7.3.17

Capítulo 35

    - Assim? – O traço saiu um pouco torto, mas era o melhor depois de muitos desmanchados pela borracha. Demi fez careta, na mente dela aquele era o pior e mais desajeitado traço que alguém poderia desenhar, porém ela assentiu sorrindo observando como Joseph estava determinado em finalizar o desenho na folha de papel. O apartamento de Demi estava uma verdadeira bagunça. Os controles do videogame estavam jogados nos pés do tapete felpudo e tinham sido motivo de várias risadas quando mais cedo. Os filmes estavam desordenados e sobre o tapete onde estavam sentados havia muitas revistas em quadrinhos e um álbum de fotos. – Está bom? – Perguntou Joe tirando toda a atenção de Demi das aventuras da Mulher-maravilha.

   - Amor. – Ela riu encostando a cabeça no ombro dele e só depois de alguns segundos, quando o riso já estava controlado, ergueu a cabeça para olhá-lo nos olhos. – Você desenha muito mal. – Joe comparou o desenho que tinha feito com o original que era a capa de uma das revistas em quadrinhos do Batman. Não estava tão ruim.

   - Não está ruim. – Murmurou tentando procurar um ângulo melhor do desenho, o que resultou em mais risadas de Demi. – Dem, você faz projetos incríveis com desenho, não é justo comparar o meu com os seus. – Ele disse folheando o caderno que pertencia a ela onde havia desenhos incríveis.

   - Não seja chorão. – Disse o beijando no maxilar. – Você é realmente ruim. – Ela sorriu o observando. Ele poderia ser ruim com desenhos, mas era tão lindo quanto uma pintura valiosíssima. Que cor ela poderia usar para chegar ao verde dos olhos dele? Quão perfeitos teriam que ser os traços para conseguir retratar o formato dos olhos daquele homem? A boca dele? As maças do rosto sempre com aquele tom corado e o maxilar beijável? Adentrando os dedos ao cabelo escuro, Demi os penteou com os dedos na lateral direita da cabeça e em cima o arrepiou fazendo Joe franzir o cenho concentrado em desenhar o herói favorito. – Você é ruim. – Tornou afirmar descendo uma mão pelo braço forte dele. – Mas eu te amo muito. – Ela finalmente conseguiu a atenção dele, que a olhou e sorriu a puxando para um beijo apaixonado.

   - Chega de desenho por hoje. – Disse acolhendo o corpo dela entra as pernas. – Deita. – Pediu e aos poucos ele a ajudou a deitar o corpo sobre o tapete mantendo o tronco com as costas repousadas no peito dele. – Você está tão linda. – Comentou observando as pernas nuas dela, e bem, ele gostava muito de como a camisa com o desenho do frajola estava marcada pelos mamilos. E o cabelo dela? Joe enrolou uma mecha no dedo gostando de como os fios eram sedosos e incrivelmente marrons.

   - Ei, eu sei porque o seu desenho ficou horrível. – Disse virando a cabeça para olhá-lo e Joe aproveitou para beijar a boca dela e para deslizar as pontas dos dedos um pouco baixo do umbigo da namorada ainda sobre a camisa. – Além de ser um péssimo desenhista.  – Disse mordendo o lábio inferior para conter um sorriso e quando ela olhou para baixo Joe respirou fundo observando como os cílios eram delicados e femininos. – Você passou praticamente toda a tarde olhando para minha camisa. – Ele não negou, umedeceu os lábios e beijou os dela tentando iniciar um beijo de língua que foi interrompido por Demi. – Eu realmente me sinto como uma mulher muito malvada por pensar em todas as formas de acabar com a sua inocência enquanto você ainda está cogitando se deve ou não me tocar. – As bochechas coradas dele eram o combustível perfeito para o desejo que crescia no íntimo de Demi. Ela levou a mão dele para o seio e o ajudou a acariciá-lo observando como a mão se encaixava perfeitamente.

