16.2.15

Capítulo 51 - Parte 1/2

Manhoso. Era o suficiente para defini-lo.. Não.. Tarado também se encaixara assim como carente e muito, mais muito mesmo manhoso e tarado. Dormir no calor era praticamente impossível. Demi não sabia ao certo se realmente estava tão quente na Califórnia ou eram os seus hormônios enfurecidos.. Bem, a previsão de tempo para a Califórnia não era baixa e nem alta.. Então a segunda opção era válida. Ela estava a um passo de enlouquecer, e ele não ajudava. Oh não! Bem pelo contrário. A lua já deveria estar dando lugar ao sol. A típica umidade da madrugada estava indo embora e os pássaros começavam timidamente com o seu canto. E ele estava lá. A perna pesada e quente entre as dela. O cotovelo roçando a sua cintura e a mão moldada sobre o seu seio. Oh sim! Ele tinha feito aquilo a noite inteirinha, Demi até ficara irritada, mas quando viu que ele estava dormindo e envolvendo o seu seio com a mão desistiu de dar uma bela bronca nele e tentou dormir. Tentar dormir. Tinha sido o que ela tinha feito praticamente durante toda a noite. A perna de Joe era pesada, a mão dele não a apertava no seio, mas o braço forte também era pesado e a incomodava. E o castigo, sim, só poderia ser castigo! Ele dormia apenas de cueca samba canção e a ereção roçava o traseiro dela fazendo com que os malditos e impiedosos hormônios a deixasse encharcada e louca para acordá-lo e fazer muito barulho.. Mas ela não poderia fazer.. Tinha prometido a si mesma que não iria fazer amor com ele durante aqueles dias que se passaram. Fazia parte da sua surpresa de aniversário. O dia quinze de agosto finalmente tinha chegado e Demi não acreditava que era aniversário dele. O tempo tinha passado tão rápido.. Ela ainda se lembrara de estar em seus braços  há vinte anos no aniversário de vinte anos dele. E agora ele completara quarenta.

Libertando-se do braço dele, aos poucos Demi se afastou e levantou-se sem deixar de olhá-lo. Ele estava tão lindo dormindo tranquilamente. Os cabelos bagunçados, o tronco forte nu e agora ele tinha envolvido o travesseiro dela com os braços já sentindo a falta de abraçá-la. Demi riu de como ele era manhoso e carente e correu para o banheiro para higienizar-se e fazer muito, mais muito mesmo xixi. Tinham sido os três dias mais difíceis de toda a gestação e mais um motivo para ela não tentar fazer amor com ele. Os enjoos a deixara sufocada e ela vomitara tanto que tinha até receio de comer e estar perto de tudo que tinha o cheiro inebriante demais. No dia passado até o gosto da pasta de dente a deixara enjoada, era tão frustante.. Pois ela queria ao menos poder trocar beijos e carinhos com Joe, mas além dos enjoos, o sono também estava tomando grande parte do seu tempo.. Mas naquele dia ela teria que tentar superar todos aqueles enjoos e sonolências para colocar o seu plano em prática. Iria agir normalmente, talvez desejaria feliz aniversário a Joe, passaria o dia como se fosse um dia qualquer, mas no final da noite o levaria para o quarto, que ainda iria arrumar, e eles fariam amor até o dia amanhecer, claro, se ela não dormisse. Seria o presente perfeito. 

Balançando os pés e cantarolando, Demi sentiu-se a pessoa mais aliviada de todo o universo... Espreguiçou-se e caminhou para o box para tomar um banho frio, ajudaria a despertar.. O frio da madrugada ainda dominava o ambiente, a tremedeira começou assim que ela se livrara do pijama de algodão. Ficando na ponta dos pés e com a ajuda do pente de pentear cabelo, Demi trocou a temperatura do chuveiro do morno para o frio e assim que o ligara e molhara o corpo... Oh Deus! Ela gritou e desviou o corpo da água gelada. Diabos! Ela não tomaria banho frio nem se alguém a pagasse! Resmungando palavrões, Demi trocou a temperatura do chuveiro para o morno e deliciou-se de um banho maravilhoso por algum tempo enquanto conversava com o seu bebezinho. A ansiedade para tê-lo em seus braços era tanta, Demi contava os dias para tê-lo. Queria saber quem ele se pareceria mais, se dessa vez os seus traços vingariam já que tanto Daniel como Elizabeth herdaram a fisionomia da família de Joe. E se fosse uma menina? Ou um menino? Aquela questão definitivamente não importava, ela queria que o seu pequenino tivesse muita saúde independente de ser uma menina ou um menino.

