que tinha a cabeça deitada no colo da amiga. Pobre Selena! Deitada sentada, Selena estava sentada sobre a mão esquerda e a direita estava próxima ao ombro direito de Demi. O corpo estava gelado por conta da baixa temperatura da madrugada e Sel suspirava vez ou outra.

   - Sel. – Chamou se erguendo e a cabeça pesou tanto que Demi franziu o cenho. –Selena. – Chamou mais uma vez e a amiga acordou assustada.

   - Dem? O que foi? Você está bem? – Perguntou Selena ainda sonolenta olhando para a amiga.

   - Estou bem. – Limitou-se a dizer. – Só deite direito. – Pulando para fora da cama, Demi caminhou em direção ao closet à busca de um travesseiro e um cobertor.

   - Obrigada. – Disse Selena assim que Demi lhe entregou o travesseiro e o cobertor que havia buscado no closet. – Você está bem? – Tornou a perguntar quando Demi se deitou ao seu lado abraçando o travesseiro e se cobriu com o cobertor.

   - Só estou cansada e minha cabeça está muito pesada. – Disse fitando os próprios dedos. – Vamos dormir, ok? Nós temos trabalho mais tarde. – Selena assentiu se acomodando a cama de Demi. Agora estava explicado o porquê que a amiga tinha uma tremenda dificuldade para acordar. A cama era macia e muito confortável. Quando Selena se esticou pronta para voltar a dormir e fechou os olhos, Demi fez o mesmo, porém quem disse que ela tinha sono? Deus! Eram cinco da manhã! Ela tinha que dormir mesmo que não tivesse sono, caso contrário seria horrível passar o dia com sono e mal humorada. Resmungando, Demi se virou, abraçou o travesseiro e fechou os olhos. Tudo bem, ela era uma verdadeira mestre em dormir, mas porque não estava funcionando? Desistindo dez minutos mais tarde, Demi levou a mão ao criado-mudo ao lado da cama à busca do celular. Uma porrada de snaps e muitos likes masculinos no instagram. Quando a Gyllenhaal lançava os seus produtos no mercado, eles montavam uma premie e quem palestrava a respeito dos produtos era Demi acompanhada de Jason. Juntos, os dois davam um verdadeiro show, muito divertido e engraçado, para as pessoas que os assistiam e a maioria dessas pessoas eram homens, garotos e garotas fanáticos por tecnologia. E como Demi era bonita demais e tão fanática por games, designer, séries e entendia muito de outras áreas daquele mundo, segundo os homens, ela era perfeita demais para existir. Ao menos em alguma coisa ela era boa..

   - Não consegue dormir? – Perguntou Selena a assustando quando repousou o queixo em seu ombro.

   - Definitivamente não. – Demi respirou fundo gostando do carinho que a mão de Selena fazia em sua barriga e ela abriu a nova mensagem de Jake do dia passado.

“Hm.. O que você está fazendo? Estou tão entediado e sozinho. O programa de culinária é tão chato, ao menos aprendi a preparar um macarrão incrível. Topa experimentar o melhor macarrão do mundo – juro que não vou decepcioná-la – e tomar um delicioso vinho comigo? Estou ansioso para encontrá-la. Jake.”

   - Não vai respondê-lo? – Perguntou Selena sorrindo ao ver o pequeno sorriso de Demi. – Ele está muito interessado. Nenhum cara costuma enviar mensagem, e você já recebeu duas mensagens dele. – Demi ponderou a ideia de responder a mensagem de Jake, mas então pensou em que não seria uma boa ideia, primeiro porque ela não estava à procura de um relacionamento, se apaixonar e todas as coias que vinham com um cara como Jake e segundo: ela não sentia vontade de estar com ninguém, não sentia vontade de viver, de casar ter filhos e traumatizá-los como tinha acontecido com ela.

   - Eu não sei. – Disse num suspiro. Ela não podia suportar a ideia de ter um relacionamento por mais que quisesse muito um. Alguns homens, sem generalizar, mentiam, traiam e usavam as mulheres como o homem que a gerou fez com Dianna, e pior, eles abusavam de suas parceiras mesmo num relacionamento. E se Jake fosse como um desses homens? Talvez fosse exagero pensar tamanho absurdo dele, ele tinha sido fantástico na noite passada, havia a salvado do rapaz que queria abusá-la, tinha bebido com ela e tinha sido um dos melhores caras com quem Demi já tinha compartilhado a cama. Mas um relacionamento era algo muito grande.. E o que Jake pensaria quando ela contasse a ele tudo sobre a sua vida?

   - Demi, você está bem? – Selena perguntou se erguendo e Demi se virou ficando deitada de barriga para cima.

