20.9.16

Capítulo 23

Fitar os olhos azuis de Jake tinha sido difícil, mas aos poucos, conforme ele a tocava e beijava com carinho, Demi abaixava a guarda se permitindo relaxar e não pensar em besteiras. Deveria ter alguma explicação para aquela câmera em seu escritório. Respirou fundo, aos poucos ela empurrou Jake o distraindo com beijinhos pelo pescoço até que ele estava sentado no sofá de olhos fechados e com um pequeno sorriso nos lábios.

   - Tudo bem? – Demi assentiu forçando um sorriso para Jake. Era só receio e desconforto por estar aos beijos em horário de trabalho, sem contar que ela não entendia o porquê de estar sendo vigiada.

   - Eu.. – Demi se ergueu arrumando a roupa no corpo e colocou uma mecha do cabelo atrás da orelha. – Não me sinto confortável.. Estamos trabalhando, tudo bem? – Jake fez bico, mas acabou assentindo e roubando um breve beijo dos lábios dela.

   - Tecnicamente estamos no horário de almoço. – Disse Jake a puxando para perto e Demi aproveitou para deitar a cabeça no ombro do rapaz o abraçando de lado.

   - O horário de almoço acabou tem.. – Demi olhou a hora no relógio de Jake e arqueou as sobrancelhas ao olhá-lo nos olhos. – Cinco minu..tos. – Ela sorriu entre o beijo apenas porque gostava de como os olhos de Jake eram azuis.

   - Tudo bem. – Eles tinham ficado em silêncio depois que Jake a beijou na testa e Demi resolveu fechar os olhos quando ela se lembrou da conversa com Selena mais cedo. Jake não parecia ser um cara mal, Demi franziu o cenho e abraçou mais o corpo do rapaz escondendo o rosto no pescoço dele. O cheiro do perfume era diferente do de costume, mas ela tinha uma vaga lembrança de conhecê-lo de algum lugar... – Como estão as coisas com o projeto? – Perguntou deslizando as pontas dos dedos pelas mechas de cabelo de Demi.

   - Preciso acertar alguns detalhes, nada demais, o pessoal já desenvolveu boa parte dos hardwares. – Demi enlaçou a gravata preta que Jake usava em seus dedos brincando também com os botões da camisa branca. – Sobrou só a web para mim. – Os olhos de Demi encontraram a estante e automaticamente ela fitou o livro de Beethoven. Porque diabos aquelas fitavas e Cds estavam lá?

   - Nós temos uma conferência dentro de algumas semanas. – Comentou. – O vovô costumava dividir o palco com você. – Jake a olhou com curiosidade e Demi apenas sustentou o olhar dele. – Quer dividir o palco comigo? Eu sou novato nessa área e você já é uma veterana, o pessoal te adora. – Demi umedeceu os lábios e assentiu. As conferências eram simplesmente fantásticas e tão divertidas. Jason a colocava em cada saia curta ao vivo, mas ela era esperta demais e sempre revidava da melhor forma que conseguia. Não era à toa que os dois faziam as melhores conferências dos produtos da Gyllenhaal.

   - Será divertido. – Ela disse sorrindo para as lembranças de Jason e uma plateia de homens e mulheres loucos por tecnologia. – E não pense que eu vou pegar leve com você. – Demi riu da careta de Jake se levantando. – Agora eu vou voltar para minha sala, tenho milhares de coisas para fazer. – Ela lançou um breve olhar para o notebook sobre a mesa de Jake e logo o olhou forçando um sorriso. – Muitas coisas para fazer. – Disse sem jeito enrolando uma mecha de cabelo no dedo. – A gente se vê depois. – Beijá-lo era estranho, mas Demi o fez quando se curvou para pegar o celular.

   - Está tudo bem? Você está estranha. – Jake se levantou também e Demi teve que controlar as batidas descontroladas do coração.

   - Está, a gente se vê depois. – Ela foi rápida demais, beijou a bochecha de Jake e saiu às pressas daquela sala podendo finalmente respirar segura de que nada de ruim iria acontecer.

 Ainda no escritório Jake franziu o cenho estranhando toda aquela situação com Demi, ela costumava ser tão espontânea e risonha. Sem contar que ela tinha fugido dele como o diabo foge da cruz. Intrigado, Jake caminhou até a mesa e verificou o celular que tinha esquecido ali. Milhares de chamadas perdidas de Dianna. Ele se repreendeu para não falar um palavrão, sorte era que o contato de Dianna estava gravado com outro nome. Será que Demi tinha visto? A chamada era de poucos minutos atrás, hora em que Demi estava naquela sala o esperando.

   - O que diabos você quer? – Disse completamente irritado assim que Dianna atendeu ao celular. – Eu já disse que não quero que você me ligue. – Esbravejou se sentando a cadeira presidencial que pertencia a Jason.

   - Não seja grosso querido, você esqueceu a carteira. – Jake embrenhou os dedos nos cabelos e os puxou sem muita paciência. Não tinha sido uma boa ideia se encontrar com Dianna, não quando ela lhe tirava toda a paciência e as notas da carteira.

   - Eu não estou com paciência para o seus joguinhos. – Resmungou irritado com a ideia de ter que encontrá-la novamente. – E é melhor você dá uma prensa no seu filhotinho, não é hora de bancar a super mãe. Eu preciso daquela senha Dianna, se você quiser mais um tostão é melhor começar a agir.

   - Não jogue essa responsabilidade para mim, você pode muito bem conseguir o que quiser da Demi, Deus, você é tão burro! Ela não está falando com a melhor amiga e a culpa é sua. Ela preferiu acreditar em você a acreditar na pobretona.

   - Até que você é esperta para uma vadia. – Jake esboçou um sorriso charmoso pensando no próximo passo que daria. – E não seja invejosa Dianna, a Srta. Gomez é uma delícia. – Deitando a cabeça para trás Jake sorriu com a lembrança da noite do aniversário de Selena, mas o sorriu sumiu ao se lembrar de Joseph e tudo que ele tinha feito para estragar os seus planos. Ele tinha se dedicado tanto para conseguir drogar Selena no curto tempo que conseguiu quando Demi virou as costas com a desculpa que precisava de um pouco de ar. Ed estava envolvido demais conversando no celular e Selena estava sozinha já zonza dançando, mas Joseph apareceu com Demi a sua cola. – Que tal se você trabalhar na cabeça da sua menininha? Ela é tão inocente que nem vai perceber que você está a colocando contra a Selena, pelo menos até eu conseguir o que eu quero.

   - Você só tem que me prometer que não vai machucar a Demi. – Dianna sabia muito bem o tipo de homem que Jake era. Fazia de tudo para conseguir o que queria sem se importar com o que deveria ser feito.

   - Dianna, Dianna. – E novamente aquele sorriso charmoso estava nos lábios de Jake. – Eu não vou machucá-la, jamais. Ela é uma gracinha e tão linda que eu poderia guardá-la num potinho Dianna. – Jake sorriu acariciando o próprio queixo. – Eu não sou um monstro, eu só quero o que é meu por direito, e eu não tenho dúvidas que a Demi sabe onde está a senha do cofre do vovô, ela era a única que ele confiava dentro dessa empresa.

   - Então faça o que deve ser feito Jake, e eu quero a parte que combinamos. – Dianna poderia estar começando a gostar de Demi mais do que deveria, mas ela ainda era uma mulher que fazia tudo por dinheiro, absolutamente tudo.

A ligação foi encerrada e Jake pensou muito a respeito do Dianna havia dito. Ela tinha razão, Demi confiava e acreditava nele, caso contrário ela não estaria brigada com Selena. Talvez ele deveria tentar conseguir alguma informação... Os pensamentos foram interrompidos quando o celular vibrou. Jake engoliu em seco e atendeu a ligação sendo o mais cauteloso possível, sempre respondia a pessoa do outro lado da linha com os olhos fixos a porta... Até que o notebook lhe chamou a atenção e então ele soube o motivo para Demi estar estranha. Ela tinha visto.

   - Eu também querida. – Ele disse baixinho e encerrou a ligação se levantando.


***

Qual era mesmo o problema daquelas pessoas? Umedecendo os lábios, Demi transitou de uma mesa para outra conferindo o trabalho dos seus funcionários. Aquele departamento estava uma bagunça e com a conferência do novo produto da Gyllenhaal tudo teria que estar em ordem.

   - Eu preciso desses dados ainda hoje. – Ela disse fazendo notas na agenda eletrônica enquanto caminhava de uma mesa para outra. Ouviam-se apenas múrmuros por onde ela passava. Ora, o que ela deveria fazer? Às vezes estava tão sobrecarregada com outras coisas que alguns assuntos ficavam de lado, e como Selena estava afastada, não havia sobrado ninguém para ajudá-la. – Algum problema? – De tanto transitar de um lado para o outro Demi acabou por esbarrar em Joseph, e pela cara do rapaz, ele não parecia muito bem.

   - Eu.. Eu estou bem. – Há quanto tempo ela não o via gaguejar daquela forma fofinha? Era só uma pena que Joe não a olhava nos olhos e quando ele já iria virar as costas Demi o chamou.

   - Joseph! Você está bem? – Ela perguntou preocupada e tentando manter a calma. O homem ficava simplesmente lindo vestido com aquela camisa verde xadrez folha, calça e sapatos escuros!

   - Estou. – Ele murmurou a olhando rapidamente nos olhos. – Você precisa de alguma coisa? – Aquele tom profissional a irritou profundamente, Demi cerrou os olhos e segurou-se para não gritar com ele. Porque diabos Joseph não a olhava nos olhos? Porque ele não sorria para ela? Machucava tanto saber que ele estava chateado e a culpa era toda dela.

   - Você mandou um estagiário Joseph. – Disse Demi cruzando os braços observando Joseph adentrar os bolsos da calça com as mãos ainda sem olhá-la. – Pensei que nós fossemos amigos! – Ele ainda não a olhava, preferia ficar cabisbaixo sem dizer uma palavra sequer. – O gato comeu a sua língua? – Ele estava começando irritá-la profundamente com aquele silêncio. Ao mesmo tempo em que Demi queria arrastá-lo para uma sala privada para beijá-lo como se não houvesse um amanhã, ela também queria esbofeteá-lo.

   - Eu tenho trabalho para fazer. – Ah! Aquilo não ficaria assim, quando Joseph começou a caminhar em direção a mesa onde trabalhava, Demi não saiu da cola do rapaz.

   - Que fique claro que eu só vou entregar aqueles documentos para você! – Ela disse um pouco alto demais chamando a atenção de boa parte das pessoas que estavam trabalhando naquela tarde. Selena era uma delas.

   - Tudo bem, eu vou buscá-los. – Quando ele a olhou nos olhos as bochechas de Demi coraram e por alguns segundos ela não conseguiu desviar o olhar do de Joseph por nada, tudo que importava eram aqueles olhos lindos. Caso percebesse que todos estavam os olhando Demi certamente coraria mais do que o normal. E Joseph, bem, ele estava tão envergonhado que acabou se atrapalhando deixando alguns papeis que estavam sobre a mesa caírem. – Eu.. eu.. eu arrumo depois. – Ele murmurou baixinho completamente sem jeito e acompanhou Demi que caminhava em direção ao escritório sem coragem de olhar para os colegas.

   - Você não vai mesmo conversar comigo? – Demi procurou a pasta com os documentos e verificou se tudo estava em ordem.

   - A Lucy sente a sua falta. – Foi tudo que ele disse baixinho mal a olhando.

   - Joseph. – Demi se aproximou deixando os documentos sobre o sofá e o olhou. – Eu sinto a falta de vocês. Não precisa ser assim. – Ele apenas levou a mão à testa e assentiu parado sem olhá-la.

   - Está tudo pronto? – Disse se referindo aos papéis e Demi arqueou as sobrancelhas logo cerrando os olhos.

   - Não vou te entregar nada até que você volte a conversar normalmente comigo. – Ela seria insistente. Não cederia e perderia mais um amigo.

   - O que você quer Demi? – Perguntou cansado daquele jogo. Aquilo nunca acabaria se um deles não cedesse.

   - O meu amigo de volta! – Demi se aproximou mais um pouco e as bochechas de Joe coraram. Ela não fazia de propósito, não mesmo, era só que o corpo queria ficar colado ao dele como um imã. – Quero conversar com você sobre as histórias em quadrinhos, quero assistir desenho animado com você, disputar para ver quem vai levar a Lucy para passear. Dar voltas no quarteirão. – Por alguns segundos ele sorriu, direcionou o olhar ao dela, mas logo ele se lembrou de tudo que tinha acontecido, de como Demi tinha partido o seu coração naquela noite. E de como ele estava decepcionado com ela. – Eu sinto a sua falta Joe, de verdade. – Ela parecia tão sincera, e Joe acreditava nela. Ele a olhou nos olhos se sentindo péssimo por não poder protegê-la em seus braços, por ela não ser apenas dele. O olhar de Demi era tão intenso, ela não dizia nada, só se aproximava perigosamente do corpo dele e por mais que a razão ordenasse que ele corresse dos braços de Demi, Joe deixou que ela ficasse na ponta dos pés para beijá-lo na boca.

O beijo aconteceu com tanta naturalidade, com tanta paixão e precisão. Demi encurralou Joseph contra a porta fechada do escritório pressionando o corpo ao dele necessitando de sentir o calor do copo masculino aquecê-la e envolvê-la com aqueles músculos fortes. E ele não se deixou dominar por ela, estava encurralado, mas não significava que deveria ficar parado e deixá-la fazer tudo. O instinto o guiou e Joe abraçou firmemente o corpo de Demi contra o dele participando do beijo tocando a língua dela com a dele.

   - Se você me quer como amigo, a gente não pode mais faz..ze..zer isso! – Joe estava tão ofegante e atrapalhado com as palavras, tudo por conta da dose de consciência que resolveu atrapalhar o seu momento mágico. – Apenas amigos. – Mil vezes droga! Por que diabos o corpo dele estava tão quente e parecia que esquentava mais? Fitar Demi de olhos fechados o deixava tonto de calor. – Amigos.. – O sussurro escapou dos lábios dele e Joe não pode deixar de beijar a bochecha de Demi, que não perdeu tempo e alcançou os lábios dele com os dela. – Você não pode fazer isso comigo Demi. – Ele disse de cenho franzido assim que eles finalizaram o beijo ofegando. – Você está machucando o meu coração.

   - Joe.. – Demi o olhou se sentindo péssima por vê-lo desanimado. Eles estavam bem e de uma hora para outra as coisas haviam mudado.

   - Acho que não é uma boa ideia essa história de sermos amigos. – Ele disse e Demi não gostou nada do que havia acabado de ouvir. – É melhor a gente esquecer tudo que aconteceu, cada um vai para um lado. Você com o seu na..namorado e quem sabe as coisas não funcionam comigo e a Mary? – Droga! Demi cobriu a boca com a mão logo a levando para a testa.

   - Desculpa, é só que.. – Demi o olhou e não soube o que dizer, mas se afastou de Joe porque se ela continuasse tão próxima dele acabaria fazendo uma besteira.

   - Você não pode fazer isso comigo Demi. – Ele tornou a dizer baixinho e de cenho franzido. – Eu tenho trabalho para fazer, você pode me entregar os documentos? – Relutante Demi assentiu sabendo que não tinha como obrigá-lo a nada, era até confuso para ela, pois Joe tinha razão, ela não poderia machucá-lo.

   - Amigos? – Perguntou assim que buscou os documentos.

   - Boa tarde Demi. – Ele pegou os documentos das mãos dela a olhando nos olhos, desviou o olhar e virou as costas para abrir a porta.

   - Joe? – Ela o chamou e antes de abrir a porta Joe a olhou. Pelo olhar dele, Demi soube que Joe estava tão infeliz quanto ela, ele não disse nada, abriu a porta do escritório e o coração de Demi quase saiu pela boca quando eles se depararam com Jake que se preparava para bater à porta.

   - Posso falar com você? – Ele não parecia chateado. Droga! Demi arregalou os olhos ao se lembrar da câmera que estava dentro daquele escritório. Será que Jake tinha a visto aos beijos com Joseph? Diabos!

   - Claro! – Demi forçou um sorriso para Jake, mas Joseph lhe chamou a atenção quando riu baixinho e balançou a cabeça em descrença.

   - Algum problema? – Ela não iria perguntar, iria deixar Joe voltar a trabalhar em paz, mas Jake tinha o feito. Oh sim, ele abordou o rapaz de uma forma tão arrogante e prepotente que Demi franziu o cenho.

   - Apenas esses documentos. – Joe ergueu a pasta mostrando os documentos e sustentou o olhar de Jake.

   - É melhor você voltar para a sua mesa, sempre o vejo transitando pelos corredores. – Jake não usou o tom rude, mas ficou claro o que ele realmente queria dizer...

   - Ele estava resolvendo algumas coisas para mim. – Demi corou com o olhar que recebeu dos dois homens, ambos curiosos para saber o que ela tinha mais a dizer. – Não vou mais te atrapalhar. – Disse para Joe que franziu o cenho e saiu depois de pedir licença baixinho.

   - Desculpe meu anjo, não é só porque ele é seu amigo que você precisa defendê-lo. – Demi nada disse, Jake fechou a porta do escritório e a puxou para os braços a beijando na testa. – Infelizmente eu tenho que ser duro com o pessoal, sou novo por aqui e muitos não me levam a sério. Não quero destruir tudo que o vovô construiu. – A forma que Jake falou sobre Jason era tão profunda, Demi nunca tinha o visto com aquele olhar e ar triste.

   - Tudo bem, eu entendo. – Ela disse forçando o melhor sorriso que podia. Deus! Ela estava sendo filmada e de alguma forma estar com Jake a assustava.

   - Eu.. eu tenho algo para dizer. – Jake enlaçou os dedos aos dela e a levou para o sofá. – Você estava tão.. tão estranha no meu escritório. – Ele começou a dizer acariciando os dedos dela e Demi preferiu observar aquele ato já que não conseguiria olhar nos olhos de Jake. – Eu deveria ter contado para você, mas eu estava com medo. – Agora ele conseguiu chamar a atenção dela e Demi o olhou nos olhos esperando o que estava por vir. – A polícia esteve aqui no prédio. Eles instalaram câmeras em algumas salas. Eles acham que o assassino pode tentar alguma coisa, eu não sei.. As investigações são confidencias e a polícia mal me dá informações. – Demi assentiu calada. – Demi, você confia em mim? – Jake perguntou a olhando nos olhos e Demi mordeu o lábio inferior e colocou uma mecha do cabelo atrás da orelha.

   - Confio. – Custou-lhe dizer aquela pequena palavrinha, pois o que Selena havia dito mais cedo ecoava em sua cabeça “Tudo bem, ele é um bom ator, mas eu não vou mais pagar o pato. Não é a primeira vez que ele tenta me agarrar, naquela noite ele só não teve a chance de me ameaçar como fez das outras três vezes. O Jake não é o que parece, é a última vez que eu estou te avisando. – Selena a olhou nos olhos e respirou fundo. – Tenha cuidado Demi.”.

   - O meu avô já pediu que você guardasse alguma senha ou qualquer coisa relacionada ao acesso das contas bancárias? – Demi não ousou em desviar o olhar do dele, retribuiu o carinho que Jake fazia em sua mão e umedeceu os lábios com a língua.

   - Nós nunca tivemos nenhuma conversa sobre esse assunto. A gente era amigo, costumávamos compartilhar nossas lutas do dia-a-dia, às vezes o Jason tomava café da manhã comigo e com a Sel, ele era tão simpático e humilde que nem parecia que era dono disso tudo. – E era verdade o que ela dizia. Jason era um homem incrível e tinha a acolhido como um pai acolhe um filho.

   - Tudo bem. – Jake adentrou os cabelos com os dedos e respirou fundo. Ele tinha apostado todas as fichas em Demi e tinha sido em vão! – A.. a polícia instalou uma câmera nessa sala. Como você e o vovô eram amigos, eles pensaram que alguém poderia te fazer mal. Só não contei para que você não ficasse assustada, você é um alvo Demi.


Continua... Oiiii! Tudo bem? Tô bem! Então, o que vocês estão achando da história? Sei que está demorando para sair capítulos novos, mas é que eu tenho tantas coisas para fazer que fica complicado para escrever, e quando eu vou escrever às vezes bate a falta de ideias.. O que não ajuda. Por favor, comentem a opinião de vocês, se estão gostando ou não. Enfim. Queria agradecer a Brunna, pseudo Demetria Lovato, que me deu algumas dicas sobre a fanfic e esse capítulo! 
Meninas, obrigada pelos comentários do capítulo anterior, abraço e boa noite! 


5 comentários:

  1. Quando a demetria vai deixar de ser burra e ver o que ta na cara dela? Posta mais

    ResponderExcluir
  2. Demi deixa de ser burra filha! Quero que ela descubra logo tudo do Jake e ela mesmo expor ele para todos kkk espero que todos perdoem a Demi também.

    ResponderExcluir
  3. Jesus apaga a luz! Demi é muito babaca, até tentando ser esperta ela falha, mas já tá sendo meio passo dado. Queria Joe e Mary namorando para ela ter um heart attack, iria amar! Espero que Jake se ferre logo, odeio ele tanto. ANSIOSA PARA O RESTANTE, sei que você tem sua vida corrida porém não me deixa morrendo de curiosidade do próximo lmao
    Sam, xoxo

    ResponderExcluir
  4. A fic tá incrível, tô num vai e vem de sentimentos com a Demi, mas é de se entender o lado dela, mas detesto o que ela faz com o Joe só acho que tá na hora de ela pegar o Joe e a Mary se beijando receber o fora do Ed, só faltou ele kkkkk. Mas tô me ligando do próximo cap em diante o Jake começa a soltar as garrinhas

    ResponderExcluir