11.4.15

Capítulo 56

A noite tinha sido incrível. Foram tantas confissões misturadas aos gemidos. Os olhares apaixonados, a forma como diziam que se amavam ao mesmo tempo em que se moviam juntos com cada fibra do corpo ansiando pelo que estava por vim. Adormeceram vencidos pelo cansaço quando o sol já estava nascendo na linha do horizonte, estavam suados, moles e naquela altura do campeonato não se lembravam nem do próprio nome; então Joe tinha ficado de joelhos na beirada da cama completamente nu e orou agradecendo a Deus pela vida de Demi e da sua família, depois deitou-se e a abraçou de lado quando ela já cochilava nua e cansada, cobriu-os e adormeceu tão feliz à medida que o sono o levava. Sim, ele estava radiante! Demi tinha o flagrado com o sorriso de menino nos lábios por tantas vezes. Não era para menos, eles tinham se resolvido! Não havia mais mágoas e ressentimentos, eram apenas eles; Joe e Demi se amando como tinha sido durante toda a vida.

O sono nunca tinha sido tão bem vindo como fora. Joe estivera ansioso para descansar para recuperar as energias e com Demi não tinha sido diferente. E ele estava em seu sonho a enchendo de carinhos e mimos. Fazer amor à noite toda tinha sido como dar mais vida ao amor que os uniam, tinha sido tão bom que nem no sonho Joe deixou de consumá-lo. Mas depois ele estava dormindo como uma pedra que chegara a suspirar de vez em quando e abraçava Demi de lado protegendo ela e o bebê.

A manhã já estava indo embora quando ele despertou. Oh Deus! Joe teria que o agradecer de joelhos mais uma vez. Ele se sentia relaxado e feliz, tão feliz que o coração o assustou com as batidas rápidas e fortes quando ele se moveu roçando o corpo de Demi com o seu. Ai meu Deus! Ela estava tão linda dormindo tranquilamente que chegara suspirar. Demi abraçava o travesseiro e tinha os lábios encostados na mão. O corpo bonito e bem desenhado enroscado à coberta tão branca quanto à neve. Os cabelos lisos, longos e negros tinham algumas mechas espalhadas graciosamente onde ele estava deitado, algumas nas costas e outras caiam pelo ombro e roçavam os seios expostos.

   - Oh minha princesa. – Ronronou com a voz rouca. Os dedos dele afastaram as mechas das costas as jogando para o lado e os lábios foram pressionados na pele macia e clara até que estivessem roçando o ombro. – Acorda. – Sussurrou no ouvido dela quando afastou as mechas que caiam pelos ombros. – Demi, acorda. – Disse carinhosamente beijando a tatuagem de pena que ela tinha atrás da orelha esquerda. Pelo visto estava dando certo, Demi havia ronronado alguma coisa, mas agarrou-se mais ao travesseiro. – Preguicinha, acorda. – A barba seria a sua arma perfeita. Joe roçou a bochecha no maxilar dela e desceu a arranhando onde podia, até um beijo depositara no seio nu.

   - Vai dormir. – Disse a contra gosto e ele riu a abraçando por trás repousando o queixo cheio de pelinhos que pinicavam no ombro dela. – Joseph! Para com isso. – Disse manhosa tentando sair do abraço dele sem sucesso algum. – E tira o seu pau da minha bunda. – Ele riu mesmo envergonhado. Nem notara que já estava excitado.

   - Bom dia para você também cacto do dia. – Seria a última tentativa. Ele distribuiu beijinhos carinhos do ombro à bochecha dela e sussurrou que a amava fazendo Demi sorrir sonolenta. - Tudo bem, você pode dormir em paz. – Ele não tinha visto o sorriso dela e quando estava se afastando Demi o olhou com aqueles lindos olhos castanhos e sorriu novamente.

   - Bom dia bebê. – Trocaram aquele olhar confidente apaixonado e Demi deu um selinho demorado nos lábios dele. – Como foi sua noite? – Perguntou conforme voltava à posição de origem.

   - Maravilhosa. – Joe a abraçou de conchinha todo manhoso. Ele não a deixaria tão cedo. – E a sua? – Perguntou aspirando ao cheio de frutas dos cabelos dela.