   - Eu.. – Começou a dizer sentindo o coração acelerar mais rápido quando Demi fixou o olhar nele. – Fico com receio. – Disse sustentando o olhar dela e diminuindo a caricia no seio.

   - Você pode me tocar sempre que quiser. – E ele a tocou no queixo porque adorava como aquele detalhe diferenciava o rosto dela. – Se eu não estiver a fim, não vou deixar você me tocar. – Joe assentiu e a beijou na boca todo cheio de cuidado e carinho.

   - Você não tem noção de como eu adoro quando você veste camisa e shorts curtos. – Ele a beijou na garganta e se ergueu para olhá-la nos olhos. – É tão.. – Demi deslizou as mãos pelas coxas dele e as subiu arranhando levemente a pele com as unhas.

   - Sexy? – Disse e Joe assentiu corado. – Nada de vergonha, nós quase quebramos a sua cama na noite passada e eu aposto que o vizinho do apartamento debaixo acordou quando você caiu no chão. Amor, o barulho foi estrondoso. – Os dois acabaram rindo e Joe apertou o abraço fazendo Demi grunhir e olhá-lo feio. – Não me aperta, você é muito forte. – Disse tentando folgar o abraço e Joe o fez assim que ela reclamou.

   - Eu tenho vontade de te morder e apertar. – Confessou e a mordeu no ombro fazendo Demi rir e gritar em susto. – O que vamos fazer agora? – Perguntou alguns minutos mais tarde quebrando o silêncio entre eles. Não era desconfortável descansar a mente com Demi nos braços, a companhia dela era incrível de se sentir.

   - Vamos comer? Eu realmente estou faminta. – Tinha como ficar mais envergonhada? Assim que terminou de confessar em voz alta que estava faminta, o estomago gritou alto. – Acho que você percebeu. – Murmurou escondendo o rosto com as mãos e Joe riu alto repousando a cabeça no sofá.

   - Sem vergonha, lembra? – Ela realmente tinha ficado sem graça e Joe não conseguia parar de sorrir porque ela estava linda rosada e sem jeito. – Me dá um beijo? – Pediu sem saber se a olhava nos olhos ou nos lábios, os dedos tocavam a pele macia do rosto na bochecha e o coração dele acelerou quando Demi o olhou nos olhos e encostou a testa a dele. – Nós podemos preparar alguma coisa para você comer. – Demi tinha dado continuidade ao beijo que interrompeu mais cedo e por um pouco não transformou o simples gesto em gemidos altos.

   - Agora nós podemos. – Ela o beijou no queixo e se levantou o puxando pela mão para que ele se levantasse como ela. – Ei grandão, você vai querer o que? – Perguntou o olhando nos olhos e o abraçando pelo pescoço impedindo que eles pudessem caminhar.

   - Não faço a mínima ideia. – Respondeu se curvando para poder beijá-la no pescoço. – Não estou faminto como a senhorita. Uma fruta está de bom tamanho. – E lá estavam as bochechas coradas dela. Joe riu e a puxou pela mão em direção a cozinha. No final das contas Joe acabou comendo uma maçã e Demi optou por um belo sanduiche que ela tinha certeza que a manteria satisfeita até mais tarde.

   - Você tem certeza que só vai comer essa maçã? – Perguntou com certo receio. Joe era grande demais para ser sustentado por uma simples maçã. – Não quer que eu prepare um delicioso sanduiche para diabéticos? – Ela fez careta, mas riu quando o flagrou com cara de poucos amigos.

   - Não é porque eu sou diabético e hipertenso que a minha comida é ruim. – Defendeu-se e bebericou a água do copo.

   - Vai ficar chateado? – Ela sabia muito bem como arrancava sorrisos dele. Como quem não queria nada Demi se aproximou e tocou a coxa nua do namorado, fitou o peito e sorriu descendo a mão pela extensão da coxa. – Vamos para sala? – Ela já estava entre as pernas poderosas dele e tinha as mãos espalmadas naquele peito moreno lindo.

   - Vamos princesa. – O sorriso de Demi foi de orelha a orelha quando Joe se levantou. Ele era tão bonito que às vezes ela não conseguia acreditar que um homem como Joe estava apaixonado por ela.

