7.1.17

Capítulo 31

Os raios de sol atravessavam uma brecha ou outra da persiana da janela iluminando parcialmente o quarto. Faltavam poucos minutos para as sete horas da manhã e o dia em Nova York já estava agitado. Podia-se ouvir algumas buzinas e o barulho dos carros, mas o que prendia a atenção de Joe era a beleza de Demi que dormia serenamente ao lado dele. Os dedos deslizaram pela pele das costas nuas dela correndo para os fios castanhos de cabelo que começavam na nuca que ele tinha beijado na noite passada. A coberta branca tinha os protegido da baixa temperatura da madrugada, Demi a agarrava contra o peito e um braço abraçava o travesseiro. Curioso, Joe ergueu-se um pouco mais e sorriu de orelha a orelha quando ela suspirou e ronronou alguma coisa. Os lábios beijáveis estavam rosados, as bochechas levemente coradas e as sardinhas eram adoráveis. – Dem, acorda. – Chamou tocando a cintura delicada por baixo da coberta e a abraçou plantando um beijo atrás da orelha dela. – Acorda, vamos. – Ele chamou todo carinhoso a beijando na região das costas e do pescoço. Não estava diferente de Demi, estava completamente nu e com um sorriso que ia de orelha a orelha nos lábios só por saber que a noite passada tinha sido real. O coração de Joe chegava acelerar só com o pensamento e a felicidade o dominava. – Amor, acorda! – Ela não abriu os olhos, ronronou manhosa e se virou para abraçá-lo. Era contra as regras acordar sem a ajuda do despertador! Demi se aninhou ao corpo dele e suspirou sonolenta voltando a se concentrar no sono. – Não seja teimosa, acorda gatinha. – Ele sorriu tocando as mechas do cabelo dela com os dedos, espalmou as costas e o bumbum arrancando um gemido baixinho de Demi.

   - Quantas horas são? – Sim, ela era a rainha da preguiça quando se tratava de acordar, e bem, a noite passada tinha sido cansativa.

   - Seis e meia. – Joe não conseguia parar de tocá-la na silhueta, no bumbum, nas costas e nas curvas dos seios. As mãos dele corriam livremente apreciando cada pedacinho da pele alva e quente.

   - Joe, eu só acordo depois das sete e meia. – Murmurou manhosa contra o peito dele. – Vamos dormir, está muito cedo. – Ele não iria ceder, de forma alguma! Joe a beijou no pescoço e aos poucos a deitou na cama se deitando sobre o corpo dela.

   - Eu queria ao menos tomar café da manhã com você. – Ele disse a beijando no queixo e Demi finalmente abriu os olhos fitando os dele. – E a gente podia assistir pelo menos vinte minutinhos de desenho animado. – Os beijos nos seios a fez sorrir, Demi enlaçou os dedos nos cabelos dele os acariciando sentindo os beijos e chupões em seus mamilos. – Você não tem noção de como é linda. – Os lábios dele beijaram o umbigo e Joe se ergueu para olhá-la. Sim, ela era linda! Ele contornou as curvas dos seios com as pontas dos dedos e apertou o queixo dela, o que os fez rir. – Foi a melhor noite da minha vida. – Disse fitando os olhos dela. – Obrigado Dem. – Demi fez careta, mas sorriu envolvendo o corpo dele com os braços num abraço.

   - Também foi a melhor noite da minha vida. – Olharam-se e sorriram. – Nunca me senti assim Joe, acho que o meu coração vai sair pela boca a qualquer minuto. – Ela deu um selinho nos lábios dele aproveitando para deitá-lo. – Você ainda tem preservativo? – Perguntou se sentando sobre aquela região que já sabia que estava pronta para ela.

   - Na carteira. – Ele disse focado em olhá-la e sorrir de como ela estava linda com o cabelo bagunçado e a cara de sono. – A sua barriga também dói? Eu não sei exatamente se é dor, mas eu sinto frio na barriga e perco o fôlego. – Demi sorriu assentindo o protegendo com o preservativo e logo o tinha.

   - Nós só estamos apaixonados. – Ela disse esboçando um sorriso ao olhá-lo de olhos fechados e um pouco ofegante. – Ei, tudo bem? – Perguntou puxando a coberta para os ombros se protegendo do frio e se movendo sem muita pressa. – Eu não quero ficar longe de você Joe, nem por um segundo. – Disse o olhando nos olhos quando ele os abriu para olhá-la.

   - Eu estou bem. E eu também não quero ficar longe de você, nem quero pensar nisso. – Joe era naturalmente carinhoso, e o jeito que ele disse aquelas palavras e a beijou na testa foi tão especial que Demi se agarrou mais a ele e o olhou com admiração e paixão. O coração já pertencia a ele, não era difícil se apaixonar por um homem tão incrível como Joe. Ele sempre a fazia sorrir, a se sentir feliz, protegida e aquela sensação de que daria certo sempre estava presente.

   - Só me acorde antes da hora se for para.. para fazer amor com você. – Demi pensou duas vezes antes de usar aquele termo, mas quando o olhou nos olhos no primeiro “para” soube que era o correto.

   - Eu vou me lembrar disso gatinha. – E lá estava aquele sorriso destruidor! Ela suspirou e gemeu se agarrando a ele, em troca ganhou um beijo na testa e Joe a segurou pela cintura com firmeza começando a se movimentar arrancando altos gemidos dela até que eles chegaram ao ápice alguns minutos mais tarde.



   - Você está quieto. – Demi estava focada em pentear o cabelo úmido de Joe. E bem, ele não conseguia deixar de olhar para os lábios dela e muito menos para os mamilos marrons que insistiam em aparecer mesmo sobre a camisa que ele tinha emprestado para Demi. – Tudo bem? – Perguntou se sentando ao colo dele e Joe assentiu envolvendo a cintura dela com os braços.

   - É que eu gosto muito dos seus lábios, eles são tão bonitos. – O olhar dele era de um cachorrinho carente fitando o sorriso lindo que nasceu nos lábios dela. – E dos seus seios também. – Ele corou! Foi tão fofo e inocente o beijinho que ele deu nos seios cobertos pela camisa.

   - Eu gosto de muitas coisas em você. – O sorriso malicioso dela não passou despercebido por Joe que sorriu mesmo envergonhado. – Agora o senhor vista a camisa. Não podemos atrasar. – O banho não tinha sido demorado, nem o tempo em que ficaram na cama, mas Demi sabia que demoraria a escolher uma roupa para ir trabalhar como acontecia na maioria das vezes.