   - Sinceramente? Eu não sei. – Disse fitando o teto. – Até o domingo antes dela aparecer a única coisa que eu queria era dormir com um cara muito gostoso que enviaria mensagem no dia seguinte perguntando se a gente podia fazer alguma coisa. Então o nosso relacionamento cresceria ao poucos, sabe? Com alguns meses a gente se apaixonaria, brigaria por bobeiras, transaria apaixonadamente nos lugares mais improváveis e finalmente eu diria a ele que o amava e ele diria que também me amava. A gente se casaria, nada muito exagerado, teria uma lua de mel muito divertida e com muito sexo, alguns anos depois eu descobria que tinha um pequeno ser crescendo no meu ventre, nós duas surtaríamos com típicos gritos e danças ridículas, o meu bebê nasceria assim como muitos outros. Nós viveríamos numa casa bem grande com muitas crianças bonitas e cães. – A lágrima solitária rolou pelo rosto bonito de Demi e o coração dela se espremeu no peito com dor. – Mas eu não sei administrar toda essa situação.. O Jake é maravilhoso, ele me salvou de um cara que tentou me drogar no pub. Mas eu não posso usá-lo e depois descartá-lo como um objeto. É claro que ele quer mais que sexo, eu só não sei se eu posso dar a ele mais que isso e se há espaço na minha vida agora para ele, não depois de tudo. – Demi nunca conheceu um homem que não mentisse ou um que não tentasse enganá-la. A prova disso eram os namoros mal sucedidos por conta de mentiras e traições e agora o único homem que ela tinha esperanças de amá-la de verdade era um monstro. Jake estava em sua vida não tinha mais que quarenta e oito horas e ele tinha sido o melhor de todos. Não a julgou quando a viu beber, não a queria como uma propriedade, não a tratou como uma pobre menina indefesa que não podia se comportar como alguém livre e com vontades, em momento algum ele a criticou ou a ridicularizou, ele a fez se sentir livre e protegida.

   - Você está certa, você não pode usá-lo. – Disse Selena olhando para os olhos da amiga. – Mas você precisa organizar os seus sentimentos e os seus objetivos, você é tão jovem e inteligente, há tantas coisas ainda para viver. Nós vamos superar essa história juntas, você não tem culpa Dem, não tem e eu prometo que tudo vai ficar bem. – Automaticamente as duas se abraçaram e Selena sorriu ao ver o sorriso lindo da amiga nos lábios.

   - Você fala como se você fosse uma velhinha. – As lágrimas rolaram mesmo com o sorriso em seus lábios, Demi ainda se sentia péssima, mas saber que Selena estava ao seu lado eliminava uma boa parte da tristeza que a consumia.

   - Sou vinte e nove dias mais velha que você e a única que tem juízo. – Selena tinha Demi nos braços e sorria observando os olhos marrons da amiga tão brincalhões quanto os seus.

   - Você é muito chata, isso sim! – Demi riu, mostrou língua e tornou a abraçar Selena como se nela encontrasse forças e apoio e novamente as lágrimas estavam lá molhando o seu rosto e a camisa de Selena.

   - O Jake, como ele te fez sentir? – Perguntou Selena dez minutos mais tarde enquanto brincava com os cabelos lisos de Demi que estava quase dormindo adorando o carinho que recebia.

   - Ele me fez gozar muito. – Brincou, mas logo estava séria sentindo como seria duro confiar novamente em um homem. – Não fui ao pub encontrar um cara, eu só queria esquecer de alguma forma. Beber e dançar pareciam boas opções, beijei alguns caras e confesso que não tenho ideia do porque eu o fiz. Então ele apareceu. – Disse num suspiro. – Tinha um estrangeiro, britânico eu acho, conversando comigo, ele era simpático e tinha um bom papo. O Jake estava sentado em um dos bancos do bar e eu senti os olhos dele sobre mim durante toda a noite. John, acho que esse era o nome do rapaz, ou era Johnny, tentou colocar alguma coisa na minha bebida durante a nossa conversa, mas o Jake não deixou, ele apareceu do nada e me salvou. – Selena capturou o pequeno sorriso de Demi e sorriu também. Ela mal havia visto esse tal de Jake, mas já gostava muito do rapaz. – Eu me senti segura com ele por mais que eu tenha sido uma idiota e não o agradeci como deveria. Geralmente os barmans deixam que caras nojentos como o Jorge drogar mulheres inocentes, até mesmo outros homens e mulheres contribuem para essa.. coisa. Mas o Jake. – Outro suspiro e Selena soube que a possibilidade de Demi gostar do rapaz era muito grande. – Ele me salvou, me ajudou a distrair e fez amor comigo a noite to..

   - Quem é Jorge? – Interrompeu Selena de cenho franzido.

   - John, Johnny ou Jorge, sei lá. – Resmungou Demi. – Eu só dormi com o Jake por isso Sel, de alguma forma eu senti que podia confiar nele e o deixei se aproximar, e aconteceu. – Selena assentiu pegando o celular de Demi para ler mais uma vez as mensagens de Jake.

