10.7.16

Capítulo 18

   - Permita-me dizer que você está completamente linda senhorita Lovato. – Os olhos azuis de Jake estavam tão selvagens e carregados de desejo. Demi mordeu o lábio inferior logo sorrindo um tanto sem jeito ao fitar os lábios do rapaz em contato com a taça de cristal onde armazenava vinho tinto. O jantar tinha sido.. bem, a luz de velas, mesa para dois e Jake havia pedido comida italiana. Demi estava surpresa, porém não conseguia parar de pensar em uma pessoa que agora era praticamente o seu vizinho. Os olhos de Joseph eram tão lindos e não saiam da mente dela. A risada e o jeito fofo também não estavam excluídos. Respirando fundo Demi tentou concentrar todas as suas energias em Jake e bebericou um pouco do vinho fitando aqueles olhos azuis que também eram desconcentrastes e intensos.

   - Você também está lindo. – Disse Demi esboçando um pequeno sorriso para Jake. Ele estava tão elegante vestido num caro terno cinza. Por que ela se sentia tão culpada por ter beijado Joseph? Aquela era de fato a questão. E a incomodava de uma forma absurda. Jake já havia dito tantas vezes que ela era especial para ele, então o que havia de errado com ela para estar beijando outro homem? Mas eles não estavam num relacionamento.. Demi engoliu em seco e resolveu bebericar um pouco mais do seu mingau.

   - Nós já conversamos sobre negócios, filmes clássicos e economia. – Jake umedeceu os lábios e repousou a taça sobre a mesinha de vidro da sala. – Só ganhei um beijo na bochecha. – Pela cara dele Demi sabia o que estava por vir e talvez fosse melhor deixar acontecer, ela sentia saudade dele assim como ela tinha certeza que ele sentia saudade dela. Demi sorriu com o carinho que recebeu na mão conforme Jake se aproximava tão vagarosamente, e ela estava tão perdida nos olhos lindos dele que arregalou levemente os olhos quando notou que o rapaz já estava a pouquíssimos centímetros dela. – Você está realmente muito linda Demetria. – Demi fechou os olhos e sorriu com o elogio. Os lábios de Jake se juntaram aos dela para um beijinho delicado e os dois abriram os olhos e sorriram um para o outro. – Simplesmente linda. – Jake pegou a taça de Demi e a colocou ao lado da dele na mesinha. – Demi, você é muito especial para mim. – Demi não ousou a desviar o olhar do dele, simplesmente ficou quieta esperando Jake continuar. – Nunca se esqueça disso, ok? – Ela estava literalmente aliviada por ser apenas aquilo, e se fosse algo mais sério? Demi suspirou e se deixou envolver pelo toque carinhoso de Jake e pelos lábios dele nos dela a beijando com paixão.

***

Por que o coração tinha que interferir quando tudo parecia estar certo? Deitada na cama Demi não se sentia feliz e muito menos triste. Era apenas uma confusão de sentimentos. Era dia. Deveria ser por volta de seis da manhã e durante toda a noite ela tentou se entregar a Jake de corpo e alma como ele tinha feito toda vez que a beijou e a preencheu. Mas ela nunca tinha se sentido tão vazia em toda a sua vida. O que estava acontecendo? Jake era o que faltava em sua vida e ele gostava dela, queria ficar com ela e bem.. ela estava confusa. Demorou tanto para acontecer! E agora que ela o tinha, ela estava uma bagunça. Levando a mão a boca Demi fechou os olhos e respirou fundo tentando relaxar no abraço de Jake afastando todos aqueles pensamentos estúpidos de sua mente. Jake era um cara legal e merecia uma chance para fazê-la feliz. Erguendo-se ela sorriu o obsevando dormir. Jake parecia cansado e satisfeito, nos lábios dele tinha um leve sorriso que fez Demi sorrir. Ele era simplesmente lindo! Ainda sorrindo Demi o abraçou e plantou um beijo no peito de Jake, logo no pescoço e então ela o beijou na bochecha. A barba dele fazia cócegas e os lábios eram tão bonitos que Demi os fitou e os tocou com a ponta dos dedos antes de fechar os olhos e selá-los com os seus. Quando ela abriu os olhos o coração quase saiu pela boca. Porque diabos ela estava vendo Joseph no lugar de Jake? Atordoada Demi sentiu repulsa de si mesma, desfez o abraço gentil de Jake e se levantou buscando por suas peças de roupa. Ela não podia fazer aquilo com Jake e muito menos com Joseph. Jamais poderia fazer! As peças de roupa que Demi tinha para vestir eram apenas um vestido e a calcinha. E ela as vestiu o mais rápido que pode, calçou os sapatos de salto e resolveu não acordar Jake já que aquela ideia parecia ser péssima! Sair do apartamento dele sem fazer barulho foi a pior parte, mas quando ela tinha acabado de fechar a porta o alivio a tomou por completo. Joseph, Jake. Jake, Joseph. Diabos! Aqueles dois a deixaria completamente louca!

Como o elevador estava a muitos andares acima, Demi resolveu usar a escada já que Jake morava num dos primeiros andares do prédio. O prédio não ficava muito longe do dela, porém quando Demi começou a caminhar pelas ruas de Nova York a ideia de ir para casa não lhe agradava. Ela precisava de alguém, de um abraço e um olhar sincero. Demi pensou em ir a casa de Selena, porém os pés a guiaram na direção oposta a casa da amiga. Demi conhecia muito bem aquele caminho que traçava. Talvez se ela contasse tudo que estava sentindo receberia um abraço carinhoso e um conselho que deveria seguir. Visitar Dianna não era uma péssima ideia e Demi até sorriu sentindo o coração encher de amor ao pensar na mãe. As duas estavam se entendendo e era a melhor coisa do mundo. Pensar que meses atrás Dianna não cedia a um abraço sincero e só a procurava quando precisava de dinheiro. Era uma situação triste e deplorável. Demi não a condenava pela profissão que tinha, ela só queria ser amada.

