8.6.14

Capítulo 45

Por mais que sentir lábios quentes movendo por todas as partes de seu corpo, mãos másculas lhe apertando gostosamente e o sentir bater no fundo fosse maravilho. Dormir com Joseph não era nada bom, ainda mais se ele estivesse deitado por cima. Deveria ser tarde. Demi estava sendo esmagada, só podia ser. Tentou se mover, sem resultado algum e murmurou um palavrão. Além de pesado, Joe também estava com a “barraca armada”. E o que era aquela luz meio cinza que piscava toda hora?
   - Joe. – Tentou o empurrar, mas ele só aninhou mais a ela. Demi revirou os olhos e respirou fundo. Foi impossível não gritar e mover-se bruscamente. A televisão estava ligada e não era muito bom acordar depois de uma transa maravilhosa, com um homem, por mais que fosse pesado, lhe aquecendo o corpo e na tevê está passando filme de terror. – Joe? – Demi arregalou os olhos com o grunhido de dor do marido.
   - Aí. – Choramingou caído no chão. Deveria estar doendo muito, o barulho do corpo de Joe se chocando contra o chão mais parecia um terremoto.
   - Você machucou? – Perguntou preocupada ao fitá-lo da cabeça aos pés estirado no chão. – Por que você não desligou a tevê? – Demi revirou os olhos e procurou o controle para desligar a tevê. É isso que dá namorar com a tevê ligada com o som mudo.
   - Aí. – Choramingou novamente e Demi revirou os olhos. – Você deveria me dar um beijinho para a dor sarar. – Queria socá-lo! Ela se sentia tão culpada por ter o derrubado e ele estava brincando? Aquele sorrisinho safado o entregava.
   - Beijinho? Eu quero te esbofetear! – O corpo doía, e ela precisava de uma cadeira de rodas... – Não senhor. – Porque ele era mais esperto que ela? Por mais que Demi tentasse desviar as mãos das dele, Joe conseguiu a puxar para cima dele.
   - Só um beijinho. – Demi riu do biquinho que Joe fizera. – Só um beijinho gatinha. – Demi relaxou o corpo sobre o dele e roçou os lábios delicadamente e aos poucos começara a adentrar a boca dele com língua.
   - Desculpe por te empurrar. – Sussurrou envergonhada. – A televisão estava ligada e eu me assustei. – Joe sorriu ao receber um beijo carinhoso na bochecha. Demi ficava tão fofa quando estava envergonhada, ele só não entendia o porquê de tanta vergonha sendo que eles já aprontaram tantas coisas...
   - Só desculpo se você tomar banho na banheira comigo. – Demi assentiu timidamente, chegara ficar corada quando ele beijou a testa dela.
   - Vamos subir? Daniel deve está acordado. – Demi levantou-se depois de um longo selinho e vestiu-se com a camisa dele e a calcinha.
   - O que acha de jantarmos pizza? – Perguntou enquanto subiam as escadas de mãos dadas.
   - Por mim tudo bem. – Sussurrou já que acabara de adentrar o quarto de Dan e tudo estava quieto. – Ele ainda está dormindo. – Suspirou aliviada ao ver o pequeno dormir tranquilamente no berço.
   - Nosso filho está crescendo. – Joe sorriu para Demi e para o pequeno. – Demi. – Joe franziu o cenho ao tocar a testa de Dan, ele iria arrumar os cabelos do pequeno para o lado. – Ele está quente. – Joe levou a mão livre até a testa de Demi.
   - Joe, você está me deixando preocupada. – Demi levou a mão à testa de Dan e na mesma hora estremeceu, ele estava quente. – Olha a temperatura do quarto. – Delicadamente, Demi afastou a coberta do corpinho de Dan e o envolveu nos braços. – Bebê, mamãe vai cuidar de você. – Demi beijou a bochecha do pequeno ainda adormecido e sentou-se na poltrona com ele.
   - Está tudo normal.  Joe sentou-se no braço da poltrona e ficou a observar o bebê adormecido nos braços da mãe. – O termômetro está na gaveta da cômoda? – Sussurrou para que Dan não acordasse. Demi assentiu. Na primeira gaveta da cômoda estilo vintage branca de puxadores verdes, Demi mantinha um pequeno e prático kit de primeiros socorros para horas como aquelas.
   - Amor, pega o termômetro para mim? E separe o tylenol. – Segundos depois o termômetro estava embaixo do braço esquerdo do bebê sobre a supervisão de Demi.
   - Demi, sua mãe disse que é para dar um banho no pequeno, se a febre não passar depois de quarenta minutos é para dar o antitérmico e se não passar nós vamos levá-lo para o hospital. - Demi assentiu e puxou o termômetro.