   - Maravilhosa. – Demi sorriu quando sentiu os pés dele roçarem os seus. – Eu quero ficar assim com você para sempre. - O beijinho em sua bochecha a deixou corada e tudo que Demi fez foi espiá-lo sobre o ombro e rir ao vê-lo arquear as sobrancelhas. - O que foi? - Perguntou tentando se virar para ficar de frente a ele, mas Joe a prendeu nos braços.

   - Quero ficar de conchinha. - Disse a beijando no ombro. - Fazer amor de conchinha. - Demi mordeu o lábio inferior para conter um sorriso e logo tentara folgar o abraço dele em seu corpo com sucesso.

   - Conchinha amor? - Os olhos estavam fechados e ele ronronava manhoso conforme os beijinhos eram espalhados por seu rosto e peito. - Amor! - Gritou rindo quando ele a surpreendeu com um abraço e com muitos beijos no pescoço fazendo cócegas.

   - Conchinha Dem. - Demi o olhou sustentando um sorriso cheio de segundas intenções conforme ele empurrava a perna esquerda dela com a dele a deixando um pouco abaixo na altura dos seios. - Desconfortável? - Perguntou em meio aos beijos que distribuía no maxilar dela enquanto os seus braços trabalhavam em envolvê-la de modo que Demi deitasse a cabeça em seus músculos do braço direito e que o seu braço esquerdo ficasse livre para acariciá-la.

   - Estou bem. - Gemeu quando ele dedilhou o intimo por trás o estimulando. Os gemidos roucos só aumentavam e ela movia o quadril na direção da mão dele pedindo por mais amando aquele toque.

Tão excitado quanto Demi, Joe fechou os olhos e conteve um gemido encostando os lábios no ombro dela, roçou-lhe a entrada do sexo com o seu já pulsante sondando-a. Sentira os lábios dele mordiscando a sua pele macia, a mão ora acariciando os seios e os mamilos entre os dedos, os pés roçando o seu brincando com os seus dedos; e finalmente a cabeça do membro roçando a sua entrada e saindo depois que ele gemia louco para estar acolhido. Era a tortura mais gostosa que Demi já sentira. Joe fazia com que os seus sentidos ficassem tão atiçados a qualquer toque que ela pensara que iria enlouquecer de tesão. 

   - Ei bebê..– As unhas cravaram-se na coxa máscula e os lábios aos músculos.-  eu amo vo..cê. – Ele mal conseguia dizer uma palavra sem que o gemido se misturasse a elas. Finalmente estava enterrado nela custando a entrar e sair, Joe lutava contra si mesmo para continuar naquele ritmo vagaroso. Abraçara Demi com mais força sentindo-se cada vez mais excitado. O roçar da pele macia dela em seu peito, o jeito que ela rebolava o bumbum o deixando louco, o entrar e sair das paredes quentes que o apertava a cada vez mais. Joe sentiu-se tonto e tão cansado, agarrou-a mais contra o corpo e investiu com mais força fazendo Demi gemer alto e morde-lhe o braço ao mesmo tempo em que rebolava e cravava as unhas no bumbum dele. – Dem.. aperta. – Gemeu sentindo o suor escorrer pelo rosto quando ela literalmente o apertou em todos os sentidos. Colou-se mais ao corpo dele extasiada, até o peito dele roçando em suas costas a deixava louca.

    - Ai meu Deus! – Demi franziu o cenho cravando ainda mais as unhas no bumbum dele à medida que o ritmo vagaroso e firme era substituído por estocada rápidas que a preenchia por completo. – Joe.. – Gemeu arrastado quando sentiu a mão dele apertando-a no bumbum e logo um tapa seguido por outro exatamente ali. Com resto de forças que ainda tinha, Demi deu um tapa no bumbum dele e Joe a agarrou ainda mais entrando e saindo cada vez mais rápido.

