25.12.16

Capítulo 30 - Parte 1/2



       O sono pesado de Demi era difícil de ser vencido e quando ela acordava por si mesma já eram mais de onze horas da manhã, mas naquele dia, mesmo que relutante e manhosa, Demi despertou sem ajuda do despertador ainda pela manhã. Estava ansiosa e por alguns segundos tinha pensado que a noite passada não tinha passado de uma de suas fantasias que vinha tendo com Joe.. Mas, Deus! O corpo quente dele estava colado ao dela, o braço esquerdo impedia que ela saísse do abraçado dele e bem.. Ela podia senti-lo contra o bumbum! Virando-se, o sorriso surgiu nos lábios femininos. O cabelo escuro de Joe estava uma bagunça sexy, os lábios bem desenhados estavam entreabertos e ela observou atentamente como os cílios dele eram bonitos. E o peito nu? Ele era ainda mais bonito na luz do dia. A pele morena era corada e parecia saudável, diferente da dela que era clara e pálida. Erguendo-se, Demi deslizou a mão pelo braço dele acariciando o bíceps trabalhado, guiou-a pelo peito e a desceu pelo abdômen parando no cós da calça. Ele era lindo! E apenas dela.

   - Amor, acorda. – Ela disse com a voz carregada de manha e vestígios de sono. Dormir agarrada com ele era muito bom! Seria melhor ainda quando eles dormissem agarrados depois de uma noite longa de gemidos e prazer. – Joseph, acorda. – Murmurou o beijando no peito porque não podia resistir à beleza dele. – Amor, acorda. – Chamou carinhosamente e sorriu quando ele murmurou alguma coisa e a abraçou possessivamente contra o corpo repousando a cabeça no ombro dela. – Joe, acorda. – Ela sorria feliz por estar com ele. Joseph era diferente de todos os homens que ela tinha namorado, e era tão bom estar com ele. – Ei aniversariante, acorda. – Disse assim que se virou para acariciá-lo na bochecha e só depois de beijá-lo nos lábios Joe abriu os olhos relevando aquela fantástica mistura de verde. – Feliz aniversário. – Ele sorriu apaixonado e então Demi roçou os lábios aos dele e o abraçou com força. – Quero que você seja muito feliz Joe. – Ela disse o olhando nos olhos.

   - Eu quero ser feliz com você. – Eles não conseguiam romper aquela troca intensa de olhares e quando conseguiram trocaram um beijo apaixonado. A essa altura do campeonato Joe já estava deitada sobre o corpo de Demi e a apertava no bumbum com uma mão enquanto a outra adentrava a camisa que ela usava correndo diretamente para acariciá-la nos seios e nas costas.

   - Nós precisamos estabelecer regras para os nossos celulares. – Resmungou Demi nada feliz quando o celular dela começou a tocar, e aquele não era o toque do despertador. – Droga Selena! – Disse assim que atendeu ao celular se deitando sobre o corpo de Joe deixando que ele a acariciasse como quisesse. E ela gostava de quando ele a tocava nos seios ou deslizava as pontas dos dedos pelas costas.

   - Onde diabos você está Demetria? – Disse Selena um pouco desesperada e Demi franziu o cenho sem entender. – O Jake não está nada feliz porque você não está no seu escritório, aconteceu alguma coisa? – Demi só foi entender o porquê da ligação de Selena quando afastou o celular da orelha e descobriu que eram quase nove horas da manhã!

   - Caramba! – Disse se levantando exasperadamente e Joe franziu o cenho sem entender. – Está tudo bem! Diga que tive uma crise de cólica, alguma coisa Sel! Já estou chegando. – Ela nem esperou que Selena encerrasse a ligação, o fez porque sabia que a amiga começaria a perguntar milhares de coisas. – Nós estamos atrasados. – Disse envergonhada. – São quase nove horas. – Não foi nada como ela tinha planejado na noite passada enquanto descansava nos braços de Joe. Não tinha dado tempo de tomar café da manhã com ele e bem, eles não tiveram tempo para nada já que estavam absurdamente atrasados. Joe saiu às pressas depois de beijá-la e ela correu para o banheiro para tomar um rápido banho e começar a se arrumar para mais um dia de trabalho.

***

   - Se o Jake estiver no departamento, confirme tudo que eu disser tudo bem? – Tinham acabado de descer do táxi e Joe não estava nada feliz de saber que já começaria o dia com Jake para perturbá-los. A noite passada tinha sido fantástica. Ele gostava de sair com Ed, gostava de conversar com Selena e principalmente gostava de estar nos braços de Demi. Pena que tudo ficaria chato quando eles adentrassem aquele prédio.

   - Não vou deixar que você tenha problemas com ele por minha culpa. – Disse sentindo o coração doer só porque ele não podia segurar a mão de Demi ou acariciá-la já que estavam cercados de pessoas que sabiam que ela era a “namorada” do chefe.

   - Não vou ter problemas com ele, eu o conheço. – Demi disse aquelas palavras só depois que tinha adentrado ao elevador. Ora, ela sabia que as garotas do hall não hesitariam em ligar para Jake para avisar que ela estava com Joe caso percebessem algo estranho. Praticamente todos daquela empresa obedeciam as regras de Jake sem pensar duas vezes.

   - Eu vou sentir sua falta. – Ele disse baixinho porque sabia que tinha uma câmera de segurança no elevador, a única sorte era que estavam sozinhos. – A gente pode se encontrar na reprografia na hora do almoço? – Demi sorriu assentindo e discretamente enlaçou os dedos aos dele longe do ângulo da câmera.

   - Você tem que comer. – Ela disse. A vontade era de beijá-lo e passar o resto dia nos braços dele fitando aqueles olhos lindos. – Tomou a glicose? – Perguntou preocupada e Joe assentiu esboçando aquele sorriso tímido e fofo que a deixava louca para beijá-lo. – Eu odeio não poder te levar para o meu escritório. – Resmungou ao se lembrar da maldita câmera.

