4.2.15

Capítulo 49

Por mais que o cansaço o dominasse em todos os quesitos, dormir estava definitivamente fora dos seus planos. Como ele poderia fazê-lo com ela em seus braços? Tão delicada e menina em seu sono. Por muitos minutos tudo que fizera foi admirá-la fascinado, a respiração leve o fazia suspirar, os cílios cumpridos e volumosos junto de cada traço do rosto o fazia se sentir o homem mais sortudo de todos. Era tão apaixonante vê-la dormir aninhada em seus braços. E aquela era a melhor parte. Ela estava em seus braços, estava o permitindo e aquilo o alegrava de forma abundante. A princípio pensara que seria ignorado e que as suas chances de conquistá-la não existiam, mas a surpresa de encontrá-la em casa foi tão grande que a chama da esperança foi reacesa. Demi tinha cuidado da casa, dos seus filhos e até mesmo dele. Tinha o beijado muito... e por um pouco eles não fizeram amor, mas aconteceria. Joe sabia que precisaria esperar, que ainda existiam assuntos pendentes a serem resolvidos. As fantasias enchiam a sua mente de vida e os seus lábios de sorrisos tímidos a sorrisos de orelha a orelha. Primeiro ele a abraçou por trás a trazendo mais para ele e o murmuro de seu nome o fez ficar um pouco nervoso a espera de sentir o olhar dos olhos marrons sobre si, mas não aconteceu, apenas as mãos delicadas e pouco geladas dela tocaram as suas grandes e quentes sobre a barriga levemente oval onde estava o seu bebê. Aspirara o cheiro inebriante de frutas dos cabelos escuros de sua amada e encaixara a cabeça na curva do ombro feminino e conforme as fantasias de tê-la como mulher, de vê-la com o seu bebê nos braços e diversas cenas que o deixava cada vez mais apaixonado por ela invadia a sua mente, ele finalmente deixava ser vencido pelo sono.

   Porque os homens eram mais quentes que as mulheres? Ao menos Joseph era. Ultimamente as noites eram tão frias e tenebrosas. Ver apenas a escuridão da noite era assustador. Mas não tinha acontecido naquela noite.. Joe era quase um casaco de pele.. Tão quente e tão absurdamente pesado, porém era maravilhosa a sensação de sentir o corpo dele.. De sentir o membro duro contra o bumbum dela era como estar no céu. O sorriso não saíra de seus lábios ao ver que a mão dele estava sobre a sua barriga. Oh Joseph! Ele a protegia e o bebê. Como não amá-lo? Depois de livrar-se do braço pesado e forte, Demi estava fora da zona quente onde estivera protegida a noite toda. Os olhos correram dos cabelos curtos e bagunçados para os lábios e dos lábios para o peito largo e moreno que a pinicara por conta daqueles pelinhos que vez ou outra eram aparados. Como uma criança tentada a fazer o proibido, Demi mordeu o lábio inferior e com toda a coragem que tinha espalmou o peito dele com as mãos e gemeu de desejo ao arrastá-las pelo abdômen perfeitamente liso cheio de gominhos. Ah não! A calça de moletom preta o deixava tão sexy em meio a roupa de cama branca assim como as cobertas. A mão curiosa abraçou o volume da calça a fazendo se sentir terrivelmente culpada por fazê-lo. Tarde demais! A boca de fechou sobre o peito largo dando beijinhos quentes um atrás do outro. Quando deu por si já estava sentada com o corpo dele entre as pernas o beijando no peito e correndo as mãos por aquele corpo maravilhoso pressionando o íntimo na ereção escondida na calça. De repente o gritinho de susto escapou por seus lábios ao sentir o bumbum ser apertado com tanta força e os olhos estavam tão arregalados. Céus! Ele estava sobre ela!

   - Esfregar esse traseiro gostoso aqui não é uma boa ideia Demetria. - Demi não sabia se corava porque tinha sido pega no flagra ou porque a mão dela estava sendo praticamente esmagada pela dele contra a ereção dura e quente. Hormônios.. Hormônios! Eles iriam fazê-la explodir de tanto tesão.

   - Por quê? - Perguntou com toda coragem que tinha. Os olhos dele se fecharam e as feições eram quase dolorosas.

   - Você. Está me matando. - Murmurou escondendo o rosto no pescoço dela para beijá-lo e mordê-lo. - Meu anjinho, não faz isso comigo. - Os braços envolveram o pescoço dele colando mais os corpos e Demi afastara as pernas justamente para ele. Se começassem, não iriam terminariam tão cedo.. Era exigir demais de si mesmo, mas ele não poderia fazê-lo agora, precisava sair para trabalhar, havia pessoas e compromissos.. mas era tão bom estar colado a ela. Joe suspirou e gemeu friccionando os corpos, e quando a boca iria alcançar a dela, diabos! O despertador tocara com tanta determinação que Joe choramingou deitando-se ao lado de Demi.

   - Joseph.. - A voz dela soou tão culpada. Joe estava tão frustrado, os olhos fechados, a respiração falha e bem.. o volume na calça estava maior! E a culpa era dela.

   - Está tudo bem princesa. - Disse forçando um sorriso. - Volte a dormir, ainda é muito cedo. - Timidamente Demi se aproximou e o abraçou de lado. - Está tudo bem, não faz essa carinha, eu só preciso me arrumar para ir trabalhar. - Trabalhar. Por que diabos tudo estava dando errado para eles?

   - Eu não estou como sono. - Disse fechando os olhos para sentir o carinho que ele fazia em seu braço. - Vou preparar o café da manhã. - Joe assentiu e sorriu ao receber um beijinho rápido nos lábios. - Você vai ficar bem? - Perguntou e logo corou. Sem querer ela tinha olhado para baixo, para o volume nas calças dele.

   - Já estou acostumado. - Disse rindo. - Acho que um banho frio resolve. - Demi olhou na direção do criado mudo para checar a hora. Seis e meia da manhã e banho frio. Aquilo não daria muito certo.

   - Tem certeza? - Perguntou olhando para  com receio.

   - Eu vou ficar resfriado e você não vai poder me beijar mais, mas tudo bem. - Demi fez cara feia, mas riu e o encheu de beijinhos por todo o rosto. - Eu volto para casa lá para as três ou quatro da tarde.. - Sussurrou no ouvido dela e Demi estremeceu.

