22.5.17

Capítulo 40

Era uma noite de céu estrelado e nem mesmo o calor tinha dado trégua. Nova York seguia o mesmo ritmo de sempre: ruas movimentadas e iluminadas. A cidade não parava por um segundo. Motivo do qual os telefones da delegacia não paravam de tocar em pedidos de socorro e diferentes pessoas entravam e saiam daquele lugar a busca de respostas. Eram casos e casos, cada um com sua particularidade. E Demi duvidava que alguém ali estava envolvido com um assassinato misterioso como o de Jason. Há quanto tempo ela estava ali sentada no banco de madeira desconfortável? Era uma pergunta que nem ela mesma sabia responder, o tempo demorava a passar e o único conforto era o ombro de Selena.

   - Você pode ir para casa. – Disse Demi a Selena. Não era a primeira vez que ela dizia aquela frase, só que dessa vez um pequeno grupo de policiais passou correndo chamando a atenção de Selena que deu de ombros. – O Ed deve estar precisando da sua ajuda com as crianças. – Ela se ergueu e se espreguiçou.

   - Não vou te deixar sozinha. – Selena também esticou o corpo e respirou fundo cansada. O relógio marcava dez horas da noite. Era tempo demais naquele ambiente esperando por respostas. – Não quer ir para casa tomar banho e comer alguma coisa? – Perguntou, porém já sabia a resposta.

   - Eu não vou sair daqui enquanto o detetive Pine der as caras. – Disse determinada. Ela não sairia daquela delegacia sem Joe. – Eles não me escutam. – Sim, ela tinha tentado falar com a recepcionista para negociar a fiança ou qualquer coisa para liberar Joe, mas o pessoal sempre dizia que quem resolvia era Chris.

   - O que ele está fazendo de tão importante? – Desde a confusão que Joe tinha armado, Chris simplesmente sumiu para dentro da delegacia quando Jake foi finalmente atendido e voltou a consciência tão chato quanto o de costume. Ele era dramático e o pior inimigo que alguém poderia desejar. Joe estava encrencado e não era pouco, só de pensar na questão Demi massageou o cenho nervosa.

   - Eu não sei. – Disse pensando na possibilidade de ir à recepção tentar convencer a mulher que ali trabalhava, ela até mesmo lançou a mesma, mas desistiu quando a recepcionista sustentou o olhar dela que dizia claramente que não adiantava tentar, só o detetive para resolver. – Que droga! Por que os homens são tão.. – Começou a dizer apoiando a cabeça às mãos.

   - Você quer dizer: por que eles agem sem pensar? – Disse Selena arrumando o cabelo e Demi assentiu sem olhá-la. – Dem, eu também queria saber. – E como elas tinham presenciado nas últimas horas: o telefone tocou, um policial que comia donuts e bebia café atendeu e chamou mais dois que saíram às pressas.

   - Por que ele praticamente espancou o Jake? – Perguntou Demi porque até agora ela não sabia o real motivo para Joe ter chegado enfurecido daquele jeito e ter atacado, literalmente falando, Jake com murros e olhares de ódio.

   - Confesso que eu também queria bater no Jake, mas... Eu não teria coragem, e nem acho que violência resolveria mesmo com tudo que ele fez. – Demorou alguns segundos, mas Demi assentiu. Ela não gostava de violência, preferia deixar que a natureza consertasse as coisas na hora certa.

   - O Joe não é assim. – Disse Demi. Ela o conhecia bem o suficiente para saber que Joe era a pessoa mais tranquila e da paz que existia. – Aconteceu alguma coisa, eu posso sentir. Ele não é capaz de machucar uma mosca! – Demi cobriu o rosto com as mãos e antes que Selena pudesse dizer alguma coisa, ela se levantou e caminhou em direção à recepção.

   - Eu já disse e só vou repetir essa vez: só com o detetive. – Que droga! Desde quando a televisão era mais importante que cuidar dos interesses dos cidadãos? Demi cerrou os dentes e bateu os dedos no balcão chamando a atenção da mulher que respirou impacientemente a olhando.

   - Eu estou aqui desde as três da tarde! Eu não posso nem visitar o meu namorado? – Perguntou esperançosa. Ela não tinha tentado visitar Joe e estava preocupada porque a saúde dele era delicada. – Ele é diabético e hipertenso, eu posso levar alguma coisa para ele comer? – Insistiu porque a mulher nem mesmo respondeu a primeira pergunta e já olhava para o computador.

   - Só com o detetive. – Demi fitou os olhos castanhos cor de mel da mulher, umedeceu os lábios e quando ela dispararia muitas palavras desagradáveis, a mão ao ombro a assustou e só daí ela percebeu que Selena estava ali ao lado.

   - Você pode, por favor, nos informar onde está o detetive? – Perguntou Sel educadamente e Demi revirou os olhos fitando as pessoas sentadas que esperavam para serem atendidas.

   - Ele está interno, não temos informações de quando ele estará livre. – Era só o que faltava! Percebendo que Demi já estava sem paciência e não precisava muito para que ela fizesse um escândalo, Sel a puxou pela mão em direção à saída da delegacia para que elas pudessem tomar ar puro e ver as estrelas.

   - Não fica preocupada, vai dar tudo certo. – Disse Sel sentando-se ao banquinho de concreto que ficava próximo do jardim.

   - Sel, ele foi preso. – Demi murmurou tão desanimada e triste. – Está desempregado e o Jake vai fazer um inferno na nossa vida. – Os olhos estavam marejados e Demi se permitiu derramar as lágrimas que tinha guardado durante semanas e semanas. – Eu estou cansada disso, quando vou ter paz na minha vida? – Perguntou limpando as lágrimas e Selena a puxou para um abraço apertado.