   - Promete me falar se você estiver com fome? – De tão tímido que ele era, Demi tinha que praticamente obrigá-lo a fazer promessas.

   - Prometo. – Joe se sentou no tapete felpudo da sala e timidamente puxou a namorada que se aninhou a ele como uma gata manhosa o enchendo de beijinhos e carinho. – Suas bochechas estão coradas. – Ela disse esboçando o melhor sorriso sapeca e beijou uma bochecha e depois a outra de Joe. Ele era um amor e corado era de tirar o fôlego e sorrisos de qualquer mulher. – Você fica delicioso de óculos, mas sem eles, não sei se sou capaz de me controlar. – Era tiro e queda. Ele estava corado e ela riu o abraçando e aos poucos começou acariciá-lo no músculo do braço esquerdo e nas costelas direitas.

   - Tem alguma coisa vibrando. – Joe deu espaço para que Demi pudesse se mover e sorriu quando ela buscou o celular ainda envolvida em acariciá-lo no peito.

   - Me abraça? – Pediu manhosa enquanto desbloqueava o celular e em questão de segundos Joe a abraçou. O contato físico a fez gemer baixinho e Demi acabou virando o rosto pedindo por um beijo.


“Eu quase morri com o Jamie sem camisa! Você tem que assistir o episódio sete e o oito, pra ontem! POR FAVOR, ASSISTA LOGO, PRECISO COMENTAR COM ALGUÉM ANTES QUE EU TENHA UMA ATAQUE CARDÍACO.”.

 Quem era a pessoa mais exagerada do mundo? Era claro que era Selena. Demi revirou os olhos e respondeu a mensagem da amiga apenas com um modesto “Ok.”. Ora, aquilo era suficiente para irritar Selena que já começava a digitar.

   - Acho que a Sel está digitando um dos discursos do Fidel Castro, ela não para de digitar. – Murmurou incomodada com os três pontinhos na tela do celular que indicavam que Sel estava escrevendo.

“Vou assistir agora, ok? Relaxa.”

Enviou antes que o sermão textual chegasse e no lugar dele veio vários emojis de coração e carinhas apaixonadas. Era o que acontecia quando elas começavam a assistir uma série juntas. No dia passado, no aniversário de Demi, a diversão durou até a madrugada daquele dia. Eram jogos de videogame, de mímica e de cartas e quando Sel e Demi decidiram começar a assistir uma nova série, eles passaram boa parte do tempo assistindo episódios de Outlander que duravam cerca de uma hora.

   - Ei, você quer continuar assistindo a série de ontem? – Perguntou enlaçando os dedos aos dele.

   - O que você quiser. – Ele a beijou na bochecha e o sorriso que nasceu nos lábios de Demi foi de orelha a orelha. Como podia existir um homem tão lindo como ele?

   - Eu vou buscar o notebook amor. – Ela beijou o maxilar de Joe e sorriu quando o olhou nos olhos. – Fica a vontade. – Disse e antes que pudesse se levantar para pegar o notebook, Joe a beijou na boca brevemente daquele jeito tímido que só pertencia a ele. Quando estava no quarto, além de buscar o notebook na gaveta na escrivaninha, Demi aproveitou para tirar aquele gosto de sanduiche da boca escovando os dentes, se olhar no espelho e arrumar o cabelo. Joe a deixava um pouco nervosa com toda aquela beleza. Tudo bem, ela estava bonita e admitia que tinha vestido a camisa sem sutiã com o objetivo de provocar o namorado. – Você pode me ajudar? – Perguntou assim que voltou para sala e o encontrou da mesma folheando o álbum de fotos. Joe assentiu e enquanto o carregador do notebook era plugado na tomada, ele buscava o cabo para conectar os aparelhos.

   - Você não tem fotos de quando era bebê? – Joe perguntou quebrando o silêncio.

