18.2.16

Capítulo 3




          O corpo reclamava de cansaço, a cama não ajudava nenhum pouco a despertá-la e contribuía generosamente para a preguiçosa que a dominava. A cabeça parecia que iria explodir, a dor de cabeça era tão forte e insuportável. Remexendo-se, Demi agarrou o travesseiro e murmurou alguma coisa sentindo algo deslizar em suas costas nuas. A noite tinha sido longa e muito divertida, o que era ótimo em meio aos últimos acontecimentos do dia passado. Sentindo novamente algo deslizar por suas costas, Demi abriu os olhos e os fechou novamente por conta da claridade do quarto.


   - Bom dia preguiçosa. – A voz grossa no tom brincalhão soou. As lembranças falhas da noite passada vieram como flashes e Demi sorriu timidamente abrindo os olhos. Jake era realmente um gato. Moreno claro, forte com direito a um peito largo acompanhando de um abdômen cheio de gominhos e abraços fortes, os olhos eram azuis como o céu de uma tarde quente, os cabelos, como ela pensou na noite anterior, eram lisos e loiros escuros. Ele era simplesmente lindo! – Além de preguiçosa também é manhosa? – Sorrindo sem jeito, Demi recebeu um selinho nos lábios e resmungou quando ele a puxou debaixo do lençol branco que os cobriam para cima dele.


   - Bom dia. – Pela manhã Demi era tímida. Principalmente quando acordava na cama de um cara depois de uma noite extremamente quente e prazerosa. Era a única parte do dia e uma das poucas situações que a timidez a pegava de jeito.


   - Você é ainda mais linda pela manhã. – Jake disse deslizando as mãos pelo rosto dela e a abraçou contra o peito nos braços fortes. Ele não mentia. Demi parecia tão delicada e menina, os olhos castanhos ternos, os cabelos castanhos macios e lisos e as sardas do rosto. A pele clara e as curvas que o enlouqueceram na noite passada..


   - Você também. – Ela sussurrou corando por sentir o corpo dele quente e nu debaixo do seu. O silêncio pairou sobre eles e Demi fechou os olhos novamente gostando daquela sensação boa que era estar com Jake, mesmo que ela estivesse completamente machucada e confusa por dentro. Pensar em Dianna fez com que o seu coração se encolhesse de angústia e medo. Será que era realmente verdade o que ela havia dito na noite passada? Dianna já tinha mentido tantas vezes e Demi não se surpreenderia se ela o fizesse mais uma vez.. A lembrança se repetiu em sua cabeça como um vídeo no replay, as palavras duras e amargas, os olhos frios carregados de dor. Era mesmo verdade, ninguém conseguiria interpretar tão bem uma cena como aquela, nem mesmo Dianna.


   - O que acha da gente tomar banho e café da manhã? – A voz profunda de Jake a despertou do transe e Demi assentiu o beijando no queixo. Jake era um cara legal, ela deveria focar nele e se esquecer de Dianna e todos os problemas que vinham junto com ela.


Juntos tomaram banho conversando vez ou outra sobre as coisas que os interessavam. Demi às vezes estranhava o homem grande ao seu lado, ele era um completo estranho que tinha a ajudado a se esquecer por uma noite de um enorme problema, mas no fundo gostava de Jake e sentia que podia confiar nele por mais que algo dissesse para ela ficar longe dele.


   - Que tal uma aspirina e um copo d’água? A minha cabeça está doendo e a sua também deve estar. – Saindo do closet vestida com uma camisa grande demais que pertencia a Jake e a calçinha da noite passada, Demi foi guiada pelo homem que a puxava pela mão até à cozinha do apartamento onde se sentou em um dos bancos da bancada de mármore. Tudo era tão luxuoso e impecável, que um nó formou-se na garganta de Demi. Ela simplesmente odiava aqueles lugares cheios de coisas caras. – Você está tão quieta. – Disse Jake a observando enquanto pegava a cartela de comprimidos e dois copos limpos no armário. – Tem algo de errado? Não se lembra da noite passada? Ou é casada? – Perguntou enchendo um copo com água purificada e logo o fez com o outro.