Fitando o céu ainda com restos da noite Demi sorriu se sentindo como uma adolescente feliz ao pensar em como ela adorava o lugar onde morava. Manhattan era simplesmente o melhor lugar do mundo. Muitas das lojas ainda estavam fechadas, mas os cafés e padarias já trabalhavam a todo vapor. Demi comprou pães que acabaram de sair do forno e café. Ela já estava tão ansiosa para ver Dianna, havia tanto tempo que as duas tinham conversado e Demi fez uma nota mental que deveria ligar mais para mãe para saber como ela estava ou se ela precisava de alguma coisa. O apartamento de Dianna não ficava muito longe dali e Demi chegou em questão de minutos ao prédio e se preparava emocionalmente para bater à porta do seu antigo lar.

   - Tudo bem, respira fundo. – Disse para si mesma e ela quase virou as costas e foi embora. Por que diabos Dianna a deixava tão nervosa? Demi não gostou nada daquela situação e quando percebeu já batia à porta da mãe. Alguns minutos se passaram e ela bateu à porta novamente ansiosa para abraçar Dianna.

   - Demetria? – Dianna parecia sonolenta, mas também parecia surpresa por vê-la. – Nós temos que programar um horário que não seja tão cedo para você me visitar. – Demi sorriu um tanto sem jeito e adentrou o apartamento assim que a mãe lhe deu passagem.
   - Trouxe pão e café. – Demi estava tão sem jeito que acabou corando. Ela apenas esboçou um pequeno sorriso para Dianna e caminhou para a cozinha. – Bom dia. – Murmurou envergonhada assim que colocou o saco de pães e o café sobre a bancada da cozinha.

   - Bom dia Demi. – Demi sorriu e preferiu focar toda a sua atenção em preparar o café da manhã para a mãe ao invés de olhá-la como se Dianna fosse algo anormal. – Não trabalha hoje? – Ela não estava acostumada com tanta simpatia, principalmente vinda de Dianna. E por que diabos ela estava tentando puxar assunto?

   - Mais tarde. – Disse buscando por pratos no armário da mãe.

   - Vestido preto.. – Demi corou com o olhar da mãe. – Sapatos pretos e essa linda bolsinha da Chanel. Onde você estava Demetria? – Mais vermelha que o normal Demi terminou de preparar o café da manhã e sentou-se à mesa ao lado da mãe.

   - Eu.. eu estava no apartamento de um.. – Fitando os próprios dedos Demi não soube o que dizer para Dianna. O que Jake era? – Nós podemos falar sobre isso depois? – Disse fitando os olhos atentos de Dianna e ela assentiu começando a comer. – Está tudo bem? Você está precisando de alguma coisa? – Perguntou Demi ao se lembrar de que os armários estavam puros e provavelmente a geladeira estava no mesmo estado.

   - Está tudo bem, não precisa se preocupar. – Demi franziu o cenho. Por mais que a relação com Dianna era difícil, ela jamais deixaria que a mãe passasse qualquer tipo de necessidade.

   - Nós podemos ir ao supermercado no final do dia. – Dianna apenas assentiu e o café da manhã seguiu sem grandes problemas ou conversas desagradáveis. Elas trocaram poucas palavras e preferiram ficar em silêncio.

   - Ainda está cedo, se quiser pode descansar no seu quarto. – Demi assentiu, mas tudo que ela queria no momento era um abraço da mãe.

   - A gente pode conversar? – Perguntou um pouco receosa e Dianna assentiu a olhando. – Lá na sala? Eu quero matar a saudade do sofá. – A própria Demi acabou rindo ao se lembrar do André e o sofá.. – Mãe? Eu senti saudades. – Ela finalmente tinha tido coragem para dizer aquelas palavras e em troca ganhou um abraço caloroso de Dianna. O melhor abraço do mundo! Demi estava tão feliz nos braços da mãe, nenhum sentimento nunca foi tão forte como aquele amor avassalador que Demi sentia por Dianna.

   - Eu também senti saudades. – Disse Dianna contagiada com o sorriso de orelha a orelha da filha. – Então, o que aconteceu com você. – As duas estavam finalmente sentadas no sofá e Demi parecia tão tensa apesar de estar radiante de felicidade por estar com a mãe.

   - Eu posso deitar? – Perguntou Demi. Dianna conseguia desarmar toda a maturidade e o perfil de adulto que Demi havia adotado quando ainda era uma adolescente. Ela simplesmente se sentia como uma criança nos braços da mãe. – Obrigada. – Demi sorriu para a mãe fitando os olhos dela. Há quanto tempo mesmo ela queria fazer aquilo? Nunca tinha acontecido e estava sendo a melhor coisa do mundo deitar com a cabeça no colo da mãe. – Eu dormi no apartamento de um rapaz que estou ficando, sai antes dele acordar.

   - Ele fez alguma coisa? – Demi nunca viu Dianna tão séria como ela estava e foi tão bom, ela se sentiu protegida nos braços da mãe.