   - Não. – Quem se importaria em tirar uma foto dela quando bebê? Dianna raramente se lembrava que tinha uma filha que necessitava de cuidados. Geralmente quem cuidava da bebê era Amélia, mas com o tempo Demi aprendeu a se virar sozinha e não tinha recordações de momentos felizes com direto a fotos e tudo mais ao lado da pequena família. – As minhas primeiras fotos são de quando eu era adolescente. Foi quando conheci a Sel, a mãe dela tinha uma câmera e sempre que podia nos emprestava. – Comentou se lembrando de como ela tinha evoluído e aprendido milhares de coisas com a família Gomez. – Você tem fotos de quando era bebê? – Perguntou concentrada em procurar pelo episódio que Selena insistia que ela assistisse.

   - A minha mãe me fotografava muito. – Ele disse esboçando aquele pequeno sorriso triste. – E a vovó conseguiu tirar fotos minhas até os doze. – E a Rose terminou o trabalho tirando fotos suas até os vinte e dois. Pensou um pouco irritada.

   - Quer pipoca? – Ela fechou as persianas da sala e o ambiente ficou perfeito para passar o resto do final de semana descansando nos braços do namorado.

   - Não. – O sorriso foi automático quando ele coçou a nuca e ofereceu a mão a ela já que tudo estava pronto para a série começar. – Vem princesa. – Disse a guiando em direção ao sofá onde se deitaram.

   - Me abraça? – Pediu e Joe a abraçou. Nos primeiros minutos do episódio Demi estava centrada em assisti-lo, e Joe preferiu abraçar a namorada e até tentou assistir a série, mas acabou cochilando.  – Joe? – Chamou-o se virando para olhá-lo e aos poucos Joe abriu os olhos cheio de preguiça.

   - O que eu perdi? – Demi riu e murmurou um palavrão quando ele a abraçou com mais força a puxando contra o corpo.

   - Você está me esmagando. – Ele era pesado e grande. Com um pouco de dificuldade Demi desfez do abraço e se deitou apoiando a cabeça no peito dele aproveitando para colocar uma perna entre as dele. – Joe, fica quieto. – Resmungou quando ele tentou se erguer e só aí que Demi entendeu que ele queria cobri-los. – Melhor? – Perguntou quando já tinha puxado a coberta até a altura da cintura e se aninhado nos braços do namorado. E ele respondeu com um breve beijo na boca.
                                                                                                                                                 
                                                                                                             
As bochechas de Demi coraram conforme o decorrer do episódio, ela não esperava que as cenas de sexo fossem tão explicitas e quentes. Faltou coragem para espiar como Joe estava, mas aos pouquinhos ela conseguiu olhá-lo e sorriu. Ele estava mais vermelho que um tomate.

   - Me abraça? – Tornou a pedir e quando Joe a abraçou ela empurrou o corpo ao dele vagarosamente algumas vezes e o beijou no pescoço. – Eu não acredito que você está corado. – A gargalhada foi alta e exagerada e Joe ficou tão sem jeito que desviou o olhar do dela para a televisão, o que resultou em um notável desconforto da parte dele já que os personagens da série ainda estavam.. namorando. – Joe, olha para mim. – Pediu e quando ele olhou, ela tornou a rir, mas o beijou na bochecha. – Não precisa ficar com vergonha. Você já fez amor comigo várias vezes. – Dessa vez os dois coraram bruscamente. Desde a última vez no apartamento de dele, eles não tinham conversado sobre o assunto. – Eu adorei o nosso primeiro café da manhã. – Comentou se deitando ao lado dele e Joe disse um tímido “ Eu também”.

   - E a nossa noite? – Ele perguntou fitando o teto e sentindo o coração quase sair pela boca.

   - Bem, eu te derrubei da cama. – Eles riram descontraindo o clima e quando se olharam sorriram. – E antes disso.. Foi fantástico. – Disse o olhando nos olhos. – Você gostou? – Perguntou sustentando o olhar dele.