   - Amor? - Chamou assim que saiu do banheiro enrolada na toalha branca. Joe continuara a dormir abraçado ao travesseiro dela. Ele perderia a hora e chegaria atrasado no trabalho. 

O suéter verde mais parecia um vestido em seu corpo, era confortável e tinha o cheiro dele que ela tanto adorava. Prendendo os cabelos num coque casual, Demi vestiu shorts confortáveis que ficavam escondidos por conta do tamanho do suéter de Joe, calçou as sandálias e levou a toalha até a lavanderia. Pelo visto todos perderiam a hora, Demi revirou os olhos e subiu as escadas pacientemente, adentrou o quarto e encontrou Joe dormindo que chegara a suspirar. Foi impossível não se lembrar de Daniel quando era bebê, ele suspirava enquanto dormia como o pai!

   - Joseph, acorda. - Chamou sentando-se na beirada da cama. - Joe, acorda, você está atrasado. - Disse depois de espiar a hora no relógio. Mas ele não escutava, apenas dormia e abraçava o travesseiro dela. - Amor, acorda. - Demi sentou-se na beirada da cama e o cutucou. No dia passado ele estava tão ansioso para que o dia quinze chegasse, mas agora que finalmente tinha chegado, ele só queria dormir.

   - Dem.. - Ronronou tão manhoso a puxando para ele. - Deita comigo. - Murmurou ainda dormindo a puxando cada vez mais para ele. A princípio Demi revirou os olhos, mas não resistiu e deixou que ele a abraçasse e se aninhasse a ela repousando a cabeça um pouco abaixo dos seus seios e envolvendo o braço esquerdo em sua cintura.

   - Joe? - Chamou deslizando a mão carinhosamente pelo braço nu dele, mas a resposta não veio, apenas o suspiro pesado que indicava que ele estava dormindo. Como um homem poderia ser tão absurdamente lindo como ele era? O pequeno sorriso não saiu do seu rosto enquanto ela o observava dormir serenamente agarrado a ela. - Joseph, acorda. - Sussurrou no ouvido dele e o beijou atrás da orelha. - Joe, acorda amor. - Ela arrastou os beijos para o maxilar e os desceu pelo pescoço para mordiscar o ombro largo o fazendo gemer. - Acorda bebê. - Demi se sentiu como a mulher mais privilegiada de todo o mundo quando ele abriu preguiçosamente os olhos e levantou a cabeça para olhá-la. Eram tão lindos! Tão lindos! A cor de mel misturada ao verde era tão sexy. - Bom dia. - Deslizando a mão pelo rosto dele, Demi curvou-se e depositou um selinho rápido em seus lábios.

   - Bom dia princesa. - O apelido carinhoso fez com que um sorriso apaixonado se instalasse nos lábios de Demi e ela quase derreteu quando ele beijou a bochecha dela e depois a abraçou. - Ei, como está o filhotinho do papai? - Quando a mão grande e masculina deslizou por debaixo do suéter acariciando a sua barriga, Demi sentiu aquele calor fascinante envolvê-la por completa. - Promete para o papai que hoje você não vai dar trabalho para a mamãe? Nós temos que cuidar da nossa menina. Eu tenho certeza que você vai se apaixonar por ela. Ela é tão linda, a mais linda que eu já vi. Me ajuda a cuidar dela? - O beijinho carinhoso em sua barriga a fez sorrir de orelha a orelha. Como ele poderia ser tão fofo?

   - Fala para o seu papai bebê, que ele tem que levantar para ir trabalhar. - Demi não deixou de sorrir ao vê-lo aproximar a cabeça na barriga dela como se escutasse o que o bebê diria. - A única coisa que você vai escutar é o meu estômago roncando. - Disse rindo e Joe fez careta ao olhá-la. - Vou preparar o café da manhã. - Ah não! Ele tinha a envolvido com os braços impedindo que ela pudesse se levantar. - Joseph! - Murmurou tentando se soltar sem sucesso.