   - Goza comigo Dem. – As palavras roucas dele sussurradas em seu ouvido e os dedos chicoteando o clitóris foi o gás para que ela se libertasse com um grunhido que revirou toda a sua mente em meio à explosão avassaladora logo seguida pela dele lhe atingindo em jatos quentes. Tão aquecida, envolvida e excitada ainda sentido o membro dele entrar e sair, Demi arregalou os olhos quando aquelas sensações tomaram conta de si novamente e de repente ela só via estrelas e gritava o nome dele tomada pelo segundo orgasmo.

   - Anjo? – Sussurrou mal tendo forças para abrir os olhos. Tudo que Joe tinha feito tinha sido deitar-se ao lado dela e respirar tão fundo tentando puxar o máximo de ar que conseguira. Uau. O que tinha sido aquilo? Ele sentia os ossos semelhantes a gelatina, a sensação ainda do orgasmo correndo por suas veias, o coração tão disparado. Queria tanto puxá-la para o peito, mas como o faria se mal tinha forças para mover um dedo? Já Demi, cansada, suada e completamente satisfeita estava tonta e até o roçar da perna de Joe na sua a fazia tremer sentindo o leve roçar eletrocutar aquela região. Ah! Como ela estava satisfeita, tinha sido tão bom sentir o calor do corpo dele envolver o seu, os braços fortes a cercando e a apertando contra o peito que lhe pinicava as costas. Os beijos dele em seu ombro e a barba roçando o seu maxilar fazendo a sua pele eriçar. E o seu intimo! Deus! Se ela movesse a perna correria o risco de gemer ainda com a sensação dos orgasmos avassaladora percorrer todo o seu intimo. – Demi? – Chamou depois de minutos e minutos juntando energia para sibilar o nome dela.

   - An? – Choramingou afundando o rosto no travesseiro. Demi estava tão cansada que começara a considerar a ideia de cochilar.

   - Você está bem? – Perguntou arrastando-se para pudesse abraçá-la por trás.

   - Não toca nela! – Ronronou juntando as pernas e ele gargalhou deitando-se ao lado dela a puxando para o peito.

   - Ei, você está bem? – Tornou a perguntar levando as mechas de cabelo para atrás da orelha longe de roçar a altura dos olhos dela.

   - Está. – O suspiro longo e a forma que ela tinha se aninhado ao peito dele era a prova viva que Demi estava a um passo de dormir como sempre acontecia quando eles faziam amor. – Estou. – Corrigiu-se já fechando os olhos.

   - Não dorme gatinha. – Pediu fazendo carinho nas costas dela. – Vai me deixar sozinho? – Perguntou quando ela semicerrou os olhos para olhá-lo.

   - Vou. – Murmurou e Joe riu logo procurando os lábios dela para beijá-los. – Joseph.. me deixa. – Ronronou e ele deu um leve tapa no bumbum dela para pirraçá-la.

   - Vamos, não seja manhosa bebê. – Ao menos ela esboçara um sorriso quando ele distribuiu beijinhos por todo o seu rosto. – Vamos tomar banho e comer, você não pode ficar sem se alimentar. – O tom sério que assumira a voz antes descontraída a despertou, Joe não a deixaria dormir, não antes que ela ao menos se alimentasse. Céus! Sem contar que Demi estava faminta, o estômago rugira e as bochechas coraram. Oh droga! Era o que acontecia quando passava praticamente a noite toda e o começo da manhã apenas pensando e praticando sexo. – Banho Demi, vamos. – Disse já se levantando e ela agarrou-se ao travesseiro choramingando.

   - Porra! – Joe puxou a coberta quando Demi se enrolou-se. Ah! Ela não escaparia. – Joe, não. – Ronronou enquanto ele a puxava pelas pernas. – Joseph! – Gritou emburrada.

   - Banho, comida e depois você pode dormir enquanto eu tento contato com o guia. – Droga. Estavam tão ocupados que Demi se esquecera completamente da armadilha que eles tinham se metido. Daniel e Elizabeth junto a sua palma da mão que estava coçando muito! Ah sim, ela iria dar uns bons tapas naqueles dois. – Vem meu anjo. – Se bem que.. hum.. graças ao plano maluco ela conseguira fazer amor com Joe. E tinha sido maravilhoso! O sorriso dele lhe incentivando realmente funcionou. Demi sentou-se na cama e espreguiçou-se esboçando um tímido e sonolento sorriso para ele. – Você está linda. – Elogiou quando ela segurou-lhe a mão e pôs-se de pé completamente nua a sua frente.