   - Quem sabe ele não é diferente? – Disse depois que leu a primeira mensagem e depois a outra. – E eu já disse: você é uma mulher muito especial. O que aconteceu no passado não tem como consertar Dem, mas você pode fazer tudo de um jeito diferente na sua vida. O que importa não é o que fizeram com você, é como você vai aplicar isso na sua vida. Pense melhor, e se for preciso talvez até.. – Selena a olhou de cenho franzido e suspirou não acreditando no que diria. – Converse com a sua m..mãe, reflita sobre tudo que você viveu até esse último segundo, e não se culpe independente do que a Dianna disser, você é tão vítima quanto ela. – Curvando-se, Selena depositou um beijo carinhoso na testa da amiga e limpou as novas lágrimas que rolavam pelo rosto bonito de Demi. – Quem sabe o Jake seja o cara? Só cabe a você, minha menina bonita, a decidir a sua felicidade, eu te amo Dem. – Trocando olhares confidentes como as irmãs de vida inseparáveis que Selena e Demi eram, as duas se abraçaram e em meio a muita brincadeira boba por mais triste e desanimada que Demi estivesse, elas acabaram dormindo pelo resto de tempo que tinham até que o despertador de Demi começou a maratona de sons irritantes até que elas estavam de pé.


***


“Mil desculpas por não respondê-lo na noite passada, acabei dormindo, estava muito, muito – culpa sua – cansada. Sim! Eu..”.
Quieta na cadeira giratória, o que era um milagre, Demi tinha o celular em mãos e estava a mais de meia hora tentando escrever alguma mensagem para Jake, porém sem sucesso. Jake queria que ela o encontrasse, mas ela não sabia se poderia encontrá-lo e receber todos os beijos deliciosos dele, o abraço reconfortante, os bonitos olhos azuis fitando os seus.

“Mil desculpas por não respondê-lo na noite passada, acabei dormindo. Eu estava muito, muito – culpa sua – cansada. Sim! Eu adoraria comer o seu maravilhoso macarrão e tomar uma pequena quantidade de vinho visto que eu, juro, que nunca mais vou beber novamente. Ou nós podemos marcar outra coisa se você.. hum.. já fez o seu “maravilhoso” macarrão e descobriu que ele não é comestível, foi você quem disse que não sabia cozinhar! Estou brincando, eu adoraria encontrá-lo Jake, a nossa noite foi realmente muito boa, não mais que a sua companhia. Demi”.

Era só clicar em enviar. Demi comprimiu a boca numa linha e o rosto assumiu a expressão raramente séria. E se ela estivesse se metendo numa enorme furada? Não era melhor deixá-lo para lá quieto e entediado nas férias que ela sonhava em ter? Eram tantos problemas e tantas coisas na cabeça, a tarde sentada a cadeira giratória tinha sido dura, Demi havia trabalhado em tantos relatórios, e aquelas malditas pastas que Selena havia deixado em seu escritório no dia passado estavam carregadas de problemas que só alguém como ela dentro da empresa poderia resolver, o que era uma verdadeira dor de cabeça já que Demi tinha que fazer uma série infinita de ligações e mandar muitos, muitos mesmo, emails para clientes e fornecedores.

   - Essa cara.. – Disse Selena a estudando assim que adentrou o escritório da amiga sem bater à porta. – Você tem certeza que o Jake te fez gozar muito? – Disse apenas para provocá-la como elas sempre faziam. – E por que você não está girando como um menino selvagem lambão nessa cadeira idiota? Pelo visto a minha irmã melhor amiga vinte e nove dias mais nova que eu amadureceu. – Selena se aproximou esperando Demi atacá-la com alguns tapas e respostas afiadas, mas tudo que ela fez foi suspirar. – Nossa, você está realmente muito chata. – Dessa vez foi Selena quem suspirou frustrada. – Dem.. – Começou a dizer puxando uma cadeira para que pudesse sentar ao lado da amiga. – Eu sei que essa história dos seus pais é muito séria, mas não adianta ficar se remoendo de tristeza. – Demi a olhou pela primeira vez desde que a amiga pisou em seu escritório e observou como os cabelos de Selena lisos com lindas curvas e castanhos ficavam ainda mais bonitos com toda a luz do sol que adentrava a sala. Selena era um pouco mais alta que ela, era magra, morena e dona de olhos castanhos hipnotizantes.

   - Eu sei, Sel. – Disse colocando uma mexa de seu cabelo castanho atrás da orelha. – É que eu me sinto tão mal, como uma carga indesejada. – Comentou rapidamente fechando os olhos e cobrindo o rosto com as mãos. – Eu não sei como responder a mensagem do Jake. – Disse rápido demais e Selena pegou o celular sobre a mesa.

   - Eu amo você, olhe pelo lado bom. – Tudo bem, Selena sabia que as tentativas para arrancar sorrisos de Demi estavam indo de mal a muito, definitivamente muito, pior. – Eu não estou ajudando. – Murmurou deitando a cabeça no ombro de Demi, que assentiu forçando um pequeno sorriso. – Ao menos você sorriu. – Disse Selena começando a ler a mensagem de Demi para Jake.