   - Meu coração quase saiu pela boca. – O sorriso dele foi de orelha a orelha mesmo estando de bochechas coradas. – E.. e.. você? Gostou? – Dessa vez ele se referia diretamente ao que tinha a levado ao paraíso. Demi piscou as pálpebras algumas vezes e umedeceu os lábios colocando uma mecha do cabelo atrás da orelha.

   - Muito. – Disse corada. – Tipo muito. – Não seja boba. A consciência gritou com ela e Demi respirou fundo algumas vezes se controlando conforme se lembrava de como tinha sido magnífico ter a língua dele no ponto mais sensível do corpo de uma mulher. – E você? – Ele apenas assentiu balançando a cabeça fitando o teto. – Joseph. – Chamou-o pelo nome e quando ele a olhou, Demi levou a mão a cintura dele e se ergueu para beijá-lo na boca.

Por que diabos ele estava tão tímido? Ela teve que conduzi-lo a se deitar sobre o corpo dela e a beijá-la. O engraçado era que as bochechas dele continuavam coradas e as mãos não exploravam o corpo feminino como o de costume. – Tudo bem? – Perguntou o olhando nos olhos e Joe umedeceu os lábios e beijou brevemente os dela. Ele não tinha tido oportunidade de conversar com Demi sobre o dia passado. Aliás, ninguém teve já que o resto do sábado se resumiu em comemorar. – Joe? – Chamou-o adentrando o cabelo dele com os dedos e Joe franziu o cenho a olhando nos olhos. – Você está tão sério. – Comentou forçando um sorriso e o acariciou no peito. – Tudo bem? – Tornou a perguntar com um pouco de receio brincando com a ponta dos dedos no peito dele.

   - Eu acabei me lembrando da conferência. – Agora sim a repentina mudança de humor dele estava explicada. – Nós não conversamos. – Disse se deitando ao lado dela. - Nós deveríamos conversar sobre isso, não acha? – Ela não disse nada, levantou-se chamando a atenção dele e pausou o episódio que rolava a minutos sem ninguém para assistir. – Você não quer conversar? – Perguntou se erguendo quando Demi se sentou ao sofá.

   - Eu.. – O que ela iria dizer? Estava com vergonha de tudo que tinha acontecido porque sabia que, por mais que Jake fosse o maior canalha, a culpa era dela por ter se envolvido com ele mesmo com todos os avisos de Selena.

   - Amor, você pode compartilhar os seus problemas comigo. – Disse enlaçando os dedos aos dela e Demi forçou um sorriso porque tinha gostado da forma carinhosa que ele a chamou de amor. – Não é bom guardar só para você, vai te fazer mal. – Já estava fazendo. Por todos os dias desde a desagradável descoberta sobre a esposa de Jake, Demi vinha se esquivando das tentativas de Selena de conversar com ela e não dava uma oportunidade para Joe tocar no assunto, mas agora ele tinha o feito e não tinha para onde correr. – Como você está se sentindo? – Perguntou a olhando nos olhos ainda com os dedos enlaçados aos dela.

   - Sinceramente? – Disse chorosa deitando a cabeça no ombro dele. – Um caco. Eu não consigo me perdoar por ter deixado o Jake aprontar com vocês. E me sinto uma verdadeira vadia por ter dormido com ele. Ele tem três crianças, amor. – Quando a primeira lágrima rolou, Joe a limpou se sentindo péssimo por ver Demi chorar. – E ainda tem a minha mãe, ela estava dormindo com ele. Por um momento eu pensei que ela realmente gostava de mim. Mais uma vez ela me fez de boba.

   - Não chora princesa, por favor. – Pediu enxugando as lágrimas dela com beijinhos carinhosos. – Você é apenas uma vítima e não tem culpa de nada. Nós entendemos que você só queria ser feliz. Não dava para prever que o Jake aprontaria tudo isso.- Disse a abraçando de lado.