   - Eu sei que as coisas estão ruins, mas Dem, a gente não pode desistir. – Disse Sel e Demi repousou a cabeça no peito tentando se acalmar. Será que eles se faziam de desentendidos? Ela tinha os colocado numa situação tão complicada. Jake poderia demiti-la, demitir Selena e demitir Ed. Todos estavam no mesmo barco e a culpa era todinha dela.

   - Eu não sei o que fazer, sinceramente. – Disse se erguendo. – Ele está lá, numa cela morrendo de fome e frio! Ele não pode passar por esse tipo de situação! Meu Deus! Vocês deveriam desistir de mim, sabia? Os seus pais devem estar preocupados. Sel, vai para casa, eu me viro. – Selena revirou os olhos e quando fitou os olhos de Demi, limpou as lágrimas que rolavam pelo rosto dela.

   - Eu não vou a lugar nenhum. – Selena cobriu a mão de Demi com a dela e enlaçou os dedos. – Deixa de falar besteira, todos nós temos problemas, e não é por isso que as pessoas devem deixar te ter amigos. Jamais vou desistir de você, assim como eu sei que você não vai desistir de mim. Eu te amo, e nós vamos enfrentar o Jake e o mundo juntas como sempre fizemos! – Demi abraçou Selena com força porque era realmente como elas faziam: juntas. Não tinha ninguém que conseguia combatê-las, tudo dava certo e sempre seria daquela forma.

   - Eu sou a maior furada, você deveria desistir enquanto há tempo. – Sel riu e colocou uma mecha do cabelo de Demi atrás da orelha. – E eu também te amo, e muito! – Disse e esboçou o primeiro sorriso verdadeiro daquela noite.

   - Deixa de bobeira. – Dessa vez quem deitou a cabeça foi Selena no ombro de Demi. – Vamos comer? Se a gente ficar parada esperando o tempo passar vai demorar muito.

   - Você está sugerindo que a gente saia para comer? – Demi moldou os lábios numa linha. A ideia não parecia nada boa. – Eu não vou deixar o Joe sozinho, e eu nem estou com fome, Sel. – Disse antes mesmo que Sel começasse a falar.

   - Tem fast food aqui perto, nós fazemos o pedido e voltamos para cá. – Demi fitou os olhos de Selena e negou balançando a cabeça, ela não queria perder a oportunidade de falar com Chris e consequentemente de tirar Joe daquela delegacia.

   - Você se importa de ir sozinha? – Perguntou um pouco sem jeito. – Eu não vou sair daqui, não sem o meu Joe. – Quando o vento soprou, Demi sentiu arrepios e se abraçou passando as mãos nos braços para esquentá-los.

   - Tudo bem, trarei comida para você. – Não era uma boa escolha ficar tanto tempo sem comer mesmo estando sem fome. E Selena sabia que Demi prolongaria a tortura até que conseguisse o que tanto queria: que Joe fosse solto. – Nada de ficar preocupada, não fará bem para sua saúde, e por favor, não vá a recepção. – Demi assentiu sorrindo enquanto se levantava junto com Selena. Ela não perturbaria a recepcionista, pelo menos tentaria não perturbá-la..

   - Tenha cuidado. – Disse segurando as mãos de Selena com as dela e a olhando nos olhos. – Desculpa por não ir com você, eu só quero estar aqui para resolver essa confusão quando o Chris aparecer. – Selena assentiu. Caso Ed estivesse no lugar de Joe, ela também faria o mesmo.

   - Você quer que eu busque alguma coisa no seu apartamento? – Perguntou colocando uma mecha do cabelo de Demi bagunçado pelo vento atrás da orelha.

   - Não, eu estou bem. – Trocaram sorrisos e olhares confidentes antes de se abraçarem com força. Demi franziu o cenho quando Selena virou as costas depois que acenou. Era para Sel estar sossegada em casa junto com a família, Ed e as crianças, mas lá estava ela se aventurando no mundo. Já Selena estava preocupada e cansada. A situação de Joe era complicada, e ele realmente tinha a assustado.
Andar sozinha à noite exigia muita atenção e prudência. Mesmo com as ruas movimentadas e iluminadas, Selena caminhou em direção ao carro estacionado na rua de cima sempre prestando atenção em todos os elementos que a rodeava porque estava ficando tarde e consequentemente perigoso. Aquela parte da rua estava mais vazia e Sel só teve paz quando adentrou o carro e o trancou. O motor logo estava ligado e para sair com o carro deu um pouco de trabalho uma vez que o carro da frente e o carro da trás quase não deixaram espaço, mas assim que guiou o carro para fora da vaga, Selena mapeou todos os lugares onde ela poderia comprar comida naquela hora da noite. E era Nova York, ou seja, a lista de restaurantes, fast food e outros era enorme.

“Jake Gyllenhaal foi levado à delegacia central de Nova York onde permanece até agora. A população está ansiosa para saber se o herdeiro da Gyllenhaal é também o assassino do avô.”.

Era aquilo que passava no rádio? Franzindo o cenho, Selena sincronizou em outra rádio. Ela estava cansada de ouvir o nome de Jake e de toda a história. Todos mereciam paz, principalmente Joe e Demi!

“Os vídeos íntimos da designer Demi Lovato com o presidente da Gyllenhaal, Jake Gyllenhaal circulam na internet desde o início da semana. Os amantes seguem na delegacia da cidade em depoimento para o caso Jason Gyllenhaal”.

Vídeos íntimos? O carro morreu quando Selena relaxou o corpo no banco do carro e fechou os olhos cobrindo o rosto com as mãos. Aquilo explicava muita coisa! Principalmente o motivo de Joe estar preso por ter batido em Jake. Só podia ser brincadeira. Como diabos? De cenho franzido Sel voltou a dar partida no carro quando as buzinas soaram, e por precaução, ela preferiu estacionar o carro naquela área da cidade. Dirigir por mais tempo só a complicaria.

“O que acontecerá com Jak..”.