   - Eu não me sinto segura com você. – Disse Demi do nada e Selena se levantou num pulo. – Own, você é fofa, mas eu suspeito que você seja pelo menos noventa por cento lésbica. – Selena fez careta e revirou os olhos se agarrando mais a amiga para terminar de ler a mensagem.

   - Talvez eu só goste muito de você, chata. – Resmungou observando que Demi ainda não tinha enviado a mensagem para Jake. – Dem, você não vai enviar? – Perguntou Selena a olhando e Demi fez careta.

   - Eu não sei. – Murmurou entre dentes. – Eu estou traumatizada o suficiente para não querer um relacionamento com um cara, os chifres pensam Selena. – Resmungou com desgosto e Selena riu desacreditada. – Pensei que eu poderia transar com ele, tipo o Justin Timberlake e a menina lá que eu esqueci o nome em amizade colorida, claro, sem a parte que eles se apaixonam e a Time Square. – Selena a analisou dos pés a cabeça mesmo sentada e Demi arqueou as sobrancelhas a olhando.

   - Você vai precisar de um bom bronzeado para parecer a Natalie Portman, você está mais para o Gasparzinho. – Demi cerrou os olhos e os revirou com vontade porque sabia que Selena odiava quando ela fazia aquilo e cantarolou mentalmente “Keep, keep bleeding luv”.

   - Não é a Natalie Portaman! – Disse Demi como se fosse o maior absurdo. – É a Mila Kunis. – As duas reviraram os olhos e Demi se permitiu rir. – Enfim, eu pensei que eu poderia encontrar um cara legal, mas Sel, acredite ou não, eu não me sinto a vontade com a ideia de transar. – Selena mordeu o lábio inferior, franziu o cenho e fitou os olhos marrons de Demi que carregavam culpa e medo.

   - Uau, você não querer transar é a coisa mais estranha do mundo. – Comentou Selena com certo espanto fitando a mesa de vidro sempre organizada de Demi com blocos de notas coloridos, uma caneca branca com estampa de corações cheia de canetas coloridas, lápis e marca-textos, o notebook ligado com o projeto atual que Demi trabalhava e à direita, alinhado ao notebook, estava uma pilha de documentos que certamente Demi estudaria mais tarde. – Talvez.. – Ponderou pensativa. – Não há nada demais na sua mensagem, Dem. Vocês podem se encontrar, conversar um pouco, distrair sem necessariamente ter sexo envolvido. Quando aconteceu tinha álcool em suas veias e nas dele, agora é diferente. Não acho que fará algum mal a você, e é até bom, as meninas estão comentando que você está diferente, e realmente, toda vez que te espio pelas persianas você está distante, séria e triste. – Selena observou os longos e espessos cílios de Demi tremerem quando a dona deles piscou repetidas vezes e lançou o olhar para baixo brincando com os dedos nas pulseiras que usava no pulso esquerdo.

   - Eu só estou confusa. – Disse levantando o rosto para fitar os olhos da amiga. – Muita coisa mudou na minha cabeça, estou tentando me acostumar, mas não é fácil. – Sem se importar se ficaria numa posição desconfortável, Selena envolveu Demi com os braços e a beijou no alto da cabeça sussurrando palavras doces.

   - Imagino que sim Dem. – Selena tornou a beijá-la no topo da cabeça e levantou arrumando a saia lápis no corpo. – Não quero que você pense mais nessa história por hoje, responda o rapaz e termine o seu trabalho mocinha, ainda faltam muitas horas para as cinco e meia. – Demi assentiu esboçando um pequeno sorriso e quando Selena a deixou sozinha, ela tornou a ler a mensagem e finalmente a enviou.


***


   - Não é um encontro. – A noite finalmente tinha chegado e Demi corria da cozinha para a sala, da sala para a cozinha de seu apartamento, e claro, Selena estava ao celular acompanhando mesmo de longe a agonia da amiga.

   - “Então porque você está arrumando a casa? Você nunca arruma a casa quando eu vou visitá-la.” – Questionou Selena do outro lado da linha enquanto Demi verificava se tinha tudo que precisaria na geladeira para preparar o jantar.

   - Você praticamente mora aqui, não preciso arrumar a casa para recebê-la. – Imaginando a careta engraçada da amiga, Demi colocou o celular sobre o balcão da cozinha colocando a ligação no viva-voz já que acabaria se machucando se continuasse a sustentar o celular com o ombro e a se mover agilmente pela casa. – E eu não estou arrumando a casa, só estou verificando se tenho tudo para o jantar. – Justificou-se finalmente fechando a porta da geladeira. Jake havia respondido a mensagem que ela havia enviado e eles passaram boa parte da tarde conversando via mensagens e como o rapaz queria muito encontrá-la, Demi não viu um por que para não convidá-lo para jantar em seu apartamento naquela noite. O que era bom já que Demi mal tinha tempo para pensar em Dianna e no homem que a gerou.

   - “Ele deve estar chegando, já são quase sete e meia.”. – Disse Selena indiferente e Demi riu pegando o celular para levá-lo para o quarto.