   - Não.. O Jake é um amor. – Comentou Demi suspirando ao se lembrar das palavras de Jake na noite passada. Ele gostava dela. – Eu gosto muito dele. Não é a primeira vez que nós dormimos juntos, mas nós não somos um casal. – Disse Demi de cenho franzido pensando na situação. – Ele é o neto do Jason e o meu mais recente chefe. Nós começamos a sair antes dele assumir o controle da empresa, eu não sabia que ele era neto do Jason. – Murmurou Demi à contra gosto. Ter Jake como chefe a deixava tão receosa, pois era tão complicado separar a vida pessoal da profissional. – E tem o Joseph. – Um pequeno sorriso nasceu nos lábios de Demi a se lembrar de Joe. – Ele é simplesmente o cara mais fofo e tímido que eu já conheci. Foi ele que me salvou naquele beco escuro.. – Ela disse fitando os olhos de Dianna intensamente. – Nós temos muitas coisas em comum e somos bons amigos, mas eu o beijei! Não me pergunte o porquê, eu simplesmente não consigo resistir. O Joe é tão fofo. Ele e o Jake são tão diferentes.

   - O Jake é mais velho? – Dianna perguntou adentrando os cabelos da filha com os dedos e Demi assentiu quase tendo um ataque do coração de tanta felicidade.

   - Ele é um homem de negócios e sempre está ocupado. – Disse se lembrando de como Jake não tinha tolerância para determinados assuntos que ela simplesmente adorava. – Já o Joe é um rapaz simples, ele tem a minha idade e chegou do Texas há pouco tempo. Nós estamos trabalhando juntos na empresa, o Joseph conseguiu a vaga de analista de redes e é ótimo no que faz.

   - Você dormiu com ele? – Demi franziu o cenho, mas não pode evitar o rubor que se espalhou pelo rosto.

   - Não... – Disse fitando o teto. – Eu o beijei no sábado passado no Central Park. E durante toda a semana quando a gente se encontrou.. – Contar a Dianna que ela tinha sido a primeira garota que Joe tinha beijado pareceu ser tão constrangedor que Demi resolveu guardar aquele detalhe apenas para ela. – Ontem eu disse a ele que nós não poderíamos mais continuar com isso.. Eu não quero enganá-lo e muito menos enganar o Jake. Mas agora eu estou confusa. – Murmurou a última frase cobrindo o rosto com as mãos.

   - Você sabe que terá que escolher um dos dois. – Disse Dianna sem olhá-la nos olhos. – Apenas siga o seu coração. – Demi sorriu emocionada com a resposta da mãe. Devido às circunstâncias ela tinha pensando que Dianna diria algo completamente contrário, mas se surpreendeu. – Não deixe ninguém te machucar. As pessoas não são o que aparentam ok? – Demi franziu o cenho, mas assentiu gostando de sentir o carinho que a mãe fazia em seus cabelos.

   - Eu te amo muito! – Sorrindo um tanto sem jeito Demi se ergueu para depositar um beijo na bochecha de Dianna. Ela não esperava ouvir um eu te amo, mas estava feliz por poder dizer aquelas palavras e ganhar um sorriso verdadeiro em troca.

   - Não quer dormir um pouco? Ainda está cedo. – Demi fechou os olhos sorrindo como uma gata manhosa com o carinho que ela recebia. Por que aquilo parecia ser tão bom quando era Dianna que fazia? Selena sempre a mimava daquele jeito, e era muito bom, mas nada perto do carinho de Dianna.

   - Eu tenho que ir para casa. Eu e o Joseph adotamos uma cadelinha, ela deve estar sentindo a minha falta. – Disse Demi ao se lembrar de que Lucy estava sozinha desde a noite passada. Ela havia mimado a cadelinha e a embrulhado nas cobertas depois do leite morno e do prato de ração.

   - Você sempre quis ter um cachorro. – Comentou Dianna e Demi sorriu feliz por a mãe se lembrar daquele sonho de criança dela. – Não terá problemas no apartamento? – Perguntou quando Demi se levantou.

   - O Joe vai levá-la para o apartamento dele hoje. Lá é permitido animais. – Demi buscou pelo celular dentro da bolsinha de mão e resolveu que já era hora de ir para casa, caso contrário acabaria atrasada. – Eu tenho que ir.

   - Tudo bem. – Disse Dianna se levantando para acompanhar a filha até a porta. – Venha me visitar mais vezes.

   - Nós combinamos, até mais tarde. – Demi não hesitou em envolver Dianna num abraço apertado e dizer que a amava a olhando nos olhos. E quando ela virou as costas Dianna respirou fundo e pela primeira vez ela estava realmente preocupada com a filha e na confusão que ela tinha as metido..

***

Qual caminho ela deveria escolher Demi não sabia até porque nada conseguia chegar perto da felicidade que ela sentia por ter um simples momento com a mãe. Era tão grande aquele sentimento e tão especial. O sorriso chegava ir de orelha a orelha. Foram tantas às vezes que Dianna a fez chorar, foram tantas às vezes que o coração de Demi foi partido em milhares de pedaços pelo olhar frio e a clara rejeição da mãe quando ela era apenas uma garotinha que corria para os seus braços, mas simplesmente era abandonada no canto frio da sala. Mas o amor que Demi sentia por Dianna era tão grande e bondoso. Dianna poderia machucá-la de todas as formas, mas uma coisa era certa: Demi a perdoaria num piscar de olhos.