   - Hoje na reprografia no horário de almoço? – Joe vestia a camisa, mas mesmo assim não deixava de fitar o corpo de Demi completamente nu já que ela vestiria o vestido e a roupa íntima da noite passada.

   - Você já está pensando em sexo? – A resposta era sim! As bochechas coradas dele o entregou! Demi assentiu negativamente, porém sorriu. – Sua saúde vem em primeiro lugar, e nós vamos cuidar dela. – Ela sabia muito bem como era difícil controlar o apetite sexual, ainda mais quando o sexo era novidade. – Você ainda não tomou a glicose e nem comeu, Joe! Nós precisamos nos organizar para não te prejudicar. – Reclamou vestindo as peças de roupa íntima.

   - Não precisa ficar preocupada, eu vou ficar bem Dem. – Disse calçando os tênis ainda sem conseguir parar de olhá-la. – Você fica muito bonita de vermelho. – Elogiou quando ela pegou o vestido para vesti-lo.

   - Obrigada! Você está lindo com essa camisa. – Elogiou. A camisa jeans combinava com o tom da pele morena e caia muito bem nos ombros e nos braços fortes.



   - Eu queria poder segurar a sua mão na empresa. – Joe fitou os dedos enlaçados aos dela e apertou mais aquele laço quando eles atravessaram a rua caminhando em direção ao apartamento de Demi. – Não me importo com a opinião das pessoas, mas eu queria que todos soubessem que você é minha.. – Joe a olhou nos olhos, umedeceu os lábios e fitou o prédio a sua frente.

   - Que eu sou a sua namorada? – Demi completou o olhando e alguns segundos depois ele a olhou.

   - É isso que nós somos, certo? – Demi não soube o que dizer, sustentou o olhar dele até quando conseguiu pensando naquela questão.

   - Eu.. eu acho que sim, nós estamos juntos. – Joe franziu o cenho, mas assentiu sem olhá-la.

   - Quando você vai falar com ele? – Demi umedeceu os lábios, forçou um sorriso para o pessoal da recepção do prédio puxando Joe diretamente para o elevador. – Por que você não abre logo o jogo com a sua mãe? Ou você quer saber aonde ela quer chegar com tudo isso?

   - Nós podemos conversar sobre isso numa outra hora? – Pediu acariciando o peito dele e o beijando ali mesmo. – Eu vou terminar com ele depois da conferência, tudo bem? – Ela encheu o peito dele de beijinhos tentando trazer o sorriso de Joe de volta já que ele estava mal humorado. – Joseph! Eu tenho que pensar no que vou falar para a minha mãe, a situação é muito complicada e você sabe disso. Tem muitas coisas estranhas sobre o Jake que às vezes me faz pensar que ele é perigoso, e eu não quero que você se machuque, amor. Nós vamos ficar juntos, ninguém vai separar a gente, ok? – Ele parecia mais relaxado, selou os lábios aos dela e a puxou para fora do elevador quando o mesmo chegou ao andar onde Demi morava. – E pode ficar tranquilo, eu não vou deixar o Jake fazer nada comigo, ok? – Ele fez careta, mas assentiu a abraçando por trás mesmo sobre os protestos de Demi de que ele estava atrapalhando.

***

   - Você não parou de sorrir a manhã toda! – Selena a abraçou com força e Demi retribuiu o abraço. Aquele tinha sido o primeiro momento que elas conseguiram se encontrar para conversar sem que milhares de mulheres estivessem as cercando de perguntas e as pressionando com o tão esperado produto que a Gyllenhaal lançaria dentro de uma semana. O departamento estava uma loucura! Demi não tinha tido tempo para nada, e muito menos Joe que precisava ficar atento no monitoramento da rede caso algum hacker tentasse invadir a rede da empresa naqueles dias que ainda estavam por vir.

   - Acho que se não fosse à noite passada eu estaria uma pilha. – Comentou Demi se sentando à mesa ao lado de Selena com a sua xícara cheia de chá e o prato com bolinhos. – Agora que eu estou tomando o meu café da manhã, isso é porque o Jake não está no prédio para me perturbar, mas imagina à tarde? Ele já me enviou uma mensagem dizendo que chegará depois do almoço. – Selena fez careta assim como Demi. Não faltava muito para o almoço e elas só tinham conseguido escapar daquela confusão para comer porque Ed tinha assumido a liderança daquele departamento cheio de mulheres escandalosas.

   - Eu estou uma pilha! Nem a minha noite maravilhosa com o Ed me ajudou a suportar aquela bagunça, nós somos o melhor departamento dessa empresa, para que tanto escândalo? – Resmungou e Demi riu assentindo e logo bebericou o chá e mordeu um bolinho. – Como foi? – Perguntou e Demi sorriu repousando a xícara sobre a mesa.

   - Ele enfeitou o quarto com pétalas de rosas vermelhas. – O sorriso não deixava os lábios dela. Demi tinha gostado tanto de como Joe tinha sido caprichoso ao ponto de arrumar o quarto para a primeira noite deles. – O lençol era de seda branca. – As duas sorriram, pois sabiam que geralmente homens não se importavam com aquele tipo de detalhe. – Algumas vezes ele corou, mas foi simplesmente fofo! Eu me senti feliz e protegida, foi especial e eu não quero passar mais uma noite longe dos braços dele. – Selena sorriu feliz por Demi e Joe. E a cada palavra que saía da boca de Demi um sorriso se projetava nos lábios dela, os olhos tinham aquele brilho apaixonado e as bochechas estavam coradas.

   - Já quero o casamento e muitos bebês fofinhos! – Demi fez careta imaginando três bebês com os traços dela misturados aos de Joe.

   - Sel! Vamos com calma, com muita calma! – Ressaltou e Selena revirou os olhos. – Nós estamos praticando e vamos ficar só nisso por um bom tempo, e eu tenho uma bomba dupla para desarmar, lembra? – Jake e Dianna! Como poderia esquecê-los?

   - O pessoal está comentando que a polícia conseguiu as filmagens das câmeras de segurança das saídas do prédio da noite em que o Jason foi assassinado, aumentou o número de suspeitos. Agora temos mais uma pessoa envolvida no caso e um carro suspeito, eles rastrearam a placa, mas é roubado. – Demi franziu o cenho sentindo os arrepios dominá-la só de pensar em Jason morto na sala presidencial. – Você tem certeza que o Jake estava com você naquela noite? – Perguntou baixinho já que alguns funcionários circulavam naquela área.

   - Nós dormimos juntos Sel. – Disse pacientemente. – Eu o encontrei no caminho para casa, nós comemos hambúrguer e fomos para o apartamento dele. – Ela acabou por jogar um farelinho do bolinho em Selena que a olhava atentamente. – O que foi? Você está achando que eu sou comparsa do Jake e que juntos nós matamos o Jason? – Resmungou logo bebericando o chá.

