25.10.16

Capítulo 26

A preguiça era tanta para largar a cama que Joseph se estranhou. Eram sete e meia da manhã de um sábado que prometia, segundo o noticiário, ser muito ensolarado. Estava na hora de levantar, caso contrário chegaria atrasado ao trabalho. O que implicava era: o corpo estava terrivelmente cansado e dolorido, e consequentemente sedento de conforto e descanso. O namorado de Selena tinha insistido tanto para que Joe se juntasse ao seu grupo de amigos que o rapaz o fez, vale resaltar que timidamente a início. Porém Joe não podia negar, tinha sido muito divertido. Eles jogaram futebol em um campo gramado à noite depois do trabalho. A princípio não estava à vontade com a ideia, pois a preocupação com Demi não deixava. Aquela tarde não tinha sido fácil para ela, e muito menos para ele. Ambos estavam preocupados e em estado de alerta. Assim que saíram da delegacia Demi decidiu que iria diretamente para o apartamento da mãe, ela estava tão assustada que chegava estar pálida. E Joe a levou e se despediu com um abraço apertado. Era de partir o coração só de pensar no estado dela. Então Ed o animou com o convite para jogar futebol assim que ele voltou para a Gyllenhaal, claro que Joe cogitava a ideia de passar a noite sondando Demi para saber como ela estava, mas ele tinha ficado sem jeito e preferiu enviar uma mensagem para ela antes de sair e assim que voltou para casa.

   - Animo. – Ronronou se espreguiçando e foi aí que o corpo gritou de dor. Um banho morno resolveria, ao menos mandaria boa parte daquela moleza embora. Primeiro Joe se alongou e logo em seguida partiu para o banheiro para tomar um banho caprichado como ele sempre fazia antes de ir trabalhar, porém dessa vez o rapaz se demorou em frente ao espelho. Ele ficava um pouco diferente com a barba começando aparecer, parecia mais velho e sério. Porém não era ruim. Joe esboçou um pequeno sorriso tímido e partiu para o closet.

Ele estava tão ansioso para chegar a Gyllenhaal e encontrar Demi, e ao mesmo tempo estava confuso porque não conseguia escolher roupas que lhe agradavam. O que estava errado? Ele era tão prático, mas dessa vez não sabia se vestia uma camisa branca ou uma vermelha. Será qual das duas Demi mais gostaria? Joe se perguntava escolhendo entre as calças jeans. Demorou pelo menos cinco minutos e acabou que ele optou por uma camisa de botões xadrez de um verde escuro com preto. Puxou as mangas até a altura dos cotovelos como tinha observado que a maioria dos homens fazia e no pulso esquerdo colocou o relógio de prata que pertencia ao falecido pai. Não estava ruim. Ao menos ele achava que não.

   - Ed. – Disse assim que atendeu ao celular enquanto penteava o cabelo como sempre fazia: de lado arrumadinho como Clara tinha o ensinado desde pequeno.

   - Deixei as crianças na creche, estou perto do seu apartamento, quer carona? – Ele tinha outros planos que incluía passar no apartamento de Demi para que eles pudessem caminhar juntos até a Gyllenhaal.

  - Espere.. – Murmurou olhando a hora no relógio então arregalou os olhos. Ele estava atrasado! Dez minutos atrasado! – Estou te esperando. – Demi já deveria estar na Gyllenhaal e ele ainda penteava o cabelo! Completamente atrapalhado Joe buscou pela bolsa e por um pouco o notebook e os documentos caíram já que o zíper estava aberto. Ele arrumou tudo muito rápido, pôs a alça da bolsa no ombro e saiu do quarto a longos passos em direção à cozinha. – Ei menina, bom dia. – Lucy estava grande e gordinha, os pelos marrons estavam brilhantes por conta do recente banho e a cadelinha se espreguiçava dando um longo bocejo. – Estou atrasado, mas quando eu voltar para casa a gente brinca, ok? – Joe encheu uma tigela com leite e a outra com ração para filhotes. Só deu tempo de acariciar as orelhinhas da cadelinha a observando comer, e o celular vibrou no bolso, era Ed. – Estou descendo. – Ao menos tinha dado tempo de cuidar de Lucy.

Joe preferiu descer de escada já que para usar o elevador envolvia uma série de coisas, e ele estava muito atrasado, a última coisa que poderia acontecer era perder o emprego. Oh Deus! Aquilo estava definitivamente fora de cogitação. Trabalhar na Gyllenhaal era bom, claro, tirando o fato de Jake estar no controle. A empresa tinha um nome muito forte, o que era bom para o currículo, e pagava um bom salário que era o suficiente para uma pessoa começar a vida sozinha. E tinha Demi, a razão para ele estar atrasado, porém bem vestido.

   - Você está bem? – Ed perguntou esboçando um sorriso zombeteiro e arqueando as sobrancelhas assim que Joe adentrou o carro ofegando.

   - Estamos atrasados! – Disse colocando o cinto de segurança e respirando fundo.

   - Estamos, mas você tem certeza que não está se esquecendo de nada? – Perguntou Ed e Joe franziu o cenho. – Os seus óculos. – Oh droga! Ele não subiria aquele tanto de escada só para buscar os óculos.

   - Está tudo bem, eu não sou tão cego. – Sofreria um pouquinho para ler, mas ele só teria que ter mais concentração e muita paciência.