   - Ei! Eu senti a sua falta. – As lambidas pegajosas e quentes de Lucy eram uma ótima recepção. Demi sorriu para a pequenina a pegando no colo para enchê-la de mimos enquanto caminhava para o quarto. – Por favor, diga que você não fez xixi na minha cama. – Murmurou Demi de dedos cruzados se aproximando da cama. E graças a Deus estava tudo livre de cheiro de xixi, ao menos na cama já que no banheiro e no corredor havia “rastros” de Lucy. – Eu vou sentir sua falta. – Suspirou esperando que o leite não fervesse e transbordasse no fogão. – O Joe vem te buscar hoje. – Demi correu os dedos atrás da orelha de Lucy de olhos marejados. Como ela poderia se apegar tanto a um animalzinho como tinha acontecido? – Vou sentir tanta sua falta menina. – Murmurou Demi chorosa observando a pequenina se esbaldar na tigela de leite e ração.


Mais tarde Demi caminhava pelos corredores na Gyllenhaal envolvida em desenvolver mais um de seus projetos que envolvia a interface gráfica de um novo programa. Na maioria do tempo Demi estava distraída pensando na estrutura da gráfica e como ela poderia fazer algo inovador, porém não era possível ter uma linha continua de raciocínio, sempre que a ideia brilhante estava próxima alguém batia à porta para lhe entregar papeis ou avisar a data das próximas reuniões.

   - Entregue esses papeis no setor financeiro e avise ao diretor do programa que entrarei em contato para possíveis negociações. – Eram tantos papeis que Demi ficava confusa com qual deles ela deveria entregar para a secretária estagiária do departamento e os outros para tantas pessoas que ela nem fazia ideia de quem era. – Quero que você descasque esse abacaxi para mim Srta. Gomez. – Demi esboçou um sorriso maquiavélico ao entregar uma pilha de papeis na mesa de Selena já que ela não fazia anda além de lixar as unhas observando tediosamente gráficos no computador.

   - Demi! Qual é? – Resmungou Selena e Demi arqueou as sobrancelhas. Ora, não era justo ela ter que resolver milhares de coisas ao mesmo tempo enquanto havia vários de seus funcionários sem atividades realmente importantes.

  - Você pode ficar com esse outro abacaxi Ed. – Disse a Ed colocando uma pasta de documentos sobre a mesa dele. O rapaz estava concentrado trabalhando em revisar o andamento dos futuros periféricos que a empresa lançaria daqui alguns meses, mas Ed era muito esperto e Demi tinha certeza que ele resolveria aquela papelada em questão de poucos minutos. A papelada foi distribuída por grande parte do departamento e Demi sorria ouvindo as reclamações dos colegas, mas ela sabia que eles eram competentes e concluiriam o trabalho a tempo. – Nós temos até o final do dia para resolver esses problemas. – Disse em alto e bom som sorrindo para os colegas que murmuravam baixinho. – Então comecem a tr.. – Caminhar distraída não era uma boa opção. Demi deveria saber disso desde a época da faculdade já que ela vivia esbarrando nos colegas porque não parava de tagarelar com Selena.

   - Está tudo bem? – A voz suave e firme de Joseph lhe causou arrepios por todo o corpo. As mãos dele abraçavam seus braços impedindo que ela caísse com tudo no chão.

   - Está. – Demi umedeceu os lábios e quando percebeu que fitava demais os olhos dele, desviou o olhar para os documentos que ela carregava. Joseph estava um pecado de tão lindo! A cor rosa goiaba combinava tanto com o tom moreno de pele dele. A camisa era linda e se encaixava perfeitamente no tronco forte. A calça escura se ajustava bem na cintura do rapaz. Os cabelos escuros como sempre estavam penteados e os óculos geek davam um tão sexy a Joe. Ele não deveria trabalhar tão bonito como estava num departamento cheio de mulheres que não paravam de olhá-lo.

   - Demi? Está tudo bem? – Céus! Ela estava definitivamente ferrada. Enquanto Joe parecia um típico rapaz fofo de bochechas coradas, lá estava Jake sério e educado vestido com um terno caro fitando os olhos dela com os olhos azuis intensos dele.

   - Está! – Demi forçou um sorriso para os dois homens maravilhosos a sua frente. Eles eram demais para ela, principalmente quando estavam juntos. Um loiro de olhos azuis como o céu e o outro moreno de olhos verdes como esmeraldas. – Eu tenho que ir. – Ela disse um pouco nervosa quase deixando a papelada cair.

   - Demi! – Aquilo foi definitivamente estranho. Os dois estavam chamando por ela ao mesmo tempo. Selena que estava alguns metros do trio amoroso observava tudo curiosa para saber onde aquela história acabaria. – Preciso que você olhe alguns papeis. – Disse Joseph constrangido com o olhar de Demi, o olhar assassino de Jake e o olhar de todos os outros funcionários que estavam quietos observando os três.

   - Tudo bem. – Demi murmurou e olhou para Jake que a despachou com um olhar e ela não perdeu a oportunidade caminhando diretamente para o escritório onde ela teria paz para trabalhar.

   - Algum problema? – Jake perguntou a Joseph completamente impaciente.

   - Tivemos uma falha no sistema, mas já foi resolvido. – Disse Joseph sem se intimidar. – Só preciso que a Srta. Lovato assine alguns papeis já que ela é a chefa do departamento. – Joe sustentou o olhar de Jake sentindo o sangue ferver. Quando ele corrigiu o problema mais cedo não pode deixar de notar que o sistema da empresa estava sendo monitorado por outro computador que pelos dados apontavam o computador do último andar da empresa: o computador que Jake usava. Ed também havia encontrado uma série de fatos que poderiam ligar Jake ao assassinato se ele conseguisse desvendar a identidade do usuário que monitorava a rede de câmeras.