   - Foco Demi! – Disse Selena concentrada em juntar todas as provas. – Onde você o encontrou? – Perguntou desconfiada.

   - Eu não me lembro muito bem, o restaurante ficava em frente ao Central Park, eu caminhei um pouco e esbarrei com ele numa esquina. – Disse tentando se lembrar de todos os detalhes daquela noite. – Acho que foi na quinta avenida, eu não sei, mas foi poucos quarteirões do meu apartamento.

   - Como ele estava vestido? – Demi revirou os olhos e fuzilou Selena com o olhar. – Estou falando sério, você já parou para pensar que a rua desse prédio está cruzada com a quinta avenida? Ele pode muito bem ter atirado no Jason e acabou topando com você na fuga. – Aquela teoria não fazia sentido, Demi tornou a revirar os olhos. Ela sabia que Jake não era santo, e duvidava que ele tinha feito algo daquele tipo com o próprio avô.

   - Sel, a quinta avenida corta muitas ruas! – Disse como se fosse óbvio e Selena negou balançando a cabeça. – Ele estava de terno. – Ela sabia que Selena faria aquela cara de quem tinha acabado de descobrir o maior enigma do mundo. – Isso não quer dizer nada, ele poderia estar resolvendo algum negócio da empresa dele. – Apressou-se em dizer antes que Selena pudesse falar.

   - Poderia! É claro que sim Dem! – Sel tinha dito alto demais chamando a atenção das outras pessoas. – E inclusive esta empresa está falindo, nós descobrimos que ele é sócio do Marcus. Na última visita do FBI, eu estava na sala presidencial com o Jake, ele estava me agarrando.. O Marcus evitou que ele me forçasse.. Ele parecia assustado e foi duro com o Jake. – Selena contou a Demi todos os detalhes daquele dia terrível que Jake tinha a elevado para a sala presidencial:

   - Eu não quero a força, jamais. – Disse o rapaz afrouxando as mãos nos pulsos de Selena, porém não era o suficiente para ela se soltar. – Eu quero brincar com você e a Demi.. Seria tão gostoso ter as duas ao mesmo tempo, vamos, vocês são melhores amigas e já devem ter feito algo do tipo juntos. – Selena fitou os olhos azuis de Jake com tanto nojo, tentou empurrá-lo e se debateu quando Jake a beijou a força imobilizando o corpo dela com o dele.

   - Se nós fossemos depender de você.. – A voz que soou na sala foi tão grossa e fria. Em um minuto Jake agarrava Selena e no outro o rapaz estava completamente intimidado com a presença masculina. – Você só pensa com a cabeça de baixo! Arrumou aquela puta velha para sugar o nosso dinheiro, a secretária e agora essa? – Selena se sentiu ofendida, porém tão agradecida por aquele homem interromper Jake de agredi-la.

   - Marcus, eu só estava.. – Começou a dizer Jake completamente sem jeito e Selena franziu o cenho. Onde estava aquele homem poderoso que a colocou para servir café e colocou Joseph para limpar o banheiro masculino? O tal do Marcus caminhou até a cadeira que pertencia a Jason e se sentou nela. O homem era branco e alto, forte e de cabelos negros e não parecia nenhum pouco feliz.

   - Só estava pensando com a cabeça do seu pau! Francamente, é por isso que os nossos negócios não dão certo. – Selena preferiu ficar quieta já que Jake pareceu esquecer completamente de sua existência. – O FBI está lá em baixo! Eles já vão subir para investigar a cena do crime novamente e as câmeras de segurança. – Então o homem a olhou com os olhos negros e calculistas, a alma de Selena gelou de medo. – Despache essa pobre coitada Jake! Nós temos uma empresa para administrar e o assassino do seu avô para prender. – O nervoso que possuiu aqueles dois homens era tão forte que poderia ser sentido no ar, chegava a ser tateável. Selena foi arrastada por Jake até a saída do escritório, ele a colocou para fora sem um pingo de delicadeza e bateu a porta do escritório com tanta força.



   - Ele disse que queria transar com nós duas ao mesmo tempo? – Demi estava tão horrorizada e se sentia mal por ter feito Selena passar por aquilo. – Isso é nojento. – Comentou sem muito animo para comer os bolinhos, mas como precisava de energia para trabalhar resolveu comê-los. – Será que ele se referiu a minha mãe como puta velha? – Perguntou analisando todos os detalhes que Sel tinha contado.

   - Provavelmente Dem, ela está recebendo dinheiro do Jake. O Marcus estava uma fera com o Jake e nervoso porque o FBI estava no prédio, mas depois tentou disfarçar. Eu sei que não é uma prova concreta, mas é muito estranho. O Jake surgiu do nada e assumiu a empresa assim que o Jason faleceu, ninguém nunca ouviu falar sobre ele. O Jason sempre teve muito dinheiro, o Jake poderia ser muito bem um playboy à custa do avô, mas nem isso. – Demi assentiu pensando em todos os momentos com Jake. Ele era rico, ao menos aparentava ser já que se vestia bem, tinha um bom apartamento e carro.

   - O Jason me contou que tinha brigado com o Jake, ele não entrou em detalhes. Nós estávamos conversando sobre a minha mãe e ele acabou citando o caso com o Jake. – Disse. Tinha sido por conta daquela conversa com Jason que ela tinha resolvido dar uma nova chance a Dianna. – Ele disse que eles tinham uma boa relação, mas que depois que o Jake montou a empresa ele ficou diferente. E algo sobre ele ser um bom administrador, mas que era muito ambicioso e competitivo.

   - Então Dem! Pensa comigo, o Jake pode ter pedido alguma ajuda para o Jason, eles brigaram e ele acabou o matando para ficar com a herança. Faz sentido. Sem contar as fitas que você disse que estão na prateleira de livros na sala dele, é mais uma evidência! Quem esconde fitas? E por que escondê-las? – Tudo bem, Demi tomou um belo gole do chá que estava começando a esfriar e respirou fundo tentando assimilar tudo que Selena tinha elaborado.

   - Você disse nós quando contou sobre o Marcus. – Ela disse fitando os olhos de Selena que deu de ombros e pegou um dos bolinhos de Demi.