Não! Já chega de ouvir falar naquele nome! Selena desligou o rádio e repousou a cabeça no volante tentando manter a calma. Demi não merecia passar por aquilo. Era tão injusto e covarde. Jake não era nem um terço do que ela imaginava, ele era mil vezes pior e só de pensar em vê-lo, Selena sentiu arrepios. Sorte era que ele estava preso na delegacia assim como Joe. Com as fitas na delegacia, o habeas corpus foi suspenso até segunda ordem.

   - Respira, respira.. – Sel sussurrava para si mesma tentando manter o controle. Ela estava tentando disfarçar e controlar da melhor forma que conseguia, mas quando estava sozinha não tinha como negar: Jake a aterrorizava. Pensar no sorriso sarcástico, nos olhos azuis e nas mãos dele tentando tocá-la era horrível. O coração de Selena acelerou a assustando que foi preciso que ela saísse do carro antes mesmo que o ataque de pânico se agravasse. – Respira. – Disse a si mesma quando se recostou na porta do carro. Estava tudo bem, não precisava se afobar. Aos pouquinhos o som dos carros, a luz dos estabelecimentos e as pessoas passeando a tranquilizou. Ela não estava sozinha e Jake estava preso, não tinha como ele assediá-la e ameaçá-la.

   - Selena? – André era definitivamente a melhor pessoa que Selena poderia ter encontrado. E se ele não estivesse noivo, e se Demi não estivesse com Joe, bem, Sel juntaria aqueles dois. Sel colocou um sorriso no rosto quando percebeu que estava em frente à pizzaria de André. Ela até mesmo conseguiu respirar aliviada porque estava segura. – Está tudo bem? – O barulho da pizzaria era incomodo e o lugar estava realmente lotado! Aos poucos André se aproximou estudando detalhadamente o estado de Selena. Ela estava assustada e em estado alerta.

   - Está! – Disse fitando os olhos do ex-namorado de Demi. – Eu.. eu só.. Eu estou procurando um lugar para comprar comida. – Selena olhou para dentro da pizzaria e o estomago roncou quando ela viu os garçons servindo as mesas com pizzas quentinhas e saborosas. Ela precisou de alguns segundos para organizar os pensamentos e teve que forçar um sorriso para André que a guiou para dentro da pizzaria.

   - Pizza por conta da casa. – Sel não teve tempo para responder André, ele a guiou para dentro da pizzaria tendo que segurar a mão de Selena para que ela não se perdesse. – Onde está a sua alma gêmea? – Aquela área deveria ser restrita apenas para funcionários e Selena corou quando André lhe entregou uma touca para o cabelo já que o pessoal trabalhava nas pizzas a todo vapor.

   - Um? – Murmurou Sel quando eles atravessaram aquela área da cozinha para um ambiente mais sossegado. – Alma gêmea? – Ela perguntou tirando a touca e se sentando ao banco em frente ao balcão.

   - Demetria. – André sorriu ao falar o nome de Demi. Era incrível como Demi e ele mantinham o mesmo carinho de sempre sem resentimentos. – Vocês estão grudadas desde sempre, é estranho encontrar uma sem a outra. – Ah! Praticamente todo mundo dizia aquilo. Sel sorriu desviando o olhar de André. De tão grudada que ela e Demi eram, Selena já tinha segurado tanta vela para amiga e o ex..

   - Você leu o jornal de hoje? – Perguntou Sel com um pouco de receio e André negou prontamente. – Assistiu à televisão? – Tornou a perguntar e André negou. – Nem ouviu rápido?

   - Não, eu estou sem tempo para essas coisas. – O rapaz buscou por uma garrafa na geladeira e copos limpos no armário para servi-los com suco. – A pizzaria só abre depois das sete e meia, e durante o dia eu estou trabalhando nos detalhes finais da minha casa. – Demi tinha comentado sobre o noivado de André e a aliança grossa no dedo dele deixava muito bem claro que ele estava comprometido.

   - A Demi está na delegacia. – Disse depois de bebericar o suco e ela observou quando André empalideceu de preocupação. Contar toda a história levou tempo, e durante esse tempo a pizza de Selena era feita por um dos funcionários da pizzaria e de onde ela estava, era possível ver todo o movimento na cozinha.

   - O namorado da Demi bateu no Jake? – André tinha um sorriso de lado super satisfeito com as porradas que Jake tinha levado. Ele mesmo daria uma lição em Jake caso o encontrasse.

   - Dentro da delegacia. – Murmurou Selena porque ela não gostava nada da situação. – Ele está preso. E a Demi está na delegacia esperando por notícias, ela não vai sair de lá sem o Joe, tentei convencê-la de todas as formas a ir para casa tomar banho e comer, mas nós dois sabemos como ela pode ser teimosa. – André assentiu sorrindo. Se tinha alguém que era realmente teimoso, aquele alguém era Demi.

   - E você saiu para buscar comida. – Selena assentiu balançando a cabeça, e ela agradecia mentalmente André por ter a servido com queijo e biscoitos. – Você sempre está cuidando dela. – Comentou sorrindo e Sel tornou a assentir. – É uma situação complicada. Quando encontrei a Demi semanas atrás chorando porque tinha descoberto da pior forma que o cara era casado, eu não imaginei que ele poderia ser tão perigoso. – Disse levando a mão ao cabelo. André sabia mais que ninguém que Demi não merecia passar por aquela situação embaraçosa, ela era mulher de alma tão pura que só queria ser amada.

   - Eu sei, está tudo complicado. – Ela não comentaria sobre os supostos vídeos íntimos de Demi com Jake, pois se André não sabia nem mesmo de toda a repercussão envolvendo o assassinato de Jason e o caso de Demi e Jake, ele não precisava saber daquele detalhe...

   - Você quer mais suco? – Selena negou balançando a cabeça e antes mesmo que ela pudesse comentar mais sobre Demi, uma mulher adentrou o refeitório e pelo sorriso de André e a aliança no dedo dela, Selena soube que se tratava da noiva.