   - Demetria. - Disse a olhando intensamente. Era fugir dos braços dele ou ela cometeria uma besteira. Aquele olhar era tão intenso, tão apaixonado e carregado de desejo.

   - Café da manhã. - Demi teve que morder o lábio inferior com força para não gemer quando ele beijou o pescoço dela roçando a barba mal feita em sua pele e a boca quente lhe mordiscando. - Café da manhã Joe. - Infelizmente ela o empurrou e levantou-se mesmo sentindo as pernas trêmulas.

   - Ei, vem cá meu bebê. - Os bochechas coraram ao olhá-lo. Ele estava deitado de costas para o colchão e estava quase nu! Olhava-a com aquele olhar de cachorrinho carente e bem... O volume na cueca era assustador. - Só um abraço. - Não caía na armadilha dele! Malditos hormônios que a deixava boba! Demi caminhou até a beirada da cama e se deitou sobre ele o abraçando carinhosamente assim como ele a abraçava.

   - Eu te amo muito. - Sussurrou timidamente o beijando na bochecha. - Feliz aniversário meu amor. - O sorriso de menino dele a deixou radiante. Ele tinha pensado que ela tinha se esquecido! - Eu prometo que vou te fazer o homem mais feliz desse mundo. - Acariciando o rosto dela com as mãos, Joe a olhou nos olhos emocionado. Ela estava ali com ele depois de tudo dizendo que o amava e que o faria feliz.

   - Ei. - As mãos dele acariciavam o corpo dela delicadamente como se examinassem uma obra prima tendo todo o cuidado para não machucá-la e apreciá-la com toda a paixão que tinha. - Você não precisa prometer nada, você me faz tão feliz desde o dia que eu te conheci naquele cabeleireiro. - Joe a beijou na testa e sorriu ao olhar para a sua menina. - Você era tão menina, tão pequena meu bebê, mas nós aprendemos a nos amar da forma mais verdadeira e pura. Nós construímos a nossa família juntos. - A mão dele acariciou a sua barriga e Demi corou sorrindo, aproximou-se e o beijou brevemente na boca.

   - Eu te amo bebê. - Disse distribuindo beijinhos pelo rosto dele. - Agora vai tomar o seu banho e se arrumar que eu vou preparar o café da manhã. - Joe gemeu quando ela se afastou o deixando sozinho na cama.

   - Dem.. - Choramingou a olhando com cara de cachorrinho.

   - Nada disso, você está atrasado. - Arqueando as sobrancelhas, Demi apontou na direção do banheiro e preguiçosamente Joe se levantou e caminhou emburrado.

Demi tentou preparar tudo que Joe adorava comer no café da manhã o mais rápido possível para que ele não chegasse mais atrasado do que já estava no trabalho, porém não deu muito certo. Aquela cena só acontecia uma vez no ano, era tão fofo e emocionante. Todo ano Lizzie escrevia uma cartinha para o pai e sentava-se no colo dele enquanto ele lia a cartinha derramando tantas lágrimas. Joe era tão mimado pela filha e também a mimava. Era simplesmente fofo vê-los juntos. Já Daniel preferiu dar um sutil abraço no pai e desejar suas felicitações pessoalmente deixando Lizzie e Demi curiosas. E Joe, mais uma vez chorou. Ele era tão fofo. Quem o via todo arrumado não imaginava que quando se tratava da família ele era pior que uma garotinha. Quando eles finalmente terminaram o café da manhã Demi recebeu abraços carinhosos e Joe roubou um beijo de deixá-la de pernas bambas. Mais tarde, aproveitando que estava sozinha e que ainda era manhã, Demi organizou tudo que precisaria numa lista e o sono a venceu, pois ainda era cedo e a consulta seria no horário de almoço.


(...)

Pelo incrível que pareça, aquela era a primeira vez na vida que andar com sapatos de salto alto a deixara assustada. Céus! Ela tinha perdido o jeito de andar com aquilo, pensara que iria cair a qualquer segundo. Mas aquele pequeno detalhe não a deixava nenhum pouco deselegante. Demi estava tão linda vestida com calças jeans escuras, a blusa folgadinha branca disfarçava a barriga e combinara perfeitamente com o blazer rosa choque. Os cabelos negros estavam tão bem cuidados, demorara tanto tempo para arrumá-los como ela realmente queria, porém agora estava perfeito. Caminhando sobre os olhares curiosos dos clientes do restaurante, Demi guardou os óculos de sol na bolsa e sorriu ao ver Daniel acenando para ela.