   - Não.. Não sou casada. – Demi forçou um sorriso e agradeceu quando o rapaz lhe entregou o copo cheio d’água e o comprimido. – Só a minha cabeça que parece que vai explodir. – Disse desanimada. Beber nunca tinha sido o seu forte. E nunca a ajudava como acontecia com as outras pessoas. Parecia que o álcool não funcionava com ela, aliás, ele só ajudava a deixá-la um pouco mais solta que o normal, o que nunca acabava bem.


   - Você exagerou na bebida. – Jake a deixou completamente tonta quando a puxou para os braços e a beijou no pescoço. – Nós podemos descer para tomar café da manhã ou podemos preparar alguma coisa. – Ele disse a olhando com desejo. – Sou uma tragédia na cozinha. – Murmurou colando os lábios aos de Demi se esfregando a ela de maneira insinuosa.


   - Posso preparar o café. – Demi embrenhou os dedos aos cabelos de Jake analisando a consistência dos fios macios e o abraçou repousando a cabeça no ombro do rapaz também sendo abraçada. Era estranho trocar aquele tipo de carinho com o cara que ela conhecia tinha apenas uma noite, mas ao mesmo tempo era maravilhosa a sensação de ser abraçada por ele.


   - Você cozinha? – Indagou surpreso. Demi o olhou e deu de ombros assentindo.


   - A minha avó gostava da minha comida. – Comentou brevemente sem olhá-lo. Amélia era um caso particular que Demi insistia em estudar mesmo sabendo que não deveria. A mulher nunca demonstrou nenhuma afeição por ela, exceto uma vez que Demi a flagrou a olhando com curiosidade e os olhos castanhos como os seus brilharam como se Amélia a amasse. – Selena não reclama, ela até.. – Os olhos castanhos se arregalaram de pânico ao se lembrar de Selena. Demi levou a mão à testa e procurou por algum relógio na bancada da cozinha. Dez minutos para as três horas da tarde. O sangue congelou nas veias. Duas e pouca da tarde significava que ela estava atrasada, aliás, muito atrasada! Ou despedida.


   - Você está bem? – Jake perguntou de cenho franzido e preocupado pronto para levá-la para o hospital.


   - Eu estou atrasada! – Ela literalmente disparou em direção ao quarto como um carro de corrida numa disputa importantíssima pelo título que poderia perder para o adversário a sua cola. Ai meu Deus! Atrasada! Demi procurou pelo vestido, a bolsa e os sapatos de salto e os encontrou: os sapatos estavam alinhados à poltrona e o vestido cuidadosamente dobrado e posto sobre o braço do móvel assim como a bolsa de mão. Se ela não estivesse tão desesperada agradeceria Jake com um beijo ardente, mas tudo que fez foi tirar a camisa dele ficando apenas de calcinha e vestiu a peça da noite passada aos trancos e barrancos. – Você pode.. Hum.. Por favor, fechar para mim? – Pediu ao vê-lo sentado de braços cruzados na cama a olhando com curiosidade.


   - Você está atrasada. – Disse calmamente afastando os cabelos dela das costas os jogando na direção do ombro direito. – Vou levá-la para casa. Tudo bem? – Demi assentiu respirando fundo por várias vezes. Tinha alguma coisa naquele homem que a fazia perder o compasso, respirar sempre ficava mais difícil e os pensamentos não eram nada angelicais.


   - Obrigada, mas posso pegar um táxi. – A voz ainda soou nervosa e desesperada, Demi se enfiou aos sapatos de salto e pegou a bolsa de mão pronta para partir.


   - Vou levá-la. – Ele disse sério buscando as chaves do carro dentro da gaveta do criado-mudo e estendeu a mão para Demi que sem opção agarrou-a.


   - Não estou dando trabalho? – Perguntou Demi um tanto sem jeito caminhando ao lado de Jake em direção ao elevador no final do corredor.


   - Claro que não. – Jake esboçou um sorriso galã e enquanto esperavam o elevador, selou os lábios aos de Demi num beijo suave e rápido. – Você está me devendo um café da manhã, eu estou faminto. – O olhar intenso dele a fez corar. Também estava faminta e cansada por conta da noite longa e quente.


    - Nós podemos combinar. – Aquilo era estranho. Completamente estranho. Demi não esperava muito de Jake, principalmente que ele quisesse ficar mais tempo com ela, como insinuava, e a tratasse tão bem se oferecendo para levá-la para casa. Geralmente os caras, não que tenham sido mais de quatro contando com Jake, que Demi dormia passavam a noite no apartamento dela e antes do dia amanhecer já estavam a caminho de casa ou qualquer outro lugar sem dar a mínima para a existência dela.