   - Boa noite. – Era uma ruiva da mesma estatura de Selena e de hipnotizantes olhos azuis esverdeados. E o sorriso dela era tão feliz quanto o de André. Selena sorriu quando ela se aproximou de André e estendeu a mão para que ela pudesse apertá-la em forma de cumprimento. – Oi! Jessica. – Apresentou-se e Selena sorriu apertando a mão de Jessica. A noiva de André não precisou fazer mais nada além de sorrir para conquistar o respeito de Selena.

   - Selena. – As duas sorriram e André riu um pouco sem jeito as fazendo rir também.

   - Já que vocês se apresentaram. – André sorriu para a noiva e logo para Selena. – Jessy, a Sel é uma velha amiga. E Sel, essa é a minha noiva. – As duas assentiram sorrindo e um funcionário chamou por André informando que a pizza especial estava pronta.

   - Eu já vou. – Disse Sel se levantando. Ela já tinha tomado muito do tempo de André e Demi deveria estar preocupada.

   - Eu estou pensando. – Disse André chamando a atenção das duas mulheres que o acompanhavam em direção a cozinha. – Você precisa de uma advogada, certo? – Selena assentiu entendo o que ele queria dizer. Se Joe quisesse sair logo da cadeia, ele precisava de um bom advogado já que além de bater em Joe, tinha feito a besteira de ter o feito dentro da delegacia. – E você é advogada. – Disse a Jessy que assentiu.

   - Recém-formada. – Disse Jessy e André assentiu calado checando se a pizza de Selena estava nos conformes.

   - Amor, você se prepara para defender o seu primeiro cliente.


***

Onde Selena estava? A perna direita não parava de tremer. A bateria do celular estava esgotava e na televisão não passava nada de bom. Seria mais interessante se estivesse num canal de desenho animado, tudo bem que assistir a receitas não era ruim, mas nada se comparava a desenho. Era tão divertido assistir qualquer animação. Demi se perdia naquele mundo apaixonada em como as formas e as cores modeladas trabalhando com a criatividade e bom humor resultavam em algo incrível como um bom desenho animado. E não importava a quantidade de vezes que ela assistia Tom & Jerry, As aventuras do Batman, A liga da justiça ou qualquer outro, sempre seria divertido. Emburrada, cansada, preocupada e com fome, Demi cobriu o rosto com as mãos e respirou fundo e ficou daquele jeito por pelo menos trinta segundos. Da última vez que ela tinha visto a hora no celular, eram onze e quinze da noite. Selena não tinha dado notícia e Chris não tinha saído nem mesmo para buscar um café. Não era possível visitar Joe e ela estava preocupada com a saúde dele. Será que a comida era adequada para um diabético hipertenso? Aliás, será que ao menos havia comida e um lugar para recostar? E se ele passasse mal? O pessoal da polícia levaria o rapaz ao hospital? Que droga, que droga! Ela resmungou baixinho deixando as lágrimas rolarem. Era hora para Selena sumir e Joe estar preso? Mais lágrimas rolaram e Demi tombou a cabeça para trás a repousando na parede. Aos poucos ela abriu os olhos para fitar o teto ainda chorando. Estava sozinha e aquilo era horrível. Era como nos velhos e impiedosos tempos quando Dianna e Amélia viviam para movimentar o negócio e ela não tinha amigos, carinho e nem nada do tipo.

   - Srta. Lovato. – De onde diabos ele tinha saído? Demi umedeceu os lábios e limpou as lágrimas quando ergueu a cabeça e se deparou com o detetive Pine. Ele estava com as mesmas roupas e parecia tão cansado e sério. – Me acompanhe. – A voz dele soou grossa e não havia nenhum traço de felicidade nas feições bonitas de Chris. Ele chegava estar rígido andando a passos rápidos a frente de Demi. E infelizmente ele a guiava pelo mesmo caminho de mais cedo: a sala do interrogatório.

   - Onde está o Joe? – Perguntou Demi assim que Chris abriu a porta da maldita sala de mais cedo dando passagem a ela.

   - Nós não estamos aqui para isso. – Ele foi tão ríspido que Demi engoliu em seco. E felizmente ela não estava sozinha com o detetive. Havia um homem sentado à mesa e sobre ela estavam o notebook e outro aparelho que Demi não sabia a utilidade.

   - Eu só vou responder às perguntas se você soltá-lo. – Ela tinha pisado na bola. Oh sim, Demi sentia que tinha feito besteira. Chris não disse uma palavra, ele indicou a cadeira para ela se sentar e se acomodou na mesma cadeira de mais cedo que ficava em frente a de Demi.

   - Não funciona assim. – Ele queria assustá-la? Chris tirou o coldre o repousando sobre a mesa com as armas acopladas. – Nós examinamos as fitas e os CDs do escritório do Jake Gyllenhaal. – O jeito que ele disse foi tão frio e receoso que Demi engoliu em seco com medo do que estava por vir. Porém ela não deixou de pensar que não tinha nada que a envolvesse naquela parte. As informações coletadas pela polícia não eram confidenciais? – O material foi encontrado junto com estimulantes sexuais no mesmo lugar onde você descreveu. – Ele disse e foi tão constrangedor. Demi sentiu as bochechas corarem levemente, mas ela fez de tudo para focar em manter a postura. – O que posso revelar é que o conteúdo envolve você e algumas funcionárias da Gyllenhaal. – Mordendo o lábio inferior e colocando uma mecha de cabelo atrás da orelha Demi fitou os olhos azuis de Chris, e ele umedeceu os lábios dele e apoiou os cotovelos a mesa. – Os vídeos. – O homem se apresentou como Andy e ele era quem cuidava da parte da perícia na parte da informática.