   - Boa tarde. - Disse educadamente esboçando um sorriso enquanto se sentava entre Daniel e Elizabeth ficando de frente a Joe.

   - Boa tarde. - Disse Elizabeth sorridente e tão admirada. Ela tinha a mãe mais linda de todo o mundo. - Como foi a sua manhã? - Demi sorriu envergonhada com o olhar de Joe e detalhou a sua manhã para a menina, que não deixou de rir quando ela contou sobre a batalha para conseguir arrumar o cabelo.

   - Você está linda. - Daniel a elogiou. - Ela é a mulher mais linda desse restaurante, você não acha pai? - Daniel observou o sorriso do pai enquanto ele assentia e como a mãe tinha ficado corada. - Melhor, a mulher mais bonita desse mundo. - Disse a beijando na bochecha.

   - Muito linda. - Joe piscou para Demi e ela ficou semelhante a um pimentão fazendo Lizzie e Dan gargalharem.

   - Ainda bem que eu puxei a mamãe. - Disse Elizabeth jogando beijos para o irmão.

   - Ei. - Joe a olhou feio e Lizzie deu de ombros. Ela era realmente a cópia perfeita da mãe. - Você tem os meus olhos. - Disse emburrado e Lizzie assentiu curvando-se para beijá-lo na bochecha.

   - Eu sei papai. - Disse fitando os olhos dele. - Nós já podemos pedir? Eu estou faminta. - Daniel assentiu concordando com a irmã. Ele estava faminto, passara a manhã estudando e praticando muitos exercícios que o deixava exausto. Depois de pedirem e almoçarem, eles finalmente estavam a caminho do hospital para consultar o sexo do bebê. Elizabeth não parava quieta, toda hora perguntava sobre o bebê e se ele era menina ou menino. Daniel arriscou alguns palpites, mas ainda sim estava indeciso. E bem, Joe estava mais ansioso que todos daquele carro, acariciava a barriga de Demi nos sinais vermelhos e até mesmo quando estava dirigindo, conversava com o bebê e a cada cinco segundos perguntava para si mesmo se seria um menino ou uma menina.

   - Ansiosa? - Perguntou Daniel andando ao lado de Demi e ela sorriu tendo que olhar para cima para poder fitar os olhos dele. Seu menino estava tão grande e tão lindo.

   - Estou. - Disse o abraçando de lado para que eles pudessem caminhar juntos. - Eu juro que vou bater no seu pai e na sua irmã. - Dan riu ao olhar para trás e encontrar Joe e Lizzie numa discussão seríssima sobre o sexo do bebê. Eles faziam apostas e já planejavam o enxoval.

   - Por mim tudo bem. - Disse rindo. Ele adoraria ver a irmã levar umas boas broncas e quem sabe alguns tapas da mãe, já que era ele sempre quem levava broncas e tapas e era motivo de zoação para a irmã. Seria a vingança perfeita. - Já pensou em um nome? - Perguntou. Por mais que tinha arriscado se o bebê seria menino ou menina, Dan não tinha preferência, queria apenas que o seu irmãozinho ou irmãzinha tivesse muita saúde e que gostasse de brincar com ele mesmo que a diferença de idade entre eles fosse grande.

   - Eu ainda não pensei em nenhum nome, acho que nós podemos fazer isso juntos. - Daniel devolveu o sorriso da mãe tão feliz por estar tudo certo entre eles. Brigar com ela de novo era a última coisa que ele queria na face da terra, ela era o seu porto seguro e sem ela nada acontecia. Não iria negar que ele tinha sido muito machucado por ela assim como também sabia que tinha a machucado muito, mas eles tinham se resolvido da melhor forma possível um dando uma nova chance para o outro.

   - Demetria Jonas. - Disse Joe assim que se aproximou do balcão da recepção do hospital interrompendo o funcionário que já iria trocar o Jonas pelo Lovato. Demi engoliu seco e o olhou apenas por segurança. Não seria nada interessante se ele resolvesse ter uma crise de ciúmes logo agora.

   - Dra. Cristiane está a espera da Sra. Jonas. - Disse o rapaz intimidado. Joe sorriu assentindo e caminhou tranquilamente ao lado de Lizzie e Demi. Ele estava tão ansioso para descobrir o sexo do seu bebê.