   - Não quero que você fique resfriado. - O gemido escapou pelos lábios dele assim que a mão pequena traçou o abdômen e logo adentrou as calças o segurando com força. Joe tinha a sensação de estar no paraíso a cada vez que ela movia a mão para cima e para baixo, chegara tremer e gemer descontroladamente, mas tudo que é bom dura pouco. O despertador tornara a soara tão barulhento que a magia que eles construíram desfez no ar os deixando tão frustrados e sem graça. Por que ela tinha que ter forçado a barra? A vontade de chorar a dominou quando viu-se sozinha na cama. Ela o queria tanto, mas não acontecia, parecia que o mundo estava contra eles e agora Joe deveria estar chateado, tudo indicara que ele estava. O modo que ele se levantou da cama e praticamente correu para o banheiro sem pronunciar uma palavra. Era tão frustrante.. Com muita preguiça ela se levantou e se sentou na cama, apoiou os cotovelos nas coxas e cobriu o rosto com as mãos pensando em como ela só servia para fazer besteira.

   - Não vem escovar os dentes? - A voz estava tão embolada e ela estava a tanto tempo pensando no que faria para resolver a situação que o susto foi grande, mas era apenas Joe com a boca cheia de pasta de dente. - Tudo bem? - Ele perguntou quando ela o abraçou por trás e lhe beijou as costas.

   - Claro, está tudo bem. - O sorriso forçado foi inevitável, se estava tudo bem ela realmente não sabia.. mas estava surpresa por saber que ele não tinha ficado chateado com os seus hormônios que a fazia a mulher mais tarada da galáxia. -  Ei, eu quero fazer isso. - Disse ao vê-lo lavar o rosto e logo procurar o aparelho de barbear.

  - A sua pele é mais macia que o bumbum de um bebê, e você não tem pelos. - Demi revirou os olhos ao sentir a mão dele correr por suas bochechas para pirraçá-la.

   - Joseph! - Murmurou com a boca cheia de espuma e ele riu. - Eu quero te barbear. - Disse quando finalmente limpou a boca. - Vamos, sente-se. - Joe fez corpo mole enquanto ela o empurrava para que ele se sentasse sobre o assento do vaso. - Como você vai querer?  - Perguntou analisando a barba dele.

   - Hum.. como eu vou querer. - Demi tornou a revirar os olhos com o olhar malicioso dele. - Quase cerrada senhorita. - Ele brincou com ela durante todo o processo da barba, primeiro acariciou a barriga e Demi reclamou quando ele começou a tagarelar com o bebê, quando foi mais tarde ele a puxou para o colo e apertou o bumbum dela a provocando e quando subiu a mão para o seio, Demi o olhou feio. Céus! Que homem mais inquieto!

   - Joseph! Eu juro que vou te dar umas boas palmadas se você não ficar quieto. - Disse o beliscando no braço. - Você vai chegar atrasado no trabalho. - Quando ele ficou quieto, Demi finalmente o barbeou com mais agilidade.

   - Olha, não é que você leva jeito. - Às vezes Demi o barbeava e o resultado era sempre bom, ela era tão concentrada e nunca caia nas armadilhas dele de pirraçá-la. - Quer tomar banho comigo? - Perguntou a fitando intensamente. Tinha sido tão fofo vê-la corar.

   - Humm.. Não é uma boa ideia. - Murmurou fitando os próprios pés. - Vou preparar o café da manhã, não demore. - Por que ela tinha que ficar tão envergonhada com aqueles olhares que ele lançava em sua direção? Tudo bem, ele estava muito sexy vestido apenas com as calças pretas de moletom e os cabelos bagunçados.. E ela era uma mulher grávida com os hormônios fervendo..

   - Eu desço em quinze minutos. - Demi assentiu e praticamente correu para fora do banheiro quando ele deu um tapa no bumbum dela. Ora, ela já tinha o atrapalhado demais quando estava em coma e Joe conseguiu uma licença para ficar com ela, Sara era uma boa chefe, mas Demi sabia que não poderia abusar demais, Joe precisava chegar no horário certo..

Daniel e Elizabeth deveriam estar se arrumando assim como Joe enquanto ela preparava o café da manhã escutando música country no rádio. O dia estava tão lindo, Demi não conseguia parar de sorrir feliz por estar na sua casa. Dá janela da cozinha ela conseguia ver boa parte do jardim ainda na névoa da manhã aos poucos sendo irradiado pela luz do sol. As torradas ficaram prontas, o café estava quentinho e a mesa estava praticamente pronta, só faltara cortar algumas frutas.

   - Bom dia princesa. - O droga! A voz rouca e os braços fortes a rodeando quase fez com que Demi cortasse os dedos ao estremecer pelo repentino contato.. Ora, ela estava tão tranquila escutando as músicas do rádio em meio ao canto dos passarinhos que nem tinha notado a presença dele.

   - 
Bom dia Joseph. - A voz falhou ao sentir os lábios dele em seu pescoço, as mãos dele a apertando deliciosamente fazendo seu corpo arder de desejo.

   - Quero o meu beijo de bom dia. - Demi revirou os olhos quando ele a virou sem esperar que ela largasse a faca e a goiaba que tinha em mãos.

   - Joseph, eu estou preparando o caf... - Antes mesmo que Demi pudesse concluir a frase os lábios dele estavam sobre os dela num beijo avassalador, ele a imprensava contra a bancada e a envolvia com os braços de um jeito que a fazia se sentir especial e amada. Deus! A língua dele brincava com a dela como se não houvesse o amanhã.

   - Nós estamos atrasados? - A voz de Daniel ainda longe os assustou e Demi empurrou Joe com força.

   - Eu não sei, será que o papai já está pronto? - Em questão de segundos os dois adentraram a cozinha surpresos por ver que o pai e a mãe já estavam acordados, e bem, a mesa estava posta.. - Bom dia! - Disse a menina animada dando um rápido beijo na bochecha do pai para correr para os braços da mãe. - Bom dia mamãe! Como foi a sua noite? O papai roncou muito? Como está o bebê? - Daniel e Joe reviraram os olhos com o tanto de perguntas de Lizzie. Droga! Dan queria tanto abraçar a mãe, mas a irmã tomou a frente, já Joe queria mais atenção da filha..