   - Você nunca se atrasa, o que aconteceu? – Ed finalmente deu partida no carro para o alivio de Joseph.

   - Ontem foi muito puxado, acordei quebrado. – Comentou sentindo as costas doerem. E então as bochechas coraram. – E eu demorei a escolher o que vestir. – Joe revirou os olhos quando Ed o olhou de sobrancelhas arqueadas, porém as bochechas coraram e ele ficou completamente sem jeito já que aquele não era o real motivo para o atraso.

   - Nada mal, gostei da camisa. – As bochechas de Joe continuaram coradas e Ed riu dando um leve soco no braço do amigo. – Estou falando sério!

   - Eu acho que a Demi vai gostar. – Comentou timidamente e Ed aproveitou que o sinal estava vermelho para olhar para Joe com bastante atenção.

   - Pensei que você estava com a Mary. – Disse de cenho franzido e Joe deu de ombros. – Qual é? Você quer mesmo ficar com a Demi depois de tudo que ela fez? – Dessa vez quem franziu o cenho foi Joseph.

   - Eu gosto dela, de verdade. – Começou a dizer sentindo o coração acelerar só por estar falando de Demi. – Não consigo evitar. Ela é tão linda. – O sorriso que surgiu nos lábios dele era tão verdadeiro, Joe a queria com todas as suas forças, queria vê-la bem e feliz ao lado dele. – Não consigo ficar chateado com ela, muito menos sentir raiva. – Disse quando o carro voltou a se mover. – Não posso julgá-la, Ed. Ela acreditou nele por que.. Por que.. – Joe respirou fundo pensando em tudo que poderia dizer. – Porque ela quer ser feliz. É tudo que ela quer, entende? Ter alguém para amar e que a ame. Foi por isso que ela ficou com ele, ela não tem culpa das coisas terríveis que o Jake fez.

   - Tudo bem. – O tom de voz de Ed era tão sério e grave, Joe preferiu ficar em silêncio esperando pelo que o amigo iria dizer. – Eu só não acho justo ela machucar a Selena por causa de um cara. Isso é tão egoísta. – Comentou minutos mais tarde. – Esse cara provavelmente matou o próprio avô e a Selena se arriscou tanto, ele disse coisas nojentas a ela, tentou levá-la para cama. – Continuou a dizer focado no trânsito. – Nós tentamos avisar, eu não sei, posso estar sendo injusto com a Demi, mas se ela realmente se importasse com a Sel ou até mesmo com você, ela nos ouviria. Nós somos amigos, e os amigos sempre cuidam um do outro. – Joe respirou fundo e fitou o movimento da rua pela janela do carro. Por um lado Ed tinha razão, Demi deveria ter acreditado que Jake era um canalha quando Selena disse, mas ele a entendia de uma forma que Ed e Selena não conseguiriam entender.

   - Ela errou. – Começou a dizer. – Mas agora ela sabe a verdade. Não podemos culpá-la por querer ser feliz. A vida foi cruel com ela. – Ele sabia muito bem o que era sentir a falta de um pai e de uma mãe, como era frustrante tentar se relacionar com as pessoas e nunca dar certo. Mas ele tinha certeza que de alguma forma tinha sido mais doloroso para Demi, pois ela tinha uma mãe que não a amava e não fazia questão de esconder aquela falta de sentimentos.

   - A vida é cruel com todos, Joseph. – Disse Ed. As palavras frias e duras. – Eu perdi os meus pais e a minha irmã, você perdeu os seus pais, a Sel só quer proteger a melhor amiga que não dá a mínima para ela. Não é fácil para ninguém e nunca será, o que nós não devemos fazer é virar as costas para as pessoas que se importam.

   - Não a julgue. – A voz soou tão baixinha. Joe respirou fundo fitando os próprios dedos que não viu o sorriso que Ed esboçou quebrando todo aquele clima pesado entre eles.

   - Bem.. – Começou a dizer estacionando o carro no estacionamento do prédio da Gyllenhaal. – Você realmente gosta dela, não é? – Joe apenas assentiu ainda cabisbaixo. – Ok! A Demi é uma mulher incrível, mas também é muito confusa e imatura em alguns aspectos, não a deixe te machucar e não a machuque, tudo bem? – Joe fitou os olhos de Ed e assentiu.

   - Eu vou lutar por ela. – Os dois acabaram sorrindo e trocaram um breve abraço.

Conforme o elevador se aproximava do departamento de Designer o coração de Joe batia mais rápido. Ele estava tão ansioso para ver Demi, só era ela que o interessava. E ele a queria com todas as forças, queria tomá-la nos braços para beijá-la com paixão e dizer tudo que sentia. As bochechas de Joe coraram bruscamente quando as portas metálicas finalmente se abriram indicando que eles tinham chegado ao departamento desejado.

    - Boa sorte! – Ed disse sorrindo e Joe assentiu respirando fundo conforme caminhava em direção à mesa onde trabalhava. Pelo visto o dia já tinha começado há muito tempo na Gyllenhaal, todos trabalhavam a todo vapor concentrados em seus objetivos. Joe olhou para todos os lados a procura de Demi e não a encontrou, a porta do escritório dela estava fechada, mas pelas persianas entreabertas era possível vê-la trabalhando no computador.