   - Nós podemos fazer uma noite do pijama aqui em casa, prometo que vou arrumar a casa para recebê-la. – Demi riu e tagarelou com Selena por exatos vinte minutos, o tempo em que decidia se ficaria com a roupa que havia vestido depois do banho ou se escolhia um de seus vestidos, mas como ela tinha combinado com Jake que seria um jantar em que os dois ficariam super a vontade, havia escolhido uma típica blusa, calças jeans e sapatos de salto. – Sel, ele chegou, vou desligar. – Disse assim que a campainha soou e quando pegou o celular viu que eram sete e meia da noite, hora que ela e Jake combinaram.

   - “Boa sorte Dem, divirta-se e qualquer coisa, qualquer coisa mesmo, você pode me ligar. Até amanhã, amo você.” – Despedindo-se de Selena, Demi guardou o celular no bolso, verificou o visual no espelho do closet e correu para abrir a porta um pouco nervosa.

   - Tudo bem. – Disse a si mesma respirando fundo e então destrancou a porta e a abriu. Uau. Jake era sem dúvida o cara mais bonito com quem Demi já tinha ficado. O suéter azul escuro abraçava todos os músculos do torso forte e os braços musculosos. As calças eram pretas e os sapatos também, o perfume dele era inebriante e o sorriso de tirar o fôlego.

   - Oi. – Automaticamente Demi mordeu o lábio inferior e colocou uma mecha do cabelo atrás da orelha. Ele era demais para ela!

   - Oi! – Dando espaço para que Jake adentrasse o apartamento, Demi fechou a porta a trancando e com o coração a mil se virou. – Você está linda. – Demi pôs-se na ponta dos pés e levou as mãos à nuca de Jake para brincar com os fios de cabelo daquela região quando o braço forte dele rodeou sua cintura.

   - Você também, Jake. – Demi sorriu para ele, e ele sorriu para ela. Trocaram olhares intensos e finalmente se beijaram cheios de saudade um do outro. – Jake! – Ela ronronou entre o beijo ao sentir algo gelado tocando a sua cintura. – O que é isso? – Perguntou curiosa e Jake a soltou de seu abraço.

   - Vinho e chocolate. – Ele disse piscando para ela e Demi novamente ficou na ponta dos pés para beijá-lo na boca sussurrando nos lábios dele “obrigada”. – O seu apartamento é muito bonito. – Demi sorriu assentindo. Gostava do apartamento, tinha o seu gosto estampado e era muito confortável e espaçoso. – Você mora sozinha? – Perguntou enlaçando os dedos aos dela quando Demi o puxou em direção a cozinha.

   - Moro. – Puxando um banco para que Jake se sentasse, Demi foi à busca das duas taças que havia separado mais cedo e sorriu para o homem bonito que a olhava com admiração. – Está preparado para cozinhar o nosso jantar? – Perguntou repousando as taças sobre o balcão junto ao vinho e foi nesse mesmo instante que Jake a puxou para os braços.

   - É claro que sim! Você vai ter a honra de comer o melhor macarrão de todo o mundo. – Demi arqueou as sobrancelhas e riu de toda a animação de Jake que a segurava gentilmente pela cintura.

   - Você ao menos já cozinhou alguma vez na vida? – Perguntou Demi naquele velho e divertido tom brincalhão repousando as mãos nos ombros dele os massageando brevemente.

   - Bem.. – De sobrancelhas arqueadas novamente, Demi fechou os olhos ao receber beijos quentes em seu pescoço quando Jake a puxou mais para si. – Uma vez o macarrão instantâneo queimou, mas fora isso eu sei cozinhar muito bem. – Macarrão instantâneo. Demi se lembrou dos seus tempos de faculdade e do pequeno apartamento que dividia com Selena, por muitos meses elas se alimentaram daquele tipo de comida instantânea e nada saudável, mas com o passar do tempo e com as visitas da mãe de Sel, as duas pegaram o jeito com a cozinha e se tornaram mulheres de mão cheia, ao menos Demi já que Selena não levava muito jeito com o fogão.

   - Jake! – Ela riu ao olhá-lo fingindo estar pensativo. – Nós não vamos passar fome essa noite, eu estou apostando que o seu macarrão ficará uma delícia. – Disse os servindo com o vinho super gelado que Jake havia a presenteado.

   - Tudo bem, prometo que será o melhor macarrão que você já comeu em toda a sua vida. – Demi riu e não só naquele momento. Jake era uma verdadeira graça, havia a feito rir durante toda a noite enquanto preparavam o tal macarrão maravilhoso e ele era bom, sim, Jake, apesar de muito atrapalhado na cozinha, tinha memorizado todos os ingredientes e preparado um molho excepcional enquanto abraçava Demi por trás e cantarolava versos de várias canções americanas bebericando vinho, beliscando pequenos pedaços de chocolate e roubando beijos de tirar todo o fôlego de Demi.