   - Eu, o Ed e o Joe. – Demi arqueou as sobrancelhas ao olhá-la. – O que foi? Ele se tornou o nosso principal suspeito depois do dia com o Marcus. E você o defendia com unhas e dentes, não tinha como te incluir no nosso grupinho. – Demi tornou a arquear as sobrancelhas e Selena soube que ela estava com ciúmes. – Enfim, o que mais você se lembra da sobre a noite que o encontrou? Como ele estava? – Tornou a perguntar e Demi se esforçou para se lembrar daquela noite.

   - Um pouco tenso e nervoso, ele ficou preocupado quando percebeu que eu estava chorando, mas mesmo assim foi carinhoso e conseguiu me acalmar. – Ela contou que Jake pediu que o esperasse e a deixou sozinha na rua por pelo menos quinze minutos e quando voltou ele estava mais nervoso que antes, toda hora olhava para trás assustado e as mãos trêmulas.

   - Isso é definitivamente suspeito! – Selena controlou o entusiasmo na voz para não chamar a atenção como tinha feito agora pouco. Tudo estava fazendo sentido. – O que ele disse? Você perguntou, certo? – Demi assentiu de olhos arregalados. Como ela não tinha associado uma coisa na outra? Toda aquela esquisitice de Jake, o nervoso e a morte de Jason. Tudo na mesma noite!

   - Ele disse que estava assistindo uma partida de beisebol com os amigos. – Disse pensando em tantas coisas ao mesmo tempo. Será que Selena tinha razão ou era apenas uma infeliz coincidência.

   - Jogo de quem e onde? – Era demais para ela! Demi verificou a hora no celular e se ajeitou para se levantar. Ed era um bom funcionário, mas só ela sabia administrar aquele departamento e colocar todas aquelas mulheres no eixo. – Dem!

   - Ele não disse onde, só que o jogo era dos Yankees. – Demi se levantou mesmo sobre os protestos de Selena que não parava de falar e elaborar teorias.

   - O meu pai é fã de carteirinha dos Yankees e Dem, eu sinto muito, mas não teve jogo nesse dia. – Oh sim, ela parou de andar no meio refeitório para fitar Selena e repreendê-la. E bem, Selena estava certa e tinha a prova concreta no celular.

   - Você é terrível! Você pesquisou a data do jogo, meu Deus! – Resmungou e entregou a xícara no balcão. – Sel, eu preciso absorver tudo isso, ok? E se você continuar falando e falando eu vou ficar maluca! – Sim, tinha sido ela quem tinha dormido com o possível assassino! Era chocante e assustador.

   - Tudo faz sentido, e não me ignore porque você sabe que é verdade. – Demi caminhava em direção ao elevador, mas Selena a puxou para que elas subissem de escada. – O Jason foi morto por volta da meia noite e o vigia encontrou o corpo as seis e pouca da manhã. – Novamente Demi arregalou os olhos ao olhar para Selena. – O que foi? Um conhecido do Ed é policial, ele só contou isso, o resto das informações são confidencias.

   - Tudo bem Sel, você venceu! – Disse já cansada daquela história e também cansada por ter que subir de escada. – Ele pode ser um suspeito, mas eu o conheço melhor que você, o Ed ou o Joe. Ele parece ser sincero quando diz que sente falta do avô, e ele estava comigo desde as oito da noite. Ele não o matou.

   - Não com as próprias mãos, ele pode ter contratado um assassino profissional. – Demi fez careta, mas não discordou, ela estava assustada demais com aquela teoria de Selena que se encaixava perfeitamente. – E o que ele esconde naquelas fitas? Você sabe que a única coisa que falta para a polícia resolver o caso são as filmagens do corredor que leva para a sala do Jason, e o Jake tem fitas escondidas. É muito suspeito! – Ela teve que assentir, pois quando encontrou acidentalmente aquelas fitas pensou no mesmo. – E o Joe encontrou um perfil infiltrado na rede, todos os dados levam a sala presidencial.

   - Sel, se o Jake é um cara mau, a melhor coisa nós podemos fazer é se afastar dele para não criar mais desentendimentos. Eu não suportaria se ele machucasse vocês, e nós não podemos conversar sobre essas coisas aqui. – As câmeras estavam lá as vigiando e Demi não duvidava que microfones superpotentes estavam embutidos nelas.

   - Você deveria pegar as fitas, nós fazemos uma cópia e devolvemos. – Não! Definitivamente não! Demi parou num degrau para recuperar o fôlego, respirou fundo, fechou os olhos e negou balançando a cabeça. – Não precisamos contar para os garotos, eu posso distrair o Jake enquanto você pega as fitas e faz uma cópia no seu computador.

   - Definitivamente não! É uma péssima ideia! – Disse como se fosse o maior absurdo do mundo.

   - Você protege as suas digitais com luvas e é só inventar uma boa desculpa caso ele apareça. – Selena colocou uma mecha de cabelo atrás da orelha e esboçou o seu melhor sorriso pidão, mas Demi negou. – Dem! Será um peso que vamos eliminar da consciência, você não quer saber o que ele esconde? – Como elas se olhavam enquanto subiam a escada, Demi acabou esbarrando com tudo em alguém e por um pouco não caiu escada abaixo.

   - Você está bem? Desculpa, eu não te vi. – Oh sim, ela a mataria! A primeira coisa que Demi fez foi cerrar os olhos ao ver que se tratava de Mary! Ela estava sentada na escada e o rosto avermelhado com vestígios de lágrimas denunciava o choro.

   - Você está bem? – Apressou-se Selena a perguntar e Demi revirou os olhos quando Sel se sentou ao lado de Mary sem ao menos perguntar se ELA estava bem. Oras! Mary estava sentada e segura, e ela quase tinha rolado naquele tanto de degraus!

   - Eu estou bem. – Aquela voz de anjo era tão falsa que Demi jurava que poderia vomitar a qualquer instante. Ela era tão chantagista e falsa que a lágrima que tinha rolado pelo rosto com certeza era para chamar a atenção, e funcionou tão bem que Selena a olhou pedindo por ajuda quando Mary desabou no choro.

   - Olha, eu tenho que subir. – Disse Demi um pouco sem jeito e Selena arregalou os olhos. – Eu realmente tenho que subir Selena! – Disse franzido o cenho e Selena a fuzilou com os olhos.

   - Está tudo bem! Eu te entendo Demi, mas saiba que eu não estou mais interessada no Joe. Ele é todo seu. – Ela não esperava por aquilo, mas foi um alivio ouvir aquelas palavras mesmo sendo suspeitas.

   - O que aconteceu? – Selena puxou Demi a obrigando a sentar para ajudá-la a consolar Mary. – Você não precisa guardar só para você. – Disse limpando as lágrimas quando a pobre moça a olhou.