   - Trinta e oito ponto seis. – Respirou fundo. Não era a primeira vez que Dan tinha febre, mas sempre que acontecia Demi ficava super preocupada.
   - Você vai acordá-lo? – Demi assentiu balançando levemente a cabeça.
   - Meu anjo, acorda. – Demi beijou a testa de Dan carinhosamente e ele apenas suspirou. - Dan, acorda. - Depois de beijos carinhosos distribuídos pelo rosto do pequeno, Dan finalmente acordou estranhando tudo.
   - Ei, você acordou. – Joe curvou-se e beijou a bochecha do filho. Ele estava tão bonitinho com os cabelos desgrenhados e a carinha de sono.
   - O que acha de tomar banho e depois mamar? – Demi estava tão aliviada, se ele estivesse irritado e chorão estaria mais preocupada, mas Dan parecia bem, além da febre, estava tranquilo e ela apostaria que daqui a pouco ele estaria gargalhando e andando atrás dela e do pai como sempre fazia.
   - Por que você não vai tomar um banho enquanto eu cuido dele?  Sugeriu Joe. Sabia que um banho seria ótimo para Demi, ela ficaria mais disposta e poderia cuidar melhor de Dan.
   - E se.. Tudo bem, vou tomar banho. – Revirou os olhos, pelo olhar de Joe, ela levaria uma bronca daquelas. – Mas é rápido, e qualquer coisa é só me chamar. – Joe assentiu e pegou o pequeno dos braços de Demi.
   - Mamãe é um grude, não é? – Joe correu os dedos pela barriga de Dan e ele riu fraco ainda sonolento. – Mas ela só quer cuidar de você direitinho, por isso que ela é super preocupada e mandona. – Joe o distraía começando o despir no trocador cuidadosamente.
   - Papa. – Dan apontou para o patinho em cima da cômoda. Demi sempre deixava os brinquedos do pequeno longe do berço, ela tinha medo que ele pudesse se machucar quando estivesse dormindo ou algo do tipo.
   - Calma, papai vai devagar. – Joe esticou o braço até a cômoda para pegar o patinho do pequeno. Precisava distraí-lo. Dan franziu o cenho e gemeu quando o pai ergueu a perninha direita e depois a esquerda para tirar a fralda. – Não, não chora. Papai não vai te machucar. – Era meio difícil segurá-lo no colo, quando Joe tocava no bumbum do pequeno ele choramingava todo manhoso, fora a perninha direita, estava meio avermelhada na região onde tomara a injeção. O jeito foi levar as mãos, um tanto grandes demais, para debaixo dos braços do pequeno o deixando com as perninhas livres. Mas Dan ria e choramingava. Ria porque era sapeca demais e sentia cócegas por conta das mãos do pai. Choramingava porque era manhoso e porque o bumbum estava doendo um pouquinho.
   - Papa. – Choramingou quando o pai o sentou na banheira cheia de água morna.
   - Daniel, papai está tentando cuidar de você, mas se você não colaborar a febre não vai passar. – Joe ensaboava levemente o tórax do pequeno tendo todo o cuidado do mundo para não machucá-lo.
   - Como ele está? – Joe quase caiu para trás de susto, Demetria já tinha tomado banho? Deus, que mulher desesperada.
   - Ele está bem, só não podemos tocar no bumbum e na perninha direita. – Disse a olhando rapidamente. Como sempre Demi tinha assaltado o closet dele. – Legal esta camisa. – Disse rindo. Camisa militar e short de dormir que mais parecia uma box.
   - Eu gosto de usar suas roupas, elas são confortáveis e tem o seu cheiro. – Joe sorriu de lado e roubou um selinho. – A febre está indo embora. – Demi não pode deixar de sorrir. Como toda mãe, ela também não gostava de ver o seu filho doente, doía mais nela do que no pequeno.
   - "An omí" – Aquele biquinho era tão fofo, Demi curvou-se e deu um beijinho de esquimó o deixando todo envergonhado.
   - Mamãe sabe que você está com fome anjo. – Demi riu das bochechas coradas do bebê e do sorrisinho tímido. – Amor, pega a toalha dele. – Daniel adorava chamar toda a atenção dos pais, receber todo o carinho e amor que eles tinham por ele. Ficara tão fofo o bebê enrolado na toalha e aninhado aos braços do pai, que Demi insistiu em tirar uma foto.
   - Vai amamentá-lo aqui ou lá no nosso quarto? – Perguntou enquanto vestia o bebê.
   - Lá, seria bom se ele pudesse dormir conosco esta noite. – Demi estreitou os olhos ao olhá-lo. Como ela iria deixar um homem daquele desfilar apenas de cueca? As mulheres iriam atacá-lo na passarela. Deus, porque ele tinha que ser tão lindo? De cueca! Joe simplesmente era uma tentação de cueca, o bumbum volumoso e ótimo de apertar.. sem citar o volume que iria enlouquecer o mundo. Não, ela não queria compartilhar a felicidade dela com ninguém.