   - Ficou realmente muito bom. – Sentados à mesa de jantar, Jake tinha acabado de servir Demi com o fantástico macarrão que por um pouco queimaria se Demi não desligasse a chama do fogo interrompendo o beijo caloroso que Jake e ela trocavam. – Admita, eu tive que dar um pequeno e sutil empurrão. – Comentou Demi depois de uma garfada e outra do macarrão para provocar o rapaz que sorriu para ela depois de bebericar o vinho.

   - Você só desligou a chama do fogão. – Ele disse como se fosse a coisa mais simples do mundo e Demi riu deixando que ele enlaçasse os dedos da mão direita aos da sua mão esquerda. – Eu estou adorando o nosso jantar Demi. – As bochechas inevitavelmente assumiram um leve rosado e Demi teve que bebericar sutilmente o vinho antes de olhar para Jake.

   - Eu também Jake. – Ela disse esboçando um lindo sorriso para ele vez fitando os olhos azuis hipnotizantes vez fitando os lábios bonitos. O jantar transcorreu em um agradável silêncio em que Demi e Jake trocavam olhares e pequenos sorrisos enquanto se deliciavam do macarrão. – Espere um minuto, eu já volto. – Disse Demi se levantando e organizando a louça suja para levá-la para a pia.

   - Deixe-me ajudá-la. – Jake interveio se levantando para ajudar a Demi com a louça.

   - Ei, não, espere aqui. – Aproveitando que ela estava perto dele, Demi roubou um beijo de Jake pondo-se na ponta dos pés e caminhou direto para a cozinha levando os pratos e talheres. – Você é muito teimoso. – Disse assim que topou com Jake pelo menos cinco minutos mais tarde quando ela caminhava de volta para a sala para buscar a travessa de vidro, mas Jake já a levava para a cozinha.

   - Não tem problema Demi, posso ajudá-la com a louça, eu não sou tão terrível assim na cozinha. – Demi fez careta, recebeu um beijo quente e lento nos lábios e assentiu. Não seria tão ruim ter a ajuda de Jake, ela arrumaria sozinha a bagunça da cozinha num piscar de olhos, e agora com ajuda seria mais rápido ainda.


   - Separei alguns filmes ou se você quiser nós podemos conversar. – Comentou Demi um pouco tensa puxando Jake pela mão de volta a sala depois que eles arrumaram a cozinha.

   - Nós podemos fazer os dois. – Demi assentiu e se soltou de Jake para ligar a televisão e o aparelho de DVD com o filme que havia escolhido mais cedo.

  - Pipoca, chocolate ou biscoitos? – Perguntou Demi tirando os sapatos de salto e Jake fez o mesmo a observando.

   - Não obrigada, eu estou bem. – Apagando as luzes, a sala ficou completamente escura exceção à luz da televisão, Demi puxou Jake pela mão para caminhar sobre o tapete e finalmente chegaram ao sofá confortável.

   - Fique à vontade Jake. – Ela disse rindo quando ele se sentou no sofá completamente desconfortável e sem jeito. – À vontade Jake! – Ainda rindo, Demi o empurrou e o homem grande caiu de lado deitado no sofá. Demi o olhou e sorriu quando ele também o fez. Será que ela estava sendo precipitada demais? Eles tinham cozinhado juntos, jantaram trocando sorrisos e olhares significativos, lavaram a louça e agora estavam deitados no sofá para assistir ao filme que começaria quando ela desse play no menu inicial. Aquilo era programa para namorados! A consciência a avisou e Demi não fez nada mais além de se deitar ao lado de Jake e dar play no filme. – Se comporte. – Avisou se virando para olhá-lo e os dois acabaram rindo.

   - Prometo que vou ser um bom menino. – Os olhos dele estavam fixos aos dela, Demi levou a mão ao rosto do rapaz e o acariciou, acariciou o lábio inferior com os dedos e os juntou aos seus num beijo rápido.

   - Vamos assistir ao filme. – Afetada com a forma que Jake a olhava e desconfortável por estar nos braços de um homem, Demi se virou e focou a atenção no filme que tinha acabado de começar. 

O que estava acontecendo com ela? Jake não a machucaria como o homem que machucou Dianna, era apenas um jantar, apenas um cara que ela possivelmente "gostava". Ela tinha que trabalhar para seguir a vida como se nada tivesse acontecido. Não era como se saber que tinha sido fruto de um estupro mudaria as coisas. Ela sempre seria aquela Demi apaixonada demais, que se doa demais, que se importa demais. Dianna nunca a amaria. O homem que a gerou nunca a amaria se é que ele sabia que ela existia.. Ela tinha Selena, um apartamento bacana, um bom emprego que não deixava que absolutamente nada faltasse dentro de casa e se ela tivesse um pouquinho de sorte e não fosse estúpida, ela poderia ter Jake na sua vida. Quem sabe ele poderia amá-la, casar-se com ela e juntos eles poderiam construir um lar e enchê-lo de bebês que ela poderia e lutaria para amar da forma que ela queria que Dianna a amasse.

   - Demi? – Jake a chamou cinquenta minutos mais tarde quando o filme já estava previsível demais. – Pensei que estivesse dormindo. – Ele disse quando Demi se virou para olhá-lo.