   - A minha mãe faleceu. – Aquele sussurro tristonho cortou até o coração de Demi, Mary voltou a chorar e Selena a consolou também derramando algumas lágrimas.

***

   - Isso está uma loucura! – Ed finalmente se sentou a cadeira da mesa onde trabalhava aliviado por ter conseguido controlar aquela mulherada. Era difícil ser um dos únicos dois homens que aquele departamento comportava. – Muitos problemas com a rede? – Perguntou afrouxando a gravata enquanto rolava a cadeira para perto de Joe.

   - Está tudo controlado, eu desenvolvi um bom algoritmo para resolver problemas com invasores, só tenho que ficar de olho. – Disse verificando mais uma vez se tudo estava nos conformes com a rede geral do prédio. – E você? Muito trabalho? – Joe arqueou as sobrancelhas quando uma loira colocou uma pasta sobre a mesa de Ed e piscou para o amigo. – A Selena não vai gostar nada disso. – Ele sorriu para Ed que retribuiu o sorriso.

   - Eu só tenho olhos para ela, a única coisa que posso fazer é evitar essa mulherada. – Disse se ajeitando na cadeira. – E você tem que fazer o mesmo, se a Demi pegar alguma funcionária de olho em você ela vai fazer um escândalo. – Joe sorriu, não porque queria que Demi brigasse com uma mulher por causa dele, mas sim por que ela ficava simplesmente linda corada de raiva e ciúme. – Falando nela, como foi ontem à noite? – Eles sorriram e Ed deu tapinhas amigáveis nas costas de Joe. – Eu falei que ela iria gostar das pétalas de rosas. – Joe fitou os olhos verdes de Ed e assentiu tentando controlar um sorriso e as bochechas coradas.

   - Foi a melhor noite da minha vida, a sensação.. Eu não consigo descrever, mas toda vez que eu olhava nos olhos dela o meu coração batia mais forte, e até agora eu não consigo parar de pensar nela por um segundo. Ela é tão linda, Ed. Mas eu preciso parar de pensar nela, caso contrário o novo produto vai ser vazado e eu vou perder o meu emprego. – Ed riu. Os olhos de Joe brilhavam e ele tinha aquele sorriso apaixonado nos lábios.

   - Isso é amor! – Disse e Joe franziu o cenho, mas sorriu.- E aí? – Ele arqueou a sobrancelha e Joe assentiu sorrindo.

   - Como eu disse, foi a melhor noite da minha vida!  – Ele relaxou na cadeira com um lindo sorriso nos lábios. – Ela me ajudou a não ficar nervoso, nós conversamos e aconteceu. É como você disse, não tem um padrão para seguir, nós.. Nós.. – Ele corou e Ed sorriu assentindo. – Tomamos banhos juntos e comemos com a Lucy, nós acabamos fazendo de novo e quando acordamos. – Eles trocaram um aperto de mão e Ed sorria como um pai orgulhoso.

   - Você é o cara! – Ed tornou a sorrir zanzando na cadeira de um lado para o outro.

   - Eu quero que ela seja oficialmente a minha namorada. – A noite passada tinha sido especial demais para ficar apenas na amizade ou no “nós estamos juntos”. – Quero pedi-la em namoro, comprar alianças e tudo mais. Estou exagerando? – Perguntou fitando os olhos de Ed.

   - Claro que não, você só tem que esperar ela resolver a situação com o Jake. – Droga! Joe resmungou baixinho. Ele estava estressado com Jake e não gostava dele de jeito nenhum.

   - Ela disse que vai falar com ele depois da conferência. – Disse mal humorado e Ed riu de como Joe estava irritado só porque eles estavam falando sobre Jake. – Eles estavam ficando! Era apenas isso, por que ela tem que falar com ele? Eles não estavam namorando nem nada.

   - Eles estavam transando, de alguma forma eles estavam juntos como um casal, não oficial, mas estavam. E é assim que funciona, ela tem que terminar o que eles têm para ficar com você. – Aquilo era complicado! Mas se fosse para Jake não tentar beijar Demi ou ter qualquer intimidade estava valendo.

   - Eu só não quero que ele a toque. – O mau humor foi embora quando ele viu Demi caminhar sem muita pressa em direção ao escritório, mas quando ela o viu começou a caminhar em direção a ele. Ela estava tão bonita vestindo saia, camisa e o cabelo castanho estava lindo preso numa trança que caia pelo ombro esquerdo dela.

   - Oi meninos. – Ela disse esboçando um sorriso forçado que não passou despercebido por Joe. – Tudo bem por aqui? – Demi puxou a cadeira de Selena para se sentar perto de Joe para poder ao menos enlaçar os dedos aos dele já que não podia beijá-lo.

   - Consegui controlá-las, mas depois do almoço a bagunça voltará com força. – Disse Ed e Demi assentiu sorrindo enquanto fitava os dedos de Joe nos dela. – Onde está a Sel? Vocês estavam juntas.

   - Ela está com a Mary. – Disse sem conseguir esconder a tristeza na voz. Ela não gostava de Mary e não se esforçava para gostar, mas vê-la triste porque a mãe tinha falecido era muito triste. – A mãe da Mary faleceu e a Sel está a consolando, eu não sou muito boa com essas coisas, por isso subi. – Ela preferiu não olhá-los, mas quando olhou para Joe teve vontade de abraçá-lo e chorar no peito dele porque por mais que Dianna sempre aprontasse e a desprezasse, a ideia de perdê-la era devastadora.

   - Eu vou falar com ela, onde elas estão? – Perguntou Ed se levantando e Demi olhou para Joe esperando que ele fosse junto.

   - Elas estão na escada. – Disse Demi deitando a cabeça no ombro de Joe. Todos sabiam que ela e Joe eram amigos, então deitar a cabeça no ombro dele não era nada demais. – Você não vai? – Perguntou levando a outra mão para acariciar a dele.

   - Vou, mas o meu celular está vibrando. – Quando Joe tirou o celular do bolso mostrando o nome “Rose”, Demi respirou fundo para se controlar. Era apenas a prima dele! – Oi princesa! – Ela não iria surtar.. Ou iria? Tinha uma grande diferença de princesa para gatinha, como ele costumava chamá-la. – Eu também Ro, sinto a sua falta. – Joe sorria enquanto conversava no celular e aquela conversa durou tantos minutos que Demi teria cochilado se a bagunça não tivesse tomado conta daquele departamento de novo. Tudo tinha ficado de cabeça para baixo do nada! As mulheres que trabalhavam naquele departamento eram inteligentes, mas algumas exageravam no drama e Demi fez de tudo para ser gentil e educada com elas, assinou papéis, por alguns minutos conversou sem tirar os olhos de Joseph e corrigiu erros. Parecia que o tempo tinha congelado e Joe continuava conversando com a prima no celular. Demorou tanto e quando finalmente ele pareceu encerrar a ligação, Mary surgiu abraçando Selena de lado. A cena era tão triste que Demi engoliu em seco e respirou fundo para não chorar. Ela preferiu observar de longe Joe caminhar até Mary e abraçá-la deixando que ela chorasse em seus braços.