   - A gente dá um jeito. – Nos próximos minutos trocaram olhares apaixonados e sorriam um para o outro. Se aquela câmera não estivesse ali.. Ao menos podiam enlaçar os dedos já que era possível esconder da câmera. – Eu vou sentir a sua falta gatinha. – Tornou a dizer quando as portas do elevador se abriram no andar do departamento de Designer.

   - Eu também Joe. – Demi o olhou daquele jeito apaixonado e eles caminharam pesarosos cada um em direção ao seu local de trabalho, Demi só não esperava que Jake estivesse a esperando em frente ao escritório nada feliz. Era possível sentir a tensão no ar, o clima descontraído daquele setor do prédio estava sobrecarregado e os funcionários tensos.
   - Srta. Lovato, bom dia. – Aquele cumprimento era um tanto irônico e mostrava que Jake estava uma fera, mas Demi não se deixou abalar. – Preciso do projeto. – Jake desabotoou o paletó e adentrou os bolsos da calça social com as mãos observando Demi destrancar o escritório. – Jonas, entre, eu preciso dar uma palavrinha com você. – Demi engoliu em seco. Por que diabos Joseph não estava na mesa onde trabalhava? O coração dela estava inquieto e ela perdeu o fôlego quando Jake adentrou o escritório com Joseph logo atrás. As pessoas estavam curiosas e Selena era uma delas, Demi sustentou o olhar da amiga por alguns segundos antes de fechar a porta do escritório como se pedisse socorro. – Princesa? Eu não ganho o meu beijo de bom dia? – Qual era a dele? Demi fitou os olhos azuis de Jake e umedeceu os lábios. Ela não conseguiria fazer aquilo na frente de Joe. Seria demais. Mas Jake não desistiria, ele fitava os olhos dela e sorria esperando.

   - Bom dia Jake. – Ela nunca se sentiu tão intimidada daquela forma. Beijou-o na bochecha e quando se afastaria dele, Jake a segurou pela cintura e a beijou na boca. – Jake! – Repreendeu-o terrivelmente envergonhada e Jake esboçou um sorriso de lobo ao vê-la caminhar em direção à mesa principal do escritório.

   - Mulheres. – Os punhos de Joe estavam cerrados e ele estava tão nervoso que poderia perder o controle a qualquer segundo. – Ela só está tímida, mas entre quatro paredes.. – Aquela piscadela! Joe deu um passo em direção a Jake e o clima realmente esquentaria se Demi não lançasse a ele aquele olhar que pedia por paciência e compreensão. Estava difícil conseguir se controlar, mas por ela valia a pena..  – Está tudo pronto princesa? – Demi se aproximou com o notebook e explicou os detalhes do projeto para Jake pacientemente. Claro que ela precisou se controlar para não insultá-lo ou algo do tipo já que ele a tocava e tentava flertar o tempo todo para irritá-la.

   - Posso ir? – Joe interrompeu a conversa entre Jake e Demi mal humorado. Se a intenção de Jake era torturá-lo, bem, ele estava conseguindo. – Eu tenho que trabalhar. – Completou quando Jake o olhou deixando todo o desprezo e irritação transparecer.

   - Querida, você pode buscar um pouco de café? – Demi não esperava por aquilo, mas não negou porque ele era o chefe. – Não se esqueça do meu beijo coisa linda. – Ele era irritante e a deixaria louca! Beijou-o brevemente nos lábios e quando passou por Joe o coração despedaçou e a preocupação a tomou só de pensar em deixá-lo sozinho com Jake. – Como eu diria isso na frente dela? – O sorriso dele era tão terrível quanto o de um psicopata. Jake colocou o notebook sobre a mesa de Demi e terminou de desabotoar o paletó e o tirou. – Você é o meu funcionário. Você sabe o que isso quer dizer? – Ele disse ainda com aquele sorriso sarcástico nos lábios. – Você trabalha para mim Joseph. Não o quero perambulando pelos corredores, não o quero atrasado ou qualquer merda! Você está me ouvindo? É melhor você fazer o seu trabalho calado, o meu avô tinha ótimas recomendações sobre você. É a única merda que te prende nessa empresa, eu fui claro? – Nem uma palavra saiu dos lábios de Joe, ele permaneceu calado pedindo a Deus que o controlasse. – A minha paciência com você está na estaca zero. Chegue atrasado mais um dia e eu não vou hesitar em chutar o seu traseiro. – Disse Jake se aproximando até que estava a pouquíssimos centímetros de Joe. – Eu tolero os deslizes da Srta. Lovato porque ela tem um traseiro delicioso e sabe como chupar um pau, agora você, poupe-me. – Ele o acertaria! Oh sim, Joe respirou fundo e se preparou para acertá-lo com um soco, mas habilmente Jake o deteve segurando o punho e sorrindo.

   - Você não acha que eu não notei os perfis falsos escondidos na rede da empresa? Por que você não admite que matou o Jason? – Ele estava brincando com fogo e sabia que poderia se queimar, mas precisava desafiá-lo e mostrar que não era um moleque. – Eu tenho todos os endereços e não adianta mudá-los, sem contar as outras provas que nós temos. É só apresentar o caso para a polícia que eles vão ligar facilmente uma coisa na outra.  

   - Você está louco? – O azul dos olhos de Jake era tão frio quanto o polo norte. A respiração mudou e Joe sentiu que tudo poderia acontecer. – Eu não matei o meu avô! Deus, isso é absurdo. – Disse caminhando nervosamente de um lado para o outro. – Eu estava com ela, no meio das pernas dela quando ele foi morto. – Disse um pouco alterado e então sorriu e estalou os dedos como quem acabou de ter uma ideia brilhante. – Entendi! – Ele disse ainda sorrindo, mas o sorriso morreu nos lábios de Jake quando ele se aproximou ficando com o rosto próximo do de Joe. – O que você está pensando? Eu estou de olho em você Joseph, acha que eu não percebi como você vem a olhando? Cheio de intimidades e gentilezas. Essa mulher é minha e se você pensa que vai enfiar o seu pau virgem nela, ora, você está muito enganado. Se quiser o número da mãe dela, eu tenho certeza que ela vai resolver o seu problema por menos de dez dólares. – Aquele sorriso! Joe tentou acertá-lo mais uma vez, porém ainda sem sucesso. Ele faria uma besteira se Demi não tivesse adentrado aquele escritório quebrando o clima tenso entre.