   - Você também. – Murmurou fazendo careta. Ora, ela deveria estar uma verdadeira bagunça de marcas rosadas em sua pele clara e deveria ter um ninho de passarinho no lugar de seus cabelos.

   - E muito preguiçosa. – Disse enlaçando os dedos aos dela a guiando para o banheiro.

   - Joseph! – Exclamou arregalando os olhos assim que adentrou o banheiro e deparou-se com o espelho. – Ai meu Deus! – Choramingou escondendo-se atrás dele.

   - O que foi? – Perguntou franzindo o cenho. Ele nem notara o espelho, na verdade notara, porém estava distraído demais fitando o bumbum dela imaginando mil e uma coisas..

   - Eu! – Joe tentou virar-se para verificar o que acontecia, mas Demi tornou a se esconder atrás dele. – Estou uma bagunça Joseph. – Choramingou guiando as mãos para os ombros dele para que pudesse se mover com mais facilidade conforme ele tentava se virar. – Você deveria esperar lá fora. – Disse e ele revirou os olhos.

   - Deixa de ser boba Demi. – Num piscar de olhos ele já tinha envolvido a cintura dela com os braços. – Você está linda. – Tornou a elogiar a obrigando caminhar para frente do espelho. – Vamos, repita comigo. – Abraçando-a por trás, Joe a olhou pelo reflexo do espelho e Demi desviou o olhar fitando qualquer outro ponto. – Ei, olhe para você. – Disse carinhosamente. – Vamos meu anjo, não tenha vergonha. – Pediu mais uma vez e algum tempo depois ela respirou fundo e concentrou-se em fitar o próprio reflexo. – Está vendo essa mulher? – Perguntou a olhando e Demi assentiu um pouco relutante. – Ela é incrível, é inteligente, engraçada e chata quando quer. – Disse arrancando-lhe um pequeno sorriso. – Ela tem curvas fantásticas, a mais linda é o sorriso que me deixa como um bobo apaixonado.  – A cada palavra o sorriso dela se alargava e o coração batia mais rápido por ele. Tudo que Joe queria que ela soubesse era que não importava o que a balança dizia ou o que o espelho refletia, ela era linda de qualquer forma e sempre teria o seu coração. – Ela é a única mulher que ajuda garotinhas inocentes a salvar os seus gatinhos fujões. Ela tem um corpo lindo de tirar o fôlego. Um bumbum bacana, pernas lindas, e aqui está o nosso pequeno protegido. – Os dois sorriram quando as mãos dele estavam sobre a barriga a acariciando. – Fala para a mamãe que ela é linda meu amor. – Demi sorriu a um passo de desabar em lágrimas. Oh hormônios! Joe também não ajudava dizendo todas aquelas coisas. – E essas maravilhas? Eu sou fã número um delas. – Disse segurando os seios.  E mesmo vermelha Demi não ousou em desviar os olhos dos dele. – Você é linda por dentro e por fora, tudo bem? – Demi assentiu sorrindo para ele pelo reflexo do espelho. Aquela era a melhor parte de estar com ele, aliás, uma delas, todos os dias ela se apaixonava mais um pouquinho por ele. – Vamos, eu quero ouvir você. – Disse a beijando no ombro.

   - Joe.. – Murmurou envergonhada e apenas de fitar os olhos dele encontrou a coragem que faltava. – Tudo bem.. – Sussurrou para si mesma respirando fundo e olhando para o seu reflexo no espelho.

   - Diga olhando para os seus olhos não para os meus. – Disse assim que os lindos olhos dela fitavam os seus.

   - Eu sou linda. – Murmurou fitando os próprios olhos. Era difícil dizer aquelas palavras, ainda mais no estado de nudez que ela se encontrava. – Eu sou linda. – Disse mais firme e mais alto.