   - Joseph? Bom dia! – A voz feminina quebrou o transe e então Joe olhou para a dona da voz delicada e feminina: Mary. – Está tudo bem? – Ela perguntou esboçando um sorriso encantador e Joe assentiu não muito interessado. Mary era realmente uma mulher bonita e a definição de feminino e delicado. Mas ela não o atraia, ele gostava mesmo era de como Demi ficava linda vestindo camisa larga com símbolos de super-heróis e shorts curtos. – Você não respondeu minhas mensagens. – Ela disse um tanto sem jeito e as bochechas de Joseph coraram. Ele olhou para a mulher a sua frente e para todo o movimento do departamento. A maioria das pessoas trabalhava e ele e Mary eram os únicos que realmente estavam desocupados.

   - Eu saí co..com o Ed. – Disse baixinho e gaguejando. Aquela ideia de tentar algo com Mary definitivamente não o agradava, pois ele sabia que de uma forma ou de outra Mary acabaria magoada caso desenvolvesse algum sentimento por ele. O que já tinha acontecido. – Nós jogamos futebol, desculpe por não respondê-la. – A voz ainda soava baixinha e ele se esforçou para esboçar um sorriso para Mary.

   - Tudo bem! O que você acha da gente sair para almoçar? – Joe mordeu o lábio inferior e desviou o olhar de Mary para encontrar Demi na porta do escritório o olhando. Diabos! Ele não sabia o que fazer.

   - Eu ver na minha agenda.. – Que desculpa esfarrapada era aquela? As bochechas de Joe ficaram mais vermelhas que o comum e ele engoliu em seco ao olhar para o lado e encontrar Selena de sobrancelhas arqueadas o olhando. – Quer diz..zer, eu ach..cho que vou trabalha at..té mais tarde, tenho muitas coisas para f..fazer. A gente se vê. – Droga! Ele quase derrubou um enorme vaso com flores de tão atrapalhado e constrangido que estava, recompôs-se e caminhou em direção a Demi mesmo estando terrivelmente sem graça. – Bom dia. – Murmurou assim que estava em frente a ela e bem, mesmo com a situação embaraçosa um sorriso surgiu nos lábios dele. Demi estava tão linda como sempre. Ele gostava muito de como ela ficava perfeita vestindo camisa branca e saia secretária, os cabelos marrons soltos e tão lindos com todas aquelas mechas sedosas.

   - Bom dia Joseph. – Demi acabou sorrindo para ele, ela estava tão surpresa por ele ter se aproximado sem simplesmente ignorá-la como tinha acontecido algumas vezes. – Você está bem? – Perguntou sem conseguir conter o riso já que Joe continuava vermelho.

   - Eu.. eu.. eu est.. Você está linda! – Será que ele tinha dito alto demais? Joe engoliu em seco quando a barulheira cessou e ele sentiu todas as pessoas os olhando. Bem, ele tinha certeza que tinha falado alto demais. Até Demi estava corada.

   - Você também. – Ao menos ele ganhou um beijinho na bochecha. – Você está vermelho Joe. – Demi sorriu o olhando. Ele estava tão lindo com aquela camisa xadrez, o verde combinava perfeitamente com os olhos dele.

   - Você também. – Ele disse e esboçou um pequeno sorriso. – Você está bem? – Perguntou adentrando os bolsos das calças com as mãos. – Eu queria ter ficado com você ontem à noite, mas.. – Ele tornou a corar sem saber o que deveria dizer para concluir aquela frase. - O Ed me chamou para jogar futebol. – Demi assentiu e olhou na direção de Selena que os olhava curiosa como sempre, ela sorriu para a amiga e voltou a olhar para Joe.

   - Passei à noite com a minha mãe. – Disse franzindo o cenho ao se lembrar de como o dia passado tinha sido pesado. Ela estava com tanto medo e Dianna tinha passado a noite com ela na única cama de solteiro de todo o apartamento. – Eu estou bem, só com um pouco de medo de sair sozinha, mas bem. – Joe assentiu sem conseguir olhá-la, ele só se perguntava quando eles finalmente iriam se beijar.

   - Vou estar por aqui. – Disse finalmente a olhando nos olhos. – Qualquer coisa é só me chamar. – Demi assentiu e viu Joseph caminhar em direção à mesa onde trabalhava ainda trocando olhares com ela. Por que diabos Jake tinha colocado aquela câmera dentro do escritório dela? Se aquele maldito aparelho não estive escondido em uma de suas prateleiras ela podia simplesmente arrastar Joseph para dentro do escritório e beijá-lo até que perdesse completamente o fôlego. Demi olhou na direção da mesa dele e sorriu ao vê-lo se organizar para trabalhar. Como um homem poderia ser tão bonito como ele era? Mesmo sem os óculos geek que o deixava simplesmente sexy, Joe continuava de cair o queixo. O sorriso só sumiu dos lábios de Demi quando ela acabou fitando Mary que não parecia nenhum pouco feliz com a cena de minutos atrás.

***

Aquele dia estava sendo tão estranho. Começou com o bom dia carinhoso de Dianna. Demi não tinha entendido muito bem toda a proteção da mãe, Dianna estava sendo tão compreensiva e toda hora perguntava se estava tudo bem. Ela até tinha deixado que Demi deitasse com a cabeça no colo e a cobriu com o cobertor. Aquilo era definitivamente fora do comum. Depois a escolta policial até a Gyllenhaal tinha sido, como tudo que estava acontecendo naquele dia, estranha. Porém Demi se sentiu protegida. Bem, e mais tarde quando Joseph se atrapalhou todo para dizer um simples “Bom dia”? O coração dela quase saiu pela boca. Será que ele tinha noção de como estava lindo? De como ela ficava feliz quando ele se aproximava? Joe era simplesmente de deixar qualquer mulher morrendo de calor.