   - Com licença. – De tão nervoso que estava Joe acabou por esbarrar em Demi e quando ela o olhou ele demonstrou como estava chateado apenas com um olhar.

   - Onde nós estávamos? – Aturar o sorriso de Jake e os toques dele foi um castigo desumano e irritante, mas Demi sempre conseguia se esquivar e focar no projeto o usando como desculpa, ela só não esperava que Jake a levasse para o escritório e a obrigasse passar por toda manhã confinada naquela sala assustadora com ele. Como alguém conseguia trabalhar em paz sabendo que o avô tinha sido morto na mesma cadeira que estava sentado? Demi se questionou tanto a respeito da morte de Jason que acabou se atrapalhando, o que acrescentou em mais minutos com Jake já que ele queria o projeto finalizado naquele mesmo dia.

   - Jake, por favor. – Reclamou tentando não deixar transparecer como estava irritada. Jake a beijava no pescoço e tentava de todas as formas acariciá-la. – Você está me atrapalhando. – Murmurou focada no notebook e Jake finalmente desistiu de seguir em frente.

   - Eu só estou com saudades, tem muito tempo que não ficamos juntos. – Ele se sentou ao lado dela, e mesmo que não a agarrava, enrolava uma mecha do cabelo castanho no dedo e o observava como se fosse a coisa mais interessante do mundo. – Que tal hoje à noite no meu apartamento? – Demi umedeceu os lábios e por alguns segundos pensou em uma desculpa para despachá-lo.

   - Não vai dar.. – Começou a dizer ainda sem olhá-lo. – Eu estou naqueles dias, entende? – Jake franziu o cenho e assentiu quando ela o olhou e arqueou uma sobrancelha. Ao menos era uma desculpa que se encaixaria perfeitamente naquela situação.

   - Me avisa quando isso.. Hum.. Acabar. – Onde estava aquele sorrissinho debochado de sempre? Demi mordeu o lábio inferior e assentiu voltando a atenção para o notebook, era só ignorá-lo e rezar para que os próximos minutos passassem voando já que faltavam apenas dez minutos para o horário de almoço. Jake era um homem muito bonito, e não era toda mulher que conseguiria ignorá-lo. Sentado ao lado dela, ele estava lindo vestido de camisa branca de botões e calça preta, os cabelos loiro escuro estavam penteados de lado e aqueles olhos azuis eram magníficos. – Eu estou ansioso para a conferência. – Comentou e Demi estranhou como ele parecia normal. – É o primeiro passo importante da empresa depois que o vovô.. – Jake respirou fundo e Demi não pode deixar de notar como ele parecia profundamente triste. – Espero que tudo dê certo, é muita responsabilidade. Eu não quero decepcioná-lo. – Ela sorriu e apertou brevemente a mão dele. Aquele Jake que mostrava que tinha sentimentos e sorria verdadeiramente era um cara legal, era aquele cara que ela tinha conhecido no dia dos pais em um pub, diferente do Jake neto do poderoso Jason Gyllenhaal.

   - A empresa tem uma boa equipe, não vamos decepcioná-lo. O projeto está bem visto por mais da boa parte dos acionistas e as pessoas estão ansiosas para descobrir todas as funcionalidades do nosso produto. – Ela comentou finalizando alguns detalhes no notebook e Jake assentiu um pouco alheio a conversa, até que o celular dele começou a tocar e o Jake canalha estava de volta.

   - Não me envie nada por email. – Ele disse se levantando. – Quando terminar o projeto salve-o na rede da empresa. Eu tenho que ir, mais tarde estarei de volta. – Demi assentiu calada. Graças a Deus ela não teria passar o resto da tarde naquela sala! O trajeto do elevador foi simplesmente estranho. Estavam sozinhos e Jake não tentou tocá-la, na verdade ele mal a olhou, apenas trocava as mensagens no celular aparentemente incomodado.

   - A gente se vê! – Ele não a beijou! Demi respirou aliviada quando as portas se abriram no andar que ela ficaria e Jake murmurou um entediado tchau ainda entretido com o celular.

   - O elevador! – Ah! Ela poderia muito bem deixar que as portas se fechassem e Mary seria obrigada a usar a escada ou esperar que o elevador voltar para aquele andar. Mas Demi preferiu impedir que as portas se fechassem e fuzilou Mary quando a olhou nos olhos. – Obrigada Demi. – Aquele sorrisinho falso não a enganava. Demi sustentou o olhar “meigo” de Mary até que as portas metálicas se fecharam e ela disse “vadia” com tanto gosto.. O que diabos Mary queria ligando para Joe? Demi cerrou os dentes só de pensar na noite passada, se aquela mulher continuasse insistindo ela se meteria numa encrenca tão grande...


   - Você parece péssima. – Selena era a rainha do drama. Assim que topou com Demi no corredor, desfez dos dedos de Ed enlaçados aos dela e correu para perto da amiga. – Aquele bastardo nojento te machucou? – Sel a examinou com os olhos e Demi negou balançando a cabeça.

   - Onde está o Joe? – Perguntou olhando para Sel, que olhou para Ed que não parecia feliz.

   - Ele disse que está sem fome. – Comentou o namorado de Selena sustentando o olhar de Demi. – Ele está chateado Demi. – É claro que estava. Demi respirou fundo e engoliu em seco. Droga! Era para ser um dia ao menos tranquilo e sem stress, todos mereciam um descanso de Jake, mas ele não dava trégua. – Não o machuque. – Disse Ed ainda a olhando nos olhos e Demi não ousou em desviar o olhar. – Não brinque com os sentimentos dele, ele é só um garoto que está tentando caminhar com as próprias pernas. Se você não pode amá-lo, deixe que outra pessoa o ame, ok? Ele não merece sofrer. – Ed ainda estava chateado. O verde dos olhos dele estava escuro, o corpo tenso e não havia nenhum sorriso para ela.