O silêncio absoluto na sala era tão insuportável que Demi se acomodou algumas vezes a cadeira impaciente enquanto Andy selecionava os vídeos para mostrá-la. Então o primeiro vídeo começava com um peitoral que ela conhecia muito bem, alguns segundos depois Jake mostrou o rosto à câmera e se curvou novamente para ajustar dessa vez o foco já que quando ele voltou para o ângulo da filmagem a imagem estava melhor e focava nele. Houve um corte e depois o vídeo que iniciou era de Jake novamente ajustando a câmera e quando tudo ficou escuro novamente, Demi franziu o cenho. Que péssimo editor Jake era, e por diabos ele tinha aqueles vídeos? Alguns segundos depois a porta do quarto foi aberta e o coração de Demi quase parou quando ela percebeu o que acontecia.


Ele não tinha feito aquilo. Conforme os minutos se passavam ela percebia que ele realmente tinha feito, e no vídeo ela estava entregue nos braços dele sem perceber o que acontecia. Não tinha como saber! Deus! Era tão complicado confiar nas pessoas, e para conseguir viver em meio social era necessário confiança, compreensão e uma série de outras coisas similares. Jake tinha passado de todos os limites e Demi já tinha lágrimas nos olhos, as bochechas estavam coradas e ela pediu que Andy pulasse a parte principal do show.. Como diabos ele pode ser tão covarde e invasivo? Aquele não era o único vídeo de sexo que Jake tinha gravado. Ele tinha pelo menos três vídeos de diferentes noites com ela e Demi se sentia violada e envergonhada. Chris tinha assistido e Andy também. Ela mal conseguia olhá-los e a vontade era de sumir.

   - Por favor, já deu. – Demi cobria o rosto com as mãos e respirava fundo sem saber o que fazer. Ela estava com tanta vergonha que se sentia deslocada e de mãos atadas.

   - É você aqui? – Por que Chris insistia em continuar? Demi sentiu todo o corpo pesar e por um pouco ela não caiu de tão preocupada e tonta que tinha ficado com a possibilidade de existir mais um vídeo. Porém o que Chris mostrava era a imagem de um vídeo pausado onde Jake aparecia novamente em uma cena de sexo, porém ele não filmava o rosto da mulher e nem o dele, o único detalhe perceptível da cena era as roupas jogadas no chão e o colar de ouro com um pingente de joaninha no pescoço da mulher.

   - Não. – Ela disse depois de estudar o vídeo pausado. E uma coisa era certa, naquele dia Jake estava na Gyllenhaal, especificamente no departamento de Designer. Demi conhecia perfeitamente cada lugar daquele departamento para saber que ele tinha/estava dormindo com mais uma mulher da empresa.. Pena que o vídeo não revelava muitos detalhes. – É tudo? – Ela perguntou sem conseguir olhar para nenhum dos dois homens.

   - Srta. Lovato, o meu objetivo não é constrangê-la ou submetê-la a situações desagradáveis. – O detetive começou a dizer e Demi estava desanimada e para baixo o suficiente para não fazer piada ou simplesmente arquear uma sobrancelha. – É uma investigação de um assassinato. Não posso revelar mais informações sobre o conteúdo das fitas. O que a Srta. deve saber é que realmente ajudou bastante no caso. – Ajudar no caso tinha a machucado tanto, Demi preferia fitar a mesa a fitar os olhos de Chris. – Jake Gyllenhaal ainda não pode ser acusado do assassino do avô, mas o conteúdo desses vídeos é o suficiente para que ele tenha problemas com a justiça. Demi, ele não filmou apenas você. – Chris levou arrumou o cabelo e respirou fundo trocando um longo olhar com Andy. – São muitas horas de gravação e o que posso dizer é que ele tem filmado algumas das suas colegas de trabalho sem o consentimento delas. E alguns desses vídeos estão circulando na internet, os seus. A nossa equipe está trabalhando em tirar o conteúdo do ar o mais rápido possível. – A súbita tontura a pegou desprevenida e se o detetive não tivesse se apressado em segurá-la, Demi teria caído da cadeira. Agora as perguntas dos repórteres mais cedo faziam sentido. Como se não bastasse existir aqueles vídeos, Jake ainda tinha os jogado na rede e Demi tinha certeza que ele tinha feito para se vingar por conta do término.

   - Está na internet? – Ela perguntou mesmo mole e o olhar mortal que Chris lançou a Andy foi o suficiente para que ele se levantasse às pressas para buscar um copo com água para Demi.

   - Nós já estamos cuidando disso. – Não importava. Demi se ajeitou na cadeira e fitou um ponto qualquer da sala ignorando a presença de Chris. O estrago já tinha sido feito. Por um pouco ela perdeu Selena, Joe e Ed. Foi enganada pela própria mãe. Dormiu com um homem casado. A reputação estava arruinada. E para completar existia vídeo onde ela fazia sexo com Jake circulando por toda internet. Não dava para consertar aquilo. As pessoas estavam vendo e as notícias correndo. Tirar um conteúdo da rede era praticamente impossível! Existiam milhares e milhares de computadores em todo o mundo e a policia de Nova York não daria conta de acabar com aquela porcaria.
   - Nós terminamos? – Perguntou indiferente sem olhá-lo e sem saber como faria dali em diante. Ela estava com vergonha e planejava passar pelo menos a próxima década confinada dentro do apartamento. Não era uma escolha ruim, sozinha ela não teria problemas e não prejudicaria ninguém.