   - Demi? – Joe estalava os dedos e a chamava. Droga, odiava quando era pega no flagra, ainda mais quando seus olhos estavam fixos no traseiro dele. – Bebê, Daniel está faminto. – Dan e Joe a olhava com uma cara duvidosa, será se ela tinha exagerado nas olhadas?
   - Vou amamentá-lo. – Demi pegou o filho no colo, mas os olhos estavam presos em outro lugar.. Porque ela não tirava aquela ideia estúpida da cabeça? Ah sim, porque Joe vestia apenas uma box. Uma box preta!
   - Você está bem? – Joe levou a mão até a testa de Demi para tirar a temperatura, imaginara que a febre de Dan tinha passado para Demi..
   - Estou. – Revirou os olhos. – Eu estou com fome, você ainda vai pedir aquela pizza? –  Perguntou enquanto caminhavam para fora do quarto. De repente uma fome sobrenatural tomava conta de si, estava há mais de horas sem comer.
   - Vou pedir agora. – Joe a observava deitar-se a cama com o bebê nos braços enquanto ele conversava com o rapaz da pizza. Também estava com fome.. A tarde tinha sido agitada demais. – Daqui uma hora a nossa pizza chega, vou tomar banho.  Demi assentiu e recebeu um selinho antes dele sair cantarolando para o banheiro.
   - Acho que a mamãe está com muita fome.   Demi riu dos olhos arregalados de Dan. Ora, o barulho do estômago pedindo comida o assustou.  Você também está com fome?   A febre estava indo embora e Demi estava super aliviada. O pequeno abocanhou o seio avidamente, estava faminto.   Sua perninha está doendo?   Na mesma hora, Demi tocou a perna direita do pequeno e ele choramingou com o peito na boca, era tão manhoso.. Daniel era tão concentrado, mamava avidamente e não parava de maneira alguma. Quando Joe finalmente terminou o banho, Demi estava quase cochilando enquanto o pequeno ainda mamava.
   - Como ele está? - Perguntou se sentando na beirada da cama perto dela.
   - A febre passou. Mas é bom ficarmos atentos.  Joe levou a mão até os cabelos do pequeno para deixá-los bagunçados.  Não Joseph.  Disse rindo da careta de sapeca de Dan.
   - Ele gosta.  Joe beijou a bochecha do pequeno carinhosamente repetidas vezes até que Dan gargalhou adorando a brincadeira do pai.  Papai já volta.  Joe sorriu amarelo ao olhar para Demi.
   - Eu não sabia que o toque do seu celular era Here We Go Again.  Demi mordia o lábio inferior para conter um sorriso. Particularmente achava fofo.
   - Eu também não sabia que o seu toque era All This Time.   Acabou que os dois riram e trocaram selinhos antes que ele descesse para buscar a pizza.
Famintos? Era preciso de mais para definir Joseph e Demetria. Céus! Demi nunca tinha comido tanta pizza como comera, sem mencionar Joe.. Ele quase comeu uma pizza sozinho. É o que da passar a tarde inteira namorando no sofá e só acordar a noite.
   - O último pedaço é meu!  Demi arregalou os olhos. Para onde ia toda a comida que Joe comia? Nunca vira um homem comer tanto como ele comia e ser todo definido sem uma gordurinha. Se ela comesse o tanto que Joe comia não iria passar nem em uma porta dupla. Demi já agendara mentalmente os dias e as horas que iria precisar ir para a academia no decorrer da semana. E todos os dias estavam agendados..  Hum.. Não quer um pedaço?  Perguntou envergonhado.
   - Pode comer, eu estou morrendo.   Demi revezava com Dan, mas deixava o pequeno comer a parte mais leve e macia da pizza, já que ele poderia passar mal com aquele recheio pesado como o da pizza de Joe.
   - Não brinca! Você não comeu nem quatro pedaços.  – O queijo derretendo, o gosto do bacon e do presunto junto com o orégano e a azeitona...
   - Amor, quatro pedaços é o suficiente para a minha barriga virar uma bola e minhas pernas encherem de celulite.  Estava exagerando um pouquinho, mas era bem por aquele caminho..
   - Aposto que Dan comeu mais que você.  Joe sorriu ao observá-lo, Dan estava quieto brincando com o patinho sentado entre as pernas da mãe.
   - Talvez.  Sorriu ao olhá-lo.  É melhor você levar esta bagunça para a cozinha. Se não vai dormir na casinha do cachorro.  Joe revirou os olhos, porém acabou rindo.
   - Você é tão mandona.  Disse enquanto recolhia a louça e a colocava na bandeja.