Demi sorriu e mordeu o lábio inferior. Estava no horário de almoço e desde que tinha brigado com Selena ela almoçava sozinha. Mas estava envolvida demais pensando em Joseph para ficar triste. Ela o procurou em uma das mesas daquele refeitório e não encontrou, apenas Selena e Ed que estavam na mesa ao lado. As bochechas de Demi coraram e ela esboçou um tímido sorriso para Selena.

   - Você sabe onde o Joe está? – Perguntou com um pouco de receio para a amiga. Era até difícil sustentar o olhar de Sel uma vez que Demi estava tão envergonhada por ter feito a escolha errada.

   - Ele está trabalhando. – Foi Ed quem respondeu. Demi assentiu sem olhá-lo porque da última vez que tinha falado com Ed, bem, eles tinham discutido em frente ao Café Wha? no dia do aniversário de Sel. Foi muito estranho virar as costas para os amigos, mas de alguma forma Demi sentia que as coisas estavam melhorando entre ela e Selena já que Sel a olhava daquela forma que ela conhecia muito bem.

O almoço estava tão sem graça e ter Selena e Ed ao lado era tão sufocante que Demi perdeu a fome e resolveu voltar para o departamento, de escada é claro. A ideia de topar com Jake era tão desagradável que Demi enfrentou o jogo de escada com determinação e respirou fundo sentindo o coração acelerar por saber que àquela hora não teria ninguém trabalhando, apenas Joseph. Ela caminhou em direção ao escritório e a cada passo o frio na barriga aumentava. E piorou quando ela confirmou a teoria que Joe estava sozinho. Deus! Demi contou até dez para tentar acalmar o coração, não deu muito certo, mas mesmo assim ela caminhou em direção à mesa onde Joe trabalhava e sorriu quando ele a notou.

   - Oi. – Disse sem conseguir conter um sorriso.

   - Oi Dem. – O apelido carinhoso soava tão bem na voz dele. Demi se recostou na mesma e observou o que Joseph fazia. Ele estava literalmente atolado em trabalho.

   - Você não desceu para almoçar. – Disse ainda fitando a quantidade de papeis na mesa de Joe.

   - Eu não posso deixar acumular mais trabalho. – Disse Joe buscando pelo lápis para voltar a fazer suas anotações, bem, ele tentaria já que Demi lhe tiraria toda atenção.

   - Eu também estou cheia de coisas para fazer. – Demi sorriu fitando as revistas em quadrinhos que estavam no canto da mesa. – Batman: Faces da morte? – Ela era curiosa demais, pegou a primeira revista que lhe interessava e a folheou. – Você não me disse que estava lendo. – Disse fingindo estar emburrada e Joseph riu anotando agilmente alguma coisa no papel.

   - Na verdade eu estava relendo. – Ele disse arriscando olhá-la. – Estou começando ler A solução Apocalíptica. É dos X-men. – Joe franziu o cenho sentindo arrepios estranhos quando sem querer ele fitou as pernas de Demi. Ela era linda até ali. – Se quiser eu posso te emprestar Faces da morte. – Olhando-a, Joe respirou fundo e deixou que a vontade de beijá-la o guiasse. Ele se levantou e olhou para os lados torcendo para que estivesse sozinho com Demi, e como estava, ele a olhou e sorriu quando ela largou a revista para abraçá-lo. – Eu quero te abraçar desde que cheguei. – Disse a beijando na testa e a abraçando contra o peito.

   - Eu também. – Demi se aproveitou do abraço o máximo que pode, então finalmente o olhou nos olhos e deixou que Joe a beijasse na boca daquele jeito tímido dele, mas que também era tão sincero e apaixonado. Ela espalmou o peito dele com as mãos e as subiu para acariciar o rosto sentindo os pelinhos da barba lhe pinicar, mas a sensação era tão boa que continuou o acariciando até que sentiu a necessidade de enroscar os dedos nos cabelos curtos da nuca. – O que foi? – Perguntou Demi distribuindo beijinhos pelo rosto de Joe quando eles terminaram o beijo e Joe continuou de olhos fechados e sorrindo.

   - Eu.. eu só estava pensando. Te beijar é tão bom. – Joe tornou a beijá-la e abraçá-la com carinho. – Tão bom Demi. – Demi sorriu e o beijou no peito abraçando o corpo forte com força. Se dependesse dela passaria o resto de seus dias nos braços dele.

   - Eu também adoro te beijar Joe. – Demi sorriu para ele e se sentiu cada vez mais motivada a distribuir beijinhos pelo rosto de Joe quando o fez e o rapaz sorriu. – Você está tão lindo com essa camisa. – Ela disse e o beijou um pouco abaixo da orelha e distribuiu beijos por toda aquela extensão do pescoço.

   - Você gostou? – Ele perguntou todo sorridente feliz por estar recebendo carinho e atenção de Demi. – Eu escolhi pensando em você. – Quando eles se olharam sorriram e trocaram um beijo delicado e apaixonado, Joe tentava quebrar toda a distância entre eles e Demi se agarrava cada vez mais ao corpo forte desejando se fundir a ele. – Você também fica linda com essa camisa. – Se aninhando ao peito dele Demi fechou os olhos para apreciar aquele momento nos braços do homem que fazia o coração dela bater tão forte, era tão diferente das outras vezes que ela se apaixonou. Com Joseph tudo parecia certo, não existia medo, insegurança ou qualquer outro sentimento negativo.