   - Estou com alguns dias de folga do trabalho. – Comentou o rapaz assim que adentraram o elevador vazio. – Estou solteiro e você também. Que tal marcar um cinema, teatro, qualquer coisa. – Demi o olhou surpresa e recebeu um sorriso amarelo. – Claro, se você quiser. – Ele completou e ela pensou em dar um desculpa qualquer, estava cansada de relacionamentos conturbados que sempre acabam mal e tinha o problema com Dianna, mas também esperava encontrar um bom homem que pudesse amar e ser igualmente amada. E se o cara fosse Jake? Ele era gentil, engraçado e muito bonito. Sem contar que era um ótimo amante, ótimo até demais para ser verdade. Como ela descobriria se batesse a porta na cara dele gritando um alto não? Por mais que temesse ser machucada mais uma vez, Demi sabia que seria um risco que correria.


   - Nós podemos combinar. – O sorriso tímido foi inevitável. Se Jake estava a chamando para sair era porque ele a considerava boa o suficiente para assumir o posto de namorada? As bochechas coraram. Ah não! Aquilo nunca era bom, ela não alimentaria falsas esperanças, era uma adulta independente que teve apenas uma transa com um cara. Talvez Jake só quisesse transar com ela novamente ou algo do tipo. Ele não era um príncipe encantado por mais que era idêntico a um. O mundo não era nem de perto o conto de fadas que toda garotinha sonhava, e Demi havia descoberto, das piores formas, que os príncipes encantados não existiam.


O silêncio não era constrangedor ou desagradável no interior do carro, vez ou outra Jake ou Demi comentava alguma coisa sobre a noite passada no pub, sobre como o lugar era legal e tinha sido palco para grandes cantores americanos. Nova York, como sempre, tinha as ruas movimentadas com todo o tipo de gente, uma grande fileira de carros pela avenida principal de Manhattan com direito a motoristas impacientes e quando chegaram a Times Square, foram contemplados com os telões enormes dos prédios com incríveis anúncios que chamou a atenção de Demi por alguns minutos. E não demorou muito para Jake chegar em frente ao prédio em que ela morava atrás do GE Building.


   - Está entregue. – O sorriso avassalador dele a deixou completamente sem graça. Como iria se despedir? Com um tchau? Um beijo na bochecha ou um na boca? Droga! Ela precisava pensar rápido, estava atrasada e numa enorme encrenca.


   - Obrigada pela carona Jake. – Geralmente quando estava nervosa e tímida Demi levava a mecha dos cabelos castanhos para trás da orelha e mordia o lábio inferior, uma velha mania que enlouqueceu todos os meninos do ensino médio. – Eu.. Eu tenho que ir. – Gesticulando a mão direita enquanto falava, Demi acabou apontando para a esquerda a apontar para a direta, onde ficava a entrada do prédio. Só Deus sabia como ela estava nervosa.

   - A noite foi maravilhosa Demi, espero que seja a primeira de muitas. – Por que os olhos dele tinham que ser tão intensos? O calor tomou conta do corpo dela quando os lábios deles se fundiram num beijo de tirar todo o fôlego, Jake segurava-lhe gentilmente o rosto. – O seu número. – Demi digitou o número no celular dele rapidamente ainda nervosa e com os hormônios a loucura, encostou os lábios nos dele para beijá-lo e logo que o fez, saiu do carro às pressas e acenou recebendo um lindo sorriso de Jake. Ela teria um ataque do coração se Jake insistisse em sorrir daquele jeito toda vez que a beijava.

   - Demi! Ai meu Deus! – Exagerada. Selena era muitíssimo exagerada. Assim que pisou no hall do prédio os olhos se arregalaram. Por que toda aquela recepção? Melhor, porque Selena andava de um lado para o outro na presença do sindico, do porteiro e do recepcionista? – Ela acabou de chegar. – Disse Selena ao telefone. – Muito obrigada, muito obrigada pela ajuda. Tenha um bom dia! – Que não fosse o que Demi pensava.. – Demetria! Eu estava tão preocupada com você! – Selena abraçou a amiga que ainda estava em estado de choque. O que diabos era aquilo? Ela já tinha passado mais de uma noite fora de casa sem dar notícias a ninguém, e Dianna ou Amélia nunca a recebeu da forma que Selena tinha o feito. Ela poderia ter só uma amiga, mas era melhor ter apenas uma e verdadeira, que muitas e falsas.