   - Eu mesmo posso assiná-los. – Joe assentiu e buscou pelos papeis em sua mesa e quando Jake os assinou ele não leu do que se tratava, apenas assinou rápido e sustentou o olhar de Joe. – Espero que você não incomode a Srta. Lovato. As privadas do banheiro masculino estarão a sua disposição. Fui claro? – Joe engoliu em seco, mas assentiu sabendo que não valeria a pena comprar uma briga com Jake já que ele precisava do emprego. Ele só não gostou do caminho que Jake traçou.. Diretamente para o escritório de Demi.


   - Demi? – Automaticamente Demi fechou os olhos e respirou fundo. Foram exatos quinze minutos jogados fora tentando se concentrar no projeto. E agora Jake estava na sua sala. Ele nem avisou que estava entrando!

   - Algum problema? – Perguntou Demi um pouco impaciente sem deixar de fitar o projeto no computador em seu copo.

   - Eu só queria saber se estava tudo bem. – Disse Jake se aproximando do sofá onde Demi tentava trabalhar a todo custo. – Está tudo bem?

   - Está tudo bem Jake. – Ela disse ainda sem olhá-lo irritadíssima com o fato de seu coração estar numa verdadeira confusão, tudo por culpa dela mesma. – Está tudo bem. – Repetiu dessa vez mais calma e olhando para os olhos de Jake.

   - Você não me avisou que iria embora. Eu fiquei preocupado. – Demi não disse nada quando Jake se curvou para beijá-la na boca. – Está tudo bem mesmo? – Ele perguntou acariciando o rosto de Demi com as pontas dos dedos.

   - Desculpe. Eu só queria ir para casa. – Disse Demi respirando fundo e fechando os olhos. – Eu tenho que trabalhar. – Ela não disse mais nada, focou toda a atenção no projeto mesmo sentindo os olhos de Jake a estudando.

   - Olha, eu sei que as coisas entre a gente estão confusas. – Jake começou a dizer e Demi praguejou em pensamentos. – Mas eu realmente gosto de você. Não estou vendo ninguém desde que te conheci naquele pub. – Demi umedeceu os lábios e finalmente olhou para Jake que estava cabisbaixo sentado no braço do sofá. – Eu sei que os seus amigos não gostam de mim, eu juro que não sei o que tenho de errado para incomodá-los tanto. Principalmente a Selena. Mas eu realmente não me importo com o que ela pensa sobre mim, se você confia nela eu também posso confiar. – Demi franziu o cenho e não entendeu quando Jake segurou gentilmente sua mão esquerda entregando a ela um objeto metálico e frio. – Ainda não estou pronto para dar esse passo, passei por muita coisa nos últimos meses e me sinto sortudo por ter você na minha vida. Não é um pedido de namoro, ainda não. – Ele disse esboçando um pequeno sorriso. – Mas significa que estamos dando um passo no nosso relacionamento. – Demi fitou o objeto com curiosidade quando Jake soltou sua mão. Era uma chave num chaveiro com o símbolo do Batman. – Claro, se você quiser.

   - O que é isso? – Demi perguntou curiosa fitando a chave e logo os olhos de Jake.

   - Fiz uma cópia da chave do meu apartamento. – Jake sorriu desabotoando os dois botões do paletó. – Quero que você fique com ela caso precise de alguma coisa ou simplesmente queira se juntar a mim numa noite fria Srta. Lovato. – Demi sorriu sentindo os lábios de Jake em sua testa.

   - Você não precisava fazer isso. – Disse Demi encostando a cabeça no peito dele. – Mas obrigada. – O beijo que trocaram foi suave e quando Demi olhou nos olhos azuis e intensos de Jake ela só conseguiu pensar nele.


***

  
- A Sophia não tem muito tempo, o médico disse que no máximo duas semanas. – Demi fitou Selena que estava claramente preocupada com Ed que conversava com alguns colegas de trabalho. Elas estavam longe do rapaz, mas não longe o suficiente para perceber como Ed parecia triste e acabado.
   - O seu aniversário é na semana que vem. – Demi comentou também observando Ed. – Ele está sofrendo, mas não o desmoronar. – Confortar Selena com um abraço foi o melhor que Demi pode fazer. – Sempre vou estar aqui para vocês. – Ao menos um sorriso Sel esboçou.

   - O que o Jake queria mais cedo? – Selena perguntou já que as duas estavam em silêncio a espera de Ed.

   - Ele estava preocupado. – Disse Demi sem muita vontade de falar sobre aquele assunto com Selena. Jake tinha razão. Porque Sel não gostava dele? Era perceptível pela forma que Selena falava o nome do rapaz. – Saí sem avisar, eu não quis acordá-lo. – Concluiu Demi.

   - E o Joseph? – Demi evitou olhar para os olhos de Selena, pois sabia que a amiga surtaria sabendo que ela sentia alguma coisa por Joe.

  - Não falei com ele. – Disse Demi respirando fundo. Tinha sido tão difícil ficar longe de Joe durante todo o dia. Ela havia o espiado pelas persianas quando projetar já estava a deixando completamente maluca. E tinha sido tão maravilhoso olhar Joseph tão concentrado e bonito trabalhando. Demi quase teve uma crise de ciúmes por ver as tantas mulheres do departamento com os olhos sobre o rapaz.

   - Vocês continuam se beijando? – A pergunta de Selena era tão pesada para Demi que ela fuzilou a amiga com um olhar.