   - Ed! – Selena interviu, mas Demi assentiu. Ed tinha razão, ela não deveria machucar Joe e não o faria.

   - Eu não vou machucá-lo, eu só preciso organizar essa situação. – Ela respirou fundo cansada de toda aquela confusão. Só queria ter paz e ficar com Joe sem grandes burocracias. – Onde ele está? – Perguntou ansiosa para encontrá-lo, mas Ed franziu o cenho e Selena teve que cutucá-lo “discretamente”.

   - Não tenho certeza, mas acho que ele está na reprografia. – Demi assentiu, beijou a bochecha de Sel carinhosamente e mesmo sem jeito ela abraçou Ed como eles costumavam fazer antes da confusão. Era certeza que Joe estava na reprografia, Demi resolveu passar no banheiro para escovar os dentes para se livrar de Jake e aproveitou para verificar como estava a aparência. Então batia à porta da reprografia já que a sala estava trancada.

   - Joe, sou eu. – Ela disse batendo mais uma vez e segundos depois Joe abriu a porta. Ele não a olhou ou sorriu como era de costume, apenas abriu a porta e se sentou no chão e escorou as costas na parede da sala. – Amor, não fica assim. – Era de partir o coração vê-lo desanimado daquela forma. Demi se sentou ao lado dele e o abraçou de lado ansiosa para que Joe a abraçasse de volta, mas ele não o fez. – Ei, não fica assim, eu estou com você. – Ela disse depois de beijá-lo na bochecha e Joe a olhou nos olhos. Ele estava tão chateado! – Não faz essa cara, hoje é o seu dia e eu não quero você triste. – Disse acariciando o rosto dele e selou os lábios carinhosamente. – Você não vai falar comigo? – Perguntou alguns minutos depois quebrando o silêncio entre eles. – Vamos amor, um sorriso. Essa carranca não combina com esse rosto lindo. – Inicialmente ela o beijou na costeleta, os beijos foram distribuídos por todo o rosto de Joe até que ele esboçou um tímido sorriso.

   - Eu não o suporto Dem. – Desabafou mesmo que de cara feia, mas ao menos estava falando. – Ele é tão cínico. Eu tenho vontade de.. de.. – Joe tombou a cabeça para trás e murmurou um palavrão. – O que ele fez com você? – Perguntou a olhando analisando cada detalhe e Demi umedeceu os lábios fitando os olhos dele. Era demais para ela!

   - Nada, vamos esquecê-lo. – Disse e Joe negou cobrindo o rosto com as mãos.

   - Vocês não..? – Demi negou prontamente e Joe respirou um pouco mais aliviado.

   - Ele não vai me tocar dessa forma. – Ela disse baixinho abraçando as próprias pernas.

   - Ele é diferente quando você não está por perto. – Disse se lembrando das palavras nojentas de Jake. – Ele fala sobre você como se você fosse uma propriedade.. – Joe massageou as têmporas e respirou fundo. – Ele me disse que eu ainda tenho o meu emprego porque o Jason escreveu coisas boas sobre o meu trabalho. – Comentou e Demi franziu o cenho. – E que ele tolera os seus deslizes só por que.. Você tem um traseiro delicioso e sabe como chupar um.. – Ficou subentendido o que ele quis dizer. Demi estava tão constrangida que por alguns minutos ficou calada pensando em como ela tinha sido tola a se envolver com alguém como Jake.

   - Esqueça-o. – Tornou a dizer um pouco tímida. – Eu estou com você. – Não o afastou quando Joe a beijou na boca e a puxou para os braços. – Não fica chateado, aproveita o seu dia. – Demi acariciou o rosto dele com a ponta dos dedos e sorriu quando Joe fechou os olhos para sentir o carinho. Como um homem poderia ser tão lindo como ele era? – Sorria amor. – Ah! Ele sorriu, e como sorriu! Demi sorriu junto e se acomodou no colo dele deixando que o corpo de Joe ficasse entre suas pernas. – Eu adoro o seu sorriso, é tão bonito e inocente. – Comentou o acariciando na nuca e Joe arqueou a sobrancelha quando a olhou.

   - Isso é ruim? – Ele perguntou um pouco desconcentrado com a proximidade dos seios dela e Demi riu notando que o corpo dele já começava reagir ao dela.

   - Claro que não. – Ela mordeu o lábio inferior o olhando e o coração disparou no peito só de pensar em todas as loucuras que queria e faria com ele. – Eu me sinto malvada por querer fazer muitas coisas com você, você é só um menino inocente. – Provocou e ele corou, mas riu levando as mãos a cintura dela.

   - Acho que meninos inocentes não ficam exci..citados, gatinha. – Sim, ele estava vermelho e tinha gaguejado, mas também sorria animado por Demi estar surpresa e vermelha como ele. – Eu não sou mais um menino Dem. – Ela assentiu desnorteada fitando aqueles olhos intensos. É claro que ele não era, só tinha a inocência de um. Respirando fundo, Demi espalmou o peito largo sobre a camisa e o beijou brevemente na boca e depois do pescoço.

   - Eu estou tão apaixonada por você. – Disse contra o peito dele e ali mesmo descansou a cabeça podendo ouvir o coração de Joe em rápidas batidas. – Eu nunca senti isso antes. – Era tão forte aquele sentimento. Demi ficava emocionada só de pensar em como Joe era especial e a fazia se sentir incrível e protegida.

   - Eu também. – Ele disse deslizando as pontas dos dedos pelos cabelos dela. – Parece que o meu coração vai sair pela boca. – Comentou e Demi assentiu o beijando no peito. Por alguns minutos ficaram em silêncio pensando em como estavam apaixonados e como queriam ficar juntos sem que nada os atrapalhasse. Demi sabia que seria difícil contar a Jake a verdade, e que ela tinha que contar o quanto antes.