   - Eu vou levá-la em casa Dem. – A voz de Selena quebrou o transe de Demi. Ela estava escorada em uma das mesas e fitava a enorme janela panorâmica, apenas olhava para a vista da cidade com a mente limpa. – Vou levar a Mary em casa. – Selena tornou a dizer a olhando nos olhos e Demi assentiu umedecendo os lábios e respirando fundo.

   - Eu queria dizer alguma coisa, mas acho que eu não vou ajudar muito. – Disse tristonha e Selena negou balançando a cabeça. – Você sabe que eu não sou muito boa em consolar as pessoas.

   - Tudo bem. – Disse Selena com pesar mais focada em Mary que na conversa com Demi. – Dê um jeito de tirar a licença para ela e mais alguns dias adicionais, o enterro é no outro lado do país. – Demi assentiu e Selena nem se despediu, apressou o passo para verificar se Mary estava bem a deixando sozinha. Não tinha problema.. Ela não iria surtar por bobeira. A consciência pesou quando o ciúme começou a incomodá-la ao ver Mary rodeada por Joseph, Selena e Ed. Era melhor cuidar da licença, Demi caminhou até o escritório e quando o adentrou rapidamente imprimiu uma licença e a assinou dando a Mary o tempo necessário para ela se organizar.

   - Onde a Mary está? – Disse assim que abriu a porta do escritório com o envelope onde estava a licença em mãos e ela até estava disposta a dar um abraço em Mary e dizer que tudo ficaria bem.

   - A Sel a levou com o Ed. – Joe coçou a nuca e olhou para os lados verificando se alguém os olhava, e bem, ele sorriu timidamente acenando de volta para um grupinho de colegas que sempre tiravam dúvidas com ele sobre os seus celulares “defeituosos”... – O voo dela está marcado para uma da tarde, não daria tempo caso ela esperasse até o horário de almoço para ir para casa e arrumar as bagagens. – Demi assentiu e abriu a porta do escritório convidando Joe para entrar. Ela aproveitou para lançar um belo olhar mortal para aquelas mulheres que devoravam Joe com os olhos.

   - Infelizmente só consegui uma semana. – Demi colocou o envelope sobre a mesa e se sentou a cadeira indicando que Joe se sentasse em frente a ela onde geralmente os clientes se sentavam. – A empresa não pode liberá-la por muito tempo já que nós temos duas semanas especiais pela frente, mas eu posso falar com o Jake. – Joe assentiu fitando os olhos dela. Ele queria enlaçar os dedos aos dela e beijá-la na boca, mas não podia porque estavam sendo vigiados.

   - Estou te esperando na reprografia. – Joe piscou para ela e se levantou logo a deixando sozinha. Como diabos ela conseguiria passar sem que aquelas fofoqueiras desconfiassem? Ela sorriu para a ideia que teve.



   - Joseph! – Ela mal tinha adentrado a sala e Joe a puxou pela cintura e a beijou no queixo. – Eu tive que subir para departamento de cima e descer de escada para que ninguém desconfiasse, por isso demorei. – Joe assentiu envolvendo a cintura dela com os braços colando os corpos e a beijou com paixão.

   - Senti saudades! – Disse distribuindo beijinhos pelo rosto dela arrancando um sorriso de orelha a orelha de Demi. – Muitas saudades. – Ele apertou o abraço os fazendo sorrir e encostou Demi contra a porta da sala. – O seu queixo é lindo. – Disse deslizando o dedo pelo queixo dela a fazendo sorrir. – E eu amo o seu sorriso! – Foi aí que ela sorriu lindamente enlaçando o pescoço dele com os braços.

   - Eu também amo o seu sorriso. – Olharam-se sorrindo, vez fitavam os olhos, vez fitavam os lábios até que Demi se esticou para conseguir beijá-lo na boca, claro que Joe a ajudou se curvando e retribuiu o beijo gentilmente a tocando na cintura com firmeza. – Joseph.. – Gemeu quando ele a sentou na bancada começando a beijá-la no pescoço e tocá-la nos seios. – Pensei que você ficaria com a Mary. – Disse e ele franziu o cenho ao olhá-la. – Levá-la ao aeroporto, eu pensei em ir junto, mas nós não somos próximas e eu não sei o que dizer sobre essas coisas. – Joe pôs-se entre as pernas dela, acariciou as coxas nuas repousando as mãos nos joelhos.

   - Não fui porque eu não queria que você ficasse chateada gatinha. – Joe roubou um selinho e depois outro fazendo Demi sorrir. – E muita gente tumultuaria, ela precisa de apoio, mas também precisa de espaço. – Demi assentiu fitando o peito dele.

   - Eu não ficaria chateada. – Disse e Joe arqueou uma sobrancelha a olhando. – Admito que tenho ciúme de você com ela. – E de Selena e Ed com Mary, mas ela não faria uma cena desnecessária. – Mas eu não quero bancar a namorada ciumenta que te proíbe de ter amigos. Isso é absurdo. Você está comigo, não quer dizer que deve deixar de fazer as suas vontades para me agradar. – Joe assentiu e ficou quieto quando Demi tirou os óculos que ele usava e o beijou no canto da boca. – Eu só tenho um pouquinho de ciúme, mas se ela tentar alguma coisa e você deixar.. Apenas não faça isso. – Eles sorriram se olhando, Joe a abraçou repousando a cabeça na curva do ombro dela aproveitando para sentir o cheiro do perfume dela que o deixava inebriado de paixão.

   - Eu só consigo pensar em você. – Confessou manhoso a beijando ali mesmo no pescoço. – Até para trabalhar está sendo difícil, parece que eu estou hipnotizado. – Demi gargalhou, retribuiu o abraço dele aproveitando para deslizar as mãos pelas costas largas já dentro da camisa jeans sentindo cada músculo e como ele era quente na palma de suas mãos. – Hum.. – Ele ronronou gostando do carinho que ela fazia no cabelo da nuca e dos beijos que recebia no peito.

   - Quanto tempo para o horário de almoço? – Perguntou puxando o corpo dele com as pernas para roçar mais o dela.

   - Cinco minutos. – Ele retribuindo o carinho levando as mãos para as pernas dela para acariciá-las.