   - Não Selena, eu estou com o Jake e isso é completamente errado. – Ela disse pensando na cópia da chave no bolso de sua bolsa. Jake confiava nela e ela se mostraria digna de confiança. – Nós somos apenas bons amigos, ok? – Demi não queria perder a paciência com Selena, principalmente agora que ela estava confusa e acabaria descontando toda a frustração na amiga.

   - Demi.. Você não pode confiar no Jake. – Disse Selena séria e a olhando nos olhos, o que irritou Demetria profundamente. – Ele não é quem você pensa que é. – Disse um pouco baixo já que elas ainda estavam na empresa e Jake poderia estar as vigiando.

   - Sério Selena? E quem ele é então? Você sabe? – Demi contou mentalmente até dez para não explodir com Selena, mas ela não facilitava as coisas. – Eu já disse que eu sei me cuidar Sel, ok? Não precisa se preocupar. – Era melhor não discutir com Sel, principalmente agora que Ed se aproximou delas esboçando um sorriso triste. Ele parecia tão cansado e esgotado emocionalmente. – Ei, seja forte. – Demi sorriu para Ed espalmando  o braço direito dele.

   - Estou tentando. – Era tão doloroso ver alguém sofrer daquele jeito. O coração de Demi partiu-se em mil pedaços quando Ed beijou o topo de sua cabeça num gesto gentil e então ele se deixou ser abraçado por Selena. Como uma doença poderia acabar com a vida de uma pessoa como o câncer acabava? Aliás, não tirava a vida de apenas uma pessoa, ele destruía uma família por completo traumatizando a todos.

   - Sel, eu já estou indo. – Demi forçou um sorriso para Selena e a abraçou calorosamente. – Desculpe por brigar por você.. Só não é um momento bom. – Disse fitando os olhos da amiga.

   - Está tudo bem, eu só não quero que ninguém nesse mundo te machuque. – Disse Selena preocupada com Ed e com Demi. – Não quer que eu te leve para casa?

   - Não.. Eu quero ir andando, preciso pensar em algumas coisas. – Selena a olhou daquela forma que ela sempre fazia quando a analisava procurando por um problema. – Vou sair com minha mãe agora à noite, te ligo quando chegar. – Se a feição de Selena era de preocupação, agora era algo completamente indecifrável. Os lábios de Sel chegaram ficar pálidos, o que assustou Demi. – Você está passando mal? – Demi perguntou a amiga que trocou um breve olhar com Ed.

   - Estou bem.. Só tenha cuidado, ok? Qualquer coisa liga. – Demi não entendeu o porquê de Selena estar tão apavorada só porque ela sairia com Dianna. Despediu-se prometendo que teria cuidado e sem pressa alguma Demi começou a caminhar em direção ao apartamento em que morava pensando em Dianna e na vida amorosa complicada que ela tinha.

   - Demi? Eu te chamei, mas você não ouviu. – Por mais que a razão a alertava para tratar Joe apenas com educação, Demi sorriu para o rapaz se sentindo feliz e protegida por ele estar ao lado dela.

   - Eu estava distraída. – Ela disse colocando uma mecha de cabelo atrás da orelha. – Você queria falar comigo mais cedo, mas não apareceu. – Perguntou procurando por um assunto para conversar com Joe.

   - Só precisava da sua assinatura, mas o Jake assinou. – Comentou Joe um tanto sem jeito ao se lembrar de como Jake tinha o olhado mais cedo e “ordenado” que ele ficasse longe de Demi.

   - Ele assinou? – Demi perguntou lançando um rápido olhar para Joe antes de atravessar a rua na faixa de pedestres as pressas já que um carro parou para ela passar e os outros buzinavam, pois também tiveram que parar.

   - Assinou. – Disse o rapaz segurando com força a alça da bolsa que atravessava o seu peito. Por que diabos ele estava nervoso? Era apenas Demi. – Preferi não incomodá-la, não quero que tenha problemas por minha culpa. – Ele disse incapaz de olhá-la nos olhos, as bochechas chegaram corar.

   - Incomodar? Você nunca incomoda Joe. – Disse Demi sem entender de onde Joe tirou aquela ideia absurda. – Quando tiver um tempo livre vá ao meu escritório, eu preciso de opiniões e criticas para o meu projeto. – Joe sorriu assentindo e Demi também sorriu cabisbaixo sabendo que se ela o olhasse faria uma besteira.

   - Você quer sorvete? – Joe perguntou do nada e Demi não viu um porque para recusar. Ela apenas ficou quieta observando Joseph todo tímido e educado entrar na fila do sorvete para comprar uma casquinha. Ele era definitivamente lindo! Tão lindo e encantador. Demi mordeu o lábio inferior e sorriu completamente sem jeito quando Joe se aproximou segurando a casquinha com duas belas bolas de sorvete de chocolate. – Outro dia você comentou que gostava de sorvete de chocolate. – Ele disse tímido e o coração dela acelerou fazendo uma enorme bagunça de sentimentos.

   - Muito obrigada Joseph. – Demi pôs-se na ponta dos pés e o beijou na bochecha. – Você não pode tomar sorvete? – Ela perguntou saboreando o gosto do sorvete de chocolate e fitando os olhos intensos de Joe.

  - Só diet. – Demi riu assim como o rapaz. Ser diabético era definitivamente uma das coisas mais complicadas do mundo. Joe sofria com aquela condição crônica desde muito novo e por conta dela teve uma infância muito diferente das outras crianças.

   - Isso é uma droga. Você não pode comer doces, sobremesas e nem nada que envolva uma bomba de açúcar. – Joe assentiu observando o fim da tarde na bonita Nova York.