   - Por que você está triste? – Ela perguntou quando o flagrou fitando um ponto qualquer de cenho levemente franzido, parecia tenso e o profundamente triste. – Você não está chateado só com o Jake, está? – Perguntou deitando a cabeça no ombro dele e Joe a abraçou.

   - Não é nada demais. – Ele disse ainda pensativo. – Só sinto falta dos meus pais. – Disse sentindo o coração apertar. – E eu não os conheci, mas... – Joe suspirou e sentiu que poderia chorar a qualquer momento. – Não me entenda mal, mas eu sempre fico desanimado no meu aniversário. – Explicou-se e Demi não disse nada, assentiu acariciando o peito dele com a mão. Ela o entendia, mas ao menos conhecia a mãe e sabia que em algum lugar do mundo estava o pai. – Era pra a gente comemorar essa data juntos. – Disse tão triste que era de partir o coração. – Eu queria ao menos ter uma lembrança real, mas tudo que eu sei sobre eles é o que a vovó conta, e tem algumas fotos e vídeos antigos. Os meus olhos são como os da minha mãe. – Ele comentou orgulhoso e Demi sorriu o olhando. – Me sinto sozinho nesse dia, minha avó sempre tentou me animar, mas nunca deu muito certo.

   - Agora nós estamos juntos nessa. Também me sinto sozinha no dia do meu aniversário. – Comentou arrumando o cabelo dele e aproveitando para tirar os óculos de grau. – Quando eu era pequena a minha mãe me batia especialmente nesse dia, acho que eu já te contei isso. – Disse o olhando nos olhos. – Mas a gente pode fazer diferente, esquecer o nosso passado triste e construir um presente feliz, o que você acha? – Ele assentiu sorrindo, beijou-a na boca e em seguida a abraçou com carinho. – Ei! Daqui a pouco o horário de almoço acaba e você ainda não almoçou. – Reclamou o olhando feio e Joe sorriu de orelha a orelha.

   - Dez minutinhos e nós descemos, agora eu só quero ficar com você. – Os dois sorriram e trocaram um beijo de perder o fôlego. Ah! As mãos dele correram pelas pernas nuas femininas as tocando com vontade até que elas apertaram o bumbum arrancando um gemido delicioso de Demi, que o olhou nos olhos e sorriu manhosa voltando a beijá-lo aproveitando para descer uma mão para o peito largo e a outra para o bíceps do braço direito.

   - Me beija amor. – Pediu de olhos fechados e respirando fundo sentindo as mãos ágeis de Joe apertá-la no bumbum e logo subir pelas costas e voltar para a cintura. E ele arriscou fazer o que tinha vontade: beijou-a na garganta e na região do tórax onde a camisa de botões não cobria, subiu os beijos pelo pescoço e a mordiscou no queixo. – Me beija Joe. – Tornou a pedir abrindo os olhos para olhá-lo. Joe roçou os lábios aos dela brevemente e a olhou nos olhos daquela forma intensa. Era tão sexy como os olhos dele brilhavam de inocência e desejo, Demi desabotoou os quatro primeiros botões da camisa que vestia fitando os olhos dele, e quando ele a beijou na boca, ela guiou a mão direita de Joe para o seio esquerdo e o induziu a apertá-lo levemente como necessitava que ele fizesse. – Você pode me tocar. – Disse no ouvido dele e Joe umedeceu os lábios e voltou a beijá-la na boca finalmente tomando coragem para abaixar a copa do sutiã e brincar com o mamilo dela nos dedos. O coração dele chegou a disparar quando o seio nu estava envolto apenas por sua mão e o mamilo estava tão duro que quando eles finalizaram o beijo Joe fitou aquele pontinho marrom com curiosidade e o beijou quando a vontade veio. As bochechas de Demi chegaram corar! Ela acariciou os cabelos de Joe e o fez enquanto ele beijava aquela região. Era simplesmente fantástico observar e sentir os lábios dele nos seios dela os beijando e até mesmo arriscando chupões, mas o melhor de tudo foi quando ele a olhou nos olhos e disse:

   - Você é linda. – Ele não sabia se a olhava nos olhos ou fitava os seios bonitos, mas ele acabou optando pela segunda opção e deixou que a vontade de beijá-la o vencesse e então os lábios alternavam-se de mamilo e as mãos uma estava no bumbum e a outra nos cabelos da nuca de Demi os acariciando. – Eu quero muito você Dem. – Os olhos dela arregalaram quando ele se levantou sem nenhuma dificuldade com ela nos braços, aliás, ela era tão leve quanto uma pena! Joe a sentou na bancada próximo às máquinas daquela sala e voltou a beijá-la no pescoço e nos seios.

   - Eu também Joe. – Ela sorria de olhos fechados sentindo os beijos e as mãos dele. – Joe. – Chamou-o quando ele levou as mãos para as pernas dela e as apertou nas coxas aproveitando para puxá-la para que o membro que começava a ganhar vida a roçasse. – Ei. – Demi riu quando ele a olhou um pouco confuso já que guiava a mão dela para o membro dele. – Nosso tempo é curto, e você ainda nem comeu. – Joe fez careta, apertou-a num seio e choramingou quando Demi se livrou da mão dele para voltar a vestir o sutiã e abotoar a camisa.

   - Eu nem estou com fome. – Ele protestou e ela negou balançando a cabeça se controlando para não rir de como ele estava frustrado. – Ei, isso é maldade. – Ela o beijou no maxilar e o abraçou pelo pescoço para beijá-lo na boca.

   - Não quero você passando mal por que não se alimentou direito. – Disse o olhando nos olhos e Joe os revirou. – Nós temos todo o tempo do mundo para namorar, mas no momento a sua saúde é mais importante.

   - Tudo bem! – Infelizmente ela tinha razão. Seria tão frustrante se eles estivessem fazendo alguma coisa e de repente ele desmaiasse ou algo do tipo. – Você vai ficar comigo hoje à noite? – Ele perguntou quando Demi arrumou os óculos no rosto e os cabelos dele.

   - No seu ou no meu apartamento? – Ele sorriu sentindo as mãos dela no peito e se curvou para beijá-la na boca.