   - Bom dia meu anjo. - Demi lavou as mãos e as secou no avental. - Minha noite foi muito sonolenta, nem escutei o seu pai roncar. - Murmurou fazendo Lizzie rir. - E o seu irmãozinho está morrendo de fome. - Toda vez que alguém beijava sua barriga e a acariciava Demi ficava envergonhada e sem jeito, era tão estranho.. E não foi diferente com Lizzie.

   - Vaza baixinha. - Daniel passou por Lizzie para abraçar a mãe e beijar a barriga. - Bom dia mamãe, bom dia bebê. - Disse sorridente.

   - Bom dia! - Demi riu ao ver que Joe estava emburrado apenas os observando. - Agora chega de tumulto, vão tomar café da manhã! - Não demorou muito para a cozinha estar semelhante a uma feira livre. No rádio tocava uma música agitada, os filhotes e Buffy invadiram a cozinha e não paravam de chorar um minuto sequer pedindo por comida. Daniel e Lizzie discutiam sobre alguns assuntos de gramática e Joe comia uma torrada desanimadamente emburrado.

   - O que foi? - Perguntou depois de jogar um pedaço de bolo para aquela cachorrada e a paz voltou rapidamente.

   - Nada. - Demi riu ao ver a sombra de um biquinho, ele estava definitivamente emburrado.

   - Calado garoto! - Disse Elizabeth de cenho franzido ao olhar para o pai. Ela conhecia muito bem aquela carinha emburrada. - O que foi com ele mamãe? - Perguntou divertida olhando para mãe.

   - Ele está com ciúme. - Joe apenas brincou com o garfo na fatia de bolo um tanto envergonhado por ter a atenção das suas garotas apenas para ele.

   - Ciúme? - Lizzie piscou para a mãe antes de beijar a bochecha do pai o fazendo sorrir tímido. - Você está com ciúme bonitão? - Joe não sabia para onde olhar de tanta vergonha, de um lado estava Demi com um sorriso lindo nos lábios e do outro lado estava a cópia dela o mimando. Oh Deus! Ele simplesmente amava as suas meninas. - Eu te amo, está bem? - Sussurrou a menina no ouvido dele e o sorriso em seus lábios só aumentou.

   - Nós estamos atrasados. - Demi olhou para Daniel e gargalhou ao vê-lo emburrado.

   - Meu Deus! Que garotos mais carentes. - Joe fez careta, mas logo sorriu com o beijo da filha no rosto enquanto Demi abraçava e beijava Daniel na bochecha.

   - Eu não vou te beijar. - Disse a menina para o irmão. - Não está na hora de irmos? - Perguntou ao pai, deveriam estar atrasados.

   - Dez minutos atrasados. - Demi arregalou os olhos ao ver o quão desesperados os três estavam, Joe procurava as chaves do carro desesperadamente sem saber onde elas estavam, Elizabeth falava ao telefone enquanto arrumava as coisas na bolsa e bem.. Daniel comia uma fatia de bolo despreocupadamente. - Encontrei as chaves. - Anunciou Joe e Elizabeth puxou o irmão pela camisa. - Até mais tarde anjo. - Joe a beijou na bochecha e logo na barriga brincando com o bebê.

   - Não esqueçam o dinheiro do almoço. - Disse Demi preocupada. Daniel e Lizzie não almoçariam em casa, pois estudariam à tarde, então almoçariam em um restaurante perto da escola. 

   - Daniel! A sua mochila! - Gritou Elizabeth e Demi revirou os olhos buscando a mochila do garoto perto da escada.

   - Até mais tarde mãe! - Disse Dan acenando feliz por ver a irmã irritada.

   - Até mais tarde. - Lizzie a beijou no rosto e quando fora beijar a barriga, Joe buzinou a apressando. Que loucura! Em um minuto a casa estava uma bagunça e completamente barulhenta, e no outro, bem, estava tudo tão silencioso que Demi franziu o cenho deprimida. O que fazer quando está sozinha? Primeiro Demi arrumou a cozinha e alimentou os filhotes e Buffy, brincou um pouco com eles, mas quando viu que os filhotes começaram a ficar animados demais, ela correu para sala e jogou-se no sofá para assistir desenho animado. Era tão bom fazê-lo, às vezes Demi se sentia como se a infância e a adolescência tivessem sido roubadas.. Ela tinha trabalhado tanto para conseguir um lugar no mundo da música e ter o seu trabalho reconhecido, mas depois de muita luta ela finalmente tinha conseguido e agora era uma mulher importante para milhares de jovens, pensar na sua trajetória a fez sorrir, e o desenho animado a fez gargalhar, era tão divertido e inocente. E assim foi por praticamente toda a manhã, até que Demi adormeceu agarrada a uma almofada.

Algumas horas mais tarde..

O sonho era tão bom.. Por mais que ela estivesse sofrendo muito, a face suada e avermelhada, os lábios secos e o corpo extremamente cansado fora fruto de horas e horas de trabalho de parto, mas Demi finalmente sorria cansada. O seu bebê era tão perfeito, tão pequeno e cheinho. As lágrimas rolaram pelo rosto sem quaisquer restrições, pedira para Joe aproximar o pacotinho branco e beijara o seu filho na testa com todo o amor do mundo. Mas porque algo a chamava? Latidos.. Demi franziu o cenho ainda dormindo e sonhando com o seu bebê e Joe, mas o barulho fora mais forte. Ainda sonolenta ela se levantou e demorou um pouco para saber onde estava, até que a televisão ligada lhe lembrou de tudo. Ela deveria ter dormido.. Por que Buffy rugia e latia? Ele dificilmente o fazia..

   - Buffy? - Demi o chamou caminhando ainda sonolenta na direção de onde vinham os latidos. Ora, agora os filhotes também latiam junto com o pai. - Lola? O que foi? - Perguntou ao ver a única cadelinha da casa correr até ela e depois correr na direção da sala que levava para o jardim. O que estava acontecendo? Antes mesmo que Demi pudesse caminhar para o jardim, ela pode ver os filhotes e Buffy correrem desesperados para a mesma direção, até que finalmente ela viu o que os perturbava. Um homem vestido com roupas comuns da cor preta e com uma câmera na mão correr assustado com aquele tanto de cachorro.