   - As pessoas deveriam evitar comer tantas besteiras. Tudo bem que às vezes é irresistível, mas ter uma alimentação saudável é sinônimo de viver bem. – Demi arqueou as sobrancelhas e sorriu para o rapaz.

   - Eu não posso negar que adoro comer besteira. – Ela disse olhando exclusivamente para o sorvete. – Mas em troca tenho que praticar muitos exercícios no Central Park com a Selena me perturbando. – Às vezes Selena passava dos limites e a proibia de fazer tantas coisas que Demi ficava super irritada com a melhor amiga, mas no fundo ela sabia que Sel só queria ajudar e bem.. Selena estava certa na maioria das vezes.

   - Praticar exercícios é ótimo para a saúde. – Comentou Joe e Demi assentiu fitando o porte físico dele. – Principalmente com uma companhia.

   - Quando você começou a malhar? – Demi perguntou se sentindo idiota por constrangê-lo. Ela olhava tanto para os braços e o peito de Joe que já estava corando.

   - Não frequento academia. - Disse se lembrando da vida na fazenda da avó. – Eu trabalhava na fazenda com a minha avó. A parte braçal ficava por minha conta, e bem, a vovó sempre foi muito exigente com a minha alimentação. – O que Clara fazia valia mais do que muito pai e mãe faz. Ela sempre cuidou do neto da melhor forma possível.

   - Ela fez um bom trabalho. – Demi sorriu para Joe e quando deu por si percebeu que já estava quase passando do prédio onde morava. – Obrigada pelo sorvete Joe. – Ela disse sem jeito. – Será que a Lucy pode passar só mais essa noite comigo? – Joe adentrou os bolsos da calça com as mãos, pois se ele não o fizesse acabaria puxando Demi para um beijo apaixonado. Ela simplesmente ficava linda toda sem jeito e tímida.

  - Demi.. – Ele começou a dizer, mas acabou sorrindo assim como ela. – Ela tem que ir para casa comigo. – Ele continuou a sustentar o olhar pidão dela ansioso para que por um impulso ela o beijasse, mas daí ele se lembrou de Jake e resolveu quebrar aquela magia assentindo com a cabeça. Era para o próprio bem! Demi havia deixado muito claro que eles eram apenas amigos e que ela estava comprometida, não era certo nutrir sentimentos que iam além da amizade por mais que ele estava completamente apaixonado por ela.

   - Eu só não te convido para subir porque eu vou sair com a minha mãe. – Demi não sabia o que fazer. Lá estava Joe parado a poucos centímetros tão deslocado quanto ela. Por que o olhar dele era tão intenso e conseguia apagar todas as lembranças ruins, a insegura e o medo? Demi sustentou o olhar de Joe sem saber por que o coração estava tão agitado e ansioso. Por que o corpo não a obedecia? Ela só queria se unir a Joe de alguma coisa. Queria senti-lo e nada mais. Apenas ele. Os corpos se juntaram num piscar de olhos. Demi envolveu os braços no pescoço de Joe e ele a cintura dela.

Os corações estavam tão agitados. Os pensamentos eram como se não existissem. Havia apenas ele e ela. Ela e ele. Joe abraçou mais o corpo de Demi contra o dele e encostou a testa a dela sempre fitando aquela infinidade marrom que eram os olhos de Demi. Se olharam por tantos minutos um perdido no outro. O carinho que Demi fez no rosto de Joseph arrancou um pequeno sorriso do rapaz que se entregou ao carinho que ela fazia e finalmente roçou o nariz ao dela pronto para beijá-la. Eles estavam quase lá. De olhos fechados, respirações calmas e coração acelerado.

   - Demetria? – Os lábios estavam quase roçados quando Dianna chegou chamando por Demi. Tão assustada quanto Joe, Demi engoliu em seco claramente corada e olhou para a mãe.

   - Oi mãe.. – Demi forçou um sorriso e não soube como olhar para Joseph que deveria estar mais corado que ela. – É.. Esse é o Joseph, meu.. amigo. – Mas era a verdade. Joseph era apenas um bom amigo. – Joe, essa é a minha mãe. – Aos menos Joseph era educado. Demi olhou para Dianna que observava Joseph atentamente. Por que diabos ela tinha aquela mania?

   - Olá Sra. Lovato. – Ele era tão fofo! Demi mordeu o lábio inferior para evitar um sorriso. As maçãs do rosto de Joseph estavam levemente coradas apesar do sorriso educado que ele esboçava.

   - Olá Joseph. – Demi ainda estava tão envergonhada que não sabia como agir com Joseph e Dianna. O que deu nela para cair nos encantos de Joseph?

   - Amanhã eu prometo levá-la, ok?

   - Sem problemas. – Joseph sorriu para Demi sentindo as bochechas corar. Por que ela tinha aquele poder sobre ele? – Eu já vou indo. – Disse o rapaz. – Foi um prazer conhecê-la. – Joe apertou a mão de Dianna e logo olhava para Demi ansioso para terminar o que eles haviam começado mais cedo. – A gente se vê. Boa noite Demi.

   - Boa noite Joe. – Demi sorriu o vendo partir, ela o olhou até que Dianna a chamou para que elas adentrassem o prédio.

   - O que foi aquilo? – Sorrindo sem jeito, Demi colocou uma mecha do cabelo atrás da orelha e mordeu o lábio inferior. Aquilo era Joseph a deixando completamente maluca por ele.

   - Ele simplesmente me deixa desnorteada. – Disse respirando fundo e droga, o cheiro do perfume de Joseph estava impregnado nela.