   - No meu, gatinha. – Se ela permitisse não sairiam daquela sala tão cedo! Os lábios de Joe trilhavam beijos do maxilar em direção aos lábios e as mãos já começavam a desabotoar os botões da camisa para poder apertar os seios. – Demi. – Ele gemeu sentindo as unhas dela em seus dedos espertos guiando as mãos para longe dos seios.

   - Vamos almoçar, eu estou começando a ficar faminta. – Para sair daquela sala foi uma luta! Joe a abraçava por trás e a beijava no pescoço sedente de carinho, mas tudo que Demi fez foi puxá-lo pela mão e beijá-lo na boca antes que chegassem ao corredor e tivessem que fingir que eram apenas amigos.

   - Você quer jantar comigo hoje? – Estavam descendo o último jogo de escada que levava para o refeitório e por mais que tinha pouco tempo que trocaram beijos, um já sentia a falta do outro.

   - É claro que sim, você não se livrará de mim tão cedo. – Joe riu e por um impulso roubou um selinho.

   - Tudo bem se eu convidar o Ed e a Sel? – Demi revirou os olhos, mas assentiu sorrindo quando ele roçou os dedos aos dela e também sorriu. – Nós escolhemos um bom restaurante, passeamos um pouco e depois a gente pode ir para o meu apartamento, o que você acha?

   - Vai ser divertido. – Disse animada. Sair com Selena era uma das melhores coisas que Demi gostava de fazer, e seria melhor ainda na companhia de Joe e Ed. – A gente pode visitar tantos lugares! – Ela mostraria os seus lugares favoritos daquela cidade.


***

   - Demi, pelo amor de Deus, você está me deixando nervosa. – Estavam a pouquíssimos metros do apartamento onde Demi morava. Depois de uma tarde até então tranquila na Gyllenhaal, finalmente era hora de ir para casa. Demi tinha deixando Selena louca para escolher o presente de Joe e agora com todo o desespero para a noite com o então namorado. – Para de falar besteiras, ok? Ele vai gostar do presente. – Acabou que ela tinha escolhido várias revistas em quadrinhos e uma camisa que tinha certeza que ficaria perfeita em Joe.    Nós vamos nos divertir e vocês dois vão ter finalmente a noite de vocês. – Selena envolveu o braço no de Demi e enlaçou os dedos aos dela. Como Ed precisou sair mais cedo para cuidar dos sobrinhos, Sel ajudaria Demi a se arrumar para que depois pudesse se arrumar quando o namorado passasse para buscá-las um pouco mais tarde.

   - Nós mal tivemos tempo para conversar Sel. – Resmungou Demi tão dramática quanto o normal e Sel riu. – A gente quase transou ontem. – Disse baixinho já que como sempre Nova York estava fervendo de pessoas.

   - Quase? – Perguntou Selena de sobrancelhas arqueadas.

   - A Mary ligou para ele. – Resmungou a contra gosto e Selena arregalou os olhos. Agora sim Demi implicaria com Mary com todas as suas forças. – Eles ficaram quarenta minutos conversando. Sem exagero! – Ela tinha até tomado um rápido banho e cochilado esperando que Joe encerrasse aquela ligação. – Eu tenho todos os motivos do mundo para odiá-la.

  - Dem, ela não sabia que vocês estavam juntos. – Selena revirou os olhos para o olhar mortal de Demi. – Quem adivinharia que vocês estavam quase transando?

   - Por que você defendendo aquela vadia? – Demi adentrou o prédio onde morava tão mal humorada que não cumprimentou o pessoal da recepção como costumava fazer. – Eu sei quando uma mulher está interessada no que é meu, e ela está. Ela deixou isso muito claro no dia do seu aniversário. – A conversa no aniversário de Selena ainda estava fresca:

“   - Está gostando da festa? – Demi perguntou a Mary olhando para os dois caras mais bonitos de toda a festa caminhando lado a lado. Joseph e Jake eram tão lindos que chegava ser intimidante.

   - Não sou muito de festa. – Disse Mary com a sua voz delicada de menina. – Mas está sendo divertido, e o Joe é um cara legal. – Demi assentiu engolindo em seco e finalmente fitou os olhos de Mary que estavam fixos a ela. – Fiquei surpresa quando ele me convidou. – Como não havia sinal de Joe e Jake, Demi preferiu se sentar a mesa junto com Mary e ouvir o que ela tinha a dizer a respeito de Joseph. – Pensei que vocês dois viriam juntos.

   - Não.. Não, nós somos apenas amigos. – Disse dando ênfase no “amigos” com certo desconforto.

   - Ele fala muito de você. – Demi preferiu fitar os próprios dedos a olhar para Mary. Era tão errado ela sentir ciúmes de Joe. – Sabe, eu fico pensando se isso não será um problema.. – Agora Mary tinha conseguido chamar a atenção de Demi que a olhou com curiosidade. – Você está com o Jake, certo? – Disse cruzando as pernas. E Demi assentiu olhando aos arredores a procura de Jake e Joe, mas tudo que ela via era pessoas dançando. – Você não deveria alimentar falsas esperanças, Demi. O Joe é um bom rapaz e merece alguém que irá amá-lo. – Demi engoliu em seco internamente chocada com a abordagem direta de Mary. Quem diria que aquela tímida garota fosse deixar as coisas tão claras.

   - Nós somos apenas amigos. – Como uma forma de conforto Mary segurava sua mão e tinha um sorriso de consolo nos lábios como aqueles “Não foi dessa vez”. –  Tenho certeza que ele vai encontrar uma mulher que o fará feliz. – Aquele sorrisinho nos lábios de Mary era tão irritante. Demi forçou um sorriso e olhou a sua volta dando graças a Deus que Joe e Jake se aproximavam inflexíveis um com o outro.”