   - Não está gostando do filme? – Ela perguntou acariciando o peito dele sobre o suéter azul marinho e fitando os olhos de Jake.

   - Estou, e você? – Quando ela assentiu, Jake colou os lábios aos dela num beijo rápido. – Você sempre frequenta o Cafe? – Perguntou deslizando e subindo a mão pela silhueta do quadril de Demi.

   - Às vezes, a primeira vez que eu estive lá foi há seis anos. Eu tinha dezesseis anos e o André me levou para conhecer o lugar junto com a Sel, foi o primeiro pub que a gente conheceu. – Demi sorriu ao se lembrar de André, o entregador de pizza sexy, como ela e Selena o chamavam. Céus! Onde ele estava? Ele tinha sido um dos seus poucos namorados que não a traiu e o mais gentil de todos.

   - Deixe-me adivinhar, ele era o seu namorado. – Demi assentiu rindo da careta de Jake. – Vocês beberam muito? – Jake perguntou esboçando um sorriso esperto ao subir mais a caricia que fazia no quadril de Demi para a costela esquerda, mas Demi revirou os olhos e levou a mão dele para o seu quadril já imaginando onde seria a próxima estadia se ela permitisse que ele subisse mais a mão.

   - Não muito, mas a gente tinha identidades falsas. – Disse sorrindo ao se lembrar daquela noite.

   - Ele foi o seu primeiro namorado? – Jake perguntou e Demi assentiu sorrindo ao se lembrar das suas loucas aventuras com André no cômodo debaixo da escada do apartamento que morava com a mãe e a avó.

   - Não exatamente, mas o primeiro sério. – Jake assentiu entendendo o que Demi queria dizer e roubou um longo beijo.

   - Por que vocês terminaram? – Demi arrumou algumas mechas do cabelo atrás da orelha e fixou os olhos aos de Jake, ele parecia tão interessado em saber mais sobre o seu relacionamento com André.

   - Ficamos um ano e meio juntos, a gente se entendia, mas eu tinha o meu objetivo e ele tinha o dele. Terminamos quando eu fui aceita na faculdade, ele morava no outro lado da cidade e trabalhava o dia inteiro e entregava pizzas à noite, nós ainda tentamos, mas não deu certo. – Terminar com André tinha sido um golpe duro, mas foi graças ao relacionamento com o jovem entregador de pizza que Demi amadureceu e aprendeu que o amor não é um conto de fadas e que nem sempre as coisas são fáceis como acontece nos filmes. – E você? Quando foi o seu primeiro relacionamento sério? – Perguntou sem se cansar de acariciar o rosto de Jake na ponta de seus dedos e ela depositou um beijinho demorado nos lábios dele.

   - Bem.. – Ele começou a dizer rindo repousando a mão na lateral do quadril feminino. – Eu tinha quatorze anos, e não foi bem um relacionamento sério. – Demi revirou os olhos, mas riu. – A gente estudava na mesma escola, mas não foi nada mais que uma noite.

   - Homens! – Ela disse revirando os olhos e se surpreendeu quando Jake a beijou 
calorosamente.

   - Vocês mulheres não vivem sem a gente. – Ele disse depositando um beijo na bochecha 
dela e Demi se aconchegou ao abraço de Jake quando se virou.

   - E nem vocês. – Retrucou Demi fechando os olhos. No trabalho tinha sido tão cansativo e havia sido o primeiro dia de todos os anos que Demi trabalhava na Gyllenhaal e que ela tinha odiado estar trancada no escritório e trabalhando sem pausa alguma. Era o que acontecia quando ela não tinha uma boa noite de sono.

   - Você deve estar cansada. – Disse Jake vinte minutos depois. Demi lutava para ficar acordada, os olhos piscavam declarando a luta dela e tudo que ela dizia era “Humrum” sem ao menos processar o que Jake havia dito. – Demi? Vou levá-la para cama, tudo bem? – Demi franziu o cenho e se ergueu bocejando.

   - Droga. – Murmurou envergonhada. – Eu estou bem. – Jake riu da cara de sono dela e Demi pensou que ela era uma completa idiota. Eles haviam jantado juntos e Jake deveria estar esperando algo a mais.

   - De qualquer forma está tarde. – Verificou a hora no relógio de pulso e os olhos azuis se arregalaram. – Muito tarde, e você tem que trabalhar amanhã cedo. – Disse calçando os sapatos e Demi assentiu chateada consigo mesma também calçando os sapatos de salto.

   - Se bem que esse filme não ajudou em nada. – Comentou se levantando junto com Jake para acompanhá-lo.

   - Tudo foi perfeito. – Disse Jake quando Demi abriu a porta do apartamento. – Ei, não precisa descer comigo, você está cansada e quente, aqui fora está frio.

   - Está tudo bem, só quero acompanhá-lo. – Demi trancou a porta do apartamento guardando a chave do bolso da calça e abraçou Jake pela cintura gostando de forma absurda de como os braços dele ficavam bem envolvendo a sua cintura.