O desespero tomou conta de todo o seu ser, quem era aquele homem? E se ele fizesse mal a ela ou a um dos seus cães? Ele estava sozinho? Demi correu para os portões de casa e gritou um dos seguranças. Diabos! Como aquele homem tinha conseguido entrar? Os muros eram tão altos e cercados de equipamentos de segurança e os homens que Joe tinha contratado eram excelentes.

   - A senhora está bem? - Perguntou um dos seguranças mais velhos enquanto três deles cercavam o local. Demi assentiu um tanto tonta, deveria ser o susto por encontrar um desconhecido em casa.

   - Ligue para a polícia Jake. - Demi tinha os olhos arregalados ao ver o homem algemado e com cada um dos seguranças o segurando pelos braços. A câmera estava com o outro segurança que a checava concentradíssimo, e bem, os seus filhotes e Buffy vinham logo atrás aparentemente cansados de tanto correr e latir, mas eles não correram para lugar algum, sentaram-se de perna de índio perto dela e Demi os olhou com admiração. Ela se sentia protegida com a presença deles.

   - Por favor, não ligue, eu só estou trabalhando. - Pronunciou o homem completamente assustado. - A minha mãe está doente e a minha namorada está grávida, eu preciso de dinheiro, por favor, não ligue para polícia. - Porque uma voz dizia para ela acreditar no que aquele rapaz dizia? Ele disse aquelas palavras olhando nos olhos dela e pareceu ser tão sincero. - Eu não posso ser preso. - Murmurou e os seguranças pareceram desconfortáveis com o seu repentino interesse na história.

   - Senhora.. - Jaxon, o mais velho, moreno e alto a olhou como se pedisse permissão.

   - Soltem-no. - Disse com pesar. Não lhe parecia justo mandar alguém para a cadeia junto a criminosos sangue frio, era como se ela mandasse aquele rapaz que parecia ser tão jovem para a escola do crime. E o pior, se ele falasse a verdade? - Não invada mais a minha casa ou a de qualquer outra pessoa, se algum dos meus seguranças o ver rondar a minha casa, eu não vou hesitar em chamar a polícia. - Demi sustentou o olhar do rapaz e murmurou para que o desalgemassem.

   - Isso daqui fica comigo. - Disse o segurança ao tirar o cartão de memória da câmera do rapaz. Os próximos minutos foram silenciosos demais, Demi e os cães observavam o rapaz caminhar tenso ao lado dos três seguranças para fora da casa. Dificilmente a casa era invadida por paparazzos ou ladrões.

   - Não conte nada para Joseph, contarei pessoalmente. - A confusão e o desconforto de Jaxon era visível, mas era melhor ela contar, era capaz de Joe os demitir quando soubesse, ele ficaria tão nervoso e preocupado. - Qualquer coisa é só me chamar. - Demi mostrou um breve sorriso e caminhou de volta para casa seguida por Buffy e os filhotes, por Deus! Ela estava tão emocionada por eles terem a defendido. - Obrigada. - Ao chegar a cozinha, Demi agachou-se e abraçou Buffy calorosamente, e recebeu várias lambidas dele e quando o olhou nos olhos teve vontade de chorar. Ela o amava tanto, e era recíproco. - Eu te amo meu menino. - Sussurrou no ouvido dele e recebeu outra lambida. - Tudo bem, eu amo vocês também. - Gargalhar foi inevitável quando aquele tanto de cachorrinho aproximou-se dela com aqueles olhinhos brilhando. Eles eram a cara do pai! Por muitos minutos Demi brincou com eles recebendo tantas lambidas e carinho e em troca deu a eles algumas fatias de bolo como recompensa. Eram apenas filhotes alegres, Buffy era como eles quando chegou naquela casa, a princípio era tão tímido, mas não demorou dois dias para ele estar brincando com Oliver como se fossem amigos de longa data, e quando juntara com Dan bebezinho.. Oh! Eles colocavam fogo na casa.

Ficar sozinha não fora nada agradável, quando era hora do almoço, Demi apenas esquentou a lasanha e um pouco do empadão que fizera no dia passado e sentou-se a mesa. Mal tocara a comida, apenas a rolava no prato com o grafo pensando em tudo que estava acontecendo em sua vida. Tudo tinha mudado drasticamente, a alguns meses ela estava em turnê mundial, estava bem com Joe e com as crianças, mas aquelas malditas fotos e o seu medo bobo praticamente a destruiu.. Suicídio.. Ela tinha tentado se matar.. Que Deus tenha piedade de sua alma.. Massageando as têmporas, Demi acalmou-se e disse a si mesma que ela iria consertar toda aquela bagunça, até que o celular vibrou a despertando daqueles pensamentos.

"Obrigado por me barbear, as meninas estão me elogiando muito; ps. estou louco para te dar uns bons amassos.. e quem sabe nós não podemos praticar para fazer outro bebê daqui há um ano?.. até mais tarde minha princesa, não consigo parar de pensar em você!" - Ele tinha a feito rir e revirar os olhos de raiva, aliás, quem eram "As meninas"?

"Diga as meninas que você é casado e que a sua esposa é muito ciumenta." - Respondeu em poucos segundos, mas logo lembrou de acrescentar a parte que tinha a feito sorrir. - "Huuum.. Outro bebê? Prometo que podemos praticar... estou muito ansiosa. sinto sua falta :( " - A carência a abraçou com tanta força, ela queria estar com ele, nos braços dele onde se sentia a mulher mais segura de todo o mundo, não ali naquela casa vazia que fora invadida por um homem com uma câmera.. Pensar naquilo a deixou arrepiada.

   - Mamãe está aqui para te proteger meu amor. - Disse acariciando a barriga. Quando o celular vibrou novamente, Demi sorriu ao ler a mensagem de Joe. "Elas sabem que eu sou casado com uma mulher MUITO ciumenta, até mais ciumenta que eu. Também sinto a sua falta, estou contando os minutos para te abraçar... ps. marque a consulta, estou ansioso para saber se é uma menina ou um menino!" - Ele era tão ansioso, tão ciumento, tão apaixonado. E era apenas dela. Demi sorriu morrendo de vontade de abraçá-lo e dar muito amor para aquele homem. "Sara me atrapalhou.. Sim! Eu quero mais bebês!". Gargalhar foi inevitável, Demi acariciou a barriga e disse ao bebê que ele tinha um pai muito exagerado.