   - Minha linda! – Virando-a, desfrutaram de um doce e rápido beijo. – Vamos, eu quero te dar banho. – Disse um tanto animado e Demi riu fitando o bumbum dele. – Droga, acho que esqueci meu barbeador. – Demi aproximou-se e o abraçou por trás enquanto Joe analisava a barba em frente ao espelho da bancada da pia.

   - Gosto da sua barba. – Disse saindo do banheiro e antes mesmo que ele pudesse questionar ela estava de volta lhe entregando as sandálias. – Tenho que te contar uma coisa. – Joe a olhou curioso enquanto a puxava para o box.

   - Ela não te machuca? – Perguntou referindo-se a barba e Demi negou à medida que a água morna da ducha tocava o seu corpo. – O que você tem para me contar? – Perguntou buscando pelo vidro do sabão líquido e a bucha para começar a banhá-la como queria.

   - Ei! – A risada de menina foi inevitável quando as mãos grandes e ágeis estavam por todo o seu corpo a limpando. Demi ria como uma menina envergonhada, corava e sempre que podia roubava um selinho. – Posso te lavar? – Perguntou com aquele sorriso sapeca enquanto ele passava condicionador na altura do ombro até as pontas de seus cabelos. Estavam se divertindo tanto juntos que Demi se esquecera de responder a pergunta dele

   - A senhorita trate de ficar quieta Demetria. – Disse dando um tapa no traseiro dela. – Por acaso tem formiga no seu bumbum? – Perguntou arqueando as sobrancelhas quando ela estreitou os olhos ao olhá-lo. – Quieta meu anjo, eu quero te lavar. – Demi mais parecia uma criança hiperativa. Não parava quieta um minuto, às vezes brincava com o peito dele, tocava-o lá em baixo e em todas as oportunidades que tinha o beijava na boca.

   - Amor, eu também quero te lavar. – Fez biquinho e Joe largou a bucha no suporte e agarrou Demi contra o corpo para apertá-la no máximo de lugares possíveis enquanto a sua língua explorava a boca dela incansavelmente. Se ela soubesse como estava linda molhada da cabeça aos pés.

   - Tudo bem, você pode me lavar. – Disse a olhando nos olhos ainda ofegando por conta do recente beijo. – Apenas lavar Demi. – Riu quando ela esboçou aquele sorriso cheio de segundas intenções.

   - Por quê? – Perguntou envolvendo o pescoço dele com os braços.

   - Porque nós já fizemos amor hoje e ontem, está na hora de repor as energias. Você precisa se alimentar por você e pelo nosso bebê. Quero os meus amores fortes e saudáveis.  – Quando ele levara a mão à barriga dela e a acariciava em movimentos circulares a olhando nos olhos com tanta paixão e carinho Demi se sentia como a mulher mais amada e sortuda de todo o mundo apenas por tê-lo como homem e pai dos seus filhos.

   - Tudo bem, nós podemos dar um jeito. – Quando ela disse que eles dariam um jeito, literalmente o fizeram. Abraçando-o, eles se beijaram enquanto ela ensaboava as costas dele e os braços e quando chegou ao peito foi o jeito largar os lábios para trocarem olhares nada inocentes conforme ela descia as mãos pelo corpo forte e bonito. Não passaram de beijos e caricias conforme ela o lavava.

   - Vem cá. – Joe estava sentado na beirada do colchão a espera de Demi que secava os cabelos já que estava um pouco frio. E assim que ela saíra do closet pegara as roupas da noite passada que estavam jogadas por todo o quarto.

   - Espere. – Disse adentrando o banheiro para colocar as roupas sujas no cesto. – Joseph? – Chamou o nome dele um tanto curiosa. Ela já estava sentada ao lado dele na cama e Joe levantava a camisa que ela vestia.

   - Óleo para hidratar a sua pele. – Respeitoso, ele dobrou a camisa até abaixo dos seios dela deixando apenas a barriga de fora. – Papai está cuidando da mamãe. – Disse depois de um beijinho rápido na barriga de Demi. – Deite-se, é mais confortável. – Demi esboçou um pequeno sorriso para ele e deitou-se. Oh droga, sentir a massagem relaxante que as mãos dele faziam em sua barriga e o colchão confortável acolhendo o seu corpo naquela casa silenciosa estava começando a deixá-la tão sonolenta. – Já volto. – Demi sorriu boba quando ele curvou-se e deu um selinho em seus lábios, depois o avistara caminhar em direção ao banheiro e logo voltar e ao aproximar-se da cama ele estendeu a mão para ajudá-la a se levantar.