   - Não vamos brigar, ok? – Demi apenas assentiu e usar o elevador foi desgastante. Céus! Quanto tempo aquilo não acontecia? O cubículo estava no limite de pessoas, e bem, eram os vizinhos mais enxeridos. Do lado esquerdo o casal gay tratava uma pequena discussão; As crianças do último andar estavam acompanhadas por crianças que deveriam ser os coleguinhas de escola, e bem, eram crianças e consequentemente inocentes e barulhentas. E para completar uma senhora que morava no mesmo andar que Demi falava alto ao celular.

   - Demetria, você pode me ajudar com as sacolas? – Perguntou a senhora assim que as portas metálicas abriram no andar onde Demi e Sel desceriam. Era uma doce velhinha! Não era a primeira vez que Demi a ajudava e com certeza não seria a última já que era bom manter um bom relacionamento com os vizinhos e ajudar o próximo.

   - Vai ficar emburrada? – Perguntou Selena assim que Demi abriu a porta do apartamento depois que elas ajudaram a senhora que morava no final do corredor.

   - Eu só não gosto dela. – Disse caminhando diretamente em direção à cozinha e Sel assentiu entendendo que não era seguro tocar naquele assunto. – Está com fome? – Demi acabou sorrindo e abraçando Sel. Ela não suportava Mary, mas faria de tudo para não brigar com Selena novamente.



   - Vermelho ou preto? – Gritou Demi do closet, e Sel, que estava deitada na cama optou pelo vermelho. Elas tinham gastado bons minutos na cozinha preparando o lanche da tarde, e agora no quarto Demi havia acabado de tomar banho e escolhia o que vestir. – O que você acha? – Perguntou Demi assim que voltou para o quarto e encontrou a amiga concentradíssima no celular.

   - Jesus! Você está uma delícia. – Selena sorriu de orelha a orelha ao vê-la, as bochechas chegaram a ruborizar. Demi era baixinha, mas não era desculpa para não ter belas curvas. O vermelho da lingerie rendada simplesmente se destacava na pele alva, e quando Selena pediu para que ela virasse, bem, era certeza que Joe corria o risco de ter um ataque do coração. – O seu bumbum é de tirar o fôlego. – Demi fez careta, mas riu junto com Selena.

   - Não é melhor a preta? – Perguntou assim que elas adentraram o closet. – Acho que ficaria melhor. – Comentou se olhando no espelho.

   - Dem, a vermelha! – Disse Selena organizando a maquiagem e as joias que Demi poderia usar naquela noite. – Use a preta na segunda noite.

   - Eu estou um pouco nervosa, mas eu o quero tanto. – As bochechas coraram e ela se sentou no puff onde Sel indicou. – Sabe, eu nunca fiz isso com um cara.. – Selena puxou outro puff e revirou os olhos quando a olhou.

   - Com um cara virgem. – Completou e Demi assentiu. – Isso é bobeira, vocês vão estar juntos, é o que importa. O resto é só detalhe. – Disse Sel buscando pelo produto que ajudaria a maquiagem a fixar melhor no rosto de Demi. – Não se preocupe, ok? Você é uma mulher de tirar o fôlego e o Joe não vai te deixar fazer tudo sozinha.

   - Sel.. – Ronronou manhosa e Selena sorriu de orelha a orelha quando Demi a abraçou e a beijou na bochecha. – Eu já disse que te amo hoje? – Elas trocaram aquele olhar confidente, prolongaram o abraço e pelos próximos minutos Sel ajudou Demi a se arrumar entre conversar e risadas exageradas. – Tem certeza que está bom? – Perguntou se olhando no espelho analisando cada detalhe. O vestido vermelho vinho rodado batia acima do joelho, marcava a cintura e Demi gostava como ele era delicado e sexy ao mesmo tempo.

   - Você está linda Dem. – Disse Selena arrumando alguns fios castanhos do coque. – Você não gostou? – Perguntou tirando o excesso da maquiagem do rosto de Demi já que ela sabia que a amiga gostava de mostrar as sardas.

   - Gostei Sel, eu só estou ansiosa e nervosa. – Os lábios estavam cobertos com o batom vermelho e os olhos estavam bem destacados sustentando o olhar doce e intenso que só pertencia a Demi.

   - Não fica nervosa, ok? Tudo vai dar certo. – Sel a abraçou por trás e elas sorriram se olhando pelo espelho. – Vamos? O Ed chegou. – O coração de Demi quase saiu pela boca quando Selena apressou o passo para atender ao celular que tocava. – Ele está nos esperando. – Confirmou do quarto e Demi pegou a bolsinha de mão, se olhou no espelho novamente e sorriu. Estava bonita e aquela noite tinha tudo para ser incrível. – Você tem certeza que não quer jantar só com ele? – Perguntou Selena quando elas já estavam no térreo caminhando em direção ao carro onde Ed estava.

   - Está tudo bem Sel, vai ser divertido e nós vamos relaxar. – Disse tendo que segurar no braço de Selena por conta sapato de salto alto na hora de descer os poucos degraus que davam acesso à calçada. – Você pode me ajudar a mostrar a cidade para ele? – Perguntou adorando a ideia de levar Joe à Chinatown ou à ponte do Brooklyn e quem sabe eles poderiam dar uma passadinha em um dos museus da cidade?

   - É claro! São tantos lugares que eu não sei por onde começar. – Demi sorriu ao olhar para Selena. Elas tinham explorado aquela cidade juntas e vivido tantas aventuras. – Por que diabos o Ed está tão sério? – Resmungou Selena ao ver o namorado escorado no carro com cara de poucos amigos.

   - Talvez ele.. – Começou a dizer Demi, mas daí ela entendeu o que acontecia quando olhou para o lado. Quem não a conhecesse apostaria que Dianna era uma senhora riquíssima da elite de Nova York. Vestia um elegante trend coach preto, sapatos de salto e sustentava no braço direito uma bolsa de grife que Demi apostava que tinha custado uma fortuna. – A minha mãe. – Disse para Selena que hesitou um pouco, mas Demi não a julgou já que sabia que Dianna nunca tinha ao menos se esforçado para disfarçar o desgosto que sentia por ela. – Você não precisa me acompanhar Selly, está tudo bem. – Disse carinhosamente, mas Sel negou enlaçando mais o braço ao dela.