   - Se aquela maldita câmera não estivesse no meu escritório a gente podia passar a tarde toda juntos. – O jeito que ela disse foi tão manhoso que Joseph a beijou com carinho na bochecha.

   - Infelizmente tenho esta pilha de problemas para resolver. – Demi revirou os olhos quando olhou para Joe e o viu de sobrancelhas arqueadas. Ela o olhou nos olhos e suspirou. O verde era tão lindo e suave, uma imensidão tão apaixonante. – Mas eu adoraria passar à tarde com você. – Os dois sorriram e trocaram um beijo breve, se abraçaram e então as bochechas de Demi coraram bruscamente quando Selena e Ed entraram em seu campo de visão.

   - Eu acho que já vou. – Sussurrou Demi no ouvido de Joe que riu e a beijou na bochecha. – Por favor, desça para almoçar, ok? – Ela estava tão envergonhada por saber que Selena e Ed estavam ali presenciando tudo.

  - Se eu tiver tempo, eu desço. – Demi estreitou os olhos e negou balançando a cabeça. Joseph tinha a saúde frágil e ela sabia que não era nada bom para ele ficar sem comer. Ela só não sabia que Joe não tinha tomado nem o café da manhã.

   - A gente se vê. – Ignorar a presença de Selena e Ed era praticamente impossível, mas Demi não queria voltar para o escritório sem se despedir de Joe com um beijo nem que fosse na bochecha, ela só não esperava que Joe roubasse um selinho como ele tinha feito.
    - A gente se vê. – Ela assentiu sem conseguir conter o sorriso, pegou a revista em quadrinhos na mesa do rapaz e lançou um olhar intenso e apaixonado a ele antes de virar as costas. Passar por Selena só alargou o sorriso de Demi, que de tão corada que estava sorriu cabisbaixa sabendo que Sel também estava sorrindo e feliz por ela finalmente ter enxergado que Joseph era o homem perfeito para ela.


Parecia que quanto mais ansiosa Demi ficava para desse a hora de ir embora, mais o ponteiro do relógio demorava a se deslocar. Estava sendo doloroso e entediante ficar sentada naquela cadeira por tanto tempo, ainda mais em um sábado. E saber que estava sendo vigiada era tão assombroso que Demi cogitou a ideia de mostrar língua para a câmera ou até mesmo revirar os olhos mostrando para Jake como ela desaprovava aquele método de “segurança”. Ao menos ele não a incomodou e muito menos deu sinal de vida.

Em algum momento da tarde enquanto estava escorada no batente da janela do escritório vez fitando a prancheta em mãos vez admirando a vista da cidade enquanto comia chocolate, Demi pensou em como diria para Jake que tudo tinha acabado entre eles. Ela também tinha parado para pensar na história da câmera e das fitas escondidas atrás daqueles livros na estante no escritório presidencial que pertencia a Jake. A sensação ruim a tomou quando ela se lembrou de que o assassino de Jason Gyllenhaal tinha roubado as fitas das filmagens da noite do assassinato e do que Jason tinha lhe contado sobre Jake. Eles não estavam bem e tinham discutido dias antes do magnata ser assassinado. Tudo era tão estranho e parecia estar interligado... Mas também não fazia muito sentido até porque no dia que Jason foi morto Jake estava com ela. Eles partilharam a mesma cama completamente nus. Ficaram boa parte da noite acordados trocando carinhosos e conversando. Jake estava normal, não parecia alguém que supostamente tinha encomendado a morte do próprio avô e Demi achava aquela teoria pesada demais até mesmo para Jake.

Ela realmente precisava parar de pensar em tantas besteiras e voltar a trabalhar, tinha muita coisa a ser feita e foi o que ela fez. Trabalhou duro lutando contra os pensamentos que não envolviam os projetos e documentos. Fez o melhor que pode naquelas horas que a mais de trabalho até que o celular vibrou e ela sorriu quando viu o nome de Joe na tela.

“Posso te acompanhar até o seu apartamento? Estarei te esperando às seis em frente ao prédio.”.

Em questão de segundos Demi respondeu a mensagem e verificou a hora. Dez minutos para às seis da tarde. Ela realmente tinha perdido a noção da hora. Geralmente saia no horário de almoço no sábado, mas o trabalho acumulado era tanto que ainda teria que trabalhar em casa. Só de pensar que dentro de dez minutos ela estaria com Joe, Demi agilizou o que estava fazendo e guardou o material que levaria para casa dentro da bolsa e os demais na prateleira do escritório. Conferiu-se no espelho e retocou o batom. Estava tudo nos conformes.

Naquele horário o departamento já estava praticamente vazio, Demi trancou o escritório e engoliu em seco quando percebeu que Mary também esperava pelo elevador. Será que ainda estava em tempo de descer de escada sem que Mary percebesse? Porém era tarde demais para virar as costas, Mary tinha a notado e forçou um sorriso que toda mulher perceberia que era falso.