   - Terminamos. Vou mantê-la informada. – Ela nem mesmo assentiu ou disse qualquer palavra, e se tivesse coragem, pediria Chris para não olhá-la porque o olhar dele a constrangia muito. – Vou soltar o seu namorado. – Ele realmente estava com pena dela? Demi não disse nada. Ela se levantou e caminhou em direção a porta sem esperar por Chris. Se fosse minutos atrás, ela estaria feliz porque poderia ir para casa com Joe, mas agora.. Como ela iria olhá-lo? Era tão embaraçoso e agora ela sabia o porquê de Joe estar tão furioso quando chegou a delegacia, aliás, todos deveriam saber.. – O Jake ficará preso, e provavelmente a justiça o afastará do cargo da Gyllenhaal. – Demi não disse nada, não o olhou e nem mesmo assentiu. Ela continuou caminhando a passos rápidos e Chris tentava acompanhá-la. – Demi, nós não vamos permitir que ele fique impune. Vocês vão poder trabalhar em segurança, eu prometo. – Ele tinha a tocado no braço e mesmo assim Demi não o olhou. E foi difícil olhar para qualquer coisa além do chão quando ela percebeu que não estava mais sozinha com Chris. A recepção da delegacia como sempre estava cheia e receber todos aqueles olhares era como despi-la e constrangê-la ainda mais.

    - Demi? – Ouvir a voz de Joe foi como tomar um soco no estomago. E junto com ele estavam Selena, Ed, André e Jessy. Demi derramou algumas lágrimas sem conseguir olhar para o namorado e aos poucos ele se aproximou e a abraçou com força contra o peito. – Está tudo bem, meu anjo. – Não, não estava! Ela não sabia o que fazer, optou por ouvir o coração de Joe bater e chorar com o rosto contra o peito dele sem coragem para olhá-lo ou até mesmo falar. Já Joe sabia que deveria respeitá-la e era o que ele faria, por isso ele não exigiu palavras ou gestos dela, deixou que Demi chorasse e se agarrasse a ele como uma criança com medo.

   - Eu não esperava por isso. – Comentou Selena observando Demi e Joe abraçados. – Eu estou preocupada com ela. – Disse para Ed que a abraçava por trás. Ele assentiu porque também estava preocupado com Demi e com Joe.

   - Eu quero falar com ela, mas.. – Disse André e Selena o olhou nos olhos. Eles sabiam como Demi se armaria e a única saída era dar tempo ao tempo, por isso André assentiu angustiado. – Eu quero esganar esse filho da puta. – André estava nervoso e Jessy o abraçou de lado para acalmá-lo, porém ele tinha dito alto demais e Chris já se aproximava.

   - Jéssica Orlando. Advogada. – Jessy se apresentou esboçando o seu simpático sorriso e estendendo a mão para o detetive que a apertou por educação. – Meu cliente responderá em regime aberto, toda a documentação já foi enviada ao seu escritório. – Chris assentiu. Não tinha como livrar Joe daquela, provavelmente Jake entraria com um processo contra o rapaz mesmo na situação que ele estava.


   - Ela precisa se alimentar e descansar. – Disse Chris a Selena antes de pedir licença para atender um caso. Estava realmente tarde e todos precisavam descansar. O detetive tinha uma lista com nomes e o de Dianna era o próximo da lista de depoimentos. A mulher estava encrencada porque ela também estava entre os vídeos de Jake e a polícia era ciente do caso dela com o mesmo. André e Jessy tinham feito o possível para ajudar Joe assim como Ed e Selena tinham feito. Joe e Demi caminharam lado a lado de mãos dadas para fora da delegacia, mas tinha sido apenas aquilo. Joe a respeitava e Demi preferia se isolar por motivos óbvios.

   - Obrigada pela ajuda. – Percebendo que Demi continuaria calada ao lado e sem olhá-los, Joe preferiu sozinho agradecer André e Jessy. – Eu realmente não saberia o que fazer sem a ajuda de vocês. – Disse fitando os olhos de Jessy para depois os de André. – Por favor, qualquer coisa que vocês precisarem e se estiver ao meu alcance, é só entrar em contato. – André assentiu apertando a mão de Joe. Ed observava Joe como um pai orgulhoso do desempenho do filho. Era definitivamente um avanço se tratando de Joe, ele não tinha embolado para falar com Jessy e tratou André como o amigo de Demi, não o ex. Então eles se despediram e sobrou apenas os quatro: Demi, Joe, Selena e Ed.

   - Eu estou de carro. – Disse Ed a Joe. – Se quiser, posso te emprestar o carro, eu vou para casa com a Sel. – Ele disse enlaçando os dedos aos da namorada e a puxando mais para ele.

   - Tudo bem? – Joe perguntou fitando os olhos de Ed que assentiu. Estava tarde demais e tudo que ele queria fazer era ir para casa com Demi. – Eu não vou para Gyl.. empresa amanhã, como nós fazemos? – Ele estava desempregado, e se não se importava com as ameaças de Jake. Nova York era uma cidade enorme, alguma coisa ele encontraria.

   - Nós combinamos amanhã depois do almoço. – Disse Ed e Joe assentiu brincando com os dedos de Demi.

   - Obrigado por tudo. – Disse Joe a Ed e Selena. E ele fez questão de abraçar Selena e Ed, sem eles, tudo seria muito mais complicado e complexo.

   - Cuida dela, e não força a barra. – Ed aproveitou para sussurrar aquelas palavras enquanto ainda abraçava Joe, e Selena aproveitou para se aproximar de Demi.

   - Posso dormir com você hoje. – Disse Sel buscando pela mão de Demi para segurá-la, e não houve protestos e muito menos olhares. – Nós podemos dormir de conchinha. – Demi sempre sorria e entrava na brincadeira, mas dessa vez ela negou balançando a cabeça e fitando o chão. – Ei, tudo vai ficar bem, sempre estarei aqui para cuidar de você.

   - Eu também, Sel. – Demi não a olhou nos olhos, abraçou Selena quando foi abraçada e por um pouco voltou a chorar.

   - Tem certeza que não quer que eu durma com você? – Perguntou Selena desfazendo o abraço e Demi negou balançando a cabeça. – Qualquer coisa é só ligar. – Disse e Demi assentiu cabisbaixa. Ed tentou animá-la, mas tudo que ele conseguiu foi um abraço de despedida assim como Selena.