   - Tudo bem? - Demi o olhou com receio e ele franziu o cenho assentindo.

   - Claro, está tudo bem? - Perguntou confuso e ela assentiu um tanto aliviada. Era coisa de sua cabeça, Joe não estava com ciúme e ela estava agradecendo a Deus mentalmente por ele não ter feito uma cena como às vezes acontecia. Chegar na sala da obstetra que cuidara de Demi foi praticamente impossível uma vez que Demi sempre parava para cumprimentar um funcionário. Primeiro foi uma das faxineiras que ela fizera amizade e logo depois uma enfermeira se juntou a elas para uma breve conversa. Virando o corredor foi a vez de Demi encontrar um dos fisioterapeutas da clínica de Marissa junto com a mesma. Foi tão engraçado ver Marissa corar a cada olhar malicioso que Demi lhe lançara.

   - Não some, eu sinto sua falta.  . - Disse Demi abraçando Marissa. Depois de abraçar Marissa, Demi seguiu caminho com um sorriso bobo só de imaginar que daqui a pouco tempo ela descobriria o sexo do seu bebê.

   - Demi! - Demi sorriu de orelha a orelha assim que foi recebida no consultório da Dra. Cristiane. Era tão bom ser querida por todos. - Você está radiante! - Cristiane a analisou sorrindo. Demi estava tão diferente e parecia saudável, as bochechas chegavam a estar mais coradas e o brilho nos olhos era incomparável. - Por favor, entrem. - Disse educadamente sem deixar de sorrir para que todos adentrassem o consultório. - Sr. Jonas. - Disse abraçando Joe brevemente. - Meu Deus! Esse menino não para de crescer? - Demi riu ao olhar para Daniel, ele realmente estava muito alto e bonito. - Já Lizzie está a cópia da mãe. - Lizzie e Demi trocaram um sorriso cúmplice.

   - Nós podemos..? - Disse Joe sem jeito e Demi riu. Ele era tão fofo quando se tratava do seus bebes, Demi tinha certeza que tinha feito a melhor escolha para o pai dos seus filhos.

   - Papai coruja? - Perguntou Cris enquanto observava Joe dar a bolsa de Demi para Daniel segurar e ajudá-la a se deitar na espécie de maca onde as mamães repousavam na posição certa para que o ultrassom pudesse ser realizado.

   - O mais coruja que existe. - Comentou Elizabeth fazendo careta e todos riram. Joe era tão pegajoso e carente.

   - Está tudo bem bebê? - Perguntou Joe analisando se tudo estava nos conformes com Demi deitada naquela maca. Demi assentiu o olhando daquele jeito meigo que só pertencia a ela. E Joe curvou-se e a beijou na testa. - Eu posso fazer isso? - Perguntou quando a médica pegou o potinho de gel.

   - Tudo bem? - Perguntou Cris olhando para Demi e ela assentiu. Joe só passaria um pouco de gel em sua barriga para ajudar o aparelho a deslizar sobre a barriga. E ele o fez com tanto cuidado. Primeiro a ajudou a tirar o blazer e depois levantou a blusa, vestiu as luvas descartáveis e deslizou o gel sobre a barriga de Demi levemente avantajada com cuidado e respeito. - Preparados? - Joe descartou as luvas e enlaçou os dedos da mão esquerda aos dedos da mão de Demi.

Não demorou muito para que o silêncio da expectativa fosse preenchido pelo som milagroso que ia e vinha do coração do pequenino ainda na barriga da mãe. A primeira lágrima rolou livremente pelo rosto de Joe e ele enlaçou os dedos aos de Demi sentindo-se exclusivamente feliz. Não tinha presente melhor que aquele. Era o seu bebê que estava crescendo com muita saúde na barriga da mulher que ele tanto amava. Rolaram mais lágrimas quando a imagem preta e branca formou-se no monitor e tudo que Joe sabia era que o as curvas que se destacavam em meio ao preto era o seu bebê. Demi não estava muito diferente de Joe, as lágrimas rolavam compulsivamente por seu rosto, os dedos enlaçados aos dele lhe passava força e o seu coração batia mais rápido. Aquele sentimento era tão especial, tão vivo e único.

   - Vocês conseguem ver aqui? - Daniel e Lizzie assentiram ansiosos e também com lágrimas rolando. - Preferem menina ou menino? - Bem, eles queriam apenas que o bebê tivesse muita saúde. - Hum.. - Joe mordeu o lábio inferior corroendo-se de ansiedade, olhou para Demi e sentiu a necessidade de selar os lábios aos dela e ele fez. - Está ansiosa Demi? - Perguntou a médica.

   - Muito ansiosa. - Disse com a voz carregada de emoção.

   - O bebê está ótimo, muito saudável e forte. - Aquelas palavras eram tudo que uma mãe queria escutar. Assim que tinha recuperado a memória logo que acordara do coma, a primeira coisa que Demi tinha pensado era na saúde do seu filho que ainda estava na sua barriga. Ela teria o prejudicado agindo como uma alcoólatra por praticamente um mês? Jamais se perdoaria se algo de ruim acontecesse a aquele pequeno inofensivo ser que Deus lhe entregou para que ela cuidasse e protegesse com a sua vida, porém tudo tinha dado certo, as suas orações e as de Joe não tinham sido em vão. - Papai, o seu menininho está aqui. - Demi sorriu de orelha a orelha quando Joe a olhou nos olhos como se ele pudesse enxergar a sua alma. O sorriso dele a confortou, ele estava tão emocionado e radiante, não parava de chorar por um minuto sequer escutando os batimentos cardíacos e tentando decifrar as partes do corpo do seu pequenino. Não tinha coisa melhor no mundo que ver aqueles que ela mais amava felizes.

Continua... Oi! Como vocês estão? Assistiram 50 tons? Eu ainda não assisti.. ainda 66'
Espero que vocês gostem do capítulo, eu demorei para escrever e postar porque estava complicado para escrever, minhas ideias para escrever fugiram.. Enfim, espero que gostem! Um bom feriado para todas, cuidem-se e comentem! Beijos 

7 comentários:

  1. AI MEU DEUSSS%#&%@ PQP, É UM MENINO ❤❤ Vai ser outro menininho, espero que seja tão manhoso quanto Dan.
    Nem preciso dizer que amei esse capítulo, Joe e Demi tão anõezinhos, estou emocionada.
    Não vejo a hora do hot, estou roendo as unhas, você arrasa em todos os hots que faz, acho que o aniversário dele vai durar até o amanhecer kkkgshkk.
    Continua logo, beijos :*

    ResponderExcluir
  2. Demetria minha querida vc vai enlouquecer e enlouquecer o seu pobre marido se não liberar o passe livre ajdkdjsjfkjcns gostei da ideia dela querer fazer uma surpresa para ele no aniversário dele e claro eles fazerem amor até o amanhecer. Só tomem cuidado com o bebê! Kkkkk
    IT'S A BOY!!! awn eu não acredito que vem mais um menininho, será que vem uma cópia de Dan? Eu espero que sim pq Dan é um menino maravilhoso! Ele sempre foi tão fofo, tão amoroso, e tão carente shdjdjhd mas enfim esta perfeito e eu já quero o hot para ontem!!!!
    Beijooos ♡

    ResponderExcluir
  3. Meu deus amanda!! Ta mto perfeito serio demais!!! Nao acredito q vai ser um menino serio q perfeito

    ResponderExcluir
  4. Que lindo ❤️❤️❤️
    É um meninoooo u.u
    Que perfeito 💙
    Super ansiosa para saber mais
    Posta logooo
    Beijos ❤️

    ResponderExcluir
  5. é um menino *O* me segurem, JÉSSICA ESTÁ DESMAIADA!
    me emocionei junto com eles nesse ultrassom
    A NOITE PROMETE! 66 tô urrando de alegria? se é que isso é possivel! rsrsrsrs
    capítulo perfeito <3 estou tão ansiosa pelo próximo
    beijos e até o próximo

    p.s: eu assisti, fui na estria dia 12! foi legendado, mas valeu muito a pena <3
    AQUELE FILME É MUITO BOM, MAS MUITO BOM MESMO.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. se tiver algum erro... me desculpe, estou pelo celular e esse meu teclado inteligente é muito burro! kkk

      Excluir
  6. A historia ta perfeita, só posta mais rápido pf pf pf pf pf

    ResponderExcluir