   - Pensei que estava quebrado. – Ok, ela não estava a fim de conversa, e muito menos de ficar sozinha com Mary. Mas o destino trabalhava na direção oposta e o elevador estava vazio. Demi murmurou baixinho um palavrão e adentrou ao elevador torcendo para que ele chegasse logo ao hall. – Então... Tudo bem? – Mary perguntou e Demi respirou fundo se preparando psicologicamente para a conversa que aconteceria mesmo contra sua vontade.

   - Tudo bem. – Afirmou cabisbaixo. – E com você? – Perguntou por pura educação e quando Mary respondeu que estava tudo bem Demi franziu o cenho quando a porta do elevador se abriu e bem, lá estava Jake. Ele não disse nada, apenas lançou a ela um olhar duro e olhou para Mary parecendo não estar nenhum pouco feliz por estar com elas. Tudo foi realmente muito estranho, mas no final das contas ela tinha saído ilesa daquele momento desagradável no elevador.

Demi preferiu esperar no hall da empresa enquanto Jake e Mary saiam lado a lado, eles até tinham trocado algumas palavras, mas cada um seguiu um caminho. – Está tudo bem? Você está pálida. – Agora era seguro e ela estava aliviada por estar com Joe.

   - Acho que nunca mais vou usar o elevador. – Murmurou caminhando sem pressa ao lado de Joe. – Não tenho boas experiências. No prédio em que moro o elevador é uma bagunça e o da Gyllenhaal está começando a virar uma pequena sala de tortura que sobe e desce bem devagar. – Acabou que ela riu junto com Joe, mas era verdade. Usar o elevador nunca era uma boa opção.

   - Subir e descer de escada é um castigo. – Disse Joe a olhando e Demi assentiu. As pernas doloridas eram a prova viva que não era nada agradável usar a escada. – Vamos atravessar? – Era a desculpa perfeita para que ele pegasse na mão dela. O toque era tão gentil, Demi sorriu enlaçando os dedos aos dele e eles esperaram que o sinal ficasse vermelho para os carros e atravessaram na faixa. Aquele final de tarde estava tão lindo. O céu ainda tinha os vestígios do dia misturado aos da noite, os faróis dos carros e o movimento das ruas davam uma sensação tão boa de missão cumprida. Ela tinha vencido mais um dia em meio a todos os obstáculos que vinha enfrentando desde muito jovem.

   - Obrigada por me acompanhar. – Disse assim que chegaram ao outro lado da rua. Ela estava se sentindo tão segura com Joe, caso estivesse sozinha já teria entrado em pânico imaginando mil e uma teorias que nunca aconteceriam. Mas ele estava lá tomando todos os pensamentos dela.

   - Eu não vou deixar que ninguém te machuque. – Entrelaçando mais os dedos aos dela, Joe sorriu e a beijou na testa e em troca Demi selou os lábios aos dele.

   - Joseph.. – Demi acariciou o rosto do rapaz com a ponta dos dedos e tornou a beijá-lo na boca, acariciou os cabelos da nuca dele e respirou fundo ainda de olhos fechados. Ele era tão apaixonante. Demi o olhou e sorriu quando Joe sorriu, fez carinho na mão dele e o abraçou de lado feliz por Joe ter a abraçado de volta. Porém não demorou muito para que Demi sentisse o peso do corpo de Joe, ele estava mole e parecia tão confuso. – Joe? Você está bem? – Ela perguntou preocupada tentando segurá-lo da melhor forma que podia, mas ele era tão grande e pesado que Demi sentia que o deixaria cair a qualquer momento.

   - E..eu.. – Murmurou Joe enxergando o dobro. Tudo estava confuso e ele sentia que aos poucos perdia as forças.

   - Joseph? Respira fundo! – Demi estava tão nervosa e sem saber o que fazer, estava sozinha no meio de uma multidão que apenas olhava o que acontecia sem dar nenhum suporte a ela. – Ei, vai ficar tudo bem. – Ela disse o olhando quando Joe a olhou ainda tonto. A primeira pessoa que Demi pensou foi Selena, e ela não hesitou em discar o número da amiga que atendeu ao telefone de imediato. – Sel, o Joseph.. Ele não está bem. – Como Selena tinha dito, Demi tentou se acalmar e explicou toda situação para a amiga que prometeu que chegaria logo já que estava ali perto. – Joe, respira fundo, ok? Eu vou cuidar de você. – Ao menos ele parecia mais esperto já que assentiu e tentou se recompor sem sucesso. – Eu estou aqui meu anjo, nada de ruim vai acontecer. – Demi sentiu o coração disparar no peito quando ele forçou um sorriso e assentiu. Ela não se lembrava de ter ficado tão preocupada como estava, ela só queria que Joe ficasse bem.

   - Dem? – Ao escutar a voz de Sel, Demi pensou que desabaria em choro, mas ela foi firme e ajudou Joseph a caminhar junto com Ed. Não desgrudaria dele tão cedo, pois estava com tanto medo de perdê-lo.

   - Ei, vai ficar tudo bem. – Disse Demi para Joe assim que estavam acomodados ao banco de trás do carro de Selena. Ela o tocou no rosto para checar se ele estava febril ou algo do tipo, mas Joe não apresentava nenhum sinal de temperatura elevada.

   - Dem, eu estou bem. – O esforço dele para dizer aquelas palavras tinha sido tão grande que Demi franziu o cenho não gostando nada daquela situação e depositou um selinho nos lábios de Joe.

