13.6.15

Capítulo 61

Abusar da ousadia nunca fora um problema para Demi, porém, agora, em frente ao espelho fitando a sua imagem, a ansiedade a corroía. Ele gostaria? Era o resultado de três horas revirando as malas a procura da lingerie perfeita, do vestido perfeito e dos sapatos perfeitos. Sinceramente? Estava satisfeita e confortável em sua própria pele vestindo as suas escolhas. Sentia-se poderosa com os quinze centímetros a mais que os sapatos de salto adicionavam a sua altura. O vestido preto era literalmente curto, pouco decotado e camuflava mais a barriga de grávida. Era a típica peça simples que se encaixava em todas as ocasiões, e naquela se encaixava como a perfeita. Deixando escapar um suspiro, Demi conferiu se a maquiagem não estava muito carregada. Os olhos estavam delineados na parte superior e os cílios volumosos por conta do rímel davam à maquiagem vida e elegância. Retocara o batom vermelho com destreza se atentando para que não o carregasse demais. Oh, não seria nada interessante deixar todo o batom nos lábios de Joe quando o beijasse. Ao terminar com o batom arrumara as mechas negras de seus cabelos que caíam por seu ombro esquerdo e por suas costas. Tudo bem, tinha que admitir que estava linda. Esboçara um sorriso para si mesma e respirou fundo tão ansiosa quanto uma adolescente em seu primeiro encontro.

O quarto estava em perfeita ordem e impecável para a parte mais importante da noite. Tinha sido tão difícil escolher algumas daquelas “coisas” que Miley e Selena haviaa escondido na mala cor de rosa, porém estava confiante. Queria domá-lo, estar no controle, deixá-lo desnorteado como ele sempre fazia com ela. E claro, o mais importante de tudo: demonstrar todo o seu amor por ele. Demi mordeu o lábio inferior e sorriu fitando a cama e tudo que a cercava. Se já estava ficando quente com pensamentos, o que aconteceria quando adentrassem aquele quarto aos beijos? Ou melhor, não entrariam aos beijos... Demi riu ao se lembrar de quando o expulsou do quarto quando era mais cedo, oh Deus! Ficara de coração partido ao vê-lo deitado na cama emburrado e carente abraçando o seu travesseiro, fizera-o escolher as roupas que usaria a noite e então o expulsara e o proibira de entrar no quarto até que ela o convidasse. E como Joe adorava pirraçá-la, ele não tinha facilitado às coisas. Deus! Que homem mais implicante, porém Demi não cedeu às vontades dele e muito menos voltou atrás com a sua palavra.

   - Ok, relaxa. – Disse para si mesma gesticulando os ombros e antes de abrir a porta suspirara ansiosa. Estava tudo perfeito, o quarto, a sua roupa, o tão complicado jantar que demorara a preparar. Tudo que tinha para fazer agora era relaxar e curtir a noite ao lado de Joe. Alguns passos e estava na sala.

   - Oi! – Ele parecia tão ansioso. Demi sorriu envergonhada quando ele a olhou de cima a baixo e sorriu encantado.

   - Oi. – Disse caminhando em direção ao sofá que ele estava sentado, mas Joe foi mais rápido e levantou-se caminhando em direção a ela. Ele estava lindo, simplesmente lindo! Calçava sapatos negros e vestia calças jeans de cor preta, a camisa era impecavelmente branca e o blazer da mesma cor das calças. Ah! Ela estava louca para adentrar os cabelos dele com os dedos para bagunçá-los só para depois modelá-los com os dedos.

   - Você está linda. – Joe tornou a sorrir e a olhá-la. – Muito linda. – Ele aproximou-se e a olhou. Deus! Demi quase derreteu ao fitar os olhos lindos dele, o olhar era tão intenso e apaixonado que o seu coração estava descontrolado.

   - Obrigada. – Disse e esboçou um sorriso para ele. – Você também está lindo! – Joe assentiu com um pequeno sorriso e depositou um beijo delicado na bochecha e nos lábios dela.

   - Foi o melhor que fiz no banheiro da casa. – Demi o olhou de cima a baixo e riu. Tinha sido por uma boa causa... – Obrigado. – Agradeceu ao elogio enlaçando os dedos aos dela.

   - Então.. O que você fez de legal? – Perguntou o puxando pela mão os guiando para a cozinha.

   - Hum... passei praticamente o dia deitado no sofá. – Joe aproveitou para fitar as pernas bonitas e o bumbum dela.. Oh sim, ele tinha passado a tarde deitado no sofá imaginando as mil e uma coisas que poderia estar fazendo caso Demi estivesse nos seus braços. – O que foi? – Perguntou quando ela parou de andar bruscamente.

   - Você, espere aqui. – Disse o olhando e Joe arqueou as sobrancelhas. – Espere amor, estou falando sério. – Ele só assentiu depois que ela roçou os lábios aos dele e terminou o trajeto à cozinha o mais rápido possível o deixando com um sorriso bobo nos lábios. Deus! Demi era tão linda sem maquiagem vestida com os enormes moletons que geralmente pertenciam a ele, era uma mulher menina tão encantadora e doce, mas quando calçava os sapatos de salto e se produzia, era uma mulher sexy e provocante.

   - Querida? – Joe puxou as mangas do blazer para cima e passou as mãos nos cabelos. Por que ela estava demorando tanto? Perguntava a si mesmo. – Demi? – Chamou estranhando o silêncio, aliás, o único barulho vinha era dos sapatos de salto que ela usava. – Tem alguém ai? – Perguntou considerando a ideia de caminhar até a cozinha para saber o que ela fazia. – Estou indo! – Disse fitando a hora no relógio analógico que tinha no pulso do braço esquerdo.

   - Nada disso! Espere ai Joseph. – Ora, agora era resolvera dar sinal de vida? Joe andou de um lado para o outro impaciente, a barriga chegara a doer.. Por que ela estava demorando tanto? Não era justo com ele naquela altura do campeonato. Demi tinha passado o dia na cozinha e o expulsara do quarto para se trancar lá, ou seja, ele passara o dia curioso para saber o que ela aprontava!

   - Você tem dois minutos querida. – Disse assim que o ponteiro maior apontou para o número doze, tudo bem, ele teria um infarto de tanta ansiedade. Esperar que aquele ponteiro apontasse duas vezes para o número doze o mataria aos poucos, Joe estava tão ansioso para saber o que ela tinha preparado... Sem contar a vontade de beijá-la, tocá-la e passar bons minutos conversando e escutando a risada dela quando ele contasse uma das suas piadas sem graça. E quando ela corava? – Querida, eu estou indo. – Disse ansioso. Ora, o ponteiro mal se aproximava do número seis e ele já estava se corroendo de ansiedade.

   - Joseph! – Em questão de segundos ela o fitava com as mãos na cintura e tudo que ele fez foi esboçar um sorriso sem graça e dar de ombros. – Depois nós mulheres que somos curiosas. – Disse o puxando pela mão e ele ronronou todo manhoso ao fitar as pernas bonitas dela.

   - Uau! – Como ela tinha feito aquilo tudo sozinha? A luz das velas dava ao ambiente o clima romântico e descontraído que precisavam para dissipar a tensão e a ansiedade que os corroíam. A mesa estava posta para dois e tudo estava perfeitamente organizado. O cheiro da comida despertara o apetite de Joe, que olhou para a mulher bonita ao seu lado e a abraçou pela cintura. – Está tudo perfeito Dem. – Disse e a beijou carinhosamente na testa.

   - Fica à vontade. – Disse sem jeito e Joe tombou a cabeça para trás e sorriu. Ah! Ela estava corada!

   - Vem cá princesa. – Disse puxando a cadeira para que ela pudesse se sentar. – Você fica linda coradinha. – Demi riu corando um pouco mais. Porque ela estava envergonhada? Era apenas Joe oras! O homem que ela tanto amava e já tinha feito tantas loucuras ao lado dele.

   - Bem.. – Disse sem jeito e eles riram. – Joseph! – Joe deu de ombros e tornou a rir ao ver que ela estava vermelha.

   - Vou parar! Prometo. – Depois que ele controlara a crise de risos, buscou a mão dela sobre a mesa e curvou-se para depositar um beijo carinhoso ali. – O que nós temos para o jantar? – Perguntou quebrando o silêncio que começara a se formar entre eles.

   - Surpresa. – Demi o olhou daquele jeito tímido que ele tanto amava e tudo que ele fez foi suspirar apaixonado. – Então. – Disse quebrando o silêncio que tornara a se formar.

   - Então. – Repetiu brincando com os dedos nos dela e Demi sorriu cabisbaixa.

   -  Hum.. então.. – Demi o olhou e sorriu. – Está gostando da viagem? – Os dois sabiam qual era a resposta, mas fora a melhor forma de começar aquele jantar que Demi tinha encontrado.

   - Claro, principalmente da companhia. – A troca de olhares resultou em sorrisos que mal cabiam nos lábios. – E você? – Ele perguntou descansando o cotovelo na mesa e a cabeça na mão.

   - Esse lugar é incrível! Nunca vi nada igual e a cabana é tão confortável, é como se eu estivesse em casa. – Joe assentiu e arqueou as sobrancelhas.

   - E a companhia? – Perguntou brincando com a aliança dela e Demi riu.

   - A companhia? – Ora, deixara a timidez de lado e resolvera que flertaria com ele, seria divertido e a ajudaria com o nervoso e ansiedade. – Hum.. – Mordeu o lábio inferior o olhando e Joe sorriu galanteador. – A melhor companhia que uma mulher poderia ter. – Joe a olhou e sorriu. Não se cansaria de admirá-la e pensar no quão linda ela estava. – Está com fome? – Perguntou ao se lembrar dos tira gosto que preparara.

   - Faminto! – Ele mal a deixou concluir a frase. – Estou com um pouco fome. – Disse envergonhado pela forma desesperada que dissera que estava faminto e Demi riu o olhando.

   - Nós temos torradas, azeitonas, queijo e... . – O rubor tomou conta do seu rosto ao olhar para mesa e perceber a falta das taças e lembrar-se da bebida. Céus! Era a parte mais importante e ela não tinha preparado absolutamente nada, aliás, encontrar um prato para servir no jantar quase a deixou louca, focara todo o seu tempo em cozinhar o que comeriam que acabara deixando a bebida de lado, ou melhor, se esquecendo dela. – Só um minuto. – Disse educadamente e Joe franziu o cenho ao vê-la caminhar apressada sem rumo pela cozinha.

   - Tudo certo? – Perguntou de cenho franzido ao vê-la abrir as portas dos armários apressadamente como quem procura por algo.

   - Sim, claro. – Disse rapidamente e ele continuou a observá-la apressada. Logo Demi começara a se atrapalhar nervosa buscando pelas taças e pensando no que poderiam beber.

   - Demi. – Disse caminhando até ela. – O que foi princesa? – Perguntou se aproximando quando ela se aproximou da pia com as duas taças que tinha encontrado.

   - Nada. – Disse secando as taças depois de lavá-las. – Joseph. – Murmurou o nome dele quando ele a abraçou por trás e plantou um beijo quente em seu pescoço.

   - Linda, como posso ajudá-la? – Sabendo que ele não desistiria tão fácil, Demi repousou as taças no balcão da cozinha e não resistiu aos encantados dele, deixou que ele a abraçasse e aninhou-se ao peito forte.

   - Eu estava tão envolvida com a comida que não preparei nada para bebermos. – Murmurou distribuindo beijinhos pelo maxilar dele.

   - Não é tão grave. – Disse rindo ao se lembrar do desespero dela ao abrir os armários. – Não temos nada aqui? – Perguntou abrindo as portas do primeiro armário.

   - Vinho. – Murmurou assim que ele encontrou a garrafa ainda lacrada. – Fique à vontade, eu posso beber um pouco de água ou refrigerante. – Joe negou balançando a cabeça e guardou a garrafa de vinho onde encontrara.

   - Não gosto de vinho. – Murmurou caminhando até a geladeira e Demi franziu o cenho ao vê-lo parado, Joe parecia mais pensativo que a procura de uma bebida. – Hum.. – Tornou a murmurar curvando-se. – Suco de uva concentrado, nós podemos fingir que é vinho. – Demi riu da piscadela dele, a ideia era boa e a líquido escuro da garrafa de vidro parecia delicioso. – O que nós temos no forno? O cheiro é fantástico. – Disse enchendo as taças com o suco de uva.

   - Surpresa. – Demi bebericou o suco de uva assim que ele lhe entregou a taça e admirou Joe e toda aquela beleza máscula dele caminhar até mesa para levar a garrafa de suco de uva e caminhar até ela a olhando intensamente com aqueles lindos olhos esverdeados.

   - Você está muito misteriosa esta noite, meu anjo. – Disse depois de bebericar um pouco do suco. – Está muito bom, você gosta? – Perguntou saboreando o gosto do suco de uva. Era forte e bastante similar ao gosto do vinho.

   - Gosto. – Disse o puxando pela mão até a mesa. – Não é à toa que você é o cara das ideias. – Sentaram-se frente a frente à mesa e ele riu mordiscando um cubinho de queijo.

   - O cara das ideais? – Disse ainda rindo e Demi assentiu servindo-se com um pouco mais de suco de uva e buscando algumas azeitonas.

   - Você é a pessoa mais criativa que conheço, só não conte para o Nick. – Joe a olhou de um jeito engraçado e eles riram. – Estou falando sério! Amor, o seu trabalho no estúdio com os iniciantes, o jeito como você sempre consegue encontrar uma solução para os problemas de Sara com a empresa. O jeito como você interpretava os seus personagens, e as suas composições são perfeitas! – Joe a olhou e respirou fundo.

   - Dem, nós compúnhamos juntos, mas as melhores ideias eram as do Nick. – Disse bebericando o suco.

   - Conheço as composições da banda, as ideias do Nick não seriam boas sem as do Kevin e as suas. – Disse o olhando. Às vezes Demi não entendia o porquê de Joe não acreditar no próprio trabalho, principalmente com a música, ele era tão bom cantando e atuando. – Joe, o Nick me mostrou o que você fez... Ficou incrível. – Joe franziu o cenho sem entender o que ela queria dizer. – Amor, quando saí da clínica eu estava decidida a ficar com a minha mãe até que nós resolvemos o que faríamos, se é que faríamos... mas quando eu cheguei em casa percebi que aquele não era o meu lugar. Anne, a mamãe e o papai são uma parte importante de mim, sei que sempre terei um lugar especial ao lado deles, mas eu queria ficar com você e com as nossas crianças. Eu estava disposta a resolver toda a confusão que criei, então voltei para casa e de alguma forma o Nick soube onde eu estava, ele me mostrou a letra da música que eu comecei a escrever e que você completou. Os seus versos completavam os meus, aquela música é como nós nos sentíamos. – Demi o observou levar a cadeira para o seu lado e acomodar-se nela a olhando com aqueles olhos intensos e bonitos.

   - Você se lembra de quando eu te levei para ver as estrelas? Eu estava tentando consertar as coisas, mas não deu muito certo. – Disse acariciando o rosto dela com as mãos. – Meu anjinho. – Sussurrou roçando os lábios. – Meu coração estava partido Dem, eu me sentia tão culpado por ter sido tão idiota, eu sentia tanta a sua falta e estava com tanto medo de te perder. – Demi roçou os lábios aos dele como ele tinha roçado os lábios aos dela e enlaçou os dedos se aninhando ao braço dele.

   - Eu ainda vou te dar muito trabalho amor. – Brincou depositando um beijinho carinhoso no ombro dele. – Gostei muito da letra, e quero terminá-la com você. – Joe a olhou nos olhos e assentiu roçando os lábios aos dela.

   - Não acha que está cedo demais para pensar em músicas? – Disse acariciando a barriga e sorrindo bobo pensando no seu pequeno Bernardo.

- Joseph, eu preciso fazer isso. – Disse se erguendo para olhá-lo. – Está na hora de limpar toda a bagunça que eu fiz. Consertar as coisas, sabe? Eu fiz isso com você, com Daniel e com Elizabeth. Está na hora de contar a verdade para os meus Lovatics, não é justo com eles e eu não quero começar essa nova etapa da minha vida com uma mentira que mais tarde causará sérios problemas. – Não seria nada fácil contar ao mundo a verdade, porém Joe estava orgulhoso apenas por saber que Demi estava disposta começar da forma correta. – E eu não vou conseguir viver em paz com essa mentira. – Joe a olhou e assentiu. Ela estava certa.

   - Eu te entendo e te apoio.. só que você não acha que está cedo demais para voltar a trabalhar? – Disse a olhando. – Querida, sei que você quer trabalhar nos seus projetos, mas Dem, o que estou tentando dizer é que você pode esperar mais alguns meses para voltar a trabalhar. Você precisa desse tempo para cuidar da sua saúde e do nosso pequeno, ele precisava de você mais do que qualquer pessoa nesse mundo. – Demorou um pouco, mas ela assentiu respirando com pesar. Joe tinha razão, por mais que os seus fãs e o seu trabalho fossem importante, nada valia mais que a sua saúde e a saúde do seu pequeno e indefeso Bernardo.

   - Prometo pensar a respeito... mas independente da minha escolha quero terminar o meu álbum o mais rápido possível. – Claro que ela queria, Joe tinha certeza que ela faria daquele álbum o melhor álbum de todos. – Eu tenho tantas ideias amor, e não aguento mais ficar sem ter o que fazer. – Joe a olhou e depositou um beijo delicado em seus lábios.

   - Tudo bem meu anjo, mas nada de trabalho em excesso. Bernardo precisa que você esteja saudável para cuidar dele agora. – Trocaram carícias inocentes, ele brincava com os dedos nos cabelos dela e ela deslizava as pontas dos dedos pela bochecha dele o olhando intensamente. – Dem. – Chamou levando os carinhos para a barriga dela. – Querida, você não tem ideia de como está linda. – Joe a olhou nos olhos e as poucos se aproximou e a beijou na boca. Aos poucos as mãos dele tocavam o corpo dela sem qualquer restrição, Joe a apertava e a puxava para si na tentativa de se unir a ela, de tê-la em seus braços e fazê-la mais uma vez sua.

   - Querido. – Ronronou nos lábios dele. Embora ele não tenha desistido de puxá-la para o colo e acariciá-la ousadamente nas coxas e no bumbum, Demi roçou os lábios aos dele e levantou-se arrumando os seios que já tinha sido vitimas das mãos espertas de Joe em seu devido lugar e esboçou um sorriso provocante ao vê-lo ofegar. – Acho que o nosso jantar está pronto. – Anunciou caminhando até o forno para conferir se o prato principal estava pronto. – Está com fome? – Perguntou ao vê-lo bebericar o então “vinho” e mordiscar uma das torradas amanteigadas.

   - Estou, mas queria conversar um pouco mais. – Disse a olhando e Demi assentiu satisfeita depois de conferir que o prato principal estava no ponto certo.

   - Tudo bem. – Disse colocando as luvas térmicas sobre a bancada e logo caminhou até a mesa e sentou-se ao lado dele. – Então? – Demi acabou rindo quando Joe esboçou aquele sorriso de menino que a deixava de pernas bambas.

   - Então... – Ah! Demi apertou as bochechas dele e gargalhou gostosamente ao vê-lo corado. Deus! Como não amá-lo? Joe era tão desinibido, geralmente não corava, pelo contrário! Ele era quem a fazia corar, mas agora estava todo vermelhinho e mal tinha coragem de olhá-la nos olhos. Tão fofo! Demi o beijou na bochecha e o flagrou sorrindo como um bobo, então selou os lábios dele aos seus num beijo leve e carinhoso. – Dem! – Ele riu e mesmo envergonhado roçou o nariz ao dela num beijinho de esquimó.

   - O que foi? – Disse o intimidando com aquele sorriso de orelha a orelha. – Não quer torradas? – Perguntou ao pegar uma torrada e mordiscá-la junto ao seu suco de uva.

   - Hum... torradas. – Demi bebericou um pouco mais do “vinho” e riu da forma carregada de segundas intenções que Joe olhara para as suas pernas nuas quando as cruzara justamente para provoca-lo. – Está uma delícia. – Disse lambendo os lábios ainda olhando para as pernas de Demi e logo olhara para os olhos dela e esboçou um dos seus sorrisos mais safados, como Demi sempre dizia.

   - Só um minuto. – Joe a observou repousar a taça sobre a mesa, levantar-se e caminhar até a ilha da cozinha. Como ele era sortudo! Pensara consigo mesmo. Demi era uma mulher fantástica, a mais fantástica que Joe conhecia. Ela sempre estava lutando para conquistar os seus objetivos com garra e muita fé; era mulher, mãe e esposa e se saía perfeitamente bem em todos aqueles “cargos”. O ponto que sempre o deixava surpreso era simplesmente aquele, aquela garota sonhadora e tão cheia de medo foi à única mulher a fazer o seu coração ganhar euforia, ou melhor, deixava-o maluco de amor; Demi, mesmo carregada de problemas, era tão especial, era a peça chave da sua felicidade. Às vezes Joe pensava consigo em como o tempo era capaz de mudar as pessoas, de transformá-las para melhor. Tinha acontecido com ele e com Demi, e em seus quarenta anos de experiência concluíra que a mudança fazia parte da vida do ser humano, e claro, todos tendiam a mudar, alguns para melhor e outros para pior, era apenas uma questão de escolha.

   - Querida, acho que o nosso vinho está me deixando tonto. – Ele riu da careta dela e sorriu ao vê-la mover os quadris no mesmo ritmo da música calma que começara a tocar.

   - Vem Joseph! – Vê-la tão animada e cheia de vida aquecia o seu coração. Era gratificante saber que a sua pequenina estava bem depois do coma e de tudo que enfrentaram para continuar juntos. Não tinha sido uma batalha fácil, tanto para ele e para Demi. A vantagem era: a experiência era sem igual, e jamais deixariam que pequenos problemas tão bobos intervissem em suas vidas como tinha acontecido. – Feel a surge coming over me... – Cantarolou o primeiro trecho de Get It Right e Joe gargalhou escondendo o rosto em seu ombro a segurando gentilmente pela cintura movendo o corpo junto com o dela. – I feel it all around my things.. and chills going up my legs. – Os corpos se moviam conforme o ritmo divertido e a letra da música, Joe a abraçava e aproveita todas as oportunidades que tinha para apertá-la no bumbum e subir as suas mãos pelas coxas torneadas de Demi enquanto ela esboçava os seus sorrisos provocantes e puxava os seus cabelos da nuca à medida que cantarolava cada trechinho da música no ouvido dele. Estava tão divertido. Dançavam agarrados, bebericavam o então “vinho” e petiscavam os tira gosto sem deixar o bom humor de lado, e claro, trocavam beijos e conversavam a respeito de diversos assuntos que acabava em gargalhadas altas de Demi misturadas as de Joe.                                                          

                                                                     ...


   - Querida, está tão gostoso! – Ronronou enchendo a colher de sobremesa com mousse para logo devorá-lo. A comida estava incrível, até porque Demi não costumava decepcioná-lo quando o assunto era cozinhar. E ela tinha o surpreendido com o modesto mousse de morango, era uma sobremesa simples, porém combinava perfeitamente com todo o ambiente que Demi criara.

   - Estou feliz por você está gostando. – Disse o observando como uma felina prestes a atacar a sua presa. Tudo bem, aquele jantar deveria estar na lista dos seus melhores jantares ao lado de Joe. Estava orgulhosa de si mesma e não deixava de se gabar em suas conversas rápidas com Joe que era uma boa cozinheira, mas, Senhor! Aquele homem estava a deixando tonta com toda aquela beleza! Como podia? Um sorriso de Joe e Demi já queria se esfregar nele para sentir o corpo forte roçando o dela. – Hum.. – Ronronou como uma gata manhosa aceitando de bom grado o beijo gelado que recebera dos lábios macios de Joe nos seus. – Está muito gostoso. – Os lábios dele eram formosos em suas curvas bem desenhadas, eram cheios e tão macios. Demi os olhou por um par de segundos, selou-os com os seus gemendo consigo mesma. Os lábios dele estavam gelados e com o gosto de mousse de morango!

   - O seu aniversário está chegando. – Joe sorriu orgulhoso e a abraçou de lado. Pedia a Deus em todas as noites que os seus anos aos lados de Demi se duplicassem e logo tendessem ao infinito. – Vinte e um anos que nós estamos juntos. – Demi esticou-se e o beijou no rosto, repousou a pequena vasilha de vidro sobre a mesa e aninhou-se no peito de Joe relembrando mentalmente dos seus tempos de adolescente e das aventuras inesquecíveis ao lado do homem que amava.

   - Passou tão rápido. – Comentou espalmando o peito dele com a mão e repousara um beijinho carinhoso bem ali. – Ainda me lembro do nosso primeiro beijo, de quando a gente começou a namorar, da nossa primeira vez. – O sorriso alargou-se nos lábios de Joe. Eram lembranças que faziam o seu coração ganhar mais vida só por saber que tinha feito a coisa certa.

   - De quando você saiu da clínica e eu implorei para que voltasse a ser minha, do nosso casamento, dos nossos bebês, das nossas confusões, do nosso pequeno Bernardo. – Demi sorriu de orelha a orelha quando ele acariciou a sua barriga com tanto carinho e depositou na sua testa um beijo. – E eu ainda te amo Demetria, amo tanto que você não faz ideia. – As palavras dele mudaram o ritmo calmo dos seus batimentos cardíacos de Demi para um ritmo mais acelerado, as borboletas tomaram pose do seu estômago e a vontade de Demi era de se fundir incansavelmente a aquele homem como se não houvesse o amanhã.

   - Querido. – Ronronou o surpreendendo com um beijo quente no maxilar à medida que se encaixava sobre ele. – Eu também te amo tanto Joe, amo tanto que às vezes penso que vou morrer de amor. – Ele levou as mãos as coxas nuas dela as subindo para as costas e roçou os lábios a trazendo mais para si.

   - Eu também meu anjo. – Disse embriagado pelo levo cheiro de frutas que os cabelos de Demi exalavam. Deus! Ele afogou o rosto naquelas mechas macias maravilhado com o cheiro fantástico que só pertencia a ela. Beijou-lhe o tórax já ansiando para enterrar-se nela, puxou-a ainda mais a encontro a seu corpo à medida que a beijava com paixão no pescoço.

   - Meu lindo. – Esboçara um sorriso safado para ele o puxando pela gola da camisa para que juntasse os lábios num beijo rápido. – Ah Joseph! – Demi puxou as mãos dele para o seu bumbum e deixou um gemidinho manhoso escapar entre seus lábios quando tombara a cabeça para trás e se rebolou no colo dele.. Ele já estava tão pronto para preenchê-la e amá-la a noite toda, que Demi o arranhou levemente com as unhas atrás das orelhas aproveitando para agarrar os cabelos da nuca com os dedos e beijá-lo nos lábios com fome e desejo. Desde muito nova o desejava como uma mulher deseja um homem, mas agora nada se comparava a forma faminta e devastadora que o seu corpo gritava pelo dele, o íntimo gritava e implorava para ser preenchido e aquele pontinho G estava tão eletrocutado que até o roçar da calcinha a deixava em estado de alerta.

   - Dem? – Joe estava de olhos arregalados, e com razão. Deus! Ele adorava todo aquele fogo, toda aquela necessidade e paixão que Demi tinha de fazer amor com ele. – Calma. – Pediu deslizando as mãos pelas coxas dela como adorava fazer. – Vamos para o quarto. – Sussurrou em meio ao roçar de lábios, e quando Demi o olhou. Céus! Engolira em seco e a excitação chegara a doer. O olhar era tão sexy, selvagem e carregado de desejo.

   - Joe. – Ronronou como uma gata manhosa no ouvido dele e o mordeu no lóbulo da orelha. – Joseph.. – Tornou a sussurrar e ele fechou os olhos e deixou-se dominar pelos beijos e os toques dela. – Tão lindo. – O elogio escapou por seus lábios e Demi teve que sorrir ao vê-lo abrir os olhos para olhar fixamente para os seus. Eram tão lindos, Demi queria se perder neles, sentir o corpo convulsionar de prazer enquanto os fitava másculos e com aquele lindo rabiscar verde.  

Joe roçara os lábios por muitos minutos até que Demi quebrou aquela conexão ao se levantar e puxá-lo consigo, e ela tinha adorado comprovar, mais uma vez, que ele estava duro por ela quando Joe a abraçou por trás enquanto faziam o caminho para o quarto às pressas, até que ele a imprensou contra a parede do corredor que dava acesso ao quarto e atacou os seus lábios com os dele, e aquelas mãos. Aquelas mãos! Elas estavam em todos os lugares a apertando e a excitando, eram tão grandes e másculas! Estar no controle era mais difícil do que imaginara, mas não era nenhum monstro de sete cabeças. Demi sabia como domá-lo, e o fazia aos poucos, literalmente aos poucos uma vez que recostara na parede do corredor e gemia despreocupadamente puxando os cabelos de Joe à medida que os lábios dele se fechavam sobre o seu mamilo direito depois o esquerdo. Ah! Aquele era o seu ponto fraco, adorava quando Joe a devorava daquela forma lenta e sedutora torturante, a boca dele fechada sobre o seu mamilo, os dentes o mordiscando e a língua quente e macia o pressionando. E as mãos dele? Era a melhor tortura que existia! Uma palma estava moldada numa concha sobre o seio esquerdo e puxava o mamilo entre os dedos o atiçando e a outra mão.. A outra mão invadira a sua calcinha e os dedos espertos ora pressionavam o clitóris ora roçavam a entrada escorregadia.

   - Quero um beijo. – Pediu e segundos depois Joe a olhava com aqueles lindos olhos esverdeados. Ele era tão carente! Demi riu e selou os lábios aos dele num beijo apaixonado aproveitando para deslizar o blazer que ele vestia pelos braços fortes aquele ele finalmente estivesse no chão. – Ops! – Sussurrou nos lábios dele levemente avermelhados quando escutaram o barulho da peça em contato com o chão, e tudo que Joe fez foi sorrir nos lábios dela e segurá-la firmemente pela cintura.

   - Amor, não faz isso. – Choramingou quando ela desvinculou de seus braços e arrumou o vestido ao corpo. – Dem, vem cá. – Chamou e Demi riu o puxando pela mão.

   - Promete para mim que você vai esperar aqui? – Disse espalmando o peito dele assim que pararam em frente à porta do quarto.

   - Não faz isso comigo. – Disse olhando para baixo e franzindo o cenho por conta do volume assustador da frente de suas calças.

   - Você é um bom menino, agora promete para mim que vai me esperar aqui amor. – Sussurrou e logo brincava com o lóbulo da orelha dele à medida que a sua mão moldava e apertava o volume da calça.

   - Dem.. Eu prometo. – Ronronou pedindo mentalmente que ela o apertasse mais, que ela o tocasse, que ela o devorasse...

   - Só um minuto. – Ganhara um beijo estalado nos lábios e Demi sumira o deixando sozinho com uma enorme ereção pulsante! Oh Deus! Estava tão curioso para saber o que ela aprontara naquele quarto em todo aquele tempo que ficara sozinha. Jantar com Demi tinha feito tão bem a ele e Joe tinha certeza que tinha sido tão bom para ela quanto tinha sido para ele, tinham se divertido tanto! Trocaram beijos e carinhos, conversaram sobre tantos assuntos e a comida estava maravilhosa! Agora só lhe restava esperar para descobrir o que tanto o deixava curioso! Deus! O frio na barriga junto à excitação não era algo que o agradava.

   - Dem? – Murmurou o apelido carinhoso como um menino manhoso. Ah, mas ele estava tão ansioso! Joe enfiou as mãos nos bolsos e deixou um grunhido escapar por entre os lábios quando sua ereção fora pressionada pelo pouco espaço das calças. Onde ela estava? Quando olhara em direção à porta um pequeno sorriso surgiu em seus lábios ao ver a porta se abrir e Demi surgir. Céus! Como as mulheres faziam aquelas coisas? Joe esboçou um pequeno sorriso ao mesmo tempo em que deixara um gemido sutil escapar. Demi estava linda! Simplesmente linda. Pelo pouco que ele via o coração já queria sair pela boca, estava tão disparado e ansioso, mas valera a pena. - Você está linda. – Disse um pouco ofegante se perdendo nas curvas perfeitas e delicadas que só pertenciam a ela. Demi vestia apenas um robe preto de cetim que batia no pairar de suas coxas torneadas e de cor clara, os sapatos de salto ainda eram os mesmos e os cabelos estavam presos num coque casual que a deixava ainda mais linda. – Tão linda. – Os dedos inquietos e curiosos de Joe tocaram o rosto de Demi assim que ela se aproximou tímida, porém determinada, acariciaram as bochechas sutilmente rosadas para os lábios avermelhados onde tocara e depositara um leve beijo.

   - Ei! – Tudo bem, não podia negar que estava nervosa, mas também não recuara e aos poucos ganhava a confiança que precisava para continuar o seu plano. Demi sorriu e limpou o canto dos lábios dele manchados de batom vermelho com as pontas dos dedos. – Amor. – Murmurou ainda sorrindo quando sentiu as mãos dele em sua cintura a segurando firmemente contra o corpo. O toque de Joe a aquecia ao mesmo tempo em que a arrepiava da cabeça aos pés. – Vem. – Sussurrou com os lábios tão próximos aos dele, as respirações se misturavam e os olhos estavam conectados a aquela conexão que só pertenciam a eles, as pupilas chegaram dilatar denunciando a ansiedade que os corroíam. Demi virou-se e estendeu a mão para que Joe a segurasse e quando ele o fez, ela o puxou e em passos sedutores adentraram o quarto.

Fitara todos os detalhes atentamente, começara pela luz baixa das velas que dava ao ambiente todo o clima romântico que precisavam para fazer daquela noite a melhor noite de todas. E a noite seria longa! Joe fitou as pétalas vermelhas de rosa sobre o lençol cor de champanhe de cetim e arregalou os olhos ao fitar o que o criado-mudo guardava.. Oh Deus! Olhara então para a mulher de costas a poucos passos de si e sorriu enquanto caminhava até que pudesse abraçá-la por trás imaginando o quão corada ela deveria estar.

   - Está tudo perfeito. – Sussurrou no ouvido dela a envolvendo com os braços enquanto juntos fitavam a cama e imaginavam o que estava por vir. – Minha pequena. – Disse assim que ela se virou em seus braços para envolver o seu pescoço pelos braços. O vestígio do rubor o fez sorrir ora fitando os lábios ora fitando os olhos de Demi. A noite seria perfeita e ele tinha uma ereção pulsante que chegara a doer, porém não era por isso que deixaria de desejar que naquela noite pudesse amar aquela linda mulher que o olhava com os lindos olhos marrons meigos com toda a paciência e carinho que tinha. Joe sorriu quando ela esfregou o nariz ao dele antes de roçar os seus lábios num beijo que começara com tanto carinho e que, conforme se tocavam ganhara força e se transformara num beijo quente e selvagem. Aquele beijo dizia tudo que sentiam um pelo o outro, o amor e o desejo que os consumiam aos poucos.

Prolongaram os carinhos e os olhares intensos que parecia durar uma eternidade e morriam em beijos selvagens, tocavam-se sem quaisquer que fossem as restrições, e geralmente as mãos de Joe estavam apertando o bumbum de Demi enquanto as mãos dessa tinham os dedos enroscados aos cabelos da nuca dele os puxando e os moldando. E mais tarde quando os beijos cessaram ela deslizou o robe pelo corpo e olhou nos olhos de  Joe e ele perdeu o fôlego! Literalmente perdera o fôlego ao fitar o curto baby doll preto transparente que cobria tão pouco o corpo de Demi, foi impossível não se lembrar da noite do seu aniversário de vinte e um anos.. A lembrança o fez sorrir e Joe a tocou com tanto carinho no rosto à medida que os seus olhos analisavam perfeitamente os seios sobre a transparência da baby doll, eram tão bonitos e formosos; Gemera com aquela visão e os tocou com as suas mãos que os devorara e os abraçava com destreza. Cada vez mais excitado Joe a beijou a rodeando com os braços esforçando-se para caminhar com ela em direção à cama, a vontade de fazê-la sua o tomava de tal forma que Joe mal conseguia pensar, porém assim que conseguira guiá-la para a cama e se preparava para deitar-se sobre ela, Demi o surpreendeu invertendo as posições e agora ele estava por baixo e ela por cima o fitando intensamente com aqueles olhos lindos.

Ela continuava o olhando à medida que se deitada e se ajeitava sobre ele, Joe tivera o prazer de vê-la deixar um gemido escapar pelos lábios quando a tocara na bochecha. Oh Deus! Ela já estava tão pronta! Aceitara os lábios dela nos seus e deliciou-se daquela sensação que tanto gostava quando Demi estava por cima. Era tão perfeito! Deixara que as pequenas mãos dela desfizessem da fivela de seu cinto para que depois corressem diretamente para o pulso de seus braços para deter as suas mãos espertas acima da cabeça. Nunca fizeram daquele jeito, não que ele se lembrasse... mas já estava tão bom! Joe fechou os olhos e mesmo tentando a apertá-la com vontade contra o seu corpo resolveu que se entregaria a ela de corpo e alma enquanto a boca e as mãos de Demi corriam por seu tórax conforme ela desabotoava os botões da camisa. Os beijos quentes refletiam lá e a cada segundo manter o autocontrole virava uma tarefa delicada que se estreitava à medida que Demi desabotoava os botões da camisa, arranhava-o e o beijava no peitoral e no abdômen.

   - Joseph. – Chamou deslizando a língua pelo umbigo dele e Joe convulsionou a ponto de gozar apenas por vê-la descer os beijos por seu umbigo naquele caminho onde os seus pelinhos sumiam para dentro das calças. – Joe. – Sussurrou dando um beijo no membro ainda protegido pelo jeans da calça ao mesmo tempo em que o olhava nos olhos e o gemido de Joe ecoou pelo quarto. Controle-se! Dizia a si mesmo mentalmente a ponto virá-la bruscamente para prendê-la debaixo de seu corpo enquanto se enfiava totalmente nela. Ah Demetria! Choramingara e forçara a cabeça contra as mãos quando Demi tornou a beijá-lo naquele lugar tão sensível. – Quieto querido. – Sentira a pele dele arrepiar-se bruscamente sobre a palma de suas mãos. Oh Deus! Ele estava tão excitado! Demi desabotoou o botão principal das calças observando a reação dele, tornara a beijar o membro dele ainda sobre o jeans e a cueca e deliciou-se do gemido desesperado de Joe. Ele estava do jeito que ela queria, duro e pulsante. Aos poucos ela guiava as calças dele para baixo junto à cueca o torturando com os seus beijos e carinhos. – Amor.. – Ronronou tão excitada quanto ele quando deixou as calças junto à cueca emboladas ao pairar das coxas de Joe e envolveu o membro com as mãos e o movimentou lentamente e eles gemeram juntos. – Joseph. – Sussurrou entre os beijos que depositava na extensão da ereção arrancando mais gemidos de Joe. Demi sorriu quando o beijou na base e o formato de seus lábios ficara marcado bem ali.. Distribuíra beijos por toda a ereção e a sugara fazendo Joe gemer sem cessar, ele estava louco para guiá-la com as mãos naquele ritmo divino, mas não ousara em fazê-lo, apenas sentia e tentava se controlar. – Amor. – Demi o lambeu na cabeça e Joe quase infartou deixando um longo gemido escapar ao mesmo tempo em que controlava as suas mãos atrás da cabeça tendo até que puxar os próprios cabelos para que não agarrasse Demi.

   - Demi.. – Sussurrou quando ela sentou-se com o corpo dele entre as pernas e atritou os sexos. – Princesa. – Chamou-a abrindo os olhos para encontrá-la o fitando intensamente.

   - Amor, você confia em mim? – Perguntou Demi deslizando as mãos pelo peito dele para que curvasse o corpo sobre o de Joe ficando com o rosto a poucos centímetros do dele. – Confia Joseph? – Perguntou aproveitando para roçar os lábios aos dele e mordiscá-lo no inferior.

   - Confio. – Joe sustentou o olhar intenso dela e sem conseguir resistir descruzou os braços fortes, mas antes que pudesse envolver Demi pela cintura ela o repreendeu.

   - Mãos atrás da cabeça. – A rouquidão da voz dela o deixou intrigado, tanto que fitara os olhos dela antes de tomar qualquer atitude e fez como ela dissera, repousara as mãos atrás da cabeça e logo os lábios de Demi devoravam os seus num beijo selvagem e intenso. – Confia mesmo? – Tornou a perguntar levando as mãos até os pulsos dele.

   - Confio pequena. – A série de selinhos que ganhara nos lábios o fez sorrir quando ela se ergueu ainda em seu colo debruçando o corpo sobre o seu, porém Demi buscara o seu pulso esquerdo com as mãos na direção da extremidade esquerda e o envolveu com uma tira de pano cor de rosa que estava amarrado à cama. O que ela faria? Joe franziu o cenho intrigado conforme ela repetia o processo com o pulso direito o guiando em direção à extremidade direita da cama. – Demetria. – Chamou e quando ela o olhou e esboçou um sorriso de menina levada Joe sorriu se sentindo como o homem mais sortudo apenas por tê-la. Então recebera uma inúmera série de selinhos nos lábios que o fez se sentir como um bobo apaixonado, e ele gostava do que as pequenas mãos femininas faziam em seu corpo. Elas pareciam estar em todos os lugares ao mesmo tempo, uma hora no peito, noutra hora as unhas arranhavam o abdômen e quando a palma quente se fechava em seu pênis Joe grunhia desejando o que estava por vir.

 Fazer amor com ela era a melhor coisa que existia, e Joe não tinha uma dúvida sequer a respeito daquela sensação inigualável que o domava quando ele estava enterrado e envolvido pelo corpo quente e úmido de Demi. E naquele ambiente que ela criara? O selinho surpresa que recebera o fez sorrir e concentrar-se no presente, desejava poder envolvê-la em seus braços e ele até poderia o fazer já que era só puxar as mãos que o laço que Demi fizera o amarrando na cama se desmancharia em questão de segundos, mas não o faria porque gostava de tê-la no comando, de como ela dava carinho e amor a ele. Era tão bom sentir cada beijo que ela depositava quase queimar a sua pele, mas era difícil se controlar com uma mão acariciando a base de seu pênis e a ereção ser envolta pelos lábios macios naquele ritmo ora lento ora urgente que quase o fizera perder o controle e derramar-se violentamente na boca dela, porém Demi o surpreendeu quando ergueu-se e o desmontou.

Sobre a luz das velas Joe admirava cada curva perfeita do corpo bem desenhado de Demi, não ousara num segundo sequer em desviar os olhos daquela mulher que o deixara a ponto de sofrer um ataque cardíaco. O peito subia e descia tão rapidamente, a ereção pulsava a cada vez que os seus olhos semicerrados captavam o movimento do bumbum dela a cada passo que Demi dava na direção oposta à cama. O que ele faria? Joe estava louco para tocá-la com as próprias mãos, queria enchê-las com aquelas curvas lindas de Demi, espalmá-las e pressioná-las no bumbum avantajado que ela tinha, fechá-las nos seios e deslizá-las pela pele macia feminina. E ficara pior. A música familiar que o seu cérebro masculino não permita identificar soara pelo quarto e o corpo de Demi se movia no mesmo ritmo sexy e lento que começara a música. Os olhos de Joe corriam todo o corpo dela e as fantasias do que poderiam fazer juntos eram tantas que os seus pensamentos eram bloqueados para dar lugar a aquelas fantasias.

Demi se movimentava com tanta naturalidade e se perguntava o porquê de não estar corada, apenas deixara que o ritmo da música a tomasse, mas tinha certeza que o olhar quente e carregado de desejo de Joe tinha grande influência em seus movimentos. Ele estava tão inquieto na cama com a ereção cada vez mais poderosa, olhava-a como se quisesse devorá-la e tudo que ela fazia era se entregar a música deixando que o corpo se movimentasse enquanto o olhar quente de Joe lhe incendiava o intimo.  E o olhar dele era tão intenso e cheio de fome que a deixava cada vez mais ansiosa para tê-lo.

Joe controlou-se para não puxar aquelas tiras que envolviam os seus pulsos para se soltar e avançar sobre Demi ferozmente e tomá-la nos braços no ritmo mais selvagem e intenso que ele conseguiria. Ah como ela estava linda! A lingerie escura destacando-se na pele clara, os cabelos lisos de cor escura tinham o seu próprio charme, e caíram pelos ombros em mechas sedosas e que Joe apostava que cheiravam a frutas quando Demi começou a dançar, eles moviam-se no mesmo ritmo que o pequeno corpo feminino curvado. Ah Demi! Joe puxou o ar rispidamente ao mesmo tempo em que quase tivera um ataque do coração. Deus! Isso porque Demi deslizava a alça do baby doll olhando para os olhos dele, imagina quando ela montasse nele e fizesse o que bem queria? O gemido escapou por seus lábios quando ela deslizou a outra alça e aos poucos a peça percorreu todo o corpo bonito até que tocasse o chão.

   - Linda. – Murmurou engolindo em seco fitando os seios cheios e bem curvados. – Ah Demi, não faz isso. – Joe tombou a cabeça para trás gemendo ainda mais excitado ao vê-la segurar os seios com as mãos enquanto movia o corpo conforme a música. Era demais para ele, e a essa altura do campeonato estava prestes a se soltar para agarrá-la e possuí-la. – Deus. – Choramingou quando ela enlaçou os dedos as laterais da calcinha minúscula e a deslizou mantendo o rebolado sexy. E para finalizar Demi rodara a calcinha na ponta do dedo indicador e a lançou no peito de Joe, que fitou a peça sobre o seu peito ofegante e a olhou já com as pupilas dilatadas.

   - Amor. – Sussurrou aproximando-se da cama. Ele estava como ela queria, e o melhor de tudo era que não precisara de nada que ia além de seus limites, bastara se vestir com uma peça um pouco mais ousada e dançar para ele. Demi fitou as pernas fortes até o membro bonito e esboçou um pequeno sorriso. Era por ela que ele ardia de desejo.

   - Demi.. – Escutara o gemido manhoso dele quando a música parou de tocar e o coração acelerou ao olhá-lo dos pés a cabeça. Ele era tão lindo! Simplesmente lindo! O corpo moreno e forte, os cabelos negros e os olhos mais lindos que ela já vira. O seu Joe. Demi mordeu o lábio inferior ao olhá-lo e curvou-se sobre a cama para engatinhar para cima dele. Não estava em seus planos unir-se a ele tão rapidamente.. mas sabia que metade daqueles brinquedos eróticos que os aguardavam sobre o criado-mudo não superariam sequer uma daquelas transas preguiçosas que eles tinham no meio da madrugada. Ela o queria e assim o fez, sentou-se naquela região dele que pulsava por ela e curvou para beijá-lo na boca enquanto as suas mãos espalmavam o peito largo. – Pequena. – Ofegou assim que ela roçou os lábios aos seus e o olhou nos olhos. – Minha linda. – Sussurrou arrepiado pelo contato dos corpos, ele a roçava e Demi vez ou outra rebolava lentamente o trazendo para si.

   - O que foi? – Perguntou o beijando no pescoço enquanto o movia entre os lábios do seu íntimo. – Quieto Joseph. – Sussurrou quando ele moveu-se inquieto puxando as tiras que o amarrava pelos pulsos.

   - Eu quero te tocar. – Choramingou com o beijo quente que recebera no pescoço e os movimentos que Demi já simulava o deixando cada vez mais excitado, e claro, se possível. – Não faz isso comig.. Demetria! – Joe grunhiu o nome dela quando sentiu o calor envolvê-lo naquele pequeno espaço acolhedor. – Demi! – Os lábios estavam entreabertos e os olhos fitavam os olhos sedutores dela enquanto ela o levava e o expulsava do corpo em movimentos lentos e intensos. O desejo dele era poder envolvê-la nos braços e explorar lhe o corpo com as mãos ao mesmo tempo em que se fundia a ela em toda aquela intensidade que o deixava louco. Definitivamente louco! – Me solta. – Pediu num grunhiu selvagem quando ela o olhou nos olhos e rebolou da forma mais exibicionista segurando os seios com as mãos os apertando. – Demi! – Cerrara os dentes enquanto ela lhe arranhou o abdômen com as unhas e repousou as mãos em seu peito continuando a se movimentar gradualmente aumentando o ritmo da forma que o queria. – Pequena, me solta. – Tornou a pedir depois que ela roçou os lábios aos seus e encostou as testas. Demi estava tão sexy dando amor a ele, e por mais que Joe lutava contra si mesmo para não se soltar da forma mais brusca e segurá-la com força e enterrar-se nela com agilidade e precisão, ele adorava o fato dela tomar a iniciativa, de estar no controle e provocá-lo descaradamente.

   - Eu mandei você ficar quieto. – Sussurrou nos lábios dele e logo os roçou com os seus. Joe a olhou surpreso quando Demi repousou a testa na sua, ora, ele acabara sorrindo e a beijou na boca como queria. Se tinha uma coisa que ele adorava era pirraçá-la, e quem sabe não o faria naquela noite para deixá-la tão louca quanto ele. - Nós ainda nem começamos. – Sussurrou de olhos fechados o levando para dentro por completo. A promessa dela o fizera engolir em seco, e a noite só estava começando.

Continua.. Oi! Como vocês estão? Eu estou bem! Então, em meio a falta de criatividade, a semana sem internet e a semana de provas consegui postar e espero que vocês gostem já que este, se não me engano, é o último hot da fic para que finalmente voltemos as tretas para finalizar a fic. Beijos meninas, e obrigada pelos comentários do capítulo anterior, e comentem, é importante para mim saber o que vocês estão achando da minha história como aconteceu nos comentários do capítulo anterior. 


3 comentários:

  1. ❤️❤️❤️❤️❤️❤️
    Casal hot ❤️❤️❤️
    Adoreiiii tudo
    Sem palavras para descrever tudo ❤️
    Só sei que estou apaixonada ainda mais por essa fic ❤️❤️❤️
    Posta quando puder amoré
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Gzuis Demi safada Kkkkkkkkk. Tô amando. Não fico um dia sem ler e reler Pq e muito boa tô lendo denovo desde o começo pela sexta vez e nunca me canso*-* poste quando puder Bjs

    ResponderExcluir