   - Eu sei, agora vai. – Demi o acompanhou com o olhar até Joe passar pela porta do quarto. Alguns anos atrás ela iria odiar a ideia de casar e ter filhos. Mas era tão bom aquele sentimento único que só crescia a cada segundo. Tudo com Joe tinha um significado diferente, ele fazia o tédio virar comédia e sabia exatamente o que ela estava sentindo. Ele cuidava dela e do filho. Sentia-se abençoada por tê-lo em sua vida. E sentia-se mais especial ainda por ser mãe. Bastava um sorriso de Daniel para que seu coração derretesse de amor, ele tornava a vida dela ainda mais especial e era a essência de seu ser.
   - Mama. – Demi sorriu de orelha a orelha para o pequeno. Era uma gracinha vê-lo brincar com o patinho. Daniel era esperto e tinha criatividade para brincar apenas com um brinquedo. Não precisava de muita coisa para satisfazê-lo.
   - Vamos escovar os dentes? Você vai dormir aqui com a mamãe e o papai. – A única coisa que Dan entendia era mamãe e papai, mas não protestou quando a mãe o pegou no colo e o levou para o banheiro para que eles pudessem escovar os dentes.
   - Demi? – Joe a chamou assim que adentrou o quarto e não encontrou ninguém.
   - Banheiro. – Demi ajudava Dan escovar os dentinhos que ainda nasciam. – Ele vai dormir conosco. – Disse assim que Joe entrou no banheiro.
   - Eu iria falar isto agora. – Mais tarde estavam deitados na cama. Entretanto, Daniel lutava para não dormir.
   - Deixe-o brincar com o patinho, ele vai acabar dormindo. – Demi ninava o pequeno nos braços, mas ele choramingava para soltar-se e porque às vezes a mãe pegava na perninha direita dele. A primeira coisa que Daniel fez quando a mãe o soltou foi deitar-se de bruços e brincar com o patinho. Daquele jeito o bumbum doía menos. 
   - Fui trocada por um patinho. – Demi revirou os olhos. Ora, o pequeno preferia o patinho à mãe. - Quieto. – Joe franziu o cenho confuso, Demi deitou-se sobre ele e se aninhava o usando de travesseiro. – Agora você me abraça e diz que me ama. – Sorriu sapeca ao fitá-lo.
   - Querida, a cada disse que se passa você fica mais convencida. – Para que não fosse expulso do quarto a pauladas, Joe a abraçou e sussurrou que a amava. Por mais que ele adorasse vê-la vermelhinha de nervoso, preferia não correr riscos de vida. – Você não é contra a minha carreira de modelo, é? – Perguntou com certo receio. Ninguém da família aprovou a ideia de Joe, e aquilo o deixou desanimado.
   - Milhares de pessoas no mundo vão adorar ver o meu marido de cueca. As mulheres vão começar a fantasiá-lo em suas camas vazias, as garotas histéricas vão querer beijá-lo. Mas eu não sou egoísta a ponto de te proibir de fazer o que você quer. Se for a sua vontade eu vou respeitá-la e vou te apoiar sempre, porque é isso que nós fazemos com as pessoas que nós amamos. – Ela estava ali para apoiá-lo em qualquer decisão que ele tomasse, sabia que Joe era inteligente e talentoso, e iria ter sucesso na carreira que escolhesse.
   - Obrigado. – Sorriu involuntariamente a abraçando com mais força. – Eu estou com muitas ideias. Esta semana a gravadora receberá vários artistas, se nós tivermos sorte vamos encontrar um bom cantor para lançá-lo no mercado. – É, Joe conhecia bem o filho. Dan acabara dormindo de bruços e com o patinho na mão.
   - Como seria este artista? – Demi soltou-se dos braços de Joe para ajeitar Dan na cama. Ser mãe de primeira viagem não era desculpa para Demetria. Demi passou a maior parte da gravidez pesquisando em livros e na internet sobre todos os cuidados que deveria ter com o seu bebê. E uma das coisas que mais a assustou foi a SMSI, Síndrome de Morte Súbita Infantil. Demetria ficara atenta a todos os detalhes e não deixava nada passar em branco, inclusive deixar Daniel dormir de bruços.
   - Alguém que seja naturalmente bom, que saiba cantar, tocar e compor. Que tenha criatividade, carisma e humildade. Precisamos encontrar um artista com este perfil. – Era complicado encontrar alguém realmente bom, mas não era impossível..
   - Eu tenho certeza que vocês vão encontrar alguém muito bom. – Disse bocejando. – Boa noite meu amor. – Demi o beijou na boca e tornou a deitar-se com ele.
   - Boa noite bebê. – Joe beijou a bochecha de Demi e conferiu se Daniel estava bem antes de desligar o abajur.