"Acho bom, posso ser muito ciumenta..! Ora, o nosso bebê nem nasceu ainda e você já quer mais? ps. MEU menino ciumento, também não vejo a hora de te abraçar... Quer uma menina ou um menino? ". Quando o celular vibrou mais uma vez, não era mensagem de Joe.. Porque diabos ela tinha ativado as notificações das redes sociais? Curiosa, Demi abriu o aplicativo do twitter e arregalou os olhos ao ver a quantidade de tweets! Por Deus! Parecia ter triplicado.. No trending topics o seu nome estava em primeiro lugar. Oh Deus! O que tinha acontecido? De cenho franzido e com muita coragem, Demi leu os primeiros tweets. Seus fãs! Eles estavam loucos atrás de notícias a seu respeito e a imprensa não parava de publicar matérias a respeito do coma.. Como ela resolveria aquelas questões? Precisava encontrar uma forma de agradecê-los por tudo que tinham feito, lembrara-se Demi do dia que ela deixara o hospital para ir para a clínica. O movimento era tão grande, havia milhares e milhares de pessoas que pareciam estar cansadas e nervosas a espera de uma notícia do seu estado de saúde. Mal pudera acenar, apenas sorriu de orelha a orelha em forma de um breve cumprimento e agradecimento. Ela devia uma explicação a aquelas pessoas.. Há dezoito anos fizera uma promessa, não era à toa que em seus pulsos tinha tatuado "Stay Strong", mas a partir do momento em que ingeriu uma única gota de álcool, a promessa tinha sido quebrada.. Ela não tinha sido forte o suficiente como tinha prometido.. As pessoas arriscavam palpites, inventavam matérias e as publicavam na capa dos maiores jornais dos Estados Unidos e do mundo sem um pingo de consideração. Consideração? Era o que jamais deveria esperar de qualquer pessoa.. Infelizmente as pessoas eram traiçoeiras demais.. Egoístas demais.. Importavam-se apenas com o seu, não com o do próximo.. E não era diferente com ela. Será que um jornalista tinha consciência da matéria que escrevia e publicava a respeito de um assunto tão sério como aquele que ela tinha vivido? Estar em coma não era brincadeira ou algo bonito, bem pelo contrário.. Alguns diziam que ela realmente tinha sofrido um inocente acidente "doméstico".. Outros diziam que ela tinha tentado suicídio.. esses estavam certo.. E já tinha aqueles que apostava, por Deus! Eles diziam que Joe tinha tentado matá-la. Quanta viagem! Demi preferiu apenas cumprimentar a todos com um simples tweet dizendo que estava tudo bem e que ela era grata a Deus e a todos que estiveram orando por ela, até que a mensagem dele chegou.

"Eu não sei.. Só quero que nosso pequeno tenha muita saúde, e você? Quer menino ou menina? ps. você não faz ideia de como eu quero apertar o seu bumbum!". Joe, o fanático por bumbuns e bebês! Demi apenas respondeu como ele, que também não sabia.. só queria que o bebê tivesse muita saúde, e que gostaria de apertar o bumbum dele também. A ideia de visitá-lo no escritório surgiu enquanto trocava a água e colocava comida para os filhotes e Buffy. Não seria ruim, aliás, seria ótimo! Demi estava louca para sair de casa e fazer algo interessante, estava farta de ser tratada como uma doente que só precisava de repouso. Talvez ela pudesse assar alguns pães de queijo e fatias de bolo, Joe adoraria.

O banho foi rápido, escolher uma roupa que foi complicado, mas como estava de dia, Demi optou por um vestido soltinho floral e sandálias. A maquiagem que escondia as suas sardas foi dispensada, passara um pouco de blush nas maças do rosto e arrumara os cabelos os deixando soltos e os partindo de lado. Os pães de queijo! Descer as escadas praticamente correndo era uma aventura que Demi não gostaria de experimentar de novo, mas chegara à cozinha a tempo de tirar a forma do forno. O cheiro era maravilhoso, cada bolinha de fundo achatado estada dourada e quentinha. Demi preparou uma pequena e sutil cesta aproveitando para ligar para um taxi enquanto o fazia. Logo depois subira para o quarto para conferir como estava e simplesmente adorou estar tão natural..

Não demorou muito para que o taxi chegasse. E bem, Demi não gostou nem um pouco de ser fotografada enquanto o adentrava e de ser seguida enquanto partia. Céus! O que ela diria a eles? A imprensa. O seu nome já rolava solto em assuntos tão absurdos que sentira ânsia de vômito só de pensar neles.. Se ela contasse, ou melhor, quando ela contasse que tentara se matar o mundo iria desabar. Iria fazê-lo só por seus fãs, pois se não fosse por eles, ela jamais faria.. Ela tinha que mostrar a eles que sempre existiria obstáculos e pessoas para desviarem-nos do caminho certo, eles só tinham que ser fortes para continuarem batalhando, o que não acontecera com ela que caiu na cilada de Alex como uma patinha boba.. Droga! Ela tinha perdido toda a vista fascinante da Califórnia pensando em besteiras.. Quando deu por si já estava em frente ao prédio gigantesco da NY Times com o taxista esperando que ela pagasse a corrida. Ao menos os paparazzis não poderiam invadir o prédio.. Bem, ela esperava que não.. Demi caminhou pelo hall sobre os olhares de todos e na primeira oportunidade que teve adentrou o elevador para o vigésimo sexto andar. A viagem ao andar onde Joe trabalhava estava a deixando tonta e enjoada, até quando finalmente chegou, Demi sorriu de orelha a orelha quando as portas se abriram e ele estava lá entre os tantos homens engravatados.

   - Ei! - Joe a puxou para fora do elevador antes mesmo que as portas se fechassem e a abraçou calorosamente. - O que você está fazendo aqui? - Perguntou a olhando ainda com ela nos braços.

   - Surpresa! - Demi forjou um sorriso inocente dando de ombros.

   - Adorável surpresa senhorita Lovato. - Joe deu um beijinho na testa de Demi e continuou a olhá-la apaixonadamente. Será que ela fazia ideia de que tinha belas sardas? - Quer juntar-se a nós para tomar café? - Ah não! Como ela conseguia ser tão fofa e sexy ao mesmo tempo? Estava corada! Simplesmente corada apenas por ver que praticamente todos funcionários daquele setor a olhava.