   - Nós já estamos chegando. – Demi não conseguia tirar os olhos de Joe, estava tão preocupada e tentava não pensar em besteiras. Era um pouco difícil se controlar para não surtar, ela realmente não sabia como agir naquele tipo de situação, mas com Sel a guiando as coisas eram tão diferentes. O hospital mais próximo não ficava muito longe, porém por conta do horário de pique o carro ficou preso em pelo menos em três sinaleiros e Sel já estava começando a ficar nervosa com o estado de Joseph, porém Ed, no banco do carona, tentava manter Joseph acordado a todo custo entretendo o rapaz.

***

   - Você precisa ficar calma. – Disse Selena abraçando Demi. O médico e os enfermeiros tinham levado Joseph para examiná-lo e Demi estava tão preocupada que não conseguia ficar quieta, a mente estava a mil e ela não conseguia ficar simplesmente sentada. – Ele vai ficar bem, Dem. – Demi respirou fundo e se acomodou ao abraço de Selena. Era definitivamente o melhor e mais acolhedor abraço do mundo.

   - Estou preocupada. – Murmurou e Sel lhe acariciou o cabelo e a beijou na testa.

   - Ele vai ficar bem. – Selena abraçou Demi contra o peito e deixou que a amiga ficasse ali o tempo que achasse necessário. Ela também trocou olhares com Ed que estava sentado ao lado observando como Demi estava preocupada com Joe. – Daqui a pouco o médico trará notícias. – Demi assentiu desfazendo do abraço, respirou fundo e fitou as próprias mãos para não ter que olhar para Selena já que ela tinha certeza que estava corada. O melhor seria esperar pelo médico. Foi desconfortável todo aquele silêncio entre ela, Ed e Sel, mas conforme os minutos se passavam Demi se envolvia com a movimentação das pessoas da sala de espera e com a programação da televisão. Até que notou o mesmo médico que tinha atendido Joseph se aproximar da recepção.

   - Como o Joseph está? – Ela se apressou em se aproximar e ousou a fazer aquela pergunta mesmo que bruscamente.

   - Senhorita Lovato.. – Demi não entendia o porquê do leve sorriso nos lábios do homem mais velho que certamente sabia o nome dela por conta das informações no prontuário de Joe. – Só foi uma queda brusca de pressão. O seu amigo tem a saúde muito frágil e complicada. Ele não se alimentou corretamente hoje, está fraco, mas está sobre os nossos cuidados e logo ficará bem. – Ansiosa como sempre Demi perguntou sobre as visitas e assim que o médico disse que Joe já poderia receber visitas, ela apressou o passo até o quarto do rapaz.

   - Joseph? – Depois de duas batidas à porta ele havia respondido. Quando adentrou o quarto Demi franziu o cenho. Joseph parecia tão pálido e cansado. – Ei, como você se sente? – Ela colocou uma mecha do cabelo atrás da orelha e se sentou à beirada da cama.

   - Cansado, mas bem. – Joe forçou um sorriso e buscou a mão de Demi para enlaçar os dedos aos dela. – Eu não queria preocupá-la. – Ele disse depois que ela o beijou na boca. – Às vezes isso acontece, não faz essa cara. – Ele não esperava que Demi ficasse tão preocupada como ela estava, mas por um lado estava feliz porque ela se importava.

   - Você não se alimentou Joseph. – Disse de cenho franzido e chateada com a situação.

   - Tinha tanta coisa para resolver, e hoje é sábado. Eu não queria ficar até mais tarde. – Demi resmungou um palavrão, mas assentiu. – O tempo passou muito rápido e eu acabei me esquecendo do almoço.

   - De agora em diante eu vou ficar no seu pé. – Ela o abraçou e o beijou na bochecha. – Não quero que você fique doente, e não é para ficar sem se alimentar! – Bem, uma coisa Demi e Clara tinham em comum, elas não deixariam a bronca de lado.

   - Você fica tão linda brava. – Demi revirou os olhos, mas acabou sorrindo para ele. – Eu vou me cuidar, prometo. – Ele a acolheu nos braços quando Demi o abraçou repousando a cabeça em seu peito.

   - Ei Joe. – Envergonhada Demi se ergueu e caminhou ficando ao lado de Selena quando Ed se aproximou de Joe.

   - O médico disse que o Joe vai passar a noite aqui. – Disse Selena tentando puxar assunto com Demi que assentiu um tanto sem jeito.

   - Vou ficar aqui com ele. – Jamais deixaria que Joe passasse à noite sozinho. O silêncio entre elas se tornou constrangedor e Demi se perguntou a que ponto a situação com Selena tinha chegado. Silêncio constrangedor? Deus! Mas ela também não sabia o que dizer e não sabia como sustentar o olhar de Selena.

   - Vou pegar café na máquina, vem comigo? – Tudo bem, era apenas Selena. Demi assentiu sabendo que seria mais constrangedor ficar naquele quarto ouvindo a conversa de Joe e Ed que estavam tão entretidos que nem as olhava. No final das contas não tinha sido tão ruim caminhar com Sel em direção à máquina de café que ficava no final do corredor. – Não vai querer? – Selena perguntou assim que a máquina encheu o copinho de café.

   - Não, obrigada. – Demi não a olhou, mas Selena percebeu quando ela colocou uma mecha do cabelo atrás da orelha e mordeu o lábio inferior.

   - Então.. Você e o Joseph estão juntos? – Perguntou Selena quebrando o silêncio entre as duas.