Continua... Oi :) Preparadas para a última treta? Pois é, está acabando mesmo.. Mas eu estava pensando em uma coisa, na verdade em várias coisas. Talvez vou escrever a segunda temporada desta fic.. Mas não é nada certo, vai depender muito da opinião de vocês. Se quiserem em faço, e se não quiserem eu posto outra coisa depois que esta fic acabar. Obrigado pelos comentários meninas, eu realmente não quero abandonar o blog, e mesmo se eu o fizesse, eu não iria apagar nada, iria deixá-lo aqui de lembrança.. É que é um pouco complicado para mim, sou do tipo que se entrega demais para algumas coisas e deixo a desejar em outras, por exemplo, o blog e os estudos. E por mais que tenha apenas seis meses que terminei o ensino médio, preciso me esforçar muito para conseguir uma vaga no curso de Arquitetura e urbanismo. Beijos, eu amo vocês :')
Ps: vou fazer um capítulo especial Niley :)


Olha só o que eu achei :p Demi me enviou essa foto, sabe? shauhsa Quando o Dan era mais novo </3 

23 comentários:

  1. esse capítulo mexeu com o meu coração <3
    adorei tudooo mesmo
    tomará que tenha mais uma temporada dessa fic <3 <3 <3 <3 <3 <3 <3 <3
    posta logoooo
    beijos sua divaaaa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado!! Vamos ver o que acontece :)
      Beijos!

      Excluir
  2. Ai meu Deus isso é tão perfeito... Garota, eu sou sua fã
    sabe, por mais que eu ame muito essa fic, muito mesmo, acho que vai por você a ideia de mais uma temporada ou não, sei que as vezes a criatividade pode ir passear quando se está com uma há algum tempo e vem o desejo de querer fazer algo diferente, mas independente do que for eu sei que vai ser incrivel e eu vou amar
    enfim... Posta logo
    ah, estou torcendo p que você passe e sei que vai conseguir, eu acredito em você. Boa sorte

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado!! Verdade, esse negocio da criatividade é uma coisa quando você não resolve passar para o papel/world, ela some em um piscar de olhos. Obrigado pelo apoio! Beijos no core <3

      Excluir
  3. Sim *----* faça outra temporada essa fic é meu tudo <3
    Imagina dan grandinho e mais sapeca do que agora? ><
    está tudo tão perfeito, posta assim que der bjx <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado! Quem sabe próxima temporada..
      Com o Dan rapazinho ~spoiler~
      Beijos <3

      Excluir
  4. segunda temporada? essa já ñ eh a terceira? kkk bom. de qualquer forma ai depende de vc. mas eu acho que seria legal mudar a história. essa fic eh muito fofa e mt boa. mas acho q está na hora de algo novo. mas ai é vc que sabe ^^ lerei de qualquer forma kkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. shauhsua é quarta, eu que to voando aqui. Eu concordo com você, acho que seria bom sair dessa zona de conforto para me arriscar em algo mais concreto.. De qualquer forma eu tenho em mente o que vou fazer independente da história, mas acho que se eu continuar com esta fic vou arriscar bastante no drama.. Obrigado kkkk
      Beijos