   - Estou com sono. – Comentou erguendo-se com a ajuda dele.

   - Não está com fome? – Perguntou a abraçando de lado.

   - Esfomeada. – Disse beijando o peito dele sobre a camisa. – Cansada e com muito sono. – Murmurou manhosa e ele a beijou na testa.

   - Não se preocupe com nada, você pode descansar depois do café da manhã o tempo que quiser. Se não se importar você pode ficar aqui enquanto eu procuro um prédio para a NYT. – Demi riu o deixando confuso. – O que foi? – Perguntou abrindo a porta do quarto.

   - Você não vai acreditar. – Demi olhou para cima para olhá-lo nos olhos e Joe apertou a ponta do nariz dela enquanto caminhavam.

   - Pode começar a falar baixinha danada. – Demi riu e quando olhou para frente arregalou os olhos. Uau! Aquele lugar era incrível. A sala bonita rústica iluminada exclusivamente pela luz do dia era exuberante e olhando para o lado à vista das montanhas e da natureza era de tirar o fôlego. Era simplesmente perfeito! Agora tudo começava a fazer sentido. Aquela cabana nas montanhas era o lugar mais sossegado e romântico onde eles poderiam ter o tempo que precisavam juntos sem ser perturbados. O lugar era lindo e ideal para a situação que se encontravam, uma ótima escolha. Mas como ela não percebera a início? Dificilmente Joe viajava a trabalho, e quando acontecia geralmente ele estava a caminho de Nova York ou qualquer outra capital americana, o acompanhante era um de seus colegas e eles ficavam hospedados em hotéis cercados de regalias; sem citar que Sara nunca avisara sobre as viagens tão em cima da hora justamente para que Joe pudesse se programar perfeitamente.

   - Esse lugar é fantástico. – Comentou com os olhos vidrados na paisagem perfeita. O céu azul estava tão limpo, o sol emitia raios tímidos, a natureza abusara da beleza e os pássaros festejavam voando de um galho para o outro e as montanhas como plano de fundo eram surreais!

   - Uau. – Disse olhando para o mesmo rumo que ela. Demi tinha razão, o lugar era realmente fantástico e se eles não estivessem ali Joe diria que aquele lugar simplesmente não existia ou era uma foto montagem. – Só não é mais lindo que você. – Primeiro corou e só depois riu.

   - Você é um amor, sabia? – Não resistira aos lábios dele. Estava na ponta dos pés e envolvia o pescoço de Joe com os braços e dera tanto selinhos nos lábios dele.

   - Hum.. Sabia que eu amo o seu beijo? – O sorriso dela fez o seu dia, Joe a envolveu pela cintura para trazê-la mais para si. – O seu sorriso, o jeito que você me olha, o jeito que você faz amor comigo. – Demi riu e o beijou demoradamente na bochecha. – Eu já disse que te amo hoje? – Quando ele a beijou na bochecha ela não resistiu e procurou os lábios dele para beijá-los. – Que você é linda? – Demi respondeu com outro beijo o fazendo suspirar tão apaixonado. – Você me faz parecer um adolescente apaixonado. – De repente ele estava tímido sobre o olhar encantador dela.

   - Sim, você já disse. – Demi suspirara ao vê-lo tímido, Joe ficava tão fofo! – Você também me faz parecer uma adolescente boba, virgem e apaixonada. – Joe riu mesmo tímido e a envolveu nos braços com um abraço de urso.

   - Minha gatinha, vamos preparar o nosso café da manhã? – Perguntou enlaçando os dedos aos dela.

   - Nós estamos morrendo de fome. – Comentou passando a mão na barriga.

   - Eu também estou. Alguém gastou todas as minhas energias ontem à noite. – Disse a cutucando já com aquele sorriso safado nos lábios.