   - Quer ir para o seu apartamento ou para o meu? – Enfrentar Selena ou Ed era uma coisa, mas enfrentar Joe era outra completamente diferente. Eles tinham acabado de adentrar o carro de Ed e Joe já conduzia o veículo para longe da delegacia.

   - Para o meu. – Ela murmurou arrumando a saia ao corpo e Joe arriscou olhá-la rapidamente já que naquele horário o trânsito estava tranquilo e quase não tinha carros e pedestres nas ruas. – Você pode descansar, eu vou ficar bem sozinha. – Ele não esperava que ela dissesse aquilo. Joe pensou no que poderia dizer enquanto dirigia. Ele não queria que Demi se fechasse com ele, não tinha necessidade.

   - Eu quero ficar com você, tudo bem? – Por que ela não o olhava? Joe franziu o cenho quando arriscou olhá-la e encontrou Demi fitando o colo e tão tensa que chegava ser desconfortável olhá-la. Ela não disse nada e ele também não. O silêncio dela era insuportável e a situação desagradável, Joe não estava feliz com toda a indiferença de Demi e resolveu encostar o carro sem nem mesmo saber onde estava, provavelmente não tão longe da área que moravam, ele só precisava resolver a situação. – Você não vai falar nada? – A voz dele soou grossa, não tinha sido proposital e ele não queria intimidar a namorada que respirou fundo ainda sem coragem de olhá-lo nos olhos.

   - Está muito tarde, você precisa comer e descansar. – O que era aquilo? Demi tinha falado tão baixinho que se o silêncio no interior do carro não fosse absoluto, não teria como ouvi-la.

  - A única coisa que eu preciso agora é entender o que está acontecendo com você para tentar te ajudar. – Ele disse sem rodeios e levou a mão até a dela que não fez nada. Foram minutos e mais minutos daquele jeito, Joe encostou a cabeça no volante do carro e aos pouquinhos ele começou a brincar com os dedos de Demi esperando que ela estivesse pronta para começar a falar. – Olha pra mim. – Pediu e como sabia que Demi não o olharia, Joe levou a mão ao queixo dela e gentilmente fez com que ela o olhasse mesmo no interior do carro iluminado apenas com a luz da lua. – Você pode falar comigo sobre o que você está sentindo. – Ele disse sentindo o coração partir em milhares de pedaços quando a primeira lágrima rolou pelo rosto dela. Não, ela não podia chorar! Aquilo era o suficiente para acabar com ele. – Ei, está tudo bem meu anjo. – O abraço o pegou de surpresa, mas Joe o retribuiu e beijou a testa de Demi demoradamente deixando que ela chorasse nos braços dele. – Não chora, por favor. – Pediu porque ele também estava prestes a chorar junto com ela. Era horrível saber que ela estava triste e não tinha nada que ele podia fazer para acabar com o sofrimento. A vontade era de quebrar Jake em dois só porque ele era um completo idiota que aos pouquinhos estava destruindo a vida de Demi e a fazendo sofrer.

   - Joe. – Ela o chamou se erguendo e saindo dos braços dele enxugando cada lágrima que rolava pelo rosto. Não tinha como ficar nos braços dele. – Eu acho que é melhor a gente.. A gente terminar. – Doeu mais do que ela tinha imaginado, parecia que tinha um buraco no peito que nada era capaz de preenchê-lo para estancar a dor. E Joe tinha a olhado com tanto desespero e de repente ele estava ofegando como se estivesse com medo. – Eu te amo, mas não quero estragar a sua vida, não mais do que já estraguei. – Disse quebrando o silêncio e ela limpou as lágrimas quando viu que Joe também chorava.

   - Por favor, não faça isso. – Ele disse um pouco desesperado levando as mãos as dela. – Amor, você é a melhor coisa que poderia ter acontecido na minha vida e eu não consigo me imaginar sem você. – Com muito custo, Demi fitou os olhos dele e limpou as lágrimas de Joe com todo cuidado que tinha.

   - Olha só para tudo de ruim que aconteceu com você depois que eu entrei na sua vida. – Ela disse segurando a mão dele com força e limpando as lágrimas que continuava derramando. – Você tem uma alma pura, boa e gentil, você merece alguém tão bom quanto você. Eu só não posso continuar te machucando e te prejudicando Joseph, isso me machuca tanto. – Joe negou balançando a cabeça, ele ergueu o rosto de Demi para olhá-la nos olhos e quando ela fitou os olhos dele, ele se aproximou mais para beijá-la na boca com fome e paixão, as mãos foram diretamente para cintura delicada e por minutos eles se dedicaram ao beijo mais profundo e intenso que já tinham trocado.

   - Você é quem eu quero. – Ele ofegava assim como Demi, as testas estavam encostadas e eles se olhavam. – Eu não me importo com o que está acontecendo, e muito menos por ter sido despedido ou ter sido preso. Realmente não me importo, a culpa não é sua. Bati naquele filho da puta e vou quebrá-lo de novo se ele aparecer na minha frente. Estou colhendo os frutos das minhas escolhas, e não estou arrependido.  – Demi subiu a mão pelo peito dele e de tão bom que era beijar a boca daquele homem, ela o beijou brevemente. – Você vai me machucar se me deixar. Eu te amo tanto e eu sei que você me ama, eu posso sentir que você me ama e está doendo tanto pensar em ficar sem você. – Como ela poderia deixá-lo ir? Demi o abraçou forte e descansou a cabeça no ombro dele deixando mais lágrimas rolarem.

   - Você foi preso e a culpa é minha. – Ela disse desfazendo o abraço. – Você perdeu emprego porque eu sou uma idiota. – Disse fitando a cidade que já descansava por conta do horário. Não tinha ninguém na rua e muito menos carros, os estabelecimentos estavam fechados e os enormes prédios com pouquíssimas luzes acesas. – O que você vai fazer quando a sua família souber que a sua namorada tem vídeos circulando em sites pornográficos? Que ela é ex amante do presidente da empresa que você trabalhava? Eles vão pensar em eu sou uma prostituta.