      Excluir
  5. Amo essa fic mesmo não comentando sempre, as vezes só posso ler uma vez no mês, e não sei se estou preparada para o fim dessa historia mas eu concordo em você tentar algo novo caso seja melhor para você claro, OU você poderia fazer a quarta temporada(pois uma grande parte de mim quer) e depois fazer outro estilo de história, um novo enredo sabe..
    Sam xoxo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É, eu acho que eu também não.. Mas tem que acabar né? Ainda não decidi o que vou fazer. Estou indecisa.. Arriscar algo novo seria realmente bom, e continuar com o que comecei seria um pouco cansativo, ou não.. <3

      Excluir
  6. Ameeei o capítulo e amei a ideia do capítulo Niley ♡

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi! Obrigado! Eu vou escrever o capítulo Niley especialmente para você, não vai ser um capítulo toooodo, mas 80% Niley e vou acrescentar uns trechos no epilogo de Niley e Kenielle :) Beijos

      Excluir
    2. Muito obrigada haha 80, 100 ou 10% tenho certeza que vai ser perfeito ! :)

      Excluir
  7. Boa noite flor!!
    Que cap fofo!! Tadinho do Dan...
    Eu gostaria muito que tivesse uma nova temporada dessa fic!! Ela é perfeita e não dá vontade de parar de ler.... estou viciada...
    Esse final de semana começei a ler os primeiros caps de novo acredita!!! Eu simplesmente amo!!!
    Obrigada por postar esses caps maravilhosos!!!
    Ficarei torcendo por você para que consiga uma vaga no curso de arquitetura!!
    Bju!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa Noite :)
      Dan sempre sofre, tadinho :/
      Obrigado, eu estou pensando nessa possível talvez próxima temporada, acho que se for acontecer vou fazer algo bem diferente desta fic, tipo, arriscar no humor e no drama.. Vocês vão entender direito se acontecer.. Mas eu também tenho um ótima fic em mente.
      Eu quem agradeço por leitores maravilhosos!!
      Obrigado pelo apoio <3 Beijos

      Excluir
  8. Omg!!! Segunda temporada, por favor... Essa fic é a melhor de todas ❤️

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hum.. Vou pensar, muito obrigado e beijos <3

      Excluir
  9. Oi Amanda, finalmente achei um tempinho para poder comentar... enfim, eu nem sei o que dizer desse capitulo, ele esta perfeito como todos os outros!!
    Joe e Demi safadinhos no sofá, eu queria um hot hahaha Joe como sempre não perde a mania de dormir em cima da Demi né??
    fiquei super preocupada com Dan, ainda bem que a febre passou, tadinho :/
    eu achei esse capitulo bem fofo, e já estou prevendo que Demi não vai gostar nada disso do Joe de cueca, ela vai arranjar alguma confusão e pra mim a próxima treta que vc falou é sobre isso... estou muito ansiosa!!!!
    nem preciso dizer que eu quero uma segunda temporada, né?? é claro que eu quero, essa fic, é a melhor fic de todas que eu já li, e olha que eu já li bastante fics, sério mesmo, vc é uma das melhores escritoras de fics que eu já vi... faz uma segunda temporada!!!!
    Beijoos e posta mais <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Maaaaaaaari <3
      Demi e Joe sempre são safados, nunca vi ninguém com tanto fogo hsausa
      Bem, o hot eu vou ficar te devendo.. ou talvez não..
      É, a Demi não está gostando nadinha desta história do Joe desfilar de cueca, agora pensa, Joe Jonas de cueca! Ta calor ein? kkkk
      Bem, eu estou pensando sobre uma talvez segunda temporada, ou posso fazer como você disse, postar mini fics enquanto estudo ou sei lá... De qualquer forma não vou deixá-las sem fanfics ;)
      Obrigado de coração, isto é muito importante para mim! Beijos

      Excluir
  10. AWNT amei o capitulo
    to em depressão pq essa fic vai acabar rsrs
    segunda temporada seria um sonho <3
    posta logo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado.
      Eu também, nem sei mais o que vai ser de mim sem o Dan </3
      Bem, segunda temporada.. humm..
      beijos :)

      Excluir
  11. Divulga para mim por favor http://minhapaixaoejemi.blogspot.com.br/ :D

    ResponderExcluir