   - Eu trouxe pão de queijo e bolo. - Sussurrou apenas para que Joe pudesse ouvir, e como ela tinha imaginado, ele sorriu ao escutar "pão de queijo".

   - Eu vou tomar café com a minha menina, até mais tarde. - Demi acenou para os colegas de Joe e caminhou abraçada a ele sobre os olhares curiosos de tantas mulheres loiras, magras e altas.. Como ela deixara ele trabalhar ali? Ela era morena, baixinha e estava começando a engordar por causa da gravidez. - Stéfane, não passe nenhuma ligação, só se for emergência ou Sara. - Disse Joe a outra loira. Uma morena de cabelos loiros e olhos verdes! Ai meu Deus! - O que foi? - Ele perguntou com um sorriso bobo nos lábios enquanto destrancava a porta do escritório.

   - Não me lembro de ter tanta mulher aqui. - Murmurou adentrando o escritório que tanto conhecia.. - Joseph.. - Difícil foi conter o gemido quando Joe a abraçou por trás colando a boca ao pescoço dela para beijá-lo vorazmente.

   - Está com ciúme? - Sussurrou no ouvido dela e Demi teve que se controlar para manter-se sã. As mãos dele estavam nas suas coxas de baixo do vestido e corriam para lá...

   - Ciúme? De quem? -  A voz falha o fez rir, e Joe a virou para ficar de frente para ele.

   - Estou brincando meu anjo. Você está linda. - O elogio a fez corar e que ambos ficassem tímidos. Dessa vez foi Demi quem tomou iniciativa, aproximara dele um tanto sem jeito e repousou as mãos nos ombros largos, correu-as para o rosto e depois adentrou os fios de cabelo da nuca com as mãos automaticamente colando o corpo ao dele. Colocara-se na ponta dos pés para que a boca ficasse a altura da dele. Nenhuma palavra era capaz de expressar o que sentiam, a forma que eles se olhavam dizia perfeitamente como se amavam, ele a olhando com aqueles olhos de cor de mel e verde numa mistura linda, ela o olhando com os olhos tão femininos e meigos, tão amarronzados.. Os lábios finalmente se tocaram quando os braços deles envolveram o corpo pequeno repousando as mãos na cintura delicada. Provar da textura dos lábios macios era tão bom.. Eram tão quentes e saborosos.

   - Eu senti a sua falta. - Disse ainda com os lábios próximos aos dele.

   - Eu também senti a sua falta. - Um leve sorriso foi esboçado, então Demi o abraçou com força. Por mais que tinha sido apenas um susto, a invasão do rapaz com a câmera em sua casa a deixou tão assustada.. Depois veio aquelas reportagens da internet.. O alvoroço no twitter.. As lembranças do suicídio.. Alex.. - O que foi? - Perguntou quando eles partiram o abraço.

   - Nada.. - Demi arrumou uma mecha do cabelo atrás da orelha e forçou um sorriso ao olhá-lo. - Vamos tomar café? Você deve estar faminto. - Joe apenas assentiu enquanto ela o puxava pela mão para que eles pudessem se sentar no sofá, - Quantos minutos eu tenho? - O sorriso forçado estava nos lábios dela enquanto ela esvaziava a cesta.

   - O meu tempo é todo seu. - Disse a fazendo sorrir de verdade. - Pão de queijo e bolo.. Humm.. - Joe a beijou na bochecha e aguardou ansiosamente que ela o servisse com um pouco de suco de laranja e pão de queijo.

   - Eu os assei hoje, ainda estão quentes. - Os pães de queijo sumiram em um piscar de olhos assim como as fatias de bolo, eles conversavam sobre o bebê e assuntos aleatórios que os faziam rir tanto, Demi chegara ficar sem fôlego, não era à toa que Joe era o seu melhor amigo antes de ser o seu marido. Eles se divertiam tanto juntos com as coisas mais simples. - Acho que eu já vou, alguém precisa trabalhar. - Aquela carinha de cachorrinho triste não iria fazê-la ficar, nem os beijinhos que ele lhe deu no rosto e os múrmuros manhosos quando Joe repousou a cabeça em seu peito e a abraçou.

   - Fique, por favor. - Murmurou a olhando quando aqueles olhos lindos.

   - Joe, você precisa trabalhar, eu não quero que você tenha problemas com Sara. - Tudo bem, ela não queria ir. Ficar em casa sozinha não era a sua alternativa preferida.. Estava tão bom ali com ele, mas sabia que Joe tinha apenas vinte minutos de intervalo, e que já se passaram mais de meia hora.

   - Vamos fazer assim. - Disse depois de conferir a hora no relógio. - Você fica aqui comigo até às quatro e meia, e depois nós passamos para pegar as crianças na escola e vamos para casa, tudo bem? - A proposta era tentadora, mas será que não teria problema?

   - Você não tem reuniões hoje à tarde? - Perguntou agora deitando a cabeça no ombro dele.

   - Não, apenas uma papelada para revisar, nada importante, o resto vou fazer em casa. Você vai ficar? - Perguntou brincando com os cabelos dela.

   - Estou pensando. - Bem, ele tinha a convencido.. - Acho que eu posso cochilar nesse sofá enquanto você revisa a sua papelada. - Sono. Era a sua segunda vontade de grávida. Comer e dormir.

   - Tudo bem, você pode cochilar. - Joe se levantou para desligar o ar condicionado e abrir a janela em uma pequena brecha. A vista de Los Angeles era tão linda, e tudo melhorou quando ele sentiu os braços dela rodearam sua cintura como ela sempre fazia.

   - É tão lindo. - Disse fitando o horizonte da Califórnia. O céu estava tão azul, as nuvens pareciam flocos de algodão de tão brancas que estavam. A leve brisa no rosto e agora o corpo dele a abraçando por trás a fez se sentir tão viva e amada.

   - É muito lindo. - Joe roubou um selinho e logo a puxou para fora longe daquela janela. - Você está com muito sono, certo? - Perguntou sorrindo enquanto desabotoava o paletó e quando o tirou, desabotoou os primeiros botões da camisa. Demi assentiu com um sorriso sonolento nos lábios se espreguiçando.

   - O que você está fazendo? - Perguntou depois que ele folgou o cinto da calça e pegou os óculos de leitura e toda a papelada e o notebook os levando para o sofá.