   - Na festa de aniversário da Sel, eu parti o seu coração. Você estava tão lindo e a coisa mais fofa do mundo se declarando, e eu te troquei por ele e arruinei a noite da Selena. – Fora que naquele mesmo dia a irmã de Ed faleceu depois de meses e meses de luta contra o câncer. – Eu me sinto péssima, só me sinto bem quando estou com você. – Joe a beijou na boca e sorriu tentando fazê-la sorrir, mas o sorriso que Demi esboçou era triste. – E as flores do meu pai.. Estou tentando não pensar nisso porque eu sinto que se eu pensar, vou acabar surtando. – Eram tantas coisas acontecendo ao mesmo tempo, que às vezes era melhor ignorar ou fingir que estava tudo bem. – Eu estou com medo. E se ele entrar em contato? Eu sempre quis conhecê-lo, mas... Ele machucou a minha mãe, isso é tão aterrorizante. Não quero alguém como ele na minha vida.

   - Você tem todo o direito de não querer contato. – Comentou brincando com os dedos nos dela. – E sobre a festa da Selena, foi uma noite muito difícil, mas todo mundo erra Dem, acontece. – Demi se agarrou a ele se sentindo protegida e em paz.

   - Acho que se não fosse você, eu estaria completamente perdida e todos esses sentimentos negativos teriam me consumido, mas eu te amo tanto e ter você me faz querer ser uma pessoa melhor. – Disse manhosa e Joe a beijou lentamente na boca. – Não sei o que eu faria sem você, a Sel e o Ed. Ontem foi incrível, eu me diverti tanto que.. – Ela levou a mão ao cabelo e respirou fundo. Estava na hora de contar o que tinha acontecido na conferência. – Que esqueci o dia desastroso. – Completou tristonha.

   - Fico feliz Dem e eu te amo muito. – Eles sorriram quando se olharam e Joe se deitou puxando a namorada para o peito. – Você pode me contar o que aconteceu se quiser. – As lágrimas dela molharam o peito e Joe as enxugou. Ele não pediu para que ela parasse de chorar porque sabia que ela precisava derramar algumas lágrimas para se sentir melhor. – Não vou te julgar, princesa. – Disse carinhosamente acariciando as costas dela e Demi gemeu manhosa se aninhando a ele.

   - Eu me senti sufocada. – A voz chorosa quebrou o silêncio no apartamento. – A esposa dele me abordou no camarim. Fiquei com tanto medo, pensei que ela tentaria me machucar ou algo do tipo. Mas ela pediu que eu deixasse que os filhos dela crescessem com o pai e que eu a deixasse ser feliz com ele. Doeu. Tentei explicar que eu não sabia que ele era casado, mas não sei se ela acreditou. Foi simplesmente a conversa mais desconfortável da minha vida. Me senti como uma qualquer por ter me envolvido com um homem casado.

   - Ela não tentou fazer escândalo? – Perguntou deslizando os dedos pelas costas dela e Demi negou manhosa.

   - Ela dispensou o maquiador e terminou a minha maquiagem enquanto a gente conversava. – Joe fez careta imaginando a tensão no camarim. Não era à toa que Demi estava atordoada quando os encontrou no parque. – Na verdade ela não me deu muita oportunidade de falar e o Jake nos interrompeu. Ele é tão cara de pau que não ficou nervoso ou assustado, ficou parado na porta do camarim nos ouvindo. – A raiva e a frustração cresceram na mesma proporção apenas em pensar em tudo que Jake tinha feito na tarde passada. – Você sabe o que aconteceu no palco. Juro que nunca imaginei que ele tinha câmeras na reprografia. – Murmurou envergonhada e Joe engoliu em seco corado.

    - Sinto muito Dem. Eu fiquei tão atordoado e sem saber o que fazer. O Ed e a Sel não entenderam até que o Jake disse que a mulher do vídeo era você. Tentamos acesso aos bastidores, mas eles não permitiram a nossa entrada. Parece que tudo foi planejado. – Comentou e Demi assentiu.