   - Eu já disse: eu não me importo. – Foi impossível não pensar em Rose e em tudo que ela tinha feito, mas ele não perderia Demi por nada. – Você foi vítima daquele doente, e eles não têm nada com a nossa vida, ninguém tem! – Ele envolveu a mão direita dela com a dele e os dois observaram como as alianças eram bonitas. – Eu te amo Demi. – Disse atraindo o olhar dela que umedeceu os lábios e assentiu.

   - Eu também te amo Joseph. – Disse encostando a testa na dele e ele não perdeu tempo, iniciou um beijo que só foi interrompido quando ele estava quase deitado sobre Demi no banco do carona.

  - O Ed vai me matar. – Ele disse sorrindo porque Demi também sorria, mesmo que tímida, fitando os olhos dele. Ela era tão linda que Joe a beijou de novo e disse como a amava sussurrando no ouvido dela antes de mordê-la na orelha.

   - Vamos para casa? – Ficar com ele era bom. Joe sabia como beijá-la e os toques dele eram respeitosos, apesar de também ousados. – Joe, casa. – Ela teve que empurrá-lo gentilmente apoiando as mãos no peito dele que assentiu se erguendo voltando para o banco do motorista. Os vidros do carro estavam embaçados e Ed literalmente mataria Joe caso descobrisse o que eles estavam fazendo...

   - Nós estamos juntos, certo? – Perguntou com um pouco de receio a olhando nos olhos. O coração dele estava quase saindo pela boca e o nervoso era tanto que Joe teve que respirar fundo para não passar mal.

   - Estamos. – O sorriso dele foi tão bonito que Demi também sorriu e se aproximou para dar um beijinho na bochecha dele. – Eu sinto muito por tudo. – Ela disse o olhando e Joe negou balançando a cabeça.

   - Eu iria me demitir, está tudo bem. – As coisas estavam complicadas para ele, e se complicariam mais, porém Joe só se importava em ter Demi. O resto era resto. – Vou dar um jeito, ok? Nada de ficar preocupada. – Joe sorriu com o selinho que recebeu nos lábios.

   - Amor, eu vou precisar muito de você, mais do que já preciso. – Ela disse envolvendo as mãos dele com as dela. – Não será fácil o que está por vir e eu estou com muito medo e vergonha. – As bochechas coraram e Demi olhou para baixo porque mesmo com Joe e com tudo que eles tinham conversado, ela sentia vergonha de ter sido exposta.


   - Nada disso. – Disse erguendo o rosto dela e beijando a ponta do nariz, o que fez Demi sorrir. – Vou tirar essa porcaria do ar ainda hoje, prometo. – Sim, ele tinha habilidades computacionais que ajudariam bastante a tirar os vídeos do ar antes mesmo que eles tivessem uma repercussão maior. – Eu vou sempre estar com você, gatinha. Vamos? Eu ainda tenho que passar no meu apartamento para alimentar a minha cadelinha gulosa e pegar uma muda de roupa para dormir agarrado com você. – Demi o olhou sorrindo e também sorriu se sentindo protegida e feliz. E não podia ser diferente. Ela estava com Joe.


Continua.. Oi! Tudo bem com vocês? Eu tô bem! E como sempre, minha vida está uma correria e se resume em provas e trabalhos. Espero que vocês tenham gostado desse capítulo, eu achei que ficou legal... Ah, só para lembrar, o caso Rose não vai passar batido! Já já essa menina entra em ação de novo e a coisa pode ficar feia para o Joe. Obrigada pelos comentários!  

10 comentários:

  1. Finalmente o Joe foi soltou, ufaa! A Demi tá tão constrangida que cogitou até terminar com o Joe, tadinha fiquei até triste por eles, mas ainda bem que não terminaram. Sobre essa Rose, já quero matá-la aff.
    Menina chata demais, aí fiquei ansiosa com o próximo capítulo (impossível não ficar ansiosa) bjos, até breve 😘

    ResponderExcluir
  2. alô alô graças a deus!
    faz tempo que não comento por aqui, como você está?
    por aqui não está nada bem, esse capítulo quebrou meu coração, você descreveu tudo tão bem que eu senti a dor da demi.
    estou sofrendo com ela.
    por um momento pensei que eles realmente iriam terminar mas você não decepciona nunca.
    eu tenho uma leve impressão que a outra garota que o Jake filmou é a mary
    SERÁ? já estou criando várias teorias loucas na minha cabeça.
    essa rose é chata pra caralho, tenho certeza que ela vai fazer a vida da demi e do Joe um inferno.
    quando será que os meus bichinhos vão ter paz?
    enfim, amei o capítulo (nenhuma novidade)
    você arrasa, garota. poste assim que der, ok?
    bjs.

    ResponderExcluir
  3. OLHA EU AQUI ORA DIZER QUE ESTOU MORRENDO COM ESSE CAPÍTULO .. POSTA MAISSS

    ResponderExcluir
  4. Que vontade de agarrar a Demi e protege-la de todo mal. Jake eu te odeio!
    Amei o capitulo, isso não é novidade nenhuma... Estava visitando alguns parentes no interior da Bahia, passei por Juazeiro, por Vitória da Conquista, você é de onde mesmo? Queria ter falado antes para ver se te encontrava e você me dava um autografo LOL
    Como sempre, ansiosa para o próximo!
    xoxo

    ResponderExcluir
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  6. Tadinha da Demi :(
    Que bom que o Joe compreende ela e sei que juntos eles vão superar isso.
    Será que ele vai contar pra ela das mensagens que a Rose mandou?
    Mal posso esperar pra assistir o tombo da Rose. Já estou preparando a pipoca e tudo mais!
    Capítulo lindo, continua!!! <3

    ResponderExcluir