   - Sério? Alguém gastou todas as minhas energias ontem à noite com as planilhas, os documentos chatos, depois me agarrou no deck e me levou para a cama, essa pessoa até na hora do banho tentou me agarrar. – Joe arqueou as sobrancelhas e gargalhou.

   - Alguém também me agarrou no deck, depois me agarrou na cama e me obrigou a fazer amor com ela até o amanhecer, sem citar na hora do banho, ela me assediou! – Demi deu um tapa no braço dele e eles riram quando se olharam.

   - Vamos cozinhar menino assediado? – Joe riu e a abraçou por trás.

   - Claro meu anjo. – Disse depois de um selinho se separando dela. – Eu estava pensando no nome do nosso menino. – Comentou caminhando em direção aos armários.

   - Nós temos tantas coisas para resolver amor. – Comentou procurando por uma vasilha. – Qual o seu nome preferido? – Perguntou caminhando para perto dele assim que encontrou o que procurava.

   - Eu gosto de Peter, Bernardo.. hum, há vários nomes. – Demi franziu o cenho quando Joe abriu as duas portas de um compartimento do armário e o bilhete verde florescente surgiu colado por um adesivo de coração na parte interna da porta esquerda. – “Não se preocupem, a cabana está limpa e nós providenciamos mantimentos. Um abraço, nós amamos vocês. Ass. Elizabeth e Daniel.”. – Joe leu o bilhete em voz alta e a cada palavra franzia mais o cenho. – Elizabeth e Daniel? – Murmurou fitando a letra feminina que Demi sabia que era de Elizabeth.

   - Hum.. Nós precisamos conversar. – Disse mordendo o lábio inferior.

   - Nós podemos conversar enquanto cozinhamos? Eu realmente estou faminto. – Demi assentiu buscando os ingredientes para panquecas.

   - Nós temos pão e acho que queijo na geladeira, você pode preparar mistos enquanto preparo as panquecas? – Joe assentiu e roubou um selinho antes de caminhar até a geladeira a procura do queijo.

   - Fome, fome, fome.. – Cantarolou e ela sorriu enquanto procurava pelas pás para bater os ovos. – Uau! Aqui tem comida para alimentar uma tropa. – Joe cortou as frutas em uma tigela, buscou pelas azeitonas, o queijo e a geleia para montar um rápido tira gosto enquanto Demi preparava a massa das panquecas.

   - Então. Nós caímos na armadilha dos seus filhos. – Disse quando ele recostou no balcão e vez ou outra colocava um petisco em sua boca. – Ontem quando eu disse que iria cozinhar encontrei um bilhete na porta da geladeira, foi tudo uma armação para que nós ficássemos sozinhos. – Disse com um pouco de receio. – Liguei para Elizabeth para dizer que chegamos bem e ela confessou quando ameacei esquentar o bumbum dela e de Dan. – Joe riu imaginando o quão desesperados Daniel e Elizabeth já deveriam estar.

   - Mas e Sara? A viagem, o prédio? – Murmurou se atentando a cada detalhe da lembrança de Sara invadindo o seu escritório e informando sobre a viagem de última hora.

   - Armação! Eles precisavam que você estivesse livre da NYT, então pediram a ajuda de Sara e ela bolou essa viagem sem lógica. – Joe assentiu mordendo um pedaço do pão. – Suspeito de Miley, ela estava muito estranha ontem. – Oh droga! Agora tudo fazia sentido!

   - Ontem quando eu estava vindo embora tive a impressão de vê-la ao lado de Sara, mas foi muito rápido. Sem contar que Sara estava com um papo estranho. – Murmurou oferecendo um pedaço de pêssego no palito. – Daniel estava resfriado, acho que eles estiveram aqui. – Joe balançou a cabeça negativamente quando se lembrou do atraso absurdo das crianças na hora da saída da escola, depois o carro de Eric, Elizabeth vestida com a blusa de frio do rapaz..

   - Eu realmente vou xingar muito e esquentar o traseiro dos seus filhos. – Joe arqueou as sobrancelhas enquanto mordiscava uma azeitona.

   - Quando eles aprontam são apenas os meus filhos? – Disse e ela assentiu segurando-se para não rir. – Muito bonito Sra. Jonas. – Ele não resistiu e deu uma bela olhada no bumbum de Demi quando ela virou-se para procurar certamente por uma colher nas gavetas do armário.