   - Tranca a porta. – Pediu Demi começando a desabotoar os botões da camisa que vestia e Joe o fez o mais rápido que pode ansioso para voltar para os braços dela. – Preparado para a sua primeira rapidinha? – Ela sorriu quando as bochechas dele coraram e Joe assentiu com um tímido sorriso nos lábios. Beijaram-se trocando carinhos por poucos minutos até que Demi desabotoou o botão da calça jeans para facilitar que a mão escorregasse para o membro dele.

   - Dem, você tem preservativo? – Perguntou corado e sentindo arrepios porque a mão dela o tocava com cuidado e precisão. – Eu não tenho nem um. – Ele gemeu de cenho franzido embolando a saia que ela vestia para que pudesse tocá-la como ela fazia.

   - Você confia em mim? – Demi estava tão desesperada para revelar o peito magnífico dele e acariciá-lo no membro que não soube se desabotoava a camisa ou se o apertava na palma da mão. – Anticoncepcional, estou saudável. – Disse louca para beijá-lo no peito e Joe a impediu segurando gentilmente o rosto dela para que o olhasse.

   - Eu confio em você. – A voz dele soou calma e firme enquanto ele a olhava profundamente nos olhos. – Mas você tem certeza que é seguro? – Ele deu um selinho nos lábios dela e acariciou o queixo que tanto gostava.

   - Tenho amor, não vou ficar grávida. – Joe assentiu e diferente de Demi, ele a beijou e a acariciou sem muita pressa quebrando o conceito da rapidinha. As mãos deslizavam com paixão pelo corpo dela tocando a cintura e os mamilos marrons quando ele abaixou o sutiã relevando os seios bonitos. Trocaram beijos intensos e sorriram quando se olhavam ofegando.

   - Eu quero ter um bebê com você. – Demi não esperava que ele dissesse aquela frase. Não quando ela o ensinou a afastar a calcinha para o lado e a penetrá-la na posição que estavam: ela sentada sobre o balcão e ele entre as pernas dela. – Não agora, está muito cedo, mas eu quero. – Ele a beijou e disse aquelas palavras entre um gemido e outro se movendo.

O coração dela derreteu no peito, por alguns minutos Demi ficou quieta com a cabeça escorada no peito dele o sentindo entrar e sair enquanto ela pensava naquelas palavras. Ele queria ter um bebê com ela! Será que Joe tinha noção de como ele tinha a afetado? De como aquilo era importante para uma mulher como ela? A emoção que a tomou foi tão grande que Demi se agarrou mais a ele, beijou o peito moreno e quando o olhou nos olhos ela transbordou de paixão.

   - Eu acho que eu te amo, te amo muito Joe. – A voz soou carregada de emoção naquela sala silenciosa, o ritmo dele retardou e os olhos verdes se fixaram aos dela sem ousar em desviar o olhar. – Eu não consigo explicar, mas o que eu sinto por você é forte. – Ela umedeceu os lábios e o olhou um pouco nervosa, será que ele iria fugir?

   - Eu também Demi. E eu quero tudo com você. – Depois que ele disse aquelas palavras Demi fechou os olhos para beijá-lo e o ajudou a se mover sem pressa, rodeou a cintura dele com as pernas o trazendo mais fundo até que ele estava todo abrigado no calor dela arrancando altos gemidos dois.



   - Isso foi muito bom. – Joe a mordiscou na orelha e quando a olhou sorriu de orelha a orelha. Ambos ainda ofegavam e tinham as roupas desgrenhadas assim como o cabelo.

   - Nós podemos escapar sempre que quisermos, quase ninguém vem aqui. – Demi acariciou o rosto dele, adentrou as mechas de cabelo com os dedos tentando arrumá-los, mas Joe grunhiu manhoso algo sobre ela ter puxado um fio. – Meu Deus! Que menino chorão. – Ele pediu por um beijo e ela o deu com maior prazer aproveitando para abraçá-lo. – É melhor a gente limpar essa marca de batom do seu pescoço. – Ao menos as marcas de batom do peito seriam cobertas pela camisa. – Vamos nos organizar Joseph, nós ainda temos que almoçar. – Ela fechou os olhos para sentir os beijos e os chupões que ele distribuía nos seios dela. – Almoço! – Grunhiu tentando parecer brava o puxando pelo cabelo da nuca, e Joe a beijou na boca.

   - Eu estava pensando. – Começou a dizer arrumando as calças ao corpo e Demi a arrumar os seios nos sutiã e abotoar a camisa. – A gente podia sair hoje à noite, o que você acha? Só eu e você. Podemos ir ao cinema, comer e você pode me levar num dos seus lugares favoritos. – Quando ela terminou de abotoar a camisa que vestiu, o acariciou no peito com as mãos e o beijou ali assentindo. – Nós podemos dormir bem abraçadinhos ou se você quiser posso te deixar no seu apartamento. – Demi sorriu começando a abotoar os botões da camisa dele.

   - Prefiro dormir com você. – Ela deu um selinho nos lábios dele levemente corada por Joe estar a ajudando com a saia embolada na cintura. – Que horas amor? – Perguntou arrumando a gola da camisa dele. Era tão bom sentir o cuidado e o carinho que Demi dava a ele, e o jeito apaixonado que ela o olhava? Joe queria abraçá-la e nunca mais soltá-la.

   - Às sete e meia? – Ele a beijou suavemente e enlaçou os dedos aos dela. – Eu vou correr no parque mais cedo, porque você não vem junto? – Demi juntou os lábios aos dele e por um pouco o clima esquentou.

   - Eu sei de exercícios melhores que vai te deixar muito cansado e em forma. – Ah! As bochechas dele coraram e Demi riu apoiando a cabeça no peito largo. – Não estou brincando.. – Ela piscou para ele e levou aquelas mãos grandes másculas para a sua cintura e o beijou na boca. – Às sete e meia. Está perfeito. – Disse ainda nos lábios dele e tornou a beijá-lo na boca. – Vamos? Eu não quero que você fique sem almoçar por minha culpa. – Joe a ajudou a descer do balcão em meio aos beijos e amassos, até para destrancar a porta da sala foi uma verdadeira luta.

   - Só mais um beijo. – Ele disse e Demi olhou para os lados procurando por algum curioso, e como estavam sozinhos ela o beijou tendo que controlar as mãos dele que a tocava no bumbum e nos seios.

   - Não era só um beijo? – Disse tentando soar brava, mas acabou sorrindo e roubando um selinho quando ele se curvou. – Comporte-se amor, nós podemos namorar mais tarde. – Joe assentiu com pesar já que teria que fingir que era apenas amigo dela durante o resto do dia. Era castigo demais! Ele a beijou na testa e eles deram os primeiros passos em direção ao corredor.

   - Esqueci os meus óculos, já volto. – Demi assentiu e quase teve um ataque do coração quando Joe roubou um selinho e alguns instantes depois Jake surgiu do nada.

   - Ei princesa! – Ele tirou os óculos de sol e a cumprimentou com um selinho. O coração de Demi quase saiu pela boca, os olhos estavam levemente arregalados e ela forçou um sorriso para tentar disfarçar o nervoso. – Eu precisava mesmo falar com você. – Diferente do terno e gravata, Jake estava de camisa polo, bermudas e dockside, a típica imagem de um rico. – Hoje à noite é o jantar com os sócios da empresa, eu passo para te pegar às sete. E eu não aceito não como resposta. – Ele disse a última frase quando Demi iria abrir a boca para recusar o convite. – Eu quero muito que você vá, ainda não conheço todos os sócios do vovô e todos estão falando que nós temos a Designer mais brilhante desse país, terá muita gente importante, será ótimo para a sua carreira.

   - Jake, eu não posso, já tenho comprom... – Ela tentou se esquivar, mas ele a beijou a calando.

   - O trabalho vem em primeiro lugar, eu tenho certeza que você poderá remarcar. – Ele tornou a beijá-la, mas Demi não retribuiu o beijo. – Hoje as sete Lovato, esteja linda como sempre princesa. – Ela iria vomitar! Jake a beijou tão profundamente e não tinha como acabar aquilo, ele a segurava firmemente e a língua tocava a dela com ousadia. – Ah! A conferência foi adiada para o dia vinte, te vejo mais tarde. – Ela corou com o tapa que ele deu no bumbum dela a deixando sozinha naquele corredor. O que diabos tinha sido aquilo? Não deu tempo de pensar em nada, Joe passou por ela a passos rápidos sem ao menos olhá-la.

   - Joseph? – Ela se apressou para alcançá-lo, e quando ele a olhou o coração dela se partiu em milhares. Ele estava tão chateado. – Amor, por favor, eu sei que eu não tenho o direito de te pedir, mas.. – Demi desviou o olhar do dele sem saber o que dizer. Era horrível machucá-lo, mas eram tantas questões envolvidas..

   - Mas o que? Você vai sair com ele? – Ele disse um pouco alterado. – Eu não vou ficar com você às escondidas, e definitivamente não vou te compartilhar mais esse crápula. A escolha é sua: eu ou ele. – Dito aquelas palavras Joe deu as costas a deixando sozinha.



Continua... Oiiii! Tudo bem com vocês? Tô grogue, mas bem! Finalmente o capítulo saiu, e eu espero que vocês gostem, está pertinho de uma terrível confusão estourar entre essa galera. E aí, o que vocês acham que a Demi fará? E será que foi o Jake que matou o Jason? Muita prova aponta para ele né.. Muitas coisas ainda acontecerão.. Continuarei trabalhando nos capítulos para postar para vocês. E sobre os "hots", desculpem, eu não estou muito inspirada para escrever esse tipo de coisa.. Mas tá valendo né? Obrigada pelos comentários meus anjinhos, repostas AQUI. Beijos e até o próximo capítulo. 

8 comentários:

  1. Aiiiinnn, que tensão nessa última parte... Deu uma peninha da Demi, sério!!! Mas eu acho que ela tem que resolver logo isso com o Jake, e tô achando que o jake não tem mais nada haver com o assassinato do avô, sei lá kkkkk. Já quero o próximo cap o mais rápido possível, pleaseeee. Bjos linda, até a próxima

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A Demi vacilou muito no início dessa bagunça, então tá na hora dela sofrer um pouquinho, não? hehehe
      Ela tentará resolver, vamos ver como ela vai jogar as cartas na mesa e como o Jake vai revidar. E será que ele não tem envolvimento nesse assassinato? Confuso né? kkkkkk ainda tem muito chão pela frente! Obrigada por comentar! Beeeeijo

      Excluir
  2. Que capítulo maravilhoso!!!!
    A Demi tem que terminar logo o que ela tem com o Jake, não vejo a hora dela e do Joe assumirem o relacionamento.
    Também to achando que o Jake não matou ou mandou matar o avô dele. Deve ter alguma coisa por trás disso tudo.
    Amei o cap, continua!!! Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigadaaa, fico feliz que você gostou. Vamos o que dá né? Não é possível que o Jake vai segurá-la, até porque a início ele só estava interessado nela por conta da parada do cofre do avô, como a Demi não sabe de nada então ela não tem utilidade para ele... E mesmo que ele disse a Dianna que quer a Demi apenas para sexo, não cabe apenas a ele escolher... Será que o Jake não mandou matar o Jason? Por que você acha isso? hehehe fiquei curiosa! E sim, tem algo por trás disso tudo ;p Beijo!

      Excluir
  3. A Demi tem que resolver logo isso do Jake :c adorei Jemi falando sobre bebês esperamos futuramente um casamento kkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ela vai resolver! Ou tentar hehehe Imagina só bebês jemi? Seria tão fofo! E um casamento? Isso me faz pensar numa segunda temporada, mas vamos ver primeiro o que vai acontecer nessa história. Beijo!

      Excluir
  4. Eu derreti aqui com Joe falando sobre filhos, abre o olho Demi se vacilar eu pego!
    Gostei do esporro que ele deu nela, tudo bem que ela quer ver onde isso vai dar mas já to de saco cheio e aposto que Jake sabe dela e do Joe e ta fazendo de tudo para atrapalhar meu casal, filho da mãe.
    Eu já não sei se foi o Jake que matou ou mandou matar o Jason, você já confundiu minha mente.
    POSTA LOGO!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkkkkkkkkkkk O Joe é um amor! Será que o Jake sabe sobre Jemi? Hum.. Já está na hora da Demi desencanar do Jake e da Dianna, chega de sofrimento né? Ela tem que curtir o Joe e assumir que está com ele. Isso será muito importante para o Joe, até porque ele é um cara que está se descobrindo agora, ele meio que deixou de ser um garoto dependente da avó para ser um homem independente numa cidade grande. Ele precisa dar mais um passo no relacionamento com a Demi para ajudar a moldar mais a imagem dele, mas vamos ver no que dá né? Uma hora eles vão ter que assumir! hahaha missão bem sucedida! O Jake é um cara "mau", isso é um fato e ele é mais canalha do que vocês imaginam.. Observa nos próximos capítulos... Obrigada por comentar, beijo!

      Excluir