   - Nós não conversamos sobre isso. – Começou a dizer Demi e logo fez uma pausa. – Mas eu quero ficar com ele, sabe, apenas com ele. – Sel assentiu sorrindo e Demi sorriu também.

   - Fico muito feliz por você. O Joe é um cara muito legal. – Demi sabia que era e queria ter escutado Selena mais cedo. Estar com Joe era tão diferente de estar com Jake. Ele a fazia se sentir viva e feliz, ela sempre estava ansiosa para estar com ele e Joe oferecia a melhor sensação de segurança que uma mulher poderia desejar. Sem contar a vontade de agarrá-lo...

   - E você e o Ed? – Perguntou para que o silêncio não voltasse a incomodá-las, mas na verdade ela queria mesmo era Selena de volta.

   - Estamos superando aos pouquinhos, a morte da Sophia não foi fácil para ele e muito menos para as crianças. Mas nós estamos bem. – Demi sorriu assentindo. O coração gritava cada vez mais para que ela continuasse a conversa com Sel e não largá-la nunca mais.

   - Sel? – Ela precisava dar aquele passo, precisava acabar logo com aquela situação e ser feliz ao lado das pessoas que amava. Demi respirou fundo quando Selena a olhou nos olhos, e ela não ousou em desviar o olhar da amiga. – Eu sinto a sua falta. – Disse ainda sem jeito. – Me desculpa por ser tão imatura? Sempre acreditei em você, eu só não queria enxergar porque eu.. Eu estava chateada por você sempre ter razão sobre os caras que eu me envolvia. Você tem razão por me achar ingênua. – Tudo tinha saído tão rápido antes mesmo dela ter consciência do que dizia. Estava corada e não sabia se diria mais coisas a Selena ou se ficava calada esperando a reação da amiga. Mas a segunda opção pareceu mais atrativa e Demi umedeceu os lábios fitando o chão.

   - Dem, eu também sinto a sua falta. – Disse Selena e Demi sentiu um enorme alivio preenchê-la. – Nós podemos conversar sobre isso outro dia? E em um lugar mais apropriado? – Bem, Sel não tinha a desculpado.. porém não tinha recusado as desculpas. Demi assentiu levemente corada, mas sorriu quando Selena a envolveu num abraço apertado tendo todo o cuidado do mundo para não sujá-las de café, o que acabou sendo motivo de riso entre as duas. – Os nossos garotos estão nos esperando, vamos? – Tornando a assentir, Demi envolveu os dedos aos de Sel quando ela lhe ofereceu a mão e juntas elas caminharam em direção ao quarto como sempre faziam: juntas e agarradas.


Continua... Oii! Finalmente o capítulo saiu!! A Demi e o Joe estão se aproximando como um casal, amém né? E teve um pouquinho de Semi. Espero que vocês tenham gostado, eu tô um pouquinho desanimada, mas é em geral, por isso que tô demorando para escrever :/ Enfim, obrigada pelos comentários!! Respostas AQUI

7 comentários:

  1. Teve beijos jemi amei!!!
    Que bom que a Demi ta se entendendo com a Selena e espero que ela dê um fim no Jake logo kk so quero saber quando o Joe vai ter coragem de dar AQUELE amasso com Demi kkkkk

    ResponderExcluir
  2. Ansiosa pelo o Hot ❤️

    ResponderExcluir
  3. Esse capítulo foi tão lindo, mais tão lindo que estou pensando em reler de novo kkkkk
    Finalmente o casal está se entendendo, já estava ansiosa por essa aproximação deles. Quero saber o que vai acontecer daqui pra frente entre eles, que seja tudo lindinho entre eles...
    Awnn, semi sendo lindas 😍 quanto amor, só fiquei triste porque achei que Selena fosse ter uma conversa séria com a Demi ali mesmo, porém já é um bom avanço elas terem se aproximado também..
    Quero logo o próximo capítulo pelo amor de Deus, não desanima não mermã. Bjosss

    ResponderExcluir
  4. Amei esse cap, o Jake tá aprontando alguma por acaso??? Tô com medo hein. Que bom ver a Demi com as pessoas certas quero muito que ela descubra da Dianna e do Jake aí sim... Mas se descobrir tudo de vez acaba a fic maka rapido e eu vou ficar com saudades. Beijo TO AMANDO OS CAPS

    ResponderExcluir
  5. Hello, leitora nova aqui.
    Estou amando, arrasou. Ansiosa pelo próximo capítulo.

    ResponderExcluir
  6. AAAAAAAAAAAAAAAAAAA QUE COISINHA MAIS LINDA!!!! Não vejo a hora deles se assumirem logo, quero ver a cara do babaca do Jake quando ela disser que não quer mais nada com ele. Sei não viu, acho que alguma coisa vai dar errado...
    Esse capítulo tá um xodó!!! Suas fanfics continuam sendo as melhores de jemi que eu já li.
    Continua logo, beijos!!! <3

    ResponderExcluir
  7. Se eu devorei o blog nesse final de semana? Claro que sim!
    Meeeeeeeeeeeu deussss, até que enfim Jemi estao se entendendo ausuasuas.
    Seguindo mil vezes <3

    Dá uma olhadinha no meu blog tbém flor. Começamos uma história JEMI agora cheia de emoção <3

    gloeana-fanfics.blogspot.com

    ResponderExcluir