   - Estou falando sério Joe, eles precisam de limite. Tudo bem que a ideia foi fantástica, mas pense. Como eles conseguiram dinheiro o suficiente para alugar esse lugar? É tão lindo e deve custar uma fortuna. E se esses bilhetes estão espalhados pela cozinha, Daniel está muito resfriado; os armários e a geladeira estão cheios, então eles estiveram aqui. Quem os acompanhou? Estamos a quase seis horas de Los Angeles, é muito perigoso. – Joe massageou os ombros dela pensando naquela questão. De certo ponto era realmente muito perigoso.

   - Você tem certeza? – Perguntou e ela assentiu prontamente.

   - Sim! Provavelmente eles descobriram que nós não estávamos conseguindo.. Então bolaram esse plano louco. – Ela ronronou toda manhosa quando ele a abraçou por trás e fez uma trilha de beijos quentes e macios do seu pescoço até a orelha onde mordiscou.

   - Por que você não me contou ontem? – Perguntou num sussurro rouco em seu ouvido e o arrepio percorreu todo o corpo.

   - Eu.. eu não esperava que você fosse aparecer, mas quando apareceu minha cabeça virou uma bagunça e tudo que eu queria era você, apenas você. – Os lábios dele pressionados, roçados e a língua naquele movimento vagaroso e sexy era a sua perdição, ela mal sabia como estava conseguindo formular uma frase com Joe mordiscando e beijando o seu pescoço. – Desde o dia que nós nos encontramos naquele hospital. Eu estava com tanta saudade e confesso que faria amor com você mesmo que estivesse impossibilitada. – Disse com mais firmeza quando ele apenas repousou a cabeça na curva de seu ombro, porém a respiração calma e quente contra o pescoço ainda a deixara louca para agarrá-lo. – Foi horrível ficar sem você todo esse tempo. – Sussurrou levando uma mão a dele sobre a sua barriga. – Em todos os aspectos amor. – O sorriso dele ia de orelha a orelha. Joe a puxou gentilmente pela cintura para que eles ficassem frente a frente.

   - Minha linda. – Elogiou acariciando o rosto dela com a mão. – Nós vamos matar toda essa saudade e nada vai nos separar. – Demi assentiu com os olhos vidrados nos dele. O carinho em sua bochecha a deixou ansiosa para tê-lo, quando ele se aproximou um pouco mais ora fitando os seus olhos ora os seus lábios Demi sentiu as típicas borboletas tomarem conta do seu estômago e os dedos tremer de nervoso. O coração já batia tão rápido que a deixara assustada. Céus! Aquele homem a deixara sem fôlego!

Continua... Oi, oi, oi! Como vocês estão? Eu estou começando ficar gripada </3 Espero que gostem do capítulo, calma ai que vai ter mais hot, beleza? Beijos e um abraço bem apertado, obrigada pelos comentários!  

6 comentários:

  1. Que capítulo lindo!!!
    Eu amei, Joe e Demi estão cada dia mais amorzinhos. A cena de Joe encorajando Demi foi muito linda, me controlei para não chorar. Adorei a sugestão de Bernado para o nome do novo baby, acho um nome lindo <3
    Não vejo a hora deles fazerem algum passeio por ai, e claro, não vejo a hora de mais hots hahahaha.
    Melhoras pra sua gripe, continua logo e bom final de semana. Beijos!

    ResponderExcluir
  2. Hey diva ❤️
    Então somos duas porque eu também estou começando a ficar gripada 💔
    Enfim...sobre o capítulo
    Eita Lele...essa ''viagem'' está começando a ficar inesquecível ❤️
    Estou amando o momento deles 💜
    Posta logooo
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Melhoras e tome muita vitamina c kkkkkkkkk. Amei o cap

    ResponderExcluir
  4. Esse capítulo foi o meu fim!
    Amei com todas as minhas forças ❤
    Melhoras, viu? E nada de tomar sorvete rsrsrs'
    Beijos e poste assim que puder

    ResponderExcluir