   - Ele ainda é um garoto. – Demi franziu o cenho buscando pela chave do apartamento assim que as portas do elevador se abriram. – Parece ser muito inexperiente e está completamente apaixonado por você. – Dianna conhecia muito bem os homens e Joseph parecia tão inocente que não havia a típica malicia masculina nos olhos dele. Era apenas um garoto. – Você sabe que terá muitos problemas caso fique com ele, o Jake é o seu chefe e o dele. – Demi respirou fundo e olhou nos olhos de Dianna. A chave ainda estava no miolo da maçaneta e Demi nem se quer a girou. Será que Dianna tinha razão? O que estava acontecendo com o “apenas amigos”?  



Continua.. Oi! Tudo bem? Não está fácil para ninguém não! A Demi está completamente dividida entre o Joe e o Jake, e agora? Será que ela vai seguir o conselho da Dianna? Por falar nela, ninguém está suspeitando toda essa calmaria? Estou pensando numa cena da Dianna com o Jake desde o capítulo passado, mas ainda não consegui encaixar.. Vocês vão ficar surpresas e chocadas! É o que eu tenho a dizer sobre esse capítulo. Tive umas ideias legais para encerrar de vez esse relacionamento da Demi com o Jake. Só digo uma coisa, será humilhante e a Demi vai perceber que ela realmente deveria ter seguido o conselho de Selena. O Jake é problema. Obrigada pelos comentários e pela paciência para as postagens, acontece que os meus capítulos são grandes demais! Eu fico desnorteada tentando escrever algo que realmente prenderá a atenção de vocês, mas para isso é necessário tempo e bem, esse capítulo tem 6.401 palavras, muito né? O ruim é que eu fico pensando em tantas coisas, o que nem sempre é bom. Mas vamos ver onde dá né? ps. O Joe é diabético e hipertenso, eu fico pesquisando na internet toda hora coisas sobre pessoas com essas doenças, se tiver alguma coisa de errado comentem, tá? Respostas dos comentários AQUI

17 comentários:

  1. Nossa a Dianna me deixou confusa agora. Tô pensando que ela até pode ter falado com o Jake para se aproximar da Demi sim.. mas que TALVEZ não por fazer mal a ela sei la.. não sei talvez ela queria deixar a Demi feliz e fazer elas se aproximarem(?) posso esta errada.. enfim ta bem confuso kkk bem falando no Jake.. seria legal que a Demi flagrasse como ele trata o Joe (ou a Selena) pelas costas dela e visse ele admitindo umas coisas más... (ou falando algo da Demi..ja que você disse que vai ser algo humilhante) daí o Joe podia consolar ela kk só dando uma ideia aqui hehe.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A Dianna só pensa em dinheiro e não se importa em como ele vem. Prova disso foi que ela tentou vender a própria filha. Ela sabe de coisas realmente perigosas a respeito do Jake e como a Demi está se aproximando mais dela e ela conhece o cara.. Ela teme o pior por a Demi, até porque ela pode ser canalha.. mas é mãe. E não. Ela não está vendendo a Demi para o Jake. É outro ponto.. Sim, sim! Isso vai acontecer, e talvez nem seja a Dem flagrando o Jake tratando a Sel, o Joe ou o Ed mal. O Jake pode começar a tratá-la mal depois de conseguir o que ele realmente quer ou perceber que a Demi é a pessoa errada... Sim, sim dnv, ela com certeza vai flagrá-lo admitindo as maldades que ele fez. Dai ela vai se ligar que foi uma idiota com os amigos por conta de um canalha. E tem essa parte da humilhação que o Jake vai fazer.. Na verdade será com o Joe e a Demi.. Obrigada!! Beijo

      Excluir
  2. perfeito! pelo que entendi mais acima, quando a demi se despediu da mae, parece que a Dianna se sentiu meio culpada por está colocando a filha em uma enrrascada, ou não? foi so impressao mesmo? caraca, isso ta demais. to super empolgada coma historia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. me passa teu email. aqui vai o meu zaynbolton@hotmail.com

      Excluir
    2. Sim, ela se sentiu culpada porque sabe que o Jake não é brincadeira. E ele realmente não é. Obrigadaaaa! Fico muito feliz que você esteja gostando. Te enviei um email pelo gmail, não chegou? Eu não gosto de passar meu email por aqui, mas se vc quiser pode me enviar uma dm lá no twitter. Beeeijo!

      Excluir
  3. A Dianna é mt bandida cara ela fica falando isso p Demi p ela parar c o Joe de vez. Isso da Demi e do Jake já vai ser no próximo capítulo?? E c ctz a Dianna vai ta no meio né? AI MDS EU SEI Q ELA VAI SOFRER MAS FAZ ELA DESCOBRIR ISSO LOGO

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente. A Dianna é muito, muito bandida. Mas talvez o conselho dela não seja ruim porque sabemos que o Jake é capaz de tudo, e para ele colocar o Joe para fora da empresa é num piscar de olhos. A Dianna está encubada.. A Sel sabe que ela estava envolvida com o Jake, mas ela pensa que a Dianna só quer o dinheiro do Jake por ele estar dormindo com a Demi, mas não é isso. Vai demorar uns três ou quatro capítulos para a parada do Jake e da Demi.. hehehe Sim, a Demi vai sofrer muito! Beijo e obg por comentar

      Excluir
  4. Posta logo lindona, eu adoro seu blog e sempre quando posso eu leio. Um beijo <3

    ResponderExcluir
  5. Continuaaaaa,essa série faz parte da minha vida agora

    ResponderExcluir