   - Ele sabia sobre nós esse tempo todo e se vingou. Tenho medo do que ele possa fazer. – Jake parecia ser o tipo de cara que não a deixaria em paz mesmo com a esposa e os filhos para ocupá-lo. Prova disso era o dia passado. – Quando terminamos a conferência ele falou sobre a minha mãe para o pessoal e disse que eu.. Bem, ele disse que eu cuidava dos garotos virgens. – Joe franziu o cenho e o punho, tombou a cabeça para trás de olhos fechados e respirou fundo algumas vezes se controlando para não ir atrás de Jake naquele mesmo instante.

   - Olha para mim. – Pediu e quando se ergueu, Demi respirou fundo fitando os olhos intensos dele. – Eu não vou deixar ele te machucar, pode até custar o meu emprego, mas eu não vou deixar. Nem ele e nem ninguém, eu quero que você seja feliz. – Disse estudando os olhos dela. Às vezes o marrom se assumia com um brilho doce e feliz, até mesmo inocente. Mas às vezes o olhar de Demi era tão carente e triste que partia o coração de Joe. – Você promete me contar se ele tentar qualquer coisa?

   - Amor.. – Disse com certo receio desviando o olhar do dele e Joe franziu o cenho. – Você não pode ser despedido. – Ainda mais por culpa dela. – Eu não posso ser despedida.

   - Por quê? Ele não vai tocar em você, não importa se ele é dono de tudo. – Disse mal humorado. – Da mesma forma que consegui emprego na Gyllenhaal posso conseguir em outra empresa.

   - Por favor, eu não quero que você faça isso. – Insistiu se erguendo para olhá-lo nos olhos. – Você não pode se prejudicar por minha causa. – Seria demais para ela. Já não bastava tudo que Joe tinha suportado calado.


   - Você promete que vai me contar? – A voz soou firme e potencialmente masculina. Ele não estava brincado e sabia que era quase certeza que seria despedido porque no momento que pisasse os pés na Gyllenhaal e Jake o olhasse torto, o punho se colidiria contra o maxilar dele causando um verdadeiro estrago que daria muita dor de cabeça.

***

Apartamento de Dianna, Manhattan, Nova York, USA - 07:30PM


Como ela nunca tinha percebido que aquela garotinha era um amor? A cada foto, o sorriso nos lábios de Dianna ganhava vida e o coração batia mais rápido. A sua pequenina era uma princesa sorridente de bochechas coradas e fofinhas, grandes olhos marrons encantadores assim como o cabelo liso e a pele clarinha. Mesmo que as fotos não chegavam a quantidade dez, Amélia tinha feito um bom trabalho fotografando a pequena Demi. 

A consciência pesou e o sentimento de culpa a estraçalhou. Por que diabos ela agredia aquela criança? Por que ter dinheiro de sobra era mais importante que o sorriso daquele anjinho? Eram perguntas que Dianna não conseguia responder, por um lado ela queria ter aproveitado a filha, mas por outro não se arrependia de nada que tinha feito. Viver no mundo em que ela vivia não era uma tarefa fácil e que permitia escolhas. A prostituição era um caminho negro que envenenava e escravizava a alma dos fracos, a mentira e a ganância não ficavam para trás. Quando bateram à porta, Dianna virou a página do álbum e sentiu uma confusa mistura de sentimentos ao olhar para a foto, e ela não era da autoria da falecida mãe.

   - Estou indo. - Murmurou impaciente fechando o robe de seda que vestia. Ela não esperava visitas e uma mistura de nervoso e felicidade a consumiu por pensar que a pessoa que batia a porta poderia ser Demi. Será que ela seria perdoada depois de machucar tanto a filha e não dar as caras no aniversário de vinte e três anos da mesma no dia passado? Era pedir demais..

   - Boa noite. - Ainda existiam alguns clientes que pagavam muito bem.. Porém eles ligavam antes de procurá-la e geralmente lançavam olhares desejosos ao corpo dela sem cerimônias, porém aquele sujeito de chapéu e sobretudo apenas olhava nos olhos dela com os intensos olhos castanho dele. - Nós precisamos conversar. - A voz era familiar e quando o chapéu não estava mais na cabeça, Dianna engoliu em seco. Há quanto tempo ela o via? Vinte e três anos e alguns meses. 