   - Você é simplesmente linda. – Elogiou quando eles já estavam dentro do elevador em completo silêncio. Demi olhou para cima e sorriu encontrando os olhos dele sobre ela, aconchegou-se mais nos braços de Jake e o sorriso se alargou quando ele a apertou nos braços e a beijou na bochecha. – Tem certeza que quer ir lá fora? Está frio. – O elevador tinha acabado de chegar ao hall do prédio.

   - Não tem problema. – Demi engoliu o riso ao ver o casal de homossexuais que se preparava para adentrar o elevador olharem-na de cima a baixo como eles sempre faziam e comentarem algo a respeito certamente de Jake.

   - Demi. – A rua geralmente movimentada durante o dia estava deserta àquela hora da noite, poucos eram os carros que transitavam por ali e fazia um pouco de frio. Demi fitou Jake a sua frente, pelo menos vinte centímetros mais alto que ela, respirar fundo e olhá-la sorrindo. – Eu realmente adorei o nosso jantar. – Disse arrumando as mechas do cabelo dela que o vento havia bagunçado atrás das orelhas quentes por conta do recente cochilo. – Adorei cozinhar, conversar e assistir aquele filme que eu nem sei o nome abraçado a você. – Os dois riram e se encaixaram perfeitamente um nos braços do outro. Quando trocar olhares intensos já não era o suficiente, beijaram-se calorosamente, ofegaram e trocaram outro beijo.

   - Obrigada pela noite, Jake. – Sem jeito, Demi o beijou na bochecha e sorriu sem graça aproveitando para espalmar o peito dele. – E desculpe por cochilar, definitivamente não fazia parte dos meus planos. – Jake riu assentindo e a beijou mais uma vez.

   - Quando nós podemos nos encontrar? – Perguntou deslizando as pontas dos dedos pelo rosto de Demi que secretamente estava surpresa. Um novo encontro denunciava um grande interesse da parte dele. – Que tal para almoçar? Você tem algum horário livre?

   - Claro, nós podemos combinar. – Disse esboçando um tímido sorriso ao olhá-lo nos olhos.

   - Podemos. Tenha uma boa noite, Demi. – Jake segurou gentilmente o rosto dela e 
beijou-lhe os lábios com carinho se despedindo. – Eu realmente quero que isso aconteça entre a gente.  Ele disse quando já estava a pelo menos dois passos longe dela e Demi assentiu engolindo em seco e forçando um sorriso.


   - Tenha uma boa noite, Jake. – Acenando, ela o viu partir em direção ao carro preto estacionado no outro lado da rua. Será que ele valia a pena?

Continua... Oi! Então, como vocês estão? Eu estou bem! Gente! E ai? O que vocês estão achando da história? O Jake, cara! Ele está muito amorzinho, não? Estão notando alguma coisa? u.u E calma gente, o Joe vai aparecer... Um abraço para vocês, obrigada pelos comentários, respostas: Aqui e Aqui 

10 comentários:

  1. Sua fic está maravilhosa, estou adorando todo dia entro no blogger pra ver se tem postagem sua jsjzj
    Esse Jake é realmente muito fofo e se ele acabar machucando a Demi ele vai se ver comigo u.u
    Adorei esse capitulo, parabéns Amanda você escreve muito bem! Posta logo viu? Beijos ❤

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada!! Quando eu estiver com mais tempo tentarei fazer uma maratona para vocês :p
      Gente kkkkkk, o Jake é fofo? Espera nos próximos capítulos, e sim, você vai ter que dá na cara dele kkkkkk Obrigada!! Já postarei, beijos

      Excluir
  2. Como não amar essa fic, cada capítulo fica maravilhoso, eu acho que esse Jack é um dos clientes da mãe da demi recebe dinheiro, para eles se deitar com a pobre da demi

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada! Hum.. Opaaa, será? Pode ou não ser isso.. Se você analisar todos os capítulos postados até agora dá para saber se é ou não ;*
      Beijos!

      Excluir
  3. meeeeeeeeeeeeeeuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuu deus, estou no chão. Querida, que fic's maravilhosas! quero muito ler o próximo capítulo. adorei essa capítulo de montão

    ResponderExcluir
  4. amei o capítulo, esse Jake ta um fofo mas é sempre bom ficar com uma pulga atrás da orelha, quando a esmola é muita, o santo desconfia jshjksfhsf... Estou ansiosa pro próximo, posta logo, bjs...
    Será que você pode divulgar meu blog? Obrigada, bjs..
    ficss-jemi.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E X A T A M E N T E ! Quando a esmola é muita, o santo desconfia.. Sempre é bom ficar com várias pulgas atrás da orelha hahha Já já eu posto, vou divulgar o seu blog, beijos!

      Excluir
  5. sim...o Jake é um amorzinho !!
    To amando tudooooo
    perfeitooooo
    posta logo
    beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Jake quase tem uma auréola na cabeça kkkkk
      Obrigada, já vou postar, beijo!

      Excluir