   - Demetria. – Ela não soube disfarçar o tom rude, e Demi se repreendeu para não morder o lábio inferior para não borrar o batom. – Você não atendeu as minhas ligações e não apareceu em casa. – Disse tentando parecer mais doce e Demi desviou o olhar da mãe para fitar o prédio a sua frente. Ela conhecia aquele carro preto estacionado no outro lado da rua. Era um dos carros de Jake.

   - Por favor, a senhora sabe o porquê, não se faça de desentendida. – Quem eles pensaram que eram? Demi enlaçou os dedos aos de Selena como se procurasse forças. Por que Dianna simplesmente não a deixava em paz já que ela não era capaz de amá-la? Aquilo era desnecessário e quem se machucava era ela.

   - Eu sinto a sua falta Dem. – Não, ela não cairia naquela. Dianna nunca tinha demonstrado nem um único tipo de sentimento além do desprezo, ganância e infelicidade, não seria agora que ela começaria nutrir qualquer sentimento positivo pela filha. – Volta para casa. – Pediu e Demi negou balançado a cabeça. Ela está mentindo, ela está mentindo. A consciência repetia como uma forma de convencê-la e lembrá-la de tudo que Dianna já tinha feito.

   - Você fez a sua escolha naquela noite e eu fiz a minha. – Disse a olhando nos olhos. – Eu não vou acordar no meio da noite e descobrir que você está com um homem na sua cama. Não mais. – Demi percebeu quando Dianna olhou Selena de cima a baixo como se a culpasse.

   - Eu fiz o que era necessário para te dar uma vida boa. – Demi a repreendeu com o olhar quando a olhou nos olhos. Era o melhor que ela tinha?

   - Não, você não fez isso por mim. Você fez por você. – Disse já cansada daquela mesma história. – Sempre foi sobre você e ainda é. O que eu te dou não é o suficiente para satisfazer os seus desejos, e nunca será. Mas é o que eu tenho e o único caminho que eu vou seguir. – Quando a voz dela morreu, a troca de olhares foi tão desgastante e negativamente carregada. – Por favor, se você não consegue me amar, ao menos tenta me respeitar. – Disse já irritada. – E não olhe assim para a Sel, você não é melhor que ela. – Demi não deu oportunidade para que Dianna rebatesse, puxou Selena pelo braço em direção ao carro e forçou um sorriso para Ed. O celular vibrou na bolsa e ela revirou os olhos ao ver o nome de Jake no visor do celular. – O projeto está pronto e na rede da empresa. Boa noite. – Ah, Jake e Dianna não estragariam aquela noite, eles e nem ninguém.


Continua...  Feliz Natal!!!! Oiiiiii! Tudo bem com vocês? Tô bem graças a Deus!! E aí? Como foi o natal de vocês? Espero que tenham se divertido muito! Então, está aí o capítulo. Tive que dividi-lo porque estava começando a ficar muito grande e a segunda parte tem que ser MUITO caprichada, certo? Será que agora vai? Será que o Joe e a Demi vão ter um pouquinho de paz nessa noite especial? Vou tentar escrever e postar esse ano ainda hehehehe. Espero que você estejam gostando da fanfic! Um abraço em cada uma de vocês, obrigada por esperar, por comentar e pelas visualizações, vocês são as melhores! E Feliz natal de novo!  

8 comentários:

  1. Quando eles vão poder ficar juntos sem o jake ou dianna pra atrapalhar e o jake já tá desconfiado que o joe tem alguma coisa com a demi

    ResponderExcluir
  2. Feliz natal amor, estou muito ansiosa para o próximo capítulo. Tomara que o hot finalmente aconteça

    ResponderExcluir
  3. AAAAAAAAAAAAAAA AMEIII!!!!!
    Você como sempre arrasando nos capítulos, finalmente a Demi deu um chega pra lá na Dianna e no Jake. Tomara que ninguém atrapalhe a Demi e o Joe dessa vez, espero que a Mary não ligue de novo pra tirar dúvidas hahaha.
    Feliz natal Amanda, beijos e até o próximo capítulo!!! <3

    ResponderExcluir
  4. Já quero a 2/2 parte, posta logo por favor...

    ResponderExcluir
  5. Que eles lembrem de desligar os celulares antes de começar os pegas kkkkk espero que consigam desmascar o Jake e a Dianna logo. Esperando ansiosamente pela segunda parte :)

    ResponderExcluir
  6. eu dei um berro em cada parte do capítulo.
    esse capítulo está destruidor mesmo, ein?
    mal posso esperar pelo próximo, chego até roer as unhas só de imaginar
    espero que dessa vez eles desliguem o celular.
    "porque ela tem um traseiro delicioso e sabe como chupar um pau" o berro que eu dei nessa parte foi alto pra cacete jsafls
    adorei, adorei, adorei cada pedacinho <3
    gente essa fanfic é ba-ba-do!
    cada capítulo eu fico mais ansiosa para saber o que vai acontecer, quem matou o jason e tal...
    falando nisso eu fiquei extremamente confusa com a parte que o jake disse que não matou o avô
    ele pareceu verdadeiro, agora eu estou ainda mais curiosa.
    menina você arrasa!
    posta assim que puder, o.k?
    bjs.

    ResponderExcluir
  7. Me matando internamente por ter perdido tantos capítulos, mas foi por uma boa causa, estava de mudança (novamente) para casa de minha avó. Agora eu espero acompanhar direitinho sempre que tiver um tempo entre os cochilos dela ou talvez não, mas eu prometo comentar sempre que eu ler, pode ter mil capítulos e eu vou comentar em cada um!
    Eu estou achando que Jake percebeu algo sobre Jemi e fiquei feliz com o "chega para lá" dado por Dem. Agora que a mamadeira do Joseph vai ser sacodida, ansiosa demais por isso, LMAO.
    Feliz natal atrasado e caso não tenha capítulo antes do ano novo já te adianto minhas felicitações!
    Samantha, xoxo.

    ResponderExcluir