   - Sel, eu estou bem. – Disse a abraçando de volta. – Eu estou bem. – Afirmou mais uma vez quando Selena a olhou como se checasse se ela estava inteira.

   - Obrigada rapazes, nós vamos subir. – Agarradas, Demi cumprimentou os funcionários do prédio e foi arrastada por Selena para o elevador que por um milagre estava vazio. – A polícia estava a caminho. – Disse Selena e Demi estreitou os olhos.

   - Selena! A polícia? – Disse boquiaberta.

   - O que você queria? – Perguntou exaltada. – Você some desde a noite passada, não liga, não atende o celular e não vai trabalhar, já são duas da tarde! Óbvio que eu pensei no pior. Ainda saiu sozinha para Deus sabe onde! – Tudo bem, Selena podia ter razão. Mas tudo foi tão rápido e tão chocante que Demi não tinha pensado naqueles detalhes.

   - Eu estou viva. – Aquelas palavras pesaram tanto no coração e Demi engoliu o choro desviando o olhar da amiga. Estar com Jake a fez se esquecer, mas a noite tinha acabado e os fatos não iriam mudar. – Agora não, prometo que explico mais tarde. – Apressou-se a dizer quando a amiga a olhou daquele jeito que Demi bem conhecia. – Como estão as coisas na empresa? Fui despedida? – Perguntou respirando fundo para não começar a chorar.

   - Jason está preocupado com você, pediu para mantê-lo informado. – Demi assentiu aliviada. Podia não ter uma mãe e um pai que a amasse, mas havia encontrado poucas pessoas que tinham lhe entregado o coração.

   - Vou só trocar de roupa e nós partimos para o trabalho. – Demi ignorou o olhar preocupado de Selena e abriu a porta do apartamento quando o elevador chegou ao seu andar. Poderia estar esgotada, mas preferia passar mais algumas horas entretida com qualquer coisa que pensar na bagunça que o seu coração estava.

Continua... Oi! Espero que gostem desse capítulo, as coisas vão começar a acontecer... Beijos e se puder, comentem a opinião de vocês!! Tchau e até o próximo capítulo

12 comentários:

  1. Aah to amandoo..
    Já pode postar mais

    ResponderExcluir
  2. Só posso dizer que To amando, e já To de olho nesse Jake, ele tava sorrindo demais e carinhoso também.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada!! Fica mesmo, ele é muito traiçoeiro...

      Excluir
  3. Amei, to meia desconfiada com esse Jake, quando o Joe vai aparecer? To ansiosa, to amando essa amizade da Demi e Selena otp eterno... posta logo, bjss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada!! O Jake é realmente alguém que você deve desconfiar.. O Joe vai aparecer daqui alguns capítulos, poucos capítulos na verdades.. Eu também estou amando a Demi e a Sel juntas, Semi é vida!!! Já vou postar, Bjs

      Excluir
  4. Não sei pq acho q a mãe da Demi conhece esse Jake kkkkkkkk JA QUERO O JOE. To amando essa fic VC É MARAVILHOSA

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Opaaaaaa... hahahha será? Eu não sei de nada né u.u O Joe já vai aparecer, prometo!! Obrigadaaaa! Obrigada, você é quem é maravilhosa! bjs

      Excluir
  5. maravilhosoooo...
    esse Jake parece ser tão legal....
    enfim..posta logooo
    adorei
    beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada! Legal.. hahaha Você vai odiá-lo, sério kkkkk Já postarei, bjs!

      Excluir
  6. Quando o Joe vai aparecer?
    Esse Jake aí hmm vou ficar de olho nele djdjsj
    Amanda que capítulo sensacional, adorei
    Posta mais mulher do céu bjbj *-*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Joe vai aparecer dentro de alguns capítulo, poucos na verdades.
      Fica mesmo de olho no Jake! Ele não vale nada.
      Obrigada, beijos!!!

      Excluir