   - Posso me deitar com você? - Demi o mediu de cima a baixo de sobrancelhas arqueadas e assentiu com um pequeno sorriso nos lábios.

   - Você vai conseguir trabalhar assim? - Estavam os dois no pequeno sofá. Demi deitada com a perna direita dele entra as suas e a cabeça escorada no abdômen forte.

   - Claro. Eu estou muito confortável, e você? - Perguntou a olhando rapidamente e Demi murmurou um sim brincando com os dedos na barriga dele. Estava tão gostoso ficar deitada daquele jeito, ela se sentia tão segura e sonolenta.. Dai as lembranças de mais cedo a assombrou..

   - Joe.. - Ronronou depois de longos minutos apenas pensando. Ele estava tão concentrado e tão sexy enquanto lia aquela papelada. - Hoje.. - Murmurou quando ele pediu que ela continuasse. - Um paparazzo invadiu a nossa casa. - Demi respirou fundo quando ele a olhou de cenho franzido. Oh droga! Porque ele a fazia se sentir como uma crianças amedrontada?

   - Meu Deus! - Joe se levantou exasperado com o olhar fixo ao dela. - Demetria! Você está bem? Ele te machucou? - Disse a medindo com os olhos.

   - Joseph, respira fundo. - Disse se sentando. - Eu estou bem, ele não me tocou.. Buffy e os filhotes estavam no jardim, eles não deixaram que ele chegasse perto de mim. Depois eu chamei os seguranças e disse para que ele não invadir mais a nossa casa. - Joe arqueou as sobrancelhas e cruzou os braços.

   - Você não chamou a polícia? - Perguntou como se não acreditasse no que ela dizia. Céus! Será que Demi tinha ideia do perigo que tinha corrido?

   - Não achei necessário. - Murmurou se encolhendo com o olhar dele. - Era apenas um rapaz, ele disse que a mãe estava doente e que a namorada estava grávida, ele não podia ser preso. - Disse tão tímida.

   - Demi.. - Joe fechou os olhos e tombou a cabeça para trás massageando as têmporas. E se fosse um ladrão ou um assassino? Um paparazzi conseguiu invadir aquela enorme casa rodeada de seguranças e os melhores equipamentos daquele país.. Por Deus! Joe não queria pensar no pior.. Mas se alguém machucasse Demi e o pequenino bebê? E as crianças? - Você está realmente bem? - Perguntou desistindo da ideia de dar uma senhora bronca nela.. Não queria que as coisas entre eles piorassem.. Mas que alguém seria demitido, seria..

   - Eu só fiquei um pouco assustada, mas estou bem. - Disse para acalmá-lo. - Desculpe contar assim, você tem que trabalhar e eu, droga, eu só atrapalho. - Demi calçara as sandálias e começara a arrumar a cesta. Iria embora, não queria atrapalhar mais.

   - Ei, não. - Joe levou a mão à cesta para soltar a dela e a puxou para o peito. - Tudo bem meu anjo, eu só não quero que você se machuque. - Disse a abraçando com força. Se ela se machucasse ele jamais se perdoaria. - Desculpa, eu só fiquei preocupado com você e com o nosso bebê. - Demi assentiu e aninhou-se ao peito dele ronronando que estava tudo bem.

   - Nós estamos muito bem, só estamos com fome de humm.. eu adoraria comer um pouco de brigadeiro e farofa de carne. - Demi o beijou brevemente e acariciou o peito dele o fazendo relaxar. - Não fica nervoso, por favor, não vale a pena. - Depois de um beijo e dos carinhos que ela fez em seus cabelos, Joe finalmente relaxou.

   - Tudo bem.. eu só pensei.. esquece, eu vou contratar novos seguranças. - Disse num murmuro e Demi assentiu.

   - Agora o senhor pode terminar com a sua papelada, eu prometo que vou ficar quietinha. - Joe sorriu de lado e beijou a bochecha dela.

   - Para a informação da senhora, eu já terminei com a papelada. - Demi sorriu quando ele a abraçou por trás e lhe beijou o pescoço. - Agora acho que mereço alguns beijinhos por ser um bom garoto.

   - Um bom garoto? Eu não sei.. - Demi o olhou de cima a baixo com um pequeno e malicioso sorriso nos lábios, logo eles riram e se beijaram enquanto caminhavam para o sofá. - Você vai amassar a papelada. - Ofegou quando ele a deitou no sofá derrubando a papelada.

   - Eu realmente não me importo. - A risada dela o fez mostrar um pequeno sorriso sem conseguir deixar de olhar para os belos seios. Ele os apertou e gostou quando ela gemeu o nome dele, outro aperto e então ele a beijou na boca enquanto descia a alça do vestido para tomar o seio na boca como queria fazer desde que ela chegara. A mão já trabalhava nas coxas grossas as apertando com vontade assim como a sua boca cobria o mamilo e o chupava.

   - Pensei que você queria apenas alguns beijinhos. - Provocou puxando os cabelos dele para que ele a olhasse.

   - Eu quero você. - Demi o puxou mais para si e lhe beijou a boca enquanto os seus dedos trabalhavam em desabotoar os botões da camisa. Ela já o tinha entre as pernas e arqueava a pélvis de encontro a dele. A sensação era tão boa, Demi podia gemer e sentir prazer sem mesmo tê-lo como queria.. Céus! E quando acontecesse.. Oh meu Deus! Seria tão maravilhoso. A carne macia do seio queimou e o gemido arrastado escapou pelos lábios dela quando a mão dele o apalpou e logo a boca o devorou com vontade. Aquilo era o paraíso! Demi apertou os cabelos da nuca dele com as mãos e o observou brincar com um seio, e depois com o outro sem se cansar, ele beijava um enquanto rolava o mamilo do outro com o dedão, apertava o outro e depois tentava o abocanhar sem sucesso.. - Estão maiores. - Disse fascinado os apertando como se os avaliasse. Realmente estavam maiores, mais pesados e pálidos com os mamilos amarronzados. - Linda! - Os lábios se juntaram os dela e Demi aproveitou que ele dera trégua e deixara os seus seios em paz para cobrir o corpo dele com o seu. Ela apertou o volume que roçava a sua perna e logo adentrou as calças com a mão para apertá-lo.

   - Não faz isso.. - Sussurrou com a voz falha e Demi o ignorou desabotoando a fivela do cinto e abaixando o zíper da calça. - Demi, nã.. - O gemido escapou pelos lábios dele quando a pequena mão agarrou a ereção e se movimentou de cima para baixo lentamente. - Bebê.. - A cabeça tombou para trás e os gemidos fugiram de seus lábios enquanto a observava. Ela o olhava de forma tão inocente subindo e descendo a mão em seu membro. - Vem cá. - Chamou a olhando com a visão meio turva. - Demi.. vem. - Chamou gemendo e ela pôs a perna direita entre as dele apertando a ereção quente contra a sua pele nua e cobriu a boca dele com a dela. - Oh Demi.. eu quero tanto você meu amor. - Sussurrou invertendo as posições agora ficando sobre ela. O beijo carinhoso fez com que Demi arrepiasse e com que o coração de Joseph acelerasse, ele a olhou nos olhos e sussurrou que a amava. Mais alguns botões e beijos apaixonados, e camisa de Joe estava no chão. Demi o abraçou envolvendo os braços no pescoço e fechou os olhos se preparando para tê-lo.. Joe acariciara as suas coxas com as mãos e logo afastara a calcinha para o lado e ofegou quando estava cada vez mais próximo dela.. Trocaram um beijo lento antes de fazê-lo, e assim que iriam fazer, o maldito telefone tocou.

   - Joseph.. - Choramingou Demi o olhando. Ele estava com a cabeça na curva do ombro dela tão frustrado.

   - Tudo bem. - Disse tomando coragem para olhá-la. - Parou de tocar. - Joe sorriu sem graça e ela o beijou deslizando as mãos pelas costas dele. - Eu amo você. - Tornou a sussurrar dando um beijo rápido nos lábios dela. Os dedos se enlaçaram e Demi suspirou ao senti-lo roçar a sua entrada. Diabos! Agora fora o celular de Joe que tocara!

   - Atende, pode ser importante. - Joe a olhou tão frustrado e Demi forçou um sorriso dando um selinho demorado nos lábios dele. Ela poderia esperar mais um pouco. Bem, os dedos corriam pelos cabelos dele enquanto ele deitava a cabeça no peito dela.

   - Daniel? - De repente ele estava sentado e tão pálido que Demi arregalou os olhos. - O que aconteceu com o meu filho? - Disse com a voz grossa e séria e o coração de Demi acelerou. O que tinha acontecido com o seu bebê?

Continua... Oi! Desculpem a demora para postar, a princípio eu não sabia o que escrever.. depois teve a faculdade, minhas aulas já voltaram, mas o capítulo foi fluindo conforme os dias se passaram, e então deu nisso.. espero que vocês gostem! Muito obrigada pelos comentários, e mais uma vez desculpem-me pela demora para postar! 

15 comentários:

  1. Omg oq houve com o Daniel??
    Sacanagem parar assim
    Postaa maiis

    ResponderExcluir
  2. Vish...o que será que aconteceu com o Dan...❤️❤️❤️❤️❤️❤️... Medo.
    Eita...joe e Demi bem na hora da pegação. Kkk...
    Amei tudo, capítulo pefeito
    Posta quando puder
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Amanda!! Como tu teve coragem de parar ai? Justo nessa parte? Meu deus vou morrer de ansiedade ate o proximo capitulo!! E a proposito esse capitulo ta lacrador, serio ta mtoo bom. Bjaao posta logo

    ResponderExcluir
  4. MEU DEUS EU TO MORRENDO AQUI
    Tantas emocoes pai amado,tadinho deles cara nunca conseguem transar kkkkkkk
    Q fofo o Joe com ciumes,é tanta carencia naquela casa mds,e um nais carente q o outro
    Mais q porra hein,como ele conseguiu entrar com tanto seguranca? Mutante? Eita caralho..
    Awnn q fofo a Demi com o Buffy e os filhotes *-* antes ela tinha medo deles mais eles sao demais
    Oq q aconteceu com o menino do patinho?? Mds como vc pode parar ai?quer me matar? Eu acho q tenha algo haver com o paparazzi so acho,mds to morrendo aqui porra
    Ta perfeito mds,e tanta perfeicao q nossa véi
    Posta Logo
    Xoxo

    ResponderExcluir
  5. MEU DEUSSSSSS!!!
    PQP ELES NUNCA CONSEGUEM TRANSAR AVE MARIA, JESUS DAI-ME PACIÊNCIA!
    IDSOKDSJDKS O que será que houve com o Dan?
    Vou ter que me aguentar até o prox capítulo iuejidjsdsk
    Posta logo, beijos.

    ResponderExcluir
  6. ME SEGURA!!!! eu surtei com essa quase transa deles skajdjd coitados, sempre tem algo para atrapalhar... desse jeito eles entram em greve de sexo e daqui a pouco chega a hora do bebê nascer e eles estão nessa seca kkkk
    eles trocando mensagens que coisa mais fofa *--*
    Quando o papparazzi estava na casa escondido eu lembrei da mulher de preto que sempre aparecia na frente da casa deles ajdjdns ainda bem que não fizeram nada de ruim, apenas umas fotinhas... já pensou se Joe e Demi decidem matar as saudades nos fundos da casa e esse homem tirar fotos?? Babado que ia ser!!!
    MDS Amanda o que aconteceu com o Dan?? Não me deixa morrer de curiosidade! Tadinho do Dan, espero que tenha sido algo sério pq senão eu vou ficar com raiva de terem atrapalhado o casal de se pegarem de jeito. Kkkkk
    Beijooos ♡

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mari me convida para ler seu blog pfv meu email é Celioalves142@gmail.com eu perdi minha conta e tou usando essa conta q é sem uso do meu pai

      Excluir
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    3. mari tua fic é a da sexologa? pq eu sou louca pela fic da sexologa só que quando vou entrar aparece permissão negada :/

      Excluir
    4. Mari gostaria de acompanhar a sua fic

      Novamente desbloqueia la plz ou me convida

      Excluir
    5. Me manda o email que eu add meninas :)

      Excluir
    6. andreina-santos97@hotmail.com

      Excluir
  7. capitulo perfeitoooooooooooo como sempre... o que será que aconteceu com o dan? #anciosa

    ResponderExcluir