Continua.. Oi! Tudo bem com vocês? Então eu trouxe mais esse pedacinho para vocês, não tem muita coisa, mas vocês já sabem que vai dar confusão entre o Joe e o Jake. E quem diabos é esse homens que foi ao apartamento da Dianna? Perdoem a demora, eu ainda estou na mesma situação que comentei no capítulo passado e sem muitas ideias de como desenvolver os capítulos. Mas espero que vocês gostem. Vou responder os comentários do capítulo passado agorinha no selinho, ok? Muito obrigada meninas pelo carinho! Beiijooo!


14 comentários:

  1. Eitaaa, o circo vai pegar fogo agora entre Joe e jake, já quero... Kkkkk'
    Já até posso imaginar quem seja essa cara misterioso na casa da Dianna. Posta o próximo logo, bjos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oiiie Brunna! Sim, o Joe está com os nervos fervendo e ele vai querer acertar as contas com o Jake, pode apostar que vai! Quem é o cara misterioso?
      Beijo! Já já posto

      Excluir
  2. É O PAI DA DEMI MEU DEUS, É ELE EU SEI QUE É. Cara como que acaba um capítulo assim? Vai ficar um vazio no meu coração esperando o próximo. Imaginando quando a Demi e sua turma voltarem ao trabalho, o Jake vai tá o cão chupando manga. Ótimo capítulo, bjos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Será que é o Inácio? Ou eu estou trollando vcs? suhusahsau brinks! O próximo capítulo compensará, por mais que demorou.. O Jake é um chato, por enquanto vamos focar mais em Jemi, o Jake já perturbou muito! Beijo, obrigada!

      Excluir
  3. AAAAAAA AMEI!!!Esses dois são muito fofinhos!!!!
    Ela desabafou com ele que coisa mais lindinha, tão preciosos <3
    Agora eu tenho certeza que é realmente o pai da Demi. Ele veio pra balançar tudo, né????
    Tô aguardando os babados, hahaha.
    Adorei o capítulo, continuaaa!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, eles são fofíssimos juntos!
      Será que é o pai da Demi? Hum, se for, pode ter a absoluta certeza que ele vai colocar o mundo da Demi de cabeça pra baixo! A Demi sempre quis conhecê-lo e sempre teve fé que ele seria o melhor para ela, que nele, ela encontraria o amor que nunca recebeu da mãe, mas as coisas são complicadas.. Lembra do primeiro capítulo que a Dianna contou que a Demi era fruto de um estupro, pois é..
      Obrigada! E Sim, terão muitos babados!

      Excluir
  4. Gente socorro tinha parado de acompanhar a história por falta de tempo e por ter perdido o link do blog mais achei Graças a Deus! Estou muito feliz por isso! Jame muito filho da mae mesmo cara!!! Como alguém pode ser assim!
    Aguardo ansiosamente pelo próximo capítulo viu? Beijos ����

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ahh, e eu estou muito feliz por você estar lendo a fanfic!!! Sim, ele é muito filho da mãe, mas terá o que merece!! Já já postarei, beijo!

      Excluir
  5. Cadê você ������

    ResponderExcluir
  6. Acho que o papai da Demi apareceu, mostra sua cara Inácio!
    E acho que ele é poderoso...
    Quero que Jake tome muito na bunda, odeio esse cara.
    JOE É MUITO FOFO QUERO PARA MIM, é engraçado porque eu acho o Joe muito sem vergonha e quando vejo o Joe aqui tímido asfuck eu dou muita risada.
    Sam, xoxo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oiiiiie Sam! Será que é o pai da Demi mesmo? A Dianna é cheia de sujeira, mas será que é o Inácio? Hum.. Vamos ver, né? KKKKKKKKKKKKKKKKK O Jake vai ter o que ele merece, só esperar um pouquinho.. hahhaha
      Joe é um amor! Sim, o Joe real é muito sem vergonha, mas eu gostei muito de imaginá-lo todo vermelhinho de vergonha